*  Síndrome nefrótica - Wikipedia
A síndrome nefrótica (ou simplesmente nefrose) é um transtorno renal causado por um conjunto de sinais, sintomas e achados laboratoriais que se desenvolvem quando ocorre uma elevação da permeabilidade da parede capilar dos glomérulos renais, que implica a perda excessiva de proteínas através da urina (proteinúria) superior a 3.5g por dia, níveis baixos de proteína no sangue (hipoproteinemia ou hipoalbuminemia), ascite e, nalguns casos, edema, colesterol alto (hiperlipidemia ou hiperlipemia) e uma predisposição para a coagulação. Outros sintomas podem também estar associados com o aumento de peso, sensação de cansaço e urina turva (espumosa). As causas incluem um determinado grupo de doenças renais, tais como glomeruloesclerose segmentar e focal, nefropatia membranosa e doença de lesão mínima. Também pode ocorrer como complicação da diabetes ou lúpus. Normalmente a causa está na lesão do glomérulo renal, seja esta primária ou secundária, que altera a sua ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_nefr%C3%B3tica
*  GEDR: SÍNDROME NEFRÓTICA
SÍNDROME NEFRÓTICA Síndrome nefrótica não é uma doença, mas um conjunto de sinais e sintomas. Ocorre nos pacientes que têm uma proteinúria (proteína na urina) maciça. A proteinúria ocorre sempre em conseqüência de alterações do filtro glomerular renal, por inúmeras causas. A síndrome nefrótica é a forma de apresentação de várias doenças renais que se manifestam por edema generalizado e proteinúria maciça superior a 0,10g/kg de peso ou 3,5g/1,73 m de superfície corporal. Embora sob o ponto de vista clínico seja fácil caracterizar um paciente nefrótico através do edema acentuado, o diagnóstico da causa é, por vezes, difícil. Como se desenvolve? O modo de início é lento e o edema (inchume) vai se instalando vagarosamente. Começa pelas pernas e pálpebras, generalizando-se por todo o corpo. Pelo filtro glomerular renal passam diariamente em torno de 60.000g de proteínas, mas somente 0,150 g são excretadas pela ...
  http://estudandoraras.blogspot.com/2010/10/sindrome-nefrotica.html
*  Doença de lesão mínima - Wikipedia
A doença por lesão mínima (DLM) é uma glomerulopatia caracterizada por ausência de lesões ou alterações mínimas do glomérulo na avaliação com microscópio óptico. Ao microscópio eletrônico observam-se alterações ultraestruturais dos podócitos. Outra característica marcadante dessa patologia é a presença de síndrome nefrótica. É responsável por 80% de todas as causas de síndrome nefrótica em crianças, predominando entre 1 a 8 anos, e 20% de todas as causas de síndrome nefrótica em adultos. À microscopia eletrônica, identificou-se uma anormalidade freqüentemente presente: a fusão e apagamento dos processos podocitários. Resulta da perda da carga negativa da barreira glomerular, originando um tipo seletivo de proteinúria. Os pacientes geralmente apresentam um quadro de síndrome nefrótica clássica, com todos os seus sinais e sintomas, muitas vezes influenciado por fatores ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Doen%C3%A7a_de_les%C3%A3o_m%C3%ADnima
*  Síndrome Nefrótica - Doenças e Fatores | Saúde - Cultura Mix
Definição A síndrome nefrótica é uma coleção de sintomas que ocorrem devido à diminuição dos vasos sanguíneos nos rins, e ele praticamente ficam
  http://saude.culturamix.com/doencas/sindrome-nefrotica
*  Síndrome Nefrótica
... Assistente em linha para diagnóstico médico. Lista detalhada de doenças possíveis dados diversos sintomas ou uma história clínica completa. Se fornece uma medida da similaridade entre os sintomas e cada doença.
  http://www.lookfordiagnosis.com/mesh_info.php?term=S%C3%ADndrome+Nefr%C3%B3tica&lang=3
*  POR DENTRO DA ENFERMAGEM: Janeiro 2011
A síndrome nefrótica é o termo utilizado para designar uma variedade de insuficiência renal crônica caracterizada por edema, proteinúria, hipoalbuminemia, dislipidemia, em geral, hipercolesterolemia.O objetivo primário do tratamento dietético é o de minimizar as perdas protéicas induzidas pela proteinúria, procurando restabelecer os valores de albumina plasmática dentro dos limiares de normalidade, além de minimizar o impacto metabólico da dislipidemia. Tais objetivos só podem ser obtidos mediante uma conduta dietoterápica individualizada, que atenda a todas as necessidades do paciente em questão. A síndrome nefrótica impõe ao organismo um aumento da demanda energética, acarretando, por sua vez, perda ponderal naqueles pacientes cuja ingestão for insuficiente a esta necessidade. Por este motivo, justifica-se o aumento na oferta calórica total, que fica em torno de 35 a 50kcallkg de peso/dia para adultos. Além da oferta de calorias, a dieta ...
  http://pordentrodaenfermagem.blogspot.com/2011/01/
*  Blog Criança & Rim: Síndrome Nefrótico
Recebemos uma colaboração da Maria Almeida, que é estudante do 3º ano de Medicina na Universidade do Minho. Nesta Universidade, todos os anos os alunos de Medicina têm a oportunidade de desenvolver um projecto durante um mês numa área por eles escolhida ...
  http://blogcriancaerim.blogspot.com/2007/10/sndrome-nefrtico.html
*  Síndrome nefrótica iuri usêda - mr1 hgrs - Portugues
Programa de Residência Médica em Clínica Médica Hospital Geral Roberto Santos Síndromes Compartimentais Renais: …
  https://pt.slideshare.net/janinemagalhaes/sndrome-nefrtica-iuri-usda-mr1-hgrs
*  Glomerulonefrite membranoproliferativa - Wikipedia
GlomeruloNefrite MembranoProliferativa (GNMP) é uma doença renal caracterizada por lesão da membrana basal e mesângios dos glomérulos dos néfrons, partes dos rins essenciais para a boa filtração do plasma sanguíneo. Existem diversas possíveis causas: Doenças autoimunes (lúpus eritematoso sistêmico, esclerodermia, síndrome de Sjogren ou sarcoidose) Câncer (leucemia ou linfoma) Infecções crônicas (hepatite B, hepatite C, endocardite ou malária); Rejeição de transplante renal; Doença de depósito de paraproteínas. Os possíveis sintomas incluem: Hipertensão arterial leve, com pressão arterial diastólica menor que 90 mmHg. Hematúria (urina escura, com sangue); Proteinúria (urina espumosa); Azotemia (excesso de dejetos nitrogenados como ureia e ácido úrico no sangue) Menor volume de urina; Dificuldade para ficar alerta e se concentrar; Fadiga; Inchaço nas pernas, pés, mãos ou rosto; Apresenta-se com síndrome nefrótica em 70% dos pacientes e ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Glomerulonefrite_membranoproliferativa
*  Nefropatia membranosa - Wikipedia
Nefropatia membranosa ou glomerulonefrite membranosa (GNM) é uma doença renal caracterizada pela inflamação e espessamento lento e gradual da membrana basal dos capilares sanguíneos dos glomerulos renais. Ocorre uma significativa perda de proteínas (síndrome nefrótica), mas a função renal segue saudável. É mais comum em pacientes do sexo masculino e entre os 30 e 50 anos, mas pode ocorrer em qualquer faixa etária. Na maior parte das glomerulonefrites membranosa existe evidência de autoimunidade contra receptores próprios ou contra proteínas bovinas no sangue (anticorpos anti-albumina bovina catiônica sérica), absorvidos após consumo de leite ou carne bovinos. Outras possíveis causas para essa reação autoimune envolvem : Doença autoimune sistêmica, como o lúpus eritematoso sistêmico ou artrite reumatoide; Infecção por hepatite B, hepatite C ou sífilis; Certos medicamentos, tais como sais de ouro e anti-inflamatórios não esteróides; Alguns tumores cancerosos ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Nefropatia_membranosa
*  CID-10 Capítulo XIV: Doenças do aparelho geniturinário - Wikipedia
0 Anormalidade glomerular minor .1 Lesões glomerulares focais e segmentares .2 Glomerulonefrite membranosa difusa .3 Glomerulonefrite proliferativa mesangial difusa .4 Glomerulonefrite proliferativa endocapilar difusa .5 Glomerulonefrite mesangiocapilar difusa .6 Doença de depósito denso .7 Glomerulonefrite difusa em crescente .8 Outras .9 Não específicada (N00) Síndrome nefrítica aguda (N01) Síndrome nefrítica rapidamente progressiva (N02) Hematúria recidivante e persistente (N03) Síndrome nefrítica crónica (N04) Síndrome nefrótica (N05) Síndrome nefrítica não especificada (N06) Proteinúria isolada com lesão morfológica especificada (N07) Nefropatia hereditária não classificada em outra parte (N08) * Transtornos glomerulares em doenças classificadas em outra parte (N08.0) * Transtornos glomerulares em doenças infecciosas e parasitárias classificadas em outra parte (N08.1) * Transtornos glomerulares em ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/CID-10_Cap%C3%ADtulo_XIV:_Doen%C3%A7as_do_aparelho_geniturin%C3%A1rio
*  Nefropatia diabética - Wikipedia
Nefropatia diabética, também conhecida como síndrome de Kimmelstiel-Wilson e glomerulonefrite intercapilar, é uma doença renal progressiva causada por angiopatia dos capilares nos glomérulos renais. Ela é caracterizada por síndrome nefrótica e glomeruloesclerose difusa. Ocorre devido a diabetes mellitus de longo prazo, e é a principal causa de diálise em muitos países ocidentais. Em pacientes com Diabetes mellitus tipo 1, sua progressão pode ser lentificada pelo uso de inibidores da enzima de conversão da angiotensina. Este efeito é presente em pacientes diabéticos que tenham hipertensão arterial e/ou proteinúria maciça associada (> 300 mg/24h). Bakris G L (2009). «Is blockade of the renin-angiotensin system appropriate for all patients with diabetes?». Journal of the American Society of Hypertension. 3 (5): 288-290. doi:10.1016/j.jash.2009.07.001 ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Nefropatia_diab%C3%A9tica
*  Glomerulonefrose - Wikipedia
Glomerulonefrose é uma doença não inflamatória do rim (nefrose) que afeta principalmente o glomérulo renal. Não confundir com glomerulonefrite, que indica compromisso glomerular inflamatório. Pode ser causada por diabetes mellitus ou substâncias nefrotóxicas. O glomérulo renal é responsável pela filtração de dejetos do sangue, formando urina. Quando o glomérulo é lesionado pode permitir perda de proteínas (síndrome nefrótica) ou perda de glóbulos vermelhos (síndrome nefrítica). http://www.worldlibrary.org/articles/glomerulonephrosis Nesfield SR, Williams TC, Hoivik DJ, et al. (2005). "Evaluation of the carcinogenic potential of clofibrate in the neonatal mouse". Int. J. Toxicol. 24 (5): 341-8. doi:10.1080/10915810500210401. PMID 16257853 ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Glomerulonefrose
*  Síndrome nefrítica - Wikipedia
A síndrome nefrítica se refere ao conjunto de sintomas característicos de inflamação dos glomérulos renais (glomerulonefrite). Os glomérulos formam néfrons, a parte dos rins que filtram o sangue de substâncias indesejadas. Quando a inflamaçao é muito grande as membranas de filtração permitem a passagem de células sanguíneas e proteína. Não confundir com síndrome nefrótica, na qual não há perda de hemácias na urina. Essa síndrome é caracterizada por: Inchaço (Edema), pela perda de albumina; Hipertensão arterial; Urina escura por passagem de sangue (Hematúria); Perda de proteínas na urina (Proteinúria); Aumento da creatinina sérica; Urinar pouco (oligúria). Pode ser causada por: Infecções bacterianas, principalmente após infecção estreptocócica de grupo A. Infecção viral (infecção por Coxsackievirus, Citomegalovírus, Epstein-Barr, Hepatite B, Hepatite C, Herpes zoster, Sarampo, Caxumba ou Varicela); Infecção parasitária (malária, toxoplasmose ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_nefr%C3%ADtica
*  Glomeruloesclerose segmentar e focal - Wikipedia
Glomeruloesclerose segmentar e focal (GESF ou GSF) é uma doença renal caracterizada por cicatrização (esclerose) e endurecimento de um segmento de alguns glomérulos renais. Os glomérulos são responsáveis pela filtração do sangue para remover substâncias indesejadas pela urina. Caso não seja tratado pode evoluir a insuficiência renal. É responsável por 25% das síndromes nefróticas, afeta crianças e adultos, sendo um pouco mais comum entre descendentes de africanos e homens. Pode ser um defeito renal congênito ou secundário a: Drogas como heroína, bifosfonatos, pamidronato ou esteroides anabolizantes; Nefropatia associada ao HIV; Obesidade; Refluxo nefropático; Anemia falciforme. Começa com perda de proteínas na urina sem sintomas (proteinúria assintomática). Conforme a proteína em sangue reduz, aparecem os sinais de uma síndrome nefrótica clássica: Inchaço (edema) nas pernas e rosto; Aumento de peso por retenção de líquido; ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Glomeruloesclerose_segmentar_e_focal
*  Hipervolemia - Wikipedia
Hipervolemia, Pletora ou sobrecarga de líquidos (do latim hiper+volemia muito volume sanguíneo) é a condição médica na qual há muito fluido no sangue em circulação. A condição oposta é a hipovolemia, na qual há muito pouco fluido no sangue. Excesso de ingestão de sódio e líquidos: Terapia intravenosa contendo sódio; Reação a uma transfusão de sangue rápida; Alta ingestão de sal, salgados e refrigerantes. Retenção de sódio e água: Insuficiência cardíaca Cirrose hepática Síndrome nefrótica Terapia com corticosteroides Hiperaldosteronismo Baixa ingestão proteica Deslocamento do fluido para o espaço intravascular: Remobilização de fluidos após tratamento de queimadura; Administração de fluidos hipertônicos como manitol ou solução salina hipertônica; Administração de proteínas plasmáticas, como a albumina. Edema Volemia Hipovolemia Abcesso Exsudato http://medicosdeportugal.saude.sapo.pt/glossario/hipervolemia Page 62 (Fluid imbalances) in: Portable Fluids ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Hipervolemia
*  Polimorfismos do gene MBL2 e percentual de IgG4 sérica em glomerulopatia...
Introdução: Glomerulopatia membranosa (GM) é uma causa de síndrome nefrótica cuja etiologia pode ser primária (GMP) ou secundária, dentre estas é frequente o Lúpus eritematoso sistêmico (LES). Trata-se de uma doença imunologicamente mediada, caracterizada pela deposição de imunocomplexos no espaço subepitelial glomerular. A maioria dos antígenos envolvidos identificados são alvos da imunoglobulina G4 (IgG4), subclasse predominante em imunofluorescências renais na GMP, em contraste com a GM secundária a LES (GMS) na qual IgG1, IgG2 e IgG3 prevalecem. Apesar da IgG4 ser um subtipo de imunoglobulina com baixa capacidade de ativação do complemento, há várias evidências deste envolvimento na GMP. Esses dados, em conjunto com achados de depósitos glomerulares de lectina ligadora de manose (MBL), um dos principais componentes da via das lectinas do complemento, podem sugerir que tanto a via da lectina como a IgG4 estão envolvidas nesta patologia. Sabe-se ainda que o ...
  http://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17953
*  Retocolite Ulcerativa: lista de medicamentos distribuídos nas Farmácias de Alto Custo - Artrite Reumatoide
Monitorização: Controle de Segurança de uso dos medicamentos. Não há indicação do acompanhamento da atividade da doença por métodos endoscópicos, pois a melhora endoscópica não é o objetivo primário do tratamento. Os pacientes devem evitar o uso de antiinflamatórios não-esteróides, que podem agravar as manifestações da retocolite ulcerativa. Antes do início da sulfasalazina, deve-se realizar hemograma, testes hepáticos, creatinina e exame qualitativo de urina. Estes exames devem ser repetidos a cada 2 semanas nos primeiros 3 meses, após, mensalmente no segundo e terceiro meses e, a seguir, trimestralmente ou quando clinicamente indicado.. Durante o uso de mesalazina, recomenda-se dosagens antes do tratamento e, após, periodicamente, de uréia, creatinina e exame qualitativo de urina, pois pacientes com insuficiência renal têm maiores chances de desenvolver nefrite intersticial e síndrome nefrótica. Valores de ALT, AST, bilirrubinas e fosfatase alcalina podem elevar-se ...
  http://artritereumatoide.blog.br/retocolite-ulcerativa-lista-de-medicamentos-distribuidos-nas-farmacias-de-alto-custo/
*  Portal Saude Direta - Protocolos
Tromboembolismo venoso (TEV) representa um espectro de doenças que inclui trombose venosa profunda, trombose associada a cateteres venosos centrais e, a complicação mais grave, tromboembolismo pulmonar (TEP). Tanto episódios assintomáticos, quanto aqueles clinicamente aparentes em pacientes hospitalizados, estão associados à fatalidade. Na terceira parte: doença reumatológica ativa, doença inflamatória intestinal, doenças respiratórias graves, infecções com exceção das torácicas, síndrome nefrótica, câncer, quimioterapia, hormonioterapia, internação em unidade de terapia intensiva, uso de cateteres venosos centrais, uso de cateteres para hemodiálise, uso de Swan-Ganz ...
  http://www.saudedireta.com.br/protocolos.php?page=223
*  BLOG DO ZEQUINHA: Garoto de Porto Alegra recebe órgãos de criança atropelada em Maringá
O garoto Lucas Farias de 14 anos de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, teve sua vida salva após uma família de Maringá ter doado os rins de uma criança de 5 anos que morreu atropelada. João Victor Matossinho foi atropelado por um automóvel no último dia 3 e após ficar alguns dias internado, o Hospital Santa Rita confirmou a morte cerebral do paciente. A família decidiu doar os órgãos de João Victor. O transplante de rim foi feito no último dia 7 no Hospital Santa Casa da capital gaúcha. Lucas Farias continua internado e passa bem. Lucas com apenas 1 ano foi diagnosticado portador de síndrome nefrótica, quando a proteína do organismo é eliminada pela urina. Esse problema retardou o crescimento ósseo e comprometeu a coordenação motora do garoto. Por causa dos medicamentos, Lucas passou a ter crises convulsivas. A família de Lucas está muito feliz por ter recebido da família de João Victor esse presente que foi a doação dos órgãos para salvar a vida do adolescente. Fonte ...
  http://zequinhapaula.blogspot.com/2016/01/garoto-de-porto-alegra-recebe-orgaos-de.html
*  Medicina de Familia: Fevereiro 2014
Outra mudança no gráfico de imunizações adulto: uma nova ordem a vacina anti-pneumocócica. PCV13 (13-valente), a nova vacina conjugada, agora está listada acima da PPSV23 (23-valente), a vacina polissacarídica. Ela funciona como um gatilho de tempo, um lembrete para dar vacina conjugada em primeiro lugar, antes de vacina polissacarídica, para as pessoas não vacinadas anteriormente que necessitam de ambas as vacinas. Isto inclui: adultos imunocomprometidos com 19 anos de idade ou mais, incluindo aqueles com insuficiência renal crônica , síndrome nefrótica, asplenia anatômica ou funcional, comunicações de líquido cefalorraquidiano ou implantes cocleares. Eles devem receber a vacina polissacarídica PPSV23 pelo menos 8 semanas depois. Para aqueles que necessitam de vacinas e que já tenham sido vacinados com a vacina polissacarídica PPSV23 , você tem que esperar pelo menos 1-2 anos antes de dar vacina PCV13 conjugada. A nota também inclui um lembrete de que a PCV13 é uma vacina ...
  http://medicinadefamiliabr.blogspot.com/2014/02/
*  Medicina de Familia: Fevereiro 2014
Outra mudança no gráfico de imunizações adulto: uma nova ordem a vacina anti-pneumocócica. PCV13 (13-valente), a nova vacina conjugada, agora está listada acima da PPSV23 (23-valente), a vacina polissacarídica. Ela funciona como um gatilho de tempo, um lembrete para dar vacina conjugada em primeiro lugar, antes de vacina polissacarídica, para as pessoas não vacinadas anteriormente que necessitam de ambas as vacinas. Isto inclui: adultos imunocomprometidos com 19 anos de idade ou mais, incluindo aqueles com insuficiência renal crônica , síndrome nefrótica, asplenia anatômica ou funcional, comunicações de líquido cefalorraquidiano ou implantes cocleares. Eles devem receber a vacina polissacarídica PPSV23 pelo menos 8 semanas depois. Para aqueles que necessitam de vacinas e que já tenham sido vacinados com a vacina polissacarídica PPSV23 , você tem que esperar pelo menos 1-2 anos antes de dar vacina PCV13 conjugada. A nota também inclui um lembrete de que a PCV13 é uma vacina ...
  http://medicinadefamiliabr.blogspot.com/2014_02_01_archive.html
*  Êidina Queiroz falando sobre lúpus: O LÚPUS E O FÍGADO
ASCITE é um termo que designa o acúmulo de líquido na cavidade abdominal, líquido esse produzido pelo peritônio, a membrana serosa que reveste internamente a cavidade abdominal. Normalmente associada com a serosite (ou líquido similar produzido pela pleura ou pericárdio, que limita os pulmões e o coração), a ascite causa inchaço no abdômen sendo notada em 10% dos pacientes com LES. Usualmente é um reflexo da atividade da doença, podendo apresentar dor ou não e sendo confundido com um "abdômen cirúrgico" levando a uma cirurgia desnecessária. Se uma infecção for descartada, a ascite é tratada com medicamentos antiinflamatórios, diurese suave e, ocasionalmente, drenagem periódica. A ascite também pode ser resultado de falência hepática ou síndrome nefrótica ...
  http://eidinaqueiroz.blogspot.com/2008/11/rgos-e-sistemas-atingidos-pelo-lpus.html
*  Transferrina - Wikipedia
Transferrina ou siderofilina é uma glicoproteína (proteínas modificadas por ligações covalentes a hidratos de carbono) plasmática do sangue que transporta o ferro. Sua função fundamental é ceder ferro às células da medula, baço, fígado e músculo.Grande parte é sintetizada pelo fígado, mas existem outros locais de síntese. Massa Molecular = 80KDa. A transferrina é uma proteína de transporte e carreia o ferro no plasma e no líquido extracelular para suprir as necessidades teciduais. A ligação com o ferro é estável em condições fisiológicas, mas a dissociação pode ocorrer em meio ácido. É capaz de se ligar a outros elementos, como cobre, zinco, cobalto e cálcio, mas, com exceção da ligação ao cobre, não há significado fisiológico. Aumenta na gravidez e nas anemias hemorrágicas. Diminui em quadros de câncer, uremia, infecções e síndrome nefrótica. É responsável pelo transporte do ferro do seu sítio de absorção no nível intestinal ou nos sítios de ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Transferrina
*  A síndrome de Judas
Bom, eu quero falar um pouco sobre dízimos e ofertas, e acredito que não falaremos tudo somente nesse artigo, pois há muita coisa a ser ensinada.
  https://guiame.com.br/gospel/mundo-cristao/sindrome-de-judas.html