Reepitelização: Reconstituição do EPITÉLIO erodido ou lesado por proliferação e migração de CÉLULAS EPITELIAIS abaixo ou adjacentes ao local danificado.Cicatrização: Restauração da integridade a tecido traumatizado.Queratinócitos: Células epidérmicas que sintetizam queratina, e que passam por transformações características durante sua movimentação em direção à superfície, saindo das camadas basais da epiderme até a camada queratinizada (córnea) da pele. Os estágios sucessivos de diferenciação dos queratinócitos que formam as camadas da epiderme são: célula basal, célula espinhosa e célula granulosa.Tecido de Granulação: Tecido conjuntivo vascular formado na superfície de um ferimento, úlcera ou tecido inflamado em cicatrização. Constituído por capilares novos e um infiltrado (com células linfoides, macrófagos e células plasmáticas).Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.Epitélio Anterior: Epitélio escamoso, estratificado que recobre a superfície externa da CÓRNEA. É lisa e contém muitas terminações nervosas livres.Fenômenos Fisiológicos da Pele: Funções da pele no corpo humano e no do animal. Inclui a pigmentação da pele.Ferimentos Penetrantes: Ferimentos causados por objetos que penetram na pele.Epiderme: Camada externa (não vascularizada) da pele. É composta (de dentro para fora) por cinco camadas de EPITÉLIO: camadas (estratos) basal, espinhosa, granulosa, lúcida e córnea (da epiderme).Córnea: Porção anterior (transparente) da túnica fibrosa que reveste o olho, composta por cinco camadas: EPITÉLIO DA CÓRNEA (estratificado escamoso) LÂMINA LIMITANTE ANTERIOR, ESTROMA CORNEAL, LÂMINA LIMITANTE POSTERIOR e ENDOTÉLIO DA CÓRNEA (mesenquimal). Serve como primeiro meio de refração do olho. Estruturalmente, continua-se com a ESCLERA, é avascular, e recebe os nutrientes por permeação através de espaços entre as lamelas. É inervada pela divisão oftálmica do NERVO TRIGÊMEO (via nervos ciliares) e pelos da conjuntiva ao redor que, juntos, formam plexos. (Tradução livre do original: Cline et al., Dictionary of Visual Science, 4th ed)Derme: Camada de tecido conjuntivo vascularizado abaixo da EPIDERME. A superfície da derme contém papilas inervadas. Na derme (ou abaixo dela) encontram-se GLÂNDULAS SUDORÍPARAS, folículos pilosos (FOLÍCULO PILOSO) e GLÂNDULAS SEBÁCEAS.Queimaduras Oculares: Lesões em qualquer parte do olho por calor extremo, agentes químicos ou radiação ultravioleta.Epitélio: Uma ou mais camadas de CÉLULAS EPITELIAIS, sustentadas pela lâmina basal, que recobrem as superfícies internas e externas do corpo.Movimento Celular: Movimento de células de um lugar para outro. Diferencia-se da CITOCINESE, que é o processo de divisão do CITOPLASMA de uma célula.Perfuração da Córnea: Furo ou perfuração no ESTROMA DA CÓRNEA, resultante de várias doenças ou trauma.Fluormetolona: Glucocorticoide empregado geralmente como colírio ocular no tratamento de afecções alérgicas e inflamatórias oculares. Também tem sido usado topicamente no tratamento de vários transtornos da pele.Pele Artificial: Material sintético usado para tratamento de queimaduras e outras afecções envolvendo perda de pele em larga escala. Consiste em geral de uma camada externa (epiderme) de silicone e uma camada interna (derme) de colágeno e de condroitina 6-sulfato. A camada de derme elicia proliferação celular e invasão vascular e a camada externa é depois removida e substituída por um enxerto.Células Epiteliais: Células que revestem as superfícies interna e externa do corpo, formando camadas celulares (EPITÉLIO) ou massas. As células epiteliais que revestem a PELE, a BOCA, o NARIZ e o CANAL ANAL derivam da ectoderme; as que revestem o APARELHO RESPIRATÓRIO e o APARELHO DIGESTIVO derivam da endoderme; outras (SISTEMA CARDIOVASCULAR e SISTEMA LINFÁTICO), da mesoderme. As células epiteliais podem ser classificadas principalmente pelo formato das células e pela função em escamosas, glandulares e de transição.Metaloproteinase 7 da Matriz: Menor membro das METALOPROTEINASES DA MATRIZ. Desempenha um papel na progressão tumoral.Lasers de Excimer: Lasers a gás com dímeros excitados (ex. excimers) como meio ativo. Geralmente os mais utilizados são os monohaletos de gases raros (ex. fluoreto de argônio, cloreto de xenônio). Seus principais comprimentos de onda de emissão estão na faixa do ultravioleta e dependem do monolaleto usado (ex. 193 nm para o ArF, 308 nm para o XeCl). Estes lasers são operados nos modos pulsados e 'Q-switched' e utilizados em decomposição fotoablativa envolvendo a remoção efetiva de tecido.Galectina 3: Galectina multifuncional descoberta inicialmente como um antígeno de macrófago que se liga à IMUNOGLOBULINA E e como uma lectina de 29-35 kDa que se liga à LAMININA. Está envolvida em vários eventos biológicos incluindo interações com glicoconjugados contendo galactose, proliferação celular, DIFERENCIAÇÃO CELULAR e APOPTOSE.Regeneração: Renovação, reparo ou substituição fisiológicos de tecido.Fator 7 de Crescimento de Fibroblastos: Fator de crescimento de fibroblastos, um mitógeno específico para CÉLULAS EPITELIAIS. Se liga a um complexo de HEPARAN SULFATO e ao RECEPTOR 2B DO FATOR DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS.Administração Tópica: Aplicação de preparações de droga às superfícies do corpo, especialmente na pele (ADMINISTRAÇÃO CUTÂNEA) ou nas mucosas. Este método de tratamento é usado para evitar efeitos colaterais sistêmicos quando doses altas são necessárias a uma área localizada ou como uma via alternativa de administração sistêmica, por exemplo, para evitar o processo hepático.Neovascularização Fisiológica: Desenvolvimento de novos VASOS SANGUÍNEOS durante a restauração da CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA durante os processos curativos.Técnicas de Cultura de Órgãos: Técnica para manutenção ou crescimento de órgãos animais in vitro. Refere-se a culturas tridimensionais de tecido não desestruturado que conserva algumas ou todas as características histológicas do tecido in vivo.Membrana Basal: MATRIZ EXTRACELULAR (MEC), semelhante a um tapete (mat-like), de coloração escura, que separa camadas celulares (como EPITÉLIO) do ENDOTÉLIO ou de uma camada de TECIDO CONJUNTIVO. A camada de MEC (que sustenta o revestimento do EPITÉLIO ou do ENDOTÉLIO) é denominada lâmina basal (MB). Esta pode ser formada pela fusão de outras duas lâminas basais adjacentes ou por uma lâmina basal com uma lâmina reticular adjacente do tecido conjuntivo. A MB, composta principalmente por COLÁGENO TIPO IV, LAMININA (glicoproteína) e PROTEOGLICANAS, permite a formação de barreiras e canais entre camadas celulares interativas.Proliferação de Células: Todos os processos envolvidos em aumentar o NÚMERO DE CÉLULAS. Estes processos incluem mais que a DIVISÃO CELULAR, parte do CICLO CELULAR.Ferimentos e Lesões: Danos infligidos no corpo como resultado direto ou indireto de uma força externa, com ou sem rompimento da continuidade estrutural.Camundongos Endogâmicos C57BLFibroblastos: Células do tecido conjuntivo que secretam uma matriz extracelular rica em colágeno e outras macromoléculas.Células Cultivadas: Células propagadas in vitro em meio especial apropriado ao seu crescimento. Células cultivadas são utilizadas no estudo de processos de desenvolvimento, processos morfológicos, metabólicos, fisiológicos e genéticos, entre outros.Moléculas de Adesão Celular: Ligantes de superfície, usualmente glicoproteínas, que medeiam a adesão célula-célula. Entre suas funções incluem-se a formação e interconexão de vários sistemas vertebrados, bem como a manutenção da integração do tecido, cura de ferimentos, movimentos morfogênicos, migração celular e metástase.Camundongos Knockout: Linhagens de camundongos nos quais certos GENES dos GENOMAS foram desabilitados (knocked-out). Para produzir "knockouts", usando a tecnologia do DNA RECOMBINANTE, a sequência do DNA normal no gene em estudo é alterada para impedir a síntese de um produto gênico normal. Células clonadas, nas quais esta alteração no DNA foi bem sucedida, são então injetadas em embriões (EMBRIÃO) de camundongo, produzindo camundongos quiméricos. Em seguida, estes camundongos são criados para gerar uma linhagem em que todas as células do camundongo contêm o gene desabilitado. Camundongos knock-out são usados como modelos de animal experimental para [estudar] doenças (MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS) e para elucidar as funções dos genes.Fator de Crescimento Transformador beta: Fator sintetizado em uma ampla variedade de tecidos. Atua sinergisticamente com o TGF-alfa na indução da transformação fenotípica e também pode atuar como fator de crescimento autócrino negativo. O TGF-beta desempenha um papel no desenvolvimento embrionário, diferenciação celular, secreção de hormônio e função imunológica. O TGF-beta é encontrado principalmente como formas homodímeras de distintos produtos do gene TGF-beta1, TGF-beta2 ou TGF-beta3. Os heterodímeros compostos de TGF-beta1 e 2 (TGF-beta1.2) ou de TGF-beta2 e 3 (TGF-beta2.3) foram isolados. As proteínas TGF-beta são sintetizadas como precursoras de proteínas.Divisão Celular: Fissão de uma CÉLULA. Inclui a CITOCINESE quando se divide o CITOPLASMA de uma célula e a DIVISÃO DO NÚCLEO CELULAR.Imuno-Histoquímica: Localização histoquímica de substâncias imunorreativas utilizando anticorpos marcados como reagentes.Camundongos Transgênicos: Camundongos de laboratório que foram produzidos de um OVO ou EMBRIÃO DE MAMÍFEROS, manipulados geneticamente.Colágeno: Substância polipeptídica composta por aproximadamente um terço da proteína total do organismo de mamíferos. É o principal constituinte da PELE, TECIDO CONJUNTIVO e a substância orgânica de ossos (OSSO e OSSOS) e dentes (DENTE).Coelhos: Espécie Oryctolagus cuniculus (família Leporidae, ordem LAGOMORPHA) nascem nas tocas, sem pelos e com os olhos e orelhas fechados. Em contraste com as LEBRES, os coelhos têm 22 pares de cromossomos.Adesão Celular: Aderência de células a superfícies ou a outras células.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Transdução de Sinal: Transferência intracelular de informação (ativação/inibição biológica) através de uma via de sinalização. Em cada sistema de transdução de sinal, um sinal de ativação/inibição proveniente de uma molécula biologicamente ativa (hormônio, neurotransmissor) é mediado, via acoplamento de um receptor/enzima, a um sistema de segundo mensageiro ou a um canal iônico. A transdução de sinais desempenha um papel importante na ativação de funções celulares, bem como de diferenciação e proliferação das mesmas. São exemplos de sistemas de transdução de sinal: o sistema do receptor pós-sináptico do canal de cálcio ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO, a via de ativação da célula T mediada pelo receptor e a ativação de fosfolipases mediada por receptor. Estes sistemas acoplados à despolarização da membrana ou liberação de cálcio intracelular incluem a ativação mediada pelo receptor das funções citotóxicas dos granulócitos e a potencialização sináptica da ativação da proteína quinase. Algumas vias de transdução de sinal podem ser parte de um sistema de transdução muito maior, como por exemplo, a ativação da proteína quinase faz parte da via de sinalização da ativação plaquetária.Diferenciação Celular: Restrição progressiva do potencial para desenvolvimento e especialização crescente da função que leva à formação de células, tecidos e órgãos especializados.Linhagem Celular: Determinadas culturas de células que têm o potencial de se propagarem indefinidamente.RNA Mensageiro: Sequências de RNA que servem como modelo para a síntese proteica. RNAm bacterianos são geralmente transcritos primários pelo fato de não requererem processamento pós-transcricional. O RNAm eucariótico é sintetizado no núcleo e necessita ser transportado para o citoplasma para a tradução. A maior parte dos RNAm eucarióticos têm uma sequência de ácido poliadenílico na extremidade 3', denominada de cauda poli(A). Não se conhece com certeza a função dessa cauda, mas ela pode desempenhar um papel na exportação de RNAm maduro a partir do núcleo, tanto quanto em auxiliar na estabilização de algumas moléculas de RNAm retardando a sua degradação no citoplasma.

*  Corneal limbus - Wikipedia

Nele se encontram as "stem cells" importantes na reepitelização da córnea. Além de servir como uma barreira contra a conjuntiva ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Corneal_limbus

*  Ecoescleroterapia com espuma no tratamento da insuficiência venosa crônica

Os desfechos primários foram: oclusão total da veia tratada e reepitelização total das úlceras. Os desfechos secundários foram ...
scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0100-39842011000300009&lng=pt&nrm=iso

*  Fibronectina - Wikipedia

... promoção da reepitelização, deposição de matriz e contração da ferida. Ainda por essa propriedade ligante, desempenha funções ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Fibronectina

*  Editorial. Índice. Prezados (as) doutores (as) VISÃO DA AÇÃO MAGISTRAL. MISSÃO DA InformAção MAGISTRAL. Prezado (a) Doutor (a) ...

Promove uma reepitelização rápida. O procedimento pode ser repetido a cada 15 dias, por ser suave e superficial. Estudo clínico ... Embora relativamente incomuns efeitos adversos como hipo ou hiperpigmentação, atraso na reepitelização e eritema prolongado ...
docplayer.com.br/1042889-Editorial-indice-prezados-as-doutores-as-visao-da-acao-magistral-missao-da-informacao-magistral-prezado-a-doutor-a.html

*  Cirurgia refrativa - Wikipedia

... período em que ocorre a re-epitelização da área tratada. Cirurgias refrativas pediátricas envolvem outros riscos que a cirurgia ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Cirurgia_refrativa

*  Topical 5-aminolevulinic acid photodynamic therapy as a treatment modality for nonmelanoma skin cancer

... reepitelização e eritema tênue. Não foram registradas queixas de dificuldades com os cuidados da ferida e infecção local ...
scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0365-05962008000400004&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

*  Desvendando a patologia: 2010

A reepitelização é o acontecimento terminal no processo de reparo. Quando o tecido conjuntivo acaba de preencher o defeito, ... 4. Reepitelização - O crescimento do epitélio nas bordas da ferida se faz precocemente, sendo que as células epiteliais ...
patologiaja.blogspot.com/2010/

*  doc ulceras

O facto de fornecerem humidade à ferida, contribui para a promoção da angiogenese e re-epitelização, sendo ainda responsáveis ...
https://pt.scribd.com/document/3812180/doc-ulceras

*  Albocresil Gel Vaginal 18mg/g 50g - Farma Delivery

O policresuleno estimula os processos de cicatrização e promove a reepitelização, através da coagulação seletiva e subseqüente ...
https://farmadelivery.com.br/albocresil-gel-vagunal-18mg-50g

*  Divã da GaTa Borralheira: Agosto 2013

Revigora e revitaliza a pele, auxiliando no processo de reepitelização / restauração da mesma. ...
anitamakingof.blogspot.com/2013_08_01_archive.html

*  Herpes genital geral

Posteriormente, há formação de vesí-culas eritematosas, ulceração e reepitelização, durando todo o qua-dro cerca de 2 ou 3 ...
https://pt.slideshare.net/AdrianoPires/herpes-genital-geral

*  Assum Preto - Minha Experiência com a Cirurgia PRK

Três semanas após a cirurgia, dia de voltar ao oftalmologista para verificar a reepitelização. Ele verificou a superfície do ...
contandoospassos.blogspot.ca/2009/09/assum-preto-minha-experiencia-com-prk.html

*  Cicatrização cutânea em Piaractus mesopotamicus suplementados com carboquelato de cromo e Saccharomyces cerevisiae | Bortoluzzi...

Peixes suplementados com CC ou Sc apresentaram rápida reepitelização, maior grau de organização de fibras colágenas e de ...
journals.usp.br/bjvras/article/view/124038

*  Pomada de Calêndula - Auxílio na cicatrização

Re-epitelização: Sua atividade cicatrizante se dá devido sua alta concentração de flavonoides, que garantem seu efeito ... Re-epitelização e cicatrização de úlceras venosas, de decúbito, pós-peeling, assaduras, queimaduras superficiais, erupções, ...
https://vivenceonline.com.br/produtos/pomada-de-calendula-cicatrizante-de-feridas-em-geral/


No FAQ disponível com os "Reepitelização"

Clique em um termo à esquerda