Oftalmoplegia: Paralisia de um ou mais músculos oculares devido a transtornos dos músculos dos olhos, junção neuromuscular, tecido mole de suporte, tendões ou enervação dos músculos.Oftalmoplegia Externa Progressiva Crônica: Miopatia mitocondrial caracterizada por paralisia progressiva lenta do elevador da pálpebra, orbicular dos olhos e músculos extraoculares. Fibras vermelhas e dilaceradas e atrofia são encontradas na biópsia muscular. Podem ocorrer formas familiares e esporádicas. O início da doença normalmente é na primeira ou segunda década de vida e a doença progride lentamente até toda a mobilidade ocular ser perdida. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6a ed, p1422)Síndrome de Kearns-Sayre: Transtorno mitocondrial apresentando a tríade de OFTALMOPLEGIA EXTERNA PROGRESSIVA CRÔNICA, CARDIOMIOPATIAS com bloqueio de condução (BLOQUEIO CARDÍACO) e RETINITE PIGMENTOSA. O início da doença se dá na primeira ou segunda década. Proteína elevada no líquido cefalorraquidiano, surdez sensório-neural, ataques e sinais piramidais também podem estar presentes. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6a ed, p984)Síndrome de Miller Fisher: Variante da SÍNDROME DE GUILLAIN-BARRE caracterizada pelo início agudo de disfunção oculomotora, ataxia e perda de reflexos profundos do tendão, com relativa reserva de força nas extremidades e tronco. A ataxia é produzida por disfunção nervosa sensorial periférica e não por lesão cerebelar. Também, podem ocorrer fraqueza facial e perda sensorial. O processo é mediado por autoanticorpos dirigidos contra um componente da mielina encontrado nos nervos periféricos. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p1313; Neurology 1987 Sep;37(9):1493-8)Blefaroptose: Pálpebra superior pendente devido à paralisia ou desenvolvimento deficiente do músculo elevador da pálpebra.Transtornos da Motilidade Ocular: Transtornos caracterizados por deficiência dos movimentos oculares como manifestação primária da doença. Estas doenças podem dividir-se em transtornos infranucleares, nucleares e supranucleares. As doenças dos músculos oculares ou dos nervos cranianos oculomotores (III, IV, e VI) são consideradas infranucleares. Os transtornos nucleares são causados por doenças dos núcleos oculomotor, troclear ou abducente do TRONCO CEREBRAL. Os transtornos supranucleares são resultantes de disfunção dos sistemas motor e sensorial de ordem superior que controlam os movimentos oculares, incluindo as redes neuronais no CÓRTEX CEREBRAL, GÂNGLIOS DA BASE, CEREBELO e TRONCO CEREBRAL. O torcicolo ocular se refere a um decúbito inclinado da cabeça causado por um desalinhamento ocular. Opsoclono se refere a oscilações rápidas e conjugadas dos olhos em múltiplas direções que podem ocorrer como uma afecção parainfecciosa ou paraneoplásica (ex. SÍNDROME OPSOCLONO-MIOCLONO). (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p240)Anisocoria: Tamanho de pupila desigual que pode representar uma variante fisiológica benigna ou uma manifestação de doença. Anisocoria patológica reflete uma anormalidade na musculatura da íris (DOENÇAS DA ÍRIS) ou nas vias simpáticas ou parassimpáticas que enervam a pupila. Anisocoria fisiológica se refere à assimetria do diâmetro da pupila, normalmente menor que 2 mm, não estando associado com doença.DNA Mitocondrial: DNA bicatenário de MITOCÔNDRIAS. Em eucariotos, o GENOMA mitocondrial é circular e codifica para RNAs ribossômicos, RNAs de transferência e aproximadamente 10 proteínas.Seio Cavernoso: Espaço venoso, de formato irregular, localizado na dura-máter em cada lado do osso esfenoide.Herpes Zoster Oftálmico: A infecção viral do gânglio gasseriano e suas ramificações nervosas caracterizada por dor e erupção vesicular com muito inchaço. O acometimento ocular é normalmente anunciado por uma vesícula na ponta do nariz. Essa área é inervada pelo nervo nasociliar.Exoftalmia: Protrusão anormal de ambos os olhos; pode ser causada por mau funcionamento das glândulas endócrinas, doenças malignas, lesões ou paralisia dos músculos extrínsecos do olho.Músculos Oculomotores: Músculos que movem os olhos. Fazem parte deste grupo os músculos: reto medial, reto lateral, reto superior, reto inferior, oblíquo inferior, oblíquo superior, orbital e levantador da pálpebra superior.Síndrome de Tolosa-Hunt: Síndrome idiopática caracterizada pela formação de tecido granulomatoso no seio cavernoso anterior ou fissura orbital superior, produzindo uma oftalmoplegia dolorosa.Diplopia: Sintoma visual no qual um único objeto é percebido pelo córtex visual como dois objetos ao invés de um. Entre os transtornos associados com esta afecção estão ERROS DE REFRAÇÃO, ESTRABISMO, DOENÇAS DO NERVO OCULOMOTOR, DOENÇAS DO NERVO TROCLEAR, DOENÇAS DO NERVO ABDUCENTE e doenças do TRONCO ENCEFÁLICO e LOBO OCCIPITAL.Doenças do Nervo Oculomotor: Doenças do núcleo oculomotor ou de seu núcleo, que resultam em fraqueza ou paralisia dos músculos elevador da pálpebra, oblíquo inferior, reto médio, reto inferior ou reto superior, ou ainda, prejuízo da inervação parassimpática da pupila. Com uma paralisia oculomotora completa, a pálpebra torna-se paralisada, o olho permanece em posição de abdução inferior, e a pupila se torna acentuadamente dilatada. As afecções comumente associadas incluem neoplasias, TRAUMA CRANIOCEREBRAL, isquemia (especialmente em associação com DIABETES MELLITUS) e compressão do aneurisma.Miopatias Mitocondriais: Grupo de doenças musculares associadas com função mitocondrial anormal.Doenças Mitocondriais: Doenças causadas pela função anormal da MITOCÔNDRIA. Podem ser causadas por mutações, adquiridas ou herdadas no DNA mitocondrial ou nos genes nucleares que codificam os componentes mitocondriais. Podem também ser devidas a uma disfunção adquirida da mitocôndria decorrente de efeitos adversos de drogas, infecções ou outras causas ambientais.Encefalopatia de Wernicke: Transtorno neurológico agudo caracterizado pela tríade de oftalmoplegia, ataxia e distúrbios da atividade mental ou da consciência. Entre as anormalidades dos movimentos dos olhos estão nistagmo, paralisias do reto externo e olhar conjugado reduzido. A DEFICIÊNCIA DE TIAMINA e o ALCOOLISMO crônico são afecções associadas. Os sinais patológicos incluem hemorragias petéquicas periventriculares e colapso do neurópilo no diencéfalo e tronco encefálico. A deficiência crônica de tiamina pode levar à SÍNDROME DE KORSAKOFF. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, pp1139-42; Davis & Robertson, Textbook of Neuropathology, 2nd ed, pp452-3)Encefalomiopatias Mitocondriais: Grupo heterogêneo de transtornos, caracterizado por alterações do metabolismo mitocondrial resultando em disfunção do sistemas nervoso e muscular. São frequentemente multissistêmicos e variam consideravelmente quanto à idade de início (normalmente na primeira ou segunda década de vida), distribuição dos músculos afetados, gravidade e evolução. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6a ed, pp984-5)Nervo Abducente: Sexto par de nervos cranianos que se origina no NÚCLEO DO NERVO ABDUCENTE da PONTE e envia fibras motoras para os músculos retos laterais do OLHO. Danos ao nervo ou ao seu núcleo prejudicam o controle do movimento horizontal do olho.Doenças do Nervo Abducente: Doenças do sexto nervo craniano (abducente) ou de seu núcleo nas pontes. O nervo pode ser lesado ao longo de seu curso nas pontes, intracranialmente, uma vez que migra ao longo da base do cérebro, do seio cavernoso ou no nível da fissura orbital superior ou órbita. A disfunção do nervo causa fraqueza do músculo reto lateral, resultando em diplogia horizontal, que se torna máxima quando o olho afetado é retirado e na ESOTROPIA. Afecções comumente associadas com lesão do nervo incluem HIPERTENSÃO INTRACRANIANA, TRAUMATISMOS CRANIOCEREBRAIS, ISQUEMIA e NEOPLASIAS INFRATENTORIAIS.Translocador 1 do Nucleotídeo Adenina: Subtipo de translocases mitocondriais de ADP e ATP encontrado principalmente no músculo cardíaco (MIOCÁRDIO) e no MÚSCULO ESQUELÉTICO.Doenças dos Nervos Cranianos: Transtornos de um ou mais dentre os doze nervos cranianos. Com exceção dos nervos olfatório e óptico, estão incluídos transtornos dos núcleos do tronco cerebral, dos quais os nervos cranianos se originam ou terminam.Ataxia: Dificuldade na capacidade em desempenhar movimentos voluntários coordenados suaves. Esta afecção pode acometer os membros, tronco, olhos, faringe, laringe e outras estruturas. A ataxia pode resultar das funções motora ou sensorial deficientes. A ataxia sensorial pode resultar de lesões da coluna posterior ou DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO. A ataxia motora pode estar associada com DOENÇAS CEREBELARES, doenças DO CÓRTEX CEREBRAL, DOENÇAS TALÂMICAS, DOENÇAS DOS GÂNGLIOS DA BASE, lesões do NÚCLEO RUBRO e outras afecções.Nervo Oculomotor: O III nervo craniano. O nervo oculomotor envia fibras motoras para os músculos levantador da pálpebra, reto superior, reto inferior e oblíquo inferior do olho. Envia também fibras eferentes parassimpáticas (via gânglio ciliar) para os músculos controladores da constrição e acomodação da pupila. As fibras motoras se originam nos núcleos oculomotores do mesencéfalo.Nistagmo Patológico: Movimentos involuntários do olho que são divididos em dois tipos: puxão e pendular. O nistagmo tipo puxão tem uma fase lenta em uma direção, seguida de uma fase rápida corretiva na direção oposta e é normalmente causado por disfunção vestibular central ou periférica. O nistagmo pendular caracteriza-se por oscilações de velocidade igual em ambas as direções, sendo esta afecção geralmente associada com perda visual precoce na vida.Doenças Musculares: Transtornos adquiridos, familiares e congênitos de MÚSCULO ESQUELÉTICO e MÚSCULO LISO.Neoplasias Orbitárias: Neoplasias da órbita óssea e conteúdos com exceção do globo ocular.Esclerose Cerebral Difusa de Schilder: Estado de desmielinização raro do sistema nervoso central, que afeta crianças e adultos jovens. Achados histológicos incluem um grande e bem definido foco assimétrico de destruição de mielina, que pode envolver um lobo ou todo hemisfério cerebral. O curso clínico tende a ser progressivo e inclui demência, cegueira cortical, surdez cortical, hemiplegia espástica e paralisia pseudobulbar. A esclerose concêntrica de Balo é diferenciada da esclerose cerebral difusa de Schilder pelo achado histológico de bandas alternadas de destruição e conservação de mielina em anéis concêntricos. A síndrome de Alpers se refere a um grupo heterogêneo de doenças que se caracterizam por deterioração cerebral progressiva e doenças hepáticas. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p914; Dev Neurosci 1991;13(4-5):267-73)Pseudotumor Orbitário: Lesão inflamatória não específica semelhante a tumor da ÓRBITA do olho. É geralmente composta de LINFÓCITOS maduros, PLASMÓCITOS, MACRÓFAGOS, LEUCÓCITOS com graus variáveis de FIBROSE. Pseudotumores orbitários são com frequência associados com inflamação dos músculos extraoculares (MIOSITE ORBITAL) ou inflamação das glândulas lacrimais (DACRIOCISTITE).Mitocôndrias Musculares: Mitocôndrias localizadas no músculo esquelético e liso. Este tipo de mitocôndria não inclui a mitocôndria do miocárdio para a qual a MITOCÔNDRIAS CARDÍACAS está disponível.Pseudo-Obstrução Intestinal: Tipo de ILEUS, uma obstrução funcional e não mecânica dos INTESTINOS. É causada por um grande número de transtornos envolvendo os MÚSCULOS LISOS ou o SISTEMA NERVOSO.Eletroculografia: Registro da amplitude média do potencial de repouso, começando entre a córnea e a retina, nas adaptações dos olhos à luz e ao escuridão, à medida que os olhos alternam uma distância padrão para a direita e esquerda. O aumento no potencial com adaptação à luz é usado para avaliar a condição do pigmento retinal do epitélio .Doenças Neuromusculares: Termo geral que engloba DOENÇA DOS NEURÔNIOS MOTORES, DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO e certas DOENÇAS MUSCULARES. Entre as manifestações estão FRAQUEZA MUSCULAR, FASCICULAÇÃO, ATROFIA muscular, ESPASMO, MIOQUIMIA, HIPERTONIA MUSCULAR, mialgias e HIPOTONIA MUSCULAR.Movimentos Oculares: Movimentos oculares voluntários ou controlados por reflexos.Gangliosídeos: Subclasse dos GLICOESFINGOLIPÍDEOS ACÍDICOS. Contêm um ou mais resíduos de ácido siálico (ÁCIDO N-ACETILNEURAMÍNICO). Utilizando o sistema Svennerholm de abreviação, os gangliosídeos são designados por G para gangliosídeo, depois o subscrito M, D, ou T para mono-, di-, ou trissialo, respectivamente, sendo a letra subscrita seguida por um numeral arábico subscrito para indicar a sequência da migração na cromatografia de camadas finas.Órbita: Cavidade óssea que segura o globo ocular e seus tecidos associados e apêndices.Síndrome: Complexo sintomático característico.Paralisia Facial: Perda grave ou completa da função motora do músculo facial. Este estado pode resultar de lesões centrais ou periféricas. O dano às vias motoras do SNC do córtex cerebral para os núcleos faciais na ponte leva à fraqueza facial que geralmente poupa os músculos da testa. DOENÇAS DO NERVO FACIAL geralmente resultam em fraqueza hemifacial generalizada. As DOENÇAS DA JUNÇÃO NEUROMUSCULAR e DOENÇAS MUSCULARES também podem causar paralisia ou paresia facial.Ponte: Parte frontal do ROMBENCÉFALO que fica entre a MEDULA OBLONGA e o MESENCÉFALO, ventralmente ao CEREBELO. É composta de duas partes, dorsal e ventral. A ponte serve como uma estação de retransmissão para importantes vias nervosas entre o CEREBELO e o CÉREBRO.Doenças do Nervo Troclear: Doenças do quarto nervo craniano (troclear) ou de seu núcleo, no meio do cérebro. O nervo cruza dorsalmente, assim que deixa o meio do cérebro , podendo ser lesado ao longo de seu curso através do espaço intracraniano, seio cavernoso, fissura orbital ou superior, ou órbita. As manifestações clínicas incluem fraqueza do músculo oblíquo superior que causa DIPLOPIA vertical, que se torna máxima quando o olho está em adução e direcionado para baixo. A cabeça pendente pode ser encontrada como mecanismo compensatório para diplopia e rotação dos eixos visuais. As etiologias comuns incluem TRAUMA CRANIOCEREBRAL e NEOPLASIAS INFRATENSORIAIS.Mielite Transversa: Inflamação de uma porção transversa da medula espinhal caracterizada por desmielinização ou necrose segmentar aguda ou subaguda. A situação pode ocorrer esporadicamente após uma infecção ou vacinação, ou se apresentar como uma síndrome paraneoplásica (ENCEFALOMIELITE AGUDA DISSEMINADA). As manifestações clínicas incluem fraqueza muscular, perda sensorial e incontinência. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, pp1242-6).Imagem por Ressonância Magnética: Método não invasivo de demonstração da anatomia interna baseado no princípio de que os núcleos atômicos em um campo magnético forte absorvem pulsos de energia de radiofrequência e as emitem como ondas de rádio que podem ser reconstruídas nas imagens computadorizadas. O conceito inclui técnicas tomográficas do spin do próton.DNA Polimerase Dirigida por DNA: DNA polimerases dependentes de DNA, encontradas em células bacterianas, animais e vegetais. Durante o processo de replicação, estas enzimas catalisam a adição de resíduos de desoxirribonucleotídeos até a extremidade de uma fita de DNA na presença de DNA como molde-iniciador. Também possuem atividade de exonuclease e por isso funcionam no reparo de DNA.Doenças Orbitárias: Doenças da órbita óssea e seus conteúdos, exceto o globo ocular.Síndrome de Guillain-Barré: Neurite autoimune aguda inflamatória causada por resposta imune celular mediada por células-T, dirigida à mielina periférica. A desmielinização ocorre em nervos periféricos e raizes nervosas. O processo é geralmente precedido de infecções virais ou bacterianas, cirurgias, imunizações, linfomas ou exposição a toxinas. Manifestações clínicas comuns incluem fraqueza progressiva, perda de sensações e perda de reflexos profundos do tendão. Podem ocorrer fraqueza dos músculos respiratórios e disfunção autônoma. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, pp1312-1314)Doenças dos Seios Paranasais: Doenças que acometem ou envolvem os SEIOS PARANASAIS e que se manifestam geralmente na forma de inflamação, abscessos, cistos ou tumores.Ataxia Cerebelar: Incoordenação de movimentos voluntários que ocorrem como uma manifestação de DOENÇAS CEREBELARES. Entre os sinais característicos estão: tendência dos movimentos dos membros em ultrapassar ou não alcançar um objetivo (dismetria); tremor que ocorre durante a tentativa de realizar movimentos (TREMOR intencional); força e ritmo da adiadococinesia (alternância rápida dos movimentos); e MARCHA ATÁXICA. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p90)Prednisolona: Glucocorticoide com as propriedades gerais dos corticosteroides. É a droga de escolha para todas as afecções nas quais a terapia corticosteroide sistêmica é indicada, exceto nos estados de deficiência adrenal.Evolução Fatal: Morte resultante da presença de uma doença em um indivíduo, como mostrado por um único caso relatado ou um número limitado de pacientes. Deve ser diferenciado de MORTE, a interrupção fisiológica da vida e de MORTALIDADE, um conceito epidemiológico ou estatístico.Miastenia Gravis: Transtorno da transmissão neuromuscular, caracterizado por fraqueza dos músculos cranianos e esqueléticos. Os autoanticorpos dirigidos contra receptores de acetilcolina danificam a porção da placa terminal motora da JUNÇÃO NEUROMUSCULAR, dificultando a transmissão de impulsos para os músculos esqueléticos. Entre as manifestações clínicas estão diplopia, ptose e fraqueza dos músculos faciais, bulbares, respiratórios e dos membros proximais. A doença pode permanecer limitada aos músculos oculares. O TIMOMA normalmente é associado com esta afecção. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p1459)

*  Oftalmoplegia - Wikipédia, a enciclopédia livre

Pode evoluir para oftalmoplegia, ou seja, paralisia dos músculos do olho.[1] ... Obtida de "https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Oftalmoplegia&oldid=47076001" ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Oftalmoplegia

*  Ofidismo

Oftalmoplegia • Disfagia • Insuficiência respiratória agua - casos graves . ...
https://pt.scribd.com/doc/94072686/Ofidismo

*  Tiamina - Wikipedia

... oftalmoplegia e confusão mental. Síndrome de Korsakoff (é a manifestação neurológica crônica da deficiência de tiamina. ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Tiamina

*  Estatina - Wikipedia

... oftalmoplegia, catarata. Tratamento da hipercolesterolemia. Prevenção de enfarte do miocárdio e AVC em doentes de alto risco. ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Estatina

*  O paciente com tontura - Elliot M. Frohman MD PhD | MedicinaNET

Diante de lesões localizadas acima da decussação da via otólito-ocular, no núcleo vestibular (p. ex., uma oftalmoplegia ...
medicinanet.com.br/conteudos/acp-medicine/4760/o_paciente_com_tontura_–_elliot_m_frohman_md_phd.htm

*  Encefalopatia de Wernicke - Wikipedia

A síndrome é caracterizada por ataxia, oftalmoplegia, confusão e prejuízo da memória de curto prazo.. ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Encefalopatia_de_Wernicke

*  Cadeia respiratória - Wikipedia

Oftalmoplegia externa crônica progressiva (OECP) e Síndrome de Pearson. A variante mais grave é a síndrome de Kearns-Sayre (SKS ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Cadeia_respiratória

*  Animais peçonhentos do Brasil - Wikipedia

Posteriormente, pode surgir um quadro de fraqueza muscular progressiva, ocorrendo ptose palpebral, oftalmoplegia e a presença ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Animais_peçonhentos_do_Brasil

*  Síndrome do um e meio - Wikipedia

Na síndrome horizontal, ocorre sob a forma de oftalmoplegia internuclear, por lesão do fascículo longitudinal medial, formação ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Síndrome_do_um_e_meio

*  anisocitose, dor nos musculos das pernas , calafrios

Oftalmoplegia Externa Progressiva Crônica. 4. + +. 141. Ferimentos e Lesões. 4. + +. 142. Quadriplegia. 4. + +. ...
lookfordiagnosis.com/results.php?symptoms=anisocitose, dor nos musculos das pernas , calafrios&lang=3&parent=/&mode=F

*  MIOPATIA MITOCONDRIAL: Fatos sobre Miopatias Mitocondriais (PARTE 5)

Características: Esta desordem é definida por PEO - Oftalmoplegia Progressiva Externa - (geralmente o sintoma inicial) e ... "Moleza", dificuldades para se alimentar, e atrasos no desenvolvimento são sintomas comuns; PEO (Oftalmoplegia Progressiva ... Características: Esta desordem causa PEO (Oftalmoplegia Progressiva Externa), ptose, fraqueza nos membros e problemas ... Outros sintomas comuns incluem PEO (Oftalmoplegia Progressiva Externa), fraqueza muscular generalizada, intolerância ao ...
miopatiamitocondrial.blogspot.com/2011/05/fatos-sobre-miopatias-mitocondriais.html

*  A Short Stay in Switzerland - Wikipedia

Dra Anne Turner desenvolve uma doença degenerativa incurável denominada oftalmoplegia supra nuclear progressiva e estava fadada ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/A_Short_Stay_in_Switzerland

*  Mesencéfalo - Wikipedia

... causando oftalmoplegia homolateral, paralisia do quadrante contralateral da face, paralisia contralateral da língua e paralisia ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Mesencéfalo

*  Doença de Machado-Joseph - Wikipedia

A doença causa oftalmoplegia, dismetria e ataxia sensorial mista e cerebelar, com sintomas que incluem défices de memória, ... oftalmoplegia, perturbações da visão e dificuldades na fala e no engolir. A doença é causada por uma expansão anormal de ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Doença_de_Machado-Joseph

*  Síndrome de Parinaud - Wikipedia

... oftalmoplegia internucleal Dentre as etiologias mais frequentes encontramos: Efeito expansivo de massas sobre a placa ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Síndrome_de_Parinaud

*  Clostridium botulinum - Wikipedia

... diplopia com oftalmoplegia devido paralisia do III, IV, VI e VII pares cranianos5. Pode haver também acometimento dos IX, X e ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Clostridium_botulinum

*  Síndrome MERRF - Wikipedia

... última apresentando sintomas mistos entre MERRF e oftalmoplegia progressiva externa. A diminuição da síntese proteica leva a um ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Síndrome_MERRF

*  CID Classificação Internacional de Doenças

CID: G23.1 Oftalmoplegia supranuclear progressiva [Steele-Richardson-Olszewski] - síndrome. ALIMENTOS, Sim é o principal ...
cidluizmeira.blogspot.com

*  CID Classificação Internacional de Doenças: Paralisia supranuclear progressiva

CID: G23.1 Oftalmoplegia supranuclear progressiva [Steele-Richardson-Olszewski] - síndrome. ALIMENTOS, Sim é o principal ...
cidluizmeira.blogspot.com/2014/06/paralisia-supranuclear-progressiva.html

*  Protocolo Integrado de Saude Mental

Ataxia Confusão mental Febre Nistagmo Oftalmoplegia Vômitos Alteração ou perda de consciência Cefaléia Convulsão História ou ...
https://pt.scribd.com/document/29392342/Protocolo-Integrado-de-Saude-Mental

*  Neuropatia diabética | dos Sintomas ao Diagnóstico e Tratamento | MedicinaNET

Nos casos de mononeuropatia craniana, o nervo mais comumente envolvido é o terceiro par craniano com oftalmoplegia, enquanto o ...
medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/6969/neuropatia_diabetica.htm

*  Pesquisa: Duloxetina | MedicinaNET

Nos casos de mononeuropatia craniana, o nervo mais comumente envolvido é o terceiro par craniano com oftalmoplegia, enquanto o ...
medicinanet.com.br/pesquisas/duloxetina.htm

*  Alimentação na Vida do Homem | alimentação1

Desorientação aguda Nistagmo Oftalmoplegia Andar tipo-alargado Neuropatia periférica Perda sensação vibração Perda sensação ...
https://scribd.com/presentation/6944791/Alimentacao-na-Vida-do-Homem-alimentacao1

*  PsicologiaRG: Termos de Neuropsicologia e Neurologia (em construção)

Encefalopatia de Wernicke: é uma síndrome caracterizada pela ataxia, oftalmoplegia, confusão e danos à memória de curto-prazo. ...
psicologiarg.blogspot.com/2008/10/termos-neuropsicologia-neurologia.html

*  Bioquímica do Álcool: Bioquímica da Cirrose Hepática Alcoólica e Carências dos Alcoólatras

Os sintomas apresentados nessa situação podem ser descritos na tríade: Ataxia, oftalmoplegia e confusão mental; ...
bioquimicadoalcool.blogspot.com/2012/06/bioquimica-do-alcool-no-figado-e.html

Oftalmoplegia: Oftalmoplegia é a paralisia dos músculos do olho.Pálpebra: As pálpebras são dobras finas de pele e músculo que cobrem e protegem os olhos. Os músculos que ficam na parte superior dos olhos retraem as pálpebras "abrindo" os olhos.Paralisia do olhar conjugadoAnisocoriaHeteroplasmia: A heteroplasmia é a presença de uma mistura de mais do que um tipo de genoma mitocondrial numa mesma célula. Diz-se que um indivíduo é heteroplasmático quando possuía uma mistura de duas populações diferentes de mitocôndrias.Herpes-zóster: O Herpes-zóster (ou Zolster, Zoster) ou zona, também popularmente chamado de cobrão ou cobreiro, é uma virose provocada por uma variante do herpesvírus que também causa a varicela (ou catapora), de incidência rara e que provoca afecções na pele, de maior ou menor gravidade, em geral atingindo pessoas com baixa defesa imunológica, como idosos, pessoas que passaram por uma fase de estresse ou pacientes com SIDA (AIDS).ExoftalmiaMúsculo reto inferior: O músculo reto inferior é um músculo extraocular. Tem como função o abaixamento do eixo lateral, adução e rotação externa do bulbo do olho.Diplopia: Diplopia, mais conhecido como visão dupla é a percepção de duas imagens a partir de um único objeto. As imagens podem estar na horizontal, vertical ou diagonal.Wernicke: Wernicke:Nervo abducente: O nervo abducente ou motor ocular externo constitui, com o homólogo contralateral, o sexto (VI) par de nervos cranianos e um dos três pares de nervos oculomotores. Este nervo é responsável pela inervação de apenas um músculo: recto lateral do olhoNistagmoEsclerose concêntrica de BalóNáuseaSíndrome de Fields: A Síndrome ou doença de Fields é uma das mais raras doenças do mundo, pois só há dois casos da doença em todo o mundo, que ocorreu com as irmãs gêmeas britânicas Catherine e Kirstie Fields. Pelo motivo da doença ter sido descoberta nelas, a síndrome recebeu seus nomes.Glicolipídio: Os glicolipídeos, são lipídeos anfipáticos, contendo uma porção hidrofílica, geralmente referida como grupo cabeça polar (PHG - "polar head group")que é composta por unidades de carboidratos, de onde origina seu nome (o prefixo "glico" faz menção à presença de carboidratos). Sua porção lipídica é referida como cauda hidrofóbica, geralmente constituída de cadeias alifáticas de ácidos graxos.Lemnisco medial: O lemnisco medial, também conhecido como fita de Reil, é um feixe ascendente largo de axônios altamente mielinizados que decussam no tronco encefálico, especificamente na região do bulbo raquidiano. O lemnisco medaial é formado pelo cruzamento das fibras internas arqueadas, composta de neurônios provenientes do núcleo grácil e do núcleo cuneiforme.Georges Guillain: Georges Charles Guillain (Rouen, 3 de março de 1876 — 26 de junho de 1961) foi um neurologista francês.Dismetria: Dismetria é o erro ao apontar (ausência de noção temporal e espacial). Comum em diversas doenças neurológicas com dano ao Sistema Nervoso.Prednisolona: Prednisolona é um fármaco pertencente ao grupo dos antiinflamatórios esteróides. A Prednisolona é um metabólito ativo da prednisona, logo, é um pró-fármaco que é metabolizado pelo fígado convertendo-se à forma esteroidal ativa.Hipersensibilidade


progressiva


  • Depois de perder o marido em uma condição similar, Dra Anne Turner desenvolve uma doença degenerativa incurável denominada oftalmoplegia supra nuclear progressiva e estava fadada a um definhar longo e doloroso. (wikipedia.org)
  • Doença de Machado-Joseph (DMJ), também conhecida por ataxia SCA3, é uma neuropatologia rara, de origem genética, que se manifesta por uma progressiva ataxia cerebelar traduzida em crescente perda do controle muscular e da coordenação motora nos membros superiores e inferiores, oftalmoplegia, perturbações da visão e dificuldades na fala e no engolir. (wikipedia.org)
  • Existe ainda um relato de família com a síndrome de MERRF que carregava uma mutação no mesmo gene, no nucleotídeo 8356, e casos de mutação na região 3243 do gene de RNAt Leucina, a última apresentando sintomas mistos entre MERRF e oftalmoplegia progressiva externa. (wikipedia.org)

paralisia


  • Pode evoluir para oftalmoplegia , ou seja, paralisia dos músculos do olho . (wikipedia.org)
  • Sinal do sol poente" - Paralisia da fixação ocular para cima + Retração das pálpebras Paralisia da acomodação Menos frequentes: Paralisia do nervo abducente, nistagmo, oftalmoplegia internucleal Dentre as etiologias mais frequentes encontramos: Efeito expansivo de massas sobre a placa quadrigêmea (tumores em região pineal). (wikipedia.org)
  • Após esse "pródromo", aparecem os sinais neurológicos específicos, que consistem basicamente em alterações de pares cranianos, incluindo ptose palpebral bilateral, diplopia com oftalmoplegia devido paralisia do III, IV, VI e VII pares cranianos5. (wikipedia.org)

Ataxia


  • Caracterizada clínicamente por uma tríade clássica: Ataxia, oftalmoplegia e confusão mental. (wikipedia.org)
  • A síndrome é caracterizada por ataxia, oftalmoplegia, confusão e prejuízo da memória de curto prazo. (wikipedia.org)
  • A doença causa oftalmoplegia, dismetria e ataxia sensorial mista e cerebelar, com sintomas que incluem défices de memória, espasticidade, disartria, dificuldades na articulação de sons e na deglutição, fraqueza nos braços e pernas, descoordenação motora, micção frequente e movimentos involuntários dos olhos (nistagmo). (wikipedia.org)

abducente


  • Na síndrome horizontal, ocorre sob a forma de oftalmoplegia internuclear, por lesão do fascículo longitudinal medial, formação reticular paramediana pontica e núcleo do abducente. (wikipedia.org)