Hipofosfatemia: Afecção na qual os níveis de FOSFATOS no sangue estão anormalmente baixos.Hipofosfatemia Familiar: Afecção hereditária de níveis séricos anormais e inferiores de FOSFATO (abaixo de 1 mg/litro) que pode ocorrer em diversas doenças genéticas com deficiência na reabsorção de fósforo inorgânico pelo TÚBULOS RENAIS PROXIMAIS. Esta situação leva a fosfatúria, HIPOFOSFATEMIA e distúrbios das funções celulares e orgânicas como aquelas encontradas no RAQUITISMO HIPOFOSFATÊMICO DOMINANTE LIGADO AO CROMOSSOMO X, OSTEOMALACIA e SÍNDROME DE FANCONI.Raquitismo Hipofosfatêmico Familiar: Transtorno hereditário caracterizado por HIPOFOSFATEMIA, RAQUITISMO, OSTEOMALACIA, deficiências renais na reabsorção de fosfato e metabolismo da vitamina D e retardo no crescimento. Foram descritas variantes dominantes e recessivas, autossômicas e ligadas ao X.Endopeptidase Neutra Reguladora de Fosfato PHEX: Metaloendopeptidase ligada a membrana que pode desempenhar um papel na degradação ou ativação de uma variedade de HORMÔNIOS PEPTÍDICOS e PEPTÍDEOS E PROTEÍNAS DE SINALIZAÇÃO INTERCELULAR. As mutações genéticas que resultam na perda de função desta proteína são a causa do RAQUITISMO HIPOFOSFATÊMICO DOMINATE LIGADO AO CROMOSSOMO X.Osteomalacia: Transtorno causado por uma interrupção da mineralização da matriz óssea orgânica, que leva ao amolecimento do osso, dor óssea e fraqueza. É a forma adulta do raquitismo, resultado do desequilíbrio na homeostase da VVITAMINA D, do FÓSFORO ou do CÁLCIO.Fosfatos: Sais inorgânicos do ácido fosfórico.Doenças Genéticas Ligadas ao Cromossomo X: Doenças genéticas ligadas a mutações nos genes do CROMOSSOMO X HUMANO ou no CROMOSSOMO X de outras espécies. Aqui estão incluídos os modelos animais de doenças ligadas ao cromossomo X humanas.Proteínas Cotransportadoras de Sódio-Fosfato Tipo IIc: Transportador de fosfato dependente de sódio não eletrogênico. É encontrada principalmente nas membranas apicais dos túbulos renais proximais.Raquitismo: Transtornos causados por interrupção da CALCIFICAÇÃO FISIOLÓGICA manifestada como OSTEOMALÁCIA em adultos e deformações características nas primeira e segunda infâncias devidas à perturbações na OSTEOGÊNESE normal. O processo de mineralização pode ser interrompido por bloqueio na homeostase de VITAMINA D, FÓSFORO ou CÁLCIO, resultante de deficiências nutricionais, adquiridas, metabólicas hereditárias ou hormonais.Fatores de Crescimento de Fibroblastos: Família de fatores de crescimento formados por pequenos polipeptídeos que compartilham várias características, incluindo uma forte afinidade pela HEPARINA, e uma região central em forma de barril formado por 140 aminoácidos, que apresenta uma grande homologia entre os membros da família. Embora originalmente estudado como proteínas que estimulam o crescimento de fibroblastos, esta distinção não é mais necessária para ser considerado um membro da família dos fatores de crescimento de fibroblastos.Fósforo: Elemento não metálico que tem o símbolo atômico P, o número atômico 15 e massa atômica 31. É um elemento essencial que participa de uma ampla variedade de reações bioquímicas.Proteínas Cotransportadoras de Sódio-Fosfato Tipo IIa: Transportador de fosfato dependente de sódio eletrogênico. Está presente principalmente nas bordas de escova das membranas dos túbulos renais proximais.Neoplasias de Tecido Conjuntivo: Neoplasias compostas de tecido conjuntivo, incluindo tecido elásticos, mucoso, reticular, ósseo e cartilaginoso. O conceito não se refere às neoplasias localizadas no tecido conjuntivo.Hipercalciúria: Alto nível anormal de excreção de CÁLCIO na URINA, maior que 4 mg/kg/day.Síndrome da Realimentação: Afecção de desequilíbrio metabólico causado por complicações a partir da reintrodução muito agressiva de alimentos a um paciente gravemente desnutrido. Ocorre geralmente nos 5 primeiros dias de realimentação e é caracterizada por DESEQUILÍBRIO HIDROELETROLÍTICO, INTOLERÂNCIA À GLICOSE, ARRITMIAS CARDÍACAS e DIARREIA.Hormônio Paratireóideo: Hormônio polipeptídico (84 resíduos de aminoácidos) secretado pelas GLÂNDULAS PARATIREOIDES, que desempenham um papel importante na manutenção dos níveis de CÁLCIO intracelular do corpo. O hormônio paratireóideo aumenta o cálcio intracelular ao promover a liberação de CÁLCIO do OSSO, aumenta a absorção intestinal de cálcio, a reabsorção de cálcio no túbulo renal e a excreção renal de fosfatos.Proteínas Cotransportadoras de Sódio-Fosfato Tipo II: Família de proteínas cotransportadoras de sódio-fosfato com oito domínios transmembranais. Estão presentes principalmente no RIM e INTESTINO DELGADO e são responsáveis pelo transporte epitelial de fosfato no rim e intestino delgado.Calcitriol: Forma fisiologicamente ativa da vitamina D. É formada primariamente no rim por hidroxilação enzimática do 25-hidroxicolecalciferol (CALCIFEDIOL). Sua produção é estimulada por baixos níveis sanguíneos de cálcio e do hormônio da paratireoide. O calcitriol aumenta a absorção intestinal de cálcio e fósforo e, juntamente com o hormônio paratireoidiano, aumenta a reabsorção de osso.Mesenquimoma: Tumor mesenquimatoso misto composto de dois ou mais elementos celulares mesodermais incomumente associados, sem contar tecido fibroso como um dos elementos. Mesenquimomas afetam muitas partes do corpo e cerca de 75 por cento são malignos. (Tradução livre do original: Dorland, 27th ed; Holland et al., Cancer Medicine, 3d ed, p1866)Síndromes Paraneoplásicas: Em pacientes com doenças neoplásicas uma variedade grande de quadros clínicos que são os efeitos indiretos e normalmente remotos produzidos por metabólitos de células tumorais e outros produtos.Proteínas Cotransportadoras de Sódio-Fosfato: Família de simportadores que facilitam o transporte de fosfato, dependente de sódio, através da membrana.Hiperfosfatemia: Afecção de anormalidade de nível elevado de FOSFATOS no sangue, em geral significativamente acima da faixa normal de 0,84-1,58 mmol por litro de soro.Alcalose Respiratória: Estado devido à perda excessiva de dióxido de carbono do organismo. (Dorland, 28a ed)Síndrome de Fanconi: Forma hereditária ou adquirida de disfunção generalizada dos TÚBULOS RENAIS PROXIMAIS sem envolvimento primário dos GLOMÉRULOS RENAIS. É frequentemente caracterizada pela perda tubular de nutrientes e sais (GLUCOSE, AMINOÁCIDOS, FOSFATOS e BICARBONATOS) resultando em HIPOPOTASSEMIA, ACIDOSE, HIPERCALCIÚRIA e PROTEINÚRIA.Hipocalcemia: Redução do cálcio sanguíneo abaixo do normal; as manifestações incluem reflexos tendinosos profundos hiperativos, sinal de Chvostek, cãibras musculares e abdominais, e espasmo carpopodálico. (Dorland, 28a ed)Rabdomiólise: A necrose ou a desintegração do músculo esquelético frequentemente seguida por mioglobinuria.25-Hidroxivitamina D3 1-alfa-Hidroxilase: Enzima mitocondrial dependente do citocromo P-450 que catalisa a 1-alfa-hidroxilação da 25-hidroxivitamina D3 (também conhecida como 25-hidroxicolecalciferol) na presença de oxigênio molecular e NADPH-FERRI-HEMOPROTEÍNA REDUTASE. Esta enzima, codificada pelo gene CYP27B1, converte a 25-hidroxivitamina D3 em 1-alfa, 25-hidroxivitamina D3 que é a forma ativa da VITAMINA D na regulação do crescimento ósseo e do metabolismo de cálcio. Esta enzima também é ativa em vegetais e é apresentada como 25-hidroxivitamina D2 (ergocalciferol).Glucuronidase: Enzima que hidrolisa a ligação glicosídica na qual reside a função redutora do ácido glucurônico. Encontra-se em todos os tecidos animais, principalmente no fígado e no baço. Intervém na degradação do ácido hialurônico. A enzima glucuronidase beta hidrolisa seletivamente as ligações beta-glucosidurônicos e os grupos aril, acil ou álcool. (Tradução livre do original: Diccionario terminológico de ciencias médicas, Masson, 13a ed.)Osteócitos: Osteoblastos maduros que foram infiltrados na MATRIZ ÓSSEA. Ocupam uma cavidade pequena, chamada lacuna, na matriz e estão conectados aos osteócitos adjacentes por meio de projeções protoplasmáticas denominadas canalículos.Vitamina D: Vitamina que inclui tanto os colecalciferóis como os ERGOCALCIFERÓIS e que têm em comum o efeito de impedir ou curar o RAQUITISMO em animais. Também pode ser analisada como um hormônio, já que sua formação ocorre na PELE por ação dos RAIOS ULTRAVIOLETA sobre os precursores 7-dehidrocolesterol e ERGOSTEROL e atua sobre os receptores de vitamina D para regular o CÁLCIO, contrapondo-se ao HORMÔNIO PARATIREÓIDEO.Fósforo na Dieta: Fósforo utilizado nos alimentos ou obtido dos alimentos. Este elemento é um importante componente intracelular, participando de cascatas bioquímicas relacionadas à funções fisiológicas normais. Altas concentrações de fósforo na dieta pode causar nefrocalcinose, associada à uma função renal prejudicada. Baixas concentrações de fósforo na dieta podem causar um aumento sanguíneo de calcitriol e osteoporose.Hipercalcemia: Nível anormalmente elevado de cálcio no sangue.Distúrbios do Metabolismo do Fósforo: Transtornos no processamento do fósforo no corpo: sua absorção, transporte, armazenamento e utilização.Osso e Ossos: TECIDO CONJUNTIVO especializado, principal constituinte do ESQUELETO. O componente celular básico (principle) do osso é constituído por OSTEOBLASTOS, OSTEÓCITOS e OSTEOCLASTOS, enquanto COLÁGENOS FIBRILARES e cristais de hidroxiapatita formam a MATRIZ ÓSSEA.Paresia Puerperal: Doença de vacas e ovelhas prenhas e amamentando, levando à paresia generalizada e morte. A doença, que é caracterizada por hipocalcemia, ocorre durante ou logo após o parto em vacas e poucas semanas antes ou após o parto em ovelhas.Hiperparatireoidismo: Afecção caracterizada pela produção anormalmente elevada de HORMÔNIO PARATIREÓIDEO (ou HPT) que dispara respostas que elevam o nível de CÁLCIO no sangue. É caracterizado por HIPERCALCEMIA e REABSORÇÃO ÓSSEA eventualmente levando a doenças ósseas. O HIPERPARATIREOIDISMO PRIMÁRIO é causado por HIPERPLASIA paratireoidiana ou NEOPLASIAS DAS PARATIREOIDES. O HIPERPARATIREOIDISMO SECUNDÁRIO é aumentado pela secreção de HPT em resposta a HIPOCALCEMIA, causada geralmente por NEFROPATIAS crônicas.Doenças Musculares: Transtornos adquiridos, familiares e congênitos de MÚSCULO ESQUELÉTICO e MÚSCULO LISO.Nefrolitíase: Formação de pedras no RIM.Glândulas Paratireoides: Dois pares de pequenas glândulas ovais, localizadas frontalmente à base do PESCOÇO e adjacentes aos dois lobos da GLÂNDULA TIREOIDE. Secretam o HORMÔNIO PARATIREÓIDEO, que regula o metabolismo dos íons CÁLCIO, FÓSFORO e MAGNÉSIO.Acidose: Afecção de acúmulo de ácido ou depleção da reserva alcalina no corpo. Os dois tipos principais são ACIDOSE RESPIRATÓRIA e a acidose metabólica, devido à formação metabólica de ácido.Gambás: Marsupiais do Novo Mundo (família Didelphidae) são MAMÍFEROS (gambás) onívoros, predominantemente noturnos e arboreais, crescem até quase um metro de comprimento, incluindo a cauda escamosa de apreensão, e possuem uma bolsa abdominal, onde os filhotes são carregados ao nascer.Calcificação Fisiológica: Processo pelo qual um tecido orgânico se torna endurecido pelo depósito fisiológico de sais de cálcio.Rim: Órgão do corpo que filtra o sangue, secreta URINA e regula a concentração dos íons.Nutrição Parenteral Total: Distribuição de nutrientes para assimilação e utilização por um paciente cuja única fonte de nutrientes é através de soluções administradas por via intravenosa, subcutânea, ou por alguma outra via não alimentar. Os componentes básicos das soluções de NPT são hidrolisados de proteína ou misturas de aminoácidos livres, monossacarídeos e eletrólitos. Os componentes são selecionados por suas habilidades em reverter o catabolismo, promover anabolismo e construir estruturas de proteínas.Cálcio: Elemento fundamental encontrado em todos os tecidos organizados. É um membro da família dos metais alcalinoterrosos cujo símbolo atômico é Ca, número atômico 20 e peso atômico 40. O cálcio é o mineral mais abundante no corpo e se combina com o fósforo para formar os fosfatos de cálcio presentes nos ossos e dentes. É essencial para o funcionamento normal dos nervos e músculos além de desempenhar um papel importante na coagulação do sangue (como o fator IV) e em muitos processos enzimáticos.

*  CID-10 Capítulo IV: Doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas - Wikipedia

... ácida Hipofosfatemia familiar Hipofosfatasia Osteomalácia resistente à vitamina D Raquitismo resistente à vitamina D (E83.4) ... familiar) Deficiência de lecitinacolesterol aciltransferase Doença de Tangier (E79) Distúrbios do metabolismo de purina e ... Outras hiperlipidemias Hiperlipidemia familiar combinada (E78.5) Hiperlipidemia não especificada (E78.6) Deficiências de ... Hipercolesterolemia pura Hipercolesterolemia familiar Hiperlipoproteinemia tipo IIa de Fredrickson Hiperbetalipoproteinemia ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/CID-10_Capítulo_IV:_Doenças_endócrinas,_nutricionais_e_metabólicas

*  Infecções Por Adenophorea - lookfordiagnosis.com

Hipofosfatemia. * Hipofosfatemia Familiar. * Raquitismo Hipofosfatêmico Dominante Ligado Ao Cromossomo X. * Hipopigmentação. * ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=87

*  Doenças Dos Gânglios Da Base - lookfordiagnosis.com

Hipofosfatemia. * Hipofosfatemia Familiar. * Raquitismo Hipofosfatêmico Dominante Ligado Ao Cromossomo X. * Hipopigmentação. * ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=382

*  MANCHAS ESCURAS NA GLANDE, ALGUM TIPO DE MANCHA MARROM AO RE - Página 5 - lookfordiagnosis.com

Hipofosfatemia. * Hipofosfatemia Familiar. * Raquitismo Hipofosfatêmico Dominante Ligado Ao Cromossomo X. * Hipopigmentação. * ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewtopic.php?f=370&t=22618&sid=0e73f893401ce024473c8140f7353b7e&start=40

*  Afasia Acinética - lookfordiagnosis.com

Hipofosfatemia. * Hipofosfatemia Familiar. * Raquitismo Hipofosfatêmico Dominante Ligado Ao Cromossomo X. * Hipopigmentação. * ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=127

*  Babesiose - lookfordiagnosis.com

Hipofosfatemia. * Hipofosfatemia Familiar. * Raquitismo Hipofosfatêmico Dominante Ligado Ao Cromossomo X. * Hipopigmentação. * ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=360

*  Neoplasias Abdominais - lookfordiagnosis.com

Hipofosfatemia. * Hipofosfatemia Familiar. * Raquitismo Hipofosfatêmico Dominante Ligado Ao Cromossomo X. * Hipopigmentação. * ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=3

*  Arritmia Sinusal - lookfordiagnosis.com

Hipofosfatemia. * Hipofosfatemia Familiar. * Raquitismo Hipofosfatêmico Dominante Ligado Ao Cromossomo X. * Hipopigmentação. * ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=294

*  lookfordiagnosis.com - Questões Mais Frequentes

Hipofosfatemia. * Hipofosfatemia Familiar. * Raquitismo Hipofosfatêmico Dominante Ligado Ao Cromossomo X. * Hipopigmentação. * ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/help/faq

Hipofosfatemia: Hipofosfatemia é o nível baixo de fósforo no plasma sanguíneo, ou seja, abaixo de 2,3 mg/dL.Fosfatos de sódio: Fosfatos de sódio são genericamente os compostos químicos de sódio e fósforo, contendo oxigênio nos ânions.RaquitismoFósforo: O fósforo (grego φωσφόρος [phosphorus], portador de luz) é um elemento químico de símbolo P, número atômico 15 (15 prótons e 15 elétrons) e massa atómica igual a 31 u.Síndrome paraneoplásica: A síndrome paraneoplásica refere-se a um conjunto de sinais e sintomas que antecedem ou que ocorrem concomitantes a presença de um câncer no organismo e que não são relacionados diretamente com invasão, obstrução ou efeitos metastáticos do tumor.Alcalose respiratóriaHipocalcemiaRabdomióliseOsteócito: Osteócitos são células maduras derivadas dos Osteoblastos , residentes em lacunas da matriz óssea. Há de 20 000 a 30 000 osteócitos por mm³ de osso.Vitamina D: Também conhecida como Vitamina D antirraquítica e colecalciferol. Sua estrutura possui como unidade fundamental o isopreno e é formada a partir da abertura de um dos anéis do ciclopentanoperhidrofenantreno (colesterol), sendo assim classificado como um seco-esteroide.Fosfato monossódicoHipercalcemia: Hipercalcemia é um nível elevado de cálcio no sangue. (Concentrações normais: 9 - 10.Dor óssea: A dor óssea é uma forma debilitante de dor proveniente do tecido ósseo. Ela ocore em virtude de uma ampla variedade de doenças e/ou condições físicas e pode prejudicar severamente a qualidade de vida dos pacientes que são por ela acometidos.HiperparatiroidismoCélula principal da paratiroide: As células principais da paratiroide são células das glândulas paratiroides que produzem o hormônio da paratireoide.AcidoseRim: Rim (lat. ren, grc.Nutrição parenteral


Qual é a relação entre a convivência familiar e os acidentes de trabalho?


Qual foi o método mais eficiente de planejamento familiar já inventado?


  • A pílula ou a televisão?
  • a camisinha.

qual a finalidade do cadastramento familiar e territorial?


  • vou fazer concurso e preciso saber, qual a finalidade do cadastramento familiar e territorial na área da saúde? obrigada desde já
  • Para seter o historico da sua saude eda sua familia e quantos estao na regiao que reside, apenas formalidades.

Alguém tem um familiar que já tenha tido uma crise psicótica?


  • Me descrevam os comportamentos e o que vcs fazem para lidar com a situação
  • Meu irmão já surtou 3 vezes quando era jovem, com sintomas característicos de bipolaridade, alternava períodos de euforia com períodos de profunda depressão. Ficou muito agressivo, tomou remédios fortíssimos, mas não ficou internado em nenhuma clínica. A família mesmo cuidou dele, num sítio, onde fazíamos companhia para ele, tentávamos ocupar sua cabeça, controlávamos o uso dos medicamentos e aos poucos o surto passou. Hoje, passados 20 anos depois do último surto, é um homem centrado, saudável e muito amado pela família. Acho que nesses momentos o apoio, o amor e a paciência da família é fundamental para a superação da crise, e é claro, o acompanhamento de um bom médico. Se vc está passando por uma situação parecida, deve tentar dividir a resonsabilidade de cuidar da pessoa doente, porque é muito pesado para uma só pessoa cuidar, a impressão que dá é que acabamos doentes juntos. Um braço!

Fui destituida do poder familiar de meus filhos pra outra famlia,posso recorrer para ter visitas?


  • Queria saber se posso entrar na justiça para ver eles.
  • Aqui você vai precisar da ajuda de um advogado, não tem outro jeito. Em primeira estância normalmente cabe recurso, mas nem sempre. Mas seja rápida, pois existem prazos que não podem ser extrapolados, e são prazos curtos!

Planos de saúde em grupo é mais caro que planos individuais/familiar?


  • Me parece que os planos de saúde em grupo, ligados a empresas são mais barato que os planos individuais/familiar. Para quem não está empregado existe alguma entidade que não seja empresa e que seja estipulante de um plano de saúde, igrejas, clubes, lojas maçonicas, etc. Alguém sabe?
  • Não, normalmente os Planos de Saúde em grupo são mais baratos que os familiares e individuais, considerando coberturas iguais. Sim, existem vários Planos de Saúde que tem acordos com entidades de classe (OAB, CREA e etc...) e também com clubes e etc... basta procurar um pouco e verificar qual é o Plano que mais se adeque as suas necessidades e disponibilidade orçamentária.

Quanto tempo demora para passar a dor de uma pessoa que viu um familiar morrer de câncer?


  • sobre câncer de pulmão
  • a dor nunca passa, mais com tempo vai se tornando mais suave, e a tristesa da perda é substituida pela saudade e pela lembrança dos tempos maravilhosos que passamos com a pessoa que nos deixou

Como cuidar de um familiar com esquizofrenia?


  • Por favor, sejam sinceros, sem demagogia, e expliquem da forma mais simples, por favor. É para eu poder ajudar uma pessoa da minha família.
  • A primeira coisa a ser feita é leva-lo ao psiquiatra.O tratamento medicamentoso é fundamental. Tente convece-lo a ir. Muitas vezes o doente não admite que precisa de ajuda. Tenha paciencia. Evite rir, zombar dos delirios do paciente. E fundamental que ele tenha confiança em seus familiares.Estimule-o a conversar, falando de algo agradavel para ele. E o mais importante é manter um relacionamento aberto com ele.Facilita para que diga o que sente e o pensa. Ajude-o a compreender a realidade como ela é , mas sem se mostrar agressiva quando disser a sua opinião, pois pode ser pior.Conquiste a sua confiança para que ele lhe conte tudo o que o aflinge. Neste momento, seja sincera, mas não rude. Um familiar doente, geralmente desestrutura toda a família. Procure desfocar o problema da pessoa, mas sem se mostrar indiferente. Afinal de contas, para ajudar alguém é necessario que a famila esteja saudavel. Reserve um momento só para voce, recupere a suas energias para começar um novo dia. Te desejo boa sorte na sua caminhada e saude sempre.