Granuloma: Lesão inflamatória nodular relativamente pequena, contendo fagócitos mononucleares agrupados, causadas por agentes infecciosos e não infecciosos.Granuloma de Corpo Estranho: Resposta inflamatória, histiocítica a um corpo estranho. Consiste de macrófagos modificados com células gigantes multinucleadas, neste caso CÉLULAS GIGANTES DE CORPO ESTRANHO, normalmente rodeadas por linfócitos.Granuloma Piogênico: Transtorno da pele, mucosa oral e gengiva que normalmente se apresenta como hemangioma capilar polipoide solitário, geralmente resultante de trauma. Manifesta-se como uma resposta inflamatória com características semelhantes às de um granuloma.Granuloma Eosinófilo: A forma mais benigna e comum da histiocitose das células de Langerhans que envolve lesões nodulares localizadas predominantemente dos ossos, mas também da mucosa gástrica, intestino delgado, pulmões ou pele, com infiltração de EOSINÓFILOS.Granuloma do Sistema Respiratório: Transtornos granulomatosos que afetam um ou vários lugares no sistema respiratório.Granuloma Anular: Doença granulomatosa benigna de etiologia desconhecida, caracterizada por um anel de pápulas ou nódulos localizados ou disseminados na pele e histiócitos paralisantes subjacentes ao tecido necrobiótico, resultante de estruturas de colágeno alteradas.Granuloma de Células Gigantes: Lesão inflamatória não neoplásica, normalmente da região maxilomandibular ou da gengiva que contém células multinucleadas grandes. Inclui granuloma de células gigantes reparativo. O granuloma de células gigantes periférico refere-se à gengiva (lesão periférica de células gigantes); central refere-se à região maxilomandibular.Granuloma Inguinal: Úlceras anogenitais causadas pela Calymmatobacterium granulomatis que são distintas do linfogranuloma inguinal (ver LYMPHOGRANULOMA VENÉREO) causado pela CHLAMYDIA TRACHOMATIS. O diagnóstico é feito pela demonstração dos típicos corpos intracelulares de Donovan em esfregaço de macerado de tecido.Granuloma Periapical: Inflamação não supurativa crônica de tecido periapical resultante da irritação que se segue à doença da polpa ou tratamento endodôntico.Granuloma Laríngeo: Nódulo semelhante a tumor ou massa de tecido granuloso inflamatório que se projeta para dentro da luz da LARINGE.Hepatopatias Parasitárias: Doenças hepáticas causadas por infecções com PARASITAS, como as tênias (CESTÓIDEOS) e TREMATÓDEOS.Esquistossomose mansoni: A esquistossomose causada pelo Schistosoma mansoni. Ela é endêmica na África, no Oriente Médio, na América do Sul e no Caribe e afeta principalmente os intestinos, o baço e o fígado.Tuberculoma: Massa semelhante a um tumor que resulta do aumento de uma lesão tuberculosa.Schistosoma mansoni: Espécie de trematódeo sanguíneo da família Schistosomatidae. É comum no delta do Nilo. O hospedeiro intermediário é o caramujo planorbídeo. Este parasita causa esquistossomose mansoni e bilhiarziose intestinal.Sarcoidose: Transtorno granulomatoso, inflamatório, sistêmico idiopático, composto por células gigantes multinucleadas e epitelioides, com pouca necrose. Geralmente invade os pulmões com fibrose, podendo também envolver os gânglios linfáticos, pele, fígado, baço, olhos, ossos falangeais e glândulas parótidas.Mycobacterium marinum: Espécie fotocromogênica de crescimento moderado, encontrada em aquários, peixes doentes e piscina. Ela é a causa de lesões cutâneas e granulomas (granuloma de piscina) em humanos. (Dorland, 28a ed)Sarcoidose Pulmonar: A sarcoidose que afeta predominantemente o pulmão, o local mais frequentemente envolvido e que mais frequentemente causa morbidade e mortalidade na sarcoidose. A sarcoidose pulmonar é caracterizada por granulomas notadamente circunscritos nas paredes alveolar, brônquica e vascular, compostos de células altamente compactadas do sistema fagocítico mononuclear. Os sintomas clínicos quando presentes são dispneia de esforço, tosse não produtiva e chiado.Pneumopatias Parasitárias: Infecções dos pulmões com parasitas, mais comumente por vermes parasitas (HELMINTOS).Esquistossomose: Infecção com vermes (trematódeos) do gênero SCHISTOSOMA. Três espécies produzem as doenças clínicas mais frequentes: SCHISTOSOMA HAEMATOBIUM (endêmico na África e Oriente Médio), SCHISTOSOMA MANSONI (no Egito, norte e sul do continente africano, em algumas ilhas das Índias Orientais, 2/3 do norte da América do Sul) e SCHISTOSOMA JAPONICUM (no Japão, China, Filipinas, Sulawesi, Tailândia, Laos). S. mansoni é detectado com frequência em porto-riquenhos que moram nos Estados Unidos.Granuloma de Células Plasmáticas: Pseudotumor benigno de crescimento lento no qual o número de plasmócitos supera em muito o de células inflamatórias.Granuloma de Células Plasmáticas Pulmonar: Lesão inflamatória do pulmão semelhante a tumor que é composta de PLASMÓCITOS e tecido fibroso. É também conhecida como um pseudotumor inflamatório, frequentemente com calcificação e medindo entre 2 e 5 cm de diâmetro.Células Epitelioides: Células características de hipersensibilidade granulomatosa. Estas células aparecem como células grandes e achatadas com retículo endoplasmático aumentado. Acredita-se que estas células sejam macrófagos ativados que têm se diferenciado como resultado de estimulação antigênica prolongada. Sugere-se que uma diferenciação ou fusão adicional das células epitelioides produzam as células gigantes multinucleadas (CÉLULAS GIGANTES).Granuloma Letal da Linha Média: Afecção que é caracterizada por inflamação, ulceração e perfuração do nariz e PALATO com destruição progressiva das estruturas da linha média facial. Esta síndrome pode ser manifestada em várias doenças, incluindo o tipo nasal do LINFOMA EXTRANODAL DE CÉLULAS NK-T e a GRANULOMATOSE COM POLIANGIÍTE.Doenças da GengivaPneumopatias: Processos patológicos que envolvem qualquer parte do PULMÃO.Mycobacterium bovis: Tipo bovino do bacilo tuberculoso. Também é chamado Mycobacterium tuberculosis var. bovis.Óvulo: Célula germinativa feminina (haploide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.Reação a Corpo Estranho: Inflamação crônica e formação de granuloma ao redor de corpos estranhos irritantes.Mycobacterium tuberculosis: Espécie de bactéria Gram-positiva, aeróbica, causadora da TUBERCULOSE em humanos, outros primatas, BOVINOS, CÃES e alguns outros animais que têm contato com o homem. Seu crescimento tende a ser em massas (com forma de corda ou serpentina) nas quais os bacilos mostram orientação paralela.Tuberculose Hepática: Infecções do FÍGADO com espécies de MYCOBACTERIUM, mais frequente o MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS. Caracterizada por pequenas lesões miliares tuberculosas localizadas ou massas semelhantes a tumores (TUBERCULOMA), e anormalidades em algumas funções hepáticas.Infecções por Mycobacterium: Infecções por bactérias do gênero MYCOBACTERIUM.Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.Antígenos de Helmintos: Qualquer parte ou derivado de um helminto que induz uma reação imune. Os antígenos de helmintos mais frequentemente encontrados são os do schistosomos.Fatores Corda: Glicolipídeos tóxicos compostos por derivados de dimicolato trealose. São produzidos por MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS e outras espécies de MYCOBACTERIUM. Induzem disfunções celulares em animais.Camundongos Endogâmicos CBACalymmatobacterium: Gênero de bactérias que causam GRANULOMA INGUINAL e outras lesões granulomatosas.DermatopatiasTuberculose: Qualquer uma das doenças infecciosas do ser humano e de outros animais causadas por espécies de MYCOBACTERIUM.Schistosoma: Gênero de trematódeos que pertence à família Schistosomatidae. Possui mais de doze espécies. Estes parasitas são encontrados no homem e outros mamíferos. Caramujos são os hospedeiros intermediários.Dermatoses FaciaisHepatopatias: Processos patológicos do FÍGADO.Neurocisticercose: Infecção do encéfalo, medula espinal ou estruturas perimeningeanas com formas larvais do gênero TAENIA (principalmente T. solim em humanos). As lesões formadas pelo organismo são conhecidas como cisticercos. A infecção pode ser subaguda ou crônica e a gravidade dos sintomas depende da gravidade da resposta imune do hospedeiro e do local das várias lesões. Os ATAQUES representam a manifestação clínica mais frequente, embora déficits neurológicos focais possam ocorrer. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1998, Ch27, pp46-50)Macrófagos: Células fagocíticas dos tecidos dos mamíferos, relativamente de vida longa e originadas dos MONÓCITOS. Os principais tipos são os MACRÓFAGOS PERITONEAIS, MACRÓFAGOS ALVEOLARES, HISTIÓCITOS, CÉLULAS DE KUPFFER do fígado e os OSTEOCLASTOS. Os macrófagos, dentro das lesões inflamatórias crônicas, se diferenciam em CÉLULAS EPITELIOIDES ou podem unir-se para formar CÉLULAS GIGANTES DE CORPO ESTRANHO ou CÉLULAS GIGANTES DE LANGHANS. (Tradução livre do original: The Dictionary of Cell Biology, Lackie and Dow, 3rd ed.)Tuberculose Pulmonar: Infecções por MYCOBACTERIUM nos pulmões.Mycobacterium avium: Bactéria que causa tuberculose em aves domésticas e outras aves. Em porcos pode causar doenças localizadas e às vezes disseminadas. Este organismo ocorre ocasionalmente em ovelhas e no gado. Deve ser distinguida do complexo M. avium, que infecta humanos primariamente.Esquistossomose Japônica: Esquistossomíase causada por Schistosoma japonicum. É endêmica no extremo Oriente e infecta os intestinos, o fígado e o baço.Osso Petroso: Parte densa (semelhante à pedra) do osso temporal contendo a ORELHA INTERNA. O osso petroso está localizado na base do crânio. Às vezes, está associado com o PROCESSO MASTOIDE e chamado parte petromastoide do osso temporal.Tuberculose dos Linfonodos: A infecção dos nódulos linfáticos pela tuberculose. A infecção tuberculosa dos nódulos linfáticos cervicais é a escrófula.Infecções por Micobactéria não Tuberculosa: Infecções pelas denominadas micobactérias atípicas (bacilos tuberculoides): M. kansasii, M. marinum, M. scrofulaceum, M. flavescens, M. gordonae, M. obuense, M. gilvum, M. duvalii, M. szulgai, M. intracellulare (v. COMPLEXO MYCOBACTERIUM AVIUM), M. xenopi (littorale), M. ulcerans, M. burulii, M. terrae, M. fortuitum (minetti, giae), M. chelonae.Camundongos Endogâmicos C57BLBiópsia: Remoção e avaliação patológica de amostras, na forma de pequenos fragmentos de tecido do corpo vivo.Fígado: Grande órgão glandular lobulado no abdomen de vertebrados responsável pela desintoxicação, metabolismo, síntese e armazenamento de várias substâncias.Schistosoma japonicum: Espécie de trematódeo sanguíneo que pertence à família Schistosomatidae e cuja distribuição é confinada a áreas do Extremo Oriente. O hospedeiro intermediário é o caramujo. Ocorre no homem e outros mamíferos.Tuberculose Cutânea: Tuberculose da pele. Inclui escrofuloderma e tubercúlide, mas não LUPUS VULGARIS.EsplenopatiasInterferon gama: Principal interferon produzido por LINFÓCITOS estimulados por mitógenos ou antígenos. É estruturalmente diferente do INTERFERON TIPO I e sua principal atividade é a imunorregulação. Tem sido associado à expressão de ANTÍGENOS DE HISTOCOMPATIBILIDADE CLASSE II em células que normalmente não os produzem, levando a DOENÇAS AUTOIMUNES.Doenças Labiais

Anomalias vasculares: Uma anomalia vascular é uma espécie de mancha, sinal ou marca de nascença (nevo congênito) caracterizada por uma desordem do desenvolvimento vascular. Na maioria das vezes, mas nem sempre, apresenta-se ao nascimento, ou seja, é congênita.GranulomaEsquistossomo: O esquistossomo ou chistossoma (Schistosoma mansoni) é um platelminto da classe trematóide causador da esquistossomose, uma verminose bastante perigosa e comum em áreas com saneamento precário. Sua descrição completa foi feita pelo médico brasileiro Pirajá da Silva, em 1908.EsquistossomoseMycobacterium tuberculosis: Mycobacterium tuberculosis (MTB), ou bacilo de koch, é uma espécie de bactéria patogênica na família Mycobacteriaceae e o agente causador da maioria dos casos de tuberculose (TB). Descoberta pela primeira vez em 1882 por Robert Koch, M.TuberculoseSchistosoma mekongi: Schistosoma mekongi é um verme achatado parasita do filo Platyhelminthes classe Trematoda. Habita o sudeste asiático.Necrose caseosa: Necrose caseosa ou degeneração caseosa é uma ação de degradação progressiva e irreversível feita por enzimas em tecidos lesionados. Característica de focos de tuberculose.Espaço de Disse: thumbSchistosoma japonicum: Schistosoma japonicum é um verme achatado parasita, pertencente do filo Platyhelminthes, classe Trematoda. É um importante parasita e um dos principais agente causadores de esquistossomose.Escrofuloderma: Escrofuloderma ou tuberculose subcutânea é uma infecção bacteriana causada pelo Mycobacterium tuberculosis normalmente disseminada diretamente pela tuberculose pulmonar, de gânglios linfáticos, ossos ou articulações. Formam bolhas firmes, indolores que eventualmente se rompem com uma base granular.


Granuloma piogênico e alergia nas mãos?


  • Gente quem tem Granuloma piogênico num dedo da mão, pode ser que fique tbm com uma alergia estranha que parece com queimaduras, tipo a mão ficar toda avermelhada, ou isso não tem nada a ver com o granuloma?? Nossa, como existe gente idiota e sem respeito no mundo se não tem o que responder simplesmente coloca um " . " ao inves de fazer piada da doença dos outros sua retardada
  • Minha filha está se curando do granuloma no dedão do pé. Durou 4 meses. Fui em 3 dermatologistas e a última resolveu colocando um ácido em cima do granuloma e receitou antibióticos pois a unha da minha filha estava encravada e infeccionada. O ácido ela colocava semanalmente e também receitou antibióticos locais e pomadas. Agora vamos em um podólogo para colocar as fibras nas unhas.

Dúvidas sobre: "Granuloma piogênico"?


  • Eu queria saber tudo sobre Granuloma piogênico, se é muito grave ou não, se depois de ter sido retirado pode dar de novo, e tudo de preferencia a minha mãe teve num dedo da mão, ela retirou, tem chances de aparecer em outro lugar?? Agradeço desde já......!!
  • Amanda,Granuloma piogênico O que é? Popularmente conhecido como "carne esponjosa", o granuloma piogênico é uma proliferação de vasos sanguíneos que forma uma lesão tumoral secundária a um traumatismo, como os provocados pelos alicates das manicures ou por uma unha encravada, sendo o canto das unhas a sua localização mais comum. Manifestações clínicas Frequentemente localizado nos dedos, o granuloma piogênico caracteriza-se por uma lesão tumoral, avermelhada ou arroxeada, úmida, de consistência mole e que sangra facilmente aos pequenos traumatismos. O seu crescimento é rápido e o sangramento pode dar origem à formação de crostas escuras sobre a lesão. Geralmente acompanha-se de processo inflamatório local, com vermelhidão, inchaço e dor na pele ao redor da lesão. Tratamento O tratamento depende do tamanho da lesão. Lesões pequenas podem ser tratadas pela cauterização química. Lesões maiores devem ser tratadas pela eletrocoagulação, após anestesia local. No caso das unhas encravadas serem o fator desencadeante do granuloma, estas devem ser tratadas. A colocação de um fino chumaço de algodão entre a unha e a carne lateral onde se formou o granuloma pode ajudar nos casos mais simples. Casos mais graves podem necessitar de cirurgia para correção da unha encravada. Em todos os casos, o tratamento deve ser feito ou coordenado pelo médico dermatologista. É muito raro ele aparecer novamente,mas não impossível. Não é uma doença maligna,portanto fique tranquila. Luz no seu coração.Abraços.

Por favor, alguém sabe me informar onde consigo fazer uma microcirurgia ref. granuloma piogênico?


  • Dizem que é uma bactéria...que qdo. desencravamos as unhas pode surgir......de uma aparência horrível, sangra muito e não cicatriza! Já tomei 2 vidros de Amoxilina, dizem que tenho que fazer a microcirurgia ou queimar o local. Obrigada e Boa Noite! Maria Augusta
  • www.dematologia.net Li alguma coisa acho que vai te ajudar este site. Um dermatologista pode dar um diagnóstico e uma profilaxia mais correta. Nestas coisas é melhor não brincar. boa noite. Granuloma piogênico O que é? Popularmente conhecido como "carne esponjosa", o granuloma piogênico é uma proliferação de vasos sanguíneos que forma uma lesão tumoral secundária a um traumatismo, como os provocados pelos alicates das manicures ou por uma unha encravada, sendo o canto das unhas a sua localização mais comum. Manifestações clínicas Frequentemente localizado nos dedos, o granuloma piogênico caracteriza-se por uma lesão tumoral, avermelhada ou arroxeada, úmida, de consistência mole e que sangra facilmente aos pequenos traumatismos. O seu crescimento é rápido e o sangramento pode dar origem à formação de crostas escuras sobre a lesão. Geralmente acompanha-se de processo inflamatório local, com vermelhidão, inchaço e dor na pele ao redor da lesão. Tratamento O tratamento depende do tamanho da lesão. Lesões pequenas podem ser tratadas pela cauterização química. Lesões maiores devem ser tratadas pela eletrocoagulação, após anestesia local. No caso das unhas encravadas serem o fator desencadeante do granuloma, estas devem ser tratadas. A colocação de um fino chumaço de algodão entre a unha e a carne lateral onde se formou o granuloma pode ajudar nos casos mais simples. Casos mais graves podem necessitar de cirurgia para correção da unha encravada. Em todos os casos, o tratamento deve ser feito ou coordenado pelo médico dermatologista. Veja também... Unhas encravadas Dicas úteis: saiba a maneira correta de cortar suas unhas e evite o encravamento

Voce tem lingua furada, ou piercing em outras partes do corpo?


  • Piercing na língua pode levar ao câncer As complicações independem das condições de higiene na colocação. O especialista lista os principais problemas que podem ser enfrentados por quem opta pelo piercing na língua: - Fratura dental - Retração e destruição gengival - Úlcera traumática: lesão dolorosa que tem como principal exemplo a afta; - Granuloma piogênico: tumor vascular benigno que sangra facilmente; - Leucoplasia: mancha ou placa esbranquiçada aderida à superfície da língua, potencialmente cancerizável; - Papiloma: tumor epitelial benigno na forma de verruga; - Displasia epitelial: alteração da camada que recobre a língua; - Fibroma
  • Dificil acreditar q. a gurizada deixe de usar o piercing por causa destas informações, infelizmente! A maioria dos jovens q. se propoe a usá-lo pensam q. isto só acontece c/ os outros.Valeu amigo , o recado está dado.Abraços

Piercing na língua pode levar ao câncer,sabiam?


  • Se levarmos em consideração que a língua é formada por um músculo, com nervos e vasos sanguíneos, torna-se óbvio que a sua perfuração trará conseqüências ao indivíduo. Sendo a cavidade bucal um ambiente úmido, com temperatura relativamente constante e que abriga mais de 300 espécies de bactérias, fungos e vírus, o resultado de qualquer ferida mais profunda será agravado por essas condições", explica o cirurgião-dentista especializado em estética Caio Racy. O especialista lista os principais problemas que podem ser enfrentados por quem opta pelo piercing na língua: - Fratura dental - Retração e destruição gengival - Úlcera traumática: lesão dolorosa que tem como principal exemplo a afta; - Granuloma piogênico: tumor vascular benigno que sangra facilmente; - Leucoplasia: mancha ou placa esbranquiçada aderida à superfície da língua, potencialmente cancerizável; - Papiloma: tumor epitelial benigno na forma de verruga; - Displasia epitelial: alteração da camada que recobre a língua; - Fibroma: tumor benigno do tecido conjuntivo. Além disso, muito se fala do potencial carcinogênico do trauma na mucosa bucal. Já se sabe que o câncer bucal é uma doença multifatorial e que o trauma está presente em vários casos. Vale lembrar que hábitos nocivos, como o uso de álcool e fumo, aumentam a incidência desses malefícios", alerta o dentista. É importante salientar que essas conseqüências independem das condições de higiene em que são colocados os piercings. "Elas podem ocorrer mesmo que os piercings sejam colocados em locais que seguem rigorosas normas sanitárias. Portanto, os jovens devem ser orientados no sentido de não utilizarem esse adorno em razão de suas implicações já conhecidas", diz o dentista. bem posto isso aqui,pois minha noiva ao colocar um piercing no umbigo,contraiu uma infecçao purulenta que inchava e inchava.ela retirou o piercing e teve que gastar uma grana em tratamentos a fim de debelar a infecçao purulenta. cuidado meus caros,nao seja maria vai com as outras,pois ter personalidade nao é imitar padroes já existentes,mas ser vc mesmo;
  • NOSSA será mesmo que dar tudo isso nunca fiquei sabendo que aconteceu isso com alguém

UNHA ENCRAVADA, me ajudem por favor?


  • olha, eu TINHA uma unha encravada correto ?! depois eu esperei ela crescer e ela desencravou , ( as bordas encravadas sairam pra fora õ/ ) aí agora eu to com um granuloma piogenico ( Carne esponjosa do lado da unha ) e quero tirar, as pessoas me falaram do NITRATO DE PRATA , mas como eu vou colocá-la ? direto na carne esponjosa ? onde eu compro e tudo isso aí galera, desde já agradeço .. se souberem de mais coisas me avisem aí tbm .. e passem seus MSN's se quizerem .. ( eu nem to com pressa disso, apenas tenho medo da cirurgia pq na minha cidade não tem podologos, nem medicos especializados e mto menos dinheiro pra mim viajar pra curar isso :/)
  • Seu caso se resolve com aplicações de argila curativa sobre o local. argilasolimperyal@gmail.com