Fibrilação Ventricular: Arritmia cardíaca potencialmente letal, caracterizada por disparos de impulsos elétricos rápidos extremamente descoordenados (400-600/min) nos VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO. Tal assíncrono ventricular de agitação ou fibrilação previne qualquer produção cardíaca eficiente, e resulta em inconsciência (SÍNCOPE). É um dos importantes padrões eletrocardiográficos observados em PARADA CARDÍACA.Fibrilação Atrial: Ritmo cardíaco anormal caracterizado por descargas de impulsos elétricos descoordenados e rápidos, nas câmaras superiores do coração (ÁTRIOS DO CORAÇÃO). Em tal caso, o sangue não pode ser eficazmente bombeado nas câmaras inferiores do coração (VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO). É causado por geração de impulso anormal.Cardioversão Elétrica: Corrente elétrica aplicada ao CORAÇÃO para terminar um distúrbio de seu ritmo, ARRITMIAS CARDÍACAS (Tradução livre do original: Stedman, 25th ed).Parada Cardíaca: Cessação das batidas do coração ou CONTRAÇÃO MIOCÁRDICA. Se tratado em alguns minutos, esta parada cardíaca pode ser revertida na maior parte das vezes ao ritmo cardíaco normal e circulação eficaz.Eletrocardiografia: Registro do momento-a-momento das forças eletromotrizes do CORAÇÃO enquanto projetadas a vários locais da superfície corporal delineadas como uma função escalar do tempo. O registro é monitorado por um traçado sobre papel carta em movimento lento ou por observação em um cardioscópio que é um MONITOR DE TUBO DE RAIOS CATÓDICOS.Antiarrítmicos: Agentes usados para tratamento ou prevenção das arritmias cardíacas. Estes agentes podem afetar a fase de polarização-repolarização do potencial de ação, sua excitabilidade ou refratariedade, ou condução do impulso, ou ainda a responsividade da membrana dentro das fibras cardíacas. Os agentes antiarrítmicos são frequentemente classificados em quatro grupos principais de acordo com seu mecanismo de ação: bloqueio do canal de sódio, bloqueio beta-adrenérgico, prolongamento da repolarização, ou bloqueio do canal de cálcio.Ressuscitação Cardiopulmonar: Substituição artificial da ação do coração e pulmão conforme indicação para PARADA CARDÍACA resultante de choque elétrico, AFOGAMENTO, parada respiratória ou outras causas. Os dois principais componentes da ressuscitação cardiopulmonar são: ventilação artificial (RESPIRAÇÃO ARTIFICIAL) e a MASSAGEM CARDÍACA em tórax fechado.Arritmias Cardíacas: Quaisquer distúrbios da pulsação rítmica normal do coração ou CONTRAÇÃO MIOCÁRDICA. As arritmias cardíacas podem ser classificadas pelas anormalidades da FREQUÊNCIA CARDÍACA, transtornos de geração de impulsos elétricos, ou condução de impulso.Taquicardia Ventricular: Ritmo ventricular anormalmente rápido, normalmente acima de 150 batidas por minuto. É gerado dentro do ventrículo, abaixo do FASCÍCULO ATRIOVENTRICULAR, ou como formação de impulso autônomo ou condução de impulso reentrante. Dependendo da etiologia, o início da taquicardia ventricular pode ser paroxísmica (repentino) ou não paroxísmica, seus complexos de QRS amplos podem ser uniformes ou polimórficos, e o batimento ventricular pode ser independente do batimento atrial (dissociação AV).Desfibriladores: Estimuladores cardíacos elétricos que aplicam eletrochoques breves e de alta voltagem ao CORAÇÃO. Tais estimuladores são usados para restabelecer o ritmo e a função contrátil normais do coração em pacientes que possuem FIBRILAÇÃO VENTRICULAR ou TAQUICARDIA VENTRICULAR, que não é acompanhada por um PULSO palpável. Alguns desfibriladores também podem ser usados para corrigir certas disritmias não críticas (denominadas desfibrilação sincronizada ou CARDIOVERSÃO), usando descargas sincronizadas de nível relativamente baixo com o ECG do paciente. (Tradução livre do original: UMDNS, 1999)Sistema de Condução Cardíaco: Sistema que conduz impulso composto por músculo cardíaco modificado apresentando poder de ritmicidade espontânea e uma condução mais altamente desenvolvida que o resto do coração.Desfibriladores Implantáveis: Dispositivos implantáveis que monitoram continuamente a atividade elétrica do coração e automaticamente detectam e interrompem a TAQUICARDIA VENTRICULAR e a FIBRILAÇÃO VENTRICULAR. Consistem em um gerador de impulso, baterias e eletrodos.Técnicas Eletrofisiológicas Cardíacas: Métodos para induzir e medir atividades elétricas em sítios específicos no coração a fim de diagnosticar e tratar problemas relacionados com o sistema elétrico do coração.Estimulação Cardíaca Artificial: Regulação da frequência de contração dos músculos cardíacos por um marca-passo artificial.Ablação por Cateter: Remoção de tecido com corrente elétrica alimentada via eletrodos posicionados na terminação distal do cateter. As fontes de energia são geralmente corrente contínua (choque DC) ou corrente alternada a radiofrequências (geralmente 750 kHz). A técnica é utilizada mais frequentemente para remover a junção atrioventricular e/ou as vias acessórias para interromper a condução atrioventricular e produzir um bloqueio atrioventricular no tratamento de várias taquiarritmias.Amiodarona: Droga antiangina e antiarrítmica de classe III. Aumenta a duração da ação na atividade do músculo ventricular e atrial por inibição dos CANAIS DE POTÁSSIO e por CANAIS DE SÓDIO DISPARADOS POR VOLTAGEM. Como resultado, há um decréscimo na frequência cardíaca e na resistência vascular.Morte Súbita Cardíaca: Morte natural rápida e inesperada devido a colapso cardiovascular dentro de uma hora dos sintomas iniciais. Geralmente é causada pela piora de cardiopatias existentes. O início súbito dos sintomas, como DOR NO PEITO e ARRITMIAS CARDÍACAS, particularmente TAQUICARDIA VENTRICULAR, pode levar a perda de consciência e parada cardíaca seguida de morte biológica (Tradução livre do original: from Braunwald's Heart Disease: A Textbook of Cardiovascular Medicine, 7th ed., 2005).Mapeamento Potencial de Superfície Corporal: Registro de informação eletrofisiológica regional pela análise do potencial de superfície para dar uma visão geral dos efeitos da corrente cardíaca sobre a superfície corporal. Tem sido aplicado no diagnóstico tardio de infarto do miocárdio inferior, na localização do desvio da via na síndrome de Wolff-Parkinson-White, no reconhecimento de hipertrofia ventricular, na estimativa do tamanho de um infarto do miocárdio e nos efeitos de diferentes intervenções feitas para reduzir o tamanho do infarto. O fator limitante neste momento é a complexidade de registro e análise, que requer 100 ou mais eletrodos, equipamentos sofisticados e pessoal dedicado.Síndrome de Brugada: Defeito autossômico dominante da condução cardíaca caracterizado por um segmento ST anormal nos canais V1-V3 no ELETROCARDIOGRAMA semelhante ao BLOQUEIO DE RAMO direito, alto risco de TAQUICARDIA VENTRICULAR ou FIBRILAÇÃO VENTRICULAR, EPISÓDIO SINCOPAL, e possível morte súbita. Esta síndrome está ligada a mutações no gene que codifica a subunidade alfa do CANAL DE SÓDIO cardíaco.Complexos Cardíacos Prematuros: Grupo de arritmias cardíacas em que as contrações cardíacas não são iniciadas no NÓ SINOATRIAL. Eles incluem os batimentos prematuros tanto atriais como ventriculares, e também são conhecidos como batimentos cardíacos extras ou ectópicos. Sua frequência é aumentada em cardiopatias.Átrios do Coração: Câmaras do coração às quais o SANGUE circulante retorna.Cães: O cão doméstico (Canis familiaris) compreende por volta de 400 raças (família carnívora CANIDAE). Estão distribuídos por todo o mundo e vivem em associação com as pessoas (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, p1065).Ressuscitação: A restauração à vida ou consciência de alguém aparentemente morto; inclui medidas tais como respiração artificial e massagem cardíaca. (Dorland, 28a ed)Período Refratário Eletrofisiológico: Intervalo de tempo após o disparo de um potencial de ação, quando a MEMBRANA CELULAR foi alterada para um estado não excitável e está gradativamente voltando ao estado de repouso (excitável). Durante o período refratário absoluto (PRA), nenhum estímulo pode desencadear uma resposta. O PRA é seguido por um período refratário relativo, durante o qual a célula torna-se gradativamente mais excitável e o impulso de alta intensidade (necessário para provocar uma resposta), gradativamente diminui até alcançar a intensidade necessária durante o estado de repouso.Taquicardia: Batimentos cardíacos anormalmente rápidos, geralmente com FREQUÊNCIA CARDÍACA acima de 100 batimentos por minuto para adultos. A taquicardia acompanhada por distúrbio na despolarização cardíaca (arritmia cardíaca) é chamada taquiarritmia.Veias Pulmonares: Veias que retornam sangue oxigenado dos pulmões para o átrio esquerdo do coração.Massagem Cardíaca: Compressão rítmica do coração pela pressão aplicada manualmente sobre o esterno (massagem cardíaca fechada) ou diretamente ao coração através de uma abertura na parede torácica (massagem cardíaca aberta); feita para restabelecer e manter a circulação. (Dorland, 28a ed)Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Pericárdio: Saco fibrosseroso cônico envolvendo o CORAÇÃO e as raizes dos grandes vasos (AORTA, VEIA CAVA, ARTÉRIA PULMONAR). O pericárdio consiste em dois sacos: o pericárdio fibroso externo e o pericárdio seroso interno. O pericárdio seroso consiste em uma camada parietal externa de frente para o pericárdio fibroso, e uma visceral interna próxima ao coração (epicárdio), e uma cavidade pericárdica entre estas duas camadas.Frequência Cardíaca: Número de vezes que os VENTRÍCULOS CARDÍACOS se contraem por unidade de tempo, geralmente por minuto.Ventrículos do Coração: Câmeras inferiores direita e esquerda do coração. O ventrículo direito bombeia SANGUE venoso para os PULMÕES e o esquerdo bombeia sangue oxigenado para a circulação arterial sistêmica.Procainamida: Antiarrítmico de classe Ia que é relacionado estruturalmente à PROCAÍNA.Endocárdio: Camada mais interna do coração. É formada de células endoteliais.Suínos: Qualquer animal da família Suidae, compreendendo mamíferos onívoros, robustos, de pernas curtas, pele espessa (geralmente coberta com cerdas grossas), focinho longo e móvel, e cauda pequena. Compreendem os gêneros Babyrousa, Phacochoerus (javalis africanos) e o Sus, que abrange o porco doméstico (ver SUS SCROFA)Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sanguínea.Resultado do Tratamento: Estudos conduzidos com o fito de avaliar as consequências da gestão e dos procedimentos utilizados no combate à doença de forma a determinar a eficácia, efetividade, segurança, exequibilidade dessas intervenções.Flecainida: Antiarrítmico forte e eficaz em uma ampla faixa de arritmias ventriculares e atriais e em TAQUICARDIAS.Parada Cardíaca Extra-Hospitalar: Ocorrência de parada cardíaca em um indivíduo quando não há acesso imediato a profissionais da área médica ou a equipamentos.Isquemia Miocárdica: Transtorno da função cardíaca causado por fluxo sanguíneo insuficiente ao tecido muscular do coração. A diminuição do fluxo sanguíneo pode ser devido ao estreitamento das artérias coronárias (DOENÇA DA ARTÉRIA CORONARIANA), à obstrução por um trombo (TROMBOSE CORONARIANA), ou menos comum, ao estreitamento difuso de arteríolas e outros vasos pequenos dentro do coração. A interrupção grave do suprimento sanguíneo ao tecido miocárdico pode resultar em necrose do músculo cardíaco (INFARTO DO MIOCÁRDIO).Potenciais de Ação: Mudanças abruptas no potencial de membrana, que percorrem a MEMBRANA CELULAR de células excitáveis em resposta a estímulos excitatórios.Morte Súbita: Cessação súbita de todas as funções vitais do corpo, manifestada pela perda permanente e total das funções cerebral, respiratória e cardiovascular.Flutter Atrial: Contrações atriais irregulares e rápidas causadas por bloqueio na condução do impulso elétrico no átrio direito e uma nova frente de onda que sobe pelo septo interatrial e desce pela parede livre do átrio direito, ou vice-versa. Diferentemente da FIBRILAÇÃO ATRIAL causada por geração anormal do impulso, o flutter atrial típico é causado por condução anormal do impulso. Como na fibrilação atrial, os pacientes com flutter atrial não conseguem bombear sangue de modo eficaz nas câmaras inferiores do coração (VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO).Eletrocardiografia Ambulatorial: Método no qual prolongados registros eletrocardiográficos são feitos em um gravador portátil (sistema do tipo Holter) ou em um dispositivo semicondutor (sistema de "tempo real") enquanto o paciente desempenha suas atividades diárias normais. É utilizado no diagnóstico e controle de arritmias cardíacas intermitentes e isquemia transiente do miocárdio.Varfarina: Anticoagulante que age inibindo a síntese de fatores de coagulação dependentes da vitamina K. Warfarina é indicado para a profilaxia e/ou tratamento da trombose venosa e sua extensão, da embolia pulmonar e da fibrilação atrial com embolia. Também é usado como adjunto na profilaxia da embolia sistêmica após infarto do miocárdio. Warfarina também é usado para matar roedores.Seguimentos: Estudos nos quais indivíduos ou populações são seguidos para avaliar o resultado de exposições, procedimentos ou efeitos de uma característica, por exemplo, ocorrência de doença.Modelos Cardiovasculares: Representações teóricas que simulam o comportamento ou a atividade dos sistemas, processos ou fenômenos cardiovasculares; inclui o uso de equações matemáticas, computadores e outros equipamentos eletrônicos.Infarto do Miocárdio: NECROSE do MIOCÁRDIO causada por uma obstrução no fornecimento de sangue ao coração (CIRCULAÇÃO CORONÁRIA).Recidiva: Retorno de um sinal, sintoma ou doença após uma remissão.Anticoagulantes: Agentes que impedem a coagulação.Bloqueio de Ramo: Forma de bloqueio cardíaco em que a estimulação elétrica dos VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO é interrompida em qualquer um dos dois ramos do FASCÍCULO ATRIOVENTRICULAR, assim impedindo a despolarização simultânea dos ventrículos.Lidocaína: Anestésico local e depressor cardíaco utilizado como antiarrítmico. Suas ações são mais intensas e seus efeitos mais prolongados em relação à PROCAÍNA, mas a duração de sua ação é menor do que a da BUPIVACAÍNA ou PRILOCAÍNA.Mapeamento Epicárdico: Registro das localizações e medidas da atividade elétrica no EPICÁRDIO por meio de eletrodos colocados na superfície do coração para analisar os padrões da ativação e para localizar sítios arritmogênicos.Serviços Médicos de Emergência: Serviços especialmente preparados (recursos humanos e equipamento) para prestar cuidados de emergência a pacientes.Complexos Ventriculares Prematuros: Tipo de arritmia cardíaca com contrações prematuras dos VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO. É caracterizado pelo complexo QRS prematuro no ECG, que é de forma anormal e de grande duração (geralmente maior que 129 milissegundos (ms)). É a forma mais comum de todas as arritmias cardíacas. Os complexos ventriculares prematuros não têm nenhum significado clínico, exceto em colaboração com cardiopatias.Sotalol: Antagonista beta-adrenérgico utilizado no tratamento das arritmias de alto risco.Imagens com Corantes Sensíveis à Voltagem: Técnicas ópticas de imagem usadas para registrar padrões de atividade elétrica em tecidos por meio da monitoração dos potenciais transmembrânicos via imagens de FLUORESCÊNCIA com corantes fluorescentes sensíveis à voltagem.Estudos Prospectivos: Estudos planejados para a observação de eventos que ainda não ocorreram.Canal de Sódio Disparado por Voltagem NAV1.5: Subtipo de canal de sódio disparado por voltagem que medeia a PERMEABILIDADE de MIÓCITOS CARDÍACOS. Defeitos no gene SCN5A, que codifica para a subunidade alfa deste canal de sódio estão associados com uma variedade de DOENÇAS CARDÍACAS que resultam da perda de função do canal de sódio.Apêndice Atrial: O apêndice em forma de orelha de cada átrio do coração. (Dorland, 28a ed)Síncope: Perda transitória da consciência e do tônus postural, causada por diminuição do fluxo sanguíneo ao cérebro (i. é, ISQUEMIA CEREBRAL). A pré-síncope refere-se à sensação de cabeça leve e perda da força que precede um evento de síncope, ou acompanha uma síncope incompleta. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, pp367-9).Marca-Passo Artificial: Dispositivo desenhado para estimular, por impulsos elétricos, a contração dos músculos cardíacos. Pode ser temporário (externo) ou permanente (interno ou interno-externo).Disopiramida: Agente antiarrítmico classe I (que interfere diretamente na despolarização da membrana cardíaca servindo, assim, como agente estabilizador da membrana), com ação depressora no coração similar à da guanidina. Também possui algumas propriedades anticolinérgicas e de anestésico local.Hipotermia Induzida: TEMPERATURA CORPORAL anormalmente baixa induzida intencionalmente por meios artificiais em animais de sangue quente. Em humanos, a hipotermia suave ou moderada tem sido usada para diminuir danos teciduais, particularmente após lesões cardíacas ou na medula espinal e durante cirurgias subsequentes.Síndrome de Wolff-Parkinson-White: Forma de pré-excitação ventricular caracterizada por um intervalo PR curto e um intervalo QRS longo, com uma onda delta. Nesta síndrome, os impulsos atriais são anormalmente conduzidos para os VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO por meio de um FEIXE ACESSÓRIO ATRIOVENTRICULAR localizado entre a parede do átrio direito ou esquerdo e os ventrículos, também conhecido como FEIXE DE KENT. A forma hereditária pode ser causada por mutação do gene PRKAG2 que codifica uma subunidade reguladora gama-2 da proteína quinase ativada por AMP.Traumatismo por Reperfusão Miocárdica: Lesão do MIOCÁRDIO resultante da REPERFUSÃO MIOCÁRDICA (restauração do fluxo sanguíneo a áreas isquêmicas do CORAÇÃO). A reperfusão ocorre quando há trombólise espontânea, TERAPIA TROMBOLÍTICA, fluxo colateral de outros leitos vasculares coronários ou reversão de vasospasmo.Eletrofisiologia: Estudo do comportamento e da geração de cargas elétricas nos organismos vivos, particularmente no sistema nervoso, e dos efeitos da eletricidade nos organismos vivos.Propafenona: Antiarrítmico que é particularmente eficiente nas arritmias ventriculares. Também tem uma fraca atividade beta-bloqueadora.Fatores de Risco: Aspecto do comportamento individual ou do estilo de vida, exposição ambiental ou características hereditárias ou congênitas que, segundo evidência epidemiológica, está sabidamente associado a uma condição relacionada com a saúde considerada importante de ser prevenida.Análise de Fourier: Análise baseada na função matemática primeiramente formulada por Jean-Baptiste-Joseph Fourier em 1807. A função, conhecida como transformada de Fourier, descreve o padrão senoidal da qualquer padrão oscilante no mundo físico em termos de amplitude e fase. Tem vasta aplicação na biomedicina, p.ex., análise dos dados de cristalografia de raios X centrais para identificar a natureza de dupla hélice do DNA e analisar outras moléculas, inclusive vírus, e o algoritmo modificado de retroprojeção usado universalmente no processamento das imagens de tomografia computadorizada, etc.Traumatismos por Eletricidade: Traumatismos causados por correntes elétricas. O conceito exclui queimaduras por eletricidade (QUEIMADURAS POR CORRENTES ELÉTRICAS), mas inclui choque elétrico e eletrocussão acidental.Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sanguíneo.Perfusão: Procedimento terapêutico que envolve a injeção de líquido em um órgão ou tecido.Modelos Animais de Doenças: Doenças animais ocorrendo de maneira natural ou são induzidas experimentalmente com processos patológicos suficientemente semelhantes àqueles de doenças humanas. São utilizados como modelos para o estudo de doenças humanas.Síndrome: Complexo sintomático característico.Processamento de Sinais Assistido por Computador: Processamento assistido por computador de sinais elétricos, ultrassônicos ou eletrônicos para interpretar funções e atividades.Hipopotassemia: Concentração anormalmente baixa de potássio no sangue que pode resultar de perda excessiva de potássio pela via renal ou gastrintestinal, de ingestão diminuída ou de desvios transcelulares. Pode ser manifestada clinicamente por distúrbios neuromusculares variando de fraqueza à paralisia, por anormalidades eletrocardiográficas (depressão da onda T e elevação da onda U), por doença renal e por distúrbios gastrintestinais. (Dorland, 28a ed)Ramos Subendocárdicos: Fibras musculares cardíacas modificadas que formam a porção terminal do sistema de condução do coração.Commotio Cordis: ARRITMIA CARDÍACA repentina (ex.: FIBRILAÇÃO VENTRICULAR) causada por um impacto brusco não penetrante na região precordial da parede do tórax. O commotio cordis frequentemente resulta em morte súbita sem desfibrilação cardiopulmonar a tempo.Valor Preditivo dos Testes: O valor preditivo de um teste diagnóstico é a probabilidade de um resultado positivo (ou negativo) corresponder a um indivíduo doente (ou não doente). Depende da sensibilidade e especificidade do teste (adaptação e tradução livre do original: Last, 2001)Eletrofisiologia Cardíaca: Estudo da atividade elétrica e características do CORAÇÃO, MIOCÁRDIO e CARDIOMIÓCITOS.Estudos Retrospectivos: Estudos nos quais os dados coletados se referem a eventos do passado.Estimulação do Nervo Vago: Tratamento adjuvante para EPILEPSIA PARCIAL e DEPRESSÃO refratária que libera impulsos elétricos no cérebro via NERVO VAGO. A energia provém de uma bateria implantada sob a pele.Taquicardia Supraventricular: Expressão genérica para qualquer taquicardia que se origina acima do nó de His.Vasoespasmo Coronário: Espasmo das artérias coronarianas de médio ou largo calibre.Tromboembolia: Obstrução de um vaso sanguíneo (embolia) por um coágulo de sangue (TROMBO) na corrente sanguínea.Falha de Equipamento: Falha do equipamento em desempenhar o padronizado. A falha pode ser devida a defeitos ou uso indevido.Glicosídeos Digitálicos: Glicosídeos oriundos de plantas do gênero DIGITALIS. Alguns deles são úteis como agentes cardiotônicos e antiarrítmicos. Incluem também os derivados semi-sintéticos dos glicosídeos. Algumas vezes, este termo tem sido utilizado de forma mais ampla, incluindo-se todos os GLICOSÍDEOS CARDÍACOS, mas neste caso, estão restritos apenas àqueles relacionados a Digitalis.Hemodinâmica: Movimento e forças envolvidos no movimento do sangue através do SISTEMA CARDIOVASCULAR.Compostos de BretílioCardiopatias: Afecções que envolvem o CORAÇÃO, inclusive anomalias estruturais e funcionais.Taquicardia Paroxística: Batimentos cardíacos anormalmente rápidos com início e cessação súbitos.Função Atrial: Ação hemodinâmica e eletrofisiológica do ÁTRIO DO CORAÇÃO.Acidente Vascular Cerebral: Grupo de afecções caracterizadas por perda súbita, não convulsiva, da função neurológica, devido a ISQUEMIA ENCEFÁLICA ou HEMORRAGIAS INTRACRANIANAS. O acidente cerebral vascular é classificado pelo tipo de NECROSE de tecido, como localização anatômica, vasculatura envolvida, etiologia, idade dos indivíduos afetados e natureza hemorrágica versus não hemorrágica (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, pp777-810).Síndrome do Nó Sinusal: Afecção causada por disfunções relacionadas com o NÓ SINOATRIAL, inclusive geração de impulso (PARADA SINUSAL CARDÍACA) e condução de impulso (saída do bloqueio sinoatrial). Caracteriza-se por BRADICARDIA persistente, FIBRILAÇÃO ATRIAL crônica, e falência para retomar o ritmo do seio após CARDIOVERSÃO. Esta síndrome pode ser congênita ou adquirida, particularmente depois de correção cirúrgica para cardiopatias.Função do Átrio Esquerdo: Ação hemodinâmica e eletrofisiológica do ÁTRIO ESQUERDO.Função Ventricular: Ação hemodinâmica e eletrofisiológica dos VENTRÍCULOS CARDÍACOS.Eletrodos: Condutores elétricos pelos quais correntes elétricas entram ou saem de um meio, seja ele uma solução eletrolítica, um sólido, massa fundida, gás ou vácuo.Antagonistas Adrenérgicos beta: Fármacos que se ligam aos receptores beta adrenérgicos sem ativá-los, bloqueando assim as ações de agonistas adrenérgicos beta. Os antagonistas adrenérgicos beta são usados no tratamento da hipertensão, arritmias cardíacas, angina pectoris, glaucoma, enxaquecas e ansiedade.Taxa de Sobrevida: Proporção de sobreviventes de um grupo em estudo acompanhado por determinado período. (Tradução livre do original: Last, 2001)Quinidina: Isômero óptico da quinina, extraído da casca da árvore da CINCHONA e espécies similares de plantas. Este alcaloide deprime a excitabilidade dos músculos cardíaco e esquelético, bloqueando as correntes de sódio e de potássio através das membranas celulares. Prolonga os POTENCIAIS DE AÇÃO celulares, e diminui a automaticidade. A quinidina também bloqueia a neurotransmissão muscarínica e alfa-adrenérgica.Circulação Coronária: Circulação de sangue através dos VASOS CORONÁRIOS do CORAÇÃO.Doença das Coronárias: Desequilíbrio entre as necessidades funcionais miocárdicas e a capacidade dos VASOS CORONÁRIOS para fornecer suficiente fluxo sanguíneo. É uma forma de ISQUEMIA MIOCÁRDICA (fornecimento insuficiente de sangue ao músculo cardíaco), causada por uma diminuição da capacidade dos vasos coronarianos.Síndrome do QT Longo: Condução caracterizada por episódios de desmaio (SÍNCOPE) e grau variado de arritmia ventricular, como indicado pelo intervalo de QT prolongado. As formas hereditárias são causadas por mutação de genes que codificam as proteínas do canal iônico cardíaco. As duas formas principais são SÍNDROME DE ROMANO-WARD e SÍNDROME DE JERVELL-LANGE NIELSEN.Medição de Risco: Métodos e técnicas aplicadas para identificar os fatores de risco e medir a vulnerabilidade aos perigos potenciais causados por desastres e substâncias químicas.Complexos Atriais Prematuros: Tipo de arritmia cardíaca com contrações atriais prematuras ou batimentos causados por sinais que se originam dos lados atriais ectópicos. Os sinais ectópicos podem ou não conduzir a VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO. Os complexos atriais prematuros são caracterizados por ondas P prematuras no ECG que são diferentes na configuração das ondas P geradas pelo complexo marca-passo normal no NÓ SINOATRIAL.Bloqueio Cardíaco: Condução prejudicada de impulso cardíaco que pode acontecer em qualquer lugar ao longo da via de condução, como entre NÓ SINOATRIAL e átrio direito (bloqueio SA) ou entre átrios e ventrículos (bloqueio AV). Os bloqueios cardíacos podem ser classificados pela duração, frequência, ou integralidade no bloqueio da condução. A reversibilidade depende do grau dos defeitos estruturais ou funcionais.Reperfusão Miocárdica: Geralmente, restauração do suprimento sanguíneo ao tecido cardíaco que está isquêmico devido à diminuição do suprimento normal de sangue. A diminuição pode ser resultante de qualquer origem, incluindo obstrução aterosclerótica, estreitamento da artéria, ou pinçamento cirúrgico. A reperfusão pode ser induzida para tratamento de isquemia. Os métodos incluem dissolução química de um trombo obstruído, administração de drogas vasodilatadoras, angioplastia, cateterização e cirurgia de enxerto para desvio da artéria. Contudo, tem-se pensado que a reperfusão possa além disso danificar o tecido isquêmico causando LESÃO DO MIOCÁRDIO POR REPERFUSÃO.Incidência: Número de casos novos de doenças ou agravos numa determinada população e período.Canais de Sódio: Canais iônicos que permitem a passagem específica de íons SÓDIO. Uma quantidade variável de subtipos de canais de sódio está envolvida em desempenhar funções especializadas como sinalização nervosa, contração do MIOCÁRDIO e na função do RIM.Tocainide: Antiarrítmico que exerce um bloqueio dependente da potência e da frequência dos CANAIS DE SÓDIO.Anestesia: Estado caracterizado pela perda dos sentidos ou sensações. Esta depressão da função nervosa geralmente é resultante de ação farmacológica e é induzida para permitir a execução de cirurgias ou outros procedimentos dolorosos.Insuficiência Cardíaca: Afecção heterogênea em que o coração é incapaz de bombear sangue suficiente para satisfazer as necessidades metabólicas do corpo. A insuficiência cardíaca pode ser causada por defeitos estruturais, anomalias funcionais (DISFUNÇÃO VENTRICULAR), ou uma sobrecarga súbita além de sua capacidade. A insuficiência cardíaca crônica é mais comum que a insuficiência cardíaca aguda que resulta de injúria repentina à função cardíaca, como INFARTO DO MIOCÁRDIO.Mexiletina: Antiarrítmico farmacologicamente semelhante à LIDOCAÍNA. Pode apresentar algumas propriedades anticonvulsivas.Bloqueadores dos Canais de Sódio: Classe de drogas que atuam inibindo o afluxo de sódio através de membranas celulares. O bloqueio de canais de sódio diminui a velocidade e a amplitude da despolarização rápida inicial, reduz a excitabilidade celular e a velocidade de condução.Prognóstico: Predição do provável resultado de uma doença baseado nas condições do indivíduo e no curso normal da doença como observado em situações semelhantes.Coelhos: Espécie Oryctolagus cuniculus (família Leporidae, ordem LAGOMORPHA) nascem nas tocas, sem pelos e com os olhos e orelhas fechados. Em contraste com as LEBRES, os coelhos têm 22 pares de cromossomos.Ecocardiografia: Registro ultrassônico do tamanho, movimentação e composição do coração e estruturas adjacentes. O acesso padrão é transtorácico.Músculos Papilares: Projeções musculares cônicas das paredes dos ventrículos cardíacos ligados às cúspides das válvulas atrioventriculares pelas cordas tendíneas.Análise de Sobrevida: Procedimentos estatísticos pra estimar a curva de sobrevivência de população mediante tratamentos, fatores de prognóstico, de exposição ou outras variáveis. (Tradução livre do original: Last, 2001)Bradicardia: Arritmias cardíacas caracterizadas por FREQUÊNCIA CARDÍACA excessivamente baixa, normalmente abaixo de 50 batimentos por minuto em humanos adultos. Podem ser amplamente classificadas na disfunção do NÓ SINOATRIAL e no BLOQUEIO ATRIOVENTRICULAR.Procedimentos Cirúrgicos Cardíacos: Cirurgias feitas no coração.Estimulação Elétrica: Uso de correntes ou potenciais elétricos para obter respostas biológicas.Verapamil: Bloqueador de canais de cálcio que é um antiarrítmico classe IV.beta-Alanina: Aminoácido formado in vivo pela degradação do di-hidrouracil e carnosina. Uma vez que a recaptação neuronal e a sensibilidade do receptor à beta-alanina foram demonstradas, o composto pode ser um falso transmissor que substitui o ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO. Foi descrito um transtorno genético raro, a hiper-beta-alaninemia, relacionado a este aminoácido.Ambulâncias: Veículo equipado para transportar os pacientes que necessitam de cuidados de emergência.Contração Miocárdica: Atividade contrátil do MIOCÁRDIO.Desenho de Equipamento: Métodos de criação de máquinas e dispositivos.Pressão Sanguínea: PRESSÃO do SANGUE nas ARTÉRIAS e de outros VASOS SANGUÍNEOS.Suscetibilidade a Doenças: Constituição ou afecção do corpo que fazem com que os tecidos reajam de maneira especial a determinados estímulo extrínsecos, consequentemente tendendo a tornar o indivíduo mais suscetível a determinadas doenças que o normal. (Tradução livre do original: MeSH) Afecção na qual existe uma diminuição da resistência de um indivíduo frente a determinada doença ou intoxicação e que se experimenta com dose a exposições inferiores às habitualmente nocivas para o resto da população. (Fonte: Tesauro REPIDISCA, CEPIS/OPS/OMS, para o conceito Suscetibilidade)Óptica e Fotônica: Campo especializado da física e da engenharia que estuda o comportamento e as propriedades da luz e a tecnologia de análise da geração, transmissão e manipulação da RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA na escala visível, infravermelha e ultravioleta.Sidnonas: OXIDIAZÓIS suportando um oxigênio na posição 5. São mesoiônicas com cargas positiva e negativa deslocadas.Volume Sistólico: Quantidade de SANGUE bombeada para fora do CORAÇÃO por batimento. Não deve ser confundido com débito cardíaco (volume/tempo). É calculado como a diferença entre o volume diastólico final e o volume sistólico final.Função Ventricular Esquerda: Ação hemodinâmica e eletrofisiológica do ventrículo cardíaco esquerdo. Sua medida é um aspecto importante na avaliação clínica dos pacientes com doença cardíaca para determinar os efeitos da doença sobre o desempenho cardíaco.Epinefrina: Hormônio simpatomimético ativo da MEDULA SUPRARRENAL. Estimula os sistemas alfa- e beta-adrenérgicos, causa VASOCONSTRIÇÃO sistêmica e relaxamento gastrointestinal, estimula o CORAÇÃO e dilata os BRÔNQUIOS e os vasos cerebrais. É utilizado na ASMA e na FALÊNCIA CARDÍACA e para retardar a absorção de ANESTÉSICOS locais.Sistema Nervoso Autônomo: Consiste dos SISTEMA NERVOSO ENTÉRICO, SISTEMA NERVOSO PARASSIMPÁTICO e SISTEMA NERVOSO SIMPÁTICO. De uma forma geral, o sistema nervoso autônomo regula o meio interno tanto na atividade basal como no estresse físico ou emocional. A atividade autônoma é controlada e integrada pelo SISTEMA NERVOSO CENTRAL, especialmente pelo HIPOTÁLAMO e o NÚCLEO SOLITÁRIO, que recebem informação dos FIBRAS AFERENTES VISCERAIS.Gânglio Estrelado: Gânglio simpático paravertebral formado pela fusão dos gânglios cervical inferior e primeiro torácico.Nó Atrioventricular: Pequena massa nodular formada por fibras musculares especializadas que estão localizadas no septo interatrial próximo ao óstio do seio coronário. Dá origem ao feixe atriventricular do sistema de condução do coração.Unidades de Cuidados Coronarianos: Unidade hospitalar na qual pacientes com problemas cardíacos agudos recebem cuidados intensivos.Cardiomiopatias: Grupo de doenças na qual a característica dominante é o envolvimento do próprio músculo cardíaco. As cardiomiopatias são classificadas de acordo com suas características patofisiológicas predominantes (CARDIOMIOPATIA DILATADA, CARDIOMIOPATIA HIPERTRÓFICA, CARDIOMIOPATIA RESTRITIVA) ou seus fatores etiológicos/patológicos (CARDIOMIOPATIA ALCOÓLICA, FIBROELASTOSE ENDOCÁRDICA).Eletrodos Implantados: Condutores elétricos alocados por cirurgia em um ponto específico dentro do corpo através dos quais uma ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA é liberada ou a atividade elétrica é registrada.Torsades de Pointes: Forma maligna de taquicardia ventricular polimórfica caracterizada por FREQUÊNCIA CARDÍACA entre 200 e 250 batimentos por minuto, e complexos QRS com amplitude variável e torção dos pontos. O termo também descreve a síndrome de taquicardia com repolarização ventricular prolongada, intervalos de QT longos excedendo a 500 milissegundos ou BRADICARDIA. As torsades de pointes podem ser autolimitadas ou podem progredir para FIBRILAÇÃO VENTRICULAR.Auxiliares de Emergência: Pessoal paramédico treinado para prover cuidados básicos de socorro e manutenção da vida sob a supervisão de médicos e/ou enfermeiras. Estes cuidados podem ser prestados no local da ocorrência, na ambulância ou em uma instituição de saúde.Ergonovina: Alcaloide do ergot (ALCALOIDES DO ESPORÃO DO CENTEIO) que apresenta propriedades contráteis de MÚSCULO LISO VASCULAR e uterino.Distribuição Aleatória: Processo envolvendo a probabilidade usada em ensaios terapêuticos ou outra investigação que tem como objetivo alocar sujeitos experimentais, humanos ou animais, entre os grupos de tratamento e controle, ou entre grupos de tratamento. Pode também ser aplicado em experimentos em objetos inanimados.Coeficiente Internacional Normatizado: Sistema estabelecido pela Organização Mundial de Saúde e pelo Comitê Internacional em Trombose e Hemostase, para monitorar e informar testes de coagulação sanguínea. Nesse sistema, os resultados são padronizados utilizando o Índice de Sensibilidade Internacional para a combinação usada no teste de reagentes/instrumentos particulares.Vasos Coronários: Veias e artérias do CORAÇÃO.Embolia: Bloqueio de um vaso sanguíneo por um êmbolo que pode ser um coágulo de sangue ou outro material indissolúvel na corrente sanguínea.Sus scrofa: Espécie de SUÍNO (família Suidae) composto por várias subespécies, incluindo o porco doméstico (Sus scrofa domestica).Aconitina: Alcaloide C19 não diterpenoide (DITERPENOS) da raiz de ACONITUM. Ativa os CANAIS DE SÓDIO DISPARADOS POR VOLTAGEM. Tem sido usado para induzir ARRITMIAS CARDÍACAS em animais de experimentação e possui propriedades anti-inflamatórias e antinevrálgicas.Complicações Pós-Operatórias: Processos patológicos que afetam pacientes após um procedimento cirúrgico. Podem ou não estar relacionados à doença pela qual a cirurgia foi realizada, podendo ser ou não resultado direto da cirurgia.Bepridil: Agente bloqueador de cálcio de efeito prolongado com significativa atividade antiangina. O fármaco produz vasodilatação coronária significativa e efeitos periféricos modestos. Tem propriedades anti-hipertensivas e atividade antiarrítmica seletiva. Atua como antagonista da calmodulina.Ecocardiografia Transesofagiana: Registro ultrassônico do tamanho, movimentação e composição do coração e tecidos adjacentes utilizando um transdutor localizado no esôfago.Disfunção Ventricular Esquerda: Afecção em que o VENTRÍCULO ESQUERDO do coração encontra-se funcionalmente prejudicado. Esta situação geralmente leva a INSUFICIÊNCIA CARDÍACA, INFARTO DO MIOCÁRDIO e outras complicações cardiovasculares. O diagnóstico é feito por medição da fração ejetada diminuída e um nível de motilidade reduzida da parede ventricular esquerda.Amplificadores Eletrônicos: Dispositivos eletrônicos que aumentam a magnitude do nível de energia de um sinal ou corrente.Betanidina: Anti-hipertensivo guanidina que atua bloqueando a transmissão adrenérgica. O modo preciso de ação não está claro.Canrenona: Composto sintético de pregnadieno com atividade antialdosterona.Criocirurgia: Uso do congelamento como uma técnica cirúrgica especial para destruir ou cortar tecidos.Doença Crônica: Doenças que têm uma ou mais das seguintes características: são permanentes, deixam incapacidade residual, são causadas por alteração patológica não reversível, requerem treinamento especial do paciente para reabilitação, pode-se esperar requerer um longo período de supervisão, observação ou cuidado.Isoproterenol: Análogo isopropílico da EPINEFRINA; beta-simpatomimético que atua no coração, brônquios, músculo esquelético, trato alimentar, etc. É utilizado principalmente como broncodilatador e estimulante cardíaco.Bloqueio Atrioventricular: Bloqueio na condução do impulso dos ÁTRIOS DO CORAÇÃO para os VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO. O bloqueio AV pode significar retardo na condução do impulso ou bloqueio total.Fenômenos Eletrofisiológicos: Propriedades elétricas características dos seres vivos, e os processos de organismos ou suas partes envolvidos na geração de cargas elétricas e nas respostas a elas.Distribuição de Qui-Quadrado: Distribuição na qual a variável está distribuída como a soma dos quadrados de qualquer variável dada independente e aleatória, tendo cada qual uma distribuição normal com média zero e desvio um. O teste de Qui-quadrado é um teste estatístico baseado na comparação de uma estatística e uma distribuição de Qui-quadrado. Os testes mais antigos se usam para detectar se duas ou mais distribuições da população diferem entre si.Metilguanidina: Produto da putrefação. Venenoso.Limiar Diferencial: A menor diferença que pode ser discriminada entre dois estímulos ou uma diferença que está ligeiramente acima do limiar.Valva Mitral: Válvula localizada entre o átrio esquerdo e o ventrículo esquerdo do coração.Propranolol: Antagonista beta-adrenérgico não cardiosseletivo amplamente utilizado. O propranolol é utilizado para o INFARTO DO MIOCÁRDIO, ARRITMIA, ANGINA PECTORIS, HIPERTENSÃO, HIPERTIREOIDISMO, ENXAQUECA, FEOCROMOCITOMA, e ANSIEDADE, mas efeitos adversos estimulam sua substituição por medicamentos mais novos.Emergências: Situações ou condições que requerem intervenção imediata para evitar resultados adversos sérios.Parada Cardíaca Induzida: Procedimento [usado] com o objetivo de parar a contração do MIOCÁRDIO durante a CIRURGIA TORÁCICA. Geralmente obtida com o uso de substâncias químicas (SOLUÇÕES CARDIOPLÉGICAS) ou baixa temperatura (como perfusato resfriado).Circulação Sanguínea: O movimento do SANGUE enquanto é bombeado através do SISTEMA CARDIOVASCULAR.Fatores Etários: Idade como um elemento ou influência que contribui à produção de um resultado. Pode ser aplicável à causa ou efeito de uma circunstância. É usado com os conceitos humano e animal, mas devem ser diferenciados de ENVELHECIMENTO, um processo fisiológico, e FATORES DE TEMPO que se refere somente ao transcurso do tempo.Modelos Logísticos: Modelos estatísticos de risco de um indivíduo (probabilidade de contrair uma doença) em função de um dado de fator de risco. O modelo logístico é um modelo linear para a logística (logaritmo natural dos fatores de risco) da doença como função de um fator quantitativo e é matematicamente equivalente ao modelo logístico.Síndrome de Jervell-Lange Nielsen: Forma da síndrome do QT longo associada com surdez congênita. Caracteriza-se por cardioeletrofisiologia anormal, envolvendo os CANAIS DE POTÁSSIO DE ABERTURA DEPENDENTE DA TENSÃO DA MEMBRANA. Resulta da mutação do gene KCNQ1 (Subtipo 1 ou JLN1) ou o gene KCNE1 (Subtipo 2 ou JLN2).Diacetil: Mensageiro da fragrância da manteiga, vinagre, café e outros alimentos.Monitorização Fisiológica: Medida contínua dos processos fisiológicos, pressão sanguínea, batimento cardíaco, débito renal, reflexos, respiração, etc., em pacientes ou animais experimentais; inclui monitorização farmacológica, dosagem de drogas administradas ou seus metabólitos no sangue, tecidos ou urina.Cobaias: Nome popular utilizado para o gênero Cavia. A espécie mais comum é a Cavia porcellus, que é o porquinho-da-índia, ou cobaia, domesticado e usado como bicho de estimação e para pesquisa biomédica.Displasia Arritmogênica Ventricular Direita: Cardiomiopatia congênita caracterizada por infiltração de tecidos fibroso e adiposo na parede do VENTRÍCULO DIREITO e perda de células miocárdicas. As lesões primárias geralmente estão na parede livre ventricular direita e no átrio direito, resultando em arritmias ventricular e supraventricular.Miócitos Cardíacos: Células do músculo estriado encontradas no coração. São derivadas dos mioblastos cardíacos (MIOBLASTOS CARDÍACOS).Análise Multivariada: Conjunto de técnicas usadas quando a variação em diversas variáveis deve ser estudada simultaneamente. Em estatística, a análise multivariada se interpreta como qualquer método analítico que permita o estudo simultâneo de duas ou mais variáveis dependentes. Análise e interpretação das inter-relações entre três ou mais variáveis.Estudos de Viabilidade: Estudos para determinar as vantagens ou desvantagens, praticabilidade ou capacidade de executar um plano projetado, um estudo ou um projeto.Miocárdio Atordoado: Disfunção prolongada do miocárdio após um breve episódio de isquemia severa, com retorno gradual da atividade contrátil.Análise de Variância: Técnica estatística que isola e avalia a contribuição dos fatores incondicionais para a variação na média de uma variável dependente contínua.Conexina 43: Peptídeo de 43 kDa que é membro da família de conexinas de proteínas da junção gap. A conexina 43 é um produto de um gene da classe alfa de genes da conexina (gene alfa 1). Foi inicialmente isolada do coração de mamífero, mas está dispersa no corpo, incluindo o encéfalo.Taquicardia Atrial Ectópica: Batimentos cardíacos anormalmente rápidos originando um ou mais focos automáticos (marca-passos não sinusais) nos ÁTRIOS DO CORAÇÃO, mas fora do NÓ SINOATRIAL. Diferentemente do mecanismo de reentrada, a taquicardia automática acelera e gradualmente diminui a velocidade. O episódio é caracterizado por uma FREQUÊNCIA CARDÍACA entre 135 e menos que 200 batidas por minuto e durando 30 segundos ou mais.Cardiomiopatia Hipertrófica: Tipo de doença do músculo cardíaco caracterizada por HIPERTROFIA VENTRICULAR ESQUERDA ou HIPERTROFIA VENTRICULAR DIREITA, envolvimento assimétrico frequente do SEPTO CARDÍACO e volume ventricular esquerdo normal ou reduzido. Entre os fatores de risco estão HIPERTENSÃO, ESTENOSE AÓRTICA e MUTAÇÃO gênica, (CARDIOMIOPATIA HIPERTRÓFICA FAMILIAR).Digoxina: Glicosídeo cardiotônico obtido principalmente da Digitalis lamata. Consiste em três açúcares e da DIGOXIGENINA aglicona. A digoxina tem atividade inotrópica positiva e cronotrópica negativa. É utilizada para controlar a velocidade ventricular na FIBRILAÇÃO ATRIAL e no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva com fibrilação atrial. Seu uso na insuficiência cardíaca congestiva e no ritmo do seio é menos certo. A margem entre as doses tóxica e terapêutica é pequena. (Tradução livre do original: Martindale, The Extra Pharmacopoeia, 30th ed, p666).Segurança de Equipamentos: Liberdade de riscos reais ou potenciais do equipamento.Hipotermia: Temperatura corporal mais baixa que o normal, especialmente em animais de sangue quente.Fibras Parassimpáticas Pós-Ganglionares: Fibras nervosas que emitem projeções dos gânglios parassimpáticos para os órgãos alvo. Fibras parassimpáticas pós-ganglionares utilizam a acetilcolina como transmissor. Podem também liberar cotransmissores peptídicos.Telemetria: Transmissão de leituras de instrumentos a longa distância por meio de fios, ondas de rádio, ou outro meio. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 4th ed)Nervo Vago: O décimo nervo craniano. O nervo vago é um nervo misto que contém fibras aferentes somáticas (da pele da região posterior da orelha e meato acústico externo), fibras aferentes viscerais (da faringe, laringe, tórax e abdome), fibras eferentes parassimpáticas (para o tórax e abdome) e fibras eferentes para o músculo estriado (da laringe e faringe).Mortalidade Hospitalar: Registro ou coleta de dados referentes à mortalidade por quaisquer causas em grupos de indivíduos hospitalizados.Arritmia Sinusal: FREQUÊNCIA CARDÍACA irregular causada por função anormal do NÓ SINOATRIAL. Caracteriza-se por alteração maior que 10 por cento entre o comprimento do ciclo sinusal máximo e mínimo ou 120 milissegundos.Angiografia Coronária: Radiografia do sistema vascular do músculo cardíaco, após injeção de um meio de contraste.Hemorragia: Sangramento ou escape de sangue [a partir] de um vaso.Propanolaminas: AMINO ÁLCOOIS que contêm o grupo propanolamina (NH2CH2CHOHCH2) e seus derivados.Estudos de Coortes: Estudos em que os subconjuntos de uma certa população são identificados. Estes grupos podem ou não ser expostos a factores hipotéticos para influenciar a probabilidade da ocorrência de doença em particular ou outros desfechos. Coortes são populações definidas que, como um todo, são seguidos de uma tentativa de determinar as características que distinguem os subgrupos.Suporte Vital Cardíaco Avançado: Uso de métodos sofisticados e equipamentos para tratar parada cardiopulmonar. O Suporte Vital Cardíaco Avançado (SVCA-ACLS) inclui o uso de equipamento especializado para manter as vias respiratórias, desfibrilação precoce e terapia farmacológica.

*  Fibrilhação ventricular - Wikipedia

Reproduzir conteúdo A fibrilação ventricular é um tipo de arritmia cardíaca. Acontece quando não existe sincronicidade na ... Fibrilhação (português europeu) ou Fibrilação (português brasileiro) Ventricular (FV), determinada inicialmente por Carl Ludwig ... A fibrilação ocorre devido a uma situação patológica em que a progressão do estímulo proveniente do átrio não chega a entrar no ...

*  Pesquisa: Fibrilacao Ventricular | MedicinaNET

Fibrilação atrial ...quando um controle de frequência ventricular mais rápido é necessário, a administração intravenosa de ... Taquicardia ventricular: O diagnóstico de taquicardia ventricular (TV) é dado pela ocorrência de uma série de três ou mais ... extrassístoles ventriculares bigeminadas, taquicardia ventricular bidirecional. Os efeitos extracardía...... ... Tonturas em paciente com fibrilação atrial ...r). Tratamento O tratamento neste paciente é feito com a suspensão imediata de ...

*  Fibrilação - Wikipedia

... ou ventricular (fibrilação ventricular), com ritmo muito acelerado e irregular. Fibrilação auricular Fibrilação ventricular. ... Fibrilação ou fibrilhação é um tipo de arritmia caracterizada pela origem anárquica do estímulo eléctrico cardíaco a nível do ...

*  Lidocaína - Wikipedia

Taquicardia ventricular, especialmente pós Infarto agudo do miocárdio(IAM), é a primeira escolha. Fibrilação ventricular, ...

*  Potencial de ação - Wikipedia

No coração, pode levar a fibrilação ventricular ou assistolia. Devido à importância dos canais iônicos, principalmente de sódio ... pode ocorrer fibrilação. A junção neuro muscular é um local de estudo relativamente simples e acessível à experimentação. Neste ...

*  Física - eletricidade e Fís. Moderna questões de vestibular 2010

e) i , 100mA: asfixia imediata, fibrilação ventricular, morte. (UFMS-2010.1) - RESPOSTA: SOMA = 007 (001+002+004) Duas lâmpadas ... é um aparelho capaz de liberar rapidamente energia armazenada para combater a fibrilação nas vítimas de ataques cardíacos. ...

*  Desfibrilação - Wikipedia

1850 - Carl Ludiwig ( 1816 - 1895 ), relata a fibrilação ventricular após indução elétrica. 1874 - A. VUlpian, descreve a ... ou fibrilação ventricular, presente em 90% das paradas cardíacas. Efetua a leitura automática do ritmo cardíaco através de pás ... é reverter um quadro de fibrilação auricular ou ventricular. A reversão ou cardioversão se dá mediante a aplicação de descargas ...

*  Anatomia Sistêmica - Nader Wafae

se produz em conseqüência de arritmias ventriculares (taquicardia ou fibrilação ventricular) desencadeadas por cardiopatias ... As complicações mais graves são: arritmias ventriculares (taquicardia ou fibrilação ventricular). acidente vascular encefálico ... A fibrilação ventricular é uma arritmia extremamente grave. alcoolismo. As causas dependem de alterações na formação ou na ... emite ramos ventriculares posteriores e ramos septais. na metade inferior desse sulco ou no ápice. a cardíaca parva ou pequena ...

*  Arritmia cardíaca - Wikipedia

Entre os subtipos de arritmias ventriculares estão a fibrilação ventricular e a taquicardia ventricular. As arritmias têm ... Arritmias ventriculares Ritmo idioventricular Ritmo idioventricular acelerado Taquicardia ventricular Fibrilação ventricular ... Na Europa e na América do Norte, em 2014 a fibrilação arterial afetava entre 2 e 3% da população. Em 2013, a fibrilação ... Cerca de 80% dos casos de morte súbita cardíaca são causados por arritmias ventriculares. Embora as arritmias possam ocorrer em ...

*  MANUAL DE EMERGÊNCIAS CORPO DE BOMBEIROS

A fibrilação ventricular tem que ser tratada com desfibrilação. Chamar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via ... Iniciar e manter a RCP se forem constatadas parada cardíaca ou fibrilação ventricular (os sinais são os mesmos: ausência de ... Queimaduras ● Fibrilação ventricular (choque de baixa voltagem) ● Parada cardiopulmonar ● Fraturas Queimaduras Por arco ... a passagem da mesma corrente pelo coração pode determinar gravíssima fibrilação ventricular. menor a corrente). Curso ASU - ...

*  CID 10 I49 Outras arritmias cardíacas - Doenças CID-10

Flutter e fibrilação ventricular. CID 10 - I49.1 Despolarização atrial prematura. CID 10 - I49.2 Despolarização juncional ...

*  Pesquisa: Resinas de Troca Ionica | MedicinaNET

... fibrilação ventricular ou assistolia. O tratamento inclui medidas para controlar as manifestações da hipercalemia, como o ...

*  Enver Hoxha - Wikipedia

Na manhã do dia 9 de abril de 1985, uma fibrilação ventricular ocorreu de modo inesperado. Apesar da intensa medicação, as ...

*  Morte súbita - Wikipedia

As arritmias cardíacas responsáveis são geralmente as taquicardias ventriculares seguidas de fibrilação ventricular e parada ... geralmente por aneurismas congênitos que se rompem arritmias com frequências ventriculares extremamente altas, tal como pode ...

*  Medicamentos | epgonline.org

Paragem cardíaca e fibrilação ventricular. F. * Fibrose cística. D. * Diabetes mellitus sem complicações. Tipo 1 ou 2 ...

*  Miklós Fehér - Wikipedia

O médico legista mais tarde anunciou que Fehér morreu devido a uma fibrilação ventricular devido a uma cardiomiopatia ...

*  NR-10 - Portugues

Fibrilação ventricular se t = 1 minuto 5A Queimaduras, asfixia, fibrilação ... NR-10 O choque elétrico Mecanismos e efeitos Intensidade Efeito 10 a 100 μA Fibrilação ventricular em pacientes "eletricamente ... Pode causar fibrilação ventricular • Provoca queimaduras • Pode causar inconsciência ou morte * 15. NR-10 O choque elétrico ...

*  Portal Saude Direta - Protocolos

Algoritmo para Tratamento da Fibrilação Ventricular (FV) e Taquicardia Ventricular (TV) sem Pulso Tratamento do IAM SOCERJ ...

*  Bupivacaína - Wikipedia

Assim como outros anestésicos locais, quando administrada por via intravenosa causa arritmia ventricular, fibrilação ... ventricular e colapso cardiovascular difíceis de reverter. Por isso deve ser administrado em local com equipe treinada, ...

*  Pesquisa: Sedacao e Analgesia em Breve | MedicinaNET

... são de origem ventricular): taquicardia ventricular; fibrilação ventricular e taquicardia supraventricular com aberrância de ... taquicardia sinusal; fibrilação atrial; flutter atrial; taquicardia atrial; taquicardia por reentrada nodal; taquicardia ...

*  HALOPERIDOL - Bula HALOPERIDOL

Muito raro / Torsade de pointes, fibrilação ventricular, taquicardia ventricular, extrasístole Distúrbios do mediastino, ... O risco de prolongamento do intervalo QT e/ou arritmia ventricular pode ser aumentado em casos de doses mais elevadas, ou com o ... Existe também um risco de arritmias ventriculares associadas a um prolongamento do intervalo QT. Tratamento Como não existem ... Relatos muito raros de prolongamento do intervalo QT e/ou arritmias ventriculares em adição aos raros casos de morte súbita tem ...

*  Infarto agudo do miocárdio - Wikipedia

... em geral por uma arritmia severa denominada Fibrilação ventricular. Nos Estados Unidos, cerca de 25% das mortes são devidas a ... O grau de disfunção ventricular esquerda é um dos fatores de risco mais importantes na sobrevida pós IAM. Cerca de 30% a 50% ... A terceira bulha relaciona-se com a gravidade da disfunção ventricular. O precórdio é geralmente invisível e o ictus cordis ... Naqueles em que a área necrosada supera os 40% da massa ventricular esquerda têm alto risco de evoluírem com Insuficiência ...

*  Toracotomia de emergência - Wikipedia

... especialmente em caso de fibrilação ventricular ou taquicardia. A energia necessária é reduzida para 15-30 J. O clampeamento da ... Sutura para reparo de lacerações ventriculares requer considerável destreza e controle do sangramento enquanto se faz múltiplas ... resultando em compressão ventricular do ápice para a base do coração. Uma técnica de massagem com apenas uma mão também é ... excessivo de carga de fluido durante o clampeamento pode levar a insuficiência cardíaca como resultado de dilatação ventricular ...

*  Suporte avançado à vida - Wikipedia

... fibrilação ventricular e taquicardia ventricular sem pulso; assistolia; e a atividade elétrica sem pulso (dissociação ...

*  Atrofias Olivopontocerebelares - lookfordiagnosis.com

Disfunção Ventricular Esquerda. * Disfunção Ventricular Direita. * Fibrilação Ventricular. * Obstrução Do Fluxo Ventricular ...

Fibrilação auricularAntiarrítmico: Os Antiarrítmicos são constituídos por quatro grupos de fármacos utilizados no tratamento das arritmias do coração.Desfibrilação: A desfibrilação é a aplicação de uma corrente elétrica em um paciente, através de um desfibrilador, um equipamento eletrônico cuja função é reverter um quadro de fibrilação auricular ou ventricular. A reversão ou cardioversão se dá mediante a aplicação de descargas elétricas no paciente, graduadas de acordo com a necessidade.AmiodaronaAmerican Kennel Club: American Kennel Club (ou AKC), é um dos maiores clubes de registro de genealogias de cachorro de sangue puro nos Estados Unidos. Fundado em 1884, o AKC registrou só em 2006 mais de 900.Taquicardia: Taquicardia é um termo médico utilizado para designar um aumento da frequência cardíaca. Convenciona-se como normal no ser humano uma frequência cardíaca entre 60 e 100 batimentos por minuto.SobretreinamentoProcainamidaAchy Breaky Heart: "Achy Breaky Heart" é uma canção escrita por Don Von Tress, e gravada pelo cantor country Billy Ray Cyrus, lançada em 1992 no álbum Some Gave All. Tornou-se o primeiro single a atingir o status de platina triplo na Austrália e o mais vendido no país em 1992.FlecainidaVarfarinaAnticoagulante: Os anticoagulantes são os fármacos usados para prevenir a formação de trombos sanguíneos. O sangue fora das veias sofre um processo chamado de coagulação, no qual aglomera os elementos figurados (sólidos) para impedir o vazamento do mesmo.Bloqueio do ramo direito do feixe de His: Bloqueio do ramo direito do feixe de His (de Wilhelm His, anatomista) é uma arritmia cardíaca na qual o impulso elétrico provindo do nódulo átrio-ventricular não passa através do ramo direito do feixe de His, mas apenas através do ramo esquerdo do feixe de His.LidocaínaParamédico: Paramédicos são profissionais habilitados da carreira do socorro pré-hospitalar, cuja categoria profissional lhes permite a aplicação de técnicas médicas em ambiente extra-hospitalar.SotalolSíncope (medicina)PropafenonaDemodulação: Demodulação no caso da demodulação Amplitude Modulada (AM), o sinal de radiofreqüência é convertido pelo estágio de sintonia em FI (freqüência intermediária)e após este estágio, o sinal de FI é convertido em áudio .HipocaliemiaEletrofisiologia do coração: A eletrofisiologia cardíaca é a ciência que explica, diagnostica e trata as atividades elétricas do coração. O termo é geralmente utilizado para descrever os estudos desses fenômenos por meio de cateteres invasivos (intracardíaco) que registram a atividade espontânea do órgão, assim como através de respostas cardíacas a estimulações elétricas programadas.Taquicardia supraventricularAcidente vascular cerebralSíndrome do nó sinusalEletrodo de referênciaQuinidina


taquicardia ventricular

  • Entre os subtipos de arritmias ventriculares estão a fibrilação ventricular e a taquicardia ventricular. (wikipedia.org)
  • A taquicardia ventricular consiste em uma taquicardia originada em um dos ventrículos do coração. (wikipedia.org)
  • A taquicardia ventricular mantida pode ser perigosa e costuma requerer um tratamento de emergência, devido ao fato de os ventrículos não poderem se encher adequadamente nem exercer a sua função de bombeamento. (wikipedia.org)
  • Existe também o risco de a taquicardia ventricular se agravar e de se transformar em fibrilação ventricular (uma forma de paragem cardíaca). (wikipedia.org)
  • Embora a taquicardia ventricular possa produzir poucos sintomas, inclusive em frequências de até 200 batimentos por minuto, é extremamente perigosa. (wikipedia.org)
  • O diagnóstico de taquicardia ventricular efectua-se mediante um electrocardiograma (ECG). (wikipedia.org)
  • Reproduzir conteúdo Deve tratar-se qualquer episódio de taquicardia ventricular que produza sintomas, assim como os que duram mais de 30 segundos, mesmo se forem assintomáticos. (wikipedia.org)
  • Para suprimir a taquicardia ventricular administra-se lidocaína ou um fármaco semelhante por via endovenosa. (wikipedia.org)
  • Se os episódios de taquicardia ventricular persistirem, efectua-se um estudo electrofisiológico e experimentam-se outros fármacos. (wikipedia.org)
  • A taquicardia ventricular mantida é provocada por uma pequena zona anómala nos ventrículos, a qual, por vezes, pode ser extirpada cirurgicamente. (wikipedia.org)
  • Em algumas das pessoas que sofrem uma taquicardia ventricular que não responde ao tratamento farmacológico, pode implantar-se um dispositivo chamado desfibrilador automático para cardioversão. (wikipedia.org)
  • taquicardia ventricular é um tipo de distúrbio do ritmo cardíaco (arritmia), no qual as câmaras inferiores do seu coração (ventrículos) bater muito rapidamente devido a um problema no sistema eléctrico do seu coração. (ilorena.com)
  • Em taquicardia ventricular, seu coração pode não ser capaz de bombear sangue suficiente para o seu corpo e os pulmões porque as câmaras estão batendo tão rápido que eles não têm tempo para preencher corretamente. (ilorena.com)
  • taquicardia ventricular pode ser breve - durou apenas alguns segundos e muitas vezes não causa sintomas - ou ele pode durar muito mais tempo, e você pode desenvolver sintomas tais como tonturas ou vertigens, ou você pode até desmaiar. (ilorena.com)
  • taquicardia ventricular pode levar a uma condição na qual os seus câmaras cardíacas mais baixas quiver (fibrilação ventricular), que podem fazer com que seu coração parar (parada cardíaca súbita) e levar à morte se não for tratada imediatamente. (ilorena.com)
  • taquicardia ventricular também pode fazer com que seu coração parar, especialmente se o coração está batendo muito rapidamente, se ele é duradouro por um longo período, e se você tiver uma condição cardíaca subjacente. (ilorena.com)

auricular

  • Fibrilação ou fibrilhação é um tipo de arritmia caracterizada pela origem anárquica do estímulo eléctrico cardíaco a nível do miocárdio auricular (fibrilação auricular) ou ventricular (fibrilação ventricular), com ritmo muito acelerado e irregular. (wikipedia.org)
  • prevenção de fibrilação auricular por disfunção nervosa (do nervo vago). (wikipedia.org)
  • Entre os subtipos de taquicardias supraventriculares estão a fibrilação auricular, flutter atrial e taquicardia supraventricular paroxística. (wikipedia.org)
  • Em 2013, a fibrilação auricular e o flutter auricular foram a causa de 112 000 mortes, um aumento em relação às 29 000 em 1990. (wikipedia.org)
  • Fibrilação auricular ou fibrilhação auricular é um ritmo cardíaco anormal caracterizado por batimentos rápidos e irregulares. (wikipedia.org)
  • Os fatores de risco modificáveis mais comuns da fibrilação auricular são a hipertensão arterial e as valvulopatias. (wikipedia.org)
  • Um ECG de fibrilação auricular revela não existirem ondas P e um ritmo ventricular irregular. (wikipedia.org)
  • A fibrilação auricular é geralmente tratada com medicamentos que diminuem a frequência cardíaca para valores normais ou que convertem o ritmo para o ritmo sinusal normal. (wikipedia.org)
  • A fibrilação auricular é a arritmia cardíaca grave mais comum. (wikipedia.org)
  • A percentagem de pessoas com fibrilação auricular aumenta com a idade, sendo afetadas 0,14% das pessoas com menos de 50 anos, 4% das pessoas entre 60 e 70 anos e 14% das pessoas com mais de 80 anos. (wikipedia.org)
  • O primeiro registo da fibrilação auricular em eletrocardiograma foi feita por Thomas Lewis em 1909. (wikipedia.org)
  • Quando surge subitamente um episódio de fibrilação auricular paroxística, o paciente sente dispneia e cansaço, podendo, dependente da patologia cardíaca associada, desencadear um pré-edema pulmonar. (wikipedia.org)
  • Quando já existem sintomas por doença cardíaca pré-existente, o aparecimento da fibrilação auricular vai agravar esses sintomas. (wikipedia.org)
  • A fibrilação auricular é frequente no pós operatório de algumas cirurgias cardíacas. (wikipedia.org)
  • É extremamente raro que a fibrilação auricular leve a um estado de choque cardiogénico. (wikipedia.org)

pode ser

  • Reproduzir conteúdo Na maioria das vezes, os pacientes diagnosticados com fibrilação apresentam arritmia cardíaca que pode ser causada por malformações presentes desde o nascimento, danos na estrutura do coração causados por infartos ou problemas em determinadas válvulas cardíacas. (wikipedia.org)

arritmia

  • Existem quatro tipos principais de arritmia: batimentos adicionais, taquicardias supraventriculares, arritmias ventriculares e bradiarritmias. (wikipedia.org)
  • Reproduzir conteúdo A fibrilação ventricular é um tipo de arritmia cardíaca. (wikipedia.org)

ritmo

  • Nela o ritmo ventricular é de pelo menos 120 por minuto, estando geralmente acima dos 150 por minuto. (wikipedia.org)

irregular

  • Fibrilhação (português europeu) ou Fibrilação (português brasileiro) Ventricular (FV), determinada inicialmente por Carl Ludwig(1816-1895), é uma situação patológica caracterizada por traçado irregular, de amplitude variada e ondas grosseiras. (wikipedia.org)

tipo

  • Também chamado de atípico ou tipo II, é uma situação intermediária entre a Fibrilação Atrial, de atividade elétrica plenamente aleatória, e o Flutter típico, regular, não tendo todos os critérios diagnósticos deste. (wikipedia.org)

origem

  • Estes consistem em interferências com o sistema parassimpático (sistema autónomo nervoso): *Boca seca Obstipação Retenção urinária Efeitos Adversos possíveis: Confusão mental Convulsões Supressão eficaz de batimentos ectópicos de origem ventricular. (wikipedia.org)

atrial

  • Isto ocorre por uma refratariedade do nó átrio-ventricular e/ou sistema His Purkinje ao batimento atrial, quer de maneira fisiologica (precocidade da extrassístole) ou patológica (doença no sistema). (wikipedia.org)
  • A freqüência atrial se situa entre 240 e 340 batimentos por minuto, mas comumente há bloqueio 2:1 ou 3:1 em relação a condução átrio ventricular. (wikipedia.org)

arterial

  • Na Europa e na América do Norte, em 2014 a fibrilação arterial afetava entre 2 e 3% da população. (wikipedia.org)

arritmias

  • Cerca de 80% dos casos de morte súbita cardíaca são causados por arritmias ventriculares. (wikipedia.org)

ocorre

  • A fibrilação ocorre devido a uma situação patológica em que a progressão do estímulo proveniente do átrio não chega a entrar no ventrículo, formando como que um ciclo dentro do próprio átrio. (wikipedia.org)

batimentos

  • Entre os subtipos de batimentos adicionais estão as contrações atriais prematuras e as contrações ventriculares prematuras. (wikipedia.org)

casos

  • Este risco existe sobretudo nos casos de fibrilação paroxítica e é quando o nódulo sinusal retoma o comando que os coágulos são ejectados para a aorta e desta seguem pelas carótidas em direção ao cérebro. (wikipedia.org)