Coluna Vertebral: Coluna vertebral ou espinal.Vértebras Torácicas: Grupo de doze vértebras conectadas às costelas que sustentam a região superior do tronco.Fusão Vertebral: Imobilização ou ancilose operatória de duas ou mais vértebras, por fusão dos corpos vertebrais com um curto enxerto ósseo ou muitas vezes com discectomia ou laminectomia.Cifose: Deformidade da COLUNA VERTEBRAL caracterizada por uma convexidade exagerada da coluna vertebral. A flexão anterior da região torácica geralmente é maior do que 40 graus. Esta deformidade é chamada algumas vezes de corcunda.Costelas: Conjunto de doze ossos curvos que se conectam à coluna vertebral posteriormente e terminam anteriormente às cartilagens costais. Juntas, elas formam uma proteção aos órgãos torácicos internos.Parafusos Ósseos: Dispositivos especializados usados em cirurgia em ORTOPEDIA para reparar fraturas ósseas.Lordose: A concavidade anterior da curvatura das espinhas lombar e cervical vistas de lado. O termo normalmente refere-se a um aumento anormal da curvatura (dorso em sela, dorso escavado, curvatura para trás). Ela não inclui a lordose como a postura normal de procriação de certos animais (POSTURA, COMPORTAMENTO SEXUAL ANIMAL).Fixadores Internos: Dispositivos internos usados na osteossíntese para manter a posição da fratura no alinhamento apropriado. Pela aplicação dos princípios de engenharia biomédica, o cirurgião utiliza placas de metal, pregos, barras, etc., para a correção dos defeitos do esqueleto.Vértebras Lombares: Vértebras na região inferior do DORSO abaixo da VÉRTEBRA TORÁCICA e acima da VÉRTEBRA SACRAL.Siringomielia: Cavidades longitudinais da medula espinhal, com maior frequência na região cervical, podendo se estender para múltiplos níveis espinhais. As cavidades são alinhadas por tecido gliogênico denso e podem estar associadas com NEOPLASIAS DA MEDULA ESPINHAL, lesões traumáticas da medula espinhal e malformações vasculares. A siringomielia é identificada clinicamente por dor e PARESTESIA, atrofia muscular das mãos e analgesia com termoanestesia de mãos e braços, porém com a sensação tátil preservada (dissociação sensorial). Espasticidade das extremidades inferiores e incontinência também podem se desenvolver. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p1269)Procedimentos Ortopédicos: Procedimentos utilizados para tratar e corrigir deformidades, doenças e lesões do SISTEMA MUSCULOSQUELÉTICO, articulações e estruturas associadas.Toracoplastia: Remoção cirúrgica de costelas, permitindo à parede torácica mover-se para dentro e colapsar um pulmão doente. (Dorland, 28a ed)Curvaturas da Coluna Vertebral: Deformidades da COLUNA VERTEBRAL caracterizadas por curvatura ou flexura na coluna vertebral. Elas podem estar curvadas para frente (CIFOSE), para trás (LORDOSE) ou lateralmente (ESCOLIOSE).Doenças Neuromusculares: Termo geral que engloba DOENÇA DOS NEURÔNIOS MOTORES, DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO e certas DOENÇAS MUSCULARES. Entre as manifestações estão FRAQUEZA MUSCULAR, FASCICULAÇÃO, ATROFIA muscular, ESPASMO, MIOQUIMIA, HIPERTONIA MUSCULAR, mialgias e HIPOTONIA MUSCULAR.Tração: Puxão em um membro ou de uma parte dele. A tração da pele (tração indireta) é aplicada pelo uso de uma bandagem para puxar sobre a pele e a faixa onde uma tração leve é requerida. A tração esquelética (tração direta), contudo, utiliza pinos ou fios inseridos no osso e é ligada a pesos, roldanas e cabos.Pelve: Espaço ou compartimento rodeado pela cintura pélvica (pelve óssea). É subdividida em pelve maior e PELVE MENOR. A cintura pélvica é formada pelos OSSOS PÉLVICOS e o SACRO.Malformação de Arnold-Chiari: Grupo de malformações congênitas que envolvem tronco cerebral, cerebelo, medula espinhal superior e estruturas ósseas subjacentes. O tipo II é o mais comum, caracterizado por compressão da medula e das tonsilas cerebelares para dentro do canal espinhal cervical superior e associado com MENINGOMIELOCELE. O tipo I tem características semelhantes, porém malformações menos graves, e não está associado com meningomielocele. O tipo III apresenta as características do tipo II e também uma herniação total do cerebelo, através do defeito ósseo (envolvendo o forame magno) formando ENCEFALOCELE. O tipo IV é uma forma de hipoplasia cerebelar. Entre as manifestações clínicas dos tipos I-III estão TORCICOLO, opistótono, CEFALEIA, VERTIGENS, PARALISIA DAS CORDAS VOCAIS, APNEIA, NISTAGMO CONGÊNITO, dificuldade para deglutição e ATAXIA. (Tradução livre do original: Menkes, Textbook of Child Neurology, 5th ed, p 261; Davis, Textbook of Neuropathology, 2nd ed, pp 236-46).Doença de Scheuermann: Tipo de osteocondrose juvenil que afeta o disco fibrocartilaginoso (DISCO INTERVERTEBRAL) nas regiões torácica ou toracolombar da COLUNA VERTEBRAL. É caracterizada por uma concavidade à frente na CURVATURA DA COLUNA VERTEBRAL ou CIFOSE.Dorso: Superfície posterior de um primata na vertical a partir dos ombros até o quadril, ou a superfície dorsal de tetrápodes.Fotogrametria: Fazer medições através do uso de fotografias estereoscópicas.Resultado do Tratamento: Estudos conduzidos com o fito de avaliar as consequências da gestão e dos procedimentos utilizados no combate à doença de forma a determinar a eficácia, efetividade, segurança, exequibilidade dessas intervenções.Disco Intervertebral: Qualquer uma das 23 placas de fibrocartilagem encontrada entre os corpos de VÉRTEBRAS adjacentes.Estudos Retrospectivos: Estudos nos quais os dados coletados se referem a eventos do passado.Postura: Posição ou atitude do corpo.Radiografia: Exame de qualquer parte do corpo para propósitos diagnósticos por meios de RAIOS X ou RAIOS GAMA, registrando a imagem em uma superfície sensibilizada (como um filme fotográfico).Rotação: Movimento de um objeto em que um ou mais pontos sobre uma linha estão fixos. Também é o movimento de uma partícula sobre um ponto fixo (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 4th ed).Topografia de Moiré: Método de morfometria tridimensional no qual a área de contorno de mapas é produzida pela interferência da sobreposição das margens criadas quando um objeto é iluminado por feixes de luz coerentes emitidas de duas fontes diferentes.Síndrome de Sotos: Síndrome de supercrescimento congênito ou pós-natal que afeta com maior frequência a altura e a circunferência occipitofrontal com desenvolvimentos motor e cognitivo atrasados. Outras características associadas incluem idade óssea avançada, convulsões, ICTERÍCIA NEONATAL, HIPOTONIA e ESCOLIOSE. Também está associado com aumento do risco para desenvolver neoplasias na idade adulta. Mutações na proteína NSD1 e HAPLOINSUFICIÊNCIA do gene que a codifica estão associadas com a síndrome.Aparelhos Ortopédicos: Aparelhos utilizados para suportar, alinhar, prevenir ou corrigir deformidades ou melhorar a função de partes móveis do corpo.Ossos Pélvicos: Conjunto dos ossos que constituem cada metade da cintura pélvica em VERTEBRADOS, formados pela fusão do ÍLEO, ÍSQUIO e OSSO PÚBICO.Pseudoartrose: Afecção caracterizada por desossificação de um osso longo que suporta peso, seguida por encurvamento e fratura patológica, com incapacidade para formar CALO ÓSSEO normal, levando à existência da "articulação falsa" que dá o nome à afecção. (Tradução livre do original: Dorland, 27th ed)Toracotomia: Incisão cirúrgica na parede do tórax.Distrofia Muscular de Duchenne: Doença muscular recessiva ligada ao X causada por uma inabilidade para a síntese de DISTROFINA que está envolvida em manter a integridade do sarcolema. As fibras musculares passam por um processo que apresenta degeneração e regeneração. As manisfestações clínicas incluem fraqueza proximal nos primeiros anos de vida, pseudohipertrofia, cardiomiopatia (ver DOENÇAS DO MIOCÁRDIO) e uma incidência aumentada de prejuízo das funções mentais. A distrofia muscular de Becker é uma afecção proximamente relacionada apresentando um início tardio de doença, normalmente na adolescência, e progressão lenta.Potenciais Somatossensoriais Evocados: Resposta elétrica evocada no CÓRTEX CEREBRAL, por estimulação [de qualquer ponto] das VIAS AFERENTES desde os NERVOS PERIFÉRICOS até o CÉREBRO.Complicações Pós-Operatórias: Processos patológicos que afetam pacientes após um procedimento cirúrgico. Podem ou não estar relacionados à doença pela qual a cirurgia foi realizada, podendo ser ou não resultado direto da cirurgia.Fenômenos Biomecânicos: Propriedades, processos e comportamento de sistemas biológicos sob ação de forças mecânicas.Mielografia: Visualização da medula através de raio x, após injeção de um meio de contraste no espaço aracnóideo espinhal.Transtornos da Motilidade Ocular: Transtornos caracterizados por deficiência dos movimentos oculares como manifestação primária da doença. Estas doenças podem dividir-se em transtornos infranucleares, nucleares e supranucleares. As doenças dos músculos oculares ou dos nervos cranianos oculomotores (III, IV, e VI) são consideradas infranucleares. Os transtornos nucleares são causados por doenças dos núcleos oculomotor, troclear ou abducente do TRONCO CEREBRAL. Os transtornos supranucleares são resultantes de disfunção dos sistemas motor e sensorial de ordem superior que controlam os movimentos oculares, incluindo as redes neuronais no CÓRTEX CEREBRAL, GÂNGLIOS DA BASE, CEREBELO e TRONCO CEREBRAL. O torcicolo ocular se refere a um decúbito inclinado da cabeça causado por um desalinhamento ocular. Opsoclono se refere a oscilações rápidas e conjugadas dos olhos em múltiplas direções que podem ocorrer como uma afecção parainfecciosa ou paraneoplásica (ex. SÍNDROME OPSOCLONO-MIOCLONO). (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p240)Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original: Stedman, 25a ed)Meningomielocele: Herniação congênita ou raramente adquirida dos tecidos meníngeos e da medula espinhal, devido a defeito ósseo na coluna vertebral. A maioria destes defeitos ocorre na região lombossacral. Entre os sinais clínicos estão PARAPLEGIA, perda da sensação na parte inferior do corpo e incontinência. Esta afecção pode estar associada com MALFORMAÇÃO DE ARNOLD-CHIARI e HIDROCEFALIA. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1992, Ch55, pp35-6)Seguimentos: Estudos nos quais indivíduos ou populações são seguidos para avaliar o resultado de exposições, procedimentos ou efeitos de uma característica, por exemplo, ocorrência de doença.Sacro: Cinco vértebras fundidas que formam uma estrutura em forma de triângulo atrás da PELVE. Articula na parte superior com a VÉRTEBRA LOMBAR, na parte inferior com o CÓCCIX e anteriormente com o ÍLEO da PELVE. O sacro reforça e estabiliza a PELVE.Doenças da Coluna VertebralImagem Tridimensional: Processo de geração de imagens tridimensionais por métodos eletrônicos, fotográficos, ou outros. Por exemplo, imagens tridimensionais podem ser geradas por montagem de imagens tomográficas variadas, com o auxilio de um computador, enquanto as imagens fotográficas em 3-D (HOLOGRAFIA) podem ser feitas por exposição de filme ao padrão de interferência criado quando duas fontes de luzes a laser iluminam sobre um objeto.Região Lombossacral: Região das costas que inclui as VÉRTEBRAS LOMBARES, o SACRO e estruturas adjacentes.Anormalidades Musculoesqueléticas: As anormalidades estruturais congênitas e deformidades do sistema musculoesquelético.Doenças Torácicas: Transtornos que afetam os órgãos do tórax.Receptor MT2 de Melatonina: Subtipo de receptor de melatonina inicialmente encontrado e expressado no ENCÉFALO e na RETINA.Fios Ortopédicos: Fios de aço, usados para fixar ossos quebrados, em geral enfiados através da pele, tecidos macios e osso. Fios de Kirschner ou aparelhos também incluem a aplicação de tração ao osso cicatrizado através dos fios.Espondilolistese: Deslocamento para frente de um corpo vertebral superior sobre o corpo vertebral abaixo dele.Cuidados Pré-Operatórios: Cuidados dispensados no período anterior à cirurgia, quando os preparativos psicológicos e físicos são feitos, de acordo com as necessidades especiais e individuais do paciente. Este período compreende o intervalo entre a admissão ao hospital e o início da cirurgia.Disrafismo Espinal: Defeitos congênitos de fechamento de um ou mais arcos vertebrais que podem estar associados com malformações da medula espinal, raizes de nervos, bandas fibrosas congênitas, lipomas e cistos congênitos. Estas malformações variam de suave (ex., ESPINHA BÍFIDA OCULTA) a grave, incluindo raquisquise, onde há insuficiência completa da fusão da medula espinal e do tubo neural resultando em exposição da medula espinal na superfície. O disrafismo espinal inclui todas as formas de espinha bífida. A forma aberta é chamada ESPINHA BÍFIDA CÍSTICA e a forma fechada é a ESPINHA BÍFIDA OCULTA. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1992, Ch55, p34)Moldes Cirúrgicos: Ataduras feitas de fibra de vidro, plástico, ou bandagem impregnada com emplastro de paris usadas para imobilização de várias partes do corpo em casos de fraturas, deslocamentos e ferimentos infectados. Em comparação com modelos de emplastro, modelos feitos de fibras de vidro ou plástico são leves, radiolucentes, hábeis a resistir à misturas e menos rígidos.Monitorização Intraoperatória: Verificação constante do estado ou condição de um paciente durante o curso de uma cirurgia (por exemplo, verificação dos sinais vitais).Paralisia Cerebral: Grupo heterogêneo de transtornos motores não progressivos causados por lesões cerebrais crônicas, que se originam no período pré-natal, período perinatal ou primeiros cinco anos de vida. Os quatro subtipos principais são espástico, atetoide, atáxico e paralisia cerebral mista, sendo a forma espástica a mais comum. O transtorno motor pode variar desde dificuldades no controle motor fino à espasticidade severa (v. ESPASTICIDADE MUSCULAR) em todos os membros. A diplegia espástica (doença de Little) é o subtipo mais comum, e é caracterizado por espasticidade mais proeminente nas pernas que nos braços. Esta afecção pode estar associada com LEUCOMALÁCIA PERIVENTRICULAR. (Tradução livre do original: Dev Med Child Neurol 1998 Aug;40(8):520-7)Dor nas Costas: Dor aguda ou crônica localizada nas regiões posteriores do TÓRAX, REGIÃO LOMBOSSACRAL ou regiões adjacentes.Radiografia Torácica: Visualização do peito e órgãos da cavidade torácica por raio x. Não está restrita à visualização dos pulmões.Anormalidades MúltiplasGêmeos UnidosDisplasia Fibrosa Óssea: Doença do osso marcada por adelgaçamento do córtex e substituição da medula óssea por tecido fibroso arenoso contendo espículas ósseas, produzindo dor, incapacidade, e deformidade que aumenta gradualmente. Pode comprometer apenas um osso (DISPLASIA FIBROSA MONOSTÓTICA) ou vários (DISPLASIA FIBROSA POLIOSTÓTICA).Progressão da Doença: Piora de uma doença ao longo do tempo. Este conceito é usado com mais frequência para doenças crônica e incuráveis, em que o estágio da doença é um determinante importante de terapia e prognóstico.Imagem por Ressonância Magnética: Método não invasivo de demonstração da anatomia interna baseado no princípio de que os núcleos atômicos em um campo magnético forte absorvem pulsos de energia de radiofrequência e as emitem como ondas de rádio que podem ser reconstruídas nas imagens computadorizadas. O conceito inclui técnicas tomográficas do spin do próton.Anormalidade Torcional: Torção ou rotação anormal de uma parte ou membro do corpo em seus eixos.Contratura: Encurtamento prolongado do músculo ou outro tecido mole ao redor de uma articulação, impedindo o movimento da articulação.Índice de Gravidade de Doença: Níveis dentro de um grupo de diagnósticos estabelecidos por vários critérios de medição aplicados à gravidade do transtorno de um paciente.Tomografia Computadorizada por Raios X: Tomografia utilizando transmissão por raio x e um computador de algoritmo para reconstruir a imagem.Síndrome de Rett: Transtorno hereditário do desenvolvimento neurológico associado com Herança Ligada ao Cromossomo X, podendo ser letal no útero em homens hemizigotos. As mulheres afetadas são normais até a idade de 6-25 meses, quando surgem a perda progressiva do controle voluntário dos movimentos de mãos e habilidades de comunicação, ATAXIA, ATAQUES, comportamento autístico, HIPERVENTILAÇÃO intermitente e o aparecimento de HIPERAMONEMIA. (Tradução livre do original: Menkes, Textbook of Child Neurology, 5th ed, p199)Glândula Pineal: Órgão neuroendócrino sensível à luz, ligado ao teto do TERCEIRO VENTRÍCULO cerebral. A glândula pineal secreta MELATONINA, outras AMINAS BIOGÊNICAS e neuropeptídeos.Síndrome de Aicardi: Distúrbio genético raro caracterizado por ausência parcial ou completa de CORPO CALOSO, resultando em espasmos infantis, RETARDO MENTAL e lesões na RETINA e no NERVO ÓPTICO.Capacidade Vital: Volume de ar que é exalado por uma expiração máxima seguido de uma inspiração máxima.Parede Torácica: Parede externa do tórax contendo PELE, FASCIA profunda, VÉRTEBRAS TORÁCICAS, COSTELAS, ESTERNO e MÚSCULOS.Equilíbrio Postural: POSTURA na qual é conseguida a distribuição ideal da massa corpórea. O equilíbrio postural provê a estabilidade na sustentação do corpo e condições para o funcionamento normal nas posições estática ou em movimento, tais como sentado, em pé ou durante o andar.Ortopedia: Especialidade cirúrgica que utiliza métodos médicos, cirúrgicos e físicos para tratar e corrigir deformidades, doenças e lesões no sistema esquelético, em suas articulações e estruturas associadas.Cuidados Pós-Operatórios: Período de cuidados que se inicia quando o paciente é removido da cirurgia, e que visa satisfazer as necessidades psicológicas e físicas do paciente logo após uma cirurgia.Canal Vertebral: Cavidade dentro da COLUNA VERTEBRAL pela qual a MEDULA ESPINAL passa.Músculos Paraespinais: Músculos das COSTAS cuja função é estender e rotacionar a COLUNA VERTEBRAL e manter a POSTURA. Consiste de esplênio, semiespinal, multífido, rotador, interespinais, intertransversais e sacrospinal.Genu Varum: Projeção das coxas para FORA de maneira que os joelhos ficam afastados e os tornozelos, juntos. O genu varum pode se desenvolver devido a displasias articulares e esqueléticas (ex.: OSTEOARTRITE, doença de Blount) e desnutrição (ex.: RAQUITISMO, INTOXICAÇÃO POR FLÚOR).Cirurgia Torácica Vídeoassistida: Cirurgia endoscópica da cavidade pleural feita com visualização através da transmissão por vídeo.Discotomia: Excisão, parcial ou total, de um DISCO INTERVERTEBRAL. A indicação mais comum é deslocamento de disco ou herniação. Além da remoção cirúrgica padrão, pode ser feita por discotomia percutânea (DISCOTOMIA PERCUTÂNEA) ou por discotomia laparoscópica, a anterior sendo a mais comum.Neuronavegação: Sistema de orientação e navegação intraoperatório em 3D assistido por computador, geralmente usado em neurocirurgia para rastrear ferramentas cirúrgicas e localizá-las em relação à anatomia 3D dos pacientes. A leitura diagnóstica pré-operatória é usada como referência e transferida para o campo cirúrgico durante a cirurgia.Degeneração do Disco Intervertebral: Alterações degenerativas no DISCO INTERVERTEBRAL devido a envelhecimento ou dano estrutural, especialmente nas placas vertebrais terminais.Pontos de Referência Anatômicos: Pontos de referência localizados por inspeção visual, palpação ou com o auxílio de computador que são úteis na localização de estruturas na superfície ou dentro do corpo humano.Pesos e Medidas Corporais: Medidas da altura, peso, comprimento, área, etc., do corpo humano e animal ou de suas partes.Marcha: Modo ou estilo de andar.Medula Espinal: Coluna cilíndrica de tecido subjacente dentro do canal vertebral. É composto de SUBSTÂNCIA BRANCA e SUBSTÂNCIA CINZENTA.Amplitude de Movimento Articular: A distância e direção para qual uma articulação óssea pode ser estendida. A amplitude de movimento é uma função da condição das articulações, músculos e tecidos conjuntivos envolvidos. A flexibilidade da articulação pode ser melhorada através de EXERCÍCIOS DE ALONGAMENTO MUSCULAR apropriados.Nervo Tibial: Ramo terminal medial do nervo ciático. As fibras do nervo tibial se originam dos segmentos lombar e sacral da medula espinhal (entre L4 e S2). Fornecem a inervação sensitiva e motora para partes da panturrilha e pé.Síndrome: Complexo sintomático característico.Descompressão Cirúrgica: Operação cirúrgica para aliviar a pressão em um compartimento do corpo. (Dorland, 28a ed)Testes de Função Respiratória: Medidas de vários processos envolvidos na respiração: inspiração, expiração, troca de oxigênio e dióxido de carbono, volume e deformação do pulmão, etc.Tórax em Funil: Anomalia do desenvolvimento na qual o esterno inferior está deslocado posteriormente e deformado de forma côncava, resultando num tórax em forma de funil.Eletrodiagnóstico: Diagnóstico de estados de doença pelo registro da atividade elétrica espontânea de tecidos ou órgãos ou pela resposta à estimulação de um tecido eletricamente excitável.Suporte de Carga: Estado físico de suportar uma carga aplicada. Refere-se frequentemente aos ossos ou articulações que sustentam o peso do corpo, especialmente os da coluna vertebral, quadril, joelho e pé.Desenvolvimento do Adolescente: Mudanças sequenciais contínuas (fisiológica e psicológica) durante a ADOLESCÊNCIA, aproximadamente entre 13 e 18 anos.Procedimentos Cirúrgicos Torácicos: Cirurgia feita nos órgãos torácicos, mais comumente nos pulmões e coração.Desigualdade de Membros Inferiores: Afecção em que uma das pernas do par deixou de crescer como a outra, que poderia resultar de lesão ou cirurgia.Oftalmoplegia: Paralisia de um ou mais músculos oculares devido a transtornos dos músculos dos olhos, junção neuromuscular, tecido mole de suporte, tendões ou enervação dos músculos.Desenho de Equipamento: Métodos de criação de máquinas e dispositivos.Variações Dependentes do Observador: Falha do observador ao medir ou identificar um fenômeno, que resulta num erro. Pode ser causado por omissão do observador ao não constatar alguma anormalidade, ou a utilização de técnicas inadequadas que resultem em medição equivocada, ou a interpretação equivocada dos dados. Existem dois tipos de variação, interobservador (o valor identificado pelos observadores varia de um para o outro) e intraobservador (o valor identificado por um mesmo observador varia entre observações quando relatadas mais de uma vez sobre o mesmo material).Síndrome Pós-Laminectomia: Afecção de dor e desconforto persistentes nas COSTAS e na PERNA após cirurgia lombar, frequentemente descrita em pacientes inscritos em CENTROS DE DOR.Equipamentos Ortopédicos: Itens não consumíveis usados no desempenho de cirurgia ortopédica e terapia relacionada. São diferentes de DISPOSITIVOS ORTÓTICOS, aparelhos usados para prevenir ou corrigir deformidades em pacientes.Atresia Esofágica: Anormalidade congênita caracterizada pela ausência de desenvolvimento completo do ESÔFAGO, que normalmente ocorre com FÍSTULA TRAQUEOESOFÁGICA. Entre os sintomas estão SALIVAÇÃO excessiva, ENGASGO, CIANOSE e DISPNEIA.Transplante Ósseo: Enxerto ósseo de um sítio doador a um sítio receptor.Complicações Intraoperatórias: Complicações que afetam pacientes durante a cirurgia. Podem estar ou não associadas à doença para a qual a cirurgia é realizada ou, dentro do mesmo procedimento cirúrgico.Antropometria: Ciência que estuda as medidas de peso, tamanho e proporções do corpo humano. (MAHAN & ESCOTT-STUMP 2002)Estudos Prospectivos: Estudos planejados para a observação de eventos que ainda não ocorreram.Perda Sanguínea Cirúrgica: Perda de sangue durante um procedimento cirúrgico.Falha de Equipamento: Falha do equipamento em desempenhar o padronizado. A falha pode ser devida a defeitos ou uso indevido.Deslocamento do Disco Intervertebral: DISCO INTERVERTEBRAL em que o núcleo pulposo protruiu-se através da fibrocartilagem adjacente. Isso ocorre com maior frequência na região lombar inferior.Coxeadura Animal: Marcha diferente da normal em animais.Equipamentos Cirúrgicos: Aparelhos não consumíveis utilizados durante procedimentos cirúrgicos. Diferenciam-se de INSTRUMENTOS CIRÚRGICOS, usualmente mantidos na mão e utilizados no campo operatório imediato.Laminectomia: Procedimento cirúrgico que recorre à remoção total (laminectomia) ou parcial (laminotomia) da lâmina vertebral selecionada para aliviar a pressão na MEDULA ESPINAL e/ou RAÍZES NERVOSAS ESPINHAIS. A lâmina vertebral é a parede posterior achatada e fina do arco vertebral que forma o forame vertebral através do qual passa a medula espinal e raizes nervosas.Ventilação Voluntária Máxima: Medida da quantidade máxima de ar que pode ser inspirado e expirado em um intervalo contínuo de 15 ou 20 segundos. As abreviações comuns são MVV e MBC.Avaliação da Deficiência: Determinação do grau de desvantagem física, mental ou emocional. O diagnóstico é feito por pessoal legalmente habilitado visando benefícios e rendimentos sobre seguros de incapacidade e aptidão à Seguridade Social e compensação de benefícios de trabalhadores.Tronco: Parte central do corpo à qual o pescoço e os membros estão ligados.Neoplasias da Medula Espinal: Neoplasias malignas e benignas que ocorrem dentro da substância da medula espinal (neoplasias intramedulares) ou no espaço entre a dura e a medula espinal (neoplasias extramedulares intradurais). A maioria dos tumores intramedulares é neoplasia primária do SNC, incluindo ASTROCITOMA, EPENDIMOMA e LIPOMA. As neoplasias intramedulares são muitas vezes associadas com SIRINGOMIELIA. Os tipos histológicos de tumores intradurais e extramedulares mais frequentes são MENINGIOMA e NEUROFIBROMA.Procedimentos Neurocirúrgicos: Cirurgia feita no sistema nervoso ou suas partes.Gráficos de Crescimento: Representações gráficas de peso e altura que mostram o desenvolvimento de um indivíduo ao longo do tempo.Disostoses: Formação defeituosa do osso envolvendo ossos individualmente ou em combinação.Reflexo Anormal: Resposta anormal a um estímulo aplicado aos componentes sensoriais do sistema nervoso. Pode ter a forma de reflexos elevados, diminuídos ou ausentes.Artrogripose: Flexão persistente ou contratura de uma articulação.Artrodese: A fixação cirúrgica de uma articulação por um procedimento destinado a realizar a fusão das superfícies articulares por promover a proliferação das células ósseas. (Dorland, 28a ed)Reflexo Abdominal: Contração dos músculos da parede abdominal ao estímulo da pele (reações abdominais superficiais) ou percussão de estruturas ósseas adjacentes (reações abdominais profundas). (Stedman, 25a ed)Titânio: Elemento metálico cinzento-escuro de distribuição muito ampla, mas que ocorre em pequenas quantidades. Possui número atômico 22, peso atômico 47,90, símbolo Ti, densidade 4. Usado para fixação de fraturas. (Dorland, 28a ed)Estatura: Distância do solo à coroa da cabeça com o corpo em pé na superfície plana e totalmente estendida.Quadril: Parte que se projeta de cada lado do corpo, formado pela borda da pelve e pela parte superior do fêmur.Neurofibromatose 1: Transtorno hereditário, autossômico e dominante (com alta frequência de mutações espontâneas) que apresenta alterações de desenvolvimento no sistema nervoso, músculos, ossos e pele, mais notadamente em tecidos derivados da CRISTA NEURAL embrionária. Múltiplas lesões hiperpigmentadas da pele e tumores subcutâneos são a marca registrada desta doença. Neoplasias do sistema nervoso central e periférico ocorrem com frequência, especialmente, o GLIOMA DO NERVO ÓPTICO e o NEUROFIBROSSARCOMA. A NF1 é causada por mutações que inativam o gene NF1 (GENES DA NEUROFIBROMATOSE 1) no cromossomo 17q. A dificuldade no aprendizado também é elevada nessa afecção. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, pp1014-18). Há uma sobreposição das características clínicas com a SÍNDROME DE NOONAN em uma síndrome denominada síndrome da neurofibromatose-Noonan. Ambos os produtos gênicos PTPN11 e NF1 estão envolvidos na via TRANSDUÇÃO DE SINAL do Ras (PROTEÍNAS RAS).Melatonina: Amina biogênica encontrada em animais e plantas. Em mamíferos, a melatonina é produzida pela GLÂNDULA PINEAL. Sua secreção aumenta no escuro e diminui durante a exposição luminosa. A melatonina está envolvida na regulação do SONO, humor e REPRODUÇÃO. A melatonina também é um antioxidante eficaz.Hemostasia Cirúrgica: Controle do sangramento durante ou após procedimentos cirúrgicos.PolôniaEstudos de Casos e Controles: Estudos epidemiológicos observacionais nos quais grupos de indivíduos com determinada doença ou agravo (casos) são comparados com grupos de indivíduos sadios (controles) em relação ao histórico de exposição a um possível fator causal ou de risco. (Tradução livre do original: Last, 2001)Fístula Traqueoesofágica: Passagem anormal entre ESÔFAGO e TRAQUEIA, adquirida ou congênita, frequentemente associada com ATRESIA ESOFÁGICA.Osteogênese Imperfeita: DOENÇAS DO COLÁGENO caracterizadas por ossos quebradiços, osteoporóticos e que se quebram com facilidade. Também podem se apresentar com esclera azulada, articulações soltas e formação imperfeita de dentina. A maioria é autossômica dominante e associada com mutações no COLÁGENO TIPO I.Paralisia: Termo geral normalmente usado para descrever a perda grave ou completa da força muscular devido à doença do sistema motor desde o nível do córtex cerebral até a fibra muscular. Este termo também pode ocasionalmente se referir à perda da função sensorial. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p45)Transtornos Neurológicos da Marcha: Anormalidades da marcha, que são manifestações de disfunção do sistema nervoso. Estas afecções podem ser causadas por uma ampla variedade de transtornos que afetam o controle motor, feedback sensorial e força muscular, incluindo: DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL, DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO, DOENÇAS NEUROMUSCULARES ou DOENÇAS MUSCULARES.Ombro: Parte do corpo nos seres humanos e primatas, em que os braços se ligam ao tronco. O ombro tem cinco articulações: ARTICULAÇÃO ACROMIOCLAVICULAR, articulação coracoclavicular (ou escapuloclavicular), articulação glenoumeral (ver ARTICULAÇÃO DO OMBRO), articulação escapulotorácica e ARTICULAÇÃO ESTERNOCLAVICULAR.Doenças do Desenvolvimento ÓsseoUtahReprodutibilidade dos Testes: Propriedade de se obter resultados idênticos ou muito semelhantes a cada vez que for realizado um teste ou medida. (Tradução livre do original: Last, 2001)Período Pós-Operatório: Período que se segue a uma operação cirúrgica.Craniectomia Descompressiva: Excisão de parte do crânio. Este procedimento é usado para tratar a pressão intracraniana elevada que não responde ao tratamento convencional.Insuficiência Respiratória: Incapacidade para proporcionar oxigênio adequado às células do organismo e para remover o excesso de dióxido de carbono. (Stedman, 25a ed)Reoperação: Operação refeita para a mesma doença, no mesmo paciente, devido à evolução ou recidiva da doença, ou como acompanhamento de cirurgia anterior que não atingiu seu objetivo.Serviços de Saúde Escolar: Serviços preventivos de saúde prestados a escolares, exclui estudantes universitários de escolas superiores.Estenose Espinal: O estreitamento do canal espinhal.Ílio: O maior dos três ossos que constituem cada metade da cintura pélvica.Fatores Etários: Idade como um elemento ou influência que contribui à produção de um resultado. Pode ser aplicável à causa ou efeito de uma circunstância. É usado com os conceitos humano e animal, mas devem ser diferenciados de ENVELHECIMENTO, um processo fisiológico, e FATORES DE TEMPO que se refere somente ao transcurso do tempo.Satisfação do Paciente: O grau pelo qual o indivíduo considera o serviço ou produto de saúde ou o modo pelo qual este é executado pelo provedor como sendo útil, efetivo ou que traz benefício.Neoplasias da Coluna Vertebral: Tumores e neoplasias localizados na coluna vertebral.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Doença Iatrogênica: Qualquer situação adversa que ocorra com um paciente como resultado de tratamento por um médico, cirurgião, ou outro profissional da área de saúde, especialmente infecções adquiridas pelo paciente no curso do tratamento.Consanguinidade: Magnitude da ENDOGAMIA em humanos.Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.Interpretação de Imagem Radiográfica Assistida por Computador: Sistemas computadorizados ou informatizados destinados a fornecer interpretação à informação radiográfica.Poecilia: Gênero de peixes vivíparos cyprinodontes que compreende os lebistes e barrigudinhos. Algumas espécies são virtualmente todas fêmeas e dependem do esperma de outras espécies para estimular o desenvolvimento do ovo. Poecilia é utilizada em estudos de carcinogenicidade, assim como pesquisas neurológicas e fisiológicas.Curva de Aprendizado: Trajetória do aprendizado de um indivíduo ou um grupo. É uma medida do desempenho ao longo do tempo.Interferometria: Medida das distâncias e movimentos por meio do fenômeno causado pela interferência de dois raios de luz (interferometria ótica) ou de som (interferometria acústica).Cementoplastia: Injeção de CEMENTOS DENTÁRIOS em ossos para tratar lesões ósseas.Período Intraoperatório: Período durante uma operação cirúrgica.Programas de Rastreamento: Tentativa de identificação de pessoas portadoras de uma doença ou agravo não evidente por meio de testes, exames, questionários ou outros procedimentos de aplicação rápida. O rastreamento classifica as pessoas em negativas ou positivas; estas (casos suspeitos) são encaminhadas para confirmação clínica de diagnóstico ou tratamento. (Tradução livre do original: Last, 2001)Osteoma Osteoide: Tumor benigno circunscrito de osso esponjoso que ocorre principalmente nos ossos das extremidades e das vértebras, com maior frequência em pessoas jovens. (Tradução livre do original: Dorland, 27th ed)Assimetria Facial: Assimetria congênita ou adquirida da face.Terapia por Estimulação Elétrica: Aplicação de corrente elétrica no tratamento, sem geração de calor perceptível. Inclui estimulação elétrica de nervos ou músculos, passagem de corrente no corpo, ou o uso de corrente ininterrupta de baixa intensidade para elevar o limiar de dor da pele.Gêmeos Monozigóticos: Dois descendentes originados da mesma GRAVIDEZ. Provêm de um ÓVULO fertilizado que se dividiu em dois EMBRIÕES. Tais gêmeos são geneticamente idênticos e do mesmo sexo.KentuckyDoenças em Gêmeos: Transtornos afetando GÊMEOS (um ou ambos) em qualquer idade.Modelos Animais de Doenças: Doenças animais ocorrendo de maneira natural ou são induzidas experimentalmente com processos patológicos suficientemente semelhantes àqueles de doenças humanas. São utilizados como modelos para o estudo de doenças humanas.Anestésicos Combinados: Dois ou mais compostos químicos usados simultânea ou sequencialmente para induzir anestesia. Essas drogas não precisam estar na mesma forma de dosagem.Pseudo-Obstrução Intestinal: Tipo de ILEUS, uma obstrução funcional e não mecânica dos INTESTINOS. É causada por um grande número de transtornos envolvendo os MÚSCULOS LISOS ou o SISTEMA NERVOSO.Núcleo Familiar: Família composta de cônjuges e seus filhos.Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos: Procedimentos utilizados para reconstruir, restaurar ou melhorar estruturas defeituosas, danificadas ou perdidas.Pé Torto: Pé deformado no qual o pé está em flexão plantar, invertido e aduzido.Pernas: Parte mais baixa, na extremidade inferior, entre o JOELHO e o TORNOZELO.LuxaçõesLigas: Mistura de elementos metálicos ou compostos com outros elementos metálicos e metaloides em proporções variadas.Modalidades de Fisioterapia: Modalidades terapêuticas frequentemente utilizadas em FISIOTERAPIA por FISIOTERAPEUTAS para melhorar, manter ou restaurar o bem-estar físico e fisiológico de um indivíduo.Fixadores Externos: Dispositivos externos que mantêm fios ou pinos que são colocados em um ou ambos os córtex de osso para manter a posição de uma fratura no alinhamento apropriado. Esses dispositivos permitem fácil acesso aos ferimentos, ajustamento durante o curso de cicatrização e uso mais funcional dos membros envolvidos.Nanismo: Traço genético ou afecção caracterizado por estatura baixa, inferior à da média. O crescimento esquelético anormal geralmente resulta em um adulto com estatura significativamente inferior à da média populacional.Imobilização: Restrição do MOVIMENTO do corpo ou partes do corpo por meios físicos (RESTRIÇÃO FÍSICA), ou quimicamente por ANALGESIA ou uso de TRANQUILIZANTES ou AGENTES NÃO DESPOLARIZANTES NEUROMUSCULARES. Inclui protocolos experimentais usados para avaliar os efeitos fisiológicos de imobilidade.Qualidade de Vida: Conceito genérico que reflete um interesse com a modificação e a aprimoramento dos componentes da vida, ex. ambiente físico, político, moral e social; a condição geral de uma vida humana.Período Pré-Operatório: Período antes de uma operação cirúrgica.Medidas de Volume Pulmonar: Medida da quantidade de ar que os pulmões podem conter em vários pontos no ciclo respiratório.Deficiência Intelectual: Funcionamento intelectual subnormal que se origina durante o período de desenvolvimento. Possui múltiplas etiologias potenciais, incluindo defeitos genéticos e lesões perinatais. As pontuações do quociente de inteligência (QI) são comumente utilizadas para determinar se um indivíduo possui deficiência intelectual. As pontuações de QI entre 70 e 79 estão na margem da faixa de retardo mental. As pontuações abaixo de 67 estão na faixa de retardo. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1992, Ch55, p28)Síndrome de Marfan: Transtorno autossômico dominante do TECIDO CONJUNTIVO com características anormais no coração, olho e esqueleto. Entre as manifestações cardiovasculares estão PROLAPSO DA VALVA MITRAL, dilatação da AORTA e dissecação aórtica. Entre outras características estão deslocamento do cristalino (ectopia do cristalino), membros longos desproporcionais e aumento da DURA-MATER (ectasia dural). A síndrome de Marfan é associada a mutações no gene que codifica a fibrilina, um elemento importante das microfibrilas extracelulares do tecido conjuntivo.Facies: Aparência da face que é geralmente característica de uma doença ou condição patológica, como as faces de elfo da SÍNDROME DE WILLIAMS e as faces mongoloides da SÍNDROME DE DOWN.Imagem Corporal: Conceito de indivíduos sobre seus próprios corpos.Anormalidades Congênitas: Malformações de órgãos ou partes do corpo durante o desenvolvimento no útero.Avaliação de Resultados (Cuidados de Saúde): Pesquisa voltada ao monitoramento da qualidade e efetividade da assistência à saúde medida em termos da obtenção de resultados pré-estabelecidos. Inclui parâmetros como melhoria do estado de saúde, diminuição de morbidade e mortalidade e melhoria de estados anormais (ex: pressão sanguínea elevada).Caminhada: Atividade em que o corpo avança com ritmo lento a moderado movimentando os pés de modo coordenado. Compreende caminhada recreativa e para aptidão física (fitness), e corrida para competição.Músculo Esquelético: Subtipo de músculo estriado fixado por TENDÕES ao ESQUELETO. Os músculos esqueléticos são inervados e seus movimentos podem ser conscientemente controlados. Também são chamados de músculos voluntários.Músculos do Pescoço: Os músculos do pescoço consistem do platisma, esplênio da cabeça, esternocleidomastóideo, longo do pescoço (longo cervical), escaleno anterior, médio e posterior, digástrico, estiloióideo, miloióideo, genioióideo, esternoióideo, omoióideo, esternotireóideo e tireoióideo.Raízes Nervosas Espinhais: Feixes pareados das FIBRAS NERVOSAS que penetram e partem de cada segmento da MEDULA ESPINAL. As raízes nervosas ventrais e dorsais unem-se para formar os nervos espinais mistos dos segmentos. As raízes dorsais são geralmente aferentes, formadas pelas projeções centrais das células sensitivas dos gânglios espinais (raiz dorsal), enquanto que as raízes ventrais são eferentes, compreendendo os axônios dos neurônios motores espinhais e FIBRAS AUTÔNOMAS PRÉ-GANGLIONARES.Exame Neurológico: Avaliação das reações e reflexos motores e sensoriais usada para detectar uma doença do sistema nervoso.Ácido Tranexâmico: Antifibrinolítico hemostático utilizado em hemorragia grave.Densidade Óssea: Quantidade de mineral por centímetro quadrado de OSSO. Esta é a definição usada na prática clínica. A densidade óssea real deveria ser expressa em gramas por mililitro. É mais frequentemente medida por ABSORCIOMETRIA DE RAIOS X ou TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA POR RAIOS X. A densidade óssea é um prognosticador importante para a OSTEOPOROSE.Respiração: Ato de respirar com os PULMÕES, consistindo em INALAÇÃO ou captação do ar ambiente para os pulmões e na EXPIRAÇÃO ou expulsão do ar modificado, que contém mais DIÓXIDO DE CARBONO que o ar inalado. (Tradução livre do original: Blakiston's Gould Medical Dictionary, 4th ed.). Não está incluída a respiração tissular (= CONSUMO DE OXIGÊNIO) ou RESPIRAÇÃO CELULAR.Questionários: Conjunto de perguntas previamente preparadas utilizado para a compilação de dados.Prevalência: Número total de casos de uma dada doença em uma população especificada num tempo designado. É diferenciada de INCIDÊNCIA, que se refere ao número de casos novos em uma população em um dado tempo.Estudos de Coortes: Estudos em que os subconjuntos de uma certa população são identificados. Estes grupos podem ou não ser expostos a factores hipotéticos para influenciar a probabilidade da ocorrência de doença em particular ou outros desfechos. Coortes são populações definidas que, como um todo, são seguidos de uma tentativa de determinar as características que distinguem os subgrupos.Transfusão de Sangue Autóloga: Reinfusão de sangue ou produtos de sangue derivados da circulação do próprio paciente. (Dorland, 28a ed)Linhagem: Registro da descendência ou ancestralidade, particularmente de uma característica ou traço especial que identifica cada membro da família, suas relações e seu estado em relação a este traço ou característica.

*  Escoliose - Wikipedia

Com a cura da lesão desaparece a curva Escoliose inflamatória: em casos de apendicite ou bem abscessos perinefrítico Escoliose ... A escoliose é um desvio da coluna vertebral para a esquerda ou direita, resultando em um formato de "S" ou "C". É um desvio da ... Para melhor entender a definição de uma escoliose, é preciso opô-la à atitude escoliótica: Sem gibosidade Sem rotação vertebral ... Da mesma forma pode corrigir o comprimento da perna (sem cirurgia) caso encontre quem o saiba fazer Escoliose estruturada ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Escoliose

*  Escoliose , Lordose , Cifose - Deformidades Vertebrais

A escoliose é quando ocorre desvio na coluna vista de frente. Normalmente a coluna é reta e alinhada no plano frontal. Qualquer ... curvatura neste plano é denominda escoliose. Também existem diversas causas. Importante são as escolioses idiopáticas , que ...
clinicaalphacenter.com.br/website/index.php/artigos/78-escoliose

*  Escoliose: Colete Thoracolumbar sacral orthosis (TLSO)

Escoliose às 18:14 Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar com o Pinterest. ... Escoliose Rita Gomes,35 anos. Psicóloga,jornalista,mãe e filha. Sou realizada em minha vida profissional,e pessoal.Trabalho com ... aprendendo e ensinando sobre ESCOLIOSE. Um mal que atinge cerca de 3 à 4% da população,sendo a grande maioria adolecentes.Na " ... Agora estou entrando no mundo de Escoliose,pelo aumento de procura de pacientes em minha clínica e retratando, ...
escoliose-escoliose.blogspot.com/2010/09/colete-thoracolumbar-sacral-orthosis.html

*  Posso fazer exercícios tendo escoliose? [Resolvido] - Saúde

Posso fazer exercícios tendo escoliose? [Resolvido]. Faça uma pergunta gersons34 49Posts segunda 27 de abril de 2015Data de ...
saude.ccm.net/forum/affich-527682-posso-fazer-exercicios-tendo-escoliose

*  Exercícios no Reformer para alunos com escoliose

Conheça 3 exercícios simples no Reformer para os alunos que sofrem com escoliose melhorarem a postura e aliviarem as dores. ... A escoliose é uma patologia da coluna que causa sérios desconfortos e dores. Como uma de suas principais causas é a má postura, ... Exercícios para escoliose no Reformer. Sentado sob o carrinho e com a parte do meio dos pés apoiados no meio do Reformer, peça ... Exercícios no Reformer para alunos com escoliose. Mundo Pilates Por Meta Pilates 12 de maio de 2017 Nenhum comentário ...
blog.metapilates.com.br/exercicios-no-reformer-para-alunos-com-escoliose/

*  Convivendo com OI. Escoliose Parte 1 - ANOI

Your Blog Description here!
anoi.com.br/2015/10/convivendo-com-oi-escoliose-parte-1.html

*  Escoliose: Causas, Sintomas e Tratamento - Como Se Faz...

Escoliose: Causas, Sintomas e Tratamento 6 meses Atrás Por Dicas de Saúde em Sem categoria e nas Tags: Doenças, Menopausa ... uma condição conhecida como escoliose. Embora você possa pensar que é uma doença… ...
comosefaz.eu/escoliose-causas-sintomas-e-tratamento/

*  Cirurgia da Coluna » Cirurgia da Deformidade: Escoliose e Cifose

Cirurgia da Deformidade: Escoliose e Cifose. ​. A correção cirúrgica de uma escoliose ou cifose é planejada de acordo com o ...
cirurgiadacoluna.com.br/tecnicas-cirurgicas/cirurgia-da-deformidade-escoliose-e-cifose

*  EXERCÍCIO CIENTÍFICO NA ABORDAGEM DA ESCOLIOSE (SEAS) (ITÁLIA) | Rodrigo Andrade Fisioterapia em Campinas

A escoliose de curva dupla apresenta maior risco de progressão do que a escoliose de uma única curva e os padrões de curva ... Em pacientes com escoliose em adultos, com curvas progressivas de escoliose ou espinhas fundidas, o SEAS ajuda a estabilizar a ... EXERCÍCIO CIENTÍFICO NA ABORDAGEM DA ESCOLIOSE (SEAS) (ITÁLIA). Sete escolas principais de escoliose e suas abordagens para ... TRATAMENTO DA ESCOLIOSE BASEADO EM EVIDÊNCIAS - ESCOLA DE FISIOTERAPIA DE ESCOLIOSE DE BARCELONA - BSPTS (ESPANHA) ...
randradefisio.com.br/exercicio-cientifico-na-abordagem-da-escoliose-seas-italia/

*  EFEITO DA INTERVENÇÃO DO MÉTODO PILATES® NA ESCOLIOSE TÓRACO-LOMBAR - ESTUDO DE CASO | NovaFisio

EFEITO DA INTERVENÇÃO DO MÉTODO PILATES® NA ESCOLIOSE TÓRACO-LOMBAR - ESTUDO DE CASO. Por NovaFisio , em 24/05/2012 , 0 ... A prevalência de escoliose em adolescentes varia de 1 a 3% da população, sendo as meninas mais afetadas que os meninos (DOHNERT ... A escoliose tóraco-lombar constitui 16% das idiopatias e são de caráter evolutivo em 70%, são curvas longas que podem abranger ... A escoliose idiopática (estrutural) é uma alteração tridimensional da coluna vertebral, sua etiologia ainda é desconhecida e ...
novafisio.com.br/efeito-da-intervencao-do-metodo-pilates-na-escoliose-toraco-lombar-estudo-de-caso/

LordoseSiringomielia: Siringomielia é uma patologia de evolução crônica caracterizada pela degeneração axonal e formação de cavidades císticas com acúmulo de líquido no interior da medula espinhal. Essas áreas císticas denominadas sirinx podem evoluir aumentado volumetricamente conforme o tempo e gravidade da lesão, sendo de extrema importância o acompanhamento clínico radiológico para documentação da evolução da doença.Síndrome de Fields: A Síndrome ou doença de Fields é uma das mais raras doenças do mundo, pois só há dois casos da doença em todo o mundo, que ocorreu com as irmãs gêmeas britânicas Catherine e Kirstie Fields. Pelo motivo da doença ter sido descoberta nelas, a síndrome recebeu seus nomes.British United TractionSíndrome de Arnold-Chiari: A síndrome de Arnold-Chiari, ou má formação de Arnold-Chiari, consiste em uma mal formação rara e congênita do sistema nervoso central, localizada na fossa posterior da base cerebral. Esta malformação possui uma variabilidade de sinais e sintomas sendo que as principais consistem em alterações na estrutura do tronco cerebral e algumas vezes acompanhado de hidrocefalia.Cifose: -, , |Fotogrametria: A Fotogrametria (derivada do grego: luz, descrição e medidas) é definida como a ciência aplicada, a técnica e a arte de extrair de fotografias métricas, a forma, as dimensões e a posição dos objetos nelas contidos.Beta Arietis: Beta Arietis (β Ari / β Arietis) é uma estrela da constelação de Aries. Tem também como nomes tradicionais Sharatan, Sheratan ou Sheratim.ÓrtesePseudoartrose: Pseudoartrose é a não consolidação de uma fratura.Toracotomia: Por toracotomia compreende-se qualquer abertura da cavidade torácica visando examinar as estruturas expostas cirurgicamente, seja para a coleta de material para diagnóstico laboratorial ou remoção/correção de partes lesadas.Mecanoquímica: A Mecanoquímica é o ramo da Físico-Química que se ocupa do comportamento químico dos materiais sob o efeito de forças mecânicas. Uma definição mais antiga foi oferecida por Wilhelm Ostwald: A mecanoquímica é o estudo das relações entre as formas de energia mecânica com a energia química.Paralisia do olhar conjugadoFios de Kirschner: Os Fios de Kirschner ou K-fios ou pinos são esterilizados, afiados, feitos de aço inoxidável liso. Introduzidos em 1909 por Martin Kirschner, os fios são hoje amplamente utilizados em ortopedia e outros tipos de cirurgia médica e veterinária.Espondilolistese: Espondilolistese é o deslocamento anterior de uma vértebra ou da coluna vertebral em relação à vertebra inferior.Diplegia: Diplegia, no singular, caracteriza a paralisia que afeta partes simétricas do corpo, por exemplo, a diplegia facial ou a diplegia de Little na paralisia cerebral. Diferencia-se da quadriplegia ou tetraplegia, que envolve os quatro membros, não necessariamente de modo simétrico; da hemiplegia, que denomina a paralisia de um hemicorpo; e da paraplegia, que é a paralisia dos membros inferiores sem acometimento dos membros superiores.Epicanto: Epicanto ou dobra epicântica é uma prega de pele da pálpebra superior (do nariz até ao lado interior da sobrancelha), cobrindo o canto interior (canto medial) do olho. A dobra epicântica está por vezes presente na maioria das pessoas de ascendência da Ásia Oriental como os mongóis (e também coreanos, japoneses e etc), do Sudeste Asiático (vietnamitas, indonésios, malaios e etc), dos originários da Ásia Central, e ainda inuítes, indígenas americanos, khoisans na África e Madagáscar.Displasia fibrosaBarra de torção: Barra de amarração ou torção, stress-bar ou Barra Estabilizadora é um elemento metálico que interliga as torres de uma suspensão, a fim de reduzir a movimentação do chassi provocada pelas solicitações em curvas fortes. O objetivo é manter inalterada a geometria da suspensão, com ganho em estabilidade.Coleen Rooney: Coleen Mary Mcloughlin Rooney (Liverpool, 4 de abril de 1986) é uma wag, modelo e escritora e colunista inglesa, mulher do jogador Wayne Rooney. Wag é o acrônimo Wives and Girlfriends, usado pelos tabloides ingleses para se referir às marias-chuteiras da seleção inglesa de futebol de 2006.Pinealócito: thumbnail|right|Secção transversal da glândula pineal mostrando pinealócitos e outras célulasJean Aicardi: Jean Aicardi (Rambouillet, 8 de novembro de 1926 - Paris, 3 de agosto de 2015) foi um neurologista francês. Descreveu a síndrome de Aicardi em 1965.Cirurgia torácica videoassistida: Cirurgia torácica videoassistida é a técnica cirúrgica que utiliza um toracoscópio acoplado a um sistema de microcâmera e monitor de vídeo para a visualização da cavidade pleural. Por este método é possível a realização de procedimentos diagnósticos e terapêuticos na esfera das doenças intratorácicas (pleurais, pulmonares, etc.Perturbações da marchaNeurómero: Neurómeros são os segmentos do tubo neural que estabelecem o cérebro embriónico durante o desenvolvimento embrionário.Oftalmoplegia: Oftalmoplegia é a paralisia dos músculos do olho.


coluna


  • A escoliose é um desvio da coluna vertebral para a esquerda ou direita, resultando em um formato de "S" ou "C". É um desvio da coluna no plano frontal acompanhado de uma rotação e de uma gibosidade (corresponde a uma látero-flexão vertebral). (wikipedia.org)
  • Idiopática (causa desconhecida) Neuromuscular (ex: paralisia cerebral, poliomielite) Relacionada com a falha na formação das vértebras Relacionada com a falha na segmentação Classificação: Escoliose não estruturadas: Escolioses posturais: frequentes em adolescentes, as curvas são leves e desaparecem por completo com a flexão da coluna vertebral ou bem com o decúbito Escolioses secundárias e dismetria: a diferente longitude dos membros inferiores levam a uma obliqüidade pélvica e secundariamente a uma curva vertebral. (wikipedia.org)
  • A escoliose é quando ocorre desvio na coluna vista de frente. (clinicaalphacenter.com.br)
  • A escoliose é uma patologia da coluna que causa sérios desconfortos e dores. (metapilates.com.br)
  • A coluna vertebral tem uma curvatura que é necessária para a pessoa se movimentar e andar, mas algumas pessoas tem a coluna deformada na forma de "S", uma condição conhecida como escoliose. (comosefaz.eu)
  • A correção cirúrgica de uma escoliose ou cifose é planejada de acordo com o tipo e a severidade da curvatura apresentada pela coluna. (cirurgiadacoluna.com.br)
  • Em pacientes com escoliose em adultos, com curvas progressivas de escoliose ou espinhas fundidas, o SEAS ajuda a estabilizar a coluna vertebral e reduzir a incapacidade. (randradefisio.com.br)
  • O método SEAS é um método de tratamento de escoliose que se concentra em recuperar o controle postural e melhorar a estabilidade da coluna vertebral através de exercícios envolvendo auto-correção 3D ativa da postura escoliotica. (randradefisio.com.br)
  • A escoliose idiopática (estrutural) é uma alteração tridimensional da coluna vertebral, sua etiologia ainda é desconhecida e seu início ocorre na puberdade, tendo seu grande momento de progressão associado ao estirão de crescimento. (novafisio.com.br)
  • O Prof. Ms. Rodrigo Andrade é fisioterapeuta, Mestre em Ciências da Reabilitação - USP, Docente do Curso de Fisioterapia da PUC-SP, Especialista nos tratamentos da Coluna Vertebral, RPG, Exercícios para Escoliose (Milão, Itália), Pilates e Acupuntura. (randradefisio.com.br)
  • O tratamento fisioterapêutico inclui mobilização 3D da coluna vertebral, mobilização do ângulo ilio-lombar (escoliose lombar), educação do paciente e atividades da vida diária, incluindo a correção da posição sentada. (randradefisio.com.br)
  • Um sistema de classificação para Side Shift foi desenvolvido [ 48 ] que examina a mobilidade da coluna vertebral e sua capacidade de correção em direção à linha média (classificação esquemática do diagrama X). De acordo com este sistema de classificação, existem três tipos de curvas de escoliose com classificações baseadas na flexibilidade da curva e na capacidade do paciente para corrigir automaticamente a coluna deformada durante um movimento de deslocamento lateral. (randradefisio.com.br)

conservador


  • O objetivo é entender e aprender sobre os diferentes métodos de tratamento em todo o mundo para que os fisioterapeutas possam incorporar o melhor de cada um em suas próprias práticas e, dessa forma, tentar melhorar o manejo conservador de pacientes com escoliose idiopática. (randradefisio.com.br)
  • A abordagem do exercício científico para a escoliose (SEAS) é um programa de exercícios individualizado, cientificamente adaptado a todos os aspectos do tratamento conservador da escoliose com base na pesquisa mais atual e está evoluindo continuamente com a introdução de novos conhecimentos da literatura científica. (randradefisio.com.br)
  • O método SEAS [ 36 ] originou-se com a abordagem de Lyon do tratamento de escoliose conservador. (randradefisio.com.br)
  • No final da década de 1930, o método de Schroth foi amplamente reconhecido como o melhor método de tratamento de escoliose conservador em toda a Alemanha. (randradefisio.com.br)
  • A abordagem do Side Shift para o tratamento conservador de escoliose idiopática, liderada por Tony Betts (Fig. 69 ), um fisioterapeuta especializado em deformidades espinhais no Royal National Orthopaedic Hospital de Londres, baseia-se na teoria de que uma curva flexível pode ser estabilizada com lateral Movimentos. (randradefisio.com.br)
  • Naquela época, ambos estavam envolvidos em vários cursos, sessões de treinamento e conferências sobre os métodos fisioterapêuticos mais recentes para o tratamento conservador da escoliose. (randradefisio.com.br)

pacientes


  • Agora estou entrando no mundo de Escoliose,pelo aumento de procura de pacientes em minha clínica e retratando,aprendendo e ensinando sobre ESCOLIOSE. (blogspot.com)
  • O Centro de Reabilitação das Deformidades Espinhais de Asklepios Katharina Schroth na Alemanha (Fig. 21 ) oferece um programa intensivo de reabilitação de pacientes internados em escoliose. (randradefisio.com.br)
  • Aproveitando sua experiência no tratamento de pacientes jovens com escoliose e a experiência de seus colegas, incluindo Wieslaw Chwała do Departamento de Bioquineria da AWF Kracow, que na época estava realizando exame EMG e uma análise de marcha 3D no sistema Vicon, Eles criaram seu próprio programa de terapia de escoliose. (randradefisio.com.br)
  • FITS é um método complexo, assimétrico e individual de tratamento de pacientes com escoliose. (randradefisio.com.br)

Abordagem


  • Incluem a abordagem de Lyon da França (Artigo 1), a abordagem Katharina Schroth Asklepios da Alemanha, a Abordagem do Exercício Científico à Escoliose (SEAS) da Itália, a abordagem Barcelona Escoliose Physical Therapy School (BSPTS) da Espanha, a abordagem Dobomed da Polônia, o Side Shift Abordagem do Reino Unido e abordagem de terapia individual funcional da escoliose (FITS) da Polônia. (randradefisio.com.br)
  • Katharina Schroth, nascida em Dresden, Alemanha, em 1894, sofria de escoliose moderada e submeteu-se a tratamento com uma cinta de aço antes de decidir desenvolver uma abordagem mais funcional para tratar sua escoliose e melhorar sua qualidade de vida. (randradefisio.com.br)
  • A fisioterapia é parte integrante da abordagem de Lyon para o manejo da escoliose em conjunto com fundição e reforço. (randradefisio.com.br)
  • Em meados do século 20, o Dr. Pierre Stagnara estabeleceu uma abordagem organizada não-cirurgica para gerenciar a escoliose com moldes e aparelhos, e em 1947 criou o aparelho de Lyon. (randradefisio.com.br)
  • A abordagem do Side Shift para corrigir curvas de escoliose foi desenvolvida pelo Dr. Min Mehta em 1984 e tem sido usada por terapeutas no Royal National Orthopaedic Hospital desde então. (randradefisio.com.br)

vertebral


  • A escoliose é uma deformidade vertebral. (wikipedia.org)
  • Para melhor entender a definição de uma escoliose, é preciso opô-la à atitude escoliótica: Sem gibosidade Sem rotação vertebral A atitude escoliótica é diferente da escoliose, e deve-se, em 9 entre 10 casos, a uma desigualdade de comprimento dos membros inferiores, e desaparece com o paciente na posição horizontal. (wikipedia.org)

deformidade


  • A escoliose de cada paciente é diferente em relação ao número de curvas, à localização das curvas, ao grau de curvatura e à rotação do tronco, a compensação do corpo (estrutural ou funcional) para a deformidade, a posição das escápulas e a pelve, a tensão muscular , A configuração do plano sagital e os padrões de respiração do paciente, sensação de estabilidade, coordenação e estado psicológico. (randradefisio.com.br)

terapia individual


  • Funcional Terapia Individual de escoliose (FITS) foi criado em 2004 por Marianna Białek PT, Ph.D., e Andrzej M'hango PT, M.Sc. (randradefisio.com.br)

curvas


  • A escoliose tóraco-lombar constitui 16% das idiopatias e são de caráter evolutivo em 70%, são curvas longas que podem abranger até 9 vértebras, passando de T6-7 a L2-3, com vértebra apical em nível de T11-12. (novafisio.com.br)
  • Os consultores do Royal National Orthopaedic Hospital usam os sistemas King e Lenke para classificação cirúrgica das curvas de escoliose. (randradefisio.com.br)

funcional


  • O tratamento com o método Pilates apresentou interferência direta no quadro álgico e funcional da paciente com escoliose tóraco-lombar, havendo mudança significativa nas respostas do questionário, uma vez que a mesma considerou estar de acordo com suas atividades cotidianas, apenas frases que diziam respeito aos cuidados e formas de prevenção da dor. (novafisio.com.br)

cirurgia


  • Da mesma forma pode corrigir o comprimento da perna (sem cirurgia) caso encontre quem o saiba fazer Escoliose estruturada transitoriamente: Escoliose ciática: secundária a uma hérnia discal, pela irritação das raízes nervosas. (wikipedia.org)

curva


  • Com a cura da lesão desaparece a curva Escoliose inflamatória: em casos de apendicite ou bem abscessos perinefrítico Escoliose estruturada: Escoliose idiopática: hereditária na maioria dos casos. (wikipedia.org)
  • Participou do estudo um sujeito do sexo feminino, cor branca, 12 anos, estudante, praticante de atividade física, com diagnóstico clínico de escoliose tóraco-lombar ao Raio-X e queixa principal de dor na curva escoliótica. (novafisio.com.br)
  • Ao corrigir a posição da curva através de deslocamentos do tronco, o corpo está usando forças musculares e alongamentos do tecido conjuntivo para aumentar a mobilidade e re-alinhar os componentes do tecido mole da escoliose. (randradefisio.com.br)
  • O método de tratamento de escoliose Side Shift usa a classificação King como ponto de partida para a classificação descritiva dos tipos de curva e o diagnóstico da área da curva. (randradefisio.com.br)
  • O Tipo I é qualquer padrão de curva que pode ser corrigido deslocando o tronco além da linha média coronal para o lado contralateral da curva de escoliose (curva muito flexível). (randradefisio.com.br)

melhor


  • Devido à incerteza de sua progressão, a escoliose caótica pode ser melhor descrita pelo caos determinista. (randradefisio.com.br)

postural


  • Ela reconheceu que a correção postural 3D só poderia ser alcançada com uma série de exercicios corretivos projetados para suportar uma postura corrigida e alterar a percepção postural da pessoa que sofre de escoliose. (randradefisio.com.br)

fazer


  • Posso fazer exercícios tendo escoliose? (ccm.net)

escolas


  • Sete escolas principais de escoliose e suas abordagens para Exercícios Específicos de Escoliose de Fisioterapia (PSSE), incluindo suas técnicas de reforço, serão discutidas em detalhes neste artigo. (randradefisio.com.br)
  • A escola de fisioterapia de Lyon para escoliose, administrada pelo Dr. Jean Claude de Mauroy, chefe do departamento de medicina ortopédica da Clinique du Parc, Lyon, França , é uma das mais antigas escolas de fisioterapia da França e uma das As primeiras escolas a serem integradas no programa da Faculdade de Medicina de Lyon. (randradefisio.com.br)

desenvolvimento


  • Bolsas ou até mochilas pesadas, se ultilizadas frequentemente de maneira incorreta, favorecem o desenvolvimento da escoliose, pois geram sobrecarga assimétrica. (wikipedia.org)
  • Este tipo de imprevisibilidade também define o desenvolvimento e progressão da escoliose em um indivíduo. (randradefisio.com.br)

ativa


  • O método SEAS [ 32 ] baseia-se em uma técnica de auto-correção ativa específica da escoliose realizada sem qualquer auxílio externo e incorporada em exercícios funcionais. (randradefisio.com.br)

outros


  • Em 1921, o sucesso de Katharina Schroth com sua própria escoliose estava atraindo atenção e, com a ajuda de sua filha, Christa Lehnert-Schroth, começou a tratar os outros com escoliose em seu pequeno instituto em Meissen, na Alemanha. (randradefisio.com.br)

pode


  • Esta é uma escoliose dinâmica, que pode ser influenciada por muitos fatores ambientais. (randradefisio.com.br)

Qualquer


casos


  • Com base em princípios fisioterapêuticos típicos, o método de Schroth foi desenvolvido por Katharina Schroth em 1920 e refinado continuamente através do tratamento de aproximadamente 3.000 casos de escoliose por ano. (randradefisio.com.br)

anos


  • Marianna Białek e Andrzej M'hango colaboraram pela primeira vez no final dos anos 90 durante um curso de treinamento manual de escoliose. (randradefisio.com.br)

Neuromuscular


  • Entre 1999 e 2000, eles prepararam e realizaram o curso "Facilitação neuromuscular de propriocepção (PNF) na escoliose" para fisioterapeutas. (randradefisio.com.br)

diferente


  • B ). O tratamento FITS [ 52 ] baseia-se na inclusão de muitos elementos selecionados de uma variedade de outras abordagens terapêuticas que foram adaptadas e modificadas para formar um conceito de tratamento de escoliose diferente. (randradefisio.com.br)

Pilates


  • O objetivo do estudo foi analisar o efeito do Método Pilates no quadro álgico da escoliose tóraco-lombar através do Translation, adaptation and validation of the Roland-Morris questionnaire - Brazil Roland-Morris. (novafisio.com.br)

centro


  • No início da década de 1960, Antonio Negrini (Fig. 32a ) e Nevia Verzini fundaram um centro de escoliose que mais tarde se tornou conhecido como o Centro Scoliosi Negrini (CSN) em Vigevano, na Itália. (randradefisio.com.br)