Edema Macular: Acúmulo de líquido na camada externa da MACULA LUTEA que resulta de insultos sistêmicos ou intraoculares. Pode desenvolver-se em um padrão difuso onde a mácula aparece espessa ou pode adquirir a aparência petaloide típica, chamada de edema macular cistoide. Embora o edema macular possa estar associado com várias afecções subjacentes, é mais comumente visto após cirurgia intraocular, doença oclusiva venosa, RETINOPATIA DIABÉTICA, e doença inflamatória do segmento posterior (Tradução livre do original: Survey of Ophthalmology 2004; 49(5) 470-90).Retinopatia Diabética: Doença da RETINA resultante de uma complicação de DIABETES MELLITUS. Caracteriza-se por complicações microvasculares progressivas, como ANEURISMA, EDEMA inter-retiniano e NEOVASCULARIZAÇÃO PATOLÓGICA intraocular.Triancinolona Acetonida: Forma esterificada da TRIANCINOLONA. É um glucocorticoide anti-inflamatório usado topicamente no tratamento de vários transtornos dérmicos. Injeções intralesionais, intramusculares e intra-articulares também são administradas sob certas condições.Oclusão da Veia Retiniana: Oclusão da VEIA RETINIANA. Pacientes com alto risco de desenvolver esta afecção incluem aqueles com HIPERTENSÃO, DIABETES MELLITUS, ATEROSCLEROSE e outras CARDIOPATIAS.Fotocoagulação a Laser: Uso de LASERS que produzem luz verde para parar o sangramento. A luz verde é absorvida seletivamente pela HEMOGLOBINA, e assim é possível provocar a COAGULAÇÃO SANGUÍNEA.Acuidade Visual: Clareza ou nitidez da VISÃO OCULAR ou a habilidade dos olhos de enxergar detalhes finos. A acuidade visual depende das funções da RETINA, da transmissão nervosa e da habilidade interpretativa do encéfalo. A acuidade visual normal (humana) é expressa como 20/20, que indica que uma pessoa pode enxergar a 20 pés (aproximadamente 6,1 m) o que normalmente deve ser visto a esta distância. A acuidade visual também pode ser influenciada por brilho, cor e contraste.Tomografia de Coerência Óptica: Método de diagnóstico por imagem que utiliza LASERS empregado para mapear estruturas subsuperficiais. Quando um sítio refletor da amostra está na mesma longitude de trajetoria óptica (coerência) como espelho de referência, o detector observa o perímetro de interferência.Edema: Acúmulo anormal de líquido em TECIDOS ou cavidades do corpo. Na maioria dos casos, estão presentes sob a PELE, na TELA SUBCUTÂNEA.Angiofluoresceinografia: Visualização do sistema vascular após injeção intravenosa de uma solução de fluoresceína. As imagens podem ser fotografas ou televisionadas em uma tela. É utilizada especialmente para estudar a vascularização retinal e uveal.Corpo Vítreo: Substância transparente, semigelatinosa, que preenche a cavidade existente atrás do CRISTALINO do OLHO e à frente da RETINA. Está contido em uma membrana hialoide fina, formando cerca de 4/5 do globo ocular.Injeções Intravítreas: Administração de substâncias no CORPO VÍTREO do olho com uma seringa hipodérmica.Macula Lutea: Área oval na retina (3 a 5 mm de diâmetro) que se localiza geralmente na zona temporal ao polo posterior do olho e levemente abaixo do nível do disco óptico. Caracteriza-se pela presença de pigmento amarelo que impregna, de maneira difusa, as camadas internas que contém a fóvea central em seu centro, e fornece a melhor acuidade visual fototrópica. É livre de vasos sanguíneos retinianos, exceto em sua periferia e recebe nutrientes através dos coriocapilares da coroide. (Tradução livre do original: Cline et al., Dictionary of Visual Science, 4th ed).Injeções: Introdução de uma substância no corpo usando-se uma agulha e uma seringa.Fundo de Olho: Região côncava interior do olho, consistindo da retina, da coroide, da esclera, do disco óptico e dos vasos sanguíneos, observada através do oftalmoscópio.Edema Pulmonar: Acúmulo excessivo de fluido extravascular no pulmão, uma indicação de uma doença ou distúrbio básico (subjacente) sério. O edema pulmonar impede a TROCA GASOSA PULMONAR eficiente nos ALVÉOLOS PULMONARES, e pode oferecer risco à vida.Vitrectomia: Remoção total ou de parte do corpo vítreo no tratamento de endoftalmite, retinopatia diabética, descolamento de retina, corpos estranhos intraoculares e alguns tipos de glaucoma.Edema Encefálico: Aumento do líquido intra ou extracelular em tecidos cerebrais. O edema encefálico citotóxico (inchaço devido ao aumento do líquido intracelular) é indicativo de um distúrbio do metabolismo celular e normalmente associado com lesões isquêmicas ou hipóxicas (ver HIPÓXIA ENCEFÁLICA). Um aumento no líquido extracelular pode ser causado por aumento na permeabilidade capilar encefálica (edema vasogênico), um gradiente osmótico, bloqueio local das vias de líquidos intersticiais, ou por obstrução do fluxo de CSF (ex. HIDROCEFALIA obstrutiva). (Tradução livre do original: Childs Nerv Syst 1992 Sep; 8(6):301-6)Retina: Membrana de tecido nervoso (composta por dez camadas e encontrada no olho) que se continua no NERVO ÓPTICO. Recebe imagens de objetos externos e transmite [essas informações] ao cérebro [em forma de] impulsos visuais [nervosos]. Sua superfície externa está em contato com a COROIDE e a interna, com o CORPO VÍTREO. A camada mais externa é pigmentada e as outras (9), transparentes.Triancinolona: Glucocorticoide dado, ou na forma de álcool livre, ou na forma esterificada, oralmente, intramuscularmente, por injeção local, por inalação, ou aplicado topicamente, no tratamento de vários transtornos nos quais os corticosteroides são indicados.Glucocorticoides: Grupo de CORTICOSTEROIDES que afetam o metabolismo de carboidratos (GLUCONEOGÊNESE, depósito de glicogênio hepático, elevação da GLICEMIA), inibem a secreção de CORTICOTROPINA e possuem atividade anti-inflamatória pronunciada. Também desempenham um papel no metabolismo de gorduras e proteínas, manutenção da pressão arterial, alteração da resposta do tecido conjuntivo a lesão, redução no número de linfócitos circulantes e no funcionamento do sistema nervoso central.Pseudofacia: Presença de uma lente intraocular após extração do cristalino devido à catarata.Injeções Intraoculares: Administração de substâncias dentro do olho com uma seringa hipodérmica.Retratamento: Tratamento da mesma doença em um paciente, com a repetição do mesmo agente ou procedimento após tratamento inicial, ou com uma medida adicional ou alternativa, ou subsequente. Não abrange tratamentos que requerem mais de uma administração de um agente ou regime terapêutico. O retratamento é geralmente utilizado com referência a uma modalidade diferente, quando a original foi inadequada, prejudicial ou não obteve sucesso.Fluocinolona Acetonida: Derivado de glucocorticoide usado topicamente no tratamento de vários transtornos dérmicos. Geralmente é empregada como creme, gel, loção ou pomada. Também tem sido usada topicamente no tratamento de olhos e orelhas inflamadas e transtornos nasais. (Tradução livre do original: Martindale, The Extra Pharmacopoeia, 30th ed, p732).Líquido Sub-Retiniano: Exsudato entre a RETINA e a CORIOIDE de várias origens, incluindo a cavidade vítrea, o ESPAÇO SUBARACNÓIDEO ou vasos anormais.Fóvea Central: Área de aproximadamente 1,5 mm de diâmetro, localizada na mácula lútea, onde a retina se adelgaça bastante em virtude do deslocamento oblíquo de todas as camadas da retina com exceção da pigmentar. Inclui as paredes inclinadas da fóvea (clivo) e contém poucos bastonetes em sua periferia. Em seu centro (fovéola) estão os cones mais adaptados à alta acuidade visual, uma vez que cada cone está conectado com apenas uma única célula ganglionar. (Tradução livre do original: Cline et al., Dictionary of Visual Science, 4th ed)Uveíte Intermediária: Inflamação da pars plana, corpo ciliar e estruturas adjacentes.Membrana Epirretiniana: Membrana da superfície vítrea da retina resultante da proliferação de um ou mais dos três elementos retinianos: (1) astrócitos fibrosos; (2) fibrócitos e (3) células epiteliais pigmentares retinianas. As membranas epirretinianas localizadas podem ocorrer no polo posterior do olho sem sinais clínicos ou pode causar perda acentuada da visão como resultado da cobertura, distorção ou desprendimento da depressão central. As membranas epirretinianas podem causar derrame vascular e edema retiniano secundário. Em indivíduos mais jovens, algumas membranas parecem ser desenvolvidas e ocorrem em olhos outrora normais. A maioria ocorre em associação com buracos retinianos, concussões oculares, inflamação retiniana ou após cirurgia ocular.Barreira Hematorretiniana: Barreira especializada (formada pelo EPITÉLIO pigmentar retinal e pelo ENDOTÉLIO dos VASOS SANGUÍNEOS da RETINA) que dificulta as trocas no OLHO. As JUNÇÕES ÍNTIMAS (entre células adjacentes) mantêm a barreira entre o contínuo das células.Uveíte: Inflamação de parte ou toda a úvea, a túnica média (vascular) do olho, e que comumente compromete as outras túnicas (a esclera e córnea, e a retina). (Dorland, 28a ed)Fotografia: Método de produzir imagens em uma superfície sensibilizada por exposição à luz ou outra fonte de energia luminosa.Inibidores da Angiogênese: Agentes e substâncias endógenas que antagonizam ou inibem o desenvovlvimento de novos vasos sanguíneos.Doenças RetinianasMicroscopia Acústica: Ferramenta científica baseada na ULTRASSONOGRAFIA e utilizada não somente para a observação de microestrutura em amostras metálicas, mas também em tecidos vivos. Na aplicação biomédica, a velocidade de propagação acústica em tecidos normais e anormais pode ser quantificada para diferenciar a elasticidade tecidual e outras propriedades.Técnicas de Diagnóstico Oftalmológico: Métodos e procedimentos para o diagnóstico de doenças do olho ou distúrbios da visão.Fotocoagulação: Coagulação de tecido por um intenso feixe de luz, incluindo o laser (COAGULAÇÃO A LASER). No olho, é utilizada no tratamento de descolamento retinal, abertura retinal, aneurismas, hemorragias e neoplasias malignas e benignas.Anticorpos Monoclonais Humanizados: Anticorpos de espécies não humanas cujas sequências proteicas foram modificadas para torná-los quase idênticos aos anticorpos humanos. Se a região constante e parte da variável forem substituídas, são chamados anticorpos humanizados. Se somente a região constante for substituída, são chamados anticorpos quiméricos. Os nomes da Denominação Comum Internacional (DCI) para anticorpos humanizados terminam em -zumab.Pan-Uveíte: Inflamação na qual ambos os segmentos, anterior e posterior, da úvea estão envolvidos e um foco específico não é aparente. Geralmente é severa e extensa, e uma séria ameaça à visão. As causas incluem doenças sistêmicas como tuberculose, sarcoidose e sífilis, como também malignidades. O segmento intermediário do olho não é envolvido.Extração de Catarata: Remoção de um CRISTALINO cataratoso do olho.Oftalmoscopia: Avaliação do interior do olho com um oftalmoscópio.Segmento Interno das Células Fotorreceptoras da Retina: Porção interna de cones ou bastonetes fotorreceptores da retina, situada entre o CÍLIO CONECTOR DOS FOTORRECEPTORES e a sinapse com os neurônios adjacentes (CÉLULAS BIPOLARES DA RETINA, CÉLULAS HORIZONTAIS DA RETINA). O segmento interno contém o corpo celular, o núcleo, as mitocôndrias e a maquinaria para síntese proteica.Vasos Retinianos: Vasos sanguíneos que nutrem e drenam a retina.Segmento Externo das Células Fotorreceptoras da Retina: Porção externa, sensível à luz, de cones ou bastonetes fotorreceptores da retina. O segmento externo contém uma pilha de discos membranosos impregnada com pigmentos fotorreceptores (PIGMENTOS RETINIANOS). O segmento externo está conectado ao interno por meio do CÍLIO CONECTOR DOS FOTORRECEPTORES.Telangiectasia: Dilatação permanente de vasos sanguíneos preexistentes (CAPILARES, ARTERÍOLAS, VÊNULAS), criando lesões vermelhas focais pequenas, normalmente na pele ou mucosas. Caracteriza-se pela proeminência de vasos sanguíneos cutâneos, como 'aranhas vasculares'.Fator A de Crescimento do Endotélio Vascular: Membro original da família dos fatores de crescimento da célula endotelial denominados FATORES DE CRESCIMENTO DO ENDOTÉLIO VASCULAR. O fator A de crescimento do endotélio vascular foi originalmente isolado de células tumorais e foi denominado "fator de angiogênese tumoral" e "fator de permeabilidade vascular". Embora seja expresso em concentrações elevadas em algumas células derivadas de tumores, é produzido por uma ampla variedade de tipos celulares. Além de estimular o crescimento e a permeabilidade vascular, pode ter um papel na estimulação da VASODILATAÇÃO através de vias dependentes do ÓXIDO NÍTRICO. O processamento alternativo do RNAm do fator A de crescimento do endotélio vascular resulta em várias isoformas da proteína que está sendo produzida.Transtornos da Visão: Compromentimentos da visão que limitam uma ou mais funções básicas do olho: acuidade visual, adaptação ao escuro, visão de cores ou periférica. Podem resultar de OFTALMOPATIAS, DOENÇAS DO NERVO ÓPTICO, doenças das VIAS VISUAIS, doenças do LOBO OCCIPITAL, TRANSTORNOS DA MOTILIDADE OCULAR e outras afecções. (Tradução livre do original: Newell, Ophthalmology: Principles and Concepts, 7th ed, p132)Resultado do Tratamento: Estudos conduzidos com o fito de avaliar as consequências da gestão e dos procedimentos utilizados no combate à doença de forma a determinar a eficácia, efetividade, segurança, exequibilidade dessas intervenções.Seguimentos: Estudos nos quais indivíduos ou populações são seguidos para avaliar o resultado de exposições, procedimentos ou efeitos de uma característica, por exemplo, ocorrência de doença.Veia Retiniana: Veia central da retina juntamente com suas tributárias. Corre uma pequena extensão junto ao nervo óptico e então deixa a órbita drenando para a veia oftálmica superior ou seio cavernoso.Permeabilidade Capilar: Propriedade dos capilares sanguíneos do ENDOTÉLIO que permite a troca seletiva de substâncias entre o sangue e os tecidos circunscritos e através de barreiras membranosas, como as BARREIRA SANGUE-AR, BARREIRA HEMATOAQUOSA, BARREIRA HEMATOENCEFÁLICA, BARREIRA HEMATONEURAL, BARREIRA HEMATO-RETINIANA e BARREIRA HEMATOTESTICULAR. Moléculas lipossolúveis pequenas, como o dióxido de carbono e oxigênio deslocam-se livremente por difusão. A água e as moléculas hidrossolúveis não podem passar através das paredes do endotélio e dependem de poros microscópicos. Estes poros mostram áreas estreitas (JUNÇÕES ESTREITAS) que podem limitar o movimento de moléculas grandes.Implantes de Medicamento: Pequenos recipientes ou cápsulas de medicamento sólido, implantadas no corpo para obter liberação contínua da droga.Estudos Retrospectivos: Estudos nos quais os dados coletados se referem a eventos do passado.Edema da Córnea: Quantidade excessiva de líquido na córnea devido a danos do epitélio ou endotélio, causando diminuição da acuidade visual.Edema Cardíaco: Retenção de líquido anormal pelo corpo devido a deficiência da função cardíaca ou insuficiência cardíaca. Geralmente é caracterizada por aumento de pressão venosa e capilar e pernas inchadas quando em pé. É diferente de edema generalizado causado por disfunção renal (SÍNDROME NEFRÓTICA).Estudos Prospectivos: Estudos planejados para a observação de eventos que ainda não ocorreram.Descolamento Retiniano: Separação das camadas internas da retina (retina neural) do epitélio pigmentar. (Dorland, 28a ed)Diabetes Mellitus Tipo 1: Subtipo de DIABETES MELLITUS caracterizada por deficiência de INSULINA. Manifesta-se por um início repentino de intensa HIPERGLICEMIA, progressão rápida a CETOACIDOSE DIABÉTICA e MORTE, a menos que tratada com insulina. A doença pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comum durante a infância ou adolescência.Diabetes Mellitus Tipo 2: Subclasse de DIABETES MELLITUS que não é responsiva ou dependente de INSULINA (DMNID). Inicialmente, caracteriza-se por RESISTÊNCIA À INSULINA e HIPERINSULINEMIA e finalmente, por INTOLERÂNCIA À GLUCOSE, HIPERGLICEMIA e obviamente diabetes. O diabetes mellitus tipo 2 não é mais considerado uma doença encontrada exclusivamente em adultos. Os pacientes, raramente desenvolvem CETOSE, porém com frequência exibem OBESIDADE.Artéria Retiniana: Artéria central da retina juntamente com suas ramificações. Origina-se da artéria oftálmica, penetra no nervo óptico correndo através do seu centro, penetra no olho através do disco óptico e ramifica-se a fim de irrigar a retina.Oftalmopatias: Doenças que afetam os olhos.Fluorofotometria: Medida da luz liberada por fluoresceína para avaliar a integridade de várias barreiras oculares. O método é usado para investigar a barreira hematoaquosa, barreira hematorretiniana, medidas de fluxo aquoso, permeabilidade endotelial da córnea e dinâmica de fluxo lacrimal.Lasers de Estado Sólido: Lasers que usam um sólido, em vez de líquido ou gás, como meio físico. Os materiais comuns usados são cristais, como YAG (Alumínio ÍTRIO 'garnet'), alexandrita e CORINDON (corindo), dopado com um elemento terroso raro, como NEODÍMIO, ÉRBIO ou HÓLMIO. Às vezes, a saída é ainda modificada por adição de materiais ópticos não lineares, como o cristal de fosfato titanil de potássio, que por exemplo é usado com lasers YAG de neodímio para converter a luz emergente à faixa visível.Afacia Pós-Catarata: Ausência do cristalino resultante da extração de catarata.Edematose Suína: Doença aguda de porcos jovens, normalmente associada com desarmamento. É caracterizada clinicamente por paresia e edema subcutâneo.Testes de Campo Visual: Método para medição e mapeamento da amplitude da visão, do centro para a periferia de cada olho.Facoemulsificação: Procedimento para remoção do cristalino na cirurgia de catarata na qual uma capsulectomia é feita por meio de uma agulha inserida diretamente em uma pequena incisão no limbo temporal, permitindo que o conteúdo do cristalino diminua através da pupila dilatada na câmara anterior, onde são desintegrados pelo uso de ultrassom e aspirados para fora do olho através da incisão. (Tradução livre do original: Cline, et al., Dictionary of Visual Science, 4th ed & In Focus 1993;1(1):1)Órbita: Cavidade óssea que segura o globo ocular e seus tecidos associados e apêndices.Corioide: Membrana delgada e altamente vascularizada que reveste a maior parte da região posterior do olho localizada entre a RETINA e a ESCLERA.Campos Visuais: Área total ou espaço visível na visão periférica de uma pessoa com o olho direcionado para frente.Tecido Conjuntivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.Pressão Intraocular: Pressão exercida pelos fluidos no olho.Uveíte Posterior: Inflamação da coroide como também da retina e corpo vítreo. Algumas formas de distúrbios visuais normalmente estão presentes. As características mais importantes da uveite posterior são opacidade vítrea, coroidite e coriorretinite.Humor Aquoso: Fluido aquoso e claro que preenche as câmaras anterior e posterior do olho. Apresenta um índice de refração menor que o cristalino, o qual circunda, e está relacionado com o metabolismo da córnea e do cristalino. (Tradução livre do original: Cline et al., Dictionary of Visual Science, 4th ed, p319)Descolamento do Vítreo: Deslocamento do corpo vítreo (CORPO VÍTREO) de seus locais normais, especialmente da retina, devido à retração causada por afecções inflamatórias ou degenerativas, trauma, miopia ou senilidade.Reprodutibilidade dos Testes: Propriedade de se obter resultados idênticos ou muito semelhantes a cada vez que for realizado um teste ou medida. (Tradução livre do original: Last, 2001)

*  Edema macular - Wikipedia

Um edema macular ocorre quando depósitos de fluidos e proteínas se acumulam sobre ou sob a mácula do olho, uma região central ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Edema_macular

*  Glaucoma - Wikipedia

... edema macular cistoide; uveíte anterior; hiperpigmentação conjuntival 2 - Efeitos colaterais sistêmicos Podem estar presentes ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Glaucoma

*  Moscas volantes - Wikipedia

Outras causas comuns para moscas volantes incluem toxoplasmose, edema macular e hialose asteroide. A última é uma anomalia do ... no filme lacrimal são um diagnóstico de exclusão pela eliminação da possibilidade de moscas volantes ou degeneração macular. ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Moscas_volantes

*  Pars Planitis - Wikipedia

O quadro clínico pode se complicar por cataratas, descolamento da retina, ou de fluido dentro da retina (edema macular), ... Vitrectomia em pacientes com pars planitis e edema cístico macular: quando indicá-la». Rev. bras. oftalmol. 54 (10). ISSN 0034- ... edema macular e vitreíte. Também é conhecida por ocasionar a inflamação da Retina Periférica. A Pars Planitis está catalogada ... Os sintomas da Pars Planitis incluem escuras manchas borradas flutuantes na visão (Floaters). O surgimento de inchaço (edema) ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Pars_Planitis

*  Ranibizumabe - Wikipedia

... e o desenvolvimento de edema macular (inchaço) devido à diabetes (edema macular diabético, EMD) ou oclusão de veia retinal (OVR ... úmida da degeneração macular relacionada à idade (DMRI) ou miopia patológica (MP). É utilizado também para tratar o edema ... é recomendável para o tratamento do edema macular diabético por causa do custo-beneficio: de acordo com o CONITEC, estima-se ... A clearer view of evidence in treating macular degeneration: off-label policies and independent research». doi:10.1002/14651858 ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ranibizumabe

*  Esclerose múltipla - Wikipedia

... edema macular, infecções, toxicidade hepática e casos de malignidade. Tem havido bastante interesse na perspectiva de ... como o edema, a activação de macrófagos, e a secreção de mais citocinas e outras proteínas destrutivas. A barreira ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Esclerose_múltipla

*  Aplicação de Medicações Intra Oculares | Oftalmologia Mutton Sorocaba

Degeneração Macular e Retinopatia Diabética Existem várias doenças que afetam os olhos que podem ser tratadas com o uso de ... Degeneração Macular e Retinopatia Diabética Existem várias doenças que afetam os olhos que podem ser tratadas com o uso de ... Melhorando o Edema Macular que causa baixa visão e distorção visual com o uso de medicações intravítreas ( como o OZURDEX e o ... A medicação chamada OZURDEX é uma grande ALIADA para o tratamento do EDEMA MACULAR DIABÉTICO.. ...
oftalmologiamutton.com.br/medicacoes-intra-oculares/

*  FDT Matrix - CENOE

Com mais agilidade do que um Campímetro convencional, o FDT usa a perimetria macular com frequencia dupla para testar as ... Degeneração de Mácula pela Idade e Edema de Mácula. ... Degeneração de Mácula pela Idade e Edema de Mácula. ... Com mais agilidade do que um Campímetro convencional, o FDT usa a perimetria macular com frequencia dupla para testar as ... Indicado para Degeneração de Mácula, Membrana epirretiniana, Edema de mácula e Glaucoma. ...
cenoe.com.br/fdt-matrix/

*  INDICAÇÕES DE XILODASE - Bula XILODASE

Edema Macular. Conecte-se. Sobre o MedicinaNET. O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos ...
medicinanet.com.br/bula/detalhes/5510/indicacoes_xilodase.htm

*  Professora Edvania: Março 2014

... que ajudam na identificação do edema macular, que surge nas fases mais avançadas da moléstia.. Até o momento, ainda não há um ...
professoraedvania.blogspot.com/2014/03/

Edema macularRetinopatia diabética: ( )Triamcinolona: Triamcinolona é um antiflogístico esteroidal de depósito, de uso veterinário, com longa duração e só requer uma aplicação a cada 15 dias. Outra grande vantagem desse anti-inflamatório é a ausência de efeito mineralocorticóide, que provoca desequilíbrio eletrolítico e alterações de hidratação.Teoria da coerência: Em física, teoria da coerência é o estudo dos efeitos ópticos parcialmente decorrentes de fontes de luz e rádio coerentes. Fontes parcialmente coerentes são fontes onde o tempo de coerência ou o comprimento de coerência são limitados pela largura de banda, por ruído térmico, ou por outro efeito.Hialócito: Os hialócitos, também chamados células vítreas, são células do corpo vítreo do olho, o qual se caracteriza pela cavidade cheia de gel transparente (humor vítreo) no espaço entre o cristalino e a retina do olho. Os hialócitos ocorrem na parte periférica do corpo vítreo, e podem produzir ácido hialurónico e colagénio,Sommer F, Brandl F, Weiser B, Tesmar J, Blunk T, Göpferich A.Mácula lútea: A mácula ou macula lútea (do latim macula, "ponto" + lútea, "amarelo") é um ponto ovalado de cor amarela junto ao centro da retina do olho humano. Tem um diâmetro de cerca 1,5 mm.Digital Photography Review: Digital Photography Review é um site sobre fotografia e câmeras digitais.UltrassomBevacizumabCirurgia de catarata: A cirurgia de catarata ou facectomia é a remoção do cristalino do olho que tornou-se opaco, referenciado como catarata.Oftalmoscopia: Oftalmoscopia ou fundoscopia é uma técnica de observação do fundo do olho (retina e outras estruturas internas).Diabetes mellitus tipo 1: O diabetes mellitus tipo 1 é uma disfunção metabólica e uma das formas de diabetes mellitus. É uma doença autoimune que resulta em destruição das células beta do pâncreas, as quais produzem insulina.Tecido conjuntivo denso: O tecido conjuntivo denso é a parte do tecido conjuntivo caracterizado pela abundância de fibras colágenas, o que lhe dá grande resistência. A disposição dessas fibras é a característica primordial para a classificá-lo como fibroso ou tendinoso.Pressão intraocular: Pressão Intraocular é a pressão dentro do olho. Tonometria é o método usado por profissionais de oftalmologia para determinar a pressão intraocular.Humor aquoso: O humor aquoso é um líquido incolor, constituído por água (98%) e sais dissolvidos (2%) - predominantemente cloreto de sódio - que preenche as câmaras oculares (cavidade do olho, entre a córnea e o cristalino). Ele é produzido incessantemente, com valor médio de 3 ml por dia, no processo ciliar, uma região recoberta por uma camada de células epiteliais, que transportam ativamente o humor aquoso desses processos ciliares para a parte posterior da córnea e à parte anterior da íris.Moscas volantes: Moscas volantes (do latim muscae volitantes, "moscas esvoaçantes") são fenômenos entópticos caracterizados por formas semelhantes a sombras que aparecem sozinhas ou junto com muitas outras no campo visual do indivíduo. Eles podem ter a forma de pontos, linhas, ou fragmentos de teias de aranhas, que flutuam vagarosamente em frente aos olhos.


retina


  • Um edema macular ocorre quando depósitos de fluidos e proteínas se acumulam sobre ou sob a mácula do olho, uma região central amarelada da retina, tornando a mais espessa e inchada. (wikipedia.org)
  • Pars Planitis é uma Uveíte intermediária não infecciosa localizada na Pars Plana é uma camada localizada na área periférica do olho, fazendo parte da úvea, que ocasiona complicações como descolamento de retina, edema macular e vitreíte. (wikipedia.org)
  • O surgimento de inchaço (edema) que pode ocorrer no interior do olho, particularmente na retina periférica ou na mácula que podem conduzir a diminuição da visão. (wikipedia.org)
  • O quadro clínico pode se complicar por cataratas, descolamento da retina, ou de fluido dentro da retina (edema macular), aglomerados de células brancas do sangue presas dentro do globo ocular que são chamados de Snowball ou Snowbank. (wikipedia.org)
  • Ele é usado para tratar lesão da retina (parte de trás do olho sensível a luz) causada pelo vazamento e crescimento anormal dos vasos sanguíneos em doenças como a forma úmida da degeneração macular relacionada à idade (DMRI) ou miopia patológica (MP). (wikipedia.org)
  • É utilizado também para tratar o edema macular diabético (EMD) e o bloqueio das veias da retina (OVR). (wikipedia.org)
  • Degeneração Macular Relacionada a Idade: a partir desta condição que se refere a um processo degenerativo ( pelo efeito da idade ) , se forma uma membrana NEOVASCULAR ( feita de vasos ) que CRESCE na RETINA e causa acúmulo de LÍQUIDO e posteriormente sangramento e formação de CICATRIZ. (oftalmologiamutton.com.br)

idade


  • É um anti-angiogënico aprovado para o tratamento do tipo "húmido" da Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), uma forma comum de perda de visão relacionada com a idade. (wikipedia.org)
  • O ranibizumabe reduz ambos, o crescimento e o vazamento de novos vasos no olho, processos anormais que contribuem para a progressão da forma úmida da degeneração macular relacionada à idade (DMRI), miopia patológica (MP, um tipo de miopia grave e progressiva) e o desenvolvimento de edema macular (inchaço) devido à diabetes (edema macular diabético, EMD) ou oclusão de veia retinal (OVR). (wikipedia.org)
  • O exame feito a partir deste aparelho é fundamental para auxíliar o diagnóstico de Glaucoma, Degeneração de Mácula pela Idade e Edema de Mácula. (cenoe.com.br)

causa


  • Apesar dos resultados indicarem eficácia semelhante para o bevacizumabe e o ranibizumabe, o bevacizumabe é recomendável para o tratamento do edema macular diabético por causa do custo-beneficio: de acordo com o CONITEC, estima-se que a incorporação dessas tecnologias resultará em um impacto orçamentário em 3 anos de R$ 143 milhões para uso de bevacizumabe e R$ 12.4 bilhões quando se usa ranibizumabe. (wikipedia.org)
  • É também comum ser confundido com uma reacção alérgica ao objecto causando comichão, quando de facto é o acto de coçar que causa o edema. (wikipedia.org)