Distrofias Hereditárias da Córnea: Transtornos hereditários bilaterais da córnea, normalmente autossômicos dominantes, que podem se apresentar no nascimento sendo, porém, mais frequentemente desenvolvidas durante a adolescência e progride lentamente através da vida. A distrofia macular central é herdada como um defeito autossômico recessivo.Distrofia Endotelial de Fuchs: Transtorno causado pela perda do endotélio da córnea central. É caracterizado pelo crescimento externo de hialina endotelial na LÂMINA LIMITANTE POSTERIOR, bolhas epiteliais, visão reduzida e dor.Distrofia Corneana Epitelial Juvenil de Meesmann: Forma autossômica dominante da distrofia corneana hereditária devido a um defeito na formação de QUERATINA córnea-específica. As mutações nos genes que codificam a QUERATINA-3 e a QUERATINA-12 estão relacionados com esta desordem.Distrofias Musculares: Grupo heterogêneo de miopatias hereditárias, caracterizadas por degeneração e debilidade do MÚSCULO ESQUELÉTICO. São classificadas pela localização da DEBILIDADE MUSCULAR, IDADE DE INÍCIO e PADRÕES DE HERANÇA.Colágeno Tipo VIII: Colágeno não fibrilar originalmente encontrado na LÂMINA LIMITANTE POSTERIOR DA CÓRNEA. É expresso nas camadas das células endoteliais e nos tecidos que realizam remodelagem ativa. É um heterotrímero composto por cadeias alfa1 (VIII) e alfa2 (VIII).Distrofia Miotônica: Transtorno neuromuscular caracterizado por atrofia muscular progressiva (ver ATROFIA MUSCULAR ESPINAL), MIOTONIA e várias atrofias multissistêmicas. DEFICIÊNCIA INTELECTUAL leve também pode ocorrer. EXPANSÃO DAS REPETIÇÕES DE TRINUCLEOTÍDEOS anormal nas REGIÕES 3' NÃO TRADUZIDAS do gene da PROTEÍNA DMPK está associado com a distrofia miotônica 1. A EXPANSÃO DAS REPETIÇÕES DE DNA do íntron do gene da proteína 9 em dedos de zinco está associada com a distrofia miotônica 2.Córnea: Porção anterior (transparente) da túnica fibrosa que reveste o olho, composta por cinco camadas: EPITÉLIO DA CÓRNEA (estratificado escamoso) LÂMINA LIMITANTE ANTERIOR, ESTROMA CORNEAL, LÂMINA LIMITANTE POSTERIOR e ENDOTÉLIO DA CÓRNEA (mesenquimal). Serve como primeiro meio de refração do olho. Estruturalmente, continua-se com a ESCLERA, é avascular, e recebe os nutrientes por permeação através de espaços entre as lamelas. É inervada pela divisão oftálmica do NERVO TRIGÊMEO (via nervos ciliares) e pelos da conjuntiva ao redor que, juntos, formam plexos. (Tradução livre do original: Cline et al., Dictionary of Visual Science, 4th ed)Distrofia Muscular de Duchenne: Doença muscular recessiva ligada ao X causada por uma inabilidade para a síntese de DISTROFINA que está envolvida em manter a integridade do sarcolema. As fibras musculares passam por um processo que apresenta degeneração e regeneração. As manisfestações clínicas incluem fraqueza proximal nos primeiros anos de vida, pseudohipertrofia, cardiomiopatia (ver DOENÇAS DO MIOCÁRDIO) e uma incidência aumentada de prejuízo das funções mentais. A distrofia muscular de Becker é uma afecção proximamente relacionada apresentando um início tardio de doença, normalmente na adolescência, e progressão lenta.Opacidade da Córnea: Transtorno que ocorre na área central ou periférica da córnea. O grau normal de transparência torna-se relativamente opaco.Linhagem: Registro da descendência ou ancestralidade, particularmente de uma característica ou traço especial que identifica cada membro da família, suas relações e seu estado em relação a este traço ou característica.Lâmina Limitante Posterior: Camada da córnea. É a lâmina basal do ENDOTÉLIO DA CÓRNEA (a partir da qual é secretada) separando-a do ESTROMA CORNEAL. Estrutura homogênea composta por finos filamentos de colágeno, que lentamente se espessa com a idade.Queratina-12: Queratina tipo I encontrada associada com a QUERATINA-3 na CÓRNEA e é considerada como um marcador para a diferenciação epitelial do tipo corneano. As mutações no gene que codifica a queratina-12 são associadas com a distrofia epitelial corneana de Meesmann.Proteínas da Matriz Extracelular: Compostos orgânicos macromoleculares que contêm carbono, hidrogênio, oxigênio, nitrogênio e, geralmente, enxofre. Essas macromoléculas (proteínas) formam uma malha intrincada reticulada na qual as células se inserem para construir os tecidos. Variações nos tipos relativos de macromoléculas e sua organização determina o tipo de matriz extracelular, cada uma adaptada para os requisitos funcionais do tecido. As duas principais classes de macromoléculas que formam a matriz extracelular são: as glicosaminoglicanas, geralmente ligadas a proteínas (proteoglicanas) e proteínas fibrosas (ex., COLÁGENO, ELASTINA, FRIBRONECTINAS e LAMININA).Lâmina Limitante Anterior: Camada de matriz acelular que confere estabilidade e força à córnea. Localizada abaixo do EPITÉLIO DA CÓRNEA (e acima do ESTROMA CORNEAL), é constituída por fibras de COLÁGENO organizadas aleatoriamente em um leito condensado de substância intercelular.Distrofia Muscular AnimalEpitélio Posterior: Camada única de células achatadas e grandes que recobre a superfície da córnea.Ceratoplastia Penetrante: Substituição parcial ou total de todas as camadas de uma porção central da córnea.Ceratocone: Protrusão não inflamatória usualmente bilateral da córnea, o ápice estando desviado para baixo e nasalmente. Ocorre mais comumente em mulheres por volta da puberdade. A causa é desconhecida, mas fatores hereditários podem desempenhar este papel. (Dorland, 28a ed)Sulfato de Ceratano: Mucopolissacarídeo sulfatado inicialmente isolado a partir da córnea bovina. Pelo menos dois grupos deles são atualmente conhecidos. O tipo I, mais frequentemente encontrado na córnea, contém D-galactose e D-glucosamina-6-O-sulfato como unidades repetitivas; e o tipo II, encontrado no tecido esquelético contém D-galactose e D-galactosamina-6-O-sulfato como unidade repetitiva.Amiloidose Familiar: Doenças em que há um modelo de AMILOIDOSE familiar.Substância Própria: Tecido conjuntivo, organizado em lamelas, que constitui a camada mais espessa da córnea localizada entre a LÂMINA LIMITANTE ANTERIOR e a LÂMINA LIMITANTE POSTERIOR (membranas de Bowman e de Descemet, respectivamente).Análise Mutacional de DNA: Identificação bioquímica das alterações mutacionais em uma sequência de nucleotídeos.Transplante de Córnea: Substituição parcial ou total da CÓRNEA de um humano ou animal, para outro.Mutação: Qualquer mudança detectável e hereditária que ocorre no material genético causando uma alteração no GENÓTIPO e transmitida às células filhas e às gerações sucessivas.Current Procedural Terminology: Termos descritivos e códigos de identificação para relatar serviços e procedimentos clínicos realizados por MÉDICOS. É produzida pela AMERICAN MEDICAL ASSOCIATION e utilizada para solicitações junto a companhias de seguro sob as rubricas MEDICARE, MEDICAID e programas privados de seguro de saúde (Tradução livre do original: CPT 2002).Distrofias Retinianas: Grupo de distúrbios que envolvem predominantemente a porção posterior do fundo ocular, devido à degeneração na camada sensorial da RETINA, EPITÉLIO PIGMENTADO DA RETINA, LÂMINA BASILAR DA CORIOIDE, CORIOIDE ou uma combinação destes tecidos.Paquimetria Corneana: Medida da espessura da CÓRNEA.Dimetilaliltranstransferase: Enzima que, na via da biossíntese do colesterol, catalisa a condensação de isopentenil pirofosfato e dimetilalilpirofosfato para dar pirofosfato e geranilpirofosfato. A enzima então catalisa a condensação do último composto com outra molécula de isopentenil pirofosfato, fornecendo pirofosfato e farnesilpirofosfato. EC 2.5.1.1.Fator de Crescimento Transformador beta: Fator sintetizado em uma ampla variedade de tecidos. Atua sinergisticamente com o TGF-alfa na indução da transformação fenotípica e também pode atuar como fator de crescimento autócrino negativo. O TGF-beta desempenha um papel no desenvolvimento embrionário, diferenciação celular, secreção de hormônio e função imunológica. O TGF-beta é encontrado principalmente como formas homodímeras de distintos produtos do gene TGF-beta1, TGF-beta2 ou TGF-beta3. Os heterodímeros compostos de TGF-beta1 e 2 (TGF-beta1.2) ou de TGF-beta2 e 3 (TGF-beta2.3) foram isolados. As proteínas TGF-beta são sintetizadas como precursoras de proteínas.Distrofia Muscular Facioescapuloumeral: Doença muscular, degenerativa, autossômica e dominante, caracterizada por fraqueza de progressão lenta dos músculos da face, braço e cintura escapular. O início dos sintomas, normalmente ocorre na primeira ou segunda década de vida. Os indivíduos afetados, normalmente apresentam dificuldade em erguer a extremidade superior. Isso tende a ser seguido por fraqueza facial, envolvendo principalmente os músculos orbicular oral e orbicular do olho. (Tradução livre do original: Neuromuscul Disord 1997;7(1):55-62; Adams et al., Principles of Neurology, 6a ed, p1420)Doenças da Córnea: Doenças da córnea.Queratina-3: Queratina tipo II encontrada associada com a QUERATINA-12 na CÓRNEA e é considerada como um marcador para a diferenciação epitelial do tipo corneano. As mutações no gene da queratina-3 estão associadas com a distrofia epitelial corneana de Meesmann.Distrofina: Proteína muscular localizada na superfície de membranas a qual é o produto da distrofia muscular de Duchenne/Becker. Indivíduos com distrofia muscular de Duchenne usualmente têm falta da proteína, enquanto aqueles portadores da distrofia muscular de Becker possuem a distrofina de tamanho alterado. A distrofina compartilha características com outras proteínas do citoesqueleto tais como a ESPECTRINA e a alfa-actinina, mas a função precisa da distrofina ainda não está esclarecida. Um papel possível dessa proteína pode estar relacionado à integridade e alinhamento da membrana plasmática às miofribilas durante a contração muscular e relaxamento. Seu peso molecular é de 400 kDa.Mutação de Sentido Incorreto: Mutação em que um codon é mudado para outro, que direciona a incorporação de um aminoácido diferente. Esta substituição pode resultar em produto inativo ou instável.Éxons: Partes de um transcrito de um gene (ver GENES) rompido que permanece após a remoção dos ÍNTRONS. São unidas, tornando-se um RNA MENSAGEIRO ou outro RNA funcional.Sulfotransferases: Enzimas que transferem grupos sulfato de várias moléculas aceptoras. Estão envolvidas na sulfatação proteica pós-tradução, e na conjugação do sulfato de compostos químicos exógenos e ácidos biliares. EC 2.8.2.Heterozigoto: Indivíduo com alelos diferentes em um ou mais loci considerando um caráter específico.Cromossomos Humanos Par 5: Um dos dois pares de cromossomos humanos na classe do grupo B (CROMOSSOMOS HUMANOS 4-5).Epitélio Anterior: Epitélio escamoso, estratificado que recobre a superfície externa da CÓRNEA. É lisa e contém muitas terminações nervosas livres.Fenótipo: Aparência externa do indivíduo. É o produto das interações entre genes e entre o GENÓTIPO e o meio ambiente.Ceratectomia Fotorrefrativa: Tipo de cirurgia refrativa da CÓRNEA para corrigir MIOPIA e ASTIGMATISMO. Um EXCIMER LASER é usado diretamente na superfície do OLHO para remover o EPITÉLIO ANTERIOR, remodelando a curvatura anterior da córnea.Edema da Córnea: Quantidade excessiva de líquido na córnea devido a danos do epitélio ou endotélio, causando diminuição da acuidade visual.Ceratócitos da Córnea: Fibroblastos que ocorrem no estroma corneano.Lasers de Excimer: Lasers a gás com dímeros excitados (ex. excimers) como meio ativo. Geralmente os mais utilizados são os monohaletos de gases raros (ex. fluoreto de argônio, cloreto de xenônio). Seus principais comprimentos de onda de emissão estão na faixa do ultravioleta e dependem do monolaleto usado (ex. 193 nm para o ArF, 308 nm para o XeCl). Estes lasers são operados nos modos pulsados e 'Q-switched' e utilizados em decomposição fotoablativa envolvendo a remoção efetiva de tecido.Distrofia Muscular de Emery-Dreifuss: Grupo heterogêneo de distrofia muscular hereditária sem o envolvimento do sistema nervoso. Caracteriza-se por ATROFIA MUSCULAR, DEBILIDADE MUSCULAR, CONTRATURA dos cotovelos, TENDÃO DO CALCÂNEO e músculos cervicais posteriores, com ou sem características cardíacas. Há vários PADRÕES DE HERANÇA incluindo as mutações gênicas associadas ao CROMOSSOMO X autossômicas dominantes ou recessivas.Genes Dominantes: Genes que influenciam o FENÓTIPO, tanto no estado homozigótico como heterozigótico.Camundongos Endogâmicos mdx: Linhagem de camundongos surgidos de MUTAÇÃO espontânea (mdx) em camundongos endogâmicos C57BL. Esta mutação é ligada ao cromossomo X e produz animais homozigotos viáveis que não possuem a proteína muscular DISTROFINA, possuem altos níveis séricos de ENZIMAS musculares e apresentam lesões histológicas semelhantes à DISTROFIA MUSCULAR humana. As características histológicas, ligação e o local da mutação espontânea fazem destes camundongos um valioso modelo animal da DISTROFIA MUSCULAR DE DUCHENNE.Ligação Genética: Co-herança de dois ou mais GENES não alélicos, devido ao fato de estarem localizados relativamente próximos no mesmo CROMOSSOMO.Proteínas do OlhoHomozigoto: Indivíduo cujos alelos (ambos), em um dado locus, são idênticos.Distrofias Neuroaxonais: Termo não específico que se refere tanto aos achados patológicos da dilatação das porções distais dos axônios no cérebro, como aos transtornos que caracterizam estes achados. A distrofia neuroaxonal é encontrada em várias doenças genéticas, em deficiências vitamínicas e idade avançada. A distrofia neuroaxonal infantil é uma doença autossômica, recessiva, caracterizada por desenvolvimento psicomotor prejudicado entre os 6 meses e os 2 anos de idade, ataxia, disfunção do tronco cerebral e quadriparesia. As formas juvenil e adulta também ocorrem. Entre os achados patológicos estão atrofia cerebral e amplo acúmulo de esferoides axonais por todos os neuroeixos, nervos periféricos e polpa dentária. (Tradução livre do original: Davis & Robertson, Textbook of Neuropathology, 2nd ed, p927)Sequência de Bases: Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.Cromossomos Humanos Par 20: Par específico de cromossomos do grupo F na classificação dos cromossomos humanos.Amiloidose: Grupo de doenças esporádicas, familiares e/ou hereditárias, degenerativas e infecciosas, tendo como ponto comum o dobramento anormal de proteína e depósito de AMILOIDE. Como o depósito de amiloide aumenta, ele desloca as estruturas normais do tecido, causando perda funcional. Vários sinais e sintomas dependem do local e tamanho dos depósitos.Sarcoglicanas: Família de proteínas transmembrana associadas à distrofina que desempenham papel na associação do COMPLEXO DE PROTEÍNAS ASSOCIADAS À DISTROFINA à membrana.Reação em Cadeia da Polimerase: Método in vitro para produção de grandes quantidades de DNA específico ou fragmentos de RNA de comprimento definido de pequenas quantidades de oligonucleotídeos curtos de sequências flanqueantes (iniciadores ou "primers"). O passo essencial inclui desnaturação térmica de moléculas alvo da dupla fita, reassociação dos primers a suas sequências complementares e extensão do iniciador reassociado pela síntese enzimática com DNA polimerase. A reação é eficiente, específica e extremamente sensível. A utilização da reação inclui diagnóstico de doenças, detecção de patógenos difíceis de se isolar, análise de mutações, teste genético, sequenciamento de DNA e análise das relações evolutivas.Topografia da Córnea: Medida da curvatura e forma da superfície anterior da córnea usando-se técnicas como ceratometria, ceratoscopia, fotoceratoscopia, perfil fotográfico, processamento de imagem assistido por computador e videoceratografia. Esta medida é frequentemente feita para adaptação de lentes de contato e para diagnóstico de doenças corneanas ou de alterações corneanas inclusive ceratocone que ocorre após ceratotomia e ceratoplastia.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Grupo com Ancestrais do Continente Asiático: Indivíduos cujas origens ancestrais estão nas áreas do sudeste e leste do continente asiático.Acuidade Visual: Clareza ou nitidez da VISÃO OCULAR ou a habilidade dos olhos de enxergar detalhes finos. A acuidade visual depende das funções da RETINA, da transmissão nervosa e da habilidade interpretativa do encéfalo. A acuidade visual normal (humana) é expressa como 20/20, que indica que uma pessoa pode enxergar a 20 pés (aproximadamente 6,1 m) o que normalmente deve ser visto a esta distância. A acuidade visual também pode ser influenciada por brilho, cor e contraste.Microscopia Confocal: Técnica microscópica de luz na qual somente um pequeno ponto é iluminado e observado por um tempo. Dessa forma, uma imagem é construída através de uma varredura ponto-a-ponto do campo. As fontes de luz podem ser convencionais ou por laser, e são possíveis fluorescência ou observações transmitidas.Proteínas de Transporte de Ânions: Proteínas de membrana, cuja função principal é facilitar o transporte de moléculas carregadas negativamente (ânions) através das membranas celulares.Substituição de Aminoácidos: Ocorrência natural ou experimentalmente induzida da substituição de um ou mais AMINOÁCIDOS em uma proteína por outro. Se um aminoácido funcionalmente equivalente é substituído, a proteína pode conservar sua atividade original. A substituição pode também diminuir, aumentar ou eliminar a função da proteína. A substituição experimentalmente induzida é frequentemente utilizada para estudar a atividade enzimática e propriedades dos sítios de ligação.Mutação Puntual: Mutação causada pela substituição de um nucleotídeo por outro. O resultado é uma molécula de DNA com troca de um único par de bases.Fator de Crescimento Transformador beta1: Subtipo de fator transformador de crescimento beta sintetizado por uma ampla variedade de células. É sintetizado como uma molécula precursora que é clivada para formar o TGF-beta 1 maduro e o peptídeo associado à latência TGF-beta1. A associação dos produtos da clivagem resulta na formação de uma proteína latente que deve ser ativada para se ligar ao seu receptor. Defeitos no gene que codifica a TGF-beta1 são a causa da SÍNDROME DE CAMURATI-ENGELMANN.Distrofia Muscular Oculofaríngea: Doença hereditária, autossômica e dominante, manifestando-se tardiamente e caracterizada por DISFAGIA e ptose progressiva das pálpebras. As mutações no gene da PROTEÍNA II DE LIGAÇÃO A POLI(A) foram associadas com distrofia do músculo oculofaríngeo.Consanguinidade: Magnitude da ENDOGAMIA em humanos.Distroglicanas: Proteínas associadas à distrofina que desempenha um papel na formação de um elo transmembranal entre a laminina 2 e a DISTROFINA. Tanto o subtipo alfa como o beta das distroglicanas provêm do processamento de proteína pós-traducional de um único precursor proteico.República Tcheca: Criada em 1 de janeiro de 1993 como resultado da divisão da Tchecoslováquia em República Tcheca e Eslováquia.Distrofia Simpática Reflexa: Síndrome caracterizada por dor queimante grave em uma extremidade, acompanhada de alterações tróficas, vasomotoras e sudomotoras nos ossos, sem uma lesão associada no nervo específico. Esta afecção geralmente é precipitada por traumas em tecidos moles ou nervos complexos. A pele sobre a região afetada normalmente é eritematosa e demonstra hipersensibilidade a estímulos táteis e eritema. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p1360; Pain 1995 Oct;63(1):127-33)Heterogeneidade Genética: Presença de características aparentemente semelhantes para as quais a evidência genética indica que genes diferentes ou mecanismos genéticos diferentes estão envolvidos em genealogias diferentes. Na clínica, a heterogeneidade genética se refere à presença de vários defeitos genéticos que causam a mesma doença, frequentemente devido a mutações em locais diferentes no mesmo gene, um achado comum a muitas doenças humanas, inclusive a DOENÇA DE ALZHEIMER, FIBROSE CÍSTICA, DEFICIÊNCIA DE LIPOPROTEÍNA LIPASE FAMILIAR e NEFROPATIAS POLICÍSTICAS. (Tradução livre do original: Rieger, et al., Glossary of Genetics: Classical and Molecular, 5th ed; Segen, Dictionary of Modern Medicine, 1992)Mutação da Fase de Leitura: Tipo de mutação em que vários NUCLEOTÍDEOS deletados ou inseridos em uma sequência de codificação de proteínas não são divisíveis por três, causando assim uma alteração nas FASES DE LEITURA de toda a sequência do código, além da mutação. Estas mutações podem ser induzidas por certos tipos de MUTÁGENOS, ou podem ocorrer espontaneamente.Polimorfismo Conformacional de Fita Simples: Variação em uma sequência no DNA da população, a qual é detectada determinando-se alterações na conformação dos fragmentos de DNA desnaturados. Estes são renaturados sob condições que impedem a formação de DNA de fita dupla, mas permitem que se forme uma estrutura secundária em fragmentos de fita simples. Estes fragmentos são então analisados em gel de poliacrilamida para se detectar variação na estrutura secundária, que se manifesta como alteração na migração através de géis.Estudos de Associação Genética: Análise de uma sequência molecular, como uma região de um cromossomo, um haplótipo, um gene ou um alelo, em relação a seu envolvimento no controle do fenótipo de uma determinada característica, da via metabólica ou da doença.Utrofina: Proteína do citoesqueleto de 376 kDa, codificada autossomicamente, semelhante na estrutura e função à DISTROFINA. É uma proteína ubiquamente expressa cuja função é ancorar o CITOESQUELETO à MEMBRANA PLASMÁTICA.Distrofia Macular Viteliforme: Maculopatia hereditária autossômica dominante de início na infância e acúmulo de LIPOFUSCINA no EPITÉLIO PIGMENTAR DA RETINA. Os indivíduos afetados desenvolvem perda progressiva da acuidade central e visão distorcida (ver TRANSTORNOS DA VISÃO). Está associada a mutações na bestrofina, proteína que funciona como canal de cloro.Arco Senil: Doença da córnea em que há deposição de fosfolipídeos e colesterol no estroma corneano e esclera anterior.Amiloide: Complexo fibroproteico que consiste de proteínas organizadas em uma estrutura beta-pregueada específica em cruz. Esta estrutura fibrilar revelou ser um padrão alternativo de dobramento para uma variedade de proteínas funcionais. Depósitos de amiloide na forma de PLACA AMILOIDE estão associados com várias doenças degenerativas. A estrutura amiloide também tem sido encontrada em certo número de proteínas funcionais que não estão relacionadas com doenças.Haplotipos: Constituição genética de indivíduos, em relação a um membro de um par de genes alelos ou grupos de genes intimamente ligados e que tendem a ser herdados em conjunto, como os do COMPLEXO PRINCIPAL DE HISTOCOMPATIBILIDADE.Músculo Esquelético: Subtipo de músculo estriado fixado por TENDÕES ao ESQUELETO. Os músculos esqueléticos são inervados e seus movimentos podem ser conscientemente controlados. Também são chamados de músculos voluntários.Fatores de Transcrição de Zíper de Leucina e Hélice-Alça-Hélix Básicos: Família de fatores de transcrição contendo regiões ricas em resíduos básicos, domínios de ZíPER DE LEUCINA e SEQUÊNCIAS HÉLICE-ALÇA-HÉLICE.Colágeno Tipo IV: Colágeno não fibrilar encontrado na estrutura da MEMBRANA BASAL. As moléculas de colágeno tipo IV se agrupam para formar uma malha semelhante a uma lâmina para manter a integridade estrutural das membranas basais. A forma predominante da proteína é composta por duas subunidades alfa1 (IV) e uma subunidade alfa2 (IV), porém pelo menos seis diferentes subunidades alfa podem ser incorporadas no heterotrímero.Antiporters: Transportadores de membrana que cotransportam duas ou mais moléculas distintas em sentidos opostos através da membrana. Geralmente, o transporte de um íon ou molécula ocorre contra seu gradiente eletroquímico, recebendo energia do movimento de um outro íon ou molécula a favor de seu gradiente eletroquímico.Genótipo: Constituição genética do indivíduo que abrange os ALELOS presentes em cada um dos LOCI GÊNICOS.Família: Grupo social que consiste de pais ou pais substitutos e crianças.Decorina: Pequeno proteoglicano rico em leucina que interage com COLÁGENOS FIBRILARES e modifica a estrutura da MATRIZ EXTRACELULAR de TECIDO CONJUNTIVO. Também se demonstrou que a decorina desempenha papéis acessórios na regulação de respostas celulares a FATORES DE CRESCIMENTO. A proteína contém uma única cadeia de glicosaminoglicano e é estruturalmente semelhante ao BIGLICANO.

*  Infecções Por Adenophorea - lookfordiagnosis.com

Doenças Da Córnea. * Distrofias Hereditárias Da Córnea. * Distrofia Corneana Epitelial Juvenil De Meesmann ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=87

*  Doenças Dos Gânglios Da Base - lookfordiagnosis.com

Doenças Da Córnea. * Distrofias Hereditárias Da Córnea. * Distrofia Corneana Epitelial Juvenil De Meesmann ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=382

*  MANCHAS ESCURAS NA GLANDE, ALGUM TIPO DE MANCHA MARROM AO RE - Página 5 - lookfordiagnosis.com

Doenças Da Córnea. * Distrofias Hereditárias Da Córnea. * Distrofia Corneana Epitelial Juvenil De Meesmann ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewtopic.php?f=370&t=22618&sid=0e73f893401ce024473c8140f7353b7e&start=40

*  Afasia Acinética - lookfordiagnosis.com

Doenças Da Córnea. * Distrofias Hereditárias Da Córnea. * Distrofia Corneana Epitelial Juvenil De Meesmann ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=127

*  Babesiose - lookfordiagnosis.com

Doenças Da Córnea. * Distrofias Hereditárias Da Córnea. * Distrofia Corneana Epitelial Juvenil De Meesmann ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=360

*  Neoplasias Abdominais - lookfordiagnosis.com

Doenças Da Córnea. * Distrofias Hereditárias Da Córnea. * Distrofia Corneana Epitelial Juvenil De Meesmann ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=3

*  Arritmia Sinusal - lookfordiagnosis.com

Doenças Da Córnea. * Distrofias Hereditárias Da Córnea. * Distrofia Corneana Epitelial Juvenil De Meesmann ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=294

*  Retinite pigmentosa - Wikipedia

Formas da RP e doenças relacionadas incluem a síndrome de Usher, amaurose congênita de Leber, distrofia de cones e bastonetes, ... trata-se de um conjunto de doenças hereditárias, que causam a degeneração da retina, região do fundo do olho humano responsável ... In http://retinabrasil.org.br/site/doencas/retinose-pigmentar// SOBLEC - Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e ... Se um membro da família é diagnosticado com RP, recomenda-se fortemente que os outros membros da família também passem pela ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Retinite_pigmentosa

*  Labrador Retriever - Okamix

... bem como distrofias de córnea e displasia de retina. Os cães que se destinam a ser criados deverão ser examinados por ... Os primeiros Labradores eram cães da água que vieram dos Terra-nova, e recebeu este nome por ser nativo da região chamada ... Como doenças hereditárias, os labradores são pouco comuns, mas em alguns casos são propensos a problemas de anca e displasia de ... A raça não é muito antiga, tendo sido formado o clube da raça em 1916 e o clube do labrador amarelo fundado em 1925. Foi nas ...
https://okamix.com.br/category/labrador-retriever/

Distrofia de FuchsProbando: Probando é um termo usado em genética médica e noutros campos da medicina para designar um indivíduo particular (pessoa ou animal) que estiver sendo estudado ou reportado na literatura científica. Quando uma doença genética é diagnosticada pela primeira vez numa determinada família, o indivíduo diagnosticado é o probando (caso índice).Endotélio corneano: Corneal endothelium é a camada mais interna da córnea e a mais importante.Eunice Bowman: Eunice Bowman (nascida Crook; 23 de agosto de 1898 - 16 de julho de 2010) foi uma supercentenária britânica, e com a idade de 111 anos e 327 dias foi a pessoa mais velha do Reino Unido após a morte de Florrie Baldwin em 8 de maio 2010.CeratoconeTransplante de córnea: Transplante de córnea é um procedimento cirúrgico no qual uma córnea lesionada ou com doença é substituída por outra de um doador.Distrofia fascio-escapulo-humeral: Distrofia Fascio-escápulo-Umeral é um tipo de distrofia muscular progressiva. Incide em oito de cada cem mil indivíduos (§ S.Distrofina: A distrofina é uma proteína do complexo distrofina-glicoproteínas que liga o citoesqueleto da fibra muscular à matriz extracelular, através da membrana celular.Splicing alternativoLasek: LASEK (do inglês Laser-Assisted Sub-Epithelial Keratectomy) é a designação de um intervenção cirurgica indolor e relativamente rápido (cerca de 10 minutos), com a utilização de raio laser, para a correção de erros visuais diretamente no olho humano, desenvolvido originalmente na Itália por Massimo Camellin em 1999.Linkage genético: Linkage genético, ou ligação genética, descreve a associação de dois ou mais loci num cromossoma a partir do nível de recombinação meiótica entre eles.Fosfolipase: A fosfolipase é uma enzima que hidrolisa as ligações éster presentes nos fosfolípidos. Existem quatro classes de fosfolipases, chamadas A, B, C e D.Long terminal repeat: Long Terminal Repeats (LTR) são grandes sequências repetitivas de nucleotídeos que medem centenas ou milhares de bases. As LTRs são encontradas nas extremidades de uma molécula de ácido nucléico, flanqueando genes funcionais, como em DNA retroviral e em retrotransposons.AmiloidoseMutação pontual: A mutação pontual é uma mutação que afeta uma única posição no gene. Isto pode causar mudanças na proteína por ele codificada.Stanislav GrossFentolaminaInserção (genética): Uma inserção genética é a adição de um ou mais pares de bases de nucleótidos em uma sequência genética. Isto pode ocorrer em regiões de microssatélites devido ao deslizamento de ADN polimerase.Polimorfismo de conformação de filamento único: Polimorfismo de conformação de filamento único ou polimorfismo de conformação de fita simples (SSCP, do inglês Single Strand Conformation Polymorphism) é definida como uma técnica de diferenciação de filamentos únicos de DNA de comprimentos idênticos como induzidos por diferenças nas sequências sob certas condições experimentais. Esta propriedade permite distinguir as seqüências por meio de eletroforese em gel, que separa as diferentes conformações.Arco senil: Arco senil, ou gerontoxo, é a presença de um anel opaco esbranquiçado na região periférica da córnea (junção esclerocorneal), ao redor da íris.Amiloide: Amilóides são fibrilas proteicas que podem depositar em vários tecidos (epitelial, ósseo, muscular, etc.), prejudicando a função de vários órgãos (rins, pulmões, coração, intestino, cérebro, etc).Sistema muscular: 200px|thumb|Sistema Muscular do corpo humano


Base


  • Além disso, há administradores que removem registos de utilizadores que nunca colocaram mensagens, de modo a reduzir o tamanho da Base de Dados. (lookfordiagnosis.com)

dados


  • Segundo dados da Foundation Fighting Blindness, estima-se que 100.000 pessoas nos EUA possuem RP, principalmente causada por genes mutantes herdados de um ou ambos os pais. (wikipedia.org)

Mensagem


outras


  • Formas da RP e doenças relacionadas incluem a síndrome de Usher, amaurose congênita de Leber, distrofia de cones e bastonetes, síndrome de Bardet-Biedl, doença de Refsum, entre outras. (wikipedia.org)
  • No Brasil, os pacientes com Retinose Pigmentar ou outras doenças degenerativas da retina (DDR) como a síndrome de Usher, doença de Stargardt, DMRI, entre outras, pode contar com o suporte da Retina Brasil, uma associação de pacientes que atua na defesa e promoção dos direitos dos pacientes que sofrem com as DDR. (wikipedia.org)
  • No começo de 1900, as outras cores começaram a ser aceitas (PT-BR) / aceites (PT-PT), embora não tanto quanto a cor preta. (okamix.com.br)

Pessoas


  • Pessoas com RP apresentam a perda gradual da visão. (wikipedia.org)
  • Pessoas com degeneração nos cones apresentam primeiramente a diminuição da visão central e capacidade de discriminar as cores. (wikipedia.org)