Displasia Ectodérmica: Grupo de transtornos hereditários envolvendo os tecidos e estruturas derivadas da ectoderme embriogênica. São caracterizados pela presença de anormalidades no nascimento e envolvimento tanto da epiderme, como dos apêndices cutâneos. Geralmente são não progressivos e difusos. Existem várias formas, incluindo displasias hidróticas e não hidróticas, HIPOPLASIA DÉRMICA FOCAL e aplasia cutânea congênita.Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 1: Displasia ectodérmica ligada ao cromossomo X que resulta das mutações dos genes codificados ECTODISPLASINAS.Hipo-Hidrose: Perspiração ausente ou anormalmente diminuída. Ambas as formas generalizada e segmentada (sudorese reduzida ou ausente em localizações circunscritas) da doença estão normalmente associadas com outras afecções subjacentes.Ectodisplasinas: Proteínas transmembrana pertencentes à superfamília do fator de necrose tumoral que desempenham um papel essencial no desenvolvimento normal de diversos órgãos provenientes do ectoderma. As várias isoformas das ectodisplasinas são devidas ao PROCESSAMENTO ALTERNATIVO do MRNA da proteína. As isoformas ectodisplasina A1 e a ectodisplasina A2 são consideradas biologicamente ativas e cada uma se liga a distintos RECEPTORES DA ECTODISPLASINA. Mutações genéticas que acarretam perda da função da ectodisplasina leva à DISPLASIA ECTODÉRMICA ANIDRÓTICA TIPO 1.Anodontia: Ausência congênita de dentes; ela pode envolver todos (anodontia total) ou somente alguns dos dentes (anodontia parcial, hipodontia), e ambas a dentição decídua e a permanente, ou apenas dentes da dentição permanente. (Dorland, 28a ed)Displasia Ectodérmica Hipo-Hidrótica Autossômica Recessiva: Forma autossômica recessiva de displasia ectodérmica devida a mutações no gene para RECEPTOR EDAR ou PROTEÍNA DE DOMÍNIO DE MORTE ASSOCIADA A EDAR.Unhas Malformadas: Deformidades na estrutura ou aparência da unha, entre elas hipertrofia, rachaduras, sulcos, etc. As doenças genéticas, como PAQUIONÍQUIA CONGÊNITA pode resultar em unhas malformadas.Anormalidades Dentárias: A falta congênita das ou os defeitos nas estruturas dos dentes.Receptor Edar: Subtipo de receptor da ectodisplasina específico para a ECTODISPLASINA 1. Sinaliza por uma proteína adaptadora de sinalização específica, a PROTEÍNA DE DOMÍNIO DE MORTE ASSOCIADA A EDAR. A perda da função do receptor edar está associada com a displasia ectodérmica anidrótica autossômica recessiva e a DISPLASIA ECTODÉRMICA ANIDRÓTICA TIPO 3.Hipotricose: Presença de quantidade de pelos menor que o normal. (Dorland, 28a ed)Receptor Xedar: Subtipo de receptor da ectodisplasina específico para a ECTODISPLASINA 2. Diferentemente do RECEPTOR EDAR, o receptor Xedar sinaliza através da associação direta com os fatores associados a receptores de TNF. O nome da proteína se deve ao fato do gene que o codifica estar localizado no CROMOSSOMO X.Receptores da Ectodisplasina: Membros da família de receptor TNF específicos para a ECTODISPLASINA. Há pelo menos dois subtipos de receptor para a ectodisplasina sendo específico para cada isoforma. A sinalização através de receptores da ectodisplasina desempenha um papel essencial no desenvolvimento ectodérmico normal. Os defeitos genéticos que resultam em perda da função do receptor da ectodisplasina acarreta a DISPLASIA ECTODÉRMICA.Prótese Parcial Removível: Dentadura parcial projetada e construída para ser prontamente removida da boca.Sindactilia: Anomalia congênita da mão ou pé, caracterizada pela presença de uma membrana entre os dedos adjacentes. As sindactilias são classificadas, como completas ou incompletas de acordo com o grau de ligação entre os dedos. Também, podem ser simples ou complexas. As simples indicam apenas união de pele ou de tecidos moles e as complexas assinalam ligação de elementos ósseos.Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 3: Displasia ectodérmica autossômica dominante devido às mutações nos genes para o RECEPTOR EDAR.Prótese Total Inferior: Dentadura completa substituindo todos os dentes mandibulares naturais e estruturas associadas. É completamente suportada pelo tecido oral e osso mandibular subjacente.Displasia Fibrosa Óssea: Doença do osso marcada por adelgaçamento do córtex e substituição da medula óssea por tecido fibroso arenoso contendo espículas ósseas, produzindo dor, incapacidade, e deformidade que aumenta gradualmente. Pode comprometer apenas um osso (DISPLASIA FIBROSA MONOSTÓTICA) ou vários (DISPLASIA FIBROSA POLIOSTÓTICA).Doenças da Unha: Doenças da placa da unha e tecidos ao redor desta. O conceito é limitado a primatas.Proteína de Domínio de Morte Associada a Edar: Fator associado com o receptor do fator de necrose tumoral que age como uma proteína adaptadora de sinalização específica para o RECEPTOR EDAR e desempenha um papel importante no desenvolvimento ectodérmico. Se liga ao receptor edar pelo domínio de morte da região C-terminal e aos outros fatores associados ao receptor TNF pelo domínio N-terminal. A perda da função do domínio de morte da proteína associada com o edar está relacionada com a Displasia Anidrótica Ectodérmica Autossômica Recessiva.Fenda Labial: Defeito congênito do lábio superior onde a proeminência maxilar deixa de se fundir com as proeminências nasais medianas fundidas. Acredita-se que seja causado pela migração defeituosa do mesoderma para a região da cabeça.Síndromes de Imunodeficiência: Síndromes nas quais há deficiência ou defeito nos mecanismos de imunidade, tanto celular como humoral.Anormalidades da Boca: A falta congênita de ou os defeitos nas estruturas da boca.Glândulas Sudoríparas: Estruturas, inseridas na DERME, que produzem suor. Cada glândula é constituída por um tubo simples, um corpo espiralado e um ducto superficial.Dentição: Os dentes conjuntamente na arcada dentária. Normalmente, a dentição se refere aos dentes naturais posicionados em seus alvéolos. A dentição referente aos dentes decíduos é a DENTIÇÃO PRIMÁRIA; e a referente aos dentes permanentes é a DENTIÇÃO PERMANENTE.Síndrome: Complexo sintomático característico.Doenças Genéticas Ligadas ao Cromossomo X: Doenças genéticas ligadas a mutações nos genes do CROMOSSOMO X HUMANO ou no CROMOSSOMO X de outras espécies. Aqui estão incluídos os modelos animais de doenças ligadas ao cromossomo X humanas.Linhagem: Registro da descendência ou ancestralidade, particularmente de uma característica ou traço especial que identifica cada membro da família, suas relações e seu estado em relação a este traço ou característica.Deformidades Congênitas dos Membros: As deformidades estruturais congênitas das extremidades superiores e inferiores coletivamente ou inespecificamente.Displasia Broncopulmonar: Doença pulmonar crônica desenvolvida após OXIGENOTERAPIA ou VENTILAÇÃO MECÂNICA em certas crianças prematuras (PREMATUROS) ou recém-nascidos com síndrome do desconforto respiratório (SÍNDROME DO DESCONFORTO RESPIRATÓRIO DO RECÉM-NASCIDO). É caracterizada histologicamente por anormalidades incomuns dos bronquíolos, como a METAPLASIA, número reduzido de alvéolos e formação de CISTOS.Fissura Palatina: A fissura congênita do palato mole e/ou duro que se deve a uma fusão defeituosa.Anormalidades MúltiplasCromossomo X: Cromossomo sexual (diferencial) feminino transportado por gametas masculinos (50 por cento) e por todos os gametas femininos (nos humanos e em outras espécies heterogaméticas masculinas).Planejamento de Dentadura: Projeto, delineamento e localização de elementos estruturais presentes em dentaduras. O planejamento pode se relacionar a retentores, amortecedores de tensão (placas interoclusais, quebra-forças ou rompe-forças), apoios oclusais, arestas, estrutura, barreira lingual ou palatal, braços recíprocos, etc.Doenças do Desenvolvimento ÓsseoQueratinas Tipo II: Subtipo de queratina que geralmente inclui queratinas maiores e menos acídicas que as queratinas tipo I. As queratinas tipo II combinam com as queratinas tipo I formando filamentos queratinosos.Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.Doenças do Cabelo: Doenças que afetam a conservação e o último crescimento do cabelo.Incontinência Pigmentar: Genodermatose ocorrendo principalmente em mulheres, caracterizada por alterações cutâneas em três fases - vesiculobolhosa, verrucoso papilomatoso e macular melanodérmica. A hiperpigmentação é grotesca e irregular. Sessenta por cento dos pacientes possuem anormalidades dos olhos, dentes, sistema nervoso central e apêndices cutâneos.Ceratodermia Palmar e Plantar: Grupo de transtornos principalmente hereditários, caracterizados por engrossamento das palmas e solas das mãos e pés, como resultado da formação excessiva de queratina, levando à hipertrofia do estrato corneano (hiperceratose).Hiperpigmentação: Pigmentação excessiva da pele, normalmente como resultado da melanização aumentada da epiderme ou derme, a hipermelanose. A hiperpigmentação pode ser localizada ou generalizada. A afecção pode surgir da exposição à luz, produtos químicos, outras substâncias ou de um desequilíbrio metabólico primário.Deformidades Congênitas da Mão: As alterações ou os desvios da forma e do tamanho normais que resultam no desfiguramento da mão ocorrendo antes ou ao nascimento.Ectromelia: Aplasia ou hipoplasia grosseira de um ou mais ossos longos de um ou mais membros. O conceito inclui amelia, hemimelia, focomelia e sirenomelia.Genes Recessivos: Genes que influenciam o FENÓTIPO apenas no estágio homozigoto.Quinase I-kappa B: Proteína-serina-treonina quinase que catalisa a FOSFORILAÇÃO DE PROTEÍNAS I KAPPA B. Esta enzima ativa também a transcrição do fator NF-KAPPA B e é composta por sub-unidades catalíticas alfa e beta, que são proteínas quinases e gama, uma sub-unidade regulatória.Fotofobia: Sensibilidade anormal à luz. Pode ocorrer como uma manifestação de DOENÇAS OCULARES, ENXAQUECA, HEMORRAGIA SUBARACNOIDE, MENINGITE e outros transtornos. A fotofobia pode também ocorrer em associação com DEPRESSÃO e outros TRANSTORNOS MENTAIS.Síndrome de Ellis-Van Creveld: Nanismo ocorrendo em associação com desenvolvimento defeituoso da pele, cabelo, dentes, polidactilia e defeito do septo cardíaco. (Dorland, 28a ed)Prótese Total: Dentadura substituindo todos os dentes naturais e estruturas associadas no maxilar e mandíbula.Alopecia: Ausência de cabelo em áreas onde normalmente estaria presente.Displasia do Colo do Útero: Desenvolvimento anormal das CÉLULAS EPITELIAIS escamosas imaturas do colo do útero, termo usado para descrever alterações citológicas pré-malignas no EPITÉLIO cervical. Estas células atípicas não penetram a MEMBRANA BASAL epitelial.Mutação: Qualquer mudança detectável e hereditária que ocorre no material genético causando uma alteração no GENÓTIPO e transmitida às células filhas e às gerações sucessivas.Ligação Genética: Co-herança de dois ou mais GENES não alélicos, devido ao fato de estarem localizados relativamente próximos no mesmo CROMOSSOMO.Doenças das Glândulas Sudoríparas: Doenças das GLÂNDULAS SUDORÍPARAS.Displasia Fibromuscular: Doença não ateromatosa, segmentar, idiopática da musculatura das paredes arteriais, levando a ESTENOSE de artérias de pequeno e médio calibre. Há uma verdadeira proliferação das CÉLULAS DE MÚSCULO LISO e tecido fibroso. As lesões da displasia fibromuscular são estenose lisa, e ocorrem mais frequentemente nas artérias carótidas e renais. Podem também ocorrer em outras artérias periféricas das extremidades.Prótese Parcial: Dentadura substituindo um ou mais (mas não todos) dentes naturais. É suportada e retida por tecido subjacente e alguns ou todos os dentes remanescentes.Consanguinidade: Magnitude da ENDOGAMIA em humanos.Osteocondrodisplasias: Desenvolvimento anormal da cartilagem e do osso.Displasia Fibrosa Monostótica: DISPLASIA FIBROSA DOS OSSOS envolvendo apenas um osso.Pálpebras: Cada uma das pregas superiores e inferiores da pele que cobre o OLHO quando fechado.Displasia Fibrosa Poliostótica: DISPLASIA FIBROSA ÓSSEA que afeta vários ossos. Quando também estão associadas a pigmentação melanótica (MANCHAS CAFÉ COM LEITE) e a hiperfunção endócrina múltipla denominada síndrome de Albright.Deformidades Congênitas do Pé: As alterações ou os desvios da forma ou tamanho normais que resultam num desfiguramento do pé ocorrendo depois ou ao nascimento.Mastigação: Ato e processo de mastigar e triturar o alimento na boca.Displasia Pélvica Canina: Doença hereditária das articulações do quadril em cães. Os sinais da doença podem ser evidenciados a qualquer tempo após 4 semanas de idade.Verrugas: Tumores ou proliferações epidérmicas benignas; algumas são de origem viral.Displasia Cleidocraniana: Síndrome autossômica dominante em que há fechamento tardio das FONTANELAS CRANIANAS, ausência parcial ou completa de CLAVÍCULA, SÍNFISE PUBIANA larga, falanges medianas dos quintos dedos pequenas e anomalias dentárias e vertebrais.Fenótipo: Aparência externa do indivíduo. É o produto das interações entre genes e entre o GENÓTIPO e o meio ambiente.Displasia Retiniana: Anormalidade retiniana, geralmente bilateral, congênita, caracterizada pelo arranjo de células retinianas nucleares externas em um padrão radiante ou paralisante, subjacente ao espaço ocular. Este transtorno é algumas vezes hereditário.Mutação de Sentido Incorreto: Mutação em que um codon é mudado para outro, que direciona a incorporação de um aminoácido diferente. Esta substituição pode resultar em produto inativo ou instável.Sudorese: Processo de secreção exógena das GLÂNDULAS SUDORÍPARAS, que inclui o suor aquoso das GLÂNDULAS ÉCRINAS e o complexo de líquidos viscosos das GLÂNDULAS APÓCRINAS.Detecção de Heterozigoto: Identificação de portadores genéticos a uma dada característica.Luxação Congênita de Quadril: Luxação congênita do quadril que geralmente inclui a subluxação da cabeça do fêmur, displasia acetabular e luxação completa da cabeça do fêmur do acetábulo verdadeiro. Essa afecção ocorre em aproximadamente 1 a cada 1000 nascimentos vivos e é mais comum no gênero feminino que no masculino.Displasia Tanatofórica: Forma severa de nanismo (dwarfismo) neonatal com membros muito curtos. Todos os casos morrem ao nascer ou no período neonatal.

*  PPT - Caso Clínico: Defeito no septo atrioventricular PowerPoint Presentation - ID:4048911

Síndrome de DiGeorge e de Ellis-vanCleveld de displasia ectodérmica e polidactilia ...
slideserve.com/sabine/caso-cl-nico-defeito-no-septo-atrioventricular

*  Laboratório de Testes Genéticos da USP

Displasia ectodérmica 3 tipo Witkop. Gene / Região. MSX1. Prazo de entrega. 60 a 90 dias. Preço. R$ 1.390,00. Como solicitar o ...
laboratorio.genoma.ib.usp.br/requests/new?test_id=5056

*  Infecções Por Adenophorea - lookfordiagnosis.com

Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 1. * Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 3. * Displasia Ectodérmica Hipoidrótica ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=87

*  Doenças Dos Gânglios Da Base - lookfordiagnosis.com

Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 1. * Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 3. * Displasia Ectodérmica Hipoidrótica ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=382

*  MANCHAS ESCURAS NA GLANDE, ALGUM TIPO DE MANCHA MARROM AO RE - Página 5 - lookfordiagnosis.com

Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 1. * Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 3. * Displasia Ectodérmica Hipoidrótica ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewtopic.php?f=370&t=22618&sid=0e73f893401ce024473c8140f7353b7e&start=40

*  Afasia Acinética - lookfordiagnosis.com

Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 1. * Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 3. * Displasia Ectodérmica Hipoidrótica ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=127

*  Babesiose - lookfordiagnosis.com

Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 1. * Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 3. * Displasia Ectodérmica Hipoidrótica ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=360

*  Neoplasias Abdominais - lookfordiagnosis.com

Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 1. * Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 3. * Displasia Ectodérmica Hipoidrótica ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=3

*  Arritmia Sinusal - lookfordiagnosis.com

Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 1. * Displasia Ectodérmica Anidrótica Tipo 3. * Displasia Ectodérmica Hipoidrótica ...
https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=294

Aplasia da cútis congênita: Aplasia da cútis congênita (ACC), é uma rara doença congênita, que caracteriza-se por formação incompleta da pele.Essa ausência pode estar localizada em qualquer parte do corpo, mas é mais comumente localizada na linha média da região das fontanelas, ao longo do seio sagital superior.AnidroseHipodontia: Hipodontia ou agenesia dental é a terminologia usada para caracterizar a concentração diminuída de dentes na arcada dentária, tanto na sua fase decídua quanto na fase permanente.TaurodontismoMarie FredrikssonSindactilia: 220px|thumb|right|Fotografia de um pé com sindactiliaDisplasia fibrosaHematidrose: A Hematidrose é um fenômeno raríssimo apenas uma fraqueza física excepcional onde o corpo inteiro dói, acompanhada de um abatimento moral violento causada por uma profunda emoção, por um grande medo. Apenas um ato destes pode causar o rompimento das finíssimas veias capilares que estão sob as glândulas sudoríparas onde o suor anexa-se ao sangue formando a hematidrose.Probando: Probando é um termo usado em genética médica e noutros campos da medicina para designar um indivíduo particular (pessoa ou animal) que estiver sendo estudado ou reportado na literatura científica. Quando uma doença genética é diagnosticada pela primeira vez numa determinada família, o indivíduo diagnosticado é o probando (caso índice).Epicanto: Epicanto ou dobra epicântica é uma prega de pele da pálpebra superior (do nariz até ao lado interior da sobrancelha), cobrindo o canto interior (canto medial) do olho. A dobra epicântica está por vezes presente na maioria das pessoas de ascendência da Ásia Oriental como os mongóis (e também coreanos, japoneses e etc), do Sudeste Asiático (vietnamitas, indonésios, malaios e etc), dos originários da Ásia Central, e ainda inuítes, indígenas americanos, khoisans na África e Madagáscar.Queratina tipo II: As Queratinas tipo II (ou citoqueratina tipo II) constituem os filamentos intermédios do tipo II do citoesqueleto intracitoplasmático, que está presente em todas as células epiteliais dos mamíferos. As citoqueratinas tipo II consistem em proteínas de alto peso molecular, básicas ou neutras, que in vivo estão organizadas em pares de cadeias queratínicas heterotípicas de tipo I e II, co-expressadas durante a diferenciação de tecidos epiteliais simples ou estratificados.Bobe: O bobe (ou bóbi, ou ainda bob), também chamado de rolo de cabelo, é um cilindro que se usa para enrolar o cabelo, usado em mulheres. Os bobes podem ser feitos de plástico ou de outro material, e servem para envolver ou alisar os cabelos ou deixá-los ondulados.Penugem: O pelo corporal ou penugem é o tipo de pelo fino e incolor que cobre a maior parte do corpo dos seres humanos; é composto por fibras capilares delgadas e curtas, que não superam em geral os 2 mm. Cobre quase totalmente a superfície corporal, excetuando as palmas das mãos, as plantas dos pés e a mucosa genital.HiperpigmentaçãoSíndrome de AarskogFocomelia: A focomelia é uma anomalia congênita que impede a formação normal de braços e pernas. Caracteriza-se pela aproximação ou encurtamento dos membros do feto, tornando-os semelhantes aos de uma foca.Fotofobia: Fotofobia é a sensação de sensibilidade ou aversão a qualquer tipo de luz. Deve-se à recusa da luz pelas células fotorreceptoras da retina, fato que provoca aflição.Síndrome de Ellis-Van Creveld: A síndrome de Ellis-van Creveld (também chamada displasia condroectodérmica ou displasia mesoectodérmica) é um doença genética rara. O portador possui anomalias múltiplas e nanismo.Prótese dentária: A prótese dentária (ou prótese dental) é a arte dental, ciência que lida com a reposição de tecidos bucais e dentes perdidos, visando restaurar e manter a forma, função, aparência e saúde bucal. Aplicados à odontologia, são utilizados indistintamente os termos prostodontia e prótese dentária.Finasterida: Finasterida (também conhecido como Proscar, Propecia, Fincar, Finalop, Finpecia, Finax, Finast, Finara, Prosteride) é um medicamento antiandrógeno inibidor da 5-alfarredutase, a enzima que converte a testosterona em di-hidrotestosterona. É usado em baixas doses para o tratamento da calvície e em altas doses no tratamento da hiperplasia prostática benigna e câncer de próstata.Linkage genético: Linkage genético, ou ligação genética, descreve a associação de dois ou mais loci num cromossoma a partir do nível de recombinação meiótica entre eles.Jakob AlbrechtEctrodactilia: 220px|thumb|right|Criança com mão fendida. É possível observar a ocorrência de [[sindactilia nos últimos dedos.Mastigação: A mastigação é sem dúvida a função mais importante do sistema estomatognático, sendo a fase inicial do processo digestivo, que se inicia na boca. Entende-se por mastigação o conjunto de fenômenos estomatognáticos que visa a degradação mecânica dos alimentos, isto é, a trituração e moagem dos alimentos, degradando-os em partículas pequenas que, logo após, ligam-se entre si pela ação misturadora da saliva, obtendo o bolo alimentar, apto para ser deglutido.SchipperkeVerruga plantar: Popularmente conhecida como "olho-de-peixe", a verruga plantar se apresenta como um espessamento e elevação da pele dos pés, com uma região amarelada e um ou mais pontos negros centrais. É causada pelo vírus do papiloma humano HPV e deve ser tratada com um dermatologista e também com podólogos, pois frequentemente provoca dores ou incômodo ao caminhar.


Displasia mamária é um forte risco para se desenvolver um câncer?


  • Sinto muita dor no seio direito há anos. Os médicos diagnosticam como displasia mamária, e normalmente leio que câncer não dói. Mas fico com medo que se transforme em um problema maior. Alguém já passou por isso também?
  • Toda celula que sofre displasia ela pode evoluir para cancer! Mas veja bem, eu disse pode, e nao que a celula virará uma celula neoplasica (cancerigena)! Se o medico biopsiou ou fez outro tipo de estudo anatomopatologica celular e foi diagnosticado celula displasica, ela lhe dira algo que deve ser feito! Cada caso eh um caso! Mas nao existem mama displasica, e sim celula da mama displasica!

Estou tomando o generico do anteconcepcional Diane 35, mais axo q estou com displasia mamaria?


  • EStou sentindo dores nos seios, um volume maior, e um pouco de febre que incomodam, pesquisei sobre a displasia e vi q na maioria das vezes o anteconcepcional ajuda quem tem? e é comum entre as mulheres, mais como comecei a tomar o anteconcepcional agora estou suspeitando dele. Alguém já passou por algo semelhante? Abraço
  • Pode ser uma displasia mamária, os sintomas estão corretos, ou melhor semelhantes, na displasia se encontra tbm peguenos nódulos, que assustam, num primeiro momento. O tratamento da displasia é rápido, com medicamento, e o resultado é ótimo e rápido. Acredito em coincidência, não tendo nada ha ver com o Diane. boa sorte.

Alguém sabe a respeito de displasia mamaria?


  • Alguém já teve displasia mamaria? No meu caso estou tendo nos dois seios, já tive anteriormente, mas pelo que sei isso é frequente na epóca da menstruação e eu não mesntruo mais, retirei o utero a 3 anos. Outra duvida: A displasia tb acontece na Menopausa, estou quase lá.Obrigada"
  • Aqui em casa todos nós tratamos com chás medicinais, encontrei um fitoterapeuta ótimo, ele elabora um composto de ervas de acordo com sua doença que é chamado de Kit de Ervas Personalizado, isto é, feito exclusivamente para seu organismo, inclusive ele manda os chás para sua residencia através dos Correios. Eu era um pouco cético mas depois que vi uns resultados na minha família, coisa de anos, melhorando em três meses, não duvido mais. Deixo o Site, tenho certeza que vai gostar dos resultados. http://www.chamedicinal.com.br

o que é displasia ectodérmica como se desenvolve e o que causa?


Me ajudem a entender o resultado do exame do colo uterino?


  • O resultado deu: tres fragmentos pardo claros e irregulares medindo 0,4 x 0,4 cm cada. cortes histologicos de ectocervice incluindo a JEC apresentando metaplasia escamosa endocervical e proliferação de celulas basais, disturbios de maturação, perda da polaridade e discretas atipias nucleares restrita ao 1/3 interno do epitelio. leves atipias coilocitoticas em celulas das camadas superficial e intermediária. corion apresentando edema moderado, proliferação capilar e leve infiltrado inflamatorio de celulas mononucleares. conclusao: displasia leve padrao HPV (nic 1) lesao intra epitelial escamosa de baixo grau (lsil)
  • Vc tem uma infecção pelo HPV. Como o HPV é responsável pelo cancer de colo de útero vc terá que acompanhar bem de perto com o ginecologista. Terá que fazer se exame de colo anualmente sem atrasos para que se houver alguma lesão suspeita de câncer seja tratada precocemente. Agora vc tem uma lesão de baixo grau. Provavelmente sua ginecologista irá apenas acompanhar anualmente.

ola estou com um pequeno caroço no seio de tamanho de um caroço de feijão?


  • já fui ao medico e ele disse que é apenas uma displasia mamaria pois os vasos estão entopidos alguem já ouviu falr algo parecido? tenho medo de ser algo grave o medico me passou pediu para realizar um raio x na proxima semana.
  • procure outro medico sempre e bom avaliar vários resultados principalmente neste campo.

O que é Gastrite Cronica moderada com metaplasia intestinal e displasia de alto grau?


O que é displasia epitelial leve? E o creme vaginal? é normal que ele escorra pela manhã?


  • Bom, eu fiz um exame ginecológico e o resultado do exame foi que estou com displasia epitelial leve. A minha ginecologista não me explicou muito sobre o que é isso gostaria de entender melhor. Ela me receitou um creme vaginal, eu o apliquei durante a noite, pela manhã, começou escorrer. O certo não é o creme permanecer lá dentro para fazer efeito? Se alguém puder esclarecer minhas dúvidas. Fico agradecida.