Colite: Inflamação do INTESTINO GROSSO, na porção denominada CÓLON, geralmente com sintomas como DIARREIA (frequentemente com sangue e muco), DOR ABDOMINAL e FEBRE.Colite Ulcerativa: Inflamação do COLO predominantemente confinada à MUCOSA. Seus principais sintomas incluem DIARREIA, SANGRAMENTO retal, a passagem de MUCO, e DOR ABDOMINAL.Colite Isquêmica: Inflamação do COLO devido ISQUEMIA (colo) resultante de alterações na circulação sistêmica ou vasculatura local.Colite Microscópica: Afeceção caracterizada por DIARREIA aquosa crônica de origem desconhecida, COLONOSCOPIA normal, mas histopatologia anormal na BIÓPSIA. Esta síndrome foi descrita primeiramente em 1980 por Read e colaboradores. Entre os subtipos estão COLITE COLAGENOSA e COLITE LINFOCÍTICA. Ambas têm sintomas clínicos semelhantes e são distinguíveis somente pela histologia.Sulfato de Dextrana: Polímero de glucose de cadeia longa contendo 17-20 por cento de enxofre. Tem sido utilizado como anticoagulante, e tem sido mostrado para inibir a ligação HIV-1 a LINFÓCITOS T CD4-POSITIVOS. Normalmente é utilizado tanto como reagente experimental quanto em laboratório clínico. Tem-se investigado seu papel para uso como um agente antiviral, no tratamento da hipolipidemia e para a prevenção de danos por radicais livres, entre outras aplicações.Colite Colagenosa: Subtipo de COLITE MICROSCÓPICA, caracterizada por DIARREIA aquosa crônica de origem desconhecida, uma COLONOSCOPIA normal, mas histopatologia anormal na BIÓPSIA. O exame microscópico de amostras da biópsia retiradas do COLO mostra bandas maiores que o normal de COLÁGENO subepitelial.Colo: O segmento do INTESTINO GROSSO entre o CECO e o RETO. Inclui o COLO ASCENDENTE; o COLO TRANSVERSO; o COLO DESCENDENTE e o COLO SIGMOIDE.Ácido Trinitrobenzenossulfônico: Reagente utilizado para neutralizar grupos amino terminais em peptídeos.Colite Linfocítica: Subtipo de COLITE MICROSCÓPICA, caracterizada por DIARREIA aquosa crônica de origem desconhecida, uma COLONOSCOPIA normal, mas histopatologia anormal na BIÓPSIA. O exame microscópico de amostras da biópsia retiradas do COLO mostra infiltração de LINFÓCITOS no EPITÉLIO superficial e no tecido conjuntivo subjacente (lâmina própria).Doença de Crohn: Inflamação transmural crônica que pode envolver qualquer parte do TRATO DIGESTÓRIO desde a BOCA até o ÂNUS, principalmente encontrada no ÍLEO, CECO, e COLO. Na doença de Crohn, a inflamação que se estende através da parede intestinal da MUCOSA até a serosa, é caracteristicamente assimétrica e segmentar. GRANULOMAS epitelioides podem ser vistos em alguns pacientes.Mucosa Intestinal: Revestimento dos INTESTINOS, consistindo em um EPITÉLIO interior, uma LÂMINA PRÓPRIA média, e uma MUSCULARIS MUCOSAE exterior. No INTESTINO DELGADO, a mucosa é caracterizada por várias dobras e muitas células absortivas (ENTERÓCITOS) com MICROVILOSIDADES.Doenças Inflamatórias Intestinais: Inflamações inespecíficas, crônicas do TRATO GASTROINTESTINAL. A etiologia pode ser genética ou ambiental. Este termo inclui a DOENÇA DE CROHN e COLITE ULCERATIVA.Mesalamina: Anti-inflamatório estruturalmente relacionado aos SALICILATOS, que é ativo nas ENTEROPATIAS INFLAMATÓRIAS. É considerado como parte ativa da sulfassalazina. (Tradução livre do original: Martindale, The Extra Pharmacopoeia, 30th ed).Reto: Segmento distal do INTESTINO GROSSO, entre o COLO SIGMOIDE e o CANAL ANAL.Sulfassalazina: Droga utilizada no controle das doenças inflamatórias intestinais. Sua atividade está geralmente ligada a um produto de sua clivagem metabólica, o ácido 5-aminossalicílico (veja MESALAMINA), liberado no colo.Peroxidase: Hemeproteína dos leucócitos. Deficiência desta enzima leva a uma doença hereditária acoplada à monilíase disseminada. Catalisa a conversão de um doador e peróxido a um doador oxidado e água. EC 1.11.1.7.Fármacos Gastrointestinais: Fármacos usados por seus efeitos no sistema gastrointestinal, como o controle da acidez gástrica, a regulação da motilidade gastrointestinal e o fluxo de água, e a melhora da digestão.Colectomia: Excisão de uma parte do colo ou de todo o colo. (Dorland, 28a ed)Proctocolectomia Restauradora: Procedimento cirúrgico envolvendo a excisão do COLO e RETO e a formação de um reservatório ileoanal (bolsa). Em pacientes com doenças intestinais, como colite ulcerativa, este procedimento evita a necessidade de uma ESTOMIA por permitir a defecação transanal.Modelos Animais de Doenças: Doenças animais ocorrendo de maneira natural ou são induzidas experimentalmente com processos patológicos suficientemente semelhantes àqueles de doenças humanas. São utilizados como modelos para o estudo de doenças humanas.Colonoscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia da superfície luminal do colo.Disenteria Amebiana: DISENTERIA causada por infecção amebiana intestinal, principalmente com ENTAMOEBA HISTOLYTICA. Essa afecção pode estar associada com infecção amebiana do FÍGADO e de outros locais distantes.Ileostomia: Criação cirúrgica de um orifício externo no ÍLEO para desvio ou drenagem fecal. A substituição do RETO é criada normalmente em pacientes com ENTEROPATIAS INFLAMATÓRIAS graves. Os procedimentos em alça (continentes) ou tubo (incontinentes) são empregados com maior frequência.Administração Retal: Inserção de drogas no reto, geralmente em pacientes confusos e incapazes, como crianças, lactantes, muito velhos ou comatosos.Enterocolite Pseudomembranosa: A inflamação aguda da MUCOSA INTESTINAL caracterizada pela presença de placas ou pseudomembranas no INTESTINO DELGADO (enterite pseudomembranosa) e no INTESTINO GROSSO (colite pseudomembranosa). Ela é normalmente associada com tratamentos por antibiótico e colonização por CLOSTRIDIUM DIFFICILE.Pouchite: A inflamação aguda na MUCOSA INTESTINAL vista num coletor ileal (bolsa) em pacientes submetidos a ILEOSTOMIA e PROCTOCOLECTOMIA RESTAURADORA.Camundongos Endogâmicos C57BLEnterocolite: Inflamação da mucosa tanto do intestino grosso como do intestino delgado. Entre as etiologias estão ISQUEMIA, infecções alérgicas e respostas imunes.Camundongos Knockout: Linhagens de camundongos nos quais certos GENES dos GENOMAS foram desabilitados (knocked-out). Para produzir "knockouts", usando a tecnologia do DNA RECOMBINANTE, a sequência do DNA normal no gene em estudo é alterada para impedir a síntese de um produto gênico normal. Células clonadas, nas quais esta alteração no DNA foi bem sucedida, são então injetadas em embriões (EMBRIÃO) de camundongo, produzindo camundongos quiméricos. Em seguida, estes camundongos são criados para gerar uma linhagem em que todas as células do camundongo contêm o gene desabilitado. Camundongos knock-out são usados como modelos de animal experimental para [estudar] doenças (MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS) e para elucidar as funções dos genes.Diarreia: Aumento na liquidez ou diminuição na consistência das FEZES, como evacuação contínua. A consistência fecal está relacionada com a razão entre a capacidade de sólidos insolúveis para reter água e a água total, e não com o total de água presente. Diarreia é diferente de excesso de defecação ou massa fecal aumentada.Bolsas Cólicas: Sacos ou reservatórios criados para funcionar (no lugar do COLO e/ou RETO) em pacientes que tenham passado por PROCTOCOLECTOMIA RESTAURADORA.Ácido Acético: Produto da oxidação do etanol e da destilação destrutiva da madeira. Usado localmente como contrairritante e às vezes internamente, e também como reagente. (Stedman, 25a ed)Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.Probióticos: SUPLEMENTOS ALIMENTARES com micróbios vivos que afetam beneficamente o animal hospedeiro, melhorando seu equilíbrio microbiano intestinal. Antibióticos e outros compostos relacionados não estão incluídos nessa definição. Lactobacilos geralmente são usados em humanos como probióticos, tanto como espécie única como em cultura mista com outra bactéria. Outros gêneros que têm sido usados são bifidobactérias e estreptococos (Tradução livre do original: J Nutr, 1995;125:1401-12).Interleucina-10: Citocina produzida por vários tipos de células (p.ex., LINFÓCITOS T, MONÓCITOS, CÉLULAS DENDRÍTICAS e CÉLULAS EPITELIAIS), a qual exerce vários efeitos na imunorregulação e INFLAMAÇÃO. Interleucina-10 (IL-10) combina-se com outras moléculas de IL-10 formando uma molécula homodimérica, que é a forma biologicamente ativa da proteína.Citocinas: Proteínas, que não são anticorpos, secretadas por leucócitos inflamatórios e por células não leucocíticas que agem como mediadores intercelulares. As citocinas diferem dos hormônios clássicos no sentido de que elas são produzidas por vários tecidos ou tipos celulares e não por glândulas especializadas. Elas geralmente agem localmente de modo parácrino ou autócrino em vez de endócrino.Ceco: Bolsa cega (ou área em fundo-de-saco) do INTESTINO GROSSO, localizada abaixo da entrada do INTESTINO DELGADO. Apresenta uma extensão em forma de verme, o APÊNDICE vermiforme.Citrobacter rodentium: Espécie de bactéria Gram-negativa do gênero CITROBACTER, família ENTEROBACTERIACEAE. Como um importante patógeno de camundongos de laboratório, serve como um modelo para a pesquisa de hiperproliferação epitelial e promoção de tumor. Fora anteriormente considerado uma cepa de CITROBACTER FREUNDII.Ileíte: Inflamação de qualquer segmento do ÍLEO e da VÁLVULA ILEOCECAL.Fezes: Excrementos oriundos do INTESTINO que contêm sólidos não absorvidos, resíduos, secreções e BACTÉRIAS do SISTEMA DIGESTÓRIO.Helicobacter hepaticus: Espécie de HELICOBACTER, a qual coloniza CECO e COLO em várias linhagens de CAMUNDONGOS, associada com HEPATITE e carcinogênese.Camundongos Endogâmicos BALB CAnti-Inflamatórios não Esteroides: Anti-inflamatórios não esteroidais. Além das ações anti-inflamatórias eles têm ações analgésicas, antipiréticas, e inibidoras de plaquetas. Eles bloqueiam a síntese de prostaglandinas inibindo a ciclo-oxigenase, que converte o ácido araquidônico em endoperóxidos cíclicos, precursores de prostaglandinas. A inibição da síntese de prostaglandinas explica as ações analgésicas, antipiréticas, e inibidoras de plaquetas; outros mecanismos podem contribuir para seus efeitos anti-inflamatórios.Megacolo Tóxico: Forma aguda de MEGACOLO, dilatação grave do COLO. Está associada a condições clínicas, como COLITE ULCERATIVA, DOENÇA DE CROHN, DISENTERIA AMEBIANA, ou enterocolite por Clostridium (v. ENTEROCOLITE PSEUDOMEMBRANOSA).Íleo: A porção distal e mais estreita do INTESTINO DELGADO, entre o JEJUNO e a VALVA ILEOCECAL do INTESTINO GROSSO.Oxazolona: Agente imunológico adjuvante e sensibilizante.Biópsia: Remoção e avaliação patológica de amostras, na forma de pequenos fragmentos de tecido do corpo vivo.Clostridium difficile: Habitante comum da flora do colo em crianças e às vezes em adultos. Produz uma toxina que causa ENTEROCOLITE PSEUDOMEMBRANOSA em pacientes recebendo antibioticoterapia.Inflamação: Processo patológico caracterizado por lesão ou destruição de tecidos, causada por uma variedade de reações químicas e citológicas. Geralmente se manifesta por sinais típicos de dor, calor, rubor, edema e perda da função.Colo Sigmoide: Segmento do COLO entre o RETO e o colo descendente.Doença Crônica: Doenças que têm uma ou mais das seguintes características: são permanentes, deixam incapacidade residual, são causadas por alteração patológica não reversível, requerem treinamento especial do paciente para reabilitação, pode-se esperar requerer um longo período de supervisão, observação ou cuidado.Sigmoidoscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia da dobra sigmoide.Doenças do Colo: Processos patológicos na região do COLO do INTESTINO GROSSO.Proctite: INFLAMAÇÃO da MEMBRANA MUCOSA do RETO, fim distal do INTESTINO GROSSO.Intestino Grosso: Segmento do TRATO GASTRINTESTINAL INFERIOR, compreendendo o CECO, o COLO e o RETO.Colangite Esclerosante: Doença inflamatória crônica do TRATO BILIAR. Caracteriza-se por fibrose e endurecimento dos sistemas ductal biliar intra e extra-hepáticos, acarretando o estreitamento do ducto biliar, COLESTASIA e consequente cirrose biliar.Membrana Mucosa: EPITÉLIO com células secretoras de MUCO, como as CÉLULAS CALICIFORMES. Forma o revestimento de muitas cavidades do corpo, como TRATO GASTROINTESTINAL, TRATO RESPIRATÓRIO e trato reprodutivo. A mucosa, rica em sangue e em vasos linfáticos, compreende um epitélio interno, uma camada média (lâmina própria) do TECIDO CONJUNTIVO frouxo e uma camada externa (muscularis mucosae) de CÉLULAS MUSCULARES LISAS que separam a mucosa da submucosa.Azatioprina: Agente imunossupressor usado em combinação com a ciclofosfamida e hidroxicloroquina no tratamento da artrite reumatoide. De acordo com o Quarto Relatório Anual sobre Carcinógenos (NTP 85-002, 1985), esta substância tem sido listada como um conhecido carcinógeno. (Tradução livre do original: Merck Index, 11th ed)Neoplasias do Colo: Tumores ou câncer do COLO.Proctocolite: Inflamação do RETO e da porção distal do COLO.Doença Aguda: Doença relativamente grave de curta duração.Prednisolona: Glucocorticoide com as propriedades gerais dos corticosteroides. É a droga de escolha para todas as afecções nas quais a terapia corticosteroide sistêmica é indicada, exceto nos estados de deficiência adrenal.Fator de Necrose Tumoral alfa: Glicoproteína sérica produzida por MACRÓFAGOS ativados e outros LEUCÓCITOS MONONUCLEARES de mamíferos. Possui atividade necrotizante contra linhagens de células tumorais e aumenta a capacidade de rejeitar transplantes tumorais. Também conhecido como TNF-alfa, só é 30 por cento homólogo à TNF-beta (LINFOTOXINA), mas compartilham RECEPTORES DE TNF.Dinitrofluorbenzeno: Irritantes e reagentes para a marcação de grupamentos terminais de aminoácidos.Hemorragia Gastrointestinal: Sangramento em qualquer segmento do TRATO GASTROINTESTINAL do ESÔFAGO até o RETO.Translocação Bacteriana: Passagem de bactérias viáveis do TRATO GASTROINTESTINAL a regiões extraintestinais, como o complexo de linfonodos mesentéricos, fígado, baço, rins e sangue. Os fatores que promovem a translocação bacteriana incluem crescimento exagerado das populações de bacilos entéricos Gram-negativos, defesas imunológicas deficientes e lesões na MUCOSA INTESTINAL que resultam em permeabilidade intestinal aumentada. A translocação bacteriana dos pulmões para a circulação também é possível e algumas vezes acompanha a VENTILAÇÃO MECÂNICA.Mesentério: Camada do peritônio que liga as vísceras abdominais à PAREDE ABDOMINAL e transporta seus vasos sanguíneos e nervos.Infecções por Clostridium: As infecções por bactérias do gênero CLOSTRIDIUM.Doenças do Colágeno: Historicamente, grupo heterogêneo de doenças crônicas e agudas, incluindo artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmico, esclerose sistêmica progressiva, dermatomiosite, etc. Esta classificação era baseada na noção que "colágeno" era equivalente a "tecido conjuntivo", mas com o atual reconhecimento dos diferentes tipos de colágeno e seus agregados derivados como entidades distintas, o termo "doenças do colágeno" atualmente pertence exclusivamente àquelas afecções hereditárias nas quais o defeito primário está no nível genético e afeta a biossíntese de colágeno, sua modificação pós-traducional, ou seu processamento extracelular diretamente.Linfócitos T CD4-Positivos: Subpopulação crítica de linfócitos T, envolvida na indução da maioria das funções imunológicas. O vírus HIV apresenta tropismo seletivo pelas células T4, que expressam o marcador fenotípico CD4 (um receptor para o HIV). Na verdade, na profunda imunossupressão observada (na infecção pelo HIV) o elemento chave consiste na depleção (desaparecimento) deste subgrupo de linfócitos T.Índice de Gravidade de Doença: Níveis dentro de um grupo de diagnósticos estabelecidos por vários critérios de medição aplicados à gravidade do transtorno de um paciente.Úlcera: Lesão na superfície da pele ou superfície mucosa, produzida pela "lamaceira" de tecido necrótico inflamatório.Mucina-2: Mucina formadora de gel predominantemente expressa no INTESTINO DELGADO e em uma variedade de órgãos contendo mucosas. Proporciona uma barreira lubrificante protetora contra partículas e agentes infecciosos.Administração Oral: Administração de medicamentos, substâncias químicas ou outras substâncias pela boca.

Colite: - K52Colite microscópicaSulfassalazinaColectomia: Colectomia consiste na ressecção cirúrgica de uma parte ou da totalidade do intestino grosso (cólon).Ileostomia: Ileostomia é uma derivação intestinal, efectuada ao nível do intestino delgado (ileon), onde se exterioriza o ileo pela parede abdominal, formando um novo trajecto e uma abertura para a saída das fezes (estoma).Acetobactéria: As acetobactérias ou bactérias do ácido acético são um grupo de bactérias constituído por bacilos Gram negativos, móveis e aeróbicos, que realizam uma oxidação incompleta de álcoois, produzindo uma acumulação de ácidos orgânicos como produtos finais. Quando o substrato é etanol, produz-se ácido acético.Probiótico: Probióticos são microorganismos vivos que podem conferir um benefício à saúde do hospedeiro. A Organização Mundial de Saúde define probióticos como “organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefício à saúde do hospedeiro” (FAO/WHO, 2001).Interleucina: As interleucinas (do grego, entre células brancas) são alguns tipos de proteínas produzidas principalmente por leucócitos (principalmente por linfócitos T, macrófagos e eosinófilos) cada uma com suas funções, sendo que a maioria delas está envolvida na ativação ou supressão do sistema imune e na indução de divisão de outras células. Também possuem função na memória e são usados como medicamento.CelecoxibInflamação: A inflamação (do Latim inflammatio, atear fogo) ou processo inflamatório é uma reação do organismo a uma infecção ou lesão dos tecidos.Doença não transmissível: Uma doença não-transmissível ou DNT; doenças não infecciosas; doenças crônicas não transmissíveis; doenças crônico degenerativas são terminologias usadas para definir grupos de patologias caracterizadas pela ausência de microrganismos, ou seja é uma doença não infecciosa, como também pelo longo curso clínico e irreversibilidade.ProctiteAzatioprinaPrednisolona: Prednisolona é um fármaco pertencente ao grupo dos antiinflamatórios esteróides. A Prednisolona é um metabólito ativo da prednisona, logo, é um pró-fármaco que é metabolizado pelo fígado convertendo-se à forma esteroidal ativa.Hematoquezia: Hematoquezia é o termo utilizado para designar a presença de sangue com cor vermelha viva misturado com as fezes. Distingue-se de melena, em que as fezes apresentam sangue que foi alterado pela flora intestinal tendo por isso uma aparência negra.


Crohn


  • Inflamatório: Pólipos associados a colite ulcerativa ou doença de Crohn. (wikipedia.org)
  • Os principais tipos de DII são doença de Crohn e colite ulcerativa. (wikipedia.org)
  • Doença inflamatória intestinal: doenças autoimunes como colite ulcerativa e doença de Crohn. (wikipedia.org)
  • A colite ulcerativa possui similaridades com a doença de Crohn, outra forma de DII. (wikipedia.org)
  • Outro fator de risco é a presença de doenças inflamatórias intestinais, que incluem doença de Crohn e colite ulcerativa. (wikipedia.org)
  • Entre as mais comuns estão a colite ulcerativa, doença de Crohn, e câncer de cólon. (wikipedia.org)
  • Quando uma pessoa tem a doença de Crohn ou colite de Crohn, ela tem feridas nos tecidos do intestino, o que torna difícil para o intestino absorver água e sal. (wikipedia.org)
  • O objetivo deste estudo foi para sistematicamente revisar a literatura na eficácia da teria com ervas no tratamento da colite ulcerativa (RCU) e na doença de Crohn (DC). (abcd.org.br)
  • Uma vez que os sintomas da doen a de Crohn s o semelhantes a outros transtornos intestinais, como s ndrome do intestino irrit vel e colite ulcerativa, ela pode ser de dif cil diagn stico. (copacabanarunners.net)
  • A mesalazina, também conhecida como ácido5-aminossalicílico, é um fármaco anti-inflamatório usado no tratamento de doenças inflamatórias intestinais, como a retocolite ulcerativa (RCU) e a doença de Crohn (DC), leve a moderada. (wikipedia.org)
  • retocolite A mesalazina, sob a forma de comprimidos de libertação prolongada, está indicada como anti-inflamatório para redução da inflamação das mucosas gastrointestinais na retocolite ulcerativa (RCU) leve a moderada, tanto na indução quanto na manutenção da remissão, e da doença de Crohn (DC) leve a moderada. (wikipedia.org)
  • Algumas precauções devem ser tomadas antes de iniciar o tratamento caso tenha problemas de estômago e intestino, suspeita de úlcera gástrica ou duodenal, colite ulcerativa (doença crônica causada pela ulceração do cólon e do reto), doença de Crohn (inflamação crônica subaguda que envolve o íleo terminal), doença grave do fígado, doença dos rins ou do coração ou se for paciente idoso. (wikipedia.org)
  • Então, pode ser usado em doenças auto-imunes, doenças inflamatórias (como asma severa, dermatite de sumagre-venenoso severo, lúpus eritematoso sistêmico, colite ulcerativa, artrite reumatoide, doença de Crohn e sarcoidose), várias doenças renais inclusive síndrome nefrótica, e na prevenção e tratamento de rejeição em transplantes de órgãos. (wikipedia.org)

intestino


  • A colite ulcerativa é uma forma de colite, uma doença do intestino, especificamente do intestino grosso ou cólon, que inclui úlceras no cólon. (wikipedia.org)
  • Acredita-se, entretanto, que a colite ulcerativa tenha uma etiologia sistêmica que leva a muitos sintomas fora do intestino. (wikipedia.org)
  • Entre outras condições que podem causar sintomas semelhantes estão a colite ulcerativa, a síndrome do intestino irritável e a doença de Behçet. (wikipedia.org)
  • Colite ulcerativa causa inflama o e lceras na camada superior do revestimento do intestino grosso. (copacabanarunners.net)

sintomas


  • Contabilizando para um número menor de casos estão as formas de DII: Colite colagenosa Colite linfocítica Colite isquêmica Colite diversion Síndrome de Behçet Colite infectiva Colite indeterminada Embora sejam doenças muito diferentes, apresentam-se com alguns dos seguintes sintomas: dor abdominal, vômitos, diarreia, hematoquezia (sangue nas fezes), perda de peso e diversas queixas associadas como artrite, pioderma gangrenoso e colangite esclerosante primária. (wikipedia.org)
  • A colite ulcerativa é uma doença intermitente, com períodos de sintomas exacerbados e períodos relativamente livres de sintomas. (wikipedia.org)
  • Embora os sintomas da colite ulcerativa possam às vezes diminuir por conta própria, a doença geralmente necessita de tratamento para entrar em remissão. (wikipedia.org)
  • Os sintomas da colite ulcerativa incluem sangramento, diarréia, febre, dor abdominal, muco demasiado no material fecal, e apetite e perda de peso. (wikipedia.org)

Embora


  • Embora a colite ulcerativa não possua uma causa conhecida, há presumivelmente um componente genético de susceptibilidade. (wikipedia.org)
  • Embora a colite ulcerativa seja tratada como se fosse uma doença auto-imune, não há consenso sobre isso. (wikipedia.org)

intestinal


  • Colite ulcerativa (Colite ulcerosa, UC) é uma forma de doença inflamatória intestinal (DII). (wikipedia.org)

pode


  • A colite ulcerativa pode afetar qualquer parte do cólon, mas quando isso afeta o cólon descendente, é chamado de colite lateral esquerda. (wikipedia.org)
  • Devido à baixa incidência de efeitos colaterais durante o tratamento com a mesalazina, esta droga pode ser considerada como tratamento inicial em todos os pacientes com retocolite ulcerativa. (wikipedia.org)

Artrite


  • M09.2) * Artrite juvenil na colite ulcerativa (K51. (wikipedia.org)

esquerda


  • A mesalazina sob a forma de enema destina-se ao tratamento das doenças inflamatórias em porções finais do cólon e no reto (proctossigmoidite ulcerativa e colite esquerda). (wikipedia.org)

tratamento


  • Asacol (mesalamina) - já tradicional para o tratamento e manutenção da Colite Ulcerativa - tem um site educativo muito interessante http://www.living-better.com Certolizumabe - Anti-TNF humanizado, semelhante ao Infliximabe. (abcd.org.br)
  • Apresenta altas taxas de remissão clínica após 4 semanas de tratamento da retocolite ulcerativa distal ativa, em termos de efetiva melhora endoscópica e histopatológica. (wikipedia.org)
  • A mesalazina em supositórios destina-se ao tratamento das inflamações do reto (proctite ulcerativa). (wikipedia.org)
  • A mesalazina administrada pela via retal é o tratamento de primeira linha para pacientes com retocolite ulcerativa distal ativa leve a moderada. (wikipedia.org)

dermatite


  • upadacitinibe também está em pesquisa para tratar colite ulcerativa e dermatite atópica. (terra.com.br)

forma


  • Aí ocorre formação de granulomas e inflamação em sectores distintos, intercalados de forma bem delimitada por outros completamente saudáveis (ao contrário das lesões difusas na colite ulcerosa-CI). (wikipedia.org)