Claudicação Intermitente: Complexo de sintomas caracterizados por dor e fraqueza em um grupo de MÚSCULOS ESQUELÉTICOS associado com exercícios, como dor nas pernas e fraqueza produzida por caminhada. Tal debilidade muscular desaparece após um breve repouso e frequentemente relaciona-se com ESTENOSE arterial, ISQUEMIA muscular, e acúmulo de LACTATO.Doenças Vasculares Periféricas: Processos patológicos envolvendo qualquer um dos VASOS SANGUÍNEOS na vasculatura externa do CORAÇÃO.Caminhada: Atividade em que o corpo avança com ritmo lento a moderado movimentando os pés de modo coordenado. Compreende caminhada recreativa e para aptidão física (fitness), e corrida para competição.Doença Arterial Periférica: Ausência de perfusão nas EXTREMIDADES resultante de uma aterosclerose. É caracterizada por CLAUDICAÇÃO INTERMITENTE e ÍNDICE TORNOZELO-BRAÇO de 0,9 ou menos.Tornozelo: A região do membro inferior entre o PÉ e a PERNA.Pernas: Parte mais baixa, na extremidade inferior, entre o JOELHO e o TORNOZELO.Índice Tornozelo-Braço: Comparação entre as medidas de PRESSÃO ARTERIAL da ARTÉRIA BRAQUIAL e da ARTÉRIA POSTERIOR DA TÍBIA. É preditor de DOENÇAS ARTERIAIS PERIFÉRICAS.Arteriopatias Oclusivas: Processos patológicos que resultam de obstrução parcial ou completa das ARTÉRIAS. São caracterizados por grande redução ou ausência de fluxo sanguíneo através destes vasos. Também são conhecidos como insuficiência arterial.Terapia por Exercício: Regime ou plano de atividades físicas concebido e prescrito para alcançar objetivos terapêuticos específicos. Seu propósito é restaurar a função musculosquelética normal ou reduzir dores causadas por doenças ou lesões.Extremidade Inferior: Região do membro inferior nos animais que se estende da região glútea até o PÉ, incluindo as NÁDEGAS, o QUADRIL e a PERNA.Teste de Esforço: Atividade física controlada que é realizada para permitir a avaliação das funções fisiológicas, especialmente as cardiovasculares e pulmonares, mas também a capacidade aeróbica. O exercício máximo (mais intenso) é geralmente exigido, mas o submáximo também é utilizado.Artéria Poplítea: Continuação da artéria femoral, correndo através da fossa poplítea, divide-se em artérias tibiais anterior e posterior.Isquemia: Hipoperfusão do SANGUE através de um órgão (ou tecido) causado por uma CONSTRIÇÃO PATOLÓGICA, obstrução de seus VASOS SANGUÍNEOS ou ainda ausência de CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA.Artéria Braquial: Continuação da artéria axilar. Ramifica-se em artérias radial e ulnar.Nafronil: Droga usada no tratamento de doenças vasculares periféricas e cerebrais. Alega-se que seja capaz de aumentar a capacidade oxidativa celular e que seja espasmolítica. (Tradução livre do original: Martindale, The Extra Pharmacopoeia, 30th ed, p1310). Também pode ser um antagonista dos receptores 5HT-2 de serotonina.Artéria Femoral: A principal artéria da coxa. Continuação da artéria ilíaca externa.Tolerância ao Exercício: Capacidade de um indivíduo para [realizar] exercícios medida através de [sua] resistência (duração máxima do exercício e/ou carga máxima de trabalho atingida) durante um TESTE de EXERCÍCIO.Artéria Ilíaca: Cada uma das duas grandes artérias que se originam da aorta abdominal. Suprem de sangue a pelve, a parede abdominal e as pernas.Angioplastia com Balão: Uso de um cateter de balão para dilatação de uma artéria ocluída. É utilizado no tratamento de doenças arteriais oclusivas, incluindo estenose da artéria renal e oclusões arteriais na perna. Para a técnica específica de DILATAÇÃO COM BALÃO em artérias coronárias está disponível ANGIOPLASTIA CORONÁRIA COM BALÃO.Inibidores da Fosfodiesterase 3: Compostos que especificamente inibem a FOSFODIESTERASE 3.Estenose Espinal: O estreitamento do canal espinhal.Tricloroepoxipropano: Epóxido hidrase potente e um inibidor hidrocarboneto de aril hidroxilase. Certos carcinógenos realçam a capacidade de iniciar tumores.Resultado do Tratamento: Estudos conduzidos com o fito de avaliar as consequências da gestão e dos procedimentos utilizados no combate à doença de forma a determinar a eficácia, efetividade, segurança, exequibilidade dessas intervenções.Artérias da Tíbia: Artérias anterior e posterior originadas pela bifurcação da artéria poplítea. A artéria tibial anterior inicia-se na borda inferior do músculo poplíteo e corre ao longo da tíbia na parte distal da perna até a superfície anterior da articulação do tornozelo. Seus ramos distribuem-se pela perna, tornozelo e pé. A artéria tibial posterior começa na borda inferior do músculo poplíteo, localiza-se atrás da tíbia na parte inferior da sua extensão, situando-se entre o maléolo medial e o processo medial da tuberosidade calcânea. Suas ramificações estão distribuídas pela perna e pé.Grau de Desobstrução Vascular: Grau em que os VASOS SANGUÍNEOS não estão bloqueados ou obstruídos.Qualidade de Vida: Conceito genérico que reflete um interesse com a modificação e a aprimoramento dos componentes da vida, ex. ambiente físico, político, moral e social; a condição geral de uma vida humana.Estudos Prospectivos: Estudos planejados para a observação de eventos que ainda não ocorreram.Seguimentos: Estudos nos quais indivíduos ou populações são seguidos para avaliar o resultado de exposições, procedimentos ou efeitos de uma característica, por exemplo, ocorrência de doença.Angioplastia: Reconstrução ou reparo de um vaso sanguíneo que inclui o alargamento de um estreitamento patológico de uma artéria ou veia pela remoção de placa de material ateromatoso e/ou do revestimento endotelial, ou por dilatação (ANGIOPLASTIA COM BALÃO) para comprimir um ATEROMA. Com exceção da ENDARTERECTOMIA, estes procedimentos geralmente são realizados por meio de cateterização como PROCEDIMENTOS ENDOVASCULARES minimamente invasivos.Pentoxifilina: Derivado da METILXANTINA que inibe a fosfodiesterase e afeta a reologia sanguínea. Melhora o fluxo sanguíneo aumentando a flexibilidade dos eritrócitos e leucócitos. Também inibe a agregação plaquetária. A pentoxifilina modula a atividade imunológica estimulando a produção de citocina.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Nádegas: Uma das duas saliências carnudas sobre a secção posterior inferior do tronco ou do QUADRIL em seres humanos e primatas, em que estes se sentam, consistindo de MÚSCULOS glúteos e gordura.Angiografia: Radiografia dos vasos sanguíneos após injeção de um meio de contraste.Recuperação de Função Fisiológica: Retorno parcial (ou completo) ao normal (ou a atividade fisiológica adequada) de um órgão (ou parte) após doença ou trauma.Canal Vertebral: Cavidade dentro da COLUNA VERTEBRAL pela qual a MEDULA ESPINAL passa.Procedimentos Cirúrgicos Vasculares: Procedimentos cirúrgicos para o tratamento de distúrbios vasculares.Fluxo Sanguíneo Regional: Fluxo de SANGUE através ou ao redor do órgão ou região do corpo.Endarterectomia: Excisão cirúrgica, feita sobre anestesia geral, da túnica íntima ateromatosa de uma artéria. Quando a reconstrução de uma artéria é feita como um procedimento endovascular através de um cateter, ela é chamada ATERECTOMIA.TetrazóisArteriosclerose Obliterante: Doença arterial oclusiva comum, causada por ATEROSCLEROSE. É caracterizada por lesões na camada mais interna (ÍNTIMA ARTERIAL) das artérias, inclusive a AORTA e suas ramificações às extremidades. Entre os fatores de risco estão fumar, HIPERLIPIDEMIA, e HIPERTENSÃO.Pressão Sanguínea: PRESSÃO do SANGUE nas ARTÉRIAS e de outros VASOS SANGUÍNEOS.Alprostadil: Agente vasodilatador potente que aumenta o fluxo sanguíneo periférico.Diuréticos Osmóticos: Compostos que aumentam o volume da urina ao aumentar a quantidade de soluto osmoticamente ativo na urina. Os diuréticos osmóticos também aumentam a osmolaridade do plasma.Índice de Gravidade de Doença: Níveis dentro de um grupo de diagnósticos estabelecidos por vários critérios de medição aplicados à gravidade do transtorno de um paciente.Ultrassonografia Doppler Dupla: Ultrassonografia aplicando o efeito Doppler combinado com uma imagem de tempo real. A imagem de tempo real é criada pelo movimento rápido do feixe de ultrassom. A grande vantagem dessa técnica é a habilidade em estimar a velocidade do fluxo de mudança de frequência do Doppler.Amputação: A remoção de um membro, outro apêndice ou saliência do corpo. (Dorland, 28a ed)Fatores de Risco: Aspecto do comportamento individual ou do estilo de vida, exposição ambiental ou características hereditárias ou congênitas que, segundo evidência epidemiológica, está sabidamente associado a uma condição relacionada com a saúde considerada importante de ser prevenida.Questionários: Conjunto de perguntas previamente preparadas utilizado para a compilação de dados.Viscosidade Sanguínea: Resistência interna do SANGUE para dividir forças. A medida in vitro da viscosidade do sangue total é de utilidade clínica limitada por ter pouca relação com a viscosidade real na circulação; entretanto um aumento na viscosidade do sangue circulante pode contribuir para a morbidez em pacientes que sofrem de transtornos, como ANEMIA FALCIFORME e POLICITEMIA.Método Duplo-Cego: Método de estudo sobre uma droga ou procedimento no qual ambos, grupos estudados e investigador, desconhecem quem está recebendo o fator em questão. (Tradução livre do original: Last, 2001)Inibidores da Agregação de Plaquetas: Drogas ou agentes que antagonizam ou prejudicam qualquer mecanismo que conduz à agregação plaquetária, seja durante as fases de ativação e mudança de forma, seja seguindo a reação de liberação de grânulos densos e estimulação do sistema prostaglandina-tromboxana.Fibrinogênio: Glicoproteína plasmática coagulada pela trombina, composta por um dímero de três pares de cadeias polipeptídicas não idênticas (alfa, beta e gama) mantidas juntas por pontes dissulfeto. A coagulação do fibrinogênio é uma mudança de sol para gel envolvendo arranjos moleculares complexos; enquanto o fibrinogênio é lisado pela trombina para formar polipeptídeos A e B, a ação proteolítica de outras enzimas libera diferentes produtos de degradação do fibrinogênio.Dor: Sensação desagradável induzida por estímulos nocivos que são detectados por TERMINAÇÕES NERVOSAS de NOCICEPTORES.: Extremidade distal da perna dos vertebrados que consiste do tarso (TORNOZELO), do METATARSO, das falanges e dos tecidos moles que envolvem estes ossos.Fármacos Cardiovasculares: Substâncias que afetam o ritmo ou a intensidade da contração cardíaca, o diâmetro dos vasos, ou ainda o volume sanguíneo.Vasodilatadores: Fármacos usados para causar a dilatação dos vasos sanguíneos.Vértebras Lombares: Vértebras na região inferior do DORSO abaixo da VÉRTEBRA TORÁCICA e acima da VÉRTEBRA SACRAL.Constrição Patológica: Afecção em que uma estrutura anatômica é contraída além das dimensões normais.Actigrafia: Medida e registro da ATIVIDADE MOTORA para avaliar ciclos de repouso/atividade.Angiografia Digital: Método de delinear vasos sanguíneos por subtrair a imagem de um tecido de uma imagem de um tecido acrescida de um contraste intravascular que atenua os fótons de raio x. A imagem é determinada de uma imagem digitalizada feita poucos minutos antes da injeção do contraste. O angiograma resultante é uma imagem de alto contraste do vaso. Esta técnica de subtração permite a extração de um sinal de alta intensidade de uma informação sobreposta em segundo plano. A imagem é então o resultado da absorção diferencial dos raios x por diferentes tecidos.Prótese Vascular: Dispositivo feito de material sintético ou biológico usado para reparo de vasos sanguíneos danificados ou defeituosos.

*  Insuficiência arterial periférica - Claudicação intermitente
... Categoria(s): Angiologia Geriátrica, Cardiogeriatria, Caso clínico ... Poucos pacientes relatam sintoma de claudicação intermitente, e a dor na perna é, geralmente atribuída a idade avançada, ... A este sintoma denominamos claudicação intermitente.. Na insuficiência arterial periférica existe uma suboclusão da artéria que ... Como fazer para ter melhores esclarecimentos a custos satisfatórios? Há perspectivas de cura da claudicação intermitente? ...
  http://www.medicinageriatrica.com.br/2008/02/18/estudo-de-caso-claudicacao-intermitente/
*  Campanha - Siga seu coração
Claudicação intermitente (sensação de cãibra). • Pés frios. • Dormência e fraqueza nas pernas ...
  http://novembroazul.com.br/campanha/siga-seu-coracao/doenca-arterial/sintomas
*  SBACV DF - Artigos
... a claudicação intermitente e, por fim, as conseqüências dessas condições angiológicas, que são as amputações de membros. ...
  http://sbacvdf.com.br/sbacvdf/artigo/8/origem-e-importancia-da-angiologia
*  Claudicação intermitente - Wikipedia
Claudicação intermitente é um sensação de cãibra nas pernas que se torna presente durante exercícios ou caminhadas e ocorre ... A claudicação intermitente geralmente indica uma oclusão arterial crônica grave (doença arterial periférica), geralmente por ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Claudica%C3%A7%C3%A3o_intermitente
*  Claudicação intermitente - Sintomas, Tratamentos e Causas | Minha Vida
Claudicação é o nome dados para quando o fluxo de sangue nas pernas se torna insuficiente durante a caminha para irrigar os ... O que é Claudicação intermitente? Claudicação é o nome dados para quando o fluxo de sangue nas pernas é normal quando se está ... Diagnóstico de Claudicação intermitente O diagnóstico do problema é feito após uma consulta médica com o angiologista ou ... A prevalência de claudicação intermitente em indivíduos com 60 a 65 anos é de aproximadamente 35% e aumenta para 70% com a ...
  http://www.minhavida.com.br/saude/temas/claudicacao-intermitente
*  Claudicação Intermitente - perguntas e respostas - Faça Fisioterapia
Quem tem claudicação intermitente pode ter outras doenças?. Sim, porque a causa principal da claudicação intermitente, a ... O que causa a claudicação intermitente?. A claudicação intermitente acontece pela diminuição da circulação do sangue nas pernas ... O que pode aumentar a chance da pessoa ter claudicação intermitente?. Como uma das principais causas da claudicação ... A claudicação intermitente é um sintoma muito comum em quem têm problemas de circulação arterial nas pernas, e quanto mais ...
  http://www.facafisioterapia.net/2009/08/claudicacao-intermitente-perguntas-e.html
*  Luxação medial e lateral da patela (deslocamento de rótula). - Saúde Canina
Claudicação, muitas vezes intermitente, que pode ser uni ou bilateral; articulação fêmur-tíbio-patelar grossa e inchada, dor ao ... Claudicação intermitente ou constante; postura retraída, dificuldade para andar ou saltar, ocasionalmente o cão mantém a pata ... Cães geralmente são levados ao veterinário em casos de claudicação intermitente, que está se tornando mais freqüente ou grave. ... O grau de claudicação é determinado pela gravidade e tempo da afecção, bem como pela extensão da artrite existente.. RENAL VET ...
  https://sites.google.com/site/saudecanina/artigos-uteis-aos-leigos-e-aos-veterinarios/luxacao-medial-e-lateral-da-patela-deslocamento-de-rotula
*  Doença arterial periférica - Wikipedia
É a clássica claudicação intermitente. A dor aparece devido ao metabolismo muscular com baixo débito de oxigénio e formação de ... Naqueles que tenham claudicação intermitente causada pela DAP, recomenda-se a fisioterapia e o abandono do tabaco para melhorar ... a chamada claudicação intermitente. Outros sintomas incluem úlceras isquémicas, cianose, pele fria ou fraco crescimento das ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Doen%C3%A7a_arterial_perif%C3%A9rica
*  Tire todas as suas dúvidas sobre o Ginkgo biloba - BS Pharma
Claudicação intermitente. É uma condição que se caracteriza pela sensação dolorosa, como câimbras, nas pernas, normalmente nas ... A claudicação se dá quando há uma insuficiência circulatória do fluxo sanguíneo causada pelo estreitamento ou obstrução das ...
  https://www.bspharma.com.br/blog/ginkgo-biloba
*  Ginkgo Biloba como um suplemento dietético
Claudicação intermitente. Porque o fato é, na verdade aquele ginkgo melhora o fluxo sanguíneo, Esta erva tem sido estudada em ... Embora muitos não ouviram sobre isso, o fato é que pessoas com claudicação intermitente tem dificuldade em andar sem sofrer dor ... pessoas com claudicação intermitente, um tipo especial de dor causada pelo fluxo inadequado de sangue para as pernas. ... Embora as pessoas têm um ecetica de grande evidência disponível mostra a eficácia do ginkgo para o tratamento da claudicação ...
  https://www.saludconsultas.com/pt/ginkgo-biloba-como-suplemento-dietetico/5901
*  Buflomedil - Wikipedia
É utilizados em casos de claudicação intermitente, vasculopatia diabética, encefalopatias senis e insuficiência cérebro- ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Buflomedil
*  Azapetina - Wikipedia
É um bloqueador alfadrenérgico, indicado na doença de Raynaud, algumas vasculopatias periféricas e claudicação intermitente. ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Azapetina
*  As 5 Doenças Cardíacas Mais Perigosa e Seus Sintomas | Dicas de Saúde
Claudicação intermitente.. *Dormência e fraqueza nas pernas.. *Feridas em seus dedos, pés ou pernas que não cicatrizam. ...
  https://www.saudedica.com.br/as-5-doencas-cardiacas-mais-perigosa-e-seus-sintomas/
*  O Guia do Fisioterapeuta: Fevereiro 2012
A Claudicação Intermitente (CI) é um sintoma da doença arterial periférica caracterizada por dor muscular no membro inferior ... No segundo dia pós-operatório, Phillips foi instruído quanto ao uso da Escala de Avaliação de Claudicação de Dor e foi capaz de ... Caminhar até que a dor seja graduada em moderada (escore de 2 na escala de claudicação), seguida de repouso sentado ou mesmo de ... Devem ser realizados em uma intensidade que desencadeie os sintomas (escore 1 na escala de dor em claudicação) em 3 a 5 minutos ...
  http://fisioterapiahumberto.blogspot.com.br/2012/02/
*  Nefropatia Isquêmica | dos Sintomas ao Diagnóstico e Tratamento | MedicinaNET
A aterosclerose extrarrenal poderia ser manifestada por insuficiência coronariana, claudicação intermitente e/ou insuficiência ...
  http://www.medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/2493/nefropatia_isquemica.htm
*  Ginkgo biloba - Wikipedia
... claudicação intermitente ou zumbido. Ainda há falta de evidência conclusiva do efeito sobre a degeneração macular em idosos. O ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Ginkgo_biloba
*  Pentoxifilina | MedicinaNET
doença vascular periférica (para alívio sintomático da claudicação intermitente associada com doenças arteriais oclusivas dos ...
  http://www.medicinanet.com.br/conteudos/medicamentos/1079/pentoxifilina.htm
*  Distrofia Muscular Animal - lookfordiagnosis.com
Claudicação Intermitente. * Intertrigo. * Deslocamento Do Disco Intervertebral. * Atresia Intestinal. * Enteropatias. * ...
  https://lookfordiagnosis.com/portugueseforum/viewforum.php?f=2612

Claudicação intermitenteBengala (bastão): Bengala é um acessório para o auxílio no caminhar, sendo mais usada por pessoas que têm dificuldades na locomoção em razão da idade, ou em razão de doença, problemas traumatológicos, como fraturas, ou cegueira.Esteira ergométrica: 150px|thumb|right|Imagem de uma passadeira mecânica.IsquemiaArtéria ilíaca comum: As artérias ilíacas comuns direita e esquerda são os dois ramos que se originam a partir da bifurcação da artéria aorta, responsáveis pela irrigação sangüínea dos membros inferiores e da região pelvica. Cada uma se divide posteriormente em artéria ilíaca externa e artéria ilíaca interna.Angioplastia: 230px|right|thumbEstenose espinhalPentoxifilinaEndarteriectomiaSorbitolAmputação: Amputação é a remoção de uma extremidade do corpo através de cirurgia ou acidente. Na medicina, é usada para controlar a dor ou a doença no membro afetado, como no câncer e na gangrena.Antiagregante plaquetar: Os Antiplaquetares são os fármacos usados para evitar a activação e agregação das plaquetas e formação de trombos arteriais.Fibrinogênio: O fibrinogênio é uma glicoproteína hexamérica codificada por três genes - FGA, FGB e FGG - localizados no braço longo do cromossomo 1 e que está envolvida nas etapas finais da coagulação como precursor de monômeros de fibrina necessários para a formação do plug plaquetário. Possui alta massa molecular e é solúvel no plasma sanguíneo, convertendo-se em fibrina pela ação da trombina, que é a enzima ativa.


  • pode ser
  • Porém, quando a claudicação intermitente aparece em pessoas mais jovens, isso pode ser um sinal de outras doenças menos comuns como a Tromboangeíte Obliterante (inflamação das artérias relacionada ao uso de cigarros), o entrelaçamento da artéria poplítea (alterações congênitas da musculatura da perna) e o cisto da artéria poplítea, entre outras. (facafisioterapia.net)
  • muscular
  • A claudicação limitante consiste em uma dor muscular que surge no indivíduo após ter percorrido uma determinada distância, assim obrigando-o a parar, essa dor passa após alguns minutos parado. (wikipedia.org)