Artéria Ilíaca: Cada uma das duas grandes artérias que se originam da aorta abdominal. Suprem de sangue a pelve, a parede abdominal e as pernas.Aneurisma Ilíaco: Balão anormal ou dilatação semelhante a um saco na parede de quaisquer das artérias ilíacas, inclusive a comum, interna ou a ARTÉRIA ILÍACA externa.Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.Artéria Femoral: A principal artéria da coxa. Continuação da artéria ilíaca externa.Arteriopatias Oclusivas: Processos patológicos que resultam de obstrução parcial ou completa das ARTÉRIAS. São caracterizados por grande redução ou ausência de fluxo sanguíneo através destes vasos. Também são conhecidos como insuficiência arterial.Nádegas: Uma das duas saliências carnudas sobre a secção posterior inferior do tronco ou do QUADRIL em seres humanos e primatas, em que estes se sentam, consistindo de MÚSCULOS glúteos e gordura.Artéria Renal: Ramo da aorta abdominal que irriga os rins, glândulas adrenais e ureteres.Implante de Prótese Vascular: Inserção cirúrgica de PRÓTESE VASCULAR para reparar vasos sanguíneos danificados ou doentes.Artéria Pulmonar: Vaso curto e calibroso que se origina do cone arterial do ventrículo direito e transporta sangue venoso para os pulmões.Stents: Dispositivos que dão suporte a estruturas tubulares que estão sendo anastomosadas ou para cavidades do corpo durante enxerto de pele.Aorta Abdominal: Porção da aorta que tem início no DIAFRAGMA e termina na bifurcação em artérias ilíacas comuns direita e esquerda.Angiografia: Radiografia dos vasos sanguíneos após injeção de um meio de contraste.Artérias Carótidas: Cada uma das duas principais artérias em ambos os lados do pescoço, que suprem de sangue a cabeça e o pescoço. Cada uma se divide em dois ramos, a artéria carótida interna e artéria carótida externa.Angioplastia com Balão: Uso de um cateter de balão para dilatação de uma artéria ocluída. É utilizado no tratamento de doenças arteriais oclusivas, incluindo estenose da artéria renal e oclusões arteriais na perna. Para a técnica específica de DILATAÇÃO COM BALÃO em artérias coronárias está disponível ANGIOPLASTIA CORONÁRIA COM BALÃO.Aneurisma da Aorta Abdominal: Balão anormal ou dilatação semelhante a um saco na parede da AORTA ABDOMINAL que dá origem às ramificações parietais, e terminais (ilíaca) abaixo do hiato aórtico no diafragma.Prótese Vascular: Dispositivo feito de material sintético ou biológico usado para reparo de vasos sanguíneos danificados ou defeituosos.Artérias Cerebrais: Vasos sanguíneos arteriais que suprem o CÉREBRO.Constrição Patológica: Afecção em que uma estrutura anatômica é contraída além das dimensões normais.Artérias Mesentéricas: Artérias que nascem da aorta abdominal e irrigam uma grande parte dos intestinos.Grau de Desobstrução Vascular: Grau em que os VASOS SANGUÍNEOS não estão bloqueados ou obstruídos.Artéria Basilar: Artéria formada pela união das artérias vertebrais direita e esquerda. Corre da parte inferior para a parte superior da ponte, onde se bifurca em duas artérias cerebrais posteriores.Tomografia Computadorizada por Raios X: Tomografia utilizando transmissão por raio x e um computador de algoritmo para reconstruir a imagem.Embolização Terapêutica: Método de hemóstase usando vários agentes [Gelfoam, Silastic, metal, vidro ou pellets plásticos, coágulo autólogo, gordura e músculo] como êmbolo. Tem sido usada nos tratamentos da medula espinal, MALFORMAÇÕES ARTERIOVENOSAS INTRACRANIANAS, fístulas arteriovenosas renais, sangramento gastrointestinal, epistaxe, hiperesplenismo, certos tumores altamente vascularizados, rupturas traumáticas de vasos sanguíneos e controle de hemorragia cirúrgica.Veia Ilíaca: Veia localizada em cada lado do corpo. Formada pela união das veias ilíacas externa e interna, corre ascendentemente para unir-se com seu par do lado oposto para formar a veia cava inferior.Pelve: Espaço ou compartimento rodeado pela cintura pélvica (pelve óssea). É subdividida em pelve maior e PELVE MENOR. A cintura pélvica é formada pelos OSSOS PÉLVICOS e o SACRO.Resultado do Tratamento: Estudos conduzidos com o fito de avaliar as consequências da gestão e dos procedimentos utilizados no combate à doença de forma a determinar a eficácia, efetividade, segurança, exequibilidade dessas intervenções.Procedimentos Cirúrgicos Vasculares: Procedimentos cirúrgicos para o tratamento de distúrbios vasculares.Aneurisma: Evaginação patológica ou dilatação saculiforme na parede de qualquer vaso sanguíneo (ARTÉRIAS OU VEIAS) ou no coração (ANEURISMA CARDÍACO). Indica uma área delgada e enfraquecida na parede, que pode se romper posteriormente. Os aneurismas são classificados pela localização, etiologia, ou outras características.Angioplastia: Reconstrução ou reparo de um vaso sanguíneo que inclui o alargamento de um estreitamento patológico de uma artéria ou veia pela remoção de placa de material ateromatoso e/ou do revestimento endotelial, ou por dilatação (ANGIOPLASTIA COM BALÃO) para comprimir um ATEROMA. Com exceção da ENDARTERECTOMIA, estes procedimentos geralmente são realizados por meio de cateterização como PROCEDIMENTOS ENDOVASCULARES minimamente invasivos.Artéria Vertebral: Primeiro ramo da ARTÉRIA SUBCLÁVIA que se distribui para os músculos do PESCOÇO, VÉRTEBRAS, MEDULA ESPINAL, CEREBELO e interior do CÉREBRO.Ponte de Artéria Coronária: Tratamento cirúrgico da doença isquêmica da artéria coronária pelo enxerto de uma secção da veia safena, uma artéria torácica interna, ou outro substituto entre a aorta e a artéria coronária obstruída distante da lesão obstrutiva.Claudicação Intermitente: Complexo de sintomas caracterizados por dor e fraqueza em um grupo de MÚSCULOS ESQUELÉTICOS associado com exercícios, como dor nas pernas e fraqueza produzida por caminhada. Tal debilidade muscular desaparece após um breve repouso e frequentemente relaciona-se com ESTENOSE arterial, ISQUEMIA muscular, e acúmulo de LACTATO.Aneurisma Roto: Ruptura ou explosão da parede enfraquecida do saco aneurismal, geralmente precursora de dor súbita e piorada. O grande perigo de um aneurisma se romper é a grande quantidade de sangue derramada para dentro de tecidos e cavidades circundantes causando CHOQUE HEMORRÁGICO.Aortografia: Visualização radiográfica da aorta e suas ramificações pela injeção de um meio de contraste, utilizando punção percutânea ou procedimentos de cateterização.Artéria Radial: Continuação direta da artéria braquial, que se origina na bifurcação da artéria braquial em posição oposta ao colo do rádio. Suas ramificações podem ser divididas em três grupos correspondentes às regiões nas quais os vasos estão localizados: antebraço, punho e mão.Artéria Torácica Interna: Artérias que se originam das artérias subclávia ou axilar e dirigem-se para a parede torácica anterior, estruturas localizadas no mediastino, diafragma, músculos peitorais e glândula mamária.Artéria Carótida Interna: Ramo da artéria carótida primitiva que irriga a parte anterior do cérebro, os olhos e estruturas relacionadas, a face e o nariz.Artérias Torácicas: Artérias que se originam das artérias subclávia ou axilar e dirigem-se para a parede torácica anterior, estruturas localizadas no mediastino, diafragma, músculos peitorais, glândula mamária e parte axilar da parede torácica.Artéria Subclávia: Artéria que do lado direito se origina do tronco braquiocefálico, e do lado esquerdo se origina do arco da aorta. Dirige-se para o pescoço, parede torácica, medula espinhal, cérebro, meninges e membros superiores.Procedimentos Endovasculares: Procedimentos diagnósticos ou terapêuticos minimamente invasivos, executados dentro dos VASOS SANGUÍNEOS. Podem ser executados via ANGIOSCOPIA, IMAGEM POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA INTERVENCIONISTA, RADIOGRAFIA INTERVENCIONISTA ou ULTRASSONOGRAFIA DE INTERVENÇÃO.Isquemia: Hipoperfusão do SANGUE através de um órgão (ou tecido) causado por uma CONSTRIÇÃO PATOLÓGICA, obstrução de seus VASOS SANGUÍNEOS ou ainda ausência de CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA.Anastomose Cirúrgica: União cirúrgica ou passagem entre ductos, tubos ou vasos. Pode ser extremidade com extremidade, extremidade com borda, borda com extremidade ou borda com borda.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Artéria Celíaca: Tronco arterial que nasce da aorta abdominal e após um curto trajeto ramifica-se em artérias gástrica esquerda, hepática comum e esplênica.Displasia Fibromuscular: Doença não ateromatosa, segmentar, idiopática da musculatura das paredes arteriais, levando a ESTENOSE de artérias de pequeno e médio calibre. Há uma verdadeira proliferação das CÉLULAS DE MÚSCULO LISO e tecido fibroso. As lesões da displasia fibromuscular são estenose lisa, e ocorrem mais frequentemente nas artérias carótidas e renais. Podem também ocorrer em outras artérias periféricas das extremidades.Doenças das Artérias Carótidas: Afecções que envolvem as ARTÉRIAS CARÓTIDAS, inclusive as artérias carótidas comum, interna e externa. A ATEROSCLEROSE e TRAUMA são relativamente causas frequentes da doença da artéria carótida.Vasos Coronários: Veias e artérias do CORAÇÃO.Desenho de Prótese: Planejamento e delineamento de próteses em geral ou de uma prótese específica.Aneurisma Infectado: O aneurisma devido ao crescimento de micro-organismos na parede arterial ou a infecção que surge dentro de um aneurisma arteriosclerótico preexistente.Ruptura Espontânea: Rompimento ou fratura de um órgão, vaso ou outra parte mole do corpo, que ocorre na ausência de uma força externa.Artéria Esplênica: A maior ramificação do tronco celíaco, com ramificações para o baço, o pâncreas, o estômago e o omento maior.Artéria Braquial: Continuação da artéria axilar. Ramifica-se em artérias radial e ulnar.Fluxo Sanguíneo Regional: Fluxo de SANGUE através ou ao redor do órgão ou região do corpo.Falso Aneurisma: Não se refere a um aneurisma, mas a um acúmulo bem definido de sangue e TECIDO CONJUNTIVO fora da parede de um vaso sanguíneo ou do coração. É a contenção de um vaso sanguíneo ou do coração rompidos, como que selando uma ruptura do ventrículo esquerdo. O falso aneurisma é formado por TROMBO organizado e HEMATOMA no tecido circundante.Cateterismo: Utilização ou inserção de um dispositivo tubular em um ducto, vaso sanguíneo, cavidade de um órgão ou cavidade corporal pela injeção ou retirada de fluidos para fins diagnósticos ou terapêuticos. Difere de ENTUBAÇÃO, em que um tubo é utilizado para restaurar ou manter a patência em obstruções.Obstrução da Artéria Renal: Estreitamento ou oclusão da ARTÉRIA RENAL ou das artérias. Geralmente, devido a ATEROSCLEROSE, DISPLASIA FIBROMUSCULAR, TROMBOSE, EMBOLISMO ou pressão externa. A perfusão renal reduzida pode levar a HIPERTENSÃO RENOVASCULAR.Angiografia Digital: Método de delinear vasos sanguíneos por subtrair a imagem de um tecido de uma imagem de um tecido acrescida de um contraste intravascular que atenua os fótons de raio x. A imagem é determinada de uma imagem digitalizada feita poucos minutos antes da injeção do contraste. O angiograma resultante é uma imagem de alto contraste do vaso. Esta técnica de subtração permite a extração de um sinal de alta intensidade de uma informação sobreposta em segundo plano. A imagem é então o resultado da absorção diferencial dos raios x por diferentes tecidos.Artéria Hepática: Ramo da artéria celíaca que se distribui para o estômago, pâncreas, duodeno, fígado, vesícula biliar e omento maior.Artéria Carótida Primitiva: As duas principais artérias que irrigam as estruturas da cabeça e pescoço. Ascendem uma a cada lado do pescoço e no nível da lâmina superior da cartilagem tireoide, cada uma se divide em dois ramos, as artérias carótidas externa (ARTÉRIA CARÓTIDA EXTERNA) e interna (ARTÉRIA CARÓTIDA INTERNA).Coelhos: Espécie Oryctolagus cuniculus (família Leporidae, ordem LAGOMORPHA) nascem nas tocas, sem pelos e com os olhos e orelhas fechados. Em contraste com as LEBRES, os coelhos têm 22 pares de cromossomos.Endarterectomia: Excisão cirúrgica, feita sobre anestesia geral, da túnica íntima ateromatosa de uma artéria. Quando a reconstrução de uma artéria é feita como um procedimento endovascular através de um cateter, ela é chamada ATERECTOMIA.Seguimentos: Estudos nos quais indivíduos ou populações são seguidos para avaliar o resultado de exposições, procedimentos ou efeitos de uma característica, por exemplo, ocorrência de doença.Angiografia por Ressonância Magnética: Método não invasivo de imagem e determinação da anatomia vascular interna sem injeção de um meio de contraste ou exposição à radiação. A técnica é utilizada especialmente em ANGIOGRAFIA CEREBRAL assim como em estudos de outras estruturas vasculares.Endoleak: Hemorragia pós-operatória a partir de um ANEURISMA AÓRTICO endovascular restaurado por meio de enxertos endoluminais de stents (IMPLANTE DE PRÓTESE VASCULAR). Está associado com pressurização, expansão e ruptura eventual do aneurisma.Politetrafluoretileno: Homopolímero de tetrafluoretileno. Tubos ou fitas de plástico inerte, não inflamáveis, rígidos; usados para revestir recipientes, isolar, proteger e lubrificar equipamentos; também usados como membranas filtrantes, revestimento de implantes cirúrgicos, ou como material protético. Sinônimos: Fluoroflex; Fluoroplast; Ftoroplast; Halon; Polifeno; PTFE; Tetron.Artéria Axilar: Continuação da artéria subclávia. Distribui-se sobre o membro superior, axila, peito e ombro.Cateterismo Periférico: Inserção de um cateter numa artéria periférica, veia ou vias aéreas, com fins diagnósticos ou terapêuticos.Hiperplasia: Aumento na quantidade de células em um tecido ou órgão, sem formação tumoral. Difere de HIPERTROFIA, que é aumento no volume, porém sem aumento no número de células.Músculo Liso Vascular: Tecido muscular não estriado e de controle involuntário que está presente nos vasos sanguíneos.Estudos Retrospectivos: Estudos nos quais os dados coletados se referem a eventos do passado.Ligadura: Aplicação de uma ligadura para atar um vaso ou estrangular uma região.Artéria Oftálmica: Artéria originada a partir da artéria carótida interna. Irriga o olho, a órbita e estruturas faciais adjacentes.Artéria Poplítea: Continuação da artéria femoral, correndo através da fossa poplítea, divide-se em artérias tibiais anterior e posterior.Artéria Mesentérica Superior: Grande vaso que irriga o intestino delgado em toda sua extensão, com exceção da porção superior do duodeno. Irriga também o ceco, a parte ascendente do colo e aproximadamente metade da parte tranversa do colo. Origina-se da parede anterior da aorta abaixo do tronco celíaco no nível da primeira vértebra lombar.Vasodilatação: Dilatação fisiológica de VASOS SANGUÍNEOS por um relaxamento do MÚSCULO LISO VASCULAR subjacente.Ultrassonografia Doppler Dupla: Ultrassonografia aplicando o efeito Doppler combinado com uma imagem de tempo real. A imagem de tempo real é criada pelo movimento rápido do feixe de ultrassom. A grande vantagem dessa técnica é a habilidade em estimar a velocidade do fluxo de mudança de frequência do Doppler.Endotélio Vascular: Camada única de células que se alinham na superfície luminal em todo o sistema vascular e regulam o transporte de macromoléculas e componentes do sangue.Complicações Pós-Operatórias: Processos patológicos que afetam pacientes após um procedimento cirúrgico. Podem ou não estar relacionados à doença pela qual a cirurgia foi realizada, podendo ser ou não resultado direto da cirurgia.Espaço Retroperitoneal: Área que ocupa a região mais posterior da CAVIDADE ABDOMINAL. Esta área limita-se lateralmente pelas bordas dos músculos quadrados lombares e se estende do DIAFRAGMA à borda da PELVE verdadeira, continuando então como espaço extraperitoneal pélvico.Radiografia Intervencionista: Procedimentos diagnósticos e terapêuticos que são invasivos ou cirúrgicos, e requerem um radiologista especialmente treinado. Em geral, são mais invasivos do que uma imagem diagnóstica, mas menos invasivos do que a maioria das cirurgias. Geralmente envolvem cateterização, fluoroscopia ou tomografia computadorizada. Alguns exemplos incluem colangiografia percutânea trans-hepática, biópsia percutânea transtorácica, angioplastia de balão e embolização arterial.Arteriosclerose: Espessamento e perda de elasticidade nas paredes das ARTÉRIAS de todos os calibres. Há muitas formas classificadas pelos tipos de lesão e artérias envolvidas, como a ATEROSCLEROSE, com lesões gordurosas na íntima arterial das artérias musculares médias e grandes.Artérias Umbilicais: Vasos arteriais especializados no cordão umbilical. Transportam resíduos e sangue desoxigenado do FETO à mãe (via PLACENTA). Em humanos, geralmente há duas artérias umbilicais, raramente uma.Artéria Cerebral Média: A maior das artérias cerebrais. Trifurca-se nos ramos temporal, frontal e parietal fornecendo sangue à maior parte do parênquima dos lobos no CÓRTEX CEREBRAL. Estas são as áreas envolvidas nas atividades motora, sensitiva e da fala.Doenças da Aorta: Processos patológicos envolvendo qualquer parte da AORTA.Artérias Temporais: Artérias que nascem ou da artéria carótida externa ou da artéria maxilar e distribuem-se pela região temporal.Pernas: Parte mais baixa, na extremidade inferior, entre o JOELHO e o TORNOZELO.Aneurisma Dissecante: Aneurisma causado por uma gota na TÚNICA ÍNTIMA de um vaso sanguíneo, levando a HEMORRAGIA intersticial e divisão (dissecante) da parede do vaso, frequentemente envolvendo a AORTA. A dissecção entre a íntima e média causa oclusão luminal. Dissecção na média ou entre a média e a adventícia externa causa dilatação aneurismal.Artérias Brônquicas: A artéria brônquica esquerda nasce da aorta torácica, enquanto que a esquerda nasce da primeira artéria intercostal aórtica ou da artéria bronquial esquerda superior. Irrigam os brônquios e região inferior da traqueia.Ligas: Mistura de elementos metálicos ou compostos com outros elementos metálicos e metaloides em proporções variadas.Vasoconstrição: Estreitamento fisiológico dos VASOS SANGUÍNEOS por contração do MÚSCULO LISO VASCULAR.Lesões do Sistema Vascular: Danos aos vasos sanguíneos casusados por laceração, contusão, perfuração ou esmagamento e outros tipos de lesões. Os sintomas variam de acordo com o local e modo das lesões e podem incluir sangramento, escurecimento, inchaço, dor e dormência. Não inclui lesões secundárias a funções patológicas ou doenças como ATEROSCLEROSE.Artéria Ulnar: O maior dos dois ramos terminais da artéria braquial. Iniciam-se aproximadamente a um centímetro distalmente à articulação do cotovelo. Similarmente à ARTÉRIA RADIAL, suas ramificações podem ser divididas em três grupos de acordo com sua localização: antebraço, pulso e mão.Ultrassonografia Doppler em Cores: Ultrassonografia por aplicação do efeito Doppler, com a sobreposição do fluxo de informação em cores, numa escala de cinza em uma imagem de tempo real. Este tipo de ultrassonografia é bem adequado para identificar a localização de fluxo de alta velocidade (como em uma estenose) ou mapear a extensão do fluxo em determinada região.Oclusão de Enxerto Vascular: Obstrução do fluxo em enxertos vasculares prostéticos ou biológicos.Túnica Íntima: Camada mais interna de uma artéria ou veia constituída por uma fina camada de células endoteliais e sustentada por uma lâmina elástica.Artéria Uterina: Ramificação da artéria ilíaca interna, presente em mulheres, que fornece sangue para o útero.Vasodilatadores: Fármacos usados para causar a dilatação dos vasos sanguíneos.Reoperação: Operação refeita para a mesma doença, no mesmo paciente, devido à evolução ou recidiva da doença, ou como acompanhamento de cirurgia anterior que não atingiu seu objetivo.Aneurisma Aórtico: Dilatação anormal semelhante a um balão ou saco na parede da AORTA.Membro Posterior: Cada uma das duas extremidades traseiras de animais terrestres não primatas, que apresentam quatro membros. Geralmente é constituído por FÊMUR, TÍBIA, FÍBULA, OSSOS DO TARSO, OSSOS DO METATARSO e DEDOS DO PÉ. (Tradução livre do original: Storer et al., General Zoology, 6th ed, p 73)Angiografia Coronária: Radiografia do sistema vascular do músculo cardíaco, após injeção de um meio de contraste.Injeções Intra-Arteriais: Liberação de drogas em uma artéria.Estudos Prospectivos: Estudos planejados para a observação de eventos que ainda não ocorreram.Artéria Carótida Externa: Ramo da artéria carótida primitiva que irriga a superfície da cabeça, a face e a maior parte do pescoço.Trombectomia: Remoção cirúrgica de um coágulo obstrutivo ou material estranho de um vaso sanguíneo no ponto de sua formação. A remoção de um coágulo que chega de um sítio distante é chamada EMBOLECTOMIA.Cães: O cão doméstico (Canis familiaris) compreende por volta de 400 raças (família carnívora CANIDAE). Estão distribuídos por todo o mundo e vivem em associação com as pessoas (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, p1065).Pressão Sanguínea: PRESSÃO do SANGUE nas ARTÉRIAS e de outros VASOS SANGUÍNEOS.Tábuas de Vida: Técnicas utilizadas para descrever o padrão de mortalidade e sobrevida de populações (Last, 2001). Estes métodos também podem se aplicados a qualquer agravo à saúde, incluindo incapacidades.Lesões das Artérias Carótidas: Danos às ARTÉRIAS CARÓTIDAS causados por trauma penetrante e contundente, como TRAUMA CRANIOCEREBRAL, LESÕES TORÁCICAS e LESÕES DE PESCOÇO. Artérias carótidas danificadas podem levar a TROMBOSE DAS ARTÉRIAS CARÓTIDAS, FÍSTULA CAROTÍDEO-CAVERNOSA, formação de pseudo-aneurismas e DISSECAÇÃO DA ARTÉRIA CARÓTIDA INTERNA (Tradução livre do original: Am J Forensic Med Pathol 1997, 18:251; J Trauma 1994, 37:473).Trombose: Formação e desenvolvimento de um trombo ou coágulo no vaso sanguíneo.Hematoma: Acúmulo de sangue fora dos VASOS SANGUÍNEOS. O hematoma pode estar localizado em um órgão, espaço ou tecido.Aneurisma da Aorta Torácica: Balão anormal ou dilatação semelhante a um saco na parede da AORTA TORÁCICA. Esta porção descendente proximal dá origem às ramificações visceral e parietal acima do hiato aórtico no diafragma.Estudos de Viabilidade: Estudos para determinar as vantagens ou desvantagens, praticabilidade ou capacidade de executar um plano projetado, um estudo ou um projeto.Ultrassonografia de Intervenção: Utilização da ultrassonografia para guiar procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos como BIÓPSIA POR PUNÇÃO, DRENAGEM, etc. Sua aplicação mais vasta é em ultrassom intravascular com imagem, mas é útil também em urologia e para detecção de afecções intra-abdominais.Enxerto Vascular: Inserção cirúrgica de PRÓTESE VASCULAR ou de VASOS SANGUÍNEOS transplantados ou de outro material biológico para reparar vasos sanguíneos danificados ou doentes.Hemodinâmica: Movimento e forças envolvidos no movimento do sangue através do SISTEMA CARDIOVASCULAR.Fatores de Risco: Aspecto do comportamento individual ou do estilo de vida, exposição ambiental ou características hereditárias ou congênitas que, segundo evidência epidemiológica, está sabidamente associado a uma condição relacionada com a saúde considerada importante de ser prevenida.Aorta: O principal tronco das artérias sistêmicas.Fístula Arteriovenosa: Comunicação direta anormal entre artéria e veia sem passar pelos CAPILARES. Uma fístula arteriovenosa geralmente leva à formação de uma conexão semelhante a um saco dilatado (aneurisma arteriovenoso). As localizações e os tamanhos dos desvios determinam o grau dos efeitos nas funções cardiovasculares, como PRESSÃO ARTERIAL e FREQUÊNCIA CARDÍACA.Ultrassonografia Doppler: Ultrassonografia que aplica o efeito Doppler, com reflexões do ultrassom desviadas pela frequência, produzidas por alvos móveis (geralmente hemácias) na corrente sanguínea ao longo do eixo do ultrassom, diretamente proporcionais à velocidade de movimento dos alvos, para determinar tanto a direção quanto a velocidade do fluxo sanguíneo. (Stedman, 25a ed)Doença das Coronárias: Desequilíbrio entre as necessidades funcionais miocárdicas e a capacidade dos VASOS CORONÁRIOS para fornecer suficiente fluxo sanguíneo. É uma forma de ISQUEMIA MIOCÁRDICA (fornecimento insuficiente de sangue ao músculo cardíaco), causada por uma diminuição da capacidade dos vasos coronarianos.Aorta Torácica: Porção da aorta descendente que se estende do arco da aorta até o diafragma, eventualmente conectando-se com a AORTA ABDOMINAL.Suínos: Qualquer animal da família Suidae, compreendendo mamíferos onívoros, robustos, de pernas curtas, pele espessa (geralmente coberta com cerdas grossas), focinho longo e móvel, e cauda pequena. Compreendem os gêneros Babyrousa, Phacochoerus (javalis africanos) e o Sus, que abrange o porco doméstico (ver SUS SCROFA)Doenças Vasculares Periféricas: Processos patológicos envolvendo qualquer um dos VASOS SANGUÍNEOS na vasculatura externa do CORAÇÃO.Infarto da Artéria Cerebral Média: NECROSE que ocorre no sistema de distribuição da ARTÉRIA CEREBRAL MÉDIA trazendo sangue a todos os aspectos laterais de cada HEMISFÉRIO CEREBRAL. Entre os sinais clínicos estão cognição debilitada, AFASIA, AGRAFIA, fraqueza e dormência contralateral e bilateralmente na face e braços, dependendo do infarto.Migração de Corpo Estranho: Migração de um corpo estranho de sua localização original para alguma outra localização no corpo.Arteriosclerose Obliterante: Doença arterial oclusiva comum, causada por ATEROSCLEROSE. É caracterizada por lesões na camada mais interna (ÍNTIMA ARTERIAL) das artérias, inclusive a AORTA e suas ramificações às extremidades. Entre os fatores de risco estão fumar, HIPERLIPIDEMIA, e HIPERTENSÃO.Aterosclerose: Espessamento e perda da elasticidade das paredes das ARTÉRIAS que ocorre com a formação de PLACA ATEROSCLERÓTICA dentro da ÍNTIMA ARTERIAL.Modelos Animais de Doenças: Doenças animais ocorrendo de maneira natural ou são induzidas experimentalmente com processos patológicos suficientemente semelhantes àqueles de doenças humanas. São utilizados como modelos para o estudo de doenças humanas.Medição de Risco: Métodos e técnicas aplicadas para identificar os fatores de risco e medir a vulnerabilidade aos perigos potenciais causados por desastres e substâncias químicas.Oclusão da Artéria Retiniana: ISQUEMIA súbita na RETINA devido a bloqueio do fluxo sanguíneo através da ARTÉRIA RETINIANA CENTRAL ou suas ramificações, levando à perda súbita da visão completa ou parcial, respectivamente.Impotência Vasculogênica: Incapacidade para alcançar e manter uma ereção (DISFUNÇÃO ERÉTIL) devido à deficiência do fluxo sanguíneo arterial para o PÊNIS ou deficiência na função oclusiva venosa, permitindo drenagem sanguinea (derrame) do tecido erétil (corpo cavernoso do pênis) ou ambas.Calcinose: Deposição patológica de sais de cálcio em tecidos.Veia Safena: Veia que drena o pé e perna.Trombose das Artérias Carótidas: Formação de coágulo sanguíneo em qualquer parte das ARTÉRIAS CARÓTIDAS. Isto pode produzir ESTENOSE DAS CARÓTIDAS ou oclusão dos vasos, levando a ATAQUE ISQUÊMICO TRANSITÓRIO, INFARTO CEREBRAL, ou AMAUROSE FUGAZ.Doenças Vasculares: Processos patológicos que envolvem quaisquer dos VASOS SANGUÍNEOS da circulação cardíaca ou periférica. Incluem doenças das ARTÉRIAS, VEIAS e do resto do sistema vascular do corpo.Evolução Fatal: Morte resultante da presença de uma doença em um indivíduo, como mostrado por um único caso relatado ou um número limitado de pacientes. Deve ser diferenciado de MORTE, a interrupção fisiológica da vida e de MORTALIDADE, um conceito epidemiológico ou estatístico.Oclusão com Balão: Uso de um CATETER de balão para bloquear o fluxo do sangue ao longo de uma artéria ou veia.Polietilenotereftalatos: Polímeros de poliéster formados a partir do ácido tereftálico (ou seus ésteres) e etilenoglicol. Podem ser produzidos em fitas, filmes ou esticados em fibras que são comprimidas formando fios, ou entrelaçados formando tecidos.Artérias Meníngeas: Artérias que irrigam a dura-máter.Veias: Vasos que transportam sangue para fora do leito capilar.Neointima: Camada nova e espessada de tecido de cicatrização que se forma em uma PRÓTESE ou como resultado de lesão vascular, especialmente após ANGIOPLASTIA ou colocação de stent.Acetilcolina: Neurotransmissor encontrado nas junções neuromusculares, nos gânglios autonômicos, nas junções efetoras parassimpáticas, em algumas junções efetoras simpáticas e em muitas regiões no sistema nervoso central.Infusões Intra-Arteriais: Infusão regional de medicamentos via um cateter arterial. Em geral é usada uma bomba para empurrar o medicamento até o fim do cateter. Usado na terapia do câncer, hemorragia gastrointestinal superior, infecção e doença vascular periférica.Complicações Intraoperatórias: Complicações que afetam pacientes durante a cirurgia. Podem estar ou não associadas à doença para a qual a cirurgia é realizada ou, dentro do mesmo procedimento cirúrgico.Recidiva: Retorno de um sinal, sintoma ou doença após uma remissão.Angioscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia realizada no interior dos vasos sanguíneos.Dilatação Patológica: Afecção em que uma estrutura anatômica encontra-se dilatada além das dimensões normais.

*  Artéria ilíaca interna - Wikipedia
A artéria ilíaca interna (antigamente chamada de artéria hipogástrica) é a principal artéria da pelve. A artéria ilíaca interna ... a artéria ilíaca interna sendo comprida quando a ilíaca comum é curta, e vice versa. O local da divisão da artéria ilíaca ... As artérias dos órgãos internos de reprodução femininos, vistos por trás. Artéria ilíaca externa Veia ilíaca interna. ... Abaixo estão os ramos da artéria ilíaca interna, que possui muitas variações em seus ramos: Nos fetos, a artéria ilíaca interna ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Art%C3%A9ria_il%C3%ADaca_interna
*  Artéria ilíaca comum - Wikipedia
Cada uma se divide posteriormente em artéria ilíaca externa e artéria ilíaca interna.. ... As artérias ilíacas comuns direita e esquerda são os dois ramos que se originam a partir da bifurcação da artéria aorta, ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Art%C3%A9ria_il%C3%ADaca_comum
*  Artéria ilíaca externa - Wikipedia
... artéria pudenda externa e artéria epigástrica inferior. A artéria ilíaca externa continua-se como artéria femoral que se ... artéria femoral profunda que se ramifica em artéria circunflexa femoral lateral, artéria circunflexa femoral medial e artérias ... Ela surge na bifurcação da artéria ilíaca comum e segue trajetória paralelamente à veia ilíaca externa, perpendicular e ... A artéria ilíaca externa é um vaso sanguíneo que irriga regiões da pelve, períneo e membro inferior. ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Art%C3%A9ria_il%C3%ADaca_externa
*  Artéria glútea superior - Wikipedia
A artéria glútea superior é um ramo da artéria ilíaca interna. Essa artéria passa acima do músculo piriforme e vai irrigar ... A artéria glútea superior divide-se em dois ramos iniciais: ramo superficial e ramo profundo. O ramo superficial irriga o ... músculo glúteo máximo além de emitir variados ramos que vão se anastomosar com a artéria glútea inferior. O ramo profundo se ... todos músculos acima deste na região glútea, além de participar em uma anastomose arterial com a artéria circunflexa femoral ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Art%C3%A9ria_gl%C3%BAtea_superior
*  Artéria epigástrica inferior - Wikipedia
A artéria epigástrica inferior é um ramo da artéria ilíaca externa. Logo após sua emergência, tem íntima relação com o ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Art%C3%A9ria_epig%C3%A1strica_inferior
*  Artéria sacral lateral - Wikipedia
As artérias sacrais laterais ou artérias sagradas laterais surgem da divisão posterior da artéria ilíaca interna. Geralmente ... desce na frente do sacro e se anastomosa sobre o cóccix com a artéria sacral média e a artéria sacral lateral do lado oposto. ... se anastomosando com as artérias glúteas. Artéria sacral mediana Glândulas iliopélvicas (vista lateral). ... A superior, mais larga, passa medialmente e depois de se anastomosar com ramos da artéria sacral média, entra no primeiro ou ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Art%C3%A9ria_sacral_lateral
*  Artéria iliolombar - Wikipedia
Artéria iliolombar é um ramo da artéria ilíaca interna, a partir de onde faz um trajeto recorrente (de subida). Divide-se em ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Art%C3%A9ria_iliolombar
*  Artéria pudenda interna - Wikipedia
A artéria pudenda interna é ramo terminal da divisão anterior da artéria ilíaca interna, fornecendo vascularização para a ... A artéria pudenda interna dá os seguintes ramos: A artéria profunda do clitóris é um ramo da artéria pudenda interna e irriga o ... é a artéria dorsal do clitóris. Algumas fontes consideram a artéria uretral um ramo direto da artéria pudenda interna, enquanto ... Após emergir da divisão anterior da artéria ilíaca interna, corre para a parede lateral da pelve, saindo da cavidade pélvica ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Art%C3%A9ria_pudenda_interna
*  Artéria retal média - Wikipedia
Origina-se da artéria ilíaca interna de modo independente ou sua origem pode estar associada à artéria vesical inferior ou à ... A artéria retal média é uma artéria que vasculariza a parte inferior do reto, onde se anastomosa com as artérias retais ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Art%C3%A9ria_retal_m%C3%A9dia
*  Artéria uterina - Wikipedia
A artéria vaginal às vezes surge da artéria uterina, ao invés de ser ramo direto da artéria ilíaca interna. Ligamento redondo ... A artéria uterina é uma artéria presente somente nas fêmeas que vasculariza o útero. Se configura como uma artéria intensamente ... útero durante a gestação A artéria uterina geralmente surge da divisão anterior da artéria ilíaca interna. Ela vai em direção ... do útero Ovário ("Ramos ovarianos") Útero Miométrio (helicine branches of uterine artery) Vagina ("Ramos vaginais" - artérias ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Art%C3%A9ria_uterina
*  John Abernethy (cirurgião) - Wikipedia
Cirurgião muito hábil e homem de muito espírito, foi o primeiro que praticou a operação da ligadura da artéria ilíaca externa ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/John_Abernethy_(cirurgi%C3%A3o)
*  Sistema Circulatório - Dicas do sistema circulatório venoso e arterial.
Os ramos terminas da artéria aorta são artéria ilíaca comum direita e artéria ilíaca comum esquerda. ... Artéria Aorta - Porção Torácica: Após a curva ou arco aótico, a artéria começa a descer do lado esquerdo da coluna vertebral ... Na mão essas duas artérias se anastomosam formando um arco palmar profundo que origina as artérias digitais palmares comuns e ... Explicação da tabela acima: a artéria subclávia (direita ou esquerda), logo após o seu início, origina a artéria vertebral que ...
  http://www.ebah.com.br/content/ABAAAADSsAG/sistema-circulatorio
*  Clínica Saadi - Procedimentos e Intervenções - Ponte de Safena na Perna
... artérias ilíacas) pode haver dor, cansaço ou sensação de fraqueza nestes membros durante a realização de exercícios. Esta ... Quando há a obstrução das artérias que levam sange para as pernas ( ... Figura 1. Artéria ilíaca com placa de ateroma. Em alguns casos pode ser necessária intervenção e uma das formas possíveis é a ... Quando há a obstrução das artérias que levam sange para as pernas (artérias ilíacas) pode haver dor, cansaço ou sensação de ...
  http://clinicasaadi.com.br/sistema-cardiovascular/procedimentos-e-intervencoes/ponte-de-safena-na-perna/
*  Rastreamento do Aneurisma da Aorta Abdominal na População Idosa da Cidade de Guarapari/ES - PDF
... artéria ilíaca comum direita; POP D: artéria poplítea direita; AIC E: artéria ilíaca comum esquerda; POP E: artéria poplítea ... As associações encontradas do AAA com aneurisma de artéria ilíaca e de artéria poplítea foram de 16,6% em ambas. De acordo com ... AICD AICE Major 2.89 cm Minor 2.89 cm Area 6.58 cm 2 Major 3.30 cm Figura 2 Aneurisma da artéria ilíaca comum bilateral. Imagem ... A prevalência de aneurisma de artéria ilíaca em pacientes com AAA foi de 16,6% (2/12), sendo um bilateral e um unilateral. A ...
  http://docplayer.com.br/1932567-Rastreamento-do-aneurisma-da-aorta-abdominal-na-populacao-idosa-da-cidade-de-guarapari-es.html
*  Ureter - Wikipedia
... a artéria ilíaca, o rebordo ósseo da pelve e aquando da entrada na bexiga. Os uréteres entram na bexiga posteriormente fazendo- ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Ureter
*  Tags: cirurgia - Artigos.com
A Síndrome de Cockett ou Síndrome de May-Thurner consiste na compressão da veia ilíaca comum esquerda pela artéria ilíaca comum ...
  http://www.artigos.com/busca/tags/5?value=cirurgia
*  LOBA A ESPREITA
O Aneurisma, a tal "bomba relógio" é a dilatação vascular de uma artéria. No caso de meu pai, na aorta e na artéria ilíaca ... A ilíaca comum é uma artéria responsável pela irrigação sanguínea dos membros inferiores e da pelve. É minúscula se comparada ... Segundo a médica que o operou, após a desobstrução das artérias renais, através da angioplastia, a ilíaca não suportou o novo ... A angioplastia da artéria renal é uma espécie de plástica nas artérias dos rins, para tentar recuperar sua perfeita circulação ...
  http://lobaaespreita.blogspot.com
*  Questão 451561 - Ortopedia - Medicina
A principal artéria da pelve é a artéria ilíaca interna, também chamada de hipogástrica. ...
  http://rotadosconcursos.com.br/questoes-de-concursos/medicina-ortopedia/451561
*  Cão São Bernardo ataca e mata criança
O menino foi mordido no abdômen e teve ferimentos na artéria ilíaca, causando uma hemorragia interna. Samuel chegou a ser ... Teve ferimentos na artéria ilíaca (1) Teve fratura no braço direito (1) Textos (1) Thais Gabriela (1) Thaissa do nascimento ...
  http://criaturasassassinas.blogspot.com/2014/03/cao-sao-bernardo-ataca-e-mata-crianca.html
*  Medula espinhal - Wikipedia
... a artéria subclávia (segmentos C1 a D2), a artéria aorta (segmentos D3 a L1) e a artéria ilíaca interna (segmentos L1 a S5). ... 1 a 2 artérias; Medula dorsal: 1 a 2 artérias; Medula lombo-sagrada: 1 a 3 artérias, sendo uma delas a artéria radicular magna ... a artéria espinal anterior e o par de artérias espinais posteriores. Estas artérias recebem conexões das artérias medulares ... O sistema vertical é formado pelas artérias espinhais, que são ramos da artéria vertebral: Artéria espinhal anterior: única e ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Medula_espinhal
*  CID-10 Capítulo XIII: Doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo - Wikipedia
Esporão da crista ilíaca (M76.3) Síndrome da faixa iliotibial (M76.4) Bursite tibial colateral (Pellegrini-Stieda) (M76.5) ... Síndromes de compressão da artéria espinhal anterior ou vertebral anterior (G99.2*) (M47.1) Outras espondiloses com mielopatia ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/CID-10_Cap%C3%ADtulo_XIII:_Doen%C3%A7as_do_sistema_osteomuscular_e_do_tecido_conjuntivo
*  SALA: WTC TEATRO 15/04/15 - PDF
Correção Endovascular de Aneurisma de Aorta Abdominal Com Colo de 90 Graus E Aneurisma de Artéria Ilíaca Comum Direita Com ... Stent Balão Expansível Revestido Bentley Innomed para lesão de Artéria Ilíaca) (Koen Deloose, Bélgica) Sessão :50-17:52 - ... Stent de Veia Ilíaca: Indicações e Resultados Glenn R. Jacobowitz, EUA 09:14-09:22 - Tratamento da TVP Ileofemoral na Gravidez ... Soluções para a Artéria Poplítea: Técnicas de Cruzamento e de Estabilização Bruno Leonardo de Freitas Soares, Alemanha 15:53-16 ...
  http://docplayer.com.br/4964845-Sala-wtc-teatro-15-04-15.html
*  Animais selvagens ou não...!
Teve ferimentos na artéria ilíaca (1) Teve fratura no braço direito (1) Textos (1) Thais Gabriela (1) Thaissa do nascimento ...
  http://criaturasassassinas.blogspot.com/2011/03/terca-feira-8-de-fevereiro-de-2011.html

Artéria ilíaca comum: As artérias ilíacas comuns direita e esquerda são os dois ramos que se originam a partir da bifurcação da artéria aorta, responsáveis pela irrigação sangüínea dos membros inferiores e da região pelvica. Cada uma se divide posteriormente em artéria ilíaca externa e artéria ilíaca interna.Artéria: Artérias são vasos sanguíneos que carregam sangue a partir dos ventrículos do coração para todas as partes do nosso corpo. Elas se contrastam com as veias, que carregam sangue em direção aos átrios do coração.Suspensão multibraço: A suspensão multibraço ou multilink é um tipo de suspensão independente que caracteriza-se pela utilização de três ou mais "braços" que ligam o chassi do veículo ao seu eixo. Esta tecnologia geralmente é usada no eixo traseiro dos automóveis e assegura a posição correta da roda, independente da condição de rodagem.Ateroma: Ateromas são carboidratos, compostas especialmente de cálcio e ferro, que se formam na parede do pâncreas. Acumulam-se progressivamente no pâncreas, podendo chegar a obstrução total do mesmo e, possivelmente, ocasionando isquemias teciduais.Angioplastia: 230px|right|thumbAneurisma de aorta abdominalVeia ilíaca externa: A veia femoral comum termina ao passar por trás do ligamento inguinal, quando passa a se chamar veia ilíaca externa. Esta se aprofunda na pelve durante o seu trajeto ascendente, recebendo como tributárias constantes as veias circunflexa ilíaca profunda e epigástrica inferior, que drenam a parede abdominal inferior e são importantes como vias de colateralização com o sistema da veia cava superior.Claudicação intermitenteAortografia: Exames por raios X da aorta e de seus principais ramos, após injeção de um contraste radiopaco.IsquemiaDuodeno: O duodeno é a primeira seção do intestino delgado, na maioria dos vertebrados superiores, incluindo mamíferos, répteis e aves. Nos peixes, as divisões do intestino delgado não são tão claras, e os termos do intestino anterior ou intestino proximal podem ser usadas em vez de duodeno.Artéria coronária esquerda: A artéria coronária esquerda, deixa a aorta acima da semilunar esquerda da válvula aórtica.Artéria gástrica esquerda: Na anatomia humana, a artéria gástrica esquerda sai do tronco celíaco e percorre a porção superior da curvatura menor do estômago, enquanto a artéria gástrica direita supre a porção inferior da mesma curvatura. Logo, a artéria gástrica esquerda nutre o estômago na sua curvatura menor e também a porção mais inferior do esôfago.Carótida primitiva: As artérias carótidas primitivas ou comuns esquerda e direita são responsáveis por fornecer o sangue a toda a região da cabeça. A artéria carótida primitiva direita origina-se do tronco arterial braquiocefálico, enquanto a carótida primitiva esquerda origina-se directamente da crossa da aorta.EndarteriectomiaPolitetrafluoretilenoHiperplasia: O termo hiperplasia é usado quando se quer mencionar o aumento do número de células num órgão ou num tecido. A hiperplasia ocorre se a população celular for capaz de sintetizar DNA permitindo, assim, que ocorra a mitose.Músculo liso vascular: Músculo liso vascular se refere ao tipo particular de músculo liso encontrado no interior das paredes dos vasos sanguíneos.VasodilataçãoRetroperitônio: O retroperitônio (adj. retroperitonial) é um espaço anatômico atrás (retro) da cavidade abdominal.Artéria brônquica: As artérias brônquicas são ramos da aorta e das artérias intercostais que alimentam os brônquios. Fazem parte da circulação de suporte pulmonar e não têm a função de trocas gasosas a nível dos alvéolos como acontece com os ramos das artérias pulmonares.Cuproníquel: O cuproníquel é uma liga metálica de cobre e níquel com até 30% de níquel. Oferece uma boa resistência à corrosão e à fadiga, geralmente usado na manufatura de moedas, condensadores e equipamentos de destilação.Ramo carpal dorsal: O ramo carpal dorsal da artéria radial é uma artéria que vasculariza o membro superior.