Invaginações Revestidas da Membrana Celular: Regiões especializadas da membrana celular formada de perfurações revestidas por um envoltório de cerdas formado pela proteína CLATRINA. Estas perfurações são a via de entrada para macromoléculas ligadas por receptores na superfície celular. As perfurações são então internalizadas para dentro do citoplasma a fim de formar as VESÍCULAS COBERTAS.Vesículas Revestidas: Vesículas formadas quando as invaginações ou 'túnicas' (pits) revestidas da membrana celular (INVAGINAÇÕES REVESTIDAS DA MEMBRANA CELULAR) se invaginam e se desprendem [da membrana]. A superfície externa destas vesículas é revestida por uma rede (forma de grade) formada por proteínas do envelope, como CLATRINA, proteínas do complexo de proteínas do envelope ou CAVEOLINAS.Clatrina: Principal proteína estrutural de VESÍCULAS REVESTIDAS que desempenham um papel chave no transporte intracelular entre organelas membranosas. Cada molécula de clatrina consiste de três cadeias leves (CADEIAS LEVES DE CLATRINA) e três cadeias pesadas (CADEIAS PESADAS DE CLATRINA) que formam uma estrutura chamada triskele. A clatrina também interage com as proteínas do citoesqueleto.Vesículas Sinápticas: Compartimentos, limitados por membranas, contendo moléculas transmissoras. As vesículas sinápticas estão concentradas nos terminais pré-sinápticos. Estas estruturas ativamente retiram do citoplasma as moléculas transmissoras. Em algumas sinapses, a liberação dos transmissores ocorre pela fusão destas vesículas com a membrana pré-sináptica, seguindo-se então a exocitose de seu conteúdo.Endossomos: Vesículas citoplasmáticas formadas quando as VESÍCULAS COBERTAS perdem seu revestimento de CLATRINA. Os endossomos internalizam macromoléculas ligadas por receptores na superfície celular.Organoides: Organização de células, no interior de uma estrutura semelhante a um órgão. São encontrados em certas neoplasias e podem ser gerados em cultura.Microscopia Eletrônica: Microscopia que utiliza um feixe de elétrons, em vez de luz, para visualizar a amostra, permitindo assim uma grande amplificação. As interações dos ELÉTRONS com as amostras são usadas para fornecer informação sobre a estrutura fina da amostra. Na MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO, as reações dos elétrons transmitidas através da amostra são transformadas em imagem. Na MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA, um feixe de elétrons incide em um ângulo não normal sobre a amostra e a imagem é formada a partir de reações que ocorrem acima do plano da amostra.Endocitose: Captação celular de materiais extracelulares para o interior de vacúolos ou microvesículas limitadas por membranas. Os ENDOSSOMOS desempenham papel central na endocitose.Vesículas Transportadoras: Vesículas envolvidas em transportar carga do interior da célula para a superfície celular, da superfície celular para o interior, através da célula ou ao redor da célula para vários locais.Complexo de Golgi: Pilha de vesículas achatadas que funcionam no processo pós-traducional e escolha de proteínas, recebendo-as do RETÍCULO ENDOPLÁSMICO rugoso e dirigindo-as para vesículas secretórias, LISOSSOMOS ou MEMBRANA CELULAR. O movimento das proteínas ocorre pela transferência de vesículas que brotam do retículo endoplasmático rugoso ou complexo de Golgi e se fundem com o Golgi, com os lisossomos ou com a membrana celular.Vesículas Citoplasmáticas: Estruturas limitadas por membranas derivadas da membrana plasmática ou de várias membranas intracelulares que possuem a função de armazenagem, transporte ou metabolismo.Glândulas Seminais: Divertículos glandulares em forma de bolsa encontrados em cada ducto deferente em machos vertebrados. Une-se com o ducto ejaculatório e serve como depósito temporário de sêmen.Proteínas Adaptadoras de Transporte Vesicular: Classe de proteínas envolvidas no transporte de moléculas por meio de VESÍCULAS TRANSPORTADORAS. Realizam funções como, ligação à membrana celular, captura das moléculas cargo e formação da CLATRINA. A maioria das proteínas adaptadoras são complexos com várias subunidades, entretanto variedades monoméricas também foram encontradas.Fracionamento Celular: Técnicas para dividir vários componentes da célula em FRAÇÕES SUBCELULARES.Vesículas Revestidas por Clatrina: Vesículas formadas quando INVAGINAÇÕES REVESTIDAS DA MEMBRANA CELULAR penetram e se soltam como que por meio de um beliscão. A superfície exterior destas vesículas recobre-se de uma rede, semelhante a um enredado, da proteína CLATRINA. Logo da formação, entretanto, o recobrimento de clatrina é retirado e as vesículas passam a ser chamadas ENDOSSOMOS.Vesículas Revestidas pelo Complexo de Proteína do Envoltório: VESICULAS TRANSPORTADORAS formadas quando INVAGINAÇÕES REVESTIDAS DA MEMBRANA CELULAR penetram e se soltam como que por meio de um beliscão. A superfície externa destas vesículas é coberta com uma rede, semelhante a uma malha, de proteínas COP (coat protein complex/complexo de proteínas do envoltório), COPI ou COPII. As vesículas revestidas pelo COPI transportam para atrás desde as cisternas do APARELHO DE GOLGI até o RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO RUGOSO, enquanto que as vesículas revestidas pelo COPII transportam para a frente desde o retículo endoplasmático rugoso até o aparelho de Golgi.Vesículas Secretórias: Vesículas derivadas do APARELHO DE GOLGI que contêm material a ser liberado na superfície celular.Proteína Coatomer: Complexo proteico citosólico de 700 kDa constituído por sete subunidades equimolares (alfa, beta, beta', gama, delta, épsilon e zeta). A PROTEÍNA COATOMER e o FATOR 1 DE RIBOSILAÇÃO DO ADP são os principais componentes do COMPLEXO 1 DE PROTEÍNA DO ENVOLTÓRIO e estão envolvidas no transporte de vesículas entre o RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO e o APARELHO DE GOLGI.Bovinos: Animais bovinos domesticados (do gênero Bos) geralmente são mantidos em fazendas ou ranchos e utilizados para produção de carne, derivados do leite ou para trabalho pesado.Subunidades alfa do Complexo de Proteínas Adaptadoras: Família de grandes subunidades de proteínas adaptadoras com cerca de 100 kDa de massa. Elas têm sido encontradas, principalmente como componentes do COMPLEXO 2 DE PROTEÍNA ADAPTADORA.Membrana Celular: Membrana seletivamente permeável (contendo lipídeos e proteínas) que envolve o citoplasma em células procarióticas e eucarióticas.Encéfalo: A parte do SISTEMA NERVOSO CENTRAL contida no CRÂNIO. O encéfalo embrionário surge do TUBO NEURAL, sendo composto de três partes principais, incluindo o PROSENCÉFALO (cérebro anterior), o MESENCÉFALO (cérebro médio) e o ROMBENCÉFALO (cérebro posterior). O encéfalo desenvolvido consiste em CÉREBRO, CEREBELO e outras estruturas do TRONCO ENCEFÁLICO (MeSH). Conjunto de órgãos do sistema nervoso central que compreende o cérebro, o cerebelo, a protuberância anular (ou ponte de Varólio) e a medula oblonga, estando todos contidos na caixa craniana e protegidos pela meninges e pelo líquido cefalorraquidiano. É a maior massa de tecido nervoso do organismo e contém bilhões de células nervosas. Seu peso médio, em um adulto, é da ordem de 1.360 g, nos homens e 1.250 g nas mulheres. Embriologicamente, corresponde ao conjunto de prosencéfalo, mesencéfalo e rombencéfalo. Seu crescimento é rápido entre o quinto ano de vida e os vinte anos. Na velhice diminui de peso. Inglês: encephalon, brain. (Rey, L. 1999. Dicionário de Termos Técnicos de Medicina e Saúde, 2a. ed. Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro)Grânulos Citoplasmáticos: Áreas condensadas de material celular, que podem estar ligadas por uma membrana.Proteínas Monoméricas de Montagem de Clatrina: Subclasse de proteínas de montagem de clatrina que ocorre como monômeros.Membranas Intracelulares: Estruturas finas que encapsulam estruturas subcelulares (ORGANELAS) em CÉLULAS EUCARIÓTICAS. Entre elas estão várias membranas associadas com o NÚCLEO CELULAR, mitocôndrias, APARELHO DE GOLGI, RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO, LISOSSOMOS, PLASTÍDEOS e VACÚOLOS.Receptor IGF Tipo 2: Receptor específico para IGF-II e manose-6-fosfato. O receptor é um polipeptídeo de cadeia única de 250 kDa que não é relacionado em estrutura ao RECEPTOR IGF TIPO 1 e não possui domínio tirosina quinase.Subunidades gama do Complexo de Proteínas Adaptadoras: Família de grandes subunidades de proteína adaptina de tamanho aproximado de 90 kDa. Tem sido encontradas principalmente como componentes do COMPLEXO 1 DE PROTEÍNAS ADAPTADORAS.Complexo 2 de Proteínas Adaptadoras: Complexo de proteína adaptadora envolvido principalmente na formação das vesículas endocitóticas (ENDOSSOMOS) relacionado com a clatrina na MEMBRANA CELULAR.Ácido Taurodesoxicólico: Sal biliar formado no fígado pela conjugação do deoxicolato com a taurina, geralmente como um sal de sódio. É utilizado como colagogo e colerético, além de ser utilizado industrialmente como emulsificante de gordura.Peso Molecular: Soma do peso de todos os átomos em uma molécula.Exocitose: Liberação celular de material dentro de vesículas limitadas por membranas, por fusão das vesículas com a MEMBRANA CELULAR.Transporte Biológico: Movimento de materiais (incluindo substâncias bioquímicas e drogas) através de um sistema biológico no nível celular. O transporte pode ser através das membranas celulares e camadas epiteliais. Pode também ocorrer dentro dos compartimentos intracelulares e extracelulares.Dinaminas: Família de fosfohidrolases GTP de alto peso molecular que desempenha um papel direto no transporte vesicular. As dinaminas se associam com os feixes dos MICROTÚBULOS e, acredita-se que produzam força mecânica através de um processo ligado à hidrólise do GTP. Esta enzima foi anteriormente classificada como EC 3.6.1.50.Lipossomos: Vesículas artificiais, simples ou multilamelares (preparadas a partir de lecitina ou outros lipídeos), usadas para liberar uma variedade de moléculas ou complexos moleculares biológicos em células, por exemplo, liberação de drogas e transferência de genes. Usados também para estudar membranas e proteínas de membranas.Proteínas de Transporte Vesicular: Ampla categoria de proteínas envolvidas na formação, transporte e dissolução de VESÍCULAS TRANSPORTADORAS. Desempenham papel no transporte intracelular de moléculas contidas em vesículas de membranas. Proteínas de transporte vesicular diferem das PROTEÍNAS DE MEMBRANA TRANSPORTADORAS (que deslocam moléculas através de membranas) devido ao modo pelo qual as moléculas são transportadas.Proteínas de Choque Térmico HSC70: Subfamília de proteínas de choque térmico HSP70 constitutivamente expressa. Preferencialmente se ligam e liberam peptídeos hidrofóbicos por um processo dependente de ATP e são envolvidas na translocação proteica pós-traducional.Proteínas de Membrana: Proteínas encontradas em membranas, incluindo membranas celulares e intracelulares. Consistem em dois grupos, as proteínas periféricas e as integrais. Elas incluem a maioria das enzimas associadas a membranas, proteínas antigênicas, proteínas de transporte e receptores de drogas, hormônios e lectinas.Organelas: Partículas específicas de substâncias vivas organizadas, limitadas por uma membrana, presentes nas células eucarióticas, tais como a MITOCÔNDRIA, APARELHO DE GOLGI, RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO, LISOSSOMOS, PLASTÍDIOS e VACÚOLOS.Transferrina: Beta1-globulina sérica ligante de ferro que é sintetizada no FÍGADO e é secretada no sangue. Desempenha papel crucial no transporte de FERRO pela circulação. Existe uma variedade de isoformas de transferrina, que incluem algumas consideradas como marcadores de estados de saúde específicos.Cinética: Taxa dinâmica em sistemas químicos ou físicos.Lisossomos: Classe de partículas citoplasmáticas morfologicamente heterogêneas encontradas em tecidos animais e vegetais, caracterizadas por seu conteúdo de enzimas hidrolíticas e pela latência relacionada à estrutura destas enzimas. As funções intracelulares dos lisossomos dependem de seu potencial lítico. A única unidade de membrana do lisossomo atua como uma barreira entre as enzimas encerradas no lisossomo e o substrato externo. A atividade das enzimas contidas no lisossomos é limitada ou nula, a não ser que a vesícula na qual estas enzimas encontram-se seja rompida. Supõem-se que tal ruptura esteja sob controle metabólico (hormonal).Complexo I de Proteína do Envoltório: Complexo porteico compreendido por PROTEÍNA COATOMER e FATOR 1 DE RIBOSILAÇÃO DE ADP. Está envolvido no transporte de vesículas entre o RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO e o APARELHO DE GOLGI.Subunidades beta do Complexo de Proteínas Adaptadoras: Família de grandes subunidades do complexo de proteína adaptina de tamanho aproximadamente 90-130 kDa.Microscopia Imunoeletrônica: Microscopia na qual as amostras são primeiramente coradas por método imunocitoquímico e então examinadas utilizando um microscópio eletrônico. A microscopia imunoeletrônica é amplamente utilizada em virologia diagnóstica, constituindo um imunoensaio muito sensível.Vacúolos: Qualquer dos espaços ou cavidades no interior de uma célula. Os vacúolos podem funcionar na digestão, armazenamento, secreção ou excreção.Subunidades mu do Complexo de Proteínas Adaptadoras: Família de subnidades médias de proteína adaptadora, cerca de 45 kDa de tamanho. Tem sido encontradas, principalmente como componentes do COMPLEXO 3 DE PROTEÍNAS ADAPTADORAS e COMPLEXO 4 DE PROTEÍNAS ADAPTADORAS.Membranas Sinápticas: Membranas celulares associadas com sinapses. Incluem tanto as membranas pré-sinápticas quanto as pós-sinápticas juntamente com suas especializações, completa ou firmemente associadas, a fim de promover a liberação ou recepção de transmissores.Fator 1 de Ribosilação do ADP: FATOR 1 DE RIBOSILAÇÃO DO ADP envolvido na regulação do transporte intracelular, modulando a interação de proteínas do envoltório com membranas de organelas na via secretora inicial. É um componente do COMPLEXO I DE PROTEÍNA DO ENVOLTÓRIO. Esta enzima foi classificada anteriormente como EC 3.6.1.47.Brefeldina A: Metabólito de fungo, uma lactona macrocíclica, que exibe um amplo espectro de atividade antibiótica.Técnica de Congelamento e Réplica: Técnica de réplica na qual as células são congeladas a uma temperatura muito baixa e fatiadas em lâmina para expor a superfície interior das células ou a membrana celular. As superfícies fatiadas são então congeladas a seco para expor seus constituintes. As superfícies estão agora prontas para serem escurecidas e visualizadas utilizando em microscópio eletrônico. Este método difere da fratura por congelamento na qual não é utilizado nenhum crioprotetor e então, permite a sublimação da água durante o processo de congelamento a seco para cauterizar as superfícies.Pinocitose: Processo celular de engolfamento de líquidos por meio de invaginação e fechamento da membrana plasmática, que resulta em vacúolos intracelulares cheios de líquido.alfa-L-Fucosidase: Enzima que catalisa a hidrólise de um alfa L-fucosídeo para dar um álcool e L-frutose. Deficiência desta enzima pode causar FUCOSIDOSE. EC 3.2.1.51.Fatores de Ribosilação do ADP: PROTEÍNAS MONOMÉRICAS DE LIGAÇÃO A GTP que foram reconhecidas inicialmente como ativadores alostéricos da Mono(ADP-Ribose) Transferases da subunidade catalítica da TOXINA DA CÓLERA. Estão envolvidas no tráfico vesicular e na ativação da FOSFOLIPASE D. Esta enzima foi classificada anteriormente como EC 3.6.1.47.HexosefosfatosManosefosfatos: Ésteres ácidos de manose.Retículo Endoplasmático: Sistema de cisternas no CITOPLASMA de grande quantidade de células. Em alguns locais, o retículo endoplasmático é contíguo à membrana plasmática (MEMBRANA CELULAR) ou com a membrana externa do envelope nuclear. Se as superfícies externas das membranas do retículo endoplasmático se encontrarem recobertas por ribossomos, diz-se que o retículo endoplasmático apresenta superfície rugosa (RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO RUGOSO); caso contrário, diz-se que sua superfície é lisa (RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO LISO).Eletroforese em Gel de Poliacrilamida: Eletroforese na qual um gel de poliacrilamida é utilizado como meio de difusão.Química Encefálica: Alterações nas quantidades de vários compostos químicos (neurotransmissores, receptores, enzimas e outros metabólitos) específicos da área do sistema nervoso central contido dentro da cabeça. São monitoradas ao longo do tempo, durante a estimulação sensorial, ou em diferentes estágios de doenças.ATPases Translocadoras de Prótons: Enzimas com múltiplas subunidades que reversivelmente sintetizam ADENOSINA TRIFOSFATO. São pareadas para o transporte de prótons através da membrana.Concentração de Íons de Hidrogênio: Normalidade de uma solução com relação a íons de HIDROGÊNIO, H+. Está relacionada com medições de acidez na maioria dos casos por pH = log 1/2[1/(H+)], onde (H+) é a concentração do íon hidrogênio em equivalentes-grama por litro de solução. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)Auxilinas: Família de proteínas que desempenham um papel como co-fatores no processo de reciclagem de CLATRINA em células.Técnica de Fratura por Congelamento: Preparação para microscopia eletrônica de réplicas diminutas de superfícies expostas da célula que foi rompida no estado congelado. A amostra é congelada, e então clivada a alto vácuo à mesma temperatura. A superfície exposta é escurecida com carbono e platina e revestida com carbono para obter uma réplica de carbono.Trifosfato de Adenosina: Nucleotídeo de adenina contendo três grupos fosfatos esterificados à porção de açúcar. Além dos seus papéis críticos no metabolismo, o trifosfato de adenosina é um neurotransmissor.Receptores da Transferrina: Glicoproteínas de membrana encontradas em altas concentrações em células que utilizam ferro. Elas ligam especificamente transferrina contendo ferro, e o receptor é internalizado por endocitose juntamente com o seu ligante e posteriormente devolvido à superfície celular onde a transferrina sem o ferro é liberada.Proteínas do Tecido NervosoLipídeos de Membrana: Lipídeos, predominantemente fosfolipídeos, colesterol e pequenas quantidades de glicolipídeos encontrados em membranas, incluindo membranas celulares e intracelulares. Esses lipídeos podem estar dispostos em duplas camadas nas membranas com proteínas integrais entre as camadas e proteínas periféricas ligadas ao lado externo. Lipídeos de membrana são necessários para o transporte ativo, diversas atividades enzimáticas e formação de membranas.GTP Fosfo-Hidrolases: Enzimas que hidrolisam GTP a GDP. EC 3.6.1.-.Proteínas de Transporte: Proteínas de transporte que carreiam substâncias específicas no sangue ou através das membranas.Adenosina Trifosfatases: Grupo de enzimas que catalisa a hidrólise de ATP. A reação de hidrólise é geralmente acoplada com outra função, como transporte de Ca(2+) através de uma membrana. Estas enzimas podem ser dependentes de Ca(2+), Mg(2+), ânions, H+ ou DNA.Subunidades sigma do Complexo de Proteínas Adaptadoras: Família de pequenas subunidades do complexo proteicos adaptadores, de tamanho aproximadamente 19 KDa.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Fígado: Grande órgão glandular lobulado no abdomen de vertebrados responsável pela desintoxicação, metabolismo, síntese e armazenamento de várias substâncias.Membranas: Camadas delgadas de tecido que revestem partes do corpo, separam cavidades adjacentes ou conectam estruturas adjacentes.Ligação Proteica: Processo pelo qual substâncias endógenas ou exógenas ligam-se a proteínas, peptídeos, enzimas, precursores proteicos ou compostos relacionados. Medidas específicas de ligantes de proteínas são usadas frequentemente como ensaios em avaliações diagnósticas.Substâncias Macromoleculares: Compostos e complexos moleculares que consistem de grandes quantidades de átomos e possuem geralmente tamanho superior a 500 kDa. Em sistemas biológicos, substâncias macromoleculares geralmente podem ser visualizadas através de MICROSCOPIA ELETRÔNICA e são diferenciadas de ORGANELAS pela ausência de uma estrutura de membrana.Sequência de Aminoácidos: Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.Compartimento Celular: Espaço [físico e funcional] dentro das células, delimitado por membranas seletivamente permeáveis que envolvem este espaço, p.ex., mitocôndria, lisossomos, etc.alfa-Manosidase: Enzima que catalisa a HIDRÓLISE de resíduos terminais não redutores de alfa-D-manose em alfa-D-manosídeos. A enzima desempenha um papel no processo dos N-glucanos recém formados e na degradação de GLICOPROTEÍNAS maduras. Há múltiplas isoformas da alfa-manosidase, cada uma com uma localização celular específica e pH ótimo. Os defeitos na forma lisossômica da enzima resultam em um acúmulo de metabólitos intermediários de manosídeos e a doença ALFA-MANOSIDOSE.Etorfina: Morfinano analgésico narcótico utilizado como sedativo na prática veterinária.Centrifugação com Gradiente de Concentração: Separação de partículas de acordo com a densidade, por empregar um gradiente de densidades variadas. No equilíbrio, cada partícula estabelece no gradiente, um ponto igual a sua densidade.FosfoproteínasCitoplasma: A parte da célula que contém o CITOSSOL e pequenas estruturas, excluindo o NÚCLEO CELULAR, MITOCÔNDRIA e os VACÚOLOS grandes. (Tradução livre do original: Glick, Glossary of Biochemistry and Molecular Biology, 1990).Frações Subcelulares: Componentes de uma célula produzidos através de várias técnicas de separação, onde se rompe a delicada anatomia de uma célula, preservando a estrutura e a fisiologia de seus constituintes funcionais para análise bioquímica e ultraestrutural.Filipina: Complexo de antibióticos polienos obtidos de Streptomyces filipinensis. A filipina III altera a função da membrana por interferir com os esteróis da membrana, inibe a respiração mitocondrial e é indicada como antifúngico. As filipinas I, II e IV são menos importantes.Complexo 1 de Proteínas Adaptadoras: Proteína adaptadora do complexo de clatrina envolvido principalmente no transporte relacionado com a clatrina na REDE TRANS-GOLGI.Proteínas: Polipeptídeos lineares sintetizados nos RIBISSOMOS e posteriormente podem ser modificados, entrecruzados, clivados ou agrupados em proteínas complexas com várias subunidades. A sequência específica de AMINOÁCIDOS determina a forma que tomará o polipeptídeo, durante o DOBRAMENTO DE PROTEÍNA e a função da proteína.Peroxidase do Rábano Silvestre: Enzima isolada de rábano silvestre que é capaz de agir como antígeno. É usada frequentemente como marcador histoquímico em microscopia óptica e eletrônica. Sua antigenicidade tem permitido seu uso como um antígeno combinado e marcador em imunologia experimental.Transporte Proteico: Processo de movimento de proteínas de um compartimento celular (incluindo extracelular) para outro por várias separações e mecanismos de transporte, tais como transporte de comporta, translocação proteica e transporte vesicular.Guanosina Trifosfato: Guanosina 5'-(tetraidrogênio trifosfato). Nucleotídeo guanina que contém três grupos fosfatos esterificados à molécula de açúcar.Citosol: Líquido intracelular do citoplasma, depois da remoção de ORGANELAS e outros componentes citoplasmáticos insolúveis.Manosidases: Glicosídeo hidrolases que catalisa a hidrólise de alfa ou beta unida a MANOSE.Capeamento Imunológico: Processo dependente de energia que se segue à formação de ligações cruzadas (crosslinking) entre RECEPTORES DE ANTÍGENOS DE LINFÓCITOS B com ligantes multivalentes (antianticorpos bivalentes, LECTINAS ou ANTÍGENOS) na superfície de células B. Os complexos ligante-receptor de antígeno (com ligações cruzadas) reúnem os "retalhos" que fluem e se agregam todos em um polo da célula formando uma grande massa - a capa. As capas podem então ser endocitadas ou descartadas para o ambiente.Terminações Nervosas: Terminações especializadas das FIBRAS NERVOSAS, NEURÔNIOS sensoriais ou motores. As terminações dos neurônios sensoriais são o começo da via aferente para o SISTEMA NERVOSO CENTRAL. As terminações dos neurônios motores são as terminações dos axônios nas células musculares. As terminações nervosas que liberam neurotransmissores são chamadas TERMINAÇÕES PRÉ-SINÁPTICAS.Proteínas de Ligação ao GTP: Proteínas reguladoras que atuam como interruptores moleculares. Controlam uma vasta gama de processos biológicos que incluem sinalização do receptor, vias de transdução de sinal intracelular e síntese proteica. Sua atividade é regulada pelos fatores que controlam a sua capacidade de se ligar e hidrolisar o GTP a GDP. EC 3.6.1.-.Histocitoquímica: Estudo da distribuição intracelular de substâncias químicas, sítios de reação, enzimas etc., por meio de reações coradas, captação de isótopo radioativo, distribuição seletiva de metais em microscopia eletrônica ou outros métodos.Fusão de Membrana: Aderência e fusão das membranas celular, intracelular ou membranas artificiais umas as outras ou entre vírus, parasitas ou partículas intersticiais, através de uma variedade de processos químicos e físicos.Dinamina I: Subtipo de dinamina encontrada principalmente em NEURÔNIOS do encéfalo.Eletroforese em Gel de Ágar: Eletroforese na qual um gel de ágar ou agarose é usado como meio de difusão.Fosfatidilcolinas: Derivados do ácido fosfatídico, nos quais o ácido fosfórico encontra-se ligado a uma molécula de colina por meio de ligação éster. A hidrólise completa dá origem a um mol de glicerol, ácido fosfórico e colina e 2 moles de ácidos graxos.Linhagem Celular: Determinadas culturas de células que têm o potencial de se propagarem indefinidamente.Imunofluorescência: Teste para antígeno tecidual utilizando um método direto, por conjugação de anticorpo e pigmento fluorescente (TÉCNICA DIRETA DE FLUORESCÊNCIA PARA ANTICORPO) ou um método indireto, pela formação do complexo antígeno-anticorpo que é então ligado a uma fluoresceína conjugada a um anticorpo anti-imunoglobulina (TÉCNICA INDIRETA DE FLUORESCÊNCIA PARA ANTICORPO). O tecido é então examinado por microscopia de fluorescência.Células Cultivadas: Células propagadas in vitro em meio especial apropriado ao seu crescimento. Células cultivadas são utilizadas no estudo de processos de desenvolvimento, processos morfológicos, metabólicos, fisiológicos e genéticos, entre outros.Ciclopentanos: Grupo de hidrocarbonetos alicíclicos com a fórmula geral R-C5H9.Modelos Estruturais: Representação, geralmente em escala pequena, para mostrar a estrutura, construção ou aspecto de alguma coisa. (Tradução livre do original: From Random House Unabridged Dictionary, 2d ed)Coelhos: Espécie Oryctolagus cuniculus (família Leporidae, ordem LAGOMORPHA) nascem nas tocas, sem pelos e com os olhos e orelhas fechados. Em contraste com as LEBRES, os coelhos têm 22 pares de cromossomos.Cálcio: Elemento fundamental encontrado em todos os tecidos organizados. É um membro da família dos metais alcalinoterrosos cujo símbolo atômico é Ca, número atômico 20 e peso atômico 40. O cálcio é o mineral mais abundante no corpo e se combina com o fósforo para formar os fosfatos de cálcio presentes nos ossos e dentes. É essencial para o funcionamento normal dos nervos e músculos além de desempenhar um papel importante na coagulação do sangue (como o fator IV) e em muitos processos enzimáticos.Fosfolipídeos: Lipídeos que contêm um ou mais grupos fosfatos, particularmente aqueles derivados tanto do glicerol (fosfoglicerídeos, ver GLICEROFOSFOLIPÍDEOS) ou esfingosinas (ESFINGOLIPÍDEOS). São lipídeos polares de grande importância para a estrutura e função das membranas celulares, sendo os lipídeos mais abundantes de membranas, embora não sejam armazenados em grande quantidade.Bicamadas Lipídicas: Camadas de moléculas lipídicas que são duplas. Os sistemas de bicamadas são frequentemente estudados como modelos de membranas biológicas.GlucosídeosModelos Biológicos: Representações teóricas que simulam o comportamento ou a actividade de processos biológicos ou doenças. Para modelos de doença em animais vivos, MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS está disponível. Modelos biológicos incluem o uso de equações matemáticas, computadores e outros equipamentos eletrônicos.Receptor de Asialoglicoproteína: Lectina tipo C, um receptor de superfície celular para as ASSIALOGLICOPROTEÍNAS. Encontrado principalmente no FÍGADO, onde medeia a endocitose de glicoproteínas séricas.Proteínas de Ligação ao Cálcio: Proteínas às quais os íons de cálcio estão ligados. Podem atuar como proteínas transportadoras, reguladoras ou ativadoras. Contêm tipicamente MOTIVOS EF HAND.Técnicas Imunológicas: Técnicas usadas para demonstrar ou medir uma resposta imunológica e para identificar ou medir antígenos usando anticorpos.Ultracentrifugação: Centrifugação com uma centrífuga que desenvolve campos gravitacionais de mais de 100.000 vezes a gravidade.Vilosidades Coriônicas: Projeções filamentosas e vasculares do cório. Podem estar livres ou incluídas no interior da DECÍDUA, formando o local (site) para troca de substâncias entre os sangues fetal e materno (PLACENTA).Receptores de Superfície Celular: Proteínas de superfície celular que ligam moléculas externas de sinalização à célula com alta afinidade e convertem este evento extracelular em um ou mais sinais intracelulares que alteram o comportamento da célula alvo.Fosfatase Ácida: Enzima que catalisa a conversão de um monoéster ortofosfórico e água a um álcool e ortofosfato. EC 3.1.3.2.beta-N-Acetil-Hexosaminidases: Hexosaminidase específica para resíduos de N-acetil-D-hexosamina não redutores em N-acetil-beta-D-hexosaminídeos. Agem nos GLUCOSÍDEOS, GALACTOSÍDEOS, e vários OLIGOSSACARÍDEOS. Duas isoenzimas de beta-N-acetilhexoaminidase específicas de mamíferos são chamadas de HEXOSAMINIDASE A e HEXOSAMINIDASE B. A deficiência da isoenzima tipo A causa a DOENÇA DE TAY-SACHS, enquanto que a deficiência de ambas as isoenzimas A e B causam a DOENÇA DE SANDHOFF. A enzima também tem sido usada como marcador tumoral para distinguir entre doença maligna e benigna.Compostos de PiridínioCromatografia em Gel: Cromatografia em géis não iônicos sem levar em consideração o mecanismo de discriminação do soluto.Ferritinas: Proteínas contendo ferro, amplamente distribuídas em animais, plantas e micro-organismos. Sua função principal é estocar FERRO de forma biodisponível, não tóxica. Cada molécula de ferritina consiste em ferro férrico em uma concha proteica vazia (APOFERRITINAS), formada por 24 subunidades de várias sequências (dependendo dos tipos de espécies e tecidos).Microvilosidades: Minusculas projeções das membranas celulares que aumentam consideravelmente a área da superfície celular.Cricetinae: Subfamília (família MURIDAE) que compreende os hamsters. Quatro gêneros mais comuns são: Cricetus, CRICETULUS, MESOCRICETUS e PHODOPUS.Células HeLa: A primeira LINHAGEM CELULAR humana maligna continuamente cultivada, derivada do carcinoma cervical de Henrietta Lacks. Estas células são utilizadas para a CULTURA DE VÍRUS e em ensaios de mapeamento de drogas antitumorais.Proteínas SNARE: Superfamília de pequenas proteínas que estão envolvidas nos eventos de FUSÃO DE MEMBRANA, tráfego de proteínas intracelulares e processos secretórios. Elas compartilham um motivo SNARE homólogo. As proteínas SNARE são divididas em subfamílias: QA-SNARES, QB-SNARES, QC-SNARES e R-SNARES. A formação de um complexo SNARE (composto por cada um dos quatro tipos diferentes de domínio SNARE (Qa, Qb, Qc, e R)) medeia a FUSÃO DE MEMBRANA. Após a fusão da membrana, os complexos SNARE são dissociados pelos NSFs (Fatores sensíveis a N-ETILMALEIMIDA) em conjunção com a PROTEÍNAS DE LIGAÇÃO A FATOR SOLÚVEL SENSÍVEL A N-ETILMALEIMIDA, isto é, SNAPs (sem relação com o SNAP 25.)Transporte Biológico Ativo: Movimento de materiais através de membranas celulares e camadas epiteliais contra um gradiente eletroquímico, exigindo uso de energia metabólica.Suínos: Qualquer animal da família Suidae, compreendendo mamíferos onívoros, robustos, de pernas curtas, pele espessa (geralmente coberta com cerdas grossas), focinho longo e móvel, e cauda pequena. Compreendem os gêneros Babyrousa, Phacochoerus (javalis africanos) e o Sus, que abrange o porco doméstico (ver SUS SCROFA)Ratos Endogâmicos: Indivíduos geneticamente idênticos desenvolvidos de cruzamentos entre animais da mesma ninhada que vêm ocorrendo por vinte ou mais gerações ou por cruzamento entre progenitores e ninhada, com algumas restrições. Também inclui animais com longa história de procriação em colônia fechada.Acetilcolinesterase: Enzima que catalisa a hidrólise da ACETILCOLINA em COLINA e acetato. No SISTEMA NERVOSO CENTRAL, esta enzima participa da função das junções neuromusculares periféricas. EC 3.1.1.7.Cromatografia: Técnicas usadas para separar misturas de substâncias baseando-se nas diferenças das afinidades relativas das substâncias nas fases móvel e estacionária. A fase móvel (líquido ou gás) passa direto por uma coluna contendo uma fase estacionária de sólido poroso ou líquido revestindo um suporte sólido. O tratamento é tanto analítico para quantidades pequenas como preparatório para quantidades grandes.Sinaptotagminas: Família de proteínas de transporte vesicular caracterizadas por uma região transmembranal N-terminal e dois domínios C-terminais de ligação com cálcio.Proteínas de Choque Térmico HSP70: Classe de CHAPERONAS MOLECULARES encontradas em procariontes e em vários compartimentos de células eucarióticas. Estas proteínas podem interagir com polipeptídeos durante vários processos de formação (de proteínas), de forma a impedir a formação de estruturas não funcionais.Terminações Pré-Sinápticas: Terminações distais dos axônios que são especializados na liberação de neurotransmissores. Também estão incluídas as varicosidades ao longo do curso de um axônio que apresentam especializações similares e que também liberam transmissores. Terminais pré-sinápticos tanto do sistema nervoso central como periférico estão incluídos nesta definição.Mutação: Qualquer mudança detectável e hereditária que ocorre no material genético causando uma alteração no GENÓTIPO e transmitida às células filhas e às gerações sucessivas.Hexosaminidases: Enzimas que catalisam a hidrólise de resíduos de N-acilhexosamina em N-acilhexosamidas. Hexosaminidases também agem sobre GLUCOSÍDEOS, GALACTOSÍDEOS e vários OLIGOSSACARÍDEOS.Sítios de Ligação: Partes de uma macromolécula que participam diretamente em sua combinação específica com outra molécula.Proteínas Recombinantes de Fusão: Proteínas recombinantes produzidas pela TRADUÇÃO GENÉTICA de genes fundidos formados pela combinação de SEQUÊNCIAS REGULADORAS DE ÁCIDOS NUCLEICOS de um ou mais genes com as sequências codificadoras da proteína de um ou mais genes.Hidrólise: Processo de clivar um composto químico pela adição de uma molécula de água.Membranas Artificiais: Membranas produzidas artificialmente, como as membranas semipermeáveis usadas na DIÁLISE RENAL artificial, membranas monomoleculares e bimoleculares usadas como modelos para simular MEMBRANAS CELULARES biológicas. Estas membranas também são usadas no processo da REGENERAÇÃO TECIDUAL GUIADA.Peptídeos: Membros da classe de compostos constituídos por AMINOÁCIDOS ligados entre si por ligações peptídicas, formando estruturas lineares, ramificadas ou cíclicas. Os OLIGOPEPTÍDEOS são compostos aproximadamente de 2 a 12 aminoácidos. Os polipeptídeos são compostos aproximadamente de 13 ou mais aminoácidos. As PROTEÍNAS são polipeptídeos lineares geralmente sintetizados nos RIBOSSOMOS.Córtex Suprarrenal: Camada mais externa da glândula adrenal. O córtex é derivado da MESODERME, é formado por três zonas (ZONA GLOMERULOSA externa, ZONA FASCICULADA média e ZONA RETICULAR interna) e cada uma delas produz vários tipos de esteroides específicos (ALDOSTERONA, HIDROCORTISONA, DESIDROEPIANDROSTERONA e ANDROSTENODIONA). A função do córtex adrenal é regulada pelo HORMÔNIO ADRENOCORTICOTRÓPICO hipofisário.Glicoproteínas: Compostos conjugados proteína-carboidrato que incluem mucinas, mucoides e glicoproteínas amiloides.Proteínas rab de Ligação ao GTP: Grande família de PROTEÍNAS MONOMÉRICAS DE LIGAÇÃO AO GTP que exercem um papel chave nas vias celulares secretoras e endocíticas. EC 3.6.1.-.Conformação Proteica: Forma tridimensional característica de uma proteína, incluindo as estruturas secundária, supersecundária (motivos), terciária (domínios) e quaternária das cadeias peptídicas. A ESTRUTURA QUATERNÁRIA DE PROTEÍNA descreve a conformação assumida por proteínas multiméricas (agregados com mais de uma cadeia polipeptídica).Sinapsinas: Família de proteínas associadas às vesículas sinápticas envolvidas na regulação de curto prazo da liberação de NEUROTRANSMISSORES. A sinapsina I, o membro predominante desta família, liga as VESÍCULAS SINÁPTICAS a FILAMENTOS DE ACTINA no terminal nervoso pré-sináptico. Essas interações são moduladas pela FOSFORILAÇÃO reversível da sinapsina I através de várias vias de transdução de sinal. A proteína também é um substrato para PROTEÍNAS QUINASES DEPENDENTES DE C-AMP e para PROTEÍNAS QUINASES DEPENDENTES DE CÁLCIO-CALMODULINA. Acredita-se que essas propriedades funcionais também sejam compartilhadas pela sinapsina II.Bungarotoxinas: Proteínas neurotóxicas do veneno da "banded" ou krait de Formosa (Bungarus multicinctus, uma cobra elapídica). A alfa-bungarotoxina bloqueia os receptores nicotínicos da acetilcolina e tem sido usada para isolamento e estudo desses receptores; as beta- e gama-bungarotoxinas agem pré-sinapticamente causando liberação e esvaziamento [do estoque] de acetilcolina. As formas alfa e beta já foram caracterizadas, sendo a forma alfa semelhante à neurotoxina maior (large), longa ou do tipo II, dos outros venenos elapídicos.Anticorpos: Moléculas de imunoglobulinas com uma dada sequência específica de aminoácidos a ponto de só ser possível sua interação com determinado antígeno (ver ANTÍGENOS), ou com molécula estruturalmente muito semelhante. A síntese de anticorpos ocorre nas PLASMÓCITOS da série linfoide como resposta à indução pelo antígeno.Proteínas Qa-SNARE: Subfamília de PROTEÍNAS Q-SNARE que ocupam a mesma posição que a sitaxina 1A no complexo SNARE e que também são mais semelhantes a sintaxina 1A em sua SEQUÊNCIA DE AMINOÁCIDOS. Esta subfamília também é conhecida como a das sintaxinas, apesar de que algumas das chamadas sintaxinas sejam Qc-SNARES.Cromatografia de Afinidade: Técnica cromatográfica que utiliza a habilidade das moléculas biológicas de se ligarem a certos ligantes especificamente e reversivelmente. É utilizada em bioquímica de proteínas.Saccharomyces cerevisiae: Espécie do gênero SACCHAROMYCES (família Saccharomycetaceae, ordem Saccharomycetales) conhecida como levedura "do pão" ou "de cerveja". A forma seca é usada como suplemento dietético.Placenta: Órgão materno-fetal de mamíferos, altamente vascularizado, sendo o principal local de transporte de oxigênio, nutrientes e resíduos fetais. Na placenta há uma porção fetal (VILOSIDADES CORIÔNICAS, provenientes dos TROFOBLASTOS) e uma porção materna (DECÍDUA, proveniente do ENDOMÉTRIO uterino). A placenta produz uma série de hormônios esteroides, proteicos e peptídicos (HORMÔNIOS PLACENTÁRIOS).Citoesqueleto: A rede de filamentos, túbulos e pontes filamentosas interconectantes que fornecem forma, estrutura e organização ao citoplasma.Tripsina: Serina endopeptidase formada a partir do TRIPSINOGÊNIO no pâncreas. É convertida na sua forma ativa pela ENTEROPEPTIDASE no intestino delgado. Catalisa a hidrólise do grupo carboxila de ambas, arginina ou lisina. EC 3.4.21.4.Microscopia de Fluorescência: Microscopia de amostras coradas com corantes fluorescentes (geralmente isotiocianato de fluoresceína) ou de substâncias naturalmente fluorescentes, que emitem luz quando expostas à luz ultravioleta ou azul. A microscopia de imunofluorescência utiliza anticorpos que são marcados com corante fluorescente.PeroxidasesProteínas Quinases: Família de enzimas que catalisam a conversão de ATP e uma proteína a ADP e uma fosfoproteína.Receptores Colinérgicos: Proteínas de superfície celular que se ligam à acetilcolina com alta afinidade e desencadeiam alterações intracelulares influenciando o comportamento de celular. Os receptores colinérgicos são divididos em duas classes principais, os receptores muscarínicos e os nicotínicos, divisão baseada originalmente na afinidade desses receptores pela nicotina e muscarina. Cada grupo ainda é subdividido baseado na farmacologia, localização, modo de ação e/ou biologia molecular.Embrião de Galinha: Entidade que se desenvolve de um ovo de galinha fertilizado (ZIGOTO). O processo de desenvolvimento começa cerca de 24 h antes de o ovo ser disposto no BLASTODISCO, uma mancha esbranquiçada, pequena na superfície da GEMA DO OVO. Após 21 dias de incubação, o embrião está completamente desenvolvido antes da eclosão.Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.Valinomicina: Antibiótico ionóforo ciclododecadepsipeptídeo produzido pelo Streptomyces fulvissimus e relacionado às eniatinas. É composto por 3 moles de L-valina, ácido D-alfa-hidroxisovalérico, D-valina, e ácido L-láctico cada, ligados alternativamente para formar um anel de 36 membros.Imuno-Histoquímica: Localização histoquímica de substâncias imunorreativas utilizando anticorpos marcados como reagentes.Fibroblastos: Células do tecido conjuntivo que secretam uma matriz extracelular rica em colágeno e outras macromoléculas.Microscopia Eletrônica de Transmissão: Microscopia eletrônica em que os ELÉTRONS ou seus produtos de reação que atravessam a amostra são convertidos em imagem abaixo do plano da amostra.Calmodulina: Proteína ativadora termo-estável de baixo peso molecular encontrada principalmente no encéfalo e coração. A ligação dos íons de cálcio a esta proteína permite a ligação desta proteína a nucleotídeos cíclicos fosfodiesterases e a adenil ciclase com subsequente ativação. Dessa forma, esta proteína modula os níveis de AMP e GMP cíclicos.Corantes Fluorescentes: Agentes que emitem luz após excitação luminosa. O comprimento de onda da luz emitida geralmente é maior que o da luz incidente. Os fluorocromos são substâncias que causam fluorescência em outras substâncias, ou seja, corantes usados para marcar ou diferenciar outros compostos com etiquetas fluorescentes.Exossomos: Tipo de vesícula extracelular contendo RNA e proteínas que é secretada no espaço extracelular por EXOCITOSE quando CORPOS MULTIVESICULARES se fundem com a MEMBRANA PLASMÁTICA.Compostos de Amônio Quaternário: Derivados de compostos de amônio (NH4+ Y-), em que todos os quatro átomos de hidrogênio (ligados ao nitrogênio) foram substituídos por grupos hidrocarbila (NR4+ Y-). São diferentes das IMINAS (RN=CR2).Western Blotting: Identificação por transferência de mancha (em um gel) contendo proteínas ou peptídeos (separados eletroforeticamente) para tiras de uma membrana de nitrocelulose, seguida por marcação com sondas de anticorpos.Células Cromafins: Células que armazenam vesículas secretoras de adrenalina. Durante situações de estresse, o sistema nervoso estimula a liberação do conteúdo hormonal das vesículas. Sua nomenclatura deriva-se de sua habilidade de corar-se em tons de marrom com sais de cromo. Localizam-se na medula adrenal e paragânglios (PARAGÂNGLIOS CROMAFINS) do sistema nervoso simpático.Neurotransmissores: Substâncias usadas por suas ações farmacológicas em qualquer aspecto dos sistemas de neurotransmissores. O grupo de agentes neurotransmissores inclui agonistas, antagonistas, inibidores da degradação, inibidores da recaptação, substâncias que esgotam (depleters) estoques [ou reservas de outras substâncias], precursores, e moduladores da função dos receptores.Galinhas: Nome vulgar dado a espécie Gallus gallus "ave doméstica" (família Phasianidae, ordem GALIFORME). São descendentes das aves selvagens vermelha do SUDESTE DA ÁSIA.Sinaptotagmina I: Proteína transportadora vesicular expressada principalmente nos NEURÔNIOS. A sinaptotagmina ajuda regular a EXOCITOSE das VESÍCULAS SINÁPTICAS e parece atuar como um sensor de cálcio para desencadear a liberação do NEUROTRANSMISSOR. Atua também como receptor de algumas TOXINAS BOTULÍNICAS na célula nervosa.Transmissão Sináptica: Comunicação de um NEURÔNIO com um alvo (músculo, neurônio ou célula secretora) através de uma SINAPSE. Na transmissão sináptica química, o neurônio pré-sináptico libera um NEUROTRANSMISSOR que se difunde através da fenda sináptica e se liga a receptores sinápticos específicos, ativando-os. Os receptores ativados modulam canais iônicos específicos e/ou sistemas de segundos mensageiros, influenciando a célula pós-sináptica. Na transmissão sináptica elétrica, os sinais elétricos estão comunicados como um fluxo de corrente iônico através de SINAPSES ELÉTRICAS.Fosfatidilserinas: Derivados dos ácidos fosfatídicos, nos quais o ácido fosfórico encontra-se ligado a uma molécula de serina por meio de uma ligação éster. A hidrólise completa dá origem a 1 mol de glicerol, ácido fosfórico e serina e 2 moles de ácidos graxos.Microscopia Confocal: Técnica microscópica de luz na qual somente um pequeno ponto é iluminado e observado por um tempo. Dessa forma, uma imagem é construída através de uma varredura ponto-a-ponto do campo. As fontes de luz podem ser convencionais ou por laser, e são possíveis fluorescência ou observações transmitidas.Sinapses: Junções especializadas, nas quais um neurônio se comunica com uma célula alvo. Nas sinapses clássicas, a terminação pré-sináptica de um neurônio libera um transmissor químico armazenado em vesículas sinápticas que se difunde através de uma fenda sináptica estreita, ativando receptores na membrana pós-sináptica da célula alvo. O alvo pode ser um dendrito, corpo celular ou axônio de outro neurônio, ou ainda uma região especializada de um músculo ou célula secretora. Os neurônios também podem se comunicar através de acoplamento elétrico direto com SINAPSES ELÉTRICAS. Vários outros processos não sinápticos de transmissão de sinal elétrico ou químico ocorrem via interações mediadas extracelulares.Tubulina (Proteína): Subunidade proteica do microtúbulo encontrada em grandes quantidades no encéfalo de mamíferos. Também foi isolada da CAUDA DO ESPERMATOZOIDE, dos CÍLIOS e outras fontes. Estruturalmente, a proteína é um dímero com peso molecular de aproximadamente 120.000 [kDa] e coeficiente de sedimentação de 5.8S. Liga-se à COLCHICINA, VINCRISTINA e VIMBLASTINA.Fosforilação: Introdução de um grupo fosfato em um composto [respeitadas as valências de seus átomos] através da formação de uma ligação éster entre o composto e um grupo fosfato.Fosfatidilgliceróis: Classe de lipídeos livres de nitrogênio, presentes em animais e especialmente em tecidos vegetais, compostos de 1 mol de glicerol e 1 ou 2 moles de ácido fosfatídico. Os membros deste grupo diferenciam-se uns dos outros pela natureza dos ácidos graxos liberados na hidrólise.Temperatura Ambiente: Propriedade de objetos que determina a direção do fluxo de calor quando eles são posicionados em contato térmico direto. A temperatura é a energia dos movimentos microscópicos (translacionais e de vibração) das partículas dos átomos.Dimiristoilfosfatidilcolina: Fosfolipídeo sintético utilizado em lipossomos e bicamadas lipídicas para o estudo de membranas biológicas.Anticorpos Monoclonais: Anticorpos produzidos porum único clone de células.Espectrometria de Fluorescência: Medida da intensidade e qualidade da fluorescência.Proteína rab3A de Ligação ao GTP: Membro mais abundante das PROTEÍNAS RAB3 DE LIGAÇÃO AO GTP. Está envolvida na EXOCITOSE dependente de cálcio, localizado nos neurônios e nas células neuroendócrinas. Esta enzima foi anteriormente classificada como EC 3.6.1.47.Células PC12: LINHAGEM CELULAR derivada de um FEOCROMOCITOMA da MEDULA SUPRARRENAL de rato. As células PC12 cessam sua divisão e passam por diferenciação terminal quando tratadas com o fator de crescimento neuronal, tornando esta linhagem um modelo útil para o estudo da diferenciação de CÉLULAS NERVOSAS.Proteínas de Fluorescência Verde: Análogos e derivados proteicos da proteína fluorescente verde da [água viva] Aequorea victoria que emitem luz (FLUORESCÊNCIA) quando excitados com RAIOS ULTRAVIOLETA. São usadas em GENES REPÓRTER em procedimentos de TÉCNICAS GENÉTICAS. Numerosos mutantes têm sido fabricados para emitir outras cores ou ser sensíveis ao pH.Fosfatidiletanolaminas: Derivados do ácido fosfatídico, nos quais o ácido fosfórico encontra-se ligado a uma molécula de etanolamina por uma ligação éster. A hidrólise completa dá origem a 1 mol de glicerol, ácido fosfórico e etanolamina e, 2 moles de ácidos graxos.Micelas: Partículas que consistem em agregados de moléculas mantidas frouxamente juntas por ligações secundárias. Geralmente, a superfície das micelas é constituída por compostos anfipáticos que são orientados de tal forma que a energia de interação entre a micela e o meio ambiente é minimizada. Os líquidos com grande número de micelas em suspensão são chamados de EMULSÕES.Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO.Rede trans-Golgi: Rede de compartimentos membranosos, localizados no lado citoplasmático do APARELHO DE GOLGI, onde proteínas e lipídeos são classificados para transporte para vários locais na célula ou na membrana celular.Proteolipídeos: Combinações proteína-lipídicas abundantes no tecido cerebral, mas também presentes em uma ampla variedade de tecidos animais e plantas. Em contraste às lipoproteínas, elas são insolúveis em água, mas solúveis em misturas de clorofórmio e metanol. A porção proteica tem um alto conteúdo de aminoácidos hidrofóbicos. Os lipídeos associados consistem de uma mistura de GLICEROFOSFATOS, CEREBROSÍDEOS e SULFOGLICOESFINGOLIPÍDEOS, enquanto as lipoproteínas contêm FOSFOLIPÍDEOS, COLESTEROL e TRIGLICERÍDEOS.Sinaptossomos: Terminações nervosas isoladas com o conteúdo das vesículas e citoplasma, juntamente com a área subsináptica anexa da membrana da célula pós-sináptica. São estruturas artificiais amplamente produzidas por fracionamento após centrifugação seletiva de homogenatos de tecido nervoso.Proteínas Munc18: Família de proteínas envolvidas no tráfego da membrana intracelular. Interagem com as SINTAXINAS e desempenham papéis importantes no ancoramento e fusão vesicular durante a EXOCITOSE. Seu nome se deve ao fato de serem relacionadas com a proteína Unc-18, C elegans.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Junção Neuromuscular: A sinapse entre um neurônio e um músculo.Fluidez de Membrana: Movimento de moléculas de fosfolípides dentro da bicamada lipídica, que depende da classe de fosfolípides presentes, de sua composição de ácidos graxos e da insaturação das cadeias alifáticas, [além] da concentração de colesterol e da temperatura.Glicoproteínas de Membrana: Glicoproteínas encontradas nas membranas ou na superfície das células.Órgão Elétrico: Encontrada em aproximadamente 250 espécies de peixes elétricos, esta estrutura consiste de fibras musculares esqueléticas, formando placas multinucleadas em formato de discos, organizadas em pilhas como baterias em série, que estão inseridas em um matriz gelatinosa. Uma raia torpedo grande pode conter quinhentas mil placas. Músculos de diferentes regiões do corpo podem estar modificadas, por exemplo, o tronco e cauda na enguia elétrica, o aparato hiobranquial na raia elétrica, e os músculos oculares extrínsecos nos peixes da família Uranoscopidae. Órgãos elétricos poderosos que emitem pulsos em breves descargas várias vezes por segundo. Funcionam para debilitar a presa e afastar predadores. Uma raia torpedo grande pode produzir um choque de mais de 200 volts, capaz de atordoar um humano.Sintaxina 1: Proteína neuronal da membrana celular que se combina com snap-25 e sinaptobrevina 2 formando um complexo SNARE que leva a EXOCITOSE.Proteínas Secretadas pela Vesícula Seminal: As proteínas secretadas pelas vesículas seminais são proteínas e enzimas importantes para a coagulação rápida do ejaculado. A principal proteína de coagulação é o antígeno específico da vesícula seminal. Várias destas proteínas da vesícula seminal são reguladas por andrógenos e são substratos para as enzimas prostáticas, como o ANTÍGENO PROSTÁTICO ESPECÍFICO, uma protease e uma esterase.Estrutura Terciária de Proteína: Nível de estrutura proteica em que estruturas das proteínas secundárias (alfa hélices, folhas beta, regiões de alça e motivos) se combinam dando origem a formas dobradas denominadas domínios. Pontes dissulfetos entre cisteínas em duas partes diferentes da cadeia polipeptídica juntamente com outras interações entre as cadeias desempenham um papel na formação e estabilização da estrutura terciária. As proteínas pequenas, geralmente são constituídas de um único domínio, porém as proteínas maiores podem conter vários domínios conectados por segmentos da cadeia polipeptídica que perdeu uma estrutura secundária regular.

*  Lisossomo - Wikipedia
Os lisossomos são vesículas revestidas por membranas lipoproteicas, especializados na digestão intracelular. Para isso ... que são reconhecidos pelos receptores de manose-6-fosfato da rede Trans-Golgi e empacotados em vesículas revestidas por ... transferidas para as bolsas do complexo de Golgi e armazenadas nos lisossomos primários que são vesículas membranosas. Uma das ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Lisossomo
*  Adaptina - Wikipedia
Os complexos AP são basicamente encontrados em revestimento de vesículas e em vesículas revestidas por clatrina. Esses ... Nef forma um complexo tripartite com a cauda citosólica de CD4 e a proteína adaptadora 2 (AP-2), em vesículas revestidas por ... Adaptina é uma proteína que participa na mediação da formação de vesículas revestidas de clatrina, através da interação com ... à concentração do conteúdo das vesículas revestidas por clatrina. O mecanismo de concentração é a reunião de complexos receptor ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Adaptina
*  Célula eucarionte (animal e vegetal)
O complexo de Golgi é constituído por vesículas achatadas ou esféricas, empilhadas e revestidas por membrana lipoproteica. Nas ... O retículo endoplasmático (RE) é formado por um extenso sistema de túbulos e vesículas revestidas por membrana lipoproteica. As ... As mitocôndrias são alongadas ou esféricas, revestidas por dupla membrana lipoproteica. Possuem DNA próprio e capacidade de ... Os peroxissomos ou microcorpos são pequenas vesículas que contêm enzimas oxidativas. Possuem, também, quase toda a catalase da ...
  https://www.vestibulandoweb.com.br/biologia/teoria/celula-eucarionte.asp
*  Vesícula - Wikipedia
... são vesículas revestidas por membranas contendo no seu interior outras pequenas vesículas, chamadas vesículas luminais, que se ... As vesículas revestidas COPI são as responsáveis ​​pelo transporte retrógrado desde o Golgi ao retículo endoplasmático. Por fim ... Se a suas vesículas internas se libertam no exterior da célula podem dar origem a exossomas. Algumas vesículas formam-se quando ... Ver artigo principal: Fusão de vesículas Para que ocorra a fusão das vesículas com as membranas alvo é necessário que ambas se ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Ves%C3%ADcula
*  Coatomer - Wikipedia
... empacotadas em pequenas vesículas de transporte revestidas de COP II. Essas vesículas de transporte brotam a partir de regiões ... As vesículas revestidas de COP I derivadas de Golgi se acumulam e podem ser purificadas a partir de reações in vitro em que o ... As vesículas revestidas por COP II produzidas in vitro (a partir de membranas de levedura na presença de uma maquinaria mínima ... extremamente importante na etapa de seleção do conteúdo das vesículas revestidas por COP I. As proteínas de carga retrógradas ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Coatomer
*  Clatrina - Wikipedia
Em contraste a vesículas revestidas por clatrina, as vesículas revestidas por cavéolas não são responsáveis pela construção de ... No processo de formação de vesículas revestidas por clatrina, ocorre a ligação de moléculas de clatrina a proteínas adaptadoras ... sendo possível ver as vesículas revestidas por clatrina. Elas são encontradas em praticamente todas as células eucariontes, ... não apresentam revestimento por adaptina em contraste com as vesículas revestidas por clatrina. Além disso, a endocitose ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Clatrina
*  Dinamina - Wikipedia
... às estruturas proteicas observadas nos pescoços de vesículas revestidas com clatrina nas moscas do Shibire, levando à ... CELL] Existem no entanto vesículas como as COPI e COPII que aparentemente são capazes de se separar sem a necessidade de uma ... Além disso, está envolvida nos processos de transporte por vesículas. Uma espécie de isoforma foi testada mas, posteriormente, ... Web.30 Nov.2017 O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Dinamina transporte de vesículas ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Dinamina
*  Endossomo - Wikipedia
... é mediada por vesículas revestidas por clatrina. Após a invaginação, as vesículas perdem esse revestimento e se fundem aos ... Essas vesículas podem ser formadas a partir de fossas revestidas por clatrina ou a partir dos cavéolos, que são formados em ... Além disso, as vesículas revestidas por clatrina podem fornecer uma importante via para a célula, a endocitose mediada por ... Nesse processo, ocorrem a redução gradual do pH, o recebimento de vesículas provenientes do aparato de Golgi e de lisossomos ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Endossomo
*  Tema 07: Propriedades Elétricas das Membranas - PDF
... por meio de vesículas revestidas por membranas; Transcitose: Transporte envolvendo Endocitose e Exocitose; Osmose: Transporte ... Moléculas são expelidas para fora da célula por vesículas revestidas por membranas; Endocitose: Moléculas são trazidas para ... mglu Ca 2+ Na + Na + NMDA AMPA CA K + K + K + 5 Transporte das vesículas de Glutamina para o neurônio présináptico. 6 Conversão ... liberação de L Glu das vesículas. 2 Ligação do L Glu aos receptores metabotrópicos e ionotrôpicos. mglu EAAT3 3 Recaptação do L ...
  http://docplayer.com.br/52299710-Tema-07-propriedades-eletricas-das-membranas.html
*  Cap03 organelas
... endoplasmático rugoso Reticulo endoplasmático liso Aparelho de Golgi Ribossomos Lisossomos Peroxissomos Vesículas revestidas ... Estrutura: conjunto de vesículas achatadas e empilhadas que geralmente se localizam em uma determinada região do citoplasma. O ... Estrutura: vesículas delimitadas por membrana. Estão presentes em quase todas as células, mas em maior quantidade nos ... No Aparelho de Golgi, o produto secretado é condensado em vesículas grandes, formando os grânulos de secreção. Retículo ...
  https://pt.slideshare.net/ozanansouzaamaral/cap03-organelas
*  Transporte através da membrana - ppt carregar
As substâncias podem ser trazidas para dentro ou expelidas da célula, por meio de vesículas revestidas por membranas: exocitose ...
  http://slideplayer.com.br/slide/44753/
*  ACTA FARMACÊUTICA PORTUGUESA - PDF
Encontra-se associada com a regulação e controle de vesículas revestidas de clatrina em células HeLa, inibindo a internalização ... Além disso, as vesículas de cavéola transportam e se fundem aos caveossomos ou corpos multivesiculares (MVBs), que possuem um ... Essas curvaturas e vesículas se fundem e formam um compartimento endossomal enriquecido com proteínas ancoradas por GPI (também ... Essas curvaturas/ vesículas se fundem, então, formando um compartimento endossomal enriquecido com domínios lipídicos e os ...
  http://docplayer.com.br/1042733-Acta-farmaceutica-portuguesa.html
*  Design e Síntese de Possíveis Inibidores da Proteína Auxiliar Nef do Vírus HIV-1. Carlos Eduardo de Melo Salvador. Dissertação...
32 interagiria com β-cop, uma subunidade da proteína de revestimento COP-1, o principal componente das vesículas não revestidas ... 78, 79, 80 Esta conexão possibilita a formação de vesículas endocíticas contendo o receptor CD4. 81, 82 Com a finalidade de ...
  http://docplayer.com.br/2553662-Design-e-sintese-de-possiveis-inibidores-da-proteina-auxiliar-nef-do-virus-hiv-1-carlos-eduardo-de-melo-salvador-dissertacao-de-mestrado.html
*  Estrutura celular dos procariontes - Wikipedia
... vesículas e inclusões: -vesículas gasosas(cianobactérias,Halobactérias):estrutras cilindricas ocas revestidas por proteínas( ... Inclusões/Grânulos/Vesículas -Vesículas de poli b.hidroxibuirato, glicogénio e amido:reservas de carbono -Vesículas de ... cianoficina (presentes em cianobactérias):reservas de azoto (ou carbono) -Vesículas de volutina ou polifosfasto:reserva de ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Estrutura_celular_dos_procariontes
*  Tubo neural - Wikipedia
A luz das vesículas telencefálicas laterais forma, de cada lado, ventrículos laterais (unidos ao III ventrículo pelos 2 forames ... interventriculares ou de Monro) Todas as cavidades supracitadas são revestidas por epitélio de forma cuboide (epêndima) e todas ... Durante a gestação humana, o tubo neural dá origem a três vesículas: o romboencéfalo, o mesencéfalo e o prosencéfalo. A ... Durante a gestação humana, o tubo neural dá origem a três vesículas: romboencéfalo mesencéfalo prosencéfalo. A formação do tubo ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Tubo_neural
*  Sistema ventricular - Wikipedia
O sistema ventricular será composto por cavidades intra-encefálicas, revestidas por epêndima, comunicantes entre si e contínuas ... Durante o desenvolvimento embrionário, o tubo neural vai desenvolver três vesículas primitivas: o prosencéfalo, o mesencéfalo, ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_ventricular
*  Geode - Wikipedia
Estas cavidades são geralmente bolhas de gás no interior de rochas ígneas, bolsas sob as raízes de árvores, vesículas em lava ... São essencialmente cavidades que se formam nas rochas, apresentando-se revestidas por formações cristalinas, muitas vezes ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Geode
*  Tecido nervoso - Wikipedia
Quando são revestidas pela bainha de mielina elas são chamadas de neurofibras mielinizadas, quando não são revestidas são ... Os neuro-hormônio estão contidos em micro vesículas presentes nas extremidades do axônio. Quando o impulso nervoso chega até ... Por fim, diversos grupos de neurofibras, cada uma delas envoltas pelo perineuro, são revestidas pelo epineuro. Essas camadas de ... Um conjunto de neurofibras, cada uma delas envolvidas de endoneuro, são revestidas por outra camada de tecido conjuntivo ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Tecido_nervoso
*  Oligochaeta - Wikipedia
Podem amadurecer tanto no celoma, quanto em vesículas seminais. Através ductos espermáticos são levados para os gonóporos. O ... O esôfago também apresenta envaginações revestidas por tecido glandular que apresenta glândulas calcíferas removem o cálcio do ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Oligochaeta
*  Apostila Completa Anatomia Veterinaria
... a duas outras vesículas. O mesencéfalo não se divide. Desse modo, o encéfalo do embrião é constituído por cinco vesículas em ... Periósteo: é o tecido conjuntivo que envolve o osso externamente, com exceção das superfícies articulares (que são revestidas ... OSSO PNEUMÁTICO: apresenta uma ou mais cavidades, de volume variável, revestidas de mucosa e contendo ar. Estas cavidades ... 1.3 - Limites: 1.3.1 - Anterior: a. Lábios: são duas pregas musculares (músculo orbicular da boca) revestidas internamente por ...
  https://pt.scribd.com/doc/91916035/Apostila-Completa-Anatomia-Veterinaria
*  Fagócito - Wikipedia
A Legionella pneumophila produz secreções que causam que o fagossoma se fundam com vesículas que não as que contêm substâncias ... Os receptores de opsonina aumentam a fagocitose de bactérias que foram revestidas com anticorpos complementares ou anticorpos ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Fag%C3%B3cito
*  infecciosas Immune response to infectious diseases Introdução - PDF
A ação dos anticorpos pode ser do tipo opsonina, onde as bactérias são revestidas por anticorpos do tipo IgG e fagocitadas por ... podem escapar das vesículas celulares, penetrando no citosol sendo apresentadas vias MHC de classe I para as células T ... assim ambas tentam escapar da ação das substâncias bactericidas produzidas nas vesículas dos macrófagos ativados. Bactérias ...
  http://docplayer.com.br/423715-Infecciosas-immune-response-to-infectious-diseases-introducao.html
*  Cetoacidose Diabética - Abordagem anatomica, histologica e fisiologica sobre o normal...
Elas são revestidas pela fascia renal e separa-se do rim por um septo originado deste. A glândula direita piramidal é mais ... ativam os canais de cálcio dependentes de voltagem o que estimula a secreção por exocitose da insulina armazenada em vesículas ... por essa enzima desencadeia uma cascata de sinalização que dentre outras funções provoca uma intensa fusão de vesículas que ...
  http://ebah.com/content/ABAAABCWoAH/cetoacidose-diabetica
*  Apostila completa Veterinaria Emanuel Coutinho de Almeida
que são revestidas por cartilagem hialina). - Endósteo: tecido conjuntivo delicado que reveste as cavidades do osso, incluindo ... Quatro são as glândulas do aparelho genital masculino a) vesículas seminais ou Glândulas vesiculares ; b) Próstata ; c) ... OSSO PNEUMÁTICO: : apresenta uma ou mais cavidades, de volume variável, revestidas de mucosa e contendo ar. Estas cavidades ... 1.3 - Limites: 1.3.1 - Anterior: a. Lábios: são duas pregas musculares (músculo orbicular da boca) revestidas internamente por ...
  https://pt.slideshare.net/emanuelcoutinhodealmeida/apostila-completa-veterinaria-emanuel-coutinho-de-almeida
*  Nome: Nº: Classificação: 4. Muitos epitélios de revestimento desempenham uma importante função de protecção através da produção...
No tecido muscular, os neurotransmissores estão localizados: a. nas fendas sinápticas b. nas vesículas sinápticas c. nos ... as superfícies articulares dos ossos estão revestidas por cartilagem articular c. as superfícies articulares são lubrificadas ...
  http://docplayer.com.br/11783164-Nome-no-classificacao-4-muitos-epitelios-de-revestimento-desempenham-uma-importante-funcao-de-proteccao-atraves-da-producao-de.html

Clatrina: A clatrina é uma proteína composta por 6 subunidades (3 cadeias pesadas, de 91 kDa, e 3 cadeias leves, de 23-27 kDa) que desempenha um importante papel no processo de formação de vesículas membranares no interior das células eucariontes,pois elas englobam as proteínas sinalizadas pelo açúcar manose-6-fosfato, que se adere as proteínas digestivas oriundas do RER na face CIS do complexo de golgi. Esta proteína forma uma rede poliédrica (em forma de uma bola de futebol), composta por muitas moléculas, que reveste a vesícula a medida que ela se forma.Vesícula sináptica: Vesícula sináptica são pequenas esferas ligadas ao extremo dos axônios nos neurônios do sistema nervoso.Endossomo: são organelas com várias formas, localizados entre o complexo de Golgi e a membrana plasmática.Microscópio eletrônico de baixa voltagem: Microscópio eletrônico de baixa voltagem (MEBV) ou microscópio eletrônico de baixa tensão (LVEM, do inglês low-voltage electron microscope) é um microscópio eletrônico que opera a voltagens de aceleração de poucos quiloelétron-volts ou menos. Embora a técnica de microscopia eletrônica de baixa tensão nunca irá substituir convencional microscópios eletrônicos de alta tensão, está se tornando rapidamente apreciada por muitas disciplinas diferentes.Endocitose: Endocitose é o processo pelo qual as células vivas ativamente absorvem material (moléculas, pedaços de detritos ou outras células) através da membrana celular. Em outras palavras, é a entrada de substâncias em uma célula por englobamento das particulas pela membrana celular.Coatomer: Coatomer é um complexo proteico que envolve os limites da membrana no transporte vesicular. Três tipos de coatomers são conhecidos:Simon et al.Pecuária de corte: Pecuária de corte é um dos ramos de atividade que exerce o pecuarista, ou o criador de rebanho.Membrana plasmática: A membrana plasmática, membrana celular ou plasmalema é a estrutura que delimita todas as células vivas, tanto as procarióticas como as eucarióticas. Ela estabelece a fronteira entre o meio intracelular, o citoplasma, e o ambiente extracelular, que pode ser a matriz dos diversos tecidos.Lipopolissacarídeo: Lipopolissacarídeo (LPS) ou lipoglicano é uma molécula de grandes dimensões constituída de um lípido e um polissacarídeo (carboidrato) ligados por uma ligação covalente. LPS é um dos componentes principais da membrana exterior de bactérias gram-negativas, contribuindo para a integridade estrutural da bactéria e protegendo sua membrana de certos tipos de ataque químico.Exocitose: Exocitose é o processo biológico pelo qual uma célula eucariótica viva libera substâncias para o fluido extracelular, seja o fluido que envolve as células de um tecido, nos organismos multicelulares, seja para o ambiente aquático, por modificação da membrana celular, isto é, sem ser por difusão. É o oposto de endocitose; entretanto, ambas precisam de energia metabólica (ATP).Transporte mediado: Transporte mediado é um tipo de transporte realizado através da membrana celular. Este transporte é caracterizado por necessitar de proteínas transportadoras (permeases) para a sua realização, necessitando também dos processos físicos que ocorrem dentro (meio intracelular) e fora (meio extracelular) da célula .Lipossoma: == Definição ==Proteína membranar: Proteínas membranares ou proteínas de membrana são proteínas que interagem com membranas biológicas. Estas proteínas são o alvo de mais de metade de todos os fármacos modernos.Organelo: Em biologia celular, organelas, organelos, ou ainda organitos, ("pequenos órgãos") são compartimentos delimitados por membrana que têm papeis específicos a desempenhar na função global de uma célula. As organelas trabalham de maneira integrada, cada uma assumindo uma ou mais funções celulares.Transferrina: Transferrina ou siderofilina é uma glicoproteína (proteínas modificadas por ligações covalentes a hidratos de carbono) plasmática do sangue que transporta o ferro. Sua função fundamental é ceder ferro às células da medula, baço, fígado e músculo.EnzimaLisossomo: citoplasmáticas são organelas celulares que têm como função a degradação de partículas vindas do meio extra-celular, assim como a reciclagem de outras organelas e componentes celulares envelhecidos. Seu objetivo é cumprido através da digestão intracelular controlada de macromoléculas (como, por exemplo, proteínas, ácidos nucleicos, polissacarídeos, e lipídios), catalisada por cerca de 50 enzimas hidrolíticas, entre as quais se encontram proteases, nucleases, glicosidases, lipases, fosfolipases, fosfatases, e sulfatases.Imunocoloração: Imunocoloração é um termo geral em bioquímica que se aplica a qualquer método baseado na utilização de anticorpos para detectar uma proteína especifica em uma amostra. O termo imunocoloração foi, originalmente, usado para se referir à coloração imuno-histoquímica de secções de tecidos, como descrito, inicialmente, por Albert Coons, em 1941.Resposta a proteínas mal enoveladas: A Resposta a proteínas mal enoveladas (UPR, do inglês: Unfolded Protein Response) é uma resposta citoprotetora, relacionada com o Retículo endoplasmático. É um processo bem conservado presente de leveduras até humanos.Espaço de Disse: thumbEstrutura primária: A estrutura primária é dada pela sequência de aminoácidos ao longo da cadeia polipeptídica. É o nível estrutural mais simples e mais importante, pois dele deriva todo o arranjo espacial da molécula.EtorfinaProtoplasma: Protoplasma é uma parte da célula. É um sistema físico-químico de natureza coloidal e pode passar facilmente do estado sólido ao líquido.


  • cavidades
  • A luz das vesículas telencefálicas laterais forma, de cada lado, ventrículos laterais (unidos ao III ventrículo pelos 2 forames interventriculares ou de Monro) Todas as cavidades supracitadas são revestidas por epitélio de forma cuboide (epêndima) e todas contêm o líquido céfalo-raquidiano (também designado líquor cérebro-espinal) exceto o canal central medular. (wikipedia.org)
  • O sistema ventricular será composto por cavidades intra-encefálicas, revestidas por epêndima, comunicantes entre si e contínuas com o canal central da medula espinhal. (wikipedia.org)
  • São essencialmente cavidades que se formam nas rochas, apresentando-se revestidas por formações cristalinas, muitas vezes apresentando a forma de faixas concêntricas. (wikipedia.org)
  • Estas cavidades são geralmente bolhas de gás no interior de rochas ígneas, bolsas sob as raízes de árvores, vesículas em lava após uma erupção vulcânica ou mesmo tocas de animais. (wikipedia.org)
  • COPI
  • CELL] Existem no entanto vesículas como as COPI e COPII que aparentemente são capazes de se separar sem a necessidade de uma GTPase como a dinamina. (wikipedia.org)
  • Aparato
  • O termo COP II se refere a um complexo de proteínas que atua no brotamento de vesículas constitutivas da via anterógrada, ou seja, originadas no Retículo Endoplasmático e endereçadas ao Aparato Golgiense. (wikipedia.org)
  • tecido
  • O esôfago também apresenta envaginações revestidas por tecido glandular que apresenta glândulas calcíferas removem o cálcio do material ingerido onde o excesso de cálcio é precipitado pelas glândulas como calcita e então liberado de volta à luz do trato digestivo. (wikipedia.org)
  • neurotransmissores
  • As células têm necessidade de excretar substâncias por vários motivos, nomeadamente a eliminação de resíduos ou a secreção de substâncias produzidas pela célula que desempenham uma função no organismo (hormónios, neurotransmissores, etc.), como acontece em células especializadas que armazenam esses produtos em vesículas secretoras e depois libertam-nos quando necessário. (wikipedia.org)
  • Alguns exemplos de vesículas secretoras de células especializadas são: As vesículas sinápticas localizam-se no terminal pré-sináptico de neurónios e armazenam neurotransmissores. (wikipedia.org)
  • Elas são encontradas em praticamente todas as células eucariontes, porém, em maior quantidade no cérebro, onde participam da formação de vesículas pré-sinápticas contendo neurotransmissores. (wikipedia.org)
  • outra
  • A estrutura das adaptinas se assemelha levemente a outra classe de moléculas transportadoras de vesículas, os coatômeros, tendo entre 16% e 26% de similaridade na sequência de aminoácidos. (wikipedia.org)