Tromboembolia Venosa: Obstrução de uma veia ou VEIAS (embolia) por um coágulo de sangue (TROMBO) na corrente sanguínea.Tromboembolia: Obstrução de um vaso sanguíneo (embolia) por um coágulo de sangue (TROMBO) na corrente sanguínea.Embolia Pulmonar: Bloqueio da ARTÉRIA PULMONAR ou um de seus ramos por um ÊMBOLO.Trombose Venosa: Formação ou presença de um coágulo sanguíneo (TROMBO) dentro de uma veia.Anticoagulantes: Agentes que impedem a coagulação.Heparina de Baixo Peso Molecular: Frações de heparina com baixo peso molecular, usualmente entre 4000 e 6000 kD. Essas frações de baixo peso molecular são efetivos agentes antitrombolíticos. Sua administração reduz o risco de hemorragia, possuindo meia-vida mais prolongada, e possuem reduzidas interações com plaquetas quando comparadas à heparina não fracionada. Também proporciona uma profilaxia efetiva contra embolia pulmonar pós-operatória.Trombofilia: Transtorno de HEMOSTASIA em que há uma tendência à TROMBOSE.Tromboflebite: Inflamação de uma veia associada com um coágulo sanguíneo (TROMBO).Varfarina: Anticoagulante que age inibindo a síntese de fatores de coagulação dependentes da vitamina K. Warfarina é indicado para a profilaxia e/ou tratamento da trombose venosa e sua extensão, da embolia pulmonar e da fibrilação atrial com embolia. Também é usado como adjunto na profilaxia da embolia sistêmica após infarto do miocárdio. Warfarina também é usado para matar roedores.Hemorragia: Sangramento ou escape de sangue [a partir] de um vaso.Produtos de Degradação da Fibrina e do Fibrinogênio: Fragmentos proteicos solúveis formados pela ação proteolítica da plasmina sobre a fibrina ou o fibrinogênio. FDP e seus complexos prejudicam profundamente o processo hemostático e são uma causa importante de hemorragia na coagulação e fibrinólise intravasculares.Enoxaparina: Fragmento de heparina de baixo peso molecular, que possui a estrutura 4-enopiranosuronato sódico no terminal não redutor da cadeia. É preparada através da despolimerização do éster benzílico da heparina da mucosa suína. Terapeuticamente, é utilizada como agente antitrombolítico.Meias de Compressão: Revestimentos firmes para o pé e perna usados para auxiliar a circulação nas pernas e impedir a formação de EDEMA e TROMBOSE DE VEIAS PROFUNDAS. As MEIAS DE COMPRESSÃO PNEUMÁTICAS servem para um propósito semelhante, principalmente em pacientes acamados e após procedimento cirúrgico.Fatores de Risco: Aspecto do comportamento individual ou do estilo de vida, exposição ambiental ou características hereditárias ou congênitas que, segundo evidência epidemiológica, está sabidamente associado a uma condição relacionada com a saúde considerada importante de ser prevenida.Fator V: Glicoproteína plasmática termolábil e vulnerável ao armazenamento que acelera a conversão de protrombina em trombina na coagulação sanguínea. O fator V propicia isto através da formação de um complexo com o fator Xa, fosfolípide e cálcio (complexo protrombinase). A deficiência do fator V leva à doença de Owren.Filtros de Veia Cava: Dispositivos mecânicos inseridos na veia cava inferior que previnem a migração de coágulos de sangue da trombose venosa profunda da perna.Heparina: Mucopolissacarídeo altamente ácido formado por partes iguais de D-glucosamina sulfatada e ácido D-glucurônico com pontes sulfamínicas. O peso molecular varia entre 6 a 20 mil. A heparina é encontrada e obtida do fígado, pulmões, mastócitos, etc., de vertebrados. Sua função é desconhecida, mas é utilizada para impedir a coagulação do sangue in vivo e in vitro sob a forma de muitos sais diferentes.Dispositivos de Compressão Pneumática Intermitente: Instrumentos que geram forces intermitentes, uniformes ou graduadas para facilitar o esvaziamentos das VEIAS. Estes dispositivos são usados para diminuir o EDEMA dos membros e evitar o TROMBOEMBOLISMO venoso, como a tromboses das veias profundas nas pernas.Coeficiente Internacional Normatizado: Sistema estabelecido pela Organização Mundial de Saúde e pelo Comitê Internacional em Trombose e Hemostase, para monitorar e informar testes de coagulação sanguínea. Nesse sistema, os resultados são padronizados utilizando o Índice de Sensibilidade Internacional para a combinação usada no teste de reagentes/instrumentos particulares.Recidiva: Retorno de um sinal, sintoma ou doença após uma remissão.Protrombina: Proteína plasmática que é o precursor inativo da trombina. É convertida a trombina pelo complexo ativador da protrombina, consistindo de fator Xa, fator V, fosfolipídeo e íons cálcio. A deficiência da protrombina leva à hipoprotrombinemia.Fibrinolíticos: Fibrinolisina ou agentes que convertem o plasminogênio em FIBRINOLISINA.Vitamina K: Cofator lipídico necessário para a coagulação sanguínea normal. Várias formas de vitamina K foram identificadas: VITAMINA K 1 (fitomenadiona) derivada de plantas, VITAMINA K 2 (menaquinona) derivada de bactérias e as provitaminas naftoquinonas sintéticas, VITAMINA K 3 (menadiona). As provitaminas da vitamina K 3, após a alquilação in vivo, apresentam a atividade antifibrinolítica da vitamina K. Vegetais de folhas verdes, fígado, queijo, manteiga e gema de ovo são boas fontes de vitamina K.Incidência: Número de casos novos de doenças ou agravos numa determinada população e período.Trombose: Formação e desenvolvimento de um trombo ou coágulo no vaso sanguíneo.Resistência à Proteína C Ativada: Transtorno hemostático caracterizado por uma fraca resposta anticoagulante à proteína C ativada (PCA). A forma ativada do Fator V (Fator Va) é mais lentamente degradada pela proteína C ativada. O mutação do fator V de Leiden (R506Q) é a causa mais comum da resistência à PCA.Anticoncepcionais Orais Combinados: Combinações fixas de drogas administradas oralmente com propósitos anticoncepcionais.Complicações Pós-Operatórias: Processos patológicos que afetam pacientes após um procedimento cirúrgico. Podem ou não estar relacionados à doença pela qual a cirurgia foi realizada, podendo ser ou não resultado direto da cirurgia.Dalteparina: Fragmento de heparina de baixo peso molecular, preparado a partir da sua despolimerização por ácido nitroso da heparina da mucosa suína. Seu peso molecular médio é de 4000-6000 daltons. É utilizada terapeuticamente como agente antitrombolítico.Embolectomia: Remoção cirúrgica de um coágulo obstrutivo ou material estranho que foi transportado de um vaso distante pelo fluxo sanguíneo. A remoção de um coágulo no seu sítio original é chamada TROMBECTOMIA.Fibrilação Atrial: Ritmo cardíaco anormal caracterizado por descargas de impulsos elétricos descoordenados e rápidos, nas câmaras superiores do coração (ÁTRIOS DO CORAÇÃO). Em tal caso, o sangue não pode ser eficazmente bombeado nas câmaras inferiores do coração (VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO). É causado por geração de impulso anormal.Medição de Risco: Métodos e técnicas aplicadas para identificar os fatores de risco e medir a vulnerabilidade aos perigos potenciais causados por desastres e substâncias químicas.Deficiência de Proteína C: Uma ausência ou deficiência em PROTEÍNA C que conduz à regulação defeituosa da coagulação sanguínea. É associada a um aumento de risco de trombose prematura ou grave.Estudos Prospectivos: Estudos planejados para a observação de eventos que ainda não ocorreram.Complicações Hematológicas na Gravidez: Coocorrência de gravidez e uma doença sanguínea (DOENÇAS HEMATOLÓGICAS) que envolve as CÉLULAS SANGUÍNEAS ou os FATORES DE COAGULAÇÃO SANGUÍNEA. O transtorno hematológico pode ser anterior ou posterior à FERTILIZAÇÃO e pode ou não ter um efeito deletério na mulher grávida ou no FETO.Estudos Retrospectivos: Estudos nos quais os dados coletados se referem a eventos do passado.Bandagens: Material utilizado para envolver ou atar qualquer parte do corpo.Resultado do Tratamento: Estudos conduzidos com o fito de avaliar as consequências da gestão e dos procedimentos utilizados no combate à doença de forma a determinar a eficácia, efetividade, segurança, exequibilidade dessas intervenções.Flebografia: Visualização radiográfica ou por registro, de uma veia após a injeção de um meio de contraste.Síndrome Pós-Trombótica: Afecção causada por um ou mais episódios de TROMBOSE DE VEIAS PROFUNDAS, estando comumente os coágulos de sangue alojados nas pernas. Os aspectos clínicos incluem o EDEMA, DOR, sensação de peso e CÃIBRA MUSCULAR nas pernas. Quando o agravamento do inchaço na perna leva a uma lesão cutânea, é chamado de ÚLCERA POR ESTASE venosa.Deficiência de Proteína S: Transtorno autossômico dominante demonstrando diminuição nos níveis de antígenos ou atividade de proteína S plasmática, associado com trombose venosa e embolia pulmonar. A PROTEÍNA S é uma proteína plasmática dependente de vitamina-K, que inibe a coagulação sanguínea por agir como cofator da ativação de PROTEÍNA C (também uma proteína dependente de vitamina K), e as manifestações clínicas de sua deficiência são virtualmente idênticas àquelas da deficiência de proteína C. O tratamento com heparina para os processos trombóticos agudos é normalmente seguido da administração de drogas cumarínicas de manutenção para a prevenção de tromboses recidivantes.Complicações Cardiovasculares na Gravidez: Coocorrência de gravidez e doença cardiovascular. A doença pode preceder ou seguir a FERTILIZAÇÃO e pode ou não, ter um efeito deletério na mulher grávida ou no FETO.Acenocumarol: Cumarina usada como anticoagulante. Suas ações e usos são similares àqueles da WARFARINA.Desogestrel: Hormônio progestacional sintético usado com frequência como o componente progestágeno de agentes anticoncepcionais orais combinados.Coagulação Sanguínea: Processo de interação dos FATORES DE COAGULAÇÃO SANGUÍNEA que resulta em um coágulo insolúvel da FIBRINA .beta-Alanina: Aminoácido formado in vivo pela degradação do di-hidrouracil e carnosina. Uma vez que a recaptação neuronal e a sensibilidade do receptor à beta-alanina foram demonstradas, o composto pode ser um falso transmissor que substitui o ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO. Foi descrito um transtorno genético raro, a hiper-beta-alaninemia, relacionado a este aminoácido.TiofenosAndrostenos: Derivados insaturados dos androstenos esteroides contendo pelo menos uma ligação dupla em qualquer lugar de quaisquer anéis.Seguimentos: Estudos nos quais indivíduos ou populações são seguidos para avaliar o resultado de exposições, procedimentos ou efeitos de uma característica, por exemplo, ocorrência de doença.Fator Xa: Forma ativada do fator X que participa tanto da via intrínseca quanto da via extrínseca da coagulação sanguinea. Catalisa a conversão de protrombina a trombina em conjunto com outros cofatores.Levanogestrel: Hormônio progestacional sintético com ações semelhantes às da PROGESTERONA e cerca de duas vezes mais potente que o seu isômero racêmico ou (+-) (NORGESTREL). É usado na anticoncepção, controle de transtornos menstruais e tratamento da endometriose.Anticoncepcionais Orais: Compostos, geralmente hormonais, tomados oralmente, a fim de bloquear a ovulação e prevenir a ocorrência de gravidez. Os hormônios são geralmente estrógeno ou progesterona, ou ambos.Guias de Prática Clínica como Assunto: Orientações ou princípios apresentando regras de política atuais ou futuras para o praticante de cuidados de saúde, para assisti-lo nas decisões de cuidados ao paciente a respeito de diagnóstico, terapia ou circunstâncias clínicas relacionadas. Os guias podem ser desenvolvidos por agências governamentais em qualquer nível, instituições, sociedades profissionais, juntas governamentais ou reuniões de especialistas para discussão. Os guias formam a base para avaliação de todos os aspectos de cuidados e distribuição da saúde.Neoplasias: Crescimento novo anormal de tecido. As neoplasias malignas apresentam um maior grau de anaplasia e têm propriedades de invasão e de metástase quando comparadas às neoplasias benignas.Risco: A probabilidade de que um evento ocorrerá. Ele abrange uma variedade de medidas de probabilidade de um resultado geralmente desfavorável (MeSH/NLM). 1. Medida de dano potencial ou prejuízo econômico expressa em termos de probabilidade estatística de ocorrência e de intensidade ou grandeza das consequências previsíveis. 2. Probabilidade de ocorrência de um acidente ou evento adverso, relacionado com a intensidade dos danos ou perdas, resultantes dos mesmos. 3. Probabilidade de danos potenciais dentro de um período especificado de tempo e/ou de ciclos operacionais. 4. Fatores estabelecidos, mediante estudos sistematizados, que envolvem uma probabilidade significativa de ocorrência de um acidente ou desastre. 5. Relação existente entre a ameaça de um evento adverso ou acidente determinado e o grau de invulnerabilidade do sistema receptor a seus efeitos (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992). Número esperado de perdas (de vidas, pessoas feridas, propriedades danificadas e interrupção de atividades econômicas), devido a um fenômeno particular, em um período de referência e em uma dada área. O risco é o produto de ameaça e vulnerabilidade.Trajes Gravitacionais: Trajes infláveis de dupla-camada que, quando inflados, exercem pressão nas partes inferiores do corpo do portador. Os trajes são utilizados para melhorar ou estabilizar o estado circulatório, isto é, para prevenir hipotensão, controle hemorrágico e regular a pressão sanguínea. Os trajes são também utilizados por pilotos sobre aceleração positiva.Estudos de Coortes: Estudos em que os subconjuntos de uma certa população são identificados. Estes grupos podem ou não ser expostos a factores hipotéticos para influenciar a probabilidade da ocorrência de doença em particular ou outros desfechos. Coortes são populações definidas que, como um todo, são seguidos de uma tentativa de determinar as características que distinguem os subgrupos.Administração Oral: Administração de medicamentos, substâncias químicas ou outras substâncias pela boca.ÁustriaNorpregnenos: Pregnenos com uma dupla ligação ou mais do que três duplas ligações, que sofreram contrações de anel ou não possuem os carbonos 18 ou 19.Anticoncepcionais Orais Sintéticos: Anticoncepcionais orais que devem a sua eficácia às preparações sintéticas.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Deficiência de Antitrombina III: Ausência ou redução no nível de Antitrombina III, levando a um aumento no risco de trombose.Imobilização: Restrição do MOVIMENTO do corpo ou partes do corpo por meios físicos (RESTRIÇÃO FÍSICA), ou quimicamente por ANALGESIA ou uso de TRANQUILIZANTES ou AGENTES NÃO DESPOLARIZANTES NEUROMUSCULARES. Inclui protocolos experimentais usados para avaliar os efeitos fisiológicos de imobilidade.Artroplastia do Joelho: Substituição da articulação do joelho.Injeções Subcutâneas: Administração forte e assertiva sob a pele, de medicação líquida, nutrientes ou outros fluidos através de uma agulha que perfura a pele.Apêndice Atrial: O apêndice em forma de orelha de cada átrio do coração. (Dorland, 28a ed)Bandagens Compressivas: Faixas de material elástico usado para aplicar pressão a partes do corpo para controlar EDEMA e ajudar a circulação.Proteína C: Zimógeno dependente de vitamina K, presente no sangue, quando ativado pela trombina e trombomodulina apresenta propriedades anticoagulantes, inativando os fatores Va e VIIIa nos passos limitantes da velocidade de formação da trombina.Aspirina: O analgésico protótipo utilizado no tratamento da dor, de intensidade leve à moderada. Possui propriedades anti-inflamatórias e antipiréticas, atuando como um inibidor da cicloxigenase, que leva a uma inibição da biossíntese das prostaglandinas. A aspirina também inibe a agregação plaquetária e é utilizada na prevenção da trombose arterial e venosa.Piridonas: Derivados da piridina com um ou mais grupos cetona no anel.Medicina Aeroespacial: Ramo da medicina que lida com estudos e efeitos do vôo pela atmosfera ou no espaço sobre o corpo humano e com a prevenção ou cura de disfunções fisiológicas ou psicológicas que advêm destes efeitos. (Tradução livre do original: NASA Thesaurus)Ecocardiografia Transesofagiana: Registro ultrassônico do tamanho, movimentação e composição do coração e tecidos adjacentes utilizando um transdutor localizado no esôfago.Doença Aguda: Doença relativamente grave de curta duração.Neoplasias Vasculares: Neoplasias localizadas no sistema vascular, como ARTÉRIAS e VEIAS. São diferenciadas das NEOPLASIAS DE TECIDO VASCULAR, como ANGIOFIBROMA ou HEMANGIOMA.Trombectomia: Remoção cirúrgica de um coágulo obstrutivo ou material estranho de um vaso sanguíneo no ponto de sua formação. A remoção de um coágulo que chega de um sítio distante é chamada EMBOLECTOMIA.Antitrombinas: Família de fatores e drogas endógenas que inibem diretamente a ação da TROMBINA, geralmente por meio do bloqueio de sua atividade enzimática. São distintos de ANTICOAGULANTES, como a HEPARINA, que agem aumentando os efeitos inibitórios das antitrombinas.Embolia e Trombose Intracraniana: Embolia ou trombose envolvendo vasos sanguíneos que nutrem as estruturas intracranianas. Os êmbolos podem se originar de fontes extra ou intracranianas. A trombose pode ocorrer em estruturas venosas ou arteriais.Estudos de Casos e Controles: Estudos epidemiológicos observacionais nos quais grupos de indivíduos com determinada doença ou agravo (casos) são comparados com grupos de indivíduos sadios (controles) em relação ao histórico de exposição a um possível fator causal ou de risco. (Tradução livre do original: Last, 2001)Fatores de Coagulação Sanguínea: Substâncias endógenas, usualmente proteínas, que estão envolvidas no processo de coagulação sanguínea.Próteses Valvulares Cardíacas: Dispositivo que substitui a válvula cardíaca. Pode ser composto por material biológico (BIOPRÓTESE) e/ou material sintético.Transtornos Puerperais: Transtornos ou doenças associadas com o PUERPÉRIO, período de 6-8 semanas imediatamente após o PARTO em humanos.Hospitalização: Confinamento de um paciente em um hospital.Tempo de Tromboplastina Parcial: Tempo necessário para o aparecimento de fitas de FIBRINA, após a mistura do PLASMA com substitutos de fosfolipídeos plaquetários (ex., cefalinas brutas, fosfatídeos de soja). É um teste da via intrínseca (fatores VIII, IX, XI e XII) e da via normal (fibrinogênio, protrombina, fatores V e X) de COAGULAÇÃO SANGUÍNEA. É usado como teste de triagem e para monitorar a terapia com HEPARINA.Trombose Intracraniana: Formação ou presença de um coágulo (TROMBO) em um vaso sanguíneo dentro do CRÂNIO. A trombose intracraniana pode levar a oclusões trombóticas e INFARTO ENCEFÁLICO. A maioria das oclusões trombóticas está associada com ATEROSCLEROSE.Acidente Vascular Cerebral: Grupo de afecções caracterizadas por perda súbita, não convulsiva, da função neurológica, devido a ISQUEMIA ENCEFÁLICA ou HEMORRAGIAS INTRACRANIANAS. O acidente cerebral vascular é classificado pelo tipo de NECROSE de tecido, como localização anatômica, vasculatura envolvida, etiologia, idade dos indivíduos afetados e natureza hemorrágica versus não hemorrágica (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, pp777-810).Artroplastia de Quadril: Substituição da articulação do quadril.Síndrome Antifosfolipídica: Presença de anticorpos dirigidos contra fosfolipídeos (ANTICORPOS ANTIFOSFOLÍPIDES). A afecção está associada com uma variedade de doenças, lúpus eritematoso sistêmico notável e outras doenças de tecido conjuntivo, trombopenia e tromboses arteriais ou venosas. Na gravidez, pode causar aborto. Dos fosfolipídeos, as cardiolipinas demonstram níveis proeminentemente elevados de ANTICORPOS ANTICARDIOLIPINAS. Níveis altos de anticoagulante de lúpus também estão presentes (INIBIDOR DE COAGULAÇÃO DO LÚPUS).Veia Femoral: Veia que acompanha a artéria femoral dividindo a mesma bainha. É continuação da veia poplítea e continua-se como veia ilíaca externa.Testes de Coagulação Sanguínea: Testes laboratoriais para avaliar o mecanismo de coagulação de um indivíduo.Fator VIII: Fator VIII da coagulação sanguínea. Fator anti-hemofílico que é parte do complexo fator VIII/fator de von Willebrand. O fator VIII é produzido no fígado e age na via intrínseca da coagulação sanguínea. Serve como cofator na ativação do fator X e esta ação é marcadamente aumentada por pequenas quantidades de trombina.Pré-Medicação: Administração preliminar de um medicamento que antecede um procedimento diagnóstico, terapêutico ou cirúrgico. Os tipos mais comuns de pré-medicação são antibióticos (PROFILAXIA DE ANTIBIÓTICOS) e agentes ansiolíticos. Não abrange MEDICAÇÃO PRÉ-ANESTÉSICA.Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto: Trabalhos sobre ensaios clínicos que envolvem pelo menos um tratamento teste e um tratamento controle, com matrícula simultânea e acompanhamento de grupos testes e de tratamento controle, e nos quais os tratamentos a serem administrados são selecionados por um processo randômico, como o uso de uma tabela de números randômicos.Transtornos da Coagulação Sanguínea: Transtornos trombóticos e hemorrágicos que ocorrem como consequência de anormalidades da coagulação sanguinea, devido a uma variedade de fatores, como TRANSTORNOS DE PROTEÍNAS DE COAGULAÇÃO, TRANSTORNOS PLAQUETÁRIOS, TRANSTORNOS DAS PROTEÍNAS SANGUÍNEAS ou condições nutricionais.Antitrombina III: Glicoproteína alfa 2 plasmática responsável pela maior parte da atividade antitrombina no plasma normal e que também inibe várias outras enzimas. É membro da família das serpinas.Inibidores da Agregação de Plaquetas: Drogas ou agentes que antagonizam ou prejudicam qualquer mecanismo que conduz à agregação plaquetária, seja durante as fases de ativação e mudança de forma, seja seguindo a reação de liberação de grânulos densos e estimulação do sistema prostaglandina-tromboxana.Pacientes Internados: Pessoas admitidas em instalações de saúde que providenciam comida e alojamento, com o propósito de observação, cuidados, diagnóstico ou tratamento.Anticorpos Antifosfolipídeos: Autoanticorpos dirigidos contra fosfolipídeos. Estes anticorpos são caracteristicamente encontrados em pacientes com LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO, SÍNDROME ANTIFOSFOLIPÍDICA, doenças autoimunes relacionadas, algumas doenças não autoimunes, e também em indivíduos saudáveis.Terapia Trombolítica: Utilização de infusões de FIBRINOLÍTICOS para destruir ou dissolver trombos nos vasos sanguíneos, ou contornar enxertos.Método Duplo-Cego: Método de estudo sobre uma droga ou procedimento no qual ambos, grupos estudados e investigador, desconhecem quem está recebendo o fator em questão. (Tradução livre do original: Last, 2001)Nadroparina: Fração de heparina com peso molecular médio de 4500 daltons. É isolada a partir da heparina da mucosa suína e é utilizada como agente antitrombótico. (Tradução livre do original: Merck Index, 11th ed)Fatores Etários: Idade como um elemento ou influência que contribui à produção de um resultado. Pode ser aplicável à causa ou efeito de uma circunstância. É usado com os conceitos humano e animal, mas devem ser diferenciados de ENVELHECIMENTO, um processo fisiológico, e FATORES DE TEMPO que se refere somente ao transcurso do tempo.Hospitais com 300 a 499 LeitosEsquema de Medicação: Esquema de tempo para administração de um medicamento para se obter efetividade e conveniência ótimas.PolissacarídeosFlebite: Inflamação de uma veia, frequentemente uma veia da perna. A flebite associada com coágulo de sangue é chamada TROMBOFLEBITE.Procedimentos Ortopédicos: Procedimentos utilizados para tratar e corrigir deformidades, doenças e lesões do SISTEMA MUSCULOSQUELÉTICO, articulações e estruturas associadas.Fidelidade a Diretrizes: Concordância no cumprimento ou seguimento oficial, reconhecidos, ou exigências institucionais, diretrizes, recomendações, protocolos, caminhos e outras padronizações.Coagulação Intravascular Disseminada: Distúrbio caracterizado pela entrada de substâncias pró-coagulantes na circulação geral, o que causa um processo trombótico sistêmico. A ativação dos mecanismos de coagulação pode se originar de qualquer um dos inúmeros distúrbios. A maioria dos pacientes manifesta lesões na pele, que em alguns casos levam à PÚRPURA FULMINANTE.Sulfimpirazona: Droga uricosúrica usada para reduzir os níveis séricos de urato na terapia da gota. Não possui propriedade anti-inflamatória, analgésica e diurética.MorfolinasTrombina: Enzima formada da PROTROMBINA que converte FIBRINOGÊNIO em FIBRINA.Síndrome de Klippel-Trenaunay-Weber: Transtorno congênito caracterizado por uma tríade de malformações capilares (HEMANGIOMA), malformações venosas (FÍSTULA ARTERIOVENOSA), e hipertrofia de tecido mole ou ósseo do membro. Esta síndrome é causada por mutações no gene VG5Q que codifica um forte estimulador angiogênico.Hemorragia Pós-Operatória: Hemorragia seguida a qualquer procedimento cirúrgico. Pode ser imediata ou tardia e não se restringe ao ferimento cirúrgico.Morte Súbita: Cessação súbita de todas as funções vitais do corpo, manifestada pela perda permanente e total das funções cerebral, respiratória e cardiovascular.Tomografia Computadorizada por Raios X: Tomografia utilizando transmissão por raio x e um computador de algoritmo para reconstruir a imagem.Cateterismo Venoso Central: Colocação de um CATETER intravenoso na veia subclávia, jugular ou outra veia central.Artéria Pulmonar: Vaso curto e calibroso que se origina do cone arterial do ventrículo direito e transporta sangue venoso para os pulmões.Benzimidazóis: Compostos com um BENZENO ligado aos IMIDAZÓIS.Fibrinogênio: Glicoproteína plasmática coagulada pela trombina, composta por um dímero de três pares de cadeias polipeptídicas não idênticas (alfa, beta e gama) mantidas juntas por pontes dissulfeto. A coagulação do fibrinogênio é uma mudança de sol para gel envolvendo arranjos moleculares complexos; enquanto o fibrinogênio é lisado pela trombina para formar polipeptídeos A e B, a ação proteolítica de outras enzimas libera diferentes produtos de degradação do fibrinogênio.Benzilaminas: Toluenos em que um hidrogênio do grupo metil está substituído por um grupo amino. São autorizados nesta classificação quaisquer substitutos no anel benzeno ou no grupo amino.Síndrome Pós-Flebítica: Afecção caracterizada por um membro cronicamente inchado, frequentemente uma perna com dermatite com estase e ulcerações. Esta síndrome pode aparecer logo após a flebite ou anos mais tarde. A síndrome pós-flebítica é o resultado de valvas venosas danificadas ou incompetentes, nos membros. Varizes tortuosas e distendidas geralmente estão presentes. A dor na perna pode aparecer após longo período em pé.AzetidinasValor Preditivo dos Testes: O valor preditivo de um teste diagnóstico é a probabilidade de um resultado positivo (ou negativo) corresponder a um indivíduo doente (ou não doente). Depende da sensibilidade e especificidade do teste (adaptação e tradução livre do original: Last, 2001)Dispositivos Intrauterinos Medicados: Dispositivos intrauterinos que liberam agentes contraceptivos.Embolia Intracraniana: Bloqueio de um vaso sanguíneo no CRÂNIO por um ÊMBOLO que pode ser um coágulo sanguíneo (TROMBO) ou outro material indissolúvel na corrente sanguínea. A maioria dos êmbolos é de origem cardíaca e está associada com CARDIOPATIAS. Geralmente outras fontes de êmbolos não cardíacos estão associadas com DOENÇAS VASCULARES.Evolução Fatal: Morte resultante da presença de uma doença em um indivíduo, como mostrado por um único caso relatado ou um número limitado de pacientes. Deve ser diferenciado de MORTE, a interrupção fisiológica da vida e de MORTALIDADE, um conceito epidemiológico ou estatístico.Deficiência do Fator V: Proacelarina: um material lábil ao calor e ao armazenamento, presente no plasma, porém não no soro, que funciona tanto na via intrínseca quanto na extrínseca da coagulação sanguínea. Deficiência deste fator, um caráter recessivo autossômico, leva a uma tendência hemorrágica rara, conhecida como doença de Owren ou paraemofilia, que varia grandemente em gravidade. (Dorland, 28a ed)Fibrinopeptídeo A: Duas pequenas cadeias peptídicas removidas do terminal amina das cadeias alfa do fibrinogênio pela ação da trombina durante o processo de coagulação sanguínea. Cada cadeia peptídica contém 18 resíduos aminoácidos. In vivo, o fibrinopeptídeo A é utilizado como um marcador para determinar a taxa de conversão do fibrinogênio em fibrina pela trombina.Angiografia: Radiografia dos vasos sanguíneos após injeção de um meio de contraste.Hemostasia: Processo que estanca espontaneamente o fluxo de SANGUE de vasos que conduzem sangue sob pressão. É realizado pela contração dos vasos, adesão e agregação dos elementos sanguíneos formados (p. ex., AGREGAÇÃO ERITROCÍTICA) e o processo de COAGULAÇÃO SANGUÍNEA.Anticoncepcionais Orais Hormonais: Anticoncepcionais orais que devem sua eficácia às preparações hormonais.Sistema de Registros: Sistemas e processos relativos ao estabelecimento, manutenção, administração e operação de registros e cadastros como por exemplo, registros de doenças.Embolia: Bloqueio de um vaso sanguíneo por um êmbolo que pode ser um coágulo de sangue ou outro material indissolúvel na corrente sanguínea.Estados UnidosTerapia de Reposição de Estrogênios: Uso em mulheres de agentes hormonais com atividade semelhante ao do estrogênio na pós-menopausa ou outra deficiência de estrogênio para aliviar os efeitos da deficiência hormonal, como sintomas vasomotores, DISPAREUNIA e desenvolvimento progressivo de OSTEOPOROSE. Pode também incluir o uso de agentes progestacionais em terapia combinada.Razão de Chances: É uma aproximação do risco relativo, característica de estudos de casos e controles, dada pela proporção entre a probabilidade de adoecer e não adoecer mediante a exposição e não exposição ao fator de risco em estudo.Cardiopatias: Afecções que envolvem o CORAÇÃO, inclusive anomalias estruturais e funcionais.Pletismografia de Impedância: Registro de alterações na impedância elétrica entre eletrodos colocados em lados opostos de uma parte do corpo, como medida de alteração de volume no trajeto da corrente. (Stedman, 25a ed)Modelos de Riscos Proporcionais: Modelos estatísticos usados na análise de sobrevivência que estabelecem que o efeito dos fatores de estudo no índice de risco da população em estudo é multiplicativo e não muda no transcurso do tempo.Comorbidade: Presença de doenças coexistentes ou adicionais com relação ao diagnóstico inicial ou com relação à doença índice que é o objetivo do estudo. A comorbidade pode afetar o desempenho de indivíduos afetados e até mesmo a sua sobrevivência. Pode ser usado como um indicador prognóstico para a duração da hospitalização, fatores de custos e de melhoria ou sobrevivência.Anestesia por Condução: Injecção de um anestésico nos nervos para inibir a transmissão nervosa em determinada parte do corpo.Modelos Logísticos: Modelos estatísticos de risco de um indivíduo (probabilidade de contrair uma doença) em função de um dado de fator de risco. O modelo logístico é um modelo linear para a logística (logaritmo natural dos fatores de risco) da doença como função de um fator quantitativo e é matematicamente equivalente ao modelo logístico.Átrios do Coração: Câmaras do coração às quais o SANGUE circulante retorna.Aeronaves: Estrutura que transporta carga para navegação pelo ar que é apoiada por sua própria flutuabilidade ou pela ação dinâmica do ar contra suas superfícies. (Tradução livre do original: Webster, 1973)Deambulação Precoce: Procedimento realizado com o objetivo de acelerar a capacidade de um paciente para caminhar ou se mover, diminuindo o tempo de DEAMBULAÇÃO. Caracterizado por um tempo de hospitalização (ou de permanência no leito) menor que o praticado normalmente.Proteína S: Cofator dependente de vitamina K da PROTEÍNA C ativada. Juntamente com a proteína C, inibe a ação dos fatores VIIIa e Va. A DEFICIÊNCIA DE PROTEÍNA S pode levar à trombose venosa e arterial recorrente.Doença Crônica: Doenças que têm uma ou mais das seguintes características: são permanentes, deixam incapacidade residual, são causadas por alteração patológica não reversível, requerem treinamento especial do paciente para reabilitação, pode-se esperar requerer um longo período de supervisão, observação ou cuidado.Estimativa de Kaplan-Meier: Método não paramétrico de compilação de TÁBUAS DE VIDA ou tábuas de sobrevivência. Combina as probabilidades calculadas de sobrevida e as estimativas para permitir que as observações ocorram além de um limiar, assumido randomicamente. Os intervalos de tempo são definidos como final de cada tempo de um evento, sendo portanto desigual. (Tradução livre do original: Last, A Dictionary of Epidemiology, 1995)Ácidos PipecólicosEtinilestradiol: ESTRADIOL alquilado semi-sintético com uma substituição 17-alfa-etinil. Possui alta potência estrogênica quando administrado oralmente e frequentemente é utilizado como componente estrogênico em ANTICONCEPCIONAIS ORAIS.Quimioprevenção: Uso de compostos químicos para impedir o desenvolvimento de uma doença específica.Análise Multivariada: Conjunto de técnicas usadas quando a variação em diversas variáveis deve ser estudada simultaneamente. Em estatística, a análise multivariada se interpreta como qualquer método analítico que permita o estudo simultâneo de duas ou mais variáveis dependentes. Análise e interpretação das inter-relações entre três ou mais variáveis.Gravidez: Estado durante o qual os mamíferos fêmeas carregam seus filhotes em desenvolvimento (EMBRIÃO ou FETO) no útero (antes de nascer) começando da FERTILIZAÇÃO ao NASCIMENTO.Prevalência: Número total de casos de uma dada doença em uma população especificada num tempo designado. É diferenciada de INCIDÊNCIA, que se refere ao número de casos novos em uma população em um dado tempo.Noretinodrel: Hormônio progestacional sintético com ações e usos semelhantes aos da PROGESTERONA. Tem sido utilizado no tratamento do sangramento uterino funcional e endometriose. Como anticoncepcional, geralmente tem sido administrado em combinação com o MESTRANOL.JapãoAutopsia: Exame "postmortem" do corpo.Hemorragias Intracranianas: Sangramento dentro do CRÂNIO, inclusive hemorragias no encéfalo e nas três membranas das MENINGES. A perda de sangue frequentemente leva à formação de HEMATOMA nos espaços epidural craniano, subdural e subaracnóideo.Síndrome do Nó Sinusal: Afecção causada por disfunções relacionadas com o NÓ SINOATRIAL, inclusive geração de impulso (PARADA SINUSAL CARDÍACA) e condução de impulso (saída do bloqueio sinoatrial). Caracteriza-se por BRADICARDIA persistente, FIBRILAÇÃO ATRIAL crônica, e falência para retomar o ritmo do seio após CARDIOVERSÃO. Esta síndrome pode ser congênita ou adquirida, particularmente depois de correção cirúrgica para cardiopatias.Tromboplastina: Constituinte composto de proteína e fosfolípide que é largamente distribuído em muitos tecidos. Serve como cofator com o fator VIIa para ativar o fator X na via extrínseca da coagulação sanguínea.Veia Cava Inferior: Tronco venoso que recebe sangue das extremidades inferiores dos órgãos abdominais e pélvicos.Análise de Sobrevida: Procedimentos estatísticos pra estimar a curva de sobrevivência de população mediante tratamentos, fatores de prognóstico, de exposição ou outras variáveis. (Tradução livre do original: Last, 2001)Valva Mitral: Válvula localizada entre o átrio esquerdo e o ventrículo esquerdo do coração.MassachusettsTrombose do Seio Sagital: Formação ou presença de um coágulo sanguíneo (TROMBO) no SEIO SAGITAL SUPERIOR ou seio sagital inferior. A trombose do seio sagital pode resultar de infecções, transtornos hematológicos, TRAUMA CRANIOCEREBRAL e PROCEDIMENTOS NEUROCIRÚRGICOS. Entre as características clínicas estão relacionadas principalmente ao aumento de pressão intracraniana, causando CEFALEIA, NÁUSEA, e VÔMITOS. Casos graves podem evoluir para CONVULSÕES ou COMA.Procedimentos Cirúrgicos Eletivos: Cirurgia que poderia ser adiada ou não ser realizada sem perigo ao paciente. A cirurgia eletiva inclui procedimentos para corrigir problemas médicos que não ameaçam a vida e também para aliviar afecções causadoras de estresse psicológico ou outro risco potencial a pacientes, por exemplo, cirurgia estética ou contraceptiva.DinamarcaProgestinas: Compostos que interagem com RECEPTORES DE PROGESTERONA em tecidos alvos para provocar os efeitos semelhantes aos da PROGESTERONA. As principais ações das progestinas incluem esteroides naturais e sintéticos que estão no ÚTERO e na GLÂNDULA MAMÁRIA na preparação e manutenção da GRAVIDEZ.Fraturas do Quadril: Fraturas de CABEÇA DO FÊMUR, COLO DO FÊMUR (FRATURAS DO COLO FEMORAL), trocânteres ou das regiões inter ou subtrocantéricas. Estão excluídas as fraturas do acetábulo e do eixo femoral abaixo da região subtrocantérica (FRATURAS DO FÊMUR).Prevenção Terciária: 1) Medidas que visam fornecer serviços de apoio e reabilitação para minimizar a morbidade e maximizar a qualidade de vida depois de uma doença ou lesão de longa duração. (MeSH) 2) Prevenção da invalidez ou reabilitação dos enfermos.Doenças das Valvas Cardíacas: Afecções que envolvem quaisquer das várias VALVAS CARDÍACAS e as estruturas associadas (MÚSCULOS PAPILARES e CORDAS TENDINOSAS).Medicina Baseada em Evidências: Abordagem da prática médica que tem o objetivo de melhorar e avaliar o cuidado com o paciente. Necessita de integração crítica das melhores evidências em pesquisa com os valores dos pacientes para tomar decisão sobre cuidado médico. Este método é usado para auxiliar os médicos a fazer diagnósticos apropriados, construir a melhor bateria de testes, escolher o melhor tratamento e metodologia para a prevenção de doença, bem como desenvolver orientações para grupos grandes de pacientes com a mesma doença. (Tradução livre do original: JAMA 296 (9), 2006)Prevenção Primária: Práticas específicas para a prevenção de doenças ou distúrbios mentais em indivíduos ou populações suscetíveis. Incluem a PROMOÇÃO DA SAÚDE, incluindo a saúde mental, procedimentos preventivos, como CONTROLE DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS, e monitoramento e regulação de POLUENTES AMBIENTAIS. A prevenção primária deve ser distinguida da PREVENÇÃO SECUNDÁRIA e da PREVENÇÃO TERCIÁRIA.Trombocitopenia: Nível subnormal de PLAQUETAS.Veia Poplítea: Veia formada pela união das veias tibial anterior e posterior. Corre através da fossa poplítea e continua-se como veia femoral.Marcadores Biológicos: Parâmetros biológicos mensuráveis e quantificáveis (p. ex., concentração específica de enzima, concentração específica de hormônio, distribuição fenotípica de um gene específico em uma população, presença de substâncias biológicas) que servem como índices para avaliações relacionadas com a saúde e com a fisiologia, como risco para desenvolver uma doença, distúrbios psiquiátricos, exposição ambiental e seus efeitos, diagnóstico de doenças, processos metabólicos, abuso na utilização de substâncias, gravidez, desenvolvimento de linhagem celular, estudos epidemiológicos, etc.Probabilidade: O estudo dos processos de chance ou a relativa frequência que caracteriza os processos de chance.Procedimentos Cirúrgicos Operatórios: Operações conduzidas para correção de deformidades e defeitos, reparos de lesões e diagnóstico e cura de certas doenças.Cardiopatia Reumática: Manifestação cardíaca de afecções reumatológicas sistêmicas, como a FEBRE REUMÁTICA. A cardiopatia reumática pode envolver qualquer parte do coração, mais frequentemente as VALVAS CARDÍACAS e o ENDOCÁRDIO.Extremidade Inferior: Região do membro inferior nos animais que se estende da região glútea até o PÉ, incluindo as NÁDEGAS, o QUADRIL e a PERNA.Tempo de Sangramento: Duração do fluxo sanguíneo após perfuração da pele. Este teste é utilizado como uma medida dos capilares e função plaquetária.Bioprótese: Prótese, geralmente da válvula cardíaca, composta de material biológico cuja durabilidade depende da estabilidade do material após o pré-tratamento, e não da regeneração pelas células do hospedeiro. A durabilidade é adquirida 1) mecanicamente pela interposição de um tecido, geralmente politetrafluoroetileno, entre o hospedeiro e o enxerto, e 2) quimicamente pela estabilização do tecido por ligação intermolecular, normalmente com glutaraldeído, após a remoção de componentes antigênicos, ou o uso de biopolímeros reconstituídos e reestruturados.Função do Átrio Esquerdo: Ação hemodinâmica e eletrofisiológica do ÁTRIO ESQUERDO.Tempo de Lise do Coágulo de Fibrina: Medida do tempo necessário para a FIBRINÓLISE ocorrer.Hiper-Homocisteinemia: Afecção na qual os níveis plasmáticos de homocisteína e metabólitos relacionados estão elevados (acima de 13,9 micro mol por litro). A hiper-homocisteinemia pode ser familiar ou adquirida. O desenvolvimento de hiper-homocisteinemia está, na maioria das vezes, associada com a deficiência de vitamina B ou de folato (exemplo: ANEMIA PERNICIOSA, má absorção de vitamina). A hiper-homocisteinemia familiar frequentemente resulta em uma elevação mais grave da homocisteína total e sua excreção na urina, resultando em HOMOCISTINÚRIA. A hiper-homocisteinemia é um fator de risco para doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, fraturas osteoporóticas e complicações durante a gestação.Fibrina: Proteína derivada do FIBRINOGÊNIO na presença de TROMBINA, que forma parte do coágulo sanguíneo.Prognóstico: Predição do provável resultado de uma doença baseado nas condições do indivíduo e no curso normal da doença como observado em situações semelhantes.Hemorragia Intracraniana Traumática: Sangramento dentro do CRÂNIO induzido por lesões traumáticas penetrantes e não penetrantes, inclusive hemorragias nos tecidos do CÉREBRO, TRONCO ENCEFÁLICO e CEREBELO, como nos espaços epidural, subdural e subaracnóideos das MENINGES.beta-Tromboglobulina: Proteína específica de plaquetas liberada quando as mesmas se agregam. Níveis plasmáticos elevados têm sido relatados após a trombose venosa profunda, pré-eclâmpsia, infarto miocárdico com trombose mural e distúrbios mieloproliferativos. A dosagem de beta-tromboglobulina em fluidos biológicos por radioimunoensaio é utilizada para o diagnóstico e avaliação de distúrbios tromboembolíticos.Hipertensão Pulmonar: Aumento da RESISTÊNCIA VASCULAR na CIRCULAÇÃO PULMONAR, geralmente secundária a CARDIOPATIAS ou PNEUMOPATIAS.Pernas: Parte mais baixa, na extremidade inferior, entre o JOELHO e o TORNOZELO.Talidomida: Piperidinil isoindol originalmente introduzido como um hipnótico não barbitúrico, mas foi retirado do mercado devido aos seus efeitos teratogênicos. Foi reintroduzido e utilizado em vários distúrbios imunológico e inflamatório. A talidomida apresenta atividade imunossupressora e antiangiogênica. Inibe a liberação do FATOR DE NECROSE TUMORAL - ALFA dos monócitos e modula a ação de outra citocina.Micropartículas Derivadas de Células: Vesículas de membranas extracelulares geradas pelo desprendimento de vesículas apicais da MEMBRANA CELULAR.

*  Degeneração mixomatosa - Wikipedia

Infartos sistêmicos por tromboembolia. Arritmias atriais ou ventriculares. A insuficiência mitral pode ser corrigida ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Degeneração_mixomatosa

*  Embolia pulmonar - Wikipedia

Recomendações para o manejo da tromboembolia pulmonar, 2010» (PDF). Jornal Brasileiro de Pneumologia. 36 (supl. 1): S1-S68. ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Embolia_pulmonar

*  Trombose venosa profunda - Wikipedia

Tromboembolismo venoso ou tromboembolia venosa é a ocorrência da trombose venosa profunda com embolia pulmonar. A doença ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Trombose_venosa_profunda

*  Tomás Balduíno - Wikipedia

O religioso morreu em decorrência de uma tromboembolia pulmonar no dia 2 de maio de 2014. O corpo de d. Tomás Balduíno foi ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Tomás_Balduíno

*  Medicina nuclear - Wikipedia

... é a tromboembolia pulmonar. A parte de perfusão é uma avaliação do fluxo sanguíneo por todo o pulmão, ou seja, se há obstruções ... nos vasos, como em casos de tromboembolia pulmonar. Ela é efetuada pela injeção de aglomerados de albumina marcados com ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Medicina_nuclear

*  Trombose - Wikipedia

Tromboembolia seria o termo usado para descrever tanto a trombose quanto sua complicação que seria o embolismo. Já os coágulos ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Trombose

*  Carmen Silva (cantora) - Wikipedia

Carmen morreu em São Paulo em 26 de setembro de 2016, vítima de uma parada cardíaca provocada por tromboembolia. 1969: Adeus ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Carmen_Silva_(cantora)

*  Sagrado da Birmânia - Wikipedia

Suas consequencias são edema pulmonar, tromboembolia sistêmica (coágulos de sangue), arritmia cardíaca, desmaio, arroxeamento ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Sagrado_da_Birmânia

*  Drospirenona - Wikipedia

... efeitos que incluem sequelas da tromboembolia, tais como danos cerebrais irreversíveis, paralisia, cegueira, e até mesmo a ... abril de 2012 a FDA informou que contraceptivos contendo drospirenona podem estar associados a mais alto risco de tromboembolia ... anticoncepcionais contendo drospirenona têm um risco seis a sete vezes maior de desenvolver tromboembolismo ou tromboembolia ( ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Drospirenona

*  Cancro da mama - Wikipedia

... mas aumentam o risco de tromboembolia e cancro endometrial. É uma opção disponível para prevenção do cancro da mama em mulheres ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Cancro_da_mama

*  Histórias da Casa Branca: nos 67 anos de Hillary Rodham Clinton > TVI24

A mais que provável nomeada presidencial democrata para 2016 completa este domingo mais um aniversário. No próximo deverá estar «sediada» no Iowa
tvi24.iol.pt/internacional/iol-push/historias-da-casa-branca-nos-67-anos-de-hillary-rodham-clinton

*  BuenoVidades: Sem sono...

A frase que mais fez sentido pra mim até hoje é "Só sei que nada sei"... Quanto mais se planeja, mais você acredita que nem sempre o plano B, C ou D vão dar realmente certo. A vida segue normalmente até que o destino resolve brincar um pouquinho. Então só se consegue pedir a Deus sabedoria, mas a ansiedade é tanta, que a sabedoria acaba ficando em último plano. Acho que temos muita pressa em viver, o mundo é tão grande e tão pequeno ao mesmo tempo, tão cheio e tão vazio, há muito o que viver, o que escolher. ...
buenovidades.blogspot.com/2011/04/sem-sono.html

Angiografia pulmonar: Angiografia pulmonar (ou arteriografia pulmonar) é um procedimento medico cardiológico. Neste procedimento é utilizado raios-x sobre os vasos sanguíneos pulmonares para detectar malformações arteriovenosas.Anticoagulante: Os anticoagulantes são os fármacos usados para prevenir a formação de trombos sanguíneos. O sangue fora das veias sofre um processo chamado de coagulação, no qual aglomera os elementos figurados (sólidos) para impedir o vazamento do mesmo.Heparina de baixo peso molecular: Heparina de baixo peso molecular é uma classe de medicamentos usada como anticoagulante em doenças que apresentam trombose, assim como profilaxia em situações que levam a um alto risco de trombose.Trombofilia: Trombofilia ou hipercoagulabilidade é a propensão de desenvolver trombose (coágulos sanguíneos) devido a uma anomalia no sistema de coagulação.Flegmasia: Flegmasia é o termo habitualmente usado para descrever o importante edema e dor nos membros inferiores em casos de tromboses venosas profundas que atingem as veias ilíacas e mesmo a veia cava inferior.VarfarinaDímero D: A determinação do dímero D no sangue auxilia no diagnóstico da trombose venosa profunda.Incidência: Usada em estatística e em epidemiologia, a Incidência pode referir-se a:Trombo: Trombo é uma coagulação de sangue no interior do vaso sanguíneo. Ocorre pela agregação plaquetária, diferente do coágulo, que ocorre pela formação de polímeros de fibrinogênio (fibrina).Fibrilação auricularCurativoFlebografiaDesogestrel: Desogestrel é o nome do fármaco (ou substância ativa) usado em contraceptivos hormonais de 3ª geração. Se trata de uma forma sintética do hormônio progesterona.Heparina: Heparina é um polissacarídeo polianiônico sulfatado pertencente à familía dos glicosaminoglicanos.É composta por unidades dissacarídeas repetidas compostas por ácido urônico e um açúcar aminado.DrospirenonaInibidor direto do fator Xa: Os inibidores diretos do fator Xa, conhecidos como "xabans", são uma nova classe de fármacos antitrombóticos que agem diretamente sobre o Fator X na cascata da coagulação, sem o uso de antitrombina como mediador.Levonorgestrel: Levonorgestrel (L-norgestrel ou D-norgestrel) é um fármaco usado em contraceptivos hormonais de 2ª geração. É um tipo de progesterona sintética.Contraceptivo oral: Contraceptivos orais são substâncias químicas administradas pela boca para inibir a fertilidade normal da mulher. Existem diferentes classes de contraceptivos orais:Wallace & Gromit: The Wrong TrousersSpitz (Baixa Áustria): Spitz é um município da Áustria localizado no distrito de Krems-Land, no estado de Baixa Áustria.Gestodeno: Gestodeno é um agente progestógeno derivado da 19-nortesterona que apresenta efeito androgênico reduzido, antimineralocorticóide parcial, ação diurética e não tem efeito estrogênico.Deficiência de antitrombina III: Deficiência de antitrombina III é uma rara doença genética que geralmente aparece quando o paciente sofre trombose venosa recorrentes e embolismo pulmonar. Isto foi descrito inicialmente por Egeberg, em 1965.Injeção subcutâneaDrotrecogina alfa: A drotregogina ou drotrecogin alfa ativada é um fármaco utilizado como fibrinolítico inibindo o inativador do plasminogénio. Tem também uma ação anti-inflamatória.Ácido acetilsalicílicoDeferiprona: Deferiprona é fármaco usado como agente quelante do ferro. É usado no tratamento de talassemia.Michael RennieEcocardiografia: A ecocardiografia ou ecocardiograma com Doppler abrange os métodos de diagnóstico da estrutura e do funcionamento do coração baseados no uso de ultrassom, ou seja, as ondas acústicas com frequência de mais de 20 mil Hz (ciclos por segundo), geralmente em torno de 2 a 4 MegaHertz (MHz). Este exame é frequentemente empregado na avaliação dos pacientes com sopro cardíaco, sintomas de palpitação, síncope, falta de ar, dor torácica ou portadores de diversas doenças cardíacas como doenças do músculo cardíaco (infarto do miocárdio, miocardiopatias), insuficiência cardíaca, doenças das valvas, anomalias congênitas, entre outras.Caso-controle: Em epidemiologia, caso-controle ou caso-controlo é definido como uma forma de pesquisa observacional, longitudinal, em geral retrospectivo e analítico em que se compara dois grupos expostos a um determinado fator, o primeiro de indivíduos com determinada condição (p.e.Tempo de tromboplastina parcial ativada: Tempo de tromboplastina parcialmente ativada também conhecida pelas siglas KTTP, PPT, TTPA ou TTPa, é um exame laboratorial que avalia a eficiência da via intrínseca na medição da formação do coágulo de fibrina.Acidente vascular cerebralSíndrome do anticorpo antifosfolipídeo: (ILDS D68.810)Veia femoral: No corpo humano, a veia femoral é um vaso sanguíneo que acompanha a artéria femoral. Ela inicia no canal adutor (também conhecido como canal de Hunter) e é uma continuação da veia poplítea.Coagulopatia: O termo coagulopatia refere-se, de uma maneira geral, à distúrbios da coagulação sanguínea.Antitrombina: Antitrombina (ou antitrombina III, abreviada como AT-III) é uma pequena molécula que desativa várias enzimas da coagulação, é um inibidor da coagulação agindo neutralizando a trombina. É uma glicoproteína formada por uma cadeia de 432 aminoácidos com um peso molecular de 58 kDa (kilodaltons) produzida no fígado.Antiagregante plaquetar: Os Antiplaquetares são os fármacos usados para evitar a activação e agregação das plaquetas e formação de trombos arteriais.


venosa


  • Tromboembolismo venoso ou tromboembolia venosa é a ocorrência da trombose venosa profunda com embolia pulmonar. (wikipedia.org)
  • Durante a consulta médica especifique se tem história familiar de trombose venosa, tromboembolia, enfarte do miocárdio e cancro da mama. (121doc.com)
  • Uma nova classe de anticoagulantes foi testada e aprovada nos últimos anos para tratamento da tromboembolia venosa. (drpereira.com.br)

risco de tromboembolia


  • Em abril de 2012 a FDA informou que contraceptivos contendo drospirenona podem estar associados a mais alto risco de tromboembolia. (wikipedia.org)
  • Ideal para quem tem risco de tromboembolia, como as fumantes. (wordpress.com)

pulmonar


  • O religioso morreu em decorrência de uma tromboembolia pulmonar no dia 2 de maio de 2014. (wikipedia.org)

Tromboembolismo


  • Mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais contendo drospirenona têm um risco seis a sete vezes maior de desenvolver tromboembolismo ou tromboembolia (trombose e embolia), em comparação com aquelas que não tomam qualquer tipo de pílula anticoncepcional, e duas vezes maior do que as mulheres que tomam pílulas contendo levonorgestrel. (wikipedia.org)