Sistema Renina-Angiotensina: Sistema que regula a PRESSÃO SANGUÍNEA constituído pela RENINA, ANGIOTENSINOGÊNIO, enzima conversora da angiotensina (ver PEPTIDIL DIPEPTIDASE A), ANGIOTENSINA I e ANGIOTENSINA II e angiotensinase. A renina, uma enzima produzida no rim, atua sobre o angiotensinogênio, uma alfa-2 globulina produzida pelo fígado, formando a ANGIOTENSINA I. A enzima conversora da angiotensina contida no pulmão atua sobre a angiotensina I no plasma convertendo-a em ANGIOTENSINA II, um vasoconstritor potente. A angiotensina II causa a contração do MÚSCULO LISO VASCULAR renal e das arteríolas, levando à retenção de sal e água no RIM e aumento da pressão arterial. Além disso, a angiotensina II estimula a liberação de ALDOSTERONA do CÓRTEX SUPRARRENAL, que por sua vez também aumenta a retenção de sal e água no rim. A enzima conversora da angiotensina quebra também a BRADICININA, um vasodilatador potente e componente do SISTEMA CALICREÍNA-CININA.Renina: Endopeptidase altamente específica (Leu-Leu) que produz ANGIOTENSINA I de seu precursor ANGIOTENSINOGÊNIO, levando a uma cascata de reações que elevam a PRESSÃO ARTERIAL e aumentam a retenção de sódio pelo rim no SISTEMA RENINA-ANGIOTENSINA. A enzima fora previamente catalogada como EC 3.4.99.19.Angiotensinogênio: Dependendo da espécie é uma alfa-globulina de 453 aminoácidos. É produzido pelo fígado e secretado na circulação sanguínea. O angiotensinogênio é o precursor inativo das angiotensinas naturais. Nas clivagens de sucessivas enzimas, o angiotensinogênio produz angiotensina I, II e III com aminoácidos numerados de 10, 8, 7, respectivamente.Angiotensina II: Octapeptídeo potente, mas vasoconstritor instável. É produzido da angiotensina I após a remoção de dois aminoácidos ao C-terminal pela ENZIMA CONVERSORA DA ANGIOTENSINA. Difere entre as espécies pelo aminoácido na posição 5. Para bloquear a VASOCONSTRIÇÃO e o efeito de HIPERTENSÃO da angiotensina II, pacientes frequentemente são tratados com INIBIDORES ACE ou com BLOQUEADORES DO RECEPTOR TIPO I DE ANGIOTENSINA II.Peptidil Dipeptidase A: Peptidil-dipeptidase que catalisa a liberação de um dipeptídeo C-terminal, -Xaa-*-Xbb-Xcc, em que nem Xaa nem Xbb é prolina. É uma glicoproteína com zinco, dependente de Cl(-), que geralmente está ligada à membrana e é ativa em pH neutro. Pode também ter atividade endopeptidase sobre alguns substratos. (Tradução livre do original: From Enzyme Nomenclature, 1992) EC 3.4.15.1.Inibidores da Enzima Conversora de Angiotensina: Classe de drogas cujas principais indicações são o tratamento da hipertensão e da insuficiência cardíaca. Exercem seu efeito hemodinâmico principalmente inibindo o sistema renina-angiotensina. Também modulam a atividade do sistema nervoso simpático e aumentam a síntese de prostaglandinas. Provocam principalmente vasodilatação e natriurese leve, sem afetar a velocidade e a contratibilidade cardíaca.Receptor Tipo 1 de Angiotensina: Subtipo de receptor de angiotensina que se expressa em altos níveis em vários tecidos adultos, incluindo o SISTEMA CARDIOVASCULAR, RIM, SISTEMA ENDÓCRINO e SISTEMA NERVOSO. A ativação do receptor tipo 1 de angiotensina provoca VASOCONSTRIÇÃO e retenção de sódio.Angiotensinas: Oligopeptídeos importantes na regulação da pressão arterial (VASOCONSTRIÇÃO) e da homeostase através do SISTEMA RENINA-ANGIOTENSINA. Entre elas estão as angiotensinas que derivam naturalmente do precursor ANGIOTENSINOGÊNIO, e aqueles sintetizados artificialmente.Angiotensina I: Decapeptídeo clivado do precursor angiotensinogênio pela RENINA. A angiotensina I tem atividade biológica limitada. É convertida em angiotensina II, um potente vasoconstritor, após a remoção de dois aminoácidos na extremidade C-terminal pela ENZIMA CONVERSORA DA ANGIOTENSINA.Bloqueadores do Receptor Tipo 1 de Angiotensina II: Agentes que antagonizam o RECEPTOR TIPO 1 DE ANGIOTENSINA II. Estão incluídos os análogos da ANGIOTENSINA II, como a SARALASINA e bifenilimidazóis, como LOSARTAN. Alguns são usados como ANTI-HIPERTENSIVOS.Losartan: Antagonista do RECEPTOR TIPO I DE ANGIOTENSINA com atividade anti-hipertensiva, devido à redução do efeito pressor da ANGIOTENSINA II.Receptores de Angiotensina: Proteínas de superfície celular que se ligam às ANGIOTENSINAS e disparam alterações intracelulares influenciando o comportamento das células.Captopril: Potente e específico inibidor da PEPTIDIL DIPEPTIDASE A. Bloqueia a conversão da ANGIOTENSINA I em ANGIOTENSINA II, um vasoconstritor e importante regulador da pressão arterial. O captopril atua suprimindo o SISTEMA RENINA-ANGIOTENSINA e inibe respostas pressóricas à angiotensina exógena.Antagonistas de Receptores de Angiotensina: Agentes que antagonizam os RECEPTORES DE ANGIOTENSINA. Muitas drogas desta classe são dirigidas especificamente ao RECEPTOR TIPO 1 DE ANGIOTENSINA.Receptor Tipo 2 de Angiotensina: Subtipo de receptor de angiotensina que se expressa em altos níveis nos tecidos fetais. Muitos efeitos do receptor tipo 2 de angiotensina, como a VASODILATAÇÃO e as perdas de sódio são opostas às do RECEPTOR TIPO 1 DE ANGIOTENSINA.TetrazóisPressão Sanguínea: PRESSÃO do SANGUE nas ARTÉRIAS e de outros VASOS SANGUÍNEOS.Hipertensão: PRESSÃO ARTERIAL sistêmica persistentemente alta. Com base em várias medições (DETERMINAÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL), a hipertensão é atualmente definida como sendo a PRESSÃO SISTÓLICA repetidamente maior que 140 mm Hg ou a PRESSÃO DIASTÓLICA de 90 mm Hg ou superior.Anti-Hipertensivos: Fármacos usados no tratamento da HIPERTENSÃO (aguda ou crônica), independentemente do mecanismo farmacológico. Entre os anti-hipertensivos estão os DIURÉTICOS [especialmente os DIURÉTICOS TIAZÍDICOS (=INIBIDORES DE SIMPORTADORES DE CLORETO DE SÓDIO)], os BETA-ANTAGONISTAS ADRENÉRGICOS, os ALFA-ANTAGONISTAS ADRENÉRGICOS, os INIBIDORES DA ENZIMA CONVERSORA DA ANGIOTENSINA, os BLOQUEADORES DOS CANAIS DE CÁLCIO, os BLOQUEADORES GANGLIONARES e os VASODILATADORES.Rim: Órgão do corpo que filtra o sangue, secreta URINA e regula a concentração dos íons.Enalapril: Um dos inibidores da enzima conversora da angiotensina utilizada para tratar HIPERTENSÃO e a INSUFICIÊNCIA CARDÍACA.Saralasina: Análogo octapeptídeo da angiotensina II (bovina) com os aminoácidos 1 e 8 substituídos por sarcosina e alanina, respectivamente. É um inibidor competitivo altamente específico da angiotensina II usado no diagnóstico da HIPERTENSÃO.Benzimidazóis: Compostos com um BENZENO ligado aos IMIDAZÓIS.Lisinopril: Um dos INIBIDORES DA ENZIMA CONVERSORA DA ANGIOTENSINA (inibidores da ACE), ativo por via oral que tem sido utilizado no tratamento da hipertensão e insuficiência cardíaca congestiva.Hipertensão Renal: PRESSÃO SANGUÍNEA elevada e persistente devido a NEFROPATIAS, como aquelas envolvendo o parênquima renal, vasculatura renal ou tumores que secretam RENINA.Angiotensina III: Heptapeptídeo formado de ANGIOTENSINA II após remoção de um aminoácido ao N-terminal pela AMINOPEPTIDASE A. A angiotensina III possui a mesma eficácia que ANGIOTENSINA II em promover secreção de ALDOSTERONA e modificar o fluxo sanguíneo, mas menos atividade vasopressora (cerca de 40 por cento).Glutamil Aminopeptidase: Aminopeptidase ligada à membrana dependente de ZINCO que catalisa a clivagem do peptídeo N-terminal do glutamato (e em menor medida do aspartato). A enzima parece desempenhar um papel na via catabólica do SISTEMA RENINA-ANGIOTENSINA.Compostos de BifeniloAldosterona: Hormônio secretado pelo CÓRTEX SUPRARRENAL que regula o equilíbrio de eletrólitos e água aumentando a retenção renal de sódio e a excreção de potássio.Dieta Hipossódica: Dieta que contém muito pouco cloreto de sódio. É prescrita por alguns para hipertensão e estados edematosos. (Dorland, 28a ed)Fumaratos: Composto baseado no ácido fumárico.Imidazóis: Compostos contendo 1,3-diazol, um composto aromático pentacíclico contendo dois átomos de nitrogênio separados por um dos carbonos. Entre os imidazóis quimicamente reduzidos estão as IMIDAZOLINAS e IMIDAZOLIDINAS. Diferenciar do 1,2-diazol (PIRAZÓIS).Teprotida: Nonapeptídeo sintético (Pir-Trp-Pro-Arg-Pro-Gln-Ile-Pro-Pro) idêntico ao do peptídeo do veneno de cobra Bothops jararaca. Atua como inibidor de cininase II e ANGIOTENSINA I e tem sido sugerida como um agente anti-hipertensivo.Ramipril: Inibidor de longa duração da enzima conversora de angiotensina. É uma prodroga transformada no fígado no seu metabólito ativo ramiprilato.Sódio na Dieta: Sódio ou compostos de sódio utilizados na alimentação ou como alimento. O composto utilzado com mais frequência é o cloreto de sódio ou o glutamato sódico.Ratos Sprague-Dawley: Linhagem de ratos albinos amplamente utilizada para propósitos experimentais por sua tranquilidade e facilidade de manipulação. Foi desenvolvida pela Companhia de Animais Sprague-Dawley.Bloqueadores do Receptor Tipo 2 de Angiotensina II: Agentes que antagonizam o RECEPTOR TIPO 2 DE ANGIOTENSINA II.Ratos Endogâmicos SHR: Cepa de Rattus norvegicus com elevada pressão arterial que é utilizada como modelo para estudar hipertensão e derrame.Hipertensão Renovascular: Hipertensão devido à compressão ou OBSTRUÇÃO DA ARTÉRIA RENAL.Enalaprilate: Metabólito ativo do ENALAPRIL e um potente inibidor da enzima conversora da angiotensina, administrado intravenosamente. É um agente efetivo no tratamento da hipertensão essencial e possui efeitos hemodinâmicos benéficos na insuficiência cardíaca. A droga produz vasodilatação renal com um aumento na excreção de sódio.Ratos Endogâmicos WKY: Cepa de Rattus norvegicus utilizada como controle normotensivo para ratos espontaneamente hipertensivos (SHR).Circulação Renal: Circulação do SANGUE através dos vasos do RIM.Hemodinâmica: Movimento e forças envolvidos no movimento do sangue através do SISTEMA CARDIOVASCULAR.RNA Mensageiro: Sequências de RNA que servem como modelo para a síntese proteica. RNAm bacterianos são geralmente transcritos primários pelo fato de não requererem processamento pós-transcricional. O RNAm eucariótico é sintetizado no núcleo e necessita ser transportado para o citoplasma para a tradução. A maior parte dos RNAm eucarióticos têm uma sequência de ácido poliadenílico na extremidade 3', denominada de cauda poli(A). Não se conhece com certeza a função dessa cauda, mas ela pode desempenhar um papel na exportação de RNAm maduro a partir do núcleo, tanto quanto em auxiliar na estabilização de algumas moléculas de RNAm retardando a sua degradação no citoplasma.Nefrectomia: Excisão de um rim.Nefropatias Diabéticas: Lesões no RIM associadas com diabetes mellitus que afetam os GLOMÉRULOS RENAIS, ARTERÍOLAS, TÚBULOS RENAIS e o interstício. Os sinais clínicos incluem PROTEINURIA persistente devido a microalbuminuria que progride para a ALBUMINURIA superior a 300 mg/24h, o que leva a uma TAXA DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR reduzida e FALÊNCIA RENAL CRÔNICA.Valina: Aminoácido essencial de cadeia ramificada que possui atividade estimulante. Promove o crescimento de músculos e reparo de tecidos. É uma precursora da via biossintética da penicilina.Ratos Transgênicos: Ratos de laboratório produzidos por meio de manipulação genética de células germinativas ou de embriões de ratos. Contêm genes de outras espécies.Sistema Nervoso Simpático: Divisão toracolombar do sistema nervoso autônomo. Fibras pré-ganglionares simpáticas se originam nos neurônios da coluna intermediolateral da medula espinhal e projetam para os gânglios paravertebrais e pré-vertebrais, que por sua vez projetam para os órgãos alvo. O sistema nervoso simpático medeia a resposta do corpo em situações estressantes, por exemplo, nas reações de luta e fuga. Frequentemente atua de forma recíproca ao sistema parassimpático.Sistema Justaglomerular: Complexo de células que consiste de células justaglomerulares e mesangiais extraglomerulares, mácula densa do túbulo contorcido distal e de células peripolares epiteliais granulosas. As células justaglomerulares são CÉLULAS MUSCULARES LISAS modificadas encontradas nas paredes das arteríolas glomerulares aferentes e, às vezes, nas eferentes. As células mesangiais extraglomerulares localizam-se no ângulo entre as arteríolas glomerulares aferentes e eferentes. As células peripolares epiteliais granulosas estão localizadas no ângulo de reflexão entre os folhetos parietal e visceral do corpúsculo renal.Nefropatias: Processos patológicos do RIM ou de componentes de seus tecidos.Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sanguíneo.Receptores de Adipocina: Receptores da superfície celular para ADIPOCINAS, citocinas secretadas pelos ADIPÓCITOS.Furosemida: Ácido 5-(aminosulfonil)-4-cloro-2-((furanilmetil)amino)benzoico. Diurético de efeito rápido e curta duração, utilizado em casos de EDEMA e de INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA.Cloreto de Sódio na Dieta: Cloreto de sódio utilizado na alimentação.Ratos Wistar: Linhagem de ratos albinos desenvolvida no Instituto Wistar e que se espalhou amplamente para outras instituições. Este fato diluiu marcadamente a linhagem original.Vasoconstritores: Drogas usadas para causar constrição dos vasos sanguíneos.Hidralazina: Vasodilatador de ação direta utilizado como anti-hipertensivo.Frequência Cardíaca: Número de vezes que os VENTRÍCULOS CARDÍACOS se contraem por unidade de tempo, geralmente por minuto.Perindopril: Inibidor da enzima conversora de angiotensina. É usado em pacientes com hipertensão e insuficiência cardíaca.Proteinúria: Presença de proteínas na urina, um indicador de NEFROPATIAS.Cardiomegalia: Aumento do CORAÇÃO, geralmente indicado por uma proporção cardiotorácica acima de 0,50. O aumento do coração pode envolver os VENTRÍCULOS CARDÍACOS direito, esquerdo ou os ÁTRIOS DO CORAÇÃO. A cardiomegalia é um sintoma não específico observado em pacientes com INSUFICIÊNCIA CARDÍACA ou formas graves de CARDIOMIOPATIAS.Modelos Animais de Doenças: Doenças animais ocorrendo de maneira natural ou são induzidas experimentalmente com processos patológicos suficientemente semelhantes àqueles de doenças humanas. São utilizados como modelos para o estudo de doenças humanas.Sódio: Membro do grupo de metais alcalinos. Possui o símbolo Na, o número atômico 11 e peso atômico 23.Di-Hidralazina: 1,4-Di-Hidrazinoftalazina. Agente anti-hipertensivo com ações e usos similares aos da HIDRALAZINA. (Tradução livre do original: Martindale, The Extra Pharmacopoeia, 30th ed, p354)Amidas: Compostos orgânicos que contêm o radical -CO-NH2. As amidas são derivadas de ácidos pela substituição dos grupos -OH por grupos -NH2 ou então a partir da amônia, pela substituição do H por um grupo acila.Cilazapril: Um dos INIBIDORES DA ENZIMA CONVERSORA DA ANGIOTENSINA (inibidores de ECA) utilizado para o tratamento da hipertensão. É uma prodroga hidrolisada após absorção do seu principal metabólito (cilazaprilat).Albuminúria: Presença de albumina na urina, um indicador de NEFROPATIAS.Glândulas Suprarrenais: Par de glândulas localizadas no polo cranial de cada RIM. Cada glândula adrenal é composta por dois tecidos endócrinos distintos (de origem embrionária diferente); o CÓRTEX ADRENAL produz ESTEROIDES e a MEDULA ADRENAL produz NEUROTRANSMISSORES.Ingestão de Líquidos: Consumo de líquidos.Hipertrofia Ventricular Esquerda: Aumento do VENTRÍCULO ESQUERDO do coração. Este aumento na massa ventricular é atribuído à pressão anormal prolongada ou volume de entrada, e é um fator contribuinte para a morbidade e mortalidade cardiovascular.Animais Geneticamente Modificados: Animais cujo GENOMA foi alterado pela técnica da ENGENHARIA GENÉTICA.Injeções Intraventriculares: Injeções nos ventrículos cerebrais.Taxa de Filtração Glomerular: Volume de água filtrada do plasma através das paredes capilares glomerular nas cápsulas de Bowman (CÁPSULA GLOMERULAR), por unidade de tempo. É considerada equivalente à depuração da INULINA.Anlodipino: Bloqueador de canal de cálcio di-hidropiridínico de longa duração. É eficaz no tratamento da ANGINA PECTORIS e HIPERTENSÃO.Hipotensão: PRESSÃO ARTERIAL anormalmente baixa que pode resultar em fluxo de sangue inadequado para o encéfalo e outros órgãos vitais. O sintoma comum é a VERTIGEM, mas impactos negativos maiores no corpo ocorrem quando há depravação prolongada de oxigênio e nutrientes.Antagonistas de Receptores Adrenérgicos beta 1: Drogas que se ligam a RECEPTORES ADRENÉRGICOS BETA 1 e bloqueiam sua ativação.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.TiazepinasCórtex Renal: Zona mais externa do RIM (abaixo da cápsula), constituída pelos GLOMÉRULOS RENAIS, TÚBULOS RENAIS DISTAIS e TÚBULOS RENAIS PROXIMAIS.Hiperpotassemia: Concentração anormalmente alta de potássio no sangue, mais frequentemente devido à excreção renal defeituosa. Ela é caracterizada clinicamente por anormalidades eletrocardiográficas (ondas T elevadas e ondas P deprimidas e, eventualmente, assistolia atrial). Nos casos graves, pode ocorrer fraqueza e paralisia flácida. (Dorland, 28a ed)Natriurese: Excreção de sódio por MICÇÃO.Estresse Oxidativo: Perturbação no equilíbrio pró-oxidante-antioxidante em favor do anterior, levando a uma lesão potencial. Os indicadores do estresse oxidativo incluem bases de DNA alteradas, produtos de oxidação de proteínas e produtos de peroxidação de lipídeos.Norepinefrina: Precursor da epinefrina, secretado pela medula da adrenal. É um neurotransmissor muito difundido no sistema nervoso central e autonômico. A norepinefrina é o principal transmissor da maioria das fibras simpáticas pós-ganglionares e do sistema de projeção cerebral difusa originária do locus ceruleous. É também encontrada nas plantas e é utilizada farmacologicamente como um simpatomimético.Relação Dose-Resposta a Droga: Relação entre a quantidade (dose) de uma droga administrada e a resposta do organismo à droga.Fibrose: Qualquer afecção em que os tecidos conjuntivos fibrosos invadem qualquer órgão, normalmente como consequência de inflamação ou outra lesão.Polimorfismo Genético: Ocorrência regular e simultânea de dois ou mais genótipos descontínuos em uma única população que está se multiplicando. O conceito inclui diferenças em genótipos variando em tamanho de um local contendo um único nucleotídeo (POLIMORFISMO DE UM ÚNICO NUCLEOTÍDEO) a uma grande sequência de nucleotídeos visível num nível cromossômico.1-Sarcosina-8-Isoleucina Angiotensina II: Análogo da ANGIOTENSINA II que age como inibidor altamente específico do RECEPTOR TIPE 1 DE ANGIOTENSINA.Fator Natriurético Atrial: Potente peptídeo natriurético e vasodilatador ou mistura de PEPTÍDEOS de diferentes tamanhos, baixo peso molecular, derivados de um precursor comum e secretados principalmente pelos ÁTRIOS DO CORAÇÃO. Todos esses peptídeos compartilham uma sequência de aproximadamente 20 AMINOÁCIDOS.Vasoconstrição: Estreitamento fisiológico dos VASOS SANGUÍNEOS por contração do MÚSCULO LISO VASCULAR.Sede: Impulso que vem da necessidade fisiológica de água.Glomérulos Renais: Grupo de capilares enovelados (sustentados pelo tecido conjuntivo) que se iniciam em cada túbulo renal.Quimases: Família de serina-proteases neutras com atividade semelhante a QUIMOTRIPSINA. As quimases são encontradas principalmente nos grânulos secretores de MASTÓCITOS e são liberadas durante a desgranulação dos mastócitos.Insuficiência Cardíaca: Afecção heterogênea em que o coração é incapaz de bombear sangue suficiente para satisfazer as necessidades metabólicas do corpo. A insuficiência cardíaca pode ser causada por defeitos estruturais, anomalias funcionais (DISFUNÇÃO VENTRICULAR), ou uma sobrecarga súbita além de sua capacidade. A insuficiência cardíaca crônica é mais comum que a insuficiência cardíaca aguda que resulta de injúria repentina à função cardíaca, como INFARTO DO MIOCÁRDIO.Tetra-Hidroisoquinolinas: Grupo de ISOQUINOLINAS no qual o anel contendo nitrogênio é protonado. Derivam da condensação não enzimática Pictet-Spengler de CATECOLAMINAS com ALDEÍDOS.Resistência Vascular: Força que se opõe ao fluxo de SANGUE no leito vascular. É igual à diferença na PRESSÃO ARTERIAL através do leito vascular dividido pelo DÉBITO CARDÍACO.Expressão Gênica: Manifestação fenotípica de um gene (ou genes) pelos processos de TRANSCRIÇÃO GENÉTICA e TRADUÇÃO GENÉTICA.Fragmentos de Peptídeos: Proteínas parciais formadas pela hidrólise parcial de proteínas completas ou geradas através de técnicas de ENGENHARIA DE PROTEÍNAS.Guanabenzo: Agonista adrenérgico seletivo alfa-2 utilizado como agente anti-hipertensivo.Obstrução da Artéria Renal: Estreitamento ou oclusão da ARTÉRIA RENAL ou das artérias. Geralmente, devido a ATEROSCLEROSE, DISPLASIA FIBROMUSCULAR, TROMBOSE, EMBOLISMO ou pressão externa. A perfusão renal reduzida pode levar a HIPERTENSÃO RENOVASCULAR.Quimioterapia Combinada: Terapia administrada simultaneamente com duas ou mais preparações diferentes para obter um efeito combinado.Peso Corporal: Massa ou quantidade de peso de um indivíduo, expresso em unidades de quilogramas ou libras.Diuréticos: Agentes que promovem a excreção da urina pelos seus efeitos sobre a função renal.Arginina Vasopressina: Forma predominante do hormônio antidiurético em mamíferos. É um nonapeptídeo contendo ARGININA na posição 8 e duas cisteínas ligadas por ponte dissulfeto nas posições 1 e 6. A Arg-vasopressina é usada para tratar DIABETES INSÍPIDO ou corrigir o tônus vasomotor e a PRESSÃO ARTERIAL.Glomerulonefrite por IGA: Forma crônica de glomerulonefrite caracterizada por depósitos predominantemente de IMUNOGLOBULINA A na área mesangial (MESÂNGIO GLOMERULAR). Os depósitos de COMPLEMENTO C3 e IMUNOGLOBULINA G também são frequentemente encontrados. As características clínicas podem progredir de uma HEMATÚRIA assintomática para uma NEFROPATIA TERMINAL.Fenômenos Fisiológicos Cardiovasculares: Processos e propriedades do SISTEMA CARDIOVASCULAR como um todo, ou qualquer de suas partes.Cães: O cão doméstico (Canis familiaris) compreende por volta de 400 raças (família carnívora CANIDAE). Estão distribuídos por todo o mundo e vivem em associação com as pessoas (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, p1065).Diabetes Mellitus Experimental: Diabetes mellitus induzida experimentalmente pela administração de vários agentes diabetogênicos ou por PANCREATECTOMIA.Sistema Calicreína-Cinina: Sistema de interações metabólicas por meio de produtos formados no néfron distal do RIM. Entre estes produtos estão CALICREÍNA, CININAS, QUININASE I, QUININASE II e ENCEFALINASE. Este sistema participa no controle das funções renais. Interage com o sistema RENINA-ANGIOTENSINA-ALDOSTERONA para regular a PRESSÃO ARTERIAL, produção de PROSTAGLANDINAS, liberação de VASOPRESSINAS e EQUILÍBRIO HIDRO-ELETROLÍTICO.Túbulos Renais Proximais: Porção dos túbulos renais que se estende da CÁPSULA GLOMERULAR (no CÓRTEX RENAL) para dentro da MEDULA RENAL. O túbulo proximal consiste em um segmento contornado proximal no córtex, e um segmento reto distal que se aprofunda na medula, onde forma a ALÇA NEFRÔNICA (em forma de U).Benzoatos: Derivados do ÁCIDO BENZOICO. Sob este descritor está uma ampla variedade de formas de ácidos, sais, ésteres e amidas que contêm a estrutura carboxibenzeno.Pressão Arterial: Pressão sanguínea nas ARTÉRIAS. É comumente medida com um esfingomanômetro na parte superior do braço, que representa a pressão arterial na ARTÉRIA BRAQUIAL.Receptor B2 da Bradicinina: Subtipo de receptor de bradicinina constitutivamente expresso que pode desempenhar um papel na fase aguda da resposta inflamatória e dolorosa. Tem alta especificidade para as formas intactas de BRADICININA e CALIDINA. O receptor está acoplado a proteínas sinalizadoras para PROTEÍNA-G GQ FAMÍLIA ALFA e a PROTEÍNA-G GI-GO FAMÍLIA ALFA.Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sanguínea.Tamanho do Órgão: Medida de um órgão em volume, massa ou peso.Neprilisina: Principal enzima constituinte das membranas de borda em escova do rim, e também está presente em menor grau no encéfalo e outros tecidos. Catalisa preferencialmente a clivagem no grupo amino de resíduos hidrofóbicos da cadeia B da insulina, bem como peptídeos opioides e outros peptídeos biologicamente ativos. A enzima é inibida principalmente por EDTA, fosforamidon, tiorfano, e reativada por zinco. A neprilisina é idêntica ao antígeno comum da leucemia linfoblástica aguda (antígeno CALLA), um marcador importante no diagnóstico da leucemia linfocítica aguda humana. Não há nenhuma afinidade com o gênero CALLA (PLANTA).Órgão Subfornical: Estrutura, situada próximo ao forame intraventricular, que induz o COMPORTAMENTO DE INGESTÃO DE LÍQUIDO após a estimulação com ANGIOTENSINA II.Imidazolidinas: Compostos baseados em IMIDAZOLINAS reduzidas que não contêm ligações duplas no anel.Imuno-Histoquímica: Localização histoquímica de substâncias imunorreativas utilizando anticorpos marcados como reagentes.Tartarato de Pentolínio: Antagonista nicotínico que tem sido usado como agente bloqueador ganglionar na hipertensão.CreatininaNADPH Oxidase: Enzima flavoproteína que catalisa a redução monovalente do OXIGÊNIO usando NADPH como doador de elétron para formar um ânion superóxido. A enzima depende de vários CITOCROMOS. Os defeitos na produção de íons superóxidos por enzimas, como NADPH oxidase resultam em DOENÇA GRANULOMATOSA CRÔNICA.Bradicinina: Mensageiro não peptídico produzido enzimaticamente a partir da CALIDINA no sangue, onde é um potente (porém de meia-vida curta) agente de dilatação arteriolar e de aumento da permeabilidade capilar. A bradicinina também é liberada pelos MASTÓCITOS durante os ataques asmáticos, parede do intestino como vasodilatador gastrointestinal, por tecidos lesados como sinal de dor e pode ser um neurotransmissor.Falência Renal Crônica: Estágio final da INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA. Caracterizada por danos renais graves e irreversíveis (segundo os dados de PROTEINURIA) e pela redução na TAXA DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR para menos que 15 ml por min (Kidney Foundation: Kidney Disease Outcome Quality Initiative, 2002). A condição destes pacientes geralmente exige HEMODIÁLISE ou TRANSPLANTE RENAL.Reação em Cadeia da Polimerase Via Transcriptase Reversa: Variação da técnica de PCR na qual o cDNA é construído do RNA através de uma transcrição reversa. O cDNA resultante é então amplificado utililizando protocolos padrões de PCR.Ratos Endogâmicos: Indivíduos geneticamente idênticos desenvolvidos de cruzamentos entre animais da mesma ninhada que vêm ocorrendo por vinte ou mais gerações ou por cruzamento entre progenitores e ninhada, com algumas restrições. Também inclui animais com longa história de procriação em colônia fechada.Desoxicorticosterona: Metabólito esteroidal que é o derivado 11-desoxi da CORTICOSTERONA e o derivado 21-hidroxi da PROGESTERONA.Cininas: Termo genérico utilizado para descrever um grupo de polipeptídeos com propriedade farmacológicas e estruturas químicas relacionadas que se encontram amplamente distribuídas na natureza. Esses peptídeos são AUTACOIDES que atuam localmente na produção da dor, vasodilatação, aumento da permeabilidade vascular e síntese de prostaglandinas. Além disso, compreendem um subgrupo de numerosos mediadores que contribuem para a resposta inflamatória.Benzazepinas: Compostos com BENZENO ligado a AZEPINAS.Regulação da Expressão Gênica: Qualquer dos processos pelos quais os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influenciam o controle diferencial (indução ou repressão) da ação gênica ao nível da transcrição ou da tradução.Aorta: O principal tronco das artérias sistêmicas.Doenças Cardiovasculares: Afecções que envolvem o SISTEMA CARDIOVASCULAR, incluindo CORAÇÃO, VASOS SANGUÍNEOS ou PERICÁRDIO.Células Cultivadas: Células propagadas in vitro em meio especial apropriado ao seu crescimento. Células cultivadas são utilizadas no estudo de processos de desenvolvimento, processos morfológicos, metabólicos, fisiológicos e genéticos, entre outros.Túbulos Renais: Túbulos longos e contorcidos nos néfrons. Coletam o filtrado do sangue através dos GLOMÉRULOS RENAIS e processando-o para formar a URINA. Cada túbulo renal é formado por CÁPSULA GLOMERULAR, TÚBULO RENAL PROXIMAL, ALÇA NEFRÔNICA, TÚBULO RENAL DISTAL e DUCTO COLETOR RENAL que leva a uma cavidade central do rim (PÉLVIS RENAL) que se conecta ao URETER.Camundongos Knockout: Linhagens de camundongos nos quais certos GENES dos GENOMAS foram desabilitados (knocked-out). Para produzir "knockouts", usando a tecnologia do DNA RECOMBINANTE, a sequência do DNA normal no gene em estudo é alterada para impedir a síntese de um produto gênico normal. Células clonadas, nas quais esta alteração no DNA foi bem sucedida, são então injetadas em embriões (EMBRIÃO) de camundongo, produzindo camundongos quiméricos. Em seguida, estes camundongos são criados para gerar uma linhagem em que todas as células do camundongo contêm o gene desabilitado. Camundongos knock-out são usados como modelos de animal experimental para [estudar] doenças (MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS) e para elucidar as funções dos genes.Genótipo: Constituição genética do indivíduo que abrange os ALELOS presentes em cada um dos LOCI GÊNICOS.FenilpropionatosRemodelação Ventricular: Alterações geométrica e estrutural que os VENTRÍCULOS CARDÍACOS sofrem, geralmente depois de um INFARTO DO MIOCÁRDIO. Compreende a expansão do infarto e dilatação dos segmentos ventriculares saudáveis. Embora a maioria prevaleça no ventrículo esquerdo, também pode ocorrer no ventrículo direito.Camundongos Endogâmicos C57BLPiridinas: Compostos com anel aromático de 6 membros contendo NITROGÊNIO. A versão saturada são as PIPERIDINAS.Análise de Variância: Técnica estatística que isola e avalia a contribuição dos fatores incondicionais para a variação na média de uma variável dependente contínua.Vasopressinas: Hormônios antidiuréticos liberados pela NEUROIPÓFISE de todos os vertebrados (a estrutura varia com a espécie) para regular o equilíbrio hídrico e a osmolaridade. Geralmente a vasopressina é um nonapeptídeo, consistindo em um anel de seis aminoácidos com uma ponte dissulfeto entre as cisteínas 1 e 6, ou um octapeptídeo contendo uma CISTINA. Todos mamíferos têm arginina-vasopressina, exceto o porco, que apresenta uma lisina na posição 8. A vasopressina é um vasoconstritor que atua nos ductos coletores renais, aumentando a reabsorção de água, o volume e a pressão sanguínea.Comportamento de Ingestão de Líquido: Comportamentos associados à ingestão de água e de outros líquidos. Inclui padrões rítmicos de ingestão de líquidos (intervalos de tempo - início e duração), frequência e saciedade.Lipressina: Hormônio antidiurético suíno (VASOPRESSINAS). É um nonapeptídeo cíclico que difere da ARGININA VASOPRESSINA por um aminoácido contendo uma LISINA no resíduo 8 ao invés de uma ARGININA. A lisina-vasopressina é utilizada para tratar DIABETES INSÍPIDO ou corrigir o tono vasomotor e a PRESSÃO ARTERIAL.Valores de Referência: Faixa (ou distribuição de frequências) dos [valores] medidos em uma população (de organismos, órgãos ou coisas) que não foi selecionada para [indicar] a presença de doença ou de anormalidade.Antagonistas Adrenérgicos beta: Fármacos que se ligam aos receptores beta adrenérgicos sem ativá-los, bloqueando assim as ações de agonistas adrenérgicos beta. Os antagonistas adrenérgicos beta são usados no tratamento da hipertensão, arritmias cardíacas, angina pectoris, glaucoma, enxaquecas e ansiedade.Ratos Endogâmicos Dahl: Ratos endogâmicos derivados de ratos Sprague-Dawley utilizados para o estudo de hipertensão dependente de sal. Cepas sensíveis e resistentes ao sal foram seletivamente criadas para apresentar opostas respostas geneticamente determinadas de pressão sanguínea à ingestão de cloreto de sódio em excesso.Células Mesangiais: Células semelhantes às células musculares lisas, aderidas à parede de pequenos vasos sanguíneos (no glomérulo do RIM) e ao longo do polo vascular do glomérulo (no SISTEMA JUSTAGLOMERULAR). São miofibroblastos com propriedades contráteis e fagocíticas. Estas células e sua MATRIZ EXTRACELULAR MESANGIAL constituem o MESÂNGIO GLOMERULAR.Diabetes Mellitus Tipo 2: Subclasse de DIABETES MELLITUS que não é responsiva ou dependente de INSULINA (DMNID). Inicialmente, caracteriza-se por RESISTÊNCIA À INSULINA e HIPERINSULINEMIA e finalmente, por INTOLERÂNCIA À GLUCOSE, HIPERGLICEMIA e obviamente diabetes. O diabetes mellitus tipo 2 não é mais considerado uma doença encontrada exclusivamente em adultos. Os pacientes, raramente desenvolvem CETOSE, porém com frequência exibem OBESIDADE.Telemetria: Transmissão de leituras de instrumentos a longa distância por meio de fios, ondas de rádio, ou outro meio. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 4th ed)Cloreto de Sódio: Sal de sódio ubíquo que é comumente usado para temperar comida.Podócitos: Células epiteliais altamente diferenciadas na camada visceral da CÁPSULA GLOMERULAR no RIM. São formadas por um corpo celular, com EXTENSÕES DA SUPERFÍCIE CELULAR e extensões digitiformes secundárias (pedicelos). Com aquelas, envolvem os capilares do GLOMÉRULO RENAL, formando uma estrutura de filtração. Os pedicelos dos podócitos vizinhos interdigitam, deixando aberturas de filtração (ligadas a estruturas extracelulares, impermeáveis a grandes macromoléculas) denominadas diafragma de fenda (slit diaphragm), a última barreira no RIM contra perda de proteínas.Diurese: Aumento na excreção de URINA. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)Radioimunoensaio: Clássico ensaio quantitativo para detecção de reações antígeno-anticorpo utilizando uma substância radioativamente ligada (radioligante) diretamente ou indiretamente, pela medida de ligação da substância não ligada a um anticorpo específico ou outro sistema receptor. Substâncias não imunogênicas (por exemplo, haptenos) podem ser medidas se acopladas a grandes proteínas carreadoras (por exemplo, gama-globulina bovina ou soro de albumina humana) capazes de induzir a formação de anticorpos.Doença Crônica: Doenças que têm uma ou mais das seguintes características: são permanentes, deixam incapacidade residual, são causadas por alteração patológica não reversível, requerem treinamento especial do paciente para reabilitação, pode-se esperar requerer um longo período de supervisão, observação ou cuidado.Calicreínas: Enzimas proteolíticas da família das serina endopeptidases encontradas no sangue e urina normais. Especificamente, as calicreínas são vasodilatadores e hipotensores potentes que aumentam a permeabilidade vascular afetando a musculatura lisa. Atuam como agentes de infertilidade nos homens. São reconhecidas três formas, a CALICREÍNA PLASMÁTICA (EC 3.4.21.34), CALICREÍNAS TECIDUAIS (EC 3.4.21.35) e ANTÍGENO PROSTÁTICO ESPECÍFICO (EC 3.4.21.77)Endotélio Vascular: Camada única de células que se alinham na superfície luminal em todo o sistema vascular e regulam o transporte de macromoléculas e componentes do sangue.Obstrução Ureteral: Bloqueio em qualquer parte do URETER causando obstrução do fluxo urinário do rim para a BEXIGA URINÁRIA. A obstrução pode ser congênita, adquirida, unilateral, bilateral, completa, parcial, aguda ou crônica. Dependendo do grau e duração da obstrução, as características clínicas variam vastamente, como a HIDRONEFROSE e a nefropatia obstrutiva.Rhodiola: Gênero de plantas da família CRASSULACEAE. Seus membros contêm rodiolosídeos. A "erva-pinheira-de-rosa" não está filogeneticamente relacionada com a conhecida ROSA. Algumas espécies deste gênero são chamadas 'stonecrop' que também é o nome vulgar de SEDUM.Camundongos Transgênicos: Camundongos de laboratório que foram produzidos de um OVO ou EMBRIÃO DE MAMÍFEROS, manipulados geneticamente.Óxidos N-Cíclicos: Compostos heterocíclicos em que um oxigênio se encontra ligado a um nitrogênio cíclico.Progressão da Doença: Piora de uma doença ao longo do tempo. Este conceito é usado com mais frequência para doenças crônica e incuráveis, em que o estágio da doença é um determinante importante de terapia e prognóstico.Barorreflexo: Resposta pelos BARORRECEPTORES para aumentar a PRESSÃO ARTERIAL. Pressões elevadas dilatam os VASOS SANGUÍNEOS, ativando os barorreceptores nas paredes dos vasos. A resposta do SISTEMA NERVOSO CENTRAL é uma redução do efluxo central-simpático. Isto reduz a pressão arterial tanto pela diminuição da RESISTÊNCIA VASCULAR periférica como pela diminuição do DÉBITO CARDÍACO. Como os barorreceptores são tonicamente ativos, o barorreflexo pode compensar rapidamente tanto o aumento como a diminuição da pressão arterial.Poliúria: Micção de um grande volume de urina com aumento na frequência urinária, geralmente observada em diabetes (DIABETES MELLITUS, DIABETES INSIPIDUS).Sistema Cardiovascular: CORAÇÃO e VASOS SANGUÍNEOS, através dos quais o SANGUE é bombeado e circula pelo corpo.Fluxo Sanguíneo Regional: Fluxo de SANGUE através ou ao redor do órgão ou região do corpo.Receptores da Bradicinina: Receptores de superfície celular que se ligam a BRADICININA e CININAS relacionadas com alta afinidade e desencadeiam alterações intracelulares que influenciam o comportamento das células. Os tipos de receptores identificados (B-1 e B-2, ou BK-1 e BK-2) reconhecem as CALIDINAS endógenas, t-cininas e certos fragmentos de bradicinina bem como a bradicinina em si.Inibidores de Simportadores de Cloreto de Sódio: Agentes que inibem os SIMPORTADORES DE CLORETO DE SÓDIO. Atuam como DIURÉTICOS. O uso excessivo é associado com HIPOPOTASSEMIA.Hidroclorotiazida: Tiazida diurética frequentemente considerada membro protótipo desta classe. Reduz a reabsorção de eletrólitos dos túbulos renais. Isso resulta na excreção aumentada de água e eletrólitos, incluindo sódio, potássio, cloreto e magnésio. É usada no tratamento de várias doenças incluindo edema, hipertensão, diabete insípido e hipoparatireoidismo.Privação de Água: Restrição do acesso à água em uma situação experimental estruturada.Aldosterona Sintase: Enzima mitocondrial dependente do citocromo P-450 que catalisa a 18-hidroxilação dos esteroides na presença de oxigênio molecular e flavoproteína NADPH-específica. Esta enzima, codificada pelo gene CYP11B2, é importante na conversão da CORTICOSTERONA a 18-hidroxicorticosterona e subsequente conversão a ALDOSTERONA.Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).Vasodilatação: Dilatação fisiológica de VASOS SANGUÍNEOS por um relaxamento do MÚSCULO LISO VASCULAR subjacente.Músculo Liso Vascular: Tecido muscular não estriado e de controle involuntário que está presente nos vasos sanguíneos.Gravidez: Estado durante o qual os mamíferos fêmeas carregam seus filhotes em desenvolvimento (EMBRIÃO ou FETO) no útero (antes de nascer) começando da FERTILIZAÇÃO ao NASCIMENTO.Transdução de Sinal: Transferência intracelular de informação (ativação/inibição biológica) através de uma via de sinalização. Em cada sistema de transdução de sinal, um sinal de ativação/inibição proveniente de uma molécula biologicamente ativa (hormônio, neurotransmissor) é mediado, via acoplamento de um receptor/enzima, a um sistema de segundo mensageiro ou a um canal iônico. A transdução de sinais desempenha um papel importante na ativação de funções celulares, bem como de diferenciação e proliferação das mesmas. São exemplos de sistemas de transdução de sinal: o sistema do receptor pós-sináptico do canal de cálcio ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO, a via de ativação da célula T mediada pelo receptor e a ativação de fosfolipases mediada por receptor. Estes sistemas acoplados à despolarização da membrana ou liberação de cálcio intracelular incluem a ativação mediada pelo receptor das funções citotóxicas dos granulócitos e a potencialização sináptica da ativação da proteína quinase. Algumas vias de transdução de sinal podem ser parte de um sistema de transdução muito maior, como por exemplo, a ativação da proteína quinase faz parte da via de sinalização da ativação plaquetária.Medula Renal: Parte interna do rim. Consiste de estruturas cônicas estriadas - pirâmides de Malpighi, cujas bases são adjacentes ao córtex e os ápices formam papilas salientes que se projetam para dentro do lúmen dos cálices menores.Receptores Acoplados a Proteínas-G: Maior família de receptores de superfície celular envolvidos na TRANSDUÇÃO DE SINAL. Compartilham um sinal e uma estrutura comum através das PROTEÍNAS G HETEROTRIMÉRICAS.Precursores Enzimáticos: Substâncias fisiologicamente inativas que podem ser convertidas em enzimas ativas.AcrilatosUreter: Um (do par) dos tubos (de paredes espessas), que transporta urina da PELVE RENAL à BEXIGA URINÁRIA.Hematócrito: Volume de ERITRÓCITOS acondicionados em uma amostra sanguínea. O volume é medido por centrifugação em um tubo graduado ou com contadores automáticos de células sanguíneas. É um indicador do estado dos eritrócitos em doenças. Por exemplo, em estados de ANEMIA apresentam-se valores baixos de hematócrito e de POLICITEMIA, valores altos.Óxido Nítrico: Radical livre gasoso produzido endogenamente por várias células de mamíferos. É sintetizado a partir da ARGININA pelo ÓXIDO NÍTRICO SINTETASE. O óxido nítrico é um dos FATORES RELAXANTES DEPENDENTES DO ENDOTÉLIO liberados pelo endotélio vascular e medeia a VASODILATAÇÃO. Inibe também a agregação de plaquetas, induz a desagregação de plaquetas agregadas e inibe a adesão das plaquetas ao endotélio vascular. O óxido nítrico ativa a GUANILATO CICLASE citosólica, aumentando os níveis intracelulares de GMP CÍCLICO.Insulina Regular de Porco: Preparações regulares de insulina que contêm sequência peptídica da insulina de SUS SCROFA.Hipertrofia: Aumento geral no volume do órgão ou parte dele devido ao CRESCIMENTO CELULAR e acúmulo de LÍQUIDOS E SECREÇÕES, e não devido à formação de tumor e nem a um aumento no número de células (HIPERPLASIA).Encéfalo: A parte do SISTEMA NERVOSO CENTRAL contida no CRÂNIO. O encéfalo embrionário surge do TUBO NEURAL, sendo composto de três partes principais, incluindo o PROSENCÉFALO (cérebro anterior), o MESENCÉFALO (cérebro médio) e o ROMBENCÉFALO (cérebro posterior). O encéfalo desenvolvido consiste em CÉREBRO, CEREBELO e outras estruturas do TRONCO ENCEFÁLICO (MeSH). Conjunto de órgãos do sistema nervoso central que compreende o cérebro, o cerebelo, a protuberância anular (ou ponte de Varólio) e a medula oblonga, estando todos contidos na caixa craniana e protegidos pela meninges e pelo líquido cefalorraquidiano. É a maior massa de tecido nervoso do organismo e contém bilhões de células nervosas. Seu peso médio, em um adulto, é da ordem de 1.360 g, nos homens e 1.250 g nas mulheres. Embriologicamente, corresponde ao conjunto de prosencéfalo, mesencéfalo e rombencéfalo. Seu crescimento é rápido entre o quinto ano de vida e os vinte anos. Na velhice diminui de peso. Inglês: encephalon, brain. (Rey, L. 1999. Dicionário de Termos Técnicos de Medicina e Saúde, 2a. ed. Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro)NG-Nitroarginina Metil Éster: Inibidor não seletivo da óxido nítrico sintase. Tem sido utilizada experimentalmente na indução da hipertensão.Artéria Renal: Ramo da aorta abdominal que irriga os rins, glândulas adrenais e ureteres.Estudos Cross-Over: Estudos comparando dois ou mais tratamentos ou intervenções nos quais os sujeitos ou pacientes, após terminado o curso de um tratamento, são ligados a outro. No caso de dois tratamentos, A e B, metade dos sujeitos são randomicamente alocados para recebê-los pelo método A, B e metade para recebê-los pelo método B, A. Uma crítica deste desenho experimental é que os efeitos do primeiro tratamento podem ser transportados para o período quando o segundo é executado. (Tradução livre do original: Last, A Dictionary of Epidemiology, 2d ed)Receptor de Endotelina A: Subtipo de receptor de endotelina encontrado predominantemente no MÚSCULO LISO VASCULAR. Tem uma alta afinidade para ENDOTELINA-1 e ENDOTELINA-2.Espécies de Oxigênio Reativas: Moléculas ou íons formados pela redução incompleta de um elétron do oxigênio. Entre os oxigênios reativos intermediários estão OXIGÊNIO SINGLETO, SUPERÓXIDOS, PERÓXIDOS, RADICAL HIDROXILA e ÁCIDO HIPOCLOROSO. Contribuem para a atividade microbicida de FAGÓCITOS, regulação de transdução de sinais e expressão gênica e o dano oxidativo para os ÁCIDOS NUCLEICOS, PROTEÍNAS e LIPÍDIOS.Fenilefrina: Agonista alfa-1 adrenérgico usado como midriático, descongestionante nasal e agente cardiotônico.Desidratação: Afecção resultante de perda excessiva de água pelo organismo vivo.Oligopeptídeos: Peptídeos compostos de dois a doze aminoácidos.Anóxia: Ausência relativamente total de oxigênio em um ou mais tecidos.Receptores de Mineralocorticoides: Proteínas citoplasmáticas que ligam especificamente MINERALOCORTICOIDES e medeiam seus efeitos celulares. O receptor em união com seu ligante atua no núcleo, induzindo a transcrição de segmentos específicos de DNA.Circulação Placentária: Circulação de SANGUE, tanto da mãe como do FETO, através da PLACENTA.Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.Catecolaminas: Classe geral de orto-di-hidroxifenilalquilaminas derivadas da tirosina.Nefrite Intersticial: Inflamação do tecido intersticial do rim. Este termo geralmente é usado para a inflamação primária dos TÚBULOS RENAIS e/ou do interstício circunvizinho. Para a inflamação primária do interstício glomerular, ver GLOMERULONEFRITE. A infiltração de células inflamatórias no compartimento intersticial resulta em EDEMA, aumento do espaço entre os túbulos e disfunção renal tubular.Pré-Eclâmpsia: Complicação de GRAVIDEZ, caracterizada por um complexo de sintomas incluindo HIPERTENSÃO materna e PROTEINURIA com ou sem EDEMA patológico. Os sintomas variam de brandos a graves. A pré-eclâmpsia ocorre após a 20a semana de gestação, porém pode se desenvolver antes deste tempo, na presença de doença trofoblástica.

*  Entenda o Sistema Renina Angiotensina Aldosterona

... é um importante sistema de controle de pressão arterial que provoca vasoconstrição periférica ... Sistema renina angiotensina aldosterona. O sistema renina angiotensina aldosterona é um importante mecanismo de controle de ... O sistema da Renina tem cinco componentes importantes:. 1 - Renina. A pró-renina é a forma inativada da renina. É sintetizada e ... Para ficar didático, vamos enumerar os eventos do sistema renina angiotensina aldosterona:. *Quando a pressão é reduzida, os ...

*  Angiotensina I - Wikipedia

Angiotensina I é um peptídeo que faz parte do sistema renina angiotensina aldosterona (SRAA). É formado a partir da ação da ... Sofre ação da enzima conversora da angiotensina, gerando a angiotensina II. A angiotensina I é composta por dez aminoácidos ( ...

*  Enzima conversora da angiotensina 2 - Wikipedia

A enzima conversora da angiotensina 2 ECA 2 é uma enzima componente do sistema renina angiotensina aldosterona. É responsável ... é a angiotensina 1-7 a partir da hidrólise de angiotensina II ou a partir de angiotensina I, a partir deste último com ação ... A enzima conversora da angiotensina(ECA) é produzida pelos vasos pulmonares e age sobre a angiotensina-1, transformando-a em ... Desempenhando fortemente essa função para angiotensina II, angiotensina I e bradicinina. Além disso, ECA 2 pode hidrolisar ...

*  Sistema renina-angiotensina - Wikipedia

O sistema renina-angiotensina, também identificado como sistema renina-angiotensina-aldosterona, é um conjunto de peptídeos, ... Angiotensinogênio Angiotensina I Angiotensina II Angiotensina III ou Angiotensina 2-8 Angiotensina IV ou Angiotensina 3-8 ... o sistema renina-angiotensina-aldosterona se soma ao sistema simpático e ao ADH, compondo o trio de sistemas neuro-hormonais de ... O sistema renina-angiotensina-aldosterona (S-RAA) é descrito como um eixo endócrino no qual cada componente de uma cascata é ...

*  Eixo renina-angiotensina-aldosterona: Bases fisiol gicas e fisiopatol gicas

... enzima conversora da angiotensina; AT, receptor para angiotensina.. Sistema renina-angiotensina e envelhecimento. O ... O sistema renina-angiotensina expandido. principais vias de Forma o das angiotensinas. RPR, receptor de renina/pr -renina; ECA ... As pesquisas sobre as a es do sistema renina-angiotensina (SRA) nos trazem s lidas informa es sobre como esse sistema capaz de ... Outros pept deos do sistema renina-angiotensina t m sido identificados e parecem ter a es biol gicas como a angiotensina III, ...

*  Insuficiência cardíaca - Wikipedia

Existem vários sistemas envolvidos nestas alterações, como: Sistema nervoso simpático. Sistema renina angiotensina aldosterona ... Inibidores da enzima conversora da angiotensina. Antagonistas dos receptores da angiotensina II Betabloqueadores adrenérgicos. ... é recomendada a administração de inibidores da enzima de conversão da angiotensina e antagonistas do recetor da angiotensina II ...

*  Receptor Mas - Wikipedia

Faz parte do sistema renina angiotensina aldosterona. Vasodilatação. Aumento da proliferação celular. Aumento da angiogênese. ...

*  Receptor AT2 - Wikipedia

Faz parte do sistema renina angiotensina aldosterona. Suas ações são grosseiramente antagonistas às do Receptor AT1. ... Diminuição da Angiogênese (formação de novos vasos sangüíneos). Aumento da Natriurese (excreção renal de sódio). Angiotensina ...

*  Receptor AT4 - Wikipedia

Faz parte do sistema renina angiotensina aldosterona. Regulação do fluxo sangüíneo Angiotensina IV.. ...

*  Anasarca - Wikipedia

Aumento na atividade do sistema renina-angiotensina-aldosterona; POEMS, uma síndrome rara caracterizada por polineuropatia, ...

*  Disciplinas | Biologia Funcional e Molecular

... sistema renina-angiotensina-aldosterona; receptores adrenérgicos; aspectos de alterações destes mecanismos em doenças ... O sistema neurovegetativo e suas divisões (simpático, parassimpático e entérico). Processos de integração neurovegetativa: ... hipotálamo e sistema límbico: modulação dos processos motivacionais e comportamento.. Bibliografia: PURVES, D. et al., ...

*  Angiotensina II - Wikipedia

Angiotensina II é um peptídeo que faz parte do sistema renina angiotensina aldosterona (SRAA). É formado a partir da ação da ... No sangue, a renina quebra o Angiotensinogênio (forma inativa da angiotensina), transformando-o em Angiotensina I, que migra ... Após realizar sua função, a angiotensina II é convertida em angiotensina III (inativa), e essa sofre ação de angiotensinases, ... Duas classes de medicamentos se relacionam com a angiotensina II: Antagonista do receptor da angiotensina. Inibidor da enzima ...

*  Nadolol - Wikipedia

Bradicardia Fadiga Broncospasmo Sistema renina-angiotensina Anti-hipertensivos Cardiologia Portal da farmácia Portal da ... no aparelho justaglomerular resulta na inibição da produção de renina que por conseqüência inibe produção de Angiotensina II e ...

*  Disciplinas - Enfermagem Esquematizada

Sistema renina angiotensina aldosterona O sistema renina angiotensina aldosterona é um importante mecanismo de controle de ... O sistema da Renina tem cinco componentes importantes: 1 - Renina A pró-renina é a forma inativada da renina. É sintetizada e ...

*  Enfermagem Esquematizada - Principais assuntos esquematizados de enfermagem para concursos

Sistema renina angiotensina aldosterona O sistema renina angiotensina aldosterona é um importante mecanismo de controle de ... O sistema da Renina tem cinco componentes importantes: 1 - Renina A pró-renina é a forma inativada da renina. É sintetizada e ...

*  Apostila de fisiologia humana

... angiotensina II: efetor final do sistema renina-angiotensina, essa substância é o mais potente vasoconstritor conhecido; - ... Mecanismos humorais/hormonais: noradrenalina, vasopressina (ADH), sistema renina- angiotensina-aldosterona. Mecanismos de ... Este sistema de defesa formado por monócitos e macrófagos é denominado sistema monócito-macrófago. É um sistema difuso de ... é inervado pelo sistema nervoso autonômico e também possui um sistema nervoso próprio, denominado de sistema nervoso entérico. ...

*  Aldosterona - Wikipedia

... os valores de angiotensina são, também, reduzidos, encontrando-se o sistema renina-angiotensina inactivo); por outro lado, o ... O ANP (peptídeo auricular natriurético) contraria os efeitos do sistema renina-angiotensina na produção de aldosterona. Quando ... A renina converte o angiotensinogénio (a2-globulina plasmática sintetizada no fígado) em angiotensina I que, depois, é clivada ... Alterações mínimas no sistema angiotensina plasmático são suficientes para desencadear respostas máximas de produção de ...

*  Hipertensão arterial - Wikipedia

... de modo indireto estimulando o sistema renina-angiotensina. Muito se tem discutido sobre a ação deste sistema. Todos os estudos ... a renina, a angiotensina I, a enzima de conversão da angiotensina (ECA) e a angiotensina II. O angiotensinogénio é uma α-2 ... Os genes que regulam o complexo sistema renina-angiotensina são alvo de estudos recentes. Segundo alguns trabalhos, o SNP do ... A maior parte das evidências apontam para este mecanismo do Sistema renina-angiotensina-aldosterona como o responsável pelo ...

*  Rim - Wikipedia

Hiperaldosteronismo secundário é caracterizado pela grande actividade do sistema renina-angiotensina-aldosterona e que leva à ... A drenagem venosa costuma seguir paralelamente o trajeto do sistema arterial. O sangue do córtex drena para as veias arqueadas ... órgão do sistema excretor e osmoregulador dos vertebrados. Os rins filtram produtos do metabolismo de aminoácidos ( ...

*  Glomerulonefrite aguda - glomerulonefrite aguda

Vários estudos demonstram que, no início do quadro, o sistema renina-angiotensina está acentuadamente inibido. ... controle de peso e diurese e avaliação do sistema cardiovascular. Os pacientes submetidos à hospitalização devem retornar ao ... recebe os anticorpos circulantes com conseqüente formação de imunocomplexos e ativação do sistema do complemento. O processo ...

*  FAPESP

Sistema renina- angiotensina intra-renal : Inibição da atividade da renina pelo lipopolissacarideos .. Waldemar Silva Almeida ... Caracterização do sistema renina angiotensina local no rim e coração em camundongos transgênicos que expressa tonina de rato.. ... Papel do estresse oxidativo e do sistema nervoso simpático na evolução da insuficiência renal crônica.. Cássia Marta de Toledo ... Estudo sobre as células progenitoras endoteliais na hipertensão arterial renovascular experimental : papel do sistema nervoso ...

*  cerebral em idosos: Topics by WorldWideScience.org

Os cardiovasculares foram à classe de medicamentos mais utilizada (diuréticos e sistema renina angiotensina com 61,3%. Desta ... Estudo epidemiológico descritivo, tendo como fontes de dados o Sistema de Informações sobre Mortalidade e a Fundação Sistema ... Uso do sistema âncora nas duas mãos e na mão não dominante reduz a oscilação corporal em idosos ... OBJETIVO: Investigar a prevalência de FRCV em idosos usuários da atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS em Goiânia - ...

Etiopatogenia da hipertensão arterial: Etiopatogenia da hipertensão arterial ou fisiopatologia da hipertensão arterial é o estudo dos mecanismos que ocasionam a doença crónica denominada hipertensão arterial.Renina: A renina ou angiotensinogenase é uma enzima circulante liberada pelas células justaglomerulares dos rins em resposta a uma série de estímulos fisiológicos e provoca a ativação do sistema renina-angiotensina-aldosterona.LosartanAlacepril: Alacepril é um medicamento do tipo IECA, inibidor da enzima conversora da angiotensina. É indicado para tratamento de Hipertensão arterial.Hipertensão arterialRim: Rim (lat. ren, grc.Enalapril: Enalapril, administrado na forma de maleato de enalapril, é um pró-fármaco utilizado no tratamento da hipertensão, e também em casos de insuficiência cardíaca (IC), sendo que seu mecanismo de ação envolve a inibição da enzima conversora da angiostensina (ECA). É derivado dos aminoácidos L-alanina e L-prolina.BenzimidazolLisinoprilNefropatia hipertensivaIrbesartan: Irbesartan ou irbesartana é um medicamento do tipo antagonista do receptor da angiotensina. Sua principal indicação é para tratamento de Hipertensão arterial.ImidazolRamipril: Ramipril é um medicamento do tipo IECA, inibidor da enzima conversora da angiotensina. É indicado para tratamento de Hipertensão arterial.Nefrectomia: Nefrectomia é a remoção cirúrgica de um rim.Nefropatia diabética: Nefropatia diabética, também conhecida como síndrome de Kimmelstiel-Wilson e glomerulonefrite intercapilar, é uma doença renal progressiva causada por angiopatia dos capilares nos glomérulos renais. Ela é caracterizada por síndrome nefrótica e glomeruloesclerose difusa.Célula justaglomerular: As células justaglomerulares ou células JG ou células granulares, têm como principal função formar renina, assim e ajudar no aumento da pressão arterial, já que ela é fundamental na conversão de angiotensinogênio a angiotensina I.SobretreinamentoProteinúriaAmida: Amidas são os derivados de oxiácidos RkE(=O)l(OH)m (l ≠ 0) no qual uma hidroxila ácida -OH é substituída por um grupo amina -NH2IUPAC Gold Book.Cilazapril: CilazaprilDenominação Comum Brasileira n° 02057 é um medicamento do tipo IECA, inibidor da enzima conversora da angiotensina. É indicado para tratamento de hipertensão arterial.Microalbuminúria renal: Microalbuminuria é a eliminação de proteína na urina em grande quantidade.AmlodipinaHipotensãoCórtex renal: Córtex renal é a parte mais externa do rim localizado entre a cápsula renal e a medula renal. No seu interior, encontram-se os néfrons, tubos curvos microscópicos onde o sangue é filtrado, produzindo-se a urina.Podócito: Podócitos são células do epitélio visceral dos rins que formam um importante componente da barreira de filtração glomerular, contribuindo para a seletividade de tamanho e mantendo uma superfície de filtração massiva.Classificação funcional da New York Heart Association: A Classificação funcional da New York Heart Association (NYHA) proporciona um meio simples de classificar a extensão da insuficiência cardíaca. Categoriza os doentes em uma de quatro categorias baseada na limitação da atividade física (dispnéia).Quinapril: Quinapril é um medicamento do tipo IECA, inibidor da enzima conversora da angiotensina. É indicado para tratamento de Hipertensão arterial.Vaso sanguíneo: Os vasos sanguíneos são órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo da maior parte dos seres-vivos, como o ser humano, por onde circula o sangue: artérias, arteríolas, vênulas, veias e capilares.


aldosterona

  • O sistema renina angiotensina aldosterona é um importante mecanismo de controle de pressão arterial. (enfermagemesquematizada.com.br)
  • A angiotensina II também atua nas glândulas supra-renais fazendo com que elas secretem aldosterona . (enfermagemesquematizada.com.br)
  • A Angiotensina IV, ou Angiotensina 3-8, é um peptídeo, componente do sistema renina angiotensina aldosterona, composta por seis aminoácidos (hexapeptídeo). (wikipedia.org)
  • Angiotensina I é um peptídeo que faz parte do sistema renina angiotensina aldosterona (SRAA). (wikipedia.org)
  • Simultaneamente, a angiotensina II também se dirige ao córtex das glândulas suprarrenais (ou adrenais), estimulando a liberação do hormônio aldosterona, que se dirige aos rins, no túbulo contornado distal dos néfrons e estimula mais ainda a absorção de sódio e água, aumentando ainda mais a volemia e a pressão. (wikipedia.org)
  • A secreção de aldosterona é primariamente regulada pelo sistema renina-angiotensina e pelas concentrações séricas de potássio. (blogspot.com)
  • A angiotensina II liga-se a receptores específicos na zona glomerulosa, para estimular a produção da aldosterona. (blogspot.com)
  • Tanto no desenvolvimento como na progressão da ND, tem sido evidente o papel do sistema renina-angiotensina-aldosterona (SRAA). (ufrgs.br)
  • A angiotensina II é um potente hormônio trófico e vasoconstritor e é mediador central no dano renal do diabetes, além de estimular a secreção de aldosterona. (ufrgs.br)
  • O AJG é parte de um complexo mecanismo de feedback que regula o fluxo sanguíneo renal (feedback tubuloglomerular) e a taxa de filtração glomerular e, indirectamente, modula o balanço de sódio e a pressão sanguínea sistémica, através do sistema renina-angiotensina-aldosterona. (wikipedia.org)
  • A enzima conversora da angiotensina 2 ECA 2 é uma enzima componente do sistema renina angiotensina aldosterona. (wikipedia.org)

vasos pulmonares

  • Quando a angiotensina I passa pelos pulmões através da circulação sanguínea, a enzima conversora de angiotensina presente no endotélio dos vasos pulmonares irá converter a angiotensina I em angiotensina II . (enfermagemesquematizada.com.br)
  • Ao passar pelos vasos pulmonares, a angiotensina I interage com uma ectoenzima presente nas células endoteliais, principalmente dos pulmões, chamada Enzima Conversora de Angiotensina (Comumente chamada ECA) ou Covertase, transformando-se em Angiotensina II. (wikipedia.org)
  • A enzima conversora da angiotensina(ECA) é produzida pelos vasos pulmonares e age sobre a angiotensina-1, transformando-a em angiotensina-2. (wikipedia.org)

transformada em angiotensina

  • A renina transforma o angiotensinogênio pelo fígado em angiotensina I, que por sua vez é transformada em angiotensina II pela enzima conversora da angiotensina. (blogspot.com)
  • A renina transforma o angiotensinogénio do fígado em angiotensina I, que é transformada em angiotensina II pela ECA existente nos pulmões. (wikipedia.org)

enzima renina

  • Este sistema se dá a partir da enzima renina, que age sobre o substrato angiotensinogênio, formando a angiotensina I, que, quando clivada pela ação da enzima conversora dipetidil-carboxipeptidase, transforma-se em angiotensina II. (wikipedia.org)
  • É formado a partir da ação da enzima renina sobre a angiotensinogênio. (wikipedia.org)

papel

  • O seu papel é converter o angiotensinogênio presente no sangue em angiotensina I . A renina permanece cerca de 30 minutos a 1 hora atuando na formação da angiotensina em todo o tempo. (enfermagemesquematizada.com.br)
  • A participação do sistema renina-angiotensina no controle da pressão arterial, tanto a curto como em longo prazo, apresenta um papel de grande importância. (wikipedia.org)

Sofre

  • Sofre ação da enzima conversora da angiotensina, gerando a angiotensina II. (wikipedia.org)
  • Após realizar sua função, a angiotensina II é convertida em angiotensina III (inativa), e essa sofre ação de angiotensinases, sendo degradada em vários aminoácidos que serão reaproveitados pelo nosso organismo. (wikipedia.org)
  • A renina age sobre o angiotensinogênio para formar a angiotensina I, que sofre transformação em angiotensina II através da ação da enzima conversora da angiotensina. (ufrgs.br)

sangue

  • No sangue, a renina quebra o Angiotensinogênio (forma inativa da angiotensina), transformando-o em Angiotensina I, que migra pela circulação. (wikipedia.org)

produzida

  • No sistema renina-angiotensina sistêmico, a renina é produzida pelas células justaglomerulares do rim, agindo sobre o substrato angiotensinogênio circulante. (wikipedia.org)

partir

  • É formado a partir da ação da enzima conversora da angiotensina sobre a angiotensina I. Tem numerosas funções conhecidas na fisiologia humana, em especial no controle da pressão arterial. (wikipedia.org)
  • No entanto, o produto mais ativo da ECA 2 é a angiotensina 1-7 a partir da hidrólise de angiotensina II ou a partir de angiotensina I, a partir deste último com ação conjunta com outras enzimas. (wikipedia.org)

circulante

  • A ação enzimatica da pró-renina livre equivale a 3% da ação da renina, na formação de angiotensina I. Os níveis basais de pró-renina circulante são da ordem de 10 pmol/L, cerca de 10 vezes os níveis de renina circulante. (wikipedia.org)

cerca

  • Em condições fisiológicas (ph neutro e temperatura em torno de 37 graus C) cerca de 2% da pró-renina se encontra ativada (desdobrada). (wikipedia.org)

gerando

  • Enzimática - retirada irreversível do segmento "pré" de 43 aminoácidos, gerando a renina. (wikipedia.org)

produzem

  • As células granulares, também chamadas de células justaglomerulares ou epitelióides, estão na parede das arteríolas aferentes e são células musculares lisas especializadas que produzem, armazenam e libertam renina. (wikipedia.org)

atua

  • A angiotensina III atua através dos receptores dos sub-tipos AT1 e AT2, da mesma forma que a Ang II, e apresenta afinidades semelhantes por ambos os receptores. (wikipedia.org)

convertida

  • Quando a pressão sanguínea cai, a pró-renina é convertida na sua forma ativa, renina , e liberada na corrente sanguínea. (enfermagemesquematizada.com.br)
  • A angiotensina I é convertida em angiotensina II pela enzima conversora de angiotensina presente nos pulmões. (enfermagemesquematizada.com.br)

rins

  • As células justa glomerulares (dos rins), quando o organismo está sob condições de hipotensão (devido a uma hipovolemia), passam a liberar uma enzima denominada Renina na corrente sanguínea. (wikipedia.org)
  • A angiotensina II vai para os rins via corrente sanguínea, onde, nos capilares dos túbulos dos néfrons, estimulará a constrição da arteríola eferente , aumentando assim a TFG, e, conseqüentemente a pressão. (wikipedia.org)

composta

  • A angiotensina I é composta por dez aminoácidos (decapeptídeo). (wikipedia.org)

sendo

  • Também atuam no Sistema Imune sendo utilizados como antiinflamatórios, bloqueiam ou retardam etapas do processo inflamatório, inibem produção de citocinas que ativam o sistema imunitário e diminuem expansão das células T e B. (blogspot.com)
  • A pró-renina e a renina estão armazenadas na mácula densa, que é sensível à diminuição da concentração de NaCl, sendo isso um estímulo para a libertação de renina pelas células granulares. (wikipedia.org)

pode

  • O resíduo arginina amino-terminal da Ang III pode ser quebrado pela aminopeptidase N (APN) para formar o fragmento hexapeptídico 3-8 da angiotensina II, com a seqüência de aminoácidos Val-Tyr-Ile-His-Pro-Phe, fragmento este que é chamado de Ang IV. (wikipedia.org)
  • A ativação enzimática da pró-renina (capacitação para gerar angiotensina I) pode se dar de duas formas. (wikipedia.org)

parte

  • A Angiotensina IV exerce parte de suas ações por interação com o receptor AT4, ou IRAP, que é uma aminopeptidase regulada pela insulina (insulin-regulated-aminopeptidase - IRAP) (Albiston et al. (wikipedia.org)
  • Faz parte do sistema renina-angiotensina. (wikipedia.org)

inativa

  • A pró-renina tem ainda um sequencia peptídica amino-terminal com 43 aminoácidos que recobre o este sítio, tornando a mólecula inativa. (wikipedia.org)

efeitos

forma

Duas

  • Duas classes de medicamentos se relacionam com a angiotensina II: Antagonista do receptor da angiotensina. (wikipedia.org)