Fator 2 de Crescimento de Fibroblastos: Fator de crescimento composto por um polipeptídeo de cadeia simples que desempenha um importante papel no processo de CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS e um potente indutor da ANGIOGÊNESE FISIOLÓGICA. Há várias formas distintas da proteína humana variando de 18 a 24 kDa devido à utilização de locais iniciadores alternativos no gene fgf-2. Tem 55 por cento de aminoácidos similares ao FATOR 1 DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS e possui potente atividade ligada à heparina. Em vários tipos de células das linhagens do mesoderma e neuroectoderma. Foi originalmente denominado fator de crescimento básico de fibroblastos em virtude de suas propriedades químicas e para diferenciá-lo do fator de crescimento ácido de fibroblastos (FATOR 1 DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS).Fatores de Crescimento de Fibroblastos: Família de fatores de crescimento formados por pequenos polipeptídeos que compartilham várias características, incluindo uma forte afinidade pela HEPARINA, e uma região central em forma de barril formado por 140 aminoácidos, que apresenta uma grande homologia entre os membros da família. Embora originalmente estudado como proteínas que estimulam o crescimento de fibroblastos, esta distinção não é mais necessária para ser considerado um membro da família dos fatores de crescimento de fibroblastos.Receptores de Fatores de Crescimento de Fibroblastos: Sítios moleculares ou estruturas específicos nas membranas celulares que reagem com os FATORES DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS (tanto a forma básica como a ácida), seus análogos, ou seus antagonistas para induzir ou inibir a resposta celular específica a esses fatores. Com frequência estes receptores possuem atividade tirosina quinase.Fator 1 de Crescimento de Fibroblastos: Fator de crescimento composto por uma cadeia polipeptídica 17-kDa, desempenha um importante papel no processo de CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS e um potente indutor da ANGIOGÊNESE FISIOLÓGICA. Liga-se à HEPARINA, que potencializa sua atividade biológica e o protege da proteólise. O fator de crescimento é um indutor extremamente potente da síntese de DNA em vários tipos de células das linhagens do mesoderma e neuroectoderma e também possui atividades quimiotática e mitogênica. Foi originalmente denominado fator de crescimento ácido de fibroblastos em virtude de suas propriedades químicas e para diferenciá-lo do fator de crescimento básico de fibroblastos (FATOR 2 DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS).Receptor Tipo 1 de Fator de Crescimento de Fibroblastos: Receptor de fator de crescimento de fibroblastos com especificidade para os FATORES DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS, PROTEOGLICANA DE HEPARAN SULFATO e MOLÉCULAS DE ADESÃO CELULAR NEURONAIS. Há diversas variantes do receptor devido à diversidade do PROCESSAMENTO ALTERNATIVO do seu RNAm. O receptor de fator de crescimento de fibroblasto 1 é uma tirosina quinase que transmite sinais através de SISTEMA DE SINALIZAÇÃO DAS MAP QUINASES.Receptor Tipo 2 de Fator de Crescimento de Fibroblastos: Receptor de fator de crescimento de fibroblasto encontrado em duas isoformas. Uma isoforma do receptor é encontrada no MESÊNQUIMA e ativada pelo FATOR 2 DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS. Uma segunda isoforma do receptor de fator de crescimento de fibroblastos 2 é encontrada principalmente em CÉLULAS EPITELIAIS e ativada pelo FATOR DE CRESCIMENTO 7 DE FIBROBLASTO e pelo FATOR DE CRESCIMENTO 10 DE FIBROBLASTO. Mutação do gene para o receptor de fator de crescimento de fibroblasto 2 pode levar a síndromes craniossinostóticas (ex.: Síndrome de Apert e síndrome de Crouzon).Fibroblastos: Células do tecido conjuntivo que secretam uma matriz extracelular rica em colágeno e outras macromoléculas.Receptor Tipo 3 de Fator de Crescimento de Fibroblastos: Receptor de fator de crescimento de fibroblasto que regula o crescimento de CONDRÓCITOS e a DIFERENCIAÇÃO CELULAR. Mutações no gene para o receptor de fator de crescimento de fibroblasto 3 foram associadas com a ACONDROPLASIA, DISPLASIA TANATOFÓRICA e transformação celular neoplásica.Fator 10 de Crescimento de Fibroblastos: Fator de crescimento de fibroblastos, um mitógeno para QUERATINÓCITOS. Ativa o RECEPTOR DE FATOR DE CRESCIMENTO 2B DE FIBROBLASTO e está envolvido no desenvolvimento do PULMÃO e dos membros.Receptor Tipo 4 de Fator de Crescimento de Fibroblastos: Receptor de fator de crescimento de fibroblasto expresso principalmente no PULMÃO, RIM, PÂNCREAS e BAÇO. Desempenha também um importante papel no desenvolvimento do MÚSCULO ESQUELÉTICO e pode contribuir na transformação celular neoplásica.Fator de Crescimento Epidérmico: Fator de crescimento polipeptídico de 6 kDa descoberto inicialmente nas glândulas submaxilares de camundongo. O fator de crescimento epidérmico humano foi isolado originalmente a partir da urina baseado na sua capacidade de inibir a secreção gástrica e foi denominado urogastrona. O fator de crescimento epidérmico exerce uma grande variedade de efeitos biológicos, incluindo a promoção da proliferação e diferenciação de células mesenquimais e CÉLULAS EPITELIAIS. É sintetizado como uma proteína transmembrana que pode ser clivada, liberando uma forma ativa solúvel.Fator 9 de Crescimento de Fibroblastos: Fator de crescimento de fibroblastos, originalmente classificado como mitógeno para células gliais. É principalmente expressado em NEURÔNIOS.Fator 4 de Crescimento de Fibroblastos: Fator de crescimento de fibroblasto, ligante de HEPARINA, que pode desempenhar um papel no desenvolvimento do BOTÃO DE EXTREMIDADE.Fator 7 de Crescimento de Fibroblastos: Fator de crescimento de fibroblastos, um mitógeno específico para CÉLULAS EPITELIAIS. Se liga a um complexo de HEPARAN SULFATO e ao RECEPTOR 2B DO FATOR DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS.Células Cultivadas: Células propagadas in vitro em meio especial apropriado ao seu crescimento. Células cultivadas são utilizadas no estudo de processos de desenvolvimento, processos morfológicos, metabólicos, fisiológicos e genéticos, entre outros.Fator A de Crescimento do Endotélio Vascular: Membro original da família dos fatores de crescimento da célula endotelial denominados FATORES DE CRESCIMENTO DO ENDOTÉLIO VASCULAR. O fator A de crescimento do endotélio vascular foi originalmente isolado de células tumorais e foi denominado "fator de angiogênese tumoral" e "fator de permeabilidade vascular". Embora seja expresso em concentrações elevadas em algumas células derivadas de tumores, é produzido por uma ampla variedade de tipos celulares. Além de estimular o crescimento e a permeabilidade vascular, pode ter um papel na estimulação da VASODILATAÇÃO através de vias dependentes do ÓXIDO NÍTRICO. O processamento alternativo do RNAm do fator A de crescimento do endotélio vascular resulta em várias isoformas da proteína que está sendo produzida.Substâncias de Crescimento: Moléculas sinalizadoras que estão envolvidas no controle do crescimento e diferenciação celular.Divisão Celular: Fissão de uma CÉLULA. Inclui a CITOCINESE quando se divide o CITOPLASMA de uma célula e a DIVISÃO DO NÚCLEO CELULAR.Fator 8 de Crescimento de Fibroblasto: Fator de crescimento de fibroblastos que ativa preferencialmente o RECEPTOR 4 DO FATOR DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS. Foi inicialmente identificado como um fator de crescimento induzido por androgênio e desempenha um papel na regulação do crescimento de NEOPLASIAS MAMÁRIAS e NEOPLASIAS PROSTÁTICAS em humanos.Transdução de Sinal: Transferência intracelular de informação (ativação/inibição biológica) através de uma via de sinalização. Em cada sistema de transdução de sinal, um sinal de ativação/inibição proveniente de uma molécula biologicamente ativa (hormônio, neurotransmissor) é mediado, via acoplamento de um receptor/enzima, a um sistema de segundo mensageiro ou a um canal iônico. A transdução de sinais desempenha um papel importante na ativação de funções celulares, bem como de diferenciação e proliferação das mesmas. São exemplos de sistemas de transdução de sinal: o sistema do receptor pós-sináptico do canal de cálcio ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO, a via de ativação da célula T mediada pelo receptor e a ativação de fosfolipases mediada por receptor. Estes sistemas acoplados à despolarização da membrana ou liberação de cálcio intracelular incluem a ativação mediada pelo receptor das funções citotóxicas dos granulócitos e a potencialização sináptica da ativação da proteína quinase. Algumas vias de transdução de sinal podem ser parte de um sistema de transdução muito maior, como por exemplo, a ativação da proteína quinase faz parte da via de sinalização da ativação plaquetária.Fator de Crescimento Derivado de Plaquetas: Hormônio de crescimento peptídico mitogênico sustentado nos grânulos alfa de plaquetas. É liberado quando as plaquetas aderem-se a tecidos traumatizados. Células do tecido conjuntivo próximas a região traumatizada respondem iniciando o processo de replicação.Fator 5 de Crescimento de Fibroblastos: Fator de crescimento de fibroblastos que pode desempenhar um papel na regulação do fenótipo do FOLÍCULO PILOSO. A mutação espontânea do gene que codifica esta proteína resulta em uma linhagem de CAMUNDONGOS com pelo anormalmente longo, conhecida como camundongo angorá.Receptor do Fator de Crescimento Epidérmico: Receptor epidérmico envolvido na regulação de crescimento e diferenciação celular. É específico para o FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO e para peptídeos relacionados ao EGF, incluindo o FATOR TRANSFORMADOR DO CRESCIMENTO ALFA, ANFIRREGULINA, e o FATOR DE CRESCIMENTO SEMELHANTE A EGF DE LIGAÇÃO À HEPARINA. A união do ligante ao receptor causa ativação da sua atividade intrínseca de tirosina quinase, e à rápida internalização do complexo receptor-ligante para a célula.Fatores de Crescimento Endotelial: Estes fatores de crescimento são mitógenos solúveis secretados por vários órgãos. São a mistura de duas cadeias polipeptídicas simples, que possuem afinidade com a heparina. Seu peso molecular é dependente do órgão e da espécie. Eles possuem efeitos mitogênicos e quimiotáticos, podendo estimular o crescimento de células endoteliais e sintetizar DNA. Os fatores estão relacionados tanto aos FATORES DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS básicos e ácidos, mas possuem diferentes sequências de aminoácidos.RNA Mensageiro: Sequências de RNA que servem como modelo para a síntese proteica. RNAm bacterianos são geralmente transcritos primários pelo fato de não requererem processamento pós-transcricional. O RNAm eucariótico é sintetizado no núcleo e necessita ser transportado para o citoplasma para a tradução. A maior parte dos RNAm eucarióticos têm uma sequência de ácido poliadenílico na extremidade 3', denominada de cauda poli(A). Não se conhece com certeza a função dessa cauda, mas ela pode desempenhar um papel na exportação de RNAm maduro a partir do núcleo, tanto quanto em auxiliar na estabilização de algumas moléculas de RNAm retardando a sua degradação no citoplasma.Fator de Crescimento Transformador beta: Fator sintetizado em uma ampla variedade de tecidos. Atua sinergisticamente com o TGF-alfa na indução da transformação fenotípica e também pode atuar como fator de crescimento autócrino negativo. O TGF-beta desempenha um papel no desenvolvimento embrionário, diferenciação celular, secreção de hormônio e função imunológica. O TGF-beta é encontrado principalmente como formas homodímeras de distintos produtos do gene TGF-beta1, TGF-beta2 ou TGF-beta3. Os heterodímeros compostos de TGF-beta1 e 2 (TGF-beta1.2) ou de TGF-beta2 e 3 (TGF-beta2.3) foram isolados. As proteínas TGF-beta são sintetizadas como precursoras de proteínas.Receptores Proteína Tirosina Quinases: Classe de receptores celulares que tem uma atividade intrínseca de PROTEÍNA-TIROSINA QUINASE.Fatores de Crescimento do Endotélio Vascular: Família de proteínas angiogênicas estreitamente relacionadas com o FATOR A DE CRESCIMENTO DO ENDOTÉLIO VASCULAR. Desempenham um importante papel no crescimento e diferenciação das células endoteliais dos vasos sanguíneos e linfáticos.Fatores de Crescimento Transformadores: Polipeptídeos ativos hormonalmente que podem induzir o fenótipo transformado quando adicionado às células normais, não transformadas. Podem ser encontrados em fluídos de cultura de células transformadas por retrovírus e em células derivadas de tumor, bem como em fontes não neoplásicas. Suas atividades transformadoras são devidas à ação simultânea de dois fatores de outra maneira não relacionados, o FATOR DE CRESCIMENTO TRANSFORMADOR ALFA E FATOR DE CRESCIMENTO TRANSFORMADOR BETA.Linhagem Celular: Determinadas culturas de células que têm o potencial de se propagarem indefinidamente.Fator 3 de Crescimento de Fibroblastos: Fator de crescimento de fibroblastos expressado principalmente durante o desenvolvimento.Fator de Crescimento Insulin-Like I: Peptídeo básico bem caracterizado supostamente secretado pelo fígado e circula no sangue. Tem atividades reguladora de crescimento (similar à insulina) e mitogênica. Este fator de crescimento possui uma principal (mas não absoluta) dependência do HORMÔNIO DE CRESCIMENTO. Acredita-se ser ativa principalmente em adultos, em contraste com o FATOR DE CRESCIMENTO INSULIN-LIKE II, que é o principal fator de crescimento fetal.Fator de Crescimento de Hepatócito: Fator de crescimento multifuncional que regula tanto o crescimento como a motilidade celular. Exerce forte efeito mitogênico em hepatócitos e células epiteliais primárias. Seu receptor é a PROTEÍNAS PROTO-ONCOGÊNICAS C-MET.Fatores de Crescimento Neural: Fatores que aumentam a potencialidade de crescimento de neurônios sensitivos e simpáticos.Diferenciação Celular: Restrição progressiva do potencial para desenvolvimento e especialização crescente da função que leva à formação de células, tecidos e órgãos especializados.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Fator 6 de Crescimento de Fibroblastos: Fator de crescimento de fibroblastos que foi inicialmente identificado de acordo com sua semelhança com a sequência do FATOR 4 DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS. É encontrado nos MIOBLASTOS e desempenha um importante papel no DESENVOLVIMENTO MUSCULAR.Linfocinas: Fatores proteicos solúveis gerados por linfócitos ativados que afetam outras células, basicamente as envolvidas na imunidade celular.Fator de Crescimento Transformador alfa: Proteína relacionada ao FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO encontrada em uma variedade de tecidos que incluem o EPITÉLIO e a DECÍDUA materna. É sintetizada como uma proteína transmembrana que pode ser clivada e liberar uma forma ativa solúvel que se liga ao RECEPTOR DO FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO.Neovascularização Fisiológica: Desenvolvimento de novos VASOS SANGUÍNEOS durante a restauração da CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA durante os processos curativos.Heparina: Mucopolissacarídeo altamente ácido formado por partes iguais de D-glucosamina sulfatada e ácido D-glucurônico com pontes sulfamínicas. O peso molecular varia entre 6 a 20 mil. A heparina é encontrada e obtida do fígado, pulmões, mastócitos, etc., de vertebrados. Sua função é desconhecida, mas é utilizada para impedir a coagulação do sangue in vivo e in vitro sob a forma de muitos sais diferentes.Receptores de Fatores de Crescimento: Receptores de superfície celular que ligam fatores de crescimento ou tróficos com alta afinidade, desencadeando alterações intracelulares que influenciam o crescimento, diferenciação e sobrevivência das células.Fosforilação: Introdução de um grupo fosfato em um composto [respeitadas as valências de seus átomos] através da formação de uma ligação éster entre o composto e um grupo fosfato.Proliferação de Células: Todos os processos envolvidos em aumentar o NÚMERO DE CÉLULAS. Estes processos incluem mais que a DIVISÃO CELULAR, parte do CICLO CELULAR.Imuno-Histoquímica: Localização histoquímica de substâncias imunorreativas utilizando anticorpos marcados como reagentes.Receptor Tipo 5 de Fator de Crescimento de Fibroblastos: Entre os receptores do fator de crescimento de fibroblastos conhecidos, este é o mais divergente. Não contém um domínio intracelular para a TIROSINA QUINASE e tem se mostrado interagir com o FATOR 2 DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS. O receptor 5 do fator de crescimento de fibroblastos é encontrado principalmente no tecido esquelético.Células 3T3: Linhagens de células cujo procedimento original de crescimento consistia em serem transferidas (T) a cada 3 dias e plaqueadas a 300.000 células por placa (de Petri). Linhagens foram desenvolvidas usando várias cepas diferentes de camundongos. Tecidos são normalmente fibroblastos derivados de embriões de camundongos, mas outros tipos e fontes também já foram desenvolvidos. As linhagens 3T3 são valiosos sistemas hospedeiros para estudos, in vitro, de transformação de vírus oncogênicos, uma vez que as células 3T3 possuem alta sensibilidade a INIBIÇÃO DE CONTATO.Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intercelular: Proteínas e peptídeos regulatórios que são moléculas sinalizadoras envolvidas no processo de COMUNICAÇÃO PARÁCRINA. De modo geral, são fatores expressos em uma célula e cujos receptores alvos estão em outra célula vizinha. Diferem dos HORMÔNIOS pelo fato de suas ações serem locais e não à distância.Fator de Crescimento Transformador beta1: Subtipo de fator transformador de crescimento beta sintetizado por uma ampla variedade de células. É sintetizado como uma molécula precursora que é clivada para formar o TGF-beta 1 maduro e o peptídeo associado à latência TGF-beta1. A associação dos produtos da clivagem resulta na formação de uma proteína latente que deve ser ativada para se ligar ao seu receptor. Defeitos no gene que codifica a TGF-beta1 são a causa da SÍNDROME DE CAMURATI-ENGELMANN.Proteínas Recombinantes: Proteínas preparadas através da tecnologia de DNA recombinante.Neovascularização Patológica: Processo patológico constituído por proliferação de vasos sanguíneos em tecidos ou posições anormais.Transfecção: Captação de DNA simples ou purificado por CÉLULAS, geralmente representativo do processo da forma como ocorre nas células eucarióticas. É análogo à TRANSFORMAÇÃO BACTERIANA e ambos são rotineiramente usados em TÉCNICAS DE TRANSFERÊNCIA DE GENES.Regulação da Expressão Gênica: Qualquer dos processos pelos quais os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influenciam o controle diferencial (indução ou repressão) da ação gênica ao nível da transcrição ou da tradução.Expressão Gênica: Manifestação fenotípica de um gene (ou genes) pelos processos de TRANSCRIÇÃO GENÉTICA e TRADUÇÃO GENÉTICA.Sequência de Bases: Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.Fator de Crescimento Neural: O FATOR DE CRESCIMENTO NEURAL é o primeiro de uma série de fatores neurotróficos que influenciam o crescimento e diferenciação de neurônios sensitivos simpáticos. Compreende as subunidades alfa, bta e gama. A subunidade beta é a responsável pela sua atividade estimuladora do crescimento.Endotélio Vascular: Camada única de células que se alinham na superfície luminal em todo o sistema vascular e regulam o transporte de macromoléculas e componentes do sangue.Movimento Celular: Movimento de células de um lugar para outro. Diferencia-se da CITOCINESE, que é o processo de divisão do CITOPLASMA de uma célula.Mitógenos: Substâncias que estimulam a mitose e a transformação de linfócitos. Inclui não só as substâncias associadas às LECTINAS, mas também substâncias dos estreptococos (associadas com estreptolisina S) e das linhagens de estafilococos produtores da toxina alfa. (Tradução livre do original: Stedman, 25a ed)Sequência de Aminoácidos: Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.Heparitina Sulfato: Heteropolissacarídeo cuja estrutura é semelhante a HEPARINA. Acumula em indivíduos que têm mucopolissacaridose.Bovinos: Animais bovinos domesticados (do gênero Bos) geralmente são mantidos em fazendas ou ranchos e utilizados para produção de carne, derivados do leite ou para trabalho pesado.Western Blotting: Identificação por transferência de mancha (em um gel) contendo proteínas ou peptídeos (separados eletroforeticamente) para tiras de uma membrana de nitrocelulose, seguida por marcação com sondas de anticorpos.Células Tumorais Cultivadas: Células provenientes de tecido neoplásico cultivadas in vitro. Se for possível estabelecer estas células como LINHAGEM CELULAR TUMORAL, elas podem se propagar indefinidamente em cultura de células.Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.Proteínas Tirosina Quinases: Proteínas quinases que catalisam a FOSFORILAÇÃO dos resíduos da TIROSINA nas proteínas com ATP ou outros nucleotídeos, como os doadores de fosfato.Reação em Cadeia da Polimerase Via Transcriptase Reversa: Variação da técnica de PCR na qual o cDNA é construído do RNA através de uma transcrição reversa. O cDNA resultante é então amplificado utililizando protocolos padrões de PCR.Receptores do Fator de Crescimento Derivado de Plaquetas: Receptores específicos nas membranas celulares que reagem com o FATOR DE CRESCIMENTO DERIVADO DE PLAQUETAS, seus análogos ou antagonistas. O receptor de PDGF (RECEPTOR TIPO ALFA PARA FATOR DE CRESCIMENTO DERIVADO DE PLAQUETAS) e o receptor beta (RECEPTOR TIPO BETA DO FATOR DE CRESCIMENTO DERIVADO DE PLAQUETAS) são os dois tipos principais de receptores de PDGF. A ativação da atividade da proteína-tirosina quinase dos receptores ocorre através da dimerização ou heterodimerização dos tipos de receptor de PDGF, induzidas pelo ligante.Cicatrização: Restauração da integridade a tecido traumatizado.Mesoderma: A camada germinativa média de um embrião que deriva de três agregados mesenquimais pareados ao longo do tubo neural.Hibridização In Situ: Técnica que localiza sequências específicas de ácidos nucleicos em cromossomos intactos, células eucarióticas ou células bacterianas através do uso de sondas específicas de ácidos nucleicos marcados.Embrião de Galinha: Entidade que se desenvolve de um ovo de galinha fertilizado (ZIGOTO). O processo de desenvolvimento começa cerca de 24 h antes de o ovo ser disposto no BLASTODISCO, uma mancha esbranquiçada, pequena na superfície da GEMA DO OVO. Após 21 dias de incubação, o embrião está completamente desenvolvido antes da eclosão.Receptores de Fatores de Crescimento do Endotélio Vascular: Família de RECEPTORES PROTEÍNA TIROSINA QUINASES intimamente relacionados que se ligam aos fatores de crescimento do endotélio vascular. Eles compartilham um grupo de sete domínios extracelulares do tipo Ig importantes para a ligação do ligante. São amplamente expressos no endotélio vascular e críticos para o crescimento fisiológico e patológico, desenvolvimento e manutenção de sangue e vasos linfáticos.Receptores de Superfície Celular: Proteínas de superfície celular que ligam moléculas externas de sinalização à célula com alta afinidade e convertem este evento extracelular em um ou mais sinais intracelulares que alteram o comportamento da célula alvo.Fator de Crescimento Insulin-Like II: Peptídeo neutro bem caracterizado supostamente secretado pelo FÍGADO e circula no SANGUE. Possui atividades reguladora de crescimento (similar à insulina) e mitogênica. O fator de crescimento tem a principal (mas não absoluta) dependência da SOMATOTROPINA. Acredita-se que é o principal fator de crescimento fetal, em contraste ao FATOR DE CRESCIMENTO INSULIN-LIKE I, que é o principal fator de crescimento em adultos.Regulação da Expressão Gênica no Desenvolvimento: Qualquer [um] dos processos pelo qual os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influem sobre o controle diferencial da ação gênica durante as fases de desenvolvimento de um organismo.DNA: Polímero desoxirribonucleotídeo que é material genético primário de todas as células. Organismos eucariotos e procariotos normalmente contém DNA num estado de dupla fita, ainda que diversos processos biológicos importantes envolvam transitoriamente regiões de fita simples. O DNA, cuja espinha dorsal é constituída de fosfatos poliaçucarados possuindo projeções de purinas (adenina ou guanina) e pirimidinas (timina e citosina), forma uma dupla hélice que é mantida por pontes de hidrogênio entre as purinas e as pirimidinas (adenina com timina e guanina com citosina).Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Colágeno: Substância polipeptídica composta por aproximadamente um terço da proteína total do organismo de mamíferos. É o principal constituinte da PELE, TECIDO CONJUNTIVO e a substância orgânica de ossos (OSSO e OSSOS) e dentes (DENTE).Relação Dose-Resposta a Droga: Relação entre a quantidade (dose) de uma droga administrada e a resposta do organismo à droga.Ligação Proteica: Processo pelo qual substâncias endógenas ou exógenas ligam-se a proteínas, peptídeos, enzimas, precursores proteicos ou compostos relacionados. Medidas específicas de ligantes de proteínas são usadas frequentemente como ensaios em avaliações diagnósticas.Indutores da Angiogênese: Substâncias que induzem ou estimulam a NEOVASCULARIZAÇÃO FISIOLÓGICA ou a NEOVASCULARIZAÇÃO PATOLÓGICA.Proteoglicanas de Heparan Sulfato: Macromoléculas onipresentes associadas à superfície celular e matriz extracelular de uma ampla variedade de células de tecidos de vertebrados e invertebrados. São cofatores essenciais nos processos de adesão da célula à matriz, nos sistemas de reconhecimento de célula-célula, bem como nas interações entre fatores de crescimento e seus receptores.Proteínas Proto-Oncogênicas: Produtos dos proto-oncogenes. Normalmente eles não possuem propriedade oncogênicas ou transformadoras, mas estão envolvidas na regulação ou diferenciação do crescimento celular. Geralmente possuem atividade de proteína quinase.Meios de Cultivo Condicionados: Meios contendo componentes biologicamente ativos, obtidos de células ou tecidos previamente cultivados, que liberaram no meio substâncias capazes de afetar certas funções celulares (p.ex., crescimento, lise).Células-Tronco: Células relativamente indiferenciadas que conservam a habilidade de dividir-se e proliferar durante toda a vida pós-natal, a fim de fornecer células progenitoras que possam diferenciar-se em células especializadas.Sobrevivência Celular: Medida da viabilidade de uma célula caracterizada pela capacidade para realizar determinadas funções como metabolismo, crescimento, reprodução, alguma forma de responsividade e adaptabilidade.Hipofosfatemia: Afecção na qual os níveis de FOSFATOS no sangue estão anormalmente baixos.Cinética: Taxa dinâmica em sistemas químicos ou físicos.Matriz Extracelular: Substância, semelhante a uma malha, encontrada dentro do espaço extracelular em associação com a membrana basal da superfície celular. Promove a proliferação celular e fornece uma estrutura de sustentação para células ou lisados de células em placas de cultura de adesão.Regulação para Cima: Efeito controlador positivo sobre os processos fisiológicos nos níveis molecular, celular ou sistêmico. No nível molecular, os principais sítios regulatórios incluem os receptores de membrana, genes (REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO GÊNICA), RNAm (RNA MENSAGEIRO) e as proteínas.Linhagem Celular Tumoral: Linhagem celular derivada de células tumorais cultivadas.Receptor 2 de Fatores de Crescimento do Endotélio Vascular: Receptor da tirosina quinase de 200 a 230 kDa para os fatores de crescimento do endotélio vascular encontrado principalmente em células endotelial e hematopoiética e suas precursoras. O VEGFR-2 é importante para o desenvolvimento vascular e hematopoiético e medeia quase todas as respostas da célula endotelial ao VEGF.Proteoglicanas: Glicoproteínas que possuem alto conteúdo polissacarídico.Ativação Enzimática: Conversão da forma inativa de uma enzima a uma que possui atividade metabólica. Este processo inclui 1) ativação por íons (ativadores), 2) ativação por cofatores (coenzimas) e 3) conversão de um precursor enzimático (pró-enzima ou zimógeno) a uma enzima ativa.Mutação: Qualquer mudança detectável e hereditária que ocorre no material genético causando uma alteração no GENÓTIPO e transmitida às células filhas e às gerações sucessivas.Ratos Sprague-Dawley: Linhagem de ratos albinos amplamente utilizada para propósitos experimentais por sua tranquilidade e facilidade de manipulação. Foi desenvolvida pela Companhia de Animais Sprague-Dawley.Fator de Crescimento do Tecido Conjuntivo: Membro da família de proteínas CCN que regula uma variedade de funções extracelulares incluindo ADESÃO CELULAR, MIGRAÇAO CELULAR e a síntese de MATRIZ EXTRACELULAR. É encontrado em CONDRÓCITOS hipertróficos, onde pode ter um papel na CONDROGÊNESE e na ossificação endocondral.Acrocefalossindactilia: Craniostenose congênita com sindactilia.Proteínas Quinases Ativadas por Mitógeno: Superfamília das PROTEÍNAS SERINA-TREONINA QUINASES que são ativadas por vários estímulos via cascatas de proteína quinase. São componentes finais das cascatas, ativados pela fosforilação por PROTEÍNAS QUINASE QUINASES ATIVADAS POR MITÓGENO que, por sua vez, são ativadas pelas proteínas quinase quinase quinases ativadas por mitógeno (MAP QUINASE QUINASE QUINASES).Camundongos Nus: Camundongos mutantes homozigotos para o gene recessivo de "nudez" que não desenvolvem um timo. São úteis em estudos de tumor e estudos sobre resposta imune.Northern Blotting: Detecção de RNA que é separado eletroforeticamente e imobilizado por "blotting" em papel de nitrocelulose ou outro tipo de papel ou membrana de nylon, seguido de hibridização com SONDAS DE ÁCIDO NUCLEICO marcado.Apoptose: Um dos mecanismos pelos quais ocorre a MORTE CELULAR (compare com NECROSE e AUTOFAGOCITOSE). A apoptose é o mecanismo responsável pela remoção fisiológica das células e parece ser intrinsecamente programada. É caracterizada por alterações morfológicas distintas no núcleo e no citoplasma, clivagem da cromatina em locais regularmente espaçados e clivagem endonucleolítica do DNA genômico (FRAGMENTAÇÃO DE DNA) em sítios internucleossômicos. Este modo de morte celular serve como um equilíbrio para a mitose no controle do tamanho dos tecidos animais e mediação nos processos patológicos associados com o crescimento tumoral.Camundongos Endogâmicos C57BLTranscrição Genética: Biossíntese de RNA realizada a partir de um molde de DNA. A biossíntese de DNA a partir de um molde de RNA é chamada de TRANSCRIÇÃO REVERSA.Células Epiteliais: Células que revestem as superfícies interna e externa do corpo, formando camadas celulares (EPITÉLIO) ou massas. As células epiteliais que revestem a PELE, a BOCA, o NARIZ e o CANAL ANAL derivam da ectoderme; as que revestem o APARELHO RESPIRATÓRIO e o APARELHO DIGESTIVO derivam da endoderme; outras (SISTEMA CARDIOVASCULAR e SISTEMA LINFÁTICO), da mesoderme. As células epiteliais podem ser classificadas principalmente pelo formato das células e pela função em escamosas, glandulares e de transição.Craniossinostoses: Fechamentos prematuros de uma ou mais SUTURAS DO CRÂNIO. Frequentemente resulta em plagiocefalia. As craniossinostoses que envolvem suturas múltiplas estão algumas vezes associadas com síndromes congênitas como ACROCEFALOSSINDACTILIA e DISOSTOSE CRANIOFACIAL.Embrião de Mamíferos: Entidade de um mamífero (MAMÍFEROS) em desenvolvimento, geralmente que abrange da clivagem de um ZIGOTO até o término da diferenciação embrionária das estruturas básicas. Nos humanos, o embrião representa os dois primeiros meses do desenvolvimento intrauterino que antecedem os estágios do FETO.Fenótipo: Aparência externa do indivíduo. É o produto das interações entre genes e entre o GENÓTIPO e o meio ambiente.Isoformas de Proteínas: Formas diferentes de uma proteína que pode ser produzida a partir de GENES diferentes, ou a partir do mesmo gene por PROCESSO ALTERNATIVO.Camundongos Knockout: Linhagens de camundongos nos quais certos GENES dos GENOMAS foram desabilitados (knocked-out). Para produzir "knockouts", usando a tecnologia do DNA RECOMBINANTE, a sequência do DNA normal no gene em estudo é alterada para impedir a síntese de um produto gênico normal. Células clonadas, nas quais esta alteração no DNA foi bem sucedida, são então injetadas em embriões (EMBRIÃO) de camundongo, produzindo camundongos quiméricos. Em seguida, estes camundongos são criados para gerar uma linhagem em que todas as células do camundongo contêm o gene desabilitado. Camundongos knock-out são usados como modelos de animal experimental para [estudar] doenças (MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS) e para elucidar as funções dos genes.Acondroplasia: Distúrbio autossômico dominante, que é a forma mais frequente de nanismo com membros curtos. Os indivíduos afetados apresentam baixa estatura causada pelo encurtamento rizomélico dos membros, faces características com uma protuberância frontal e hipoplasia na região mediana da face, lordose lombar acentuada, limitação da extensão do ombro, GENU VARUM e mão em tridente. (Tradução livre do original: Online Mendelian Inheritance in Man, http://www.ncbi.nlm.nih.gov/omim/100800, Abril 20, 2001)Transformação Celular Neoplásica: Alterações celulares manifestadas pela evasão aos mecanismos de controle, aumento do potencial de crescimento populacional (proliferação), alterações na superfície celular, anormalidades cariotípicas, desvios bioquímicos e morfológicos da norma e outros atributos que conferem a habilidade de invadir, metastatizar e matar.Proteínas Proto-Oncogênicas c-sis: Proteínas celulares ligadas ao DNA, codificadas pelo gene sis (GENES SIS). Proteínas c-sis formam a cadeia B do FATOR DE CRESCIMENTO DERIVADO DE PLAQUETAS. A superexpressão de c-sis leva à gênese de tumores.Glucuronidase: Enzima que hidrolisa a ligação glicosídica na qual reside a função redutora do ácido glucurônico. Encontra-se em todos os tecidos animais, principalmente no fígado e no baço. Intervém na degradação do ácido hialurônico. A enzima glucuronidase beta hidrolisa seletivamente as ligações beta-glucosidurônicos e os grupos aril, acil ou álcool. (Tradução livre do original: Diccionario terminológico de ciencias médicas, Masson, 13a ed.)Receptor 1 de Fatores de Crescimento do Endotélio Vascular: Receptor de VEGF de 180 kDa encontrado principalmente em células endoteliais, essencial para a vasculogênese e manutenção dos vasos. Também é conhecido como Flt-1 (receptor 1 da tirosina quinase do tipo fms). Uma isoforma do receptor solúvel e obtida pelo processamento alternativo pode atuar como uma proteína ligante que regula a disponibilidade de vários ligantes do receptor VEGF e da transdução de sinal.Proteínas Recombinantes de Fusão: Proteínas recombinantes produzidas pela TRADUÇÃO GENÉTICA de genes fundidos formados pela combinação de SEQUÊNCIAS REGULADORAS DE ÁCIDOS NUCLEICOS de um ou mais genes com as sequências codificadoras da proteína de um ou mais genes.Regulação para Baixo: Efeito controlador negativo sobre os processos fisiológicos nos níveis molecular, celular ou sistêmico. No nível molecular, os principais sítios regulatórios incluem os receptores de membrana, genes (REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO GÊNICA), RNAm (RNA MENSAGEIRO) e proteínas.Primers do DNA: Sequências curtas (geralmente em torno de 10 pares de bases) de DNA que são complementares à sequência do RNA mensageiro e permite a transcriptase reversa, copiando as sequências adjacentes de RNAm. Os primers são utilizados largamente em técnicas de biologia molecular e genética.Receptores de Fatores de Crescimento Transformadores beta: Proteínas de superfície celular que se ligam a fatores transformadores de crescimento beta e desencadeiam alterações que influenciam o comportamento celular. Dois tipos de receptores de fatores transformadores de crescimento têm sido reconhecidos. Eles diferem na afinidade por diferentes membros da família de fatores transformadores de crescimento beta e nos mecanismos de ação celular.Meios de Cultura Livres de Soro: MEIOS DE CULTURA sem proteínas séricas, mas contendo as substâncias essenciais mínimas necessárias para o crescimento celular. Esse tipo de meio evita a presença de substâncias estranhas que podem afetar a proliferação celular ou ativar desnecessariamente as células.Displasia Tanatofórica: Forma severa de nanismo (dwarfismo) neonatal com membros muito curtos. Todos os casos morrem ao nascer ou no período neonatal.Proteína Quinase 3 Ativada por Mitógeno: MAP quinase regulada por sinal extracelular de 44 kDa, que desempenha um papel no início e regulação da MEIOSE, MITOSE e funções após mitose em células diferenciadas. Fosforila vários FATORES DE TRANSCRIÇÃO e PROTEÍNAS ASSOCIADAS AOS MICROTÚBULOS.Sistema de Sinalização das MAP Quinases: Sistema de sinalização intracelular que envolve as cascatas das MAP quinases (cascatas de três membros de proteína quinase). Vários ativadores de início de cadeia que atuam em resposta ao estímulo extracelular deflagrando a cascata através da ativação do primeiro membro da cascata, a MAP QUINASE QUINASE QUINASES (MAPKKKs). As MAPKKKs ativadas fosforilam as QUINASES DE PROTEÍNA QUINASE ATIVADAS POR MITÓGENO, que por sua vez, fosforilam as PROTEÍNAS QUINASES ATIVADAS POR MITÓGENO (MAPKs). As MAPKs atuam, então, em vários alvos situados em passos mais avançados da cascata que afetam, por sua vez, a expressão gênica. Em mamíferos, existem distintas vias de MAPs quinase, incluindo a via ERK (quinase controlada pela sinalização extracelular), a via SAPK/JNK (proteína quinase c-jun ativada pelo estresse) e a via quinase p38. Existem alguns componentes compartilhados por essas vias dependendo do tipo de estímulo que deu origem a ativação da cascata.Comunicação Parácrina: Sinalização celular, na qual um fator secretado por uma célula afeta outras células no ambiente local. Esta expressão é frequentemente usada para denotar a ação dos PEPTÍDEOS E PROTEÍNAS DE SINALIZAÇÃO INTERCELULAR sobre as células circundantes.Receptor beta de Fator de Crescimento Derivado de Plaquetas: Receptor de PDGF que se liga especificamente à cadeia de PDGF-B. Contém uma atividade de proteína-tirosina quinase que está envolvida na TRANSDUÇÃO DE SINAL.Fatores de Transcrição: Substâncias endógenas, usualmente proteínas, que são efetivas na iniciação, estimulação ou terminação do processo de transcrição genética.Camundongos Transgênicos: Camundongos de laboratório que foram produzidos de um OVO ou EMBRIÃO DE MAMÍFEROS, manipulados geneticamente.Modelos Biológicos: Representações teóricas que simulam o comportamento ou a actividade de processos biológicos ou doenças. Para modelos de doença em animais vivos, MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS está disponível. Modelos biológicos incluem o uso de equações matemáticas, computadores e outros equipamentos eletrônicos.Disostose Craniofacial: CRANIOSSINOSTOSE autossômica dominante com ÓRBITA rasa, EXOFTALMIA e hipoplasia do maxilar.Proteína Quinase 1 Ativada por Mitógeno: Serina/treonina quinase direcionada a prolinas, mediadora da transdução de sinal da superfície celular para o núcleo. A ativação da enzima por fosforilação leva à translocação para o núcleo, onde atua sobre fatores de transcrição específicos. São isoformas p40 MAPK e p41 MAPK.Epitélio: Uma ou mais camadas de CÉLULAS EPITELIAIS, sustentadas pela lâmina basal, que recobrem as superfícies internas e externas do corpo.Células PC12: LINHAGEM CELULAR derivada de um FEOCROMOCITOMA da MEDULA SUPRARRENAL de rato. As células PC12 cessam sua divisão e passam por diferenciação terminal quando tratadas com o fator de crescimento neuronal, tornando esta linhagem um modelo útil para o estudo da diferenciação de CÉLULAS NERVOSAS.Contagem de Células: Número de CÉLULAS de um tipo específico, geralmente medido por unidade de volume ou área da amostra.Capilares: Minusculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.Tirosina: Aminoácido não essencial. Em animais, é sintetizada a partir da FENILALANINA. Também é o precursor da EPINEFRINA, HORMÔNIOS TIREÓIDEOS e melanina.Técnicas de Cultura de Células: Métodos para manutenção ou proliferação de CÉLULAS in vitro.Proteínas Morfogenéticas Ósseas: Fatores reguladores de crescimento ósseo que são membros da superfamília das proteínas de fator transformador de crescimento beta. São sintetizadas como grandes moléculas precursoras que são clivadas por enzimas proteolíticas. A forma ativa pode consistir em um dímero de duas proteínas idênticas ou um heterodímero de duas proteínas morfogenéticas ósseas associadas.Proteínas: Polipeptídeos lineares sintetizados nos RIBISSOMOS e posteriormente podem ser modificados, entrecruzados, clivados ou agrupados em proteínas complexas com várias subunidades. A sequência específica de AMINOÁCIDOS determina a forma que tomará o polipeptídeo, durante o DOBRAMENTO DE PROTEÍNA e a função da proteína.Inibidores Enzimáticos: Compostos ou agentes que se combinam com uma enzima de tal maneira a evitar a combinação substrato-enzima normal e a reação catalítica.Células Endoteliais: CÉLULAS EPITELIAIS altamente especializadas que revestem o CORAÇÃO, VASOS SANGUÍNEOS e linfáticos, formando o ENDOTÉLIO. Têm forma poligonal e são unidas por JUNÇÕES ÍNTIMAS que apresentam permeabilidade variável a macromoléculas específicas (transportadas através da camada endotelial).Somatomedinas: Polipeptídeos similares à insulina produzidos pelo fígado e alguns fibroblastos e liberados na corrente sanguínea quando estimulados pela SOMATOTROPINA. Causam incorporação de sulfato pelo colágeno, RNA e síntese de DNA, os quais são pré-requisitos para a divisão celular e crescimento do organismo.Proteínas de Membrana: Proteínas encontradas em membranas, incluindo membranas celulares e intracelulares. Consistem em dois grupos, as proteínas periféricas e as integrais. Elas incluem a maioria das enzimas associadas a membranas, proteínas antigênicas, proteínas de transporte e receptores de drogas, hormônios e lectinas.Adesão Celular: Aderência de células a superfícies ou a outras células.Modelos Animais de Doenças: Doenças animais ocorrendo de maneira natural ou são induzidas experimentalmente com processos patológicos suficientemente semelhantes àqueles de doenças humanas. São utilizados como modelos para o estudo de doenças humanas.Reação em Cadeia da Polimerase: Método in vitro para produção de grandes quantidades de DNA específico ou fragmentos de RNA de comprimento definido de pequenas quantidades de oligonucleotídeos curtos de sequências flanqueantes (iniciadores ou "primers"). O passo essencial inclui desnaturação térmica de moléculas alvo da dupla fita, reassociação dos primers a suas sequências complementares e extensão do iniciador reassociado pela síntese enzimática com DNA polimerase. A reação é eficiente, específica e extremamente sensível. A utilização da reação inclui diagnóstico de doenças, detecção de patógenos difíceis de se isolar, análise de mutações, teste genético, sequenciamento de DNA e análise das relações evolutivas.Receptores de Fator de Crescimento Neural: Receptores de superfície celular que se ligam ao FATOR DE CRESCIMENTO NEURAL (FCN) e a uma família de fatores neurotróficos relacionada com o FCN que inclui as neurotrofinas, FATOR NEUROTRÓFICO DERIVADO DO ENCÉFALO e FATOR NEUROTRÓFICO CILIAR.MAP Quinases Reguladas por Sinal Extracelular: Subfamília de proteína quinase ativada por mitógeno que é amplamente expressa e desempenha um papel na regulação da MEIOSE, MITOSE e funções após a mitose em células diferenciadas. O sinal extracelular regulado pelas MAP quinases são regulados por uma ampla variedade de RECEPTORES DA SUPERFÍCIE CELULAR e podem ser ativados por alguns CARCINÓGENOS.Proteínas de Ligação a DNA: Proteínas que se ligam ao DNA. A família inclui proteínas que se ligam às fitas dupla e simples do DNA e também inclui proteínas de ligação específica ao DNA no soro, as quais podem ser utilizadas como marcadores de doenças malignas.Regiões Promotoras Genéticas: Sequências de DNA reconhecidas (direta ou indiretamente) e ligadas por uma RNA polimerase dependente de DNA durante a iniciação da transcrição. Sequências altamente conservadas dentro do promotor incluem a caixa de Pribnow nem bactérias e o TATA BOX em eucariotos.Meios de Cultura: Qualquer preparação líquida ou sólida preparada especificamente para o crescimento, armazenamento ou transporte de micro-organismos ou outros tipos de células. A variedade de meios existentes (como os meios diferenciados, seletivos, para teste, e os definidos) permite o cultivo de micro-organismos e tipos celulares específicos. Os meios sólidos são constituídos de meios líquidos que foram solidificados com um agente como AGAR ou GELATINA.Receptor alfa de Fator de Crescimento Derivado de Plaquetas: Receptor de PDGF que se liga especificamente tanto às cadeias de PDGF-A como de PDGF-B. Contém uma atividade de proteína-tirosina quinase que está envolvida na TRANSDUÇÃO DE SINAL.DNA Complementar: DNA complementar de fita única sintetizado a partir de um molde de RNA pela ação da DNA polimerase dependente de RNA. O DNAc (DNA complementar, não DNA circular, não C-DNA) é utilizado numa variedade de experimentos de clonagem molecular assim como servem como uma sonda de hibridização específica.Músculo Liso Vascular: Tecido muscular não estriado e de controle involuntário que está presente nos vasos sanguíneos.Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO.Células NIH 3T3: Linhagem celular contínua com alta inibição de contato estabelecida a partir de culturas de embriões de camundongo NIH Swiss. As células são úteis para estudos de transfecção e transformação de DNA.Sítios de Ligação: Partes de uma macromolécula que participam diretamente em sua combinação específica com outra molécula.Regulação Neoplásica da Expressão Gênica: Qualquer dos processos pelos quais fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influem no controle diferencial da ação gênica no tecido neoplásico.Ensaio de Imunoadsorção Enzimática: Imunoensaio utilizando um anticorpo ligado a uma enzima marcada, tal como peroxidase de raiz-forte (ou rábano silvestre). Enquanto a enzima ou o anticorpo estiverem ligados a um substrato imunoadsorvente, ambos retêm sua atividade biológica; a mudança na atividade enzimática como resultado da reação enzima-anticorpo-antígeno é proporcional à concentração do antígeno e pode ser medida por espectrofotometria ou a olho nu. Muitas variações do método têm sido desenvolvidas.Morfogênese: Desenvolvimento das estruturas anatômicas para gerar a forma de um organismo uni- ou multicelular. A morfogênese fornece alterações de forma de uma ou várias partes ou do organismo inteiro.Comunicação Autócrina: Modo de comunicação em que um hormônio unido afeta a função do tipo de célula que produziu o hormônio.Actinas: Proteínas filamentosas, principais constituintes dos delgados filamentos das fibras musculares. Os filamentos (também conhecidos como filamentos ou actina-F) podem ser dissociados em suas subunidades globulares. Cada subunidade é composta por um único polipeptídeo de 375 aminoácidos. Este é conhecido como actina-G ou globular. Em conjunção com a MIOSINA, a actina é responsável pela contração e relaxamento do músculo.Linhagem Celular Transformada: Linhagem de células eucarióticas obtidas de uma fase quiescente ou estacionária que passa por uma conversão para um estado de crescimento desregulado em cultura, assemelhando-se a um tumor in vitro. Esta linhagem ocorre espontaneamente ou através da interação com vírus, oncogenes, radiação ou drogas/produtos químicos.Camundongos Endogâmicos BALB CProcessamento Alternativo: Processo pelo qual múltiplas transcrições de RNA são geradas a partir de um gene único. O processamento alternativo envolve o processamento conjunto de outros grupos de ÉXONS durante o processamento de algumas, mas não de todas as transcrições do gene. Assim um determinado éxon pode ser conectado a qualquer um dos vários éxons alternativos para formar o RNA maduro. As formas alternativas maduras de RNA MENSAGEIRO produzem ISOFORMAS DE PROTEÍNAS, nas quais uma parte das isoformas é comum enquanto as outras partes são diferentes.Células Estromais: Células do tecido conjuntivo de um órgão que são encontradas no tecido conjuntivo frouxo. Estas células são mais frequentemente associadas com a mucosa uterina e o ovário, bem como com o sistema hematopoiético e outras regiões em geral.Suramina: Composto polianiônico com um mecanismo de ação desconhecido. É utilizado parenteralmente no tratamento da tripanossomíase africana e tem sido usada clinicamente com a dietilcarbazina para matar a Onchocerca adulta. (Tradução livre do original: AMA Drug Evaluations Annual, 1992, p1643) Demonstrou-se também possuir propriedades antineoplásicas potentes.Fibronectinas: Glicoproteínas encontradas na superfície de células, particularmente em estruturas fibrilares. As proteínas são perdidas ou reduzidas quando essas células sofrem transformação viral ou química. São altamente susceptíveis à proteólise e são substratos para o fator VIII ativado da coagulação sanguínea. As formas presentes no plasma são chamadas globulinas insolúveis a frio.Fator de Crescimento Transformador beta2: Subtipo de TGF-beta que foi originalmente identificado como um fator derivado de GLIOBLASTOMA, que inibe o crescimento dependente de antígeno tanto do auxiliar como dos linfócitos T citotóxicos. É sintetizado como uma molécula precursora que é clivada para formar o TGF-beta2 maduro e o peptídeo associado à latência TGF-beta2. A associação dos produtos da clivagem resulta na formação de uma proteína latente que deve ser ativada para se ligar ao seu receptor.Receptor IGF Tipo 1: Receptor de proteína-tirosina quinase que está intimamente relacionado em estrutura ao RECEPTOR DE INSULINA. Embora normalmente citado como receptor de IGF-I, liga-se tanto a IGF-I como IGF-II com alta afinidade. É constituído de um tetrâmero de duas subunidades alfa e duas beta que são derivadas da clivagem de uma única proteína precursora. A subunidade beta contém um domínio intrínseco de tirosina quinase.Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.Fosfatidilinositol 3-Quinases: Fosfotransferases que catalisam a conversão de 1-fosfatidilinositol a 1-fosfatidilinositol 3-fosfato. Muitos membros desta classe de enzimas estão envolvidos na TRANSDUÇÃO DE SINAL MEDIADA POR RECEPTOR e na regulação do transporte de vesículas na célula. As fosfatidilinositol 3-quinases têm sido classificadas de acordo com a especificidade do substrato e com o modo de ação na célula.Clonagem Molecular: Inserção de moléculas de DNA recombinante de origem procariótica e/ou eucariótica em um veículo replicante, tal como um plasmídeo ou vírus vetores, e a introdução das moléculas híbridas resultantes em células receptoras, sem alterar a viabilidade dessas células.Immunoblotting: Método imunológico usado para detectar ou quantificar substâncias imunorreativas. Inicialmente a substância é identificada pela sua imobilização através de blotting em uma membrana, e então, rotulando-a com anticorpos marcados.Anticorpos: Moléculas de imunoglobulinas com uma dada sequência específica de aminoácidos a ponto de só ser possível sua interação com determinado antígeno (ver ANTÍGENOS), ou com molécula estruturalmente muito semelhante. A síntese de anticorpos ocorre nas PLASMÓCITOS da série linfoide como resposta à indução pelo antígeno.Ligantes: Moléculas que se ligam a outras moléculas. O termo é usado especialmente para designar uma pequena molécula que se liga especificamente a uma molécula maior, e.g., um antígeno que se liga a um anticorpo, um hormônio ou neurotransmissor que se liga a um receptor, ou um substrato ou efetor alostérico que se liga a uma enzima. Ligantes são também moléculas que doam ou aceitam um par de elétrons, formando uma ligação covalente coordenada com o átomo metálico central de um complexo de coordenação. (Dorland, 28a ed)Cricetinae: Subfamília (família MURIDAE) que compreende os hamsters. Quatro gêneros mais comuns são: Cricetus, CRICETULUS, MESOCRICETUS e PHODOPUS.Peptídeos: Membros da classe de compostos constituídos por AMINOÁCIDOS ligados entre si por ligações peptídicas, formando estruturas lineares, ramificadas ou cíclicas. Os OLIGOPEPTÍDEOS são compostos aproximadamente de 2 a 12 aminoácidos. Os polipeptídeos são compostos aproximadamente de 13 ou mais aminoácidos. As PROTEÍNAS são polipeptídeos lineares geralmente sintetizados nos RIBOSSOMOS.TimidinaProteínas da Matriz Extracelular: Compostos orgânicos macromoleculares que contêm carbono, hidrogênio, oxigênio, nitrogênio e, geralmente, enxofre. Essas macromoléculas (proteínas) formam uma malha intrincada reticulada na qual as células se inserem para construir os tecidos. Variações nos tipos relativos de macromoléculas e sua organização determina o tipo de matriz extracelular, cada uma adaptada para os requisitos funcionais do tecido. As duas principais classes de macromoléculas que formam a matriz extracelular são: as glicosaminoglicanas, geralmente ligadas a proteínas (proteoglicanas) e proteínas fibrosas (ex., COLÁGENO, ELASTINA, FRIBRONECTINAS e LAMININA).Proteínas de Transporte: Proteínas de transporte que carreiam substâncias específicas no sangue ou através das membranas.Proteínas Serina-Treonina Quinases: Grupo de enzimas que catalisa a fosforilação de resíduos de serina ou treonina nas proteínas, com ATP ou outros nucleotídeos como doadores de fosfato.Fator de Crescimento Transformador beta3: Subtipo de TGF-beta que desempenha um papel na regulação da interação entre o epitélio e o mesênquima durante o desenvolvimento embrionário. É sintetizado como uma molécula precursora que é clivada para formar o TGF-beta3 maduro e o peptídeo associado à latência TGF-beta3. A associação dos produtos da clivagem resulta na formação de uma proteína latente que deve ser ativada para se ligar ao seu receptor.Sinergismo Farmacológico: Ação de uma droga na promoção ou no aumento da efetividade de uma outra droga.Peso Molecular: Soma do peso de todos os átomos em uma molécula.Imunofluorescência: Teste para antígeno tecidual utilizando um método direto, por conjugação de anticorpo e pigmento fluorescente (TÉCNICA DIRETA DE FLUORESCÊNCIA PARA ANTICORPO) ou um método indireto, pela formação do complexo antígeno-anticorpo que é então ligado a uma fluoresceína conjugada a um anticorpo anti-imunoglobulina (TÉCNICA INDIRETA DE FLUORESCÊNCIA PARA ANTICORPO). O tecido é então examinado por microscopia de fluorescência.Córnea: Porção anterior (transparente) da túnica fibrosa que reveste o olho, composta por cinco camadas: EPITÉLIO DA CÓRNEA (estratificado escamoso) LÂMINA LIMITANTE ANTERIOR, ESTROMA CORNEAL, LÂMINA LIMITANTE POSTERIOR e ENDOTÉLIO DA CÓRNEA (mesenquimal). Serve como primeiro meio de refração do olho. Estruturalmente, continua-se com a ESCLERA, é avascular, e recebe os nutrientes por permeação através de espaços entre as lamelas. É inervada pela divisão oftálmica do NERVO TRIGÊMEO (via nervos ciliares) e pelos da conjuntiva ao redor que, juntos, formam plexos. (Tradução livre do original: Cline et al., Dictionary of Visual Science, 4th ed)Anticorpos Monoclonais: Anticorpos produzidos porum único clone de células.Veias Umbilicais: Vasos venosos no cordão umbilical. Transportam sangue oxigenado, rico em nutrientes da mãe ao FETO (via PLACENTA). Em humanos, normalmente há uma veia umbilical.Condrócitos: Células polimórficas que formam a cartilagem.Proteínas Proto-Oncogênicas c-met: Receptor epidérmico de proteína-tirosina quinase para o FATOR DE CRESCIMENTO DE HEPATÓCITO. Consistem de uma cadeia alfa extracelular que é ligada por dissulfeto à cadeia beta transmembrânica. A porção citoplasmática contém o domínio catalítico e sítios críticos para a regulação da atividade na quinase. Mutações do gene para as PROTEÍNAS PROTO-ONCOGÊNICAS C-MET estão associadas com carcinoma renal papilar e outras neoplasias.Fosfatos: Sais inorgânicos do ácido fosfórico.Coelhos: Espécie Oryctolagus cuniculus (família Leporidae, ordem LAGOMORPHA) nascem nas tocas, sem pelos e com os olhos e orelhas fechados. Em contraste com as LEBRES, os coelhos têm 22 pares de cromossomos.Marcadores Biológicos: Parâmetros biológicos mensuráveis e quantificáveis (p. ex., concentração específica de enzima, concentração específica de hormônio, distribuição fenotípica de um gene específico em uma população, presença de substâncias biológicas) que servem como índices para avaliações relacionadas com a saúde e com a fisiologia, como risco para desenvolver uma doença, distúrbios psiquiátricos, exposição ambiental e seus efeitos, diagnóstico de doenças, processos metabólicos, abuso na utilização de substâncias, gravidez, desenvolvimento de linhagem celular, estudos epidemiológicos, etc.Inibidores da Angiogênese: Agentes e substâncias endógenas que antagonizam ou inibem o desenvovlvimento de novos vasos sanguíneos.Colágeno Tipo I: Forma de colágeno fibrilar mais comum. É o principal constituinte do osso (OSSO E OSSOS) e PELE consistindo em um heterotrímero de duas cadeias alfa1 (I) e uma cadeia alfa2 (I).Proteínas Proto-Oncogênicas c-akt: Proteína-serina-treonina quinase ativada por FOSFORILAÇÃO em resposta aos FATORES DE CRESCIMENTO ou INSULINA. Desempenha um importante papel no metabolismo celular, crescimento e sobrevivência como componente central da TRANSDUÇÃO DE SINAL. Foram descritas três isoformas em células de mamíferos.Extremidades: Projeções mais distantes ou mais externas do corpo, como a MÃOS e PÉS.Transativadores: Produtos gênicos difusíveis que atuam em moléculas homólogas ou heterólogas de vírus ou DNA celular para regular a expressão de proteínas.RNA Interferente Pequeno: RNAs pequenos, de cadeia dupla, de codificação não proteica (21-31 nucleotídeos) envolvidos nas funções de INATIVAÇÃO GÊNICA, especialmente o RNA DE INTERFERÊNCIA (RNAi). Os siRNAs são endogenamente gerados a partir de dsRNAs (RNA DE CADEIA DUPLA) pela mesma ribonuclease, Dicer, que gera miRNAs (MICRORNAS). O pareamento perfeito das cadeias de siRNAs' antissenso com seus RNAs alvos medeia a clivagem do RNAi guiado por siRNA. Os siRNAs caem em diferentes classes, inclusive siRNA de atuação trans (tasiRNA), RNA com repetições associadas (rasiRNA), RNA de varredura pequena (scnRNA), e RNA de interação com a proteína Piwi (piRNA) e têm funções diferentes de inativação gênica específica.Fosfoproteínas

*  Interleucina - Wikipedia
IL-13: estimulação do crescimento e diferenciação das células B e inibe macrófagos;; sintetizada por células T IL-14: fator de ... IL-6: secretada pelos linfócitos T e B, endotélio, fibroblastos e macrófagos estimula o fígado na produção de proteínas da fase ... fator de crescimento de células NK IL-17: indução da produção de citocinas pró-inflamatórias IL-18: potencializa ações da IL-12 ... Antigamente possuíam nomes de acordo com sua ação, exemplo, "fator quimiotático de neutrófilos" para o IL-8, que ignoravam que ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Interleucina
*  Desdiferenciação celular - Wikipedia
... e fator de crescimento de epiderme. Processos de desdiferenciação também foram relatados durante a formação de tumores. Alguns ... Verifica-se que durante a regeneração de membros perdidos, fibroblastos, células da cartilagem, células do osso e fibras ... sugerem que durante a regeneração de fígados hepatócitos podem se desdiferenciar na presença de fator de crescimento do ... Rio de Janeiro: Guanabara Koogan Galliot, B (2006). «Hydra, a niche for cell and developmental plasticity». Seminars in Cell & ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Desdiferencia%C3%A7%C3%A3o_celular
*  Ozono e Óleos ozonizada em pele … - Ridiculum
"O papel do fator de crescimento do tecido conjuntivo, uma proteína matricellular multifuncional, em biologia de fibroblastos," ... O 3 exposição aumento dos níveis do fator de crescimento transformante (TGF - ??????), que é um fator crítico no tecido ... N. Yamada, W. Li, e W. Li, "o crescimento de células terapia genética fator endotelial derivado de plaquetas para isquemia de ... De facto, o maior tempo a ozonização quanto maior for a viscosidade do produto por causa do desaparecimento das ligações duplas ...
  https://www.ridiculum.pro/ozono-e-leos-ozonizada-em-pele.html
*  Análise da Expressão Imunoistoquímica do Fator Tecidual no Tumor de Wilms e sua relação com Angiogênese e Aspectos Clínico...
ELINÊS OLIVA MACIEL Análise da Expressão Imunoistoquímica do Fator Tecidual no Tumor de Wilms e sua relação com Angiogênese e ... o fator de crescimento derivado de plaquetas; o fator de crescimento do hepatócito; o fator beta de crescimento de fibroblastos ... Fatores de crescimento dos fibroblastos (FGF) Interleucina-12 Fator estimulador do granulócito/macrófago Trombospondina-1 Fator ... Pediátrica Densidade microvascular e colaboradores Fator de Crescimento Epidérmico Fator de Crescimento do Fibroblasto Fator ...
  http://docplayer.com.br/8211531-Analise-da-expressao-imunoistoquimica-do-fator-tecidual-no-tumor-de-wilms-e-sua-relacao-com-angiogenese-e-aspectos-clinico-patologicos.html
*  Farmacovigilancia - Exercícios Resolvidos - 4806 Palavras
Estudo Genético das várias formas de Nanismo Estudo das mutações no gene do Receptor 3 do Fator de Crescimento de Fibroblastos ... It presents legal and historical landmarks of great importance for the development of post marketing surveillance of drugs in ... 4.png","\/\/assets.trabalhosfeitos.com\/stm\/images\/placeholders\/default_paper_5.png"],"thumb_default_size":"160x220","thumb_ ... ":[],"text":[1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11,12,13,14,15,16,17,18,19,20]}},"user":null,"canonicalUrl":"http:\/\/www.trabalhosfeitos.com ...
  http://www.trabalhosfeitos.com/ensaios/Farmacovigilancia/615906.html
*  Surgical And Cosmetic Dermatology - Avaliação bioquímica e toxicológica de uma água mineral brasileira e seus efeitos cutâneos...
A proliferação de fibroblastos observada nesse teste pode ter ocorrido devido à presença de íons necessários para o cresci- ... Diminuição da atividade do fator de transcrição nuclear (NF-¿ß) A atividade do NF-kß foi avaliada por meio de cultura de ... Estimulação da proliferação de fibroblastos. Para avaliar o estímulo do crescimento celular, foi feita fixação e lise, com ... Diminuição da atividade do fator de transcrição nuclear (NF-¿ß). Testes científicos com queratinócitos cultivados in vitro ...
  http://www.surgicalcosmetic.org.br/detalhe-artigo/145/Avaliacao-bioquimica-e-toxicologica-de-uma-agua-mineral-brasileira-e-seus-efeitos-cutaneos-em-uso-topico
*  Ativo multifuncional para corpo e rosto, que reúne as propriedades da Cavalinha, Gingko Biloba e Centella Asiática. Ginkgo...
... que possa ter atividade parecida com o fator de crescimento ou a capacidade de estimular a expressão de fator de crescimento ... Estudos mostram que a C. asiática possui propriedades anti-inflamatória, antimicrobiana, antifúngica e induz os fibroblastos ... Atualização Mensal em: Delineador para Crescimento dos Cílios E m p r e g o d o s F a t o r e s d e Crescimento IGF, bfgf, afgf ... Fatores de Crescimento + Ácido Hialurônico Atualização em Terapêutica Dermatológica 1 Fatores de Crescimento + Ácido ...
  http://docplayer.com.br/56316270-Ativo-multifuncional-para-corpo-e-rosto-que-reune-as-propriedades-da-cavalinha-gingko-biloba-e-centella-asiatica-ginkgo-biloba.html
*  Esqueleto - Wikipedia
... o fator de transformação do crescimento beta, o fator de crescimento de fibroblastos, o fator de crescimento derivado de ... Estes fatores incluem o fator de crescimento semelhante à insulina I e II, ... Numerosos fatores de crescimento relativos a ossos foram isolados e classificados através de culturas de ossos. ... A liberação destes fatores de crescimento a partir da matriz óssea poderia causar a proliferação de precursores dos ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Esqueleto
*  Plasticidade cerebral - José Salomão Schwartzman
... fatores de crescimento dos fibroblastos  neurogulinas  fatores de crescimento insulina-like  fator de crescimento derivados ... fator de crescimento do hepatócito  neurotransmissores e neuroreguladores  outros fatores fatores neurotróficos  a classe de ... neurotróficos neurônios se aproximam do alvo fonte de fator neurotrófico quantidade reduzida neurônio degenerando de fator ... é um fator de diferenciação importante, pois a capacidade de elaboração de um bebê é diferente daquela de uma criança mais ...
  http://livrozilla.com/doc/15067/plasticidade-cerebral---jos%C3%A9-salom%C3%A3o-schwartzman
*  Doença de Gaucher - Wikipedia
Se ambos os pais forem portadores, a criança terá chance de 1:4 (ou 25%) de ter a doença de Gaucher, chance de 1:2 (ou 50%) de ... Esses sintomas ainda podem ser associado à fadiga, cansaço, plenitude gástrica pós-prandial e retardo de crescimento em ... ou nos fibroblastos ( tipo de células da pele). Quando há incerteza em relação ao diagnóstico, pode ser indicada uma biópsia da ... Tipo 2 ou forma neuropática aguda (Incidência menor que 1:100.000) - Afeta lactentes com 4-5 meses de idade, compromete cérebro ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Doen%C3%A7a_de_Gaucher
*  Xxx+Manual+de+Reumatologia+Da+Usp
fator de crescimento derivado de plaquetas (PDGF) e derivado do endotélio (VEGF). plasmócitos e monócitos. Em resumo o fator ... 3. macrófagos e fibroblastos. Autoanticorpos como fator reumatóide. Nódulos reumatóide - em cerca de 25% dos pacientes. Fatores ... Fator antinuclear. Fator rematóide c. Proteína C reativa e fator reumatóide c. Fator antinuclear b. d. Complemento e. Num check ... pode ser um fator precipitante. Fator Genético: A forte associação entre a ES e o fator genético vem principalmente de estudos ...
  https://pt.scribd.com/doc/128174961/Xxx-Manual-de-Reumatologia-Da-Usp
*  Artrite Reumatóide: Etiologia e Patogênese | MedicinaNET
As células T reguladoras (Tregs) são células que diferenciam sob a influência do fator de crescimento transformador ß (em ... Os osteoclastos são responsáveis pelas erosões ósseas, ao passo que os sinoviócitos semelhantes a fibroblastos são as células ... O fator reumatoide IgM é o fator detectado com mais frequência; às vezes, observa-se também a presença do fator reumatoide IgC ... Fator reumatoide sérico: demonstração de quantidades anormais do fator reumatoide no soro por qualquer método cujo resultado ...
  http://www.medicinanet.com.br/conteudos/acp-medicine/7352/artrite_reumatoide_etiologia_e_patogenese.htm
*  Mediador químico - Wikipedia
Também é um potente fator de crescimento para os fibroblastos. Hidrolases lisossômicas - beta hexosaminidase e beta ... TGF-b : funciona tanto como um fator de inibição como de estímulo. TGF-b é um inibidor de crescimento para a maioria das ... Os componentes da Via Alternativa são: properdina, fator B e fator D. Os componentes principais do Sistema Complemento que ... Alguns outros mediadores quimiotáticos: ECF-A: fator quimiotático de eosinófilos da anafilaxia; HMW-NCF: fator de quimiotaxia ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Mediador_qu%C3%ADmico
*  Interleucina-6 - Wikipedia
... fator de diferenciação de células B e fator de crescimento de hibridoma/plasmocitoma, sendo o nome IL-6 adquirido na década de ... células endoteliais e os fibroblastos, e pode ser estimulada pela interleucina1 (IL-1) e TNFα através de dois sistemas de ... A / IL-6 complexo de sIL-6R que pode estimular o crescimento de neurites e promover a sobrevivência de neurónios e, por ... Tem ação na hematopoiese levando ao crescimento de células-mãe primitivas hematopoiéticas e Está relacionada ao aumento da ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Interleucina-6
*  PREVENÇÃO DA FORMAÇÃO DE ESTRIAS - PDF
O principal fator extrínseco é o trauma mecânico ( estresse mecânico), porém, ainda mais ... fatores de crescimento fibroblásticos e fator de crescimento transformador. Esses fatores são os maestros que orquestram o ... 5 Estrutura dos fibroblastos destruídos durante a distensão e sem proteção Estrutura dos fibroblastos distendidos protegidos ... Usado na concentração de 2,5 a 6%. APLICAÇÃO DE FATORES DE CRESCIMENTO Fatores de crescimento são proteínas que se ligam aos ...
  http://docplayer.com.br/7379714-Prevencao-da-formacao-de-estrias.html
*  Role of immunohistochemistry in the diagnosis of lung cancer
O VEGF e o fator de crescimento de fibroblastos são dois dos maiores indutores de angiogênese produzidos em câncer de pulmão.( ... Se as células tumorais forem homozigotas para um mutante p53, não haverá significante inibição do crescimento após a transdução ... A angiogênese representa um fator importante ao permitir o crescimento tumoral, sua invasão e metástases. Os genes ou moléculas ... A proteína codificadora (p53) é provavelmente um fator de transcrição nuclear e também é um fator de supressão tumoral por ...
  http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-37132009000400012&lang=pt
*  Doenças do sistema nervoso periférico - Colin H. Chalk | MedicinaNET
... e fator de crescimento de nervo. Um amplo estudo randomizado, controlado por placebo, sobre o uso de fator de crescimento de ... A célula de Schwann (que é exclusiva do SNP) parece ser decisiva, embora outras células (p. ex., fibroblastos e macrófagos) ... fatores de crescimento e moléculas de adesão. Algumas destas moléculas (p. ex., fator de crescimento de nervo, N-caderina e ... Em um estudo de fase II, o fator de crescimento de nervo, quando comparado ao placebo, amenizou a dor neuropática de pacientes ...
  http://medicinanet.com.br/conteudos/acp-medicine/5390/doencas_do_sistema_nervoso_periferico_%E2%80%93_colin_h_chalk.htm
*  Célula germinativa - Wikipedia
Importante no crescimento e diferenciação celular. Descrita primeiramente em C.elegans, modulando o metabolismo e crescimento ... Outro fator importante na reprodução de volvocáceos é a indução da apoptose nas células adultas após a formação de zigoto, um ... Quando combinada com OCT4, SOX2 e NANOG, induz a pluripotência em fibroblastos humanos Aumenta a taxa de conversão de células- ... Development., 119(1):123-34 Storto, P. D. and King, R. C. (1988) Multiplicity of functions for the otu gene products during ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A9lula_germinativa
*  Effects of hormonal replacement therapy on colon anastomosis healing in rats
... à elevação da secreção do Fator de Crescimento- beta 1 (TGF-b1) latente, secretado pelos fibroblastos. Estes autores afirmaram ... Raine-Fenning NJ, Brincat MP, Muscat-Baron Y. Skin aging and menopause: implications for treatment. Am J Clin Dermatol. 2003; 4 ... Picrosirius staining plus polarization microscopy, a specific method for collagen detection in tissue sections. Histochem J. ... 1991; 51(4):1227-33. [ Links ]. 9. Wald A, Van Thiel DH, Hoechstetter L, Gavaler JS, Egler KM, Verm R, Scott L, Lester R. ...
  http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-86502005000300008
*  Carcinoma basocelular - Wikipedia
O crescimento do tumor é lento, mas se for negligenciado pode se espalhar de forma profunda e causar grande destruição, ... Morféico: caracateriza-se pelo fato de suas células induzirem a proliferação de fibroblastos na derme e uma deposição maior de ... Nutrition for Healthy Skin: Strategies for Clinical and Cosmetic Practice (em inglês). [S.l.]: Springer Science & Business ... and cause-specific mortality for 249 causes of death, 1980-2015: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Carcinoma_basocelular
*  AVALIAÇÃO POR MEIO DE MEV DA REGIÃO PERIIMPLANTAR APÓS IRRADIAÇÃO COM LASER DIODO, INFRAVERMELHO - PDF
... como o fator de crescimento de fibroblastos (FGF), fator de crescimento derivado de plaquetas (PDGF), fator do crescimento ... Hydrasalinol Anti-aging com fator 60 de hidratação Hydrasalinol Anti-aging com fator 60 de hidratação Reestruturação Biológica ... Estudos em cães relacionam a combinação de fatores de crescimento derivados de plaquetas, fatores de crescimento semelhantes ao ... causaria transformação dos fatores de crescimento e fatores de crescimento derivados de plaquetas originadas nos fibroblastos, ...
  http://docplayer.com.br/8206021-Avaliacao-por-meio-de-mev-da-regiao-periimplantar-apos-irradiacao-com-laser-diodo-infravermelho.html
*  Peroxissoma - Wikipedia
Esse acúmulo na célula leva a uma ativação sustentada da PPAR α (fator de transcrição), que, por sua vez, induz a expressão de ... Crescimento assimétrico e divisão de organelas pré-existentes. Degradação: Pela via da autofagia lisossômica, a chamada ... Esse achado é baseado em pesquisas que demonstraram que a restauração da catalase em fibroblastos envelhecidos reverte a ... um fator de transcrição responsável por promover a regulação da resposta imune. Esse mecanismo é tão importante que diversos ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Peroxissoma
*  Treating Achondroplasia
An English-Portuguese-Spanish blog reviewing current and potential therapies for achondroplasia. ... A desproporção ocorre porque os ossos longos são mais afetados pela mutação no receptor de fator de crescimento de fibroblastos ... mas mostraram atividade contra o receptor de fator de crescimento de fibroblastos 3 (FGFR3) no laboratório e também poderiam ... Figura 1. Tendências da velocidade de crescimento (página 67).. Z-Scores. Os padrões de crescimento variam amplamente na ...
  http://tratando-acondroplasia.blogspot.com.br
*  Genética médica - Wikipedia
A composição da dieta muda de acordo com as necessidades calóricas da criança em crescimento e atenção especial é necessária ... Testes específicos de função enzimática (em leucócitos, fibroblastos da pele, fígado ou músculo) também são utilizados em ... A general method for the detection of large CAG repeat expansions by fluorescent PCR.». Journal of Medical Genetics. 33 (12): ... de fatores de coagulação nas coagulopatias hereditárias e de hormônio de crescimento na deficiência de hormônio de crescimento ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Gen%C3%A9tica_m%C3%A9dica
*  Glândula salivar - Wikipedia
Por exemplo, se o mesênquima de outra glândula que não seja salivar for combinado com o epitélio de uma glândula salivar, o ... O componente de tecido conjuntivo das glândulas salivares é o mesmo de outras partes do corpo e compreende fibroblastos, ... A inervação simpática é relacionada à diferenciação assinar, e a parassimpática, ao crescimento total. As glândulas parótidas ... no sangue venoso da glândula quando esta for estimulada. Como já indicado, apresentam-se modificações do conteúdo de grânulos ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Gl%C3%A2ndula_salivar

Transfecção: Transfecção é o processo de introdução intencional de ácido nucleicos nas células. O termo é usado sobretudo para métodos não-virais nas células eucarióticas.Long terminal repeat: Long Terminal Repeats (LTR) são grandes sequências repetitivas de nucleotídeos que medem centenas ou milhares de bases. As LTRs são encontradas nas extremidades de uma molécula de ácido nucléico, flanqueando genes funcionais, como em DNA retroviral e em retrotransposons.Estrutura primária: A estrutura primária é dada pela sequência de aminoácidos ao longo da cadeia polipeptídica. É o nível estrutural mais simples e mais importante, pois dele deriva todo o arranjo espacial da molécula.Pecuária de corte: Pecuária de corte é um dos ramos de atividade que exerce o pecuarista, ou o criador de rebanho.Ferida: Uma ferida é uma [na continuidade] de um [[tecido corpóreo. Tal interrupção pode ser provocada por algum trauma, ou ainda ser desencadeada por uma [que acione as defesas do [[organismo].Mesênquima: Mesênquima é um tecido embrionário derivado da mesoderme. Durante suas fases de transformação, o mesoderma origina uma espécie de tecido conjuntivo primitivo chamado mesênquima.ColágenoHipofosfatemia: Hipofosfatemia é o nível baixo de fósforo no plasma sanguíneo, ou seja, abaixo de 2,3 mg/dL.EnzimaMatriz extracelular: Chama-se matriz extracelular à massa que une as células dos animais e que é composta de colágeno, proteoglicanos, glicoproteínas e integrinas, segregadas pelas próprias células. Para além de permitir a migração das células durante o desenvolvimento embrionário, esta matriz é também um fator de coesão e de flexibilidade do corpo dos animais.Proteoglicano: Proteoglicanos são proteínas intracelulares ligadas à glicosaminoglicanos (estruturas que possuem um dos açúcares aminados e normalmente sulfatados). Os glicosaminoglicanos possuem alta quantidade de carga negativa e por isso acabam atraindo uma nuvem de cátions, onde o mais atraído é o sódio que traz com ele moléculas de água.Ida Pfeiffer: Ida Laura Pfeiffer (Viena, - Viena, ) foi uma exploradora e escritora de livros de viagens austríaca.


  • pode
  • 4. Adenosina: é liberado através da desgranulação dos mastócitos e pode se ligar a receptores de superfície de muitos tipos celulares. (wikipedia.org)
  • É produzida por muitos tipos celulares, sendo suas principais fontes os monócitos, macrófagos, células endoteliais e os fibroblastos, e pode ser estimulada pela interleucina1 (IL-1) e TNFα através de dois sistemas de segundo - mensageiro: proteínase-C e AMP cíclico (1,2). (wikipedia.org)
  • HIDRATAÇÃO Controle do Fator Extrínsico Além do banho diário constituir uma necessidade higiênica, este pode ser vivenciado como ritual de cuidados com a pele. (docplayer.com.br)
  • O carcinoma basocelular é de crescimento lento e pode lesionar os tecidos envolventes, mas é pouco provável que se alastre para éreas distantes ou que seja uma causa de morte. (wikipedia.org)
  • Outras
  • Como veremos abaixo, parece que as mudanças nos padrões de crescimento são lentas, por isso é possível que um ano não baste para apontar benefícios adicionais nessas outras três coortes, e talvez isso possa ser uma razão pela qual os dados delas não terem sido divulgados. (blogspot.com.br)
  • sendo
  • 4. Reepitelização - O crescimento do epitélio nas bordas da ferida se faz precocemente, sendo que as células epiteliais apresentam mitoses e começam a se intrometer por debaixo da crosta. (blogspot.com)
  • induz
  • Nos macrófagos, IL-4 induz a expressão de MHC de classe II, mas inibe a produção de citocinas pró-inflamatórias do (IL-1 e Factor de necrose tumoral alfa). (wikipedia.org)
  • Quando combinada com OCT4, SOX2 e NANOG, induz a pluripotência em fibroblastos humanos Aumenta a taxa de conversão de células-tronco embrionárias em células germinativas primordiais Sua deleção em camundongo gerou uma população com baixa quantidade de células germinativas primordiais e fertilidade reduzidas. (wikipedia.org)
  • principalmente
  • (3) Entretanto, mesmo no estádio clínico IA (T1N0M0), 30-40% dos pacientes morrerão em consequência da progressão da neoplasia, (4-6) principalmente às custas de recidiva sistêmica. (scielo.br)
  • idade
  • 8 4.3.2 Histologia Estagiamento Expressão imunoistoquímica da angiogênese Expressão imunoistoquímica do fator tecidual Recidivas (recorrência local e/ou metástases à distância) Óbitos Análise Estatística Ética RESULTADOS Caracterização da Amostra Idade Histologia Estagiamento Densidade Microvascular Expressão do Fator Tecidual Análise Multivariada DISCUSSÃO CONCLUSÕES REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS. (docplayer.com.br)
  • 1998)  foi demonstrada neurogênese no hipocampo de homens com idade média de 64,4 +- 2,9  estes indivíduos haviam recebido injeção de bromodeoxiuridina, com finalidades diagnósticas  neurônios com o DNA marcado por esta substância foram identificados em espécimens cerebrais destes pacientes plasticidade do sistema nervoso neurogênese (Mezey et al. (livrozilla.com)