Desenvolvimento Embrionário: Desenvolvimento morfológico e fisiológico do EMBRIÃO.Regulação da Expressão Gênica no Desenvolvimento: Qualquer [um] dos processos pelo qual os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influem sobre o controle diferencial da ação gênica durante as fases de desenvolvimento de um organismo.Desenvolvimento Embrionário e Fetal: Desenvolvimento morfológico e fisiológico do EMBRIÃO e FETO.Embrião de Mamíferos: Entidade de um mamífero (MAMÍFEROS) em desenvolvimento, geralmente que abrange da clivagem de um ZIGOTO até o término da diferenciação embrionária das estruturas básicas. Nos humanos, o embrião representa os dois primeiros meses do desenvolvimento intrauterino que antecedem os estágios do FETO.Embrião não Mamífero: Entidade que se desenvolve de um ovo fertilizado (ZIGOTO) em espécies animais diferentes de MAMÍFEROS. Para galinhas, usa-se o termo EMBRIÃO DE GALINHA.Blastocisto: Pré-implantação do embrião de mamíferos após a MÓRULA que se desenvolve a partir do estágio de 32 células para uma bola preenchida por líquido com centenas de células. Um blastocisto possui dois tecidos distintos. A camada externa do trofoblasto dá origem aos tecidos extraembrionários. A massa celular interna dá origem ao disco embrionário e ao próprio embrião final.Peixe-Zebra: Espécie exótica de peixes (família CYPRINIDAE) oriundos da Ásia, que foram introduzidos na América do Norte. Usados em estudos embriológicos e para estudar o efeito de agentes químicos no desenvolvimento.Hibridização In Situ: Técnica que localiza sequências específicas de ácidos nucleicos em cromossomos intactos, células eucarióticas ou células bacterianas através do uso de sondas específicas de ácidos nucleicos marcados.Perda do Embrião: Perda precoce de uma gravidez durante o estágio de desenvolvimento do EMBRIÃO DE MAMÍFEROS. Em humanos, este período compreende entre a segunda e oitava semanas após fertilização.Embrião de Galinha: Entidade que se desenvolve de um ovo de galinha fertilizado (ZIGOTO). O processo de desenvolvimento começa cerca de 24 h antes de o ovo ser disposto no BLASTODISCO, uma mancha esbranquiçada, pequena na superfície da GEMA DO OVO. Após 21 dias de incubação, o embrião está completamente desenvolvido antes da eclosão.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Proteínas de Peixe-Zebra: Proteínas obtidas do PEIXE-ZEBRA. Nestas espécies muitas destas proteínas foram o sujeito de estudos envolvendo o desenvolvimento embrionário básico (EMBRIOLOGIA).Gravidez: Estado durante o qual os mamíferos fêmeas carregam seus filhotes em desenvolvimento (EMBRIÃO ou FETO) no útero (antes de nascer) começando da FERTILIZAÇÃO ao NASCIMENTO.Oócitos: Células germinativas femininas derivadas dos OOGÔNIOS e denominados OÓCITOS quando entram em MEIOSE. Os oócitos primários iniciam a meiose, mas detêm-se durante o estágio diplóteno até a OVULAÇÃO na PUBERDADE para produzir oócitos ou óvulos secundários haploides (ÓVULO).Zigoto: ÓVULO fecundado, resultante da fusão entre um gameta feminino e um masculino.Morfogênese: Desenvolvimento das estruturas anatômicas para gerar a forma de um organismo uni- ou multicelular. A morfogênese fornece alterações de forma de uma ou várias partes ou do organismo inteiro.Diferenciação Celular: Restrição progressiva do potencial para desenvolvimento e especialização crescente da função que leva à formação de células, tecidos e órgãos especializados.Fatores de Transcrição: Substâncias endógenas, usualmente proteínas, que são efetivas na iniciação, estimulação ou terminação do processo de transcrição genética.Padronização Corporal: Processos que ocorrem no início do desenvolvimento e que direcionam a morfogênese. Especificam o projeto corporal garantindo que a células irão se diferenciar, crescer e se diversificar tanto no tamanho como na forma nos locais corretos. Inclusos estão a padronização axial, segmentação, especificação do compartimento, posição dos membros, padronização dos limites dos órgãos, padronização dos vasos sanguíneos, etc.Mesoderma: A camada germinativa média de um embrião que deriva de três agregados mesenquimais pareados ao longo do tubo neural.Proteínas de Homeodomínio: Proteínas encodificadas por genes "homeobox" (GENES, HOMEOBOX) que exibem similaridades estruturais a certas proteínas de ligação ao DNA de procariotos e eucariotos. Proteínas de homeodomínio estão envolvidas no controle da expressão gênica durante a morfogênese e desenvolvimento (REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO GÊNICA NO DESENVOLVIMENTO).Sequência de Bases: Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.Transdução de Sinal: Transferência intracelular de informação (ativação/inibição biológica) através de uma via de sinalização. Em cada sistema de transdução de sinal, um sinal de ativação/inibição proveniente de uma molécula biologicamente ativa (hormônio, neurotransmissor) é mediado, via acoplamento de um receptor/enzima, a um sistema de segundo mensageiro ou a um canal iônico. A transdução de sinais desempenha um papel importante na ativação de funções celulares, bem como de diferenciação e proliferação das mesmas. São exemplos de sistemas de transdução de sinal: o sistema do receptor pós-sináptico do canal de cálcio ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO, a via de ativação da célula T mediada pelo receptor e a ativação de fosfolipases mediada por receptor. Estes sistemas acoplados à despolarização da membrana ou liberação de cálcio intracelular incluem a ativação mediada pelo receptor das funções citotóxicas dos granulócitos e a potencialização sináptica da ativação da proteína quinase. Algumas vias de transdução de sinal podem ser parte de um sistema de transdução muito maior, como por exemplo, a ativação da proteína quinase faz parte da via de sinalização da ativação plaquetária.Sequência de Aminoácidos: Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.RNA Mensageiro: Sequências de RNA que servem como modelo para a síntese proteica. RNAm bacterianos são geralmente transcritos primários pelo fato de não requererem processamento pós-transcricional. O RNAm eucariótico é sintetizado no núcleo e necessita ser transportado para o citoplasma para a tradução. A maior parte dos RNAm eucarióticos têm uma sequência de ácido poliadenílico na extremidade 3', denominada de cauda poli(A). Não se conhece com certeza a função dessa cauda, mas ela pode desempenhar um papel na exportação de RNAm maduro a partir do núcleo, tanto quanto em auxiliar na estabilização de algumas moléculas de RNAm retardando a sua degradação no citoplasma.Genes Letais: Genes cuja MUTAÇÃO de perda de função ou ganho de função leva à morte do portador antes da maturidade. Podem ser genes essenciais (GENES ESSENCIAIS) necessários para a viabilidade, ou genes que causam um bloqueio da função de um gene essencial em um determinado período em que a função do gene essencial é necessária para a viabilidade.Camundongos Knockout: Linhagens de camundongos nos quais certos GENES dos GENOMAS foram desabilitados (knocked-out). Para produzir "knockouts", usando a tecnologia do DNA RECOMBINANTE, a sequência do DNA normal no gene em estudo é alterada para impedir a síntese de um produto gênico normal. Células clonadas, nas quais esta alteração no DNA foi bem sucedida, são então injetadas em embriões (EMBRIÃO) de camundongo, produzindo camundongos quiméricos. Em seguida, estes camundongos são criados para gerar uma linhagem em que todas as células do camundongo contêm o gene desabilitado. Camundongos knock-out são usados como modelos de animal experimental para [estudar] doenças (MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS) e para elucidar as funções dos genes.Marcação de Genes: Integração de DNA exógeno no gene de um organismo, em sítios onde sua expressão pode ser adequadamente controlada. Esta integração ocorre como resultado de recombinação homóloga.Fenótipo: Aparência externa do indivíduo. É o produto das interações entre genes e entre o GENÓTIPO e o meio ambiente.Organogênese: Formação de células diferenciadas e organização de tecidos complexos para fornecerem funções especializadas.Sistema Nervoso: Todo o aparelho nervoso, composto de uma parte central, o cérebro e a medula espinhal, e uma parte periférica, os nervos cranianos e espinhais, gânglios autônomos e plexos. (Stedman, 25a ed)Técnicas de Cultura Embrionária: Técnica in vitro de manutenção ou crescimento de EMBRIÕES de mamíferos. Este método oferece oportunidade para observar o DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO, METABOLISMO e suscetibilidade aos TERATOGÊNIOS.Biologia do Desenvolvimento: Campo da biologia que lida com o processo do crescimento e da diferenciação de um organismo.Proteínas de Xenopus: Proteínas obtidas de várias espécies de Xenopus. Aqui, estão incluídas as proteínas da rã com pinça africana (XENOPUS LAEVIS). Muitas destas proteínas foram tema de investigações científicas na área da MORFOGÊNESE e desenvolvimento.Células-Tronco Embrionárias: Células derivadas da MASSA CELULAR INTERNA DO BLASTOCISTO que se formam antes de sua implantação na parede uterina. Conservam a capacidade de dividir, proliferar e fornecer células progenitoras que podem diferenciar-se em células especializadas.Gástrula: Estágio do desenvolvimento que segue a BLÁSTULA ou BLASTOCISTO. Caracteriza-se por movimentos celulares morfogenéticos, incluindo a invaginação, ingresso e involução. A gastrulação começa com a formação da LINHA PRIMITIVA, e termina com a formação de três CAMADAS GERMINATIVAS, o plano corporal do organismo maduro.Mutação: Qualquer mudança detectável e hereditária que ocorre no material genético causando uma alteração no GENÓTIPO e transmitida às células filhas e às gerações sucessivas.Fertilização: Fusão de um espermatozoide (ESPERMATOZOIDES) com um ÓVULO, resultando na formação de um ZIGOTO.Fertilização In Vitro: Técnica reprodutiva assistida que inclui a manipulação direta e manipulação de oócitos e esperma para alcançar a fertilização in vitro.Proteínas de Drosophila: Proteínas que se originam a partir de espécies de insetos pertencendo ao gênero DROSOPHILA. As proteínas da espécie de Drosophila mais intensamente estudadas, a DROSOPHILA MELANOGASTER, são objeto de muito interesse na área da MORFOGÊNESE e desenvolvimento.Óvulo: Célula germinativa feminina (haploide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.Camundongos Transgênicos: Camundongos de laboratório que foram produzidos de um OVO ou EMBRIÃO DE MAMÍFEROS, manipulados geneticamente.Drosophila: Gênero de moscas pequenas, com duas asas, contendo aproximadamente 900 espécies descritas. Estes organismos são os mais extensamente estudados de todos os gêneros do ponto-de-vista genético e de citologia.Oogênese: Processo de desenvolvimento da célula germinativa na fêmea a partir das células germinativas primordiais por meio dos OOGÔNIOS até o ÓVULO haploide maduro.Camundongos Endogâmicos C57BLDNA Complementar: DNA complementar de fita única sintetizado a partir de um molde de RNA pela ação da DNA polimerase dependente de RNA. O DNAc (DNA complementar, não DNA circular, não C-DNA) é utilizado numa variedade de experimentos de clonagem molecular assim como servem como uma sonda de hibridização específica.Saco Vitelino: Primeira membrana embrionária, entre as quatro existentes, formada durante a EMBRIOGÊNESE. Em RÉPTEIS e AVES surge do endoderma e mesoderma para incorporar o SACO VITELÍNICO no TRATO DIGESTÓRIO para nutrição do embrião. Em MAMÍFEROS placentários, sua função nutricional é vestigial, entretanto, é a fonte da MUCOSA INTESTINAL, CÉLULAS SANGUÍNEAS, e CÉLULAS GERMINATIVAS. Como é chamado de saco vitelino, não deve ser confundido com a MEMBRANA VITELINA do ovo.Proteínas de Ligação a DNA: Proteínas que se ligam ao DNA. A família inclui proteínas que se ligam às fitas dupla e simples do DNA e também inclui proteínas de ligação específica ao DNA no soro, as quais podem ser utilizadas como marcadores de doenças malignas.Células-Tronco: Células relativamente indiferenciadas que conservam a habilidade de dividir-se e proliferar durante toda a vida pós-natal, a fim de fornecer células progenitoras que possam diferenciar-se em células especializadas.Homologia de Sequência de Aminoácidos: Grau de similaridade entre sequências de aminoácidos. Esta informação é útil para analisar a relação genética de proteínas e espécies.Imuno-Histoquímica: Localização histoquímica de substâncias imunorreativas utilizando anticorpos marcados como reagentes.Xenopus laevis: Espécie de "rã" com garras (Xenopus) mais comum e de maior abrangência na África. Esta espécie é utilizada intensamente em pesquisa científica. Há atualmente uma população significativa na Califórnia descendente de animais que escaparam de laboratórios.Ectoderma: A mais externa das três camadas germinativas de um embrião.Blástula: Embrião inicial de não mamíferos, após o estágio de MÓRULA. A blástula se assemelha a uma bola vazia com uma camada de células envolvendo uma cavidade preenchida por líquido (blastocele). A camada de células é chamada BLASTODERMA.Proteínas Wnt: Proteínas Wnt são uma grande família de glicoproteínas secretadas que desempenham papéis essenciais no DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO E FETAL e na manutenção dos tecidos. Elas se ligam aos RECEPTORES FRIZZLES e atuam como FATORES DE PROTEÍNAS PARÁCRINAS para iniciar várias vias de TRANSDUÇÃO DE SINAL. A via de sinalização canônica Wnt estabiliza o coativador da transcrição BETA CATENINA.Mórula: Embrião inicial que é uma massa compacta com cerca de 16 BLASTÔMEROS. Assemelha-se a um cacho de amoras com dois tipos de células, as internas e externas. A mórula é o estágio anterior a BLÁSTULA, em animais não mamíferos ou um BLASTOCISTO em mamíferos.Proteínas Hedgehog: Família de proteínas de sinalização intracelular que desempenham um importante papel na regulação do desenvolvimento de vários TECIDOS e órgãos. Seu nome se deve à observação de um aspecto semelhante ao ouriço nos embriões de DROSÓFILA com mutações genéticas que bloqueiam seu efeito.Implantação do Embrião: Implantação endometrial do EMBRIÃO DE MAMÍFEROS no estágio de BLASTOCISTO.Gastrulação: Processo de movimentos celulares morfogeneticamente complicados que reorganiza uma bicamada embrionária em uma com três CAMADAS GERMINATIVAS e orientação específica (dorsal/ventral, anterior/posterior). A gastrulação descreve o desenvolvimento da camada germinativa de uma BLÁSTULA de não mamífero ou de um BLASTOCISTO de mamífero.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Somitos: Massas de MESÊMQUIMA segmentadas e pareadas, localizadas de cada lado da medula espinal em desenvolvimento (tubo neural). Os somitos derivam do MESODERMA PARAXIAL e continuam aumentar em número durante a ORGANOGÊNESE. Os somitos dão origem ao ESQUELETO (esclerotoma), MÚSCULOS (miotoma) e DERME (dermatoma).Clonagem Molecular: Inserção de moléculas de DNA recombinante de origem procariótica e/ou eucariótica em um veículo replicante, tal como um plasmídeo ou vírus vetores, e a introdução das moléculas híbridas resultantes em células receptoras, sem alterar a viabilidade dessas células.Células Cultivadas: Células propagadas in vitro em meio especial apropriado ao seu crescimento. Células cultivadas são utilizadas no estudo de processos de desenvolvimento, processos morfológicos, metabólicos, fisiológicos e genéticos, entre outros.Reação em Cadeia da Polimerase Via Transcriptase Reversa: Variação da técnica de PCR na qual o cDNA é construído do RNA através de uma transcrição reversa. O cDNA resultante é então amplificado utililizando protocolos padrões de PCR.Camundongos Mutantes: Camundongos que portam genes mutantes que são fenotipicamente expressos nos animais.Endoderma: A mais interna das três camadas germinativas de um embrião.Animais Geneticamente Modificados: Animais cujo GENOMA foi alterado pela técnica da ENGENHARIA GENÉTICA.Tubo Neural: Tubo do tecido ectodérmico de um embrião que dará origem ao SISTEMA NERVOSO CENTRAL, inclusive a MEDULA ESPINAL e o ENCÉFALO. O lúmen dentro do tubo neural é chamado de canal neural que dá origem ao canal central da medula espinal e aos ventrículos do encéfalo. Para malformação do tubo neural veja DEFEITOS DO TUBO NEURAL.Crista Neural: Duas cristas longitudinais ao longo da LINHA PRIMITIVA aparecendo próximo do término da GASTRULAÇÃO, durante o desenvolvimento do sistema nervoso (NEURULAÇÃO). As cristas são formadas por dobraduras da PLACA NEURAL. Entre as cristas está uma estria neural que se aprofunda como uma dobra que se torna elevada. Quando as dobras se encontram no meio, a estria torna-se um tubo fechado, o TUBO NEURAL.Drosophila melanogaster: Espécie de mosca de fruta bastante utilizada em genética devido ao grande tamanho de seus cromossomos.Partenogênese: Reprodução assexuada sem a união de um gameta masculino com um feminino (FERTILIZAÇÃO). Na partenogênese, um indivíduo é formado a partir de um ÓVULO que não foi fertilizado e que não completou a MEIOSE. A partenogênese ocorre na natureza e pode ser induzida artificialmente.Genes Homeobox: Genes que codificam FATORES DE TRANSCRIÇÃO altamente conservados, que controlam a identidade posicional das células (PADRONIZAÇÃO CORPORAL) e a MORFOGÊNESE ao longo do desenvolvimento. Suas sequências possuem uma sequência de 180 nucleotídeos denominada homeobox, assim chamada porque as mutações destes genes resultam com frequência em transformações homeóticas, nas quais uma estrutura corporal substitui outra. As proteínas codificadas pelos genes homeobox são denominadas PROTEÍNAS DE HOMEODOMÍNIO.Expressão Gênica: Manifestação fenotípica de um gene (ou genes) pelos processos de TRANSCRIÇÃO GENÉTICA e TRADUÇÃO GENÉTICA.Movimento Celular: Movimento de células de um lugar para outro. Diferencia-se da CITOCINESE, que é o processo de divisão do CITOPLASMA de uma célula.Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo encéfalo, medula espinal e meninges.Linhagem da Célula: História do desenvolvimento de tipos de células diferenciadas específicas, rastreando as CÉLULAS-TRONCO originais no embrião.Embriologia: Estudo do desenvolvimento de um organismo durante as fases embrionária e fetal da vida.Modelos Biológicos: Representações teóricas que simulam o comportamento ou a actividade de processos biológicos ou doenças. Para modelos de doença em animais vivos, MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS está disponível. Modelos biológicos incluem o uso de equações matemáticas, computadores e outros equipamentos eletrônicos.Distribuição Tecidual: Acúmulo de uma droga ou substância em vários órgãos (inclusive naqueles não relevantes para sua ação farmacológica ou terapêutica). Essa distribuição depende do fluxo sanguíneo ou da taxa de perfusão do órgão, da capacidade de a droga permear membranas de órgãos, da especificidade do tecido, da ligação a proteínas. A distribuição geralmente é expressa como razão tecido / plasma.Perfilação da Expressão Gênica: Determinação do padrão de genes expresso ao nível de TRANSCRIÇÃO GENÉTICA sob circunstâncias específicas ou em uma célula específica.Camadas Germinativas: As três principais camadas germinativas (ECTODERMA, ENDODERMA e MESODERMA) desenvolvidas durante a GASTRULAÇÃO, produzindo os tecidos e o plano de corpo de um organismo maduro. Derivam de duas camadas precoces, hipoblasto e epiblasto.Larva: Estágio de desenvolvimento em que os seres apresentam forma semelhante a uma minhoca (wormlike) ou a uma lagarta (grublike), após o de ovo no ciclo de vida de insetos, vermes (worms), e outros animais que sofrem metamorfose.Transcrição Genética: Biossíntese de RNA realizada a partir de um molde de DNA. A biossíntese de DNA a partir de um molde de RNA é chamada de TRANSCRIÇÃO REVERSA.Xenopus: Gênero aquático da família Pipidae que ocorre na África e se distingue por ter duras garras pretas nos três dedos mediais dos membros posteriores.Proteínas Morfogenéticas Ósseas: Fatores reguladores de crescimento ósseo que são membros da superfamília das proteínas de fator transformador de crescimento beta. São sintetizadas como grandes moléculas precursoras que são clivadas por enzimas proteolíticas. A forma ativa pode consistir em um dímero de duas proteínas idênticas ou um heterodímero de duas proteínas morfogenéticas ósseas associadas.Homozigoto: Indivíduo cujos alelos (ambos), em um dado locus, são idênticos.Extremidades: Projeções mais distantes ou mais externas do corpo, como a MÃOS e PÉS.Primers do DNA: Sequências curtas (geralmente em torno de 10 pares de bases) de DNA que são complementares à sequência do RNA mensageiro e permite a transcriptase reversa, copiando as sequências adjacentes de RNAm. Os primers são utilizados largamente em técnicas de biologia molecular e genética.Espermatozoides: Células germinativas masculinas maduras que se originam das ESPERMÁTIDES. À medida que as espermátides se deslocam em direção à luz dos TÚBULOS SEMINÍFEROS, elas sofrem profundas mudanças estruturais, com perda do citoplasma, condensação da CROMATINA na CABEÇA DO ESPERMATOZOIDE e formação tanto do capuz do ACROSSOMO, como da PEÇA INTERMEDIÁRIA DO ESPERMATOZOIDE e da CAUDA DO ESPERMATOZOIDE (que permite a mobilidade).Especificidade de Órgãos: Característica restrita a um órgão em particular do corpo, como tipo de célula, resposta metabólica ou expressão de uma proteína ou antígeno em particular.Transativadores: Produtos gênicos difusíveis que atuam em moléculas homólogas ou heterólogas de vírus ou DNA celular para regular a expressão de proteínas.Camundongos Endogâmicos ICRBlastômeros: Células indiferenciadas resultantes da clivagem de um ovo fertilizado (ZIGOTO). No interior da ZONA PELÚCIDA intacta, cada clivagem produz dois blastômeros com cerca de metade do tamanho da célula-mãe. Acima do estágio de 8 células, todos os blastômeros são totipotentes. A MÓRULA com 16 células contém células internas e externas.Proteínas Repressoras: Proteínas que mantêm a dormência transcricional de GENES ou ÓPERONS específicos. As proteínas repressoras clássicas são as proteínas ligantes de DNA que estão normalmente ligadas à REGIÃO OPERADORA de um óperon, ou os ELEMENTOS FACILITADORES de um gene até que ocorra algum sinal que ocasione seu desprendimento.Placenta: Órgão materno-fetal de mamíferos, altamente vascularizado, sendo o principal local de transporte de oxigênio, nutrientes e resíduos fetais. Na placenta há uma porção fetal (VILOSIDADES CORIÔNICAS, provenientes dos TROFOBLASTOS) e uma porção materna (DECÍDUA, proveniente do ENDOMÉTRIO uterino). A placenta produz uma série de hormônios esteroides, proteicos e peptídicos (HORMÔNIOS PLACENTÁRIOS).Idade Gestacional: A duração da gestação é medida a partir do primeiro dia do último período menstrual normal. A idade gestacional é expressa em dias ou semanas completas (por ex.: eventos que ocorrem de 280 a 286 dias após o início do último período menstrual normal são considerados como ocorridos na marca de 40 semanas de gestação). A idade gestacional é frequentemente uma fonte de confusão quando os cálculos são baseados em datas menstruais. Para os propósitos de cálculos da idade gestacional a partir da data do primeiro dia do último período menstrual normal e a data do parto, deve-se ter em mente que o primeiro dia é zero e não o dia um; os dias 0-6 correspondem então à "semana zero completa", os dias 7-13 à "semana completa um", e a quadragésima semana da gravidez atual é sinônimo de "semana completa 39". Quando a data do último período menstrual normal não é disponível, a idade gestacional deve ser baseada na melhor estimativa clínica. Para evitar confusão, as tabulações devem indicar tanto semanas quanto dias. (CID-10, vol.2, 8a ed., rev. e ampl. 2008)Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sanguínea.Olho: Órgão da visão consistindo de um par de órgãos globulares compostos por uma estrutura relativamente esférica de três camadas especializado em receber e responder à informação luminosa.Proteínas Nucleares: Proteínas encontradas no núcleo de uma célula. Não se deve confundir com NUCLEOPROTEÍNAS, que são proteínas conjugadas com ácidos nucleicos, que não estão necessariamente no núcleo.Proteínas Fetais: Proteínas que são preferencialmente expressas ou superexpressas durante o DESENVOLVIMENTO FETAL.Técnicas de Transferência Nuclear: Método de implantação de um NÚCLEO CELULAR de uma célula doadora para uma célula receptora anucleada.Defeitos do Tubo Neural: Malformações congênitas do sistema nervoso central e estruturas adjacentes relacionadas ao fechamento do tubo neural defeituoso durante o primeiro trimestre de gravidez, geralmente ocorrendo entre os 18-29 dias de gestação. As malformações ectodérmicas e mesodérmicas (principalmente envolvendo o crânio e vértebras) podem ocorrer como resultado dos defeitos de fechamento do tubo neural. (Tradução livre do original: From Joynt, Clinical Neurology, 1992, Ch55, pp31-41)Genes Controladores do Desenvolvimento: Genes que determinam o destino de uma célula ou CÉLULAS em uma região do embrião durante o DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO.Células Germinativas: Células reprodutoras de organismos multicelulares em vários estágios durante a GAMETOGÊNESE.Heterozigoto: Indivíduo com alelos diferentes em um ou mais loci considerando um caráter específico.Apoptose: Um dos mecanismos pelos quais ocorre a MORTE CELULAR (compare com NECROSE e AUTOFAGOCITOSE). A apoptose é o mecanismo responsável pela remoção fisiológica das células e parece ser intrinsecamente programada. É caracterizada por alterações morfológicas distintas no núcleo e no citoplasma, clivagem da cromatina em locais regularmente espaçados e clivagem endonucleolítica do DNA genômico (FRAGMENTAÇÃO DE DNA) em sítios internucleossômicos. Este modo de morte celular serve como um equilíbrio para a mitose no controle do tamanho dos tecidos animais e mediação nos processos patológicos associados com o crescimento tumoral.Alinhamento de Sequência: Combinação de dois ou mais aminoácidos ou sequências de bases de um organismo ou organismos de tal forma a alinhar áreas das sequências de distribuição das propriedades comuns. O grau de correlação ou homologia entre as sequências é previsto computacionalmente ou estatisticamente, baseado nos pesos determinados dos elementos alinhados entre as sequências. Isto pode servir como um indicador potencial de correlação genética entre os organismos.Oviparidade: Capacidade de produzir ovos que são chocados fora do corpo. Embora se refira, principalmente as espécies não mamíferas, este é o caso dos MAMÍFEROS da ordem MONOTREMATA.beta Catenina: Catenina multifuncional que participa da ADESÃO CELULAR e sinalização nuclear. A beta catenina se liga às CADERINAS e auxilia na ligação de suas caudas citoplasmáticas com a ACTINA do CITOESQUELETO via ALFA CATENINA. Também serve como co-ativador transcricional e componente das vias de TRANSDUÇÃO DE SINAL mediadas pela PROTEÍNA WNT.Linhagem Celular: Determinadas culturas de células que têm o potencial de se propagarem indefinidamente.Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO.Proteínas: Polipeptídeos lineares sintetizados nos RIBISSOMOS e posteriormente podem ser modificados, entrecruzados, clivados ou agrupados em proteínas complexas com várias subunidades. A sequência específica de AMINOÁCIDOS determina a forma que tomará o polipeptídeo, durante o DOBRAMENTO DE PROTEÍNA e a função da proteína.Técnicas de Maturação in Vitro de Oócitos: Métodos usados para induzir oócitos prematuros mantidos em cultura de tecidos a seguir na progressão dos estágios de desenvolvimento, inclusive ao estágio de competência para sofrer FERTILIZAÇÃO.Proteínas do Tecido NervosoCruzamentos Genéticos: Reprodução deliberada de dois indivíduos diferentes, que resulta em descendentes que transportam parte do material genético de cada um dos pais. Os progenitores devem ser geneticamente compatíveis e podem ser de diferentes variedades ou de espécies estreitamente relacionadas.Proliferação de Células: Todos os processos envolvidos em aumentar o NÚMERO DE CÉLULAS. Estes processos incluem mais que a DIVISÃO CELULAR, parte do CICLO CELULAR.Quimera: Indivíduo que apresenta populações celulares provenientes de zigotos diferentes.Regulação da Expressão Gênica: Qualquer dos processos pelos quais os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influenciam o controle diferencial (indução ou repressão) da ação gênica ao nível da transcrição ou da tradução.Gônadas: Glândulas produtoras de gametas: OVÁRIO e TESTÍCULO.Oryzias: Gênero único de peixes (família Oryziinae, ordem BELONIFORMES) ovíparos, (ao contrário de outros peixes da mesma ordem que são vivíparos) utilizados extensamente para testar carcinógenos.Camundongos Endogâmicos: Indivíduos geneticamente idênticos desenvolvidos pelos cruzamentos de irmãos e irmãs que são realizados por vinte ou mais gerações, ou pelo cruzamento dos progenitores com sua ninhada realizados com algumas restrições. Todos os animais de cepa endogâmica remetem a um ancestral comum na vigésima geração.Microinjeções: Injeção de quantidades muito pequenas de líquido, frequentemente com o auxílio de um microscópio e microsseringas.Fase de Clivagem do Zigoto: Estágio precoce do desenvolvimento de um óvulo fertilizado (ZIGOTO) durante o qual há várias divisões mitóticas dentro da ZONA PELÚCIDA. Cada clivagem ou segmentação fornece dois BLASTÔMEROS, cerca de metade do tamanho das células dos pais. Este estágio da clivagem geralmente envolve a MÓRULA, período acima de 16 células.Proteínas de Membrana: Proteínas encontradas em membranas, incluindo membranas celulares e intracelulares. Consistem em dois grupos, as proteínas periféricas e as integrais. Elas incluem a maioria das enzimas associadas a membranas, proteínas antigênicas, proteínas de transporte e receptores de drogas, hormônios e lectinas.Caenorhabditis elegans: Espécie de nematoide que é amplamente utilizada em estudos biológicos, bioquímicos e genéticos.Codorniz: Nome vulgar para dois grupos distintos de AVES (ordem GALIFORME): codornas do Novo Mundo ou americanas (família Odontophoridae) e codornas do Velho Mundo (gênero COTURNIX, família Phasianidae).Genes de Insetos: Unidades hereditárias funcionais dos INSETOS.Ovoviviparidade: Capacidade para produzir ovos (com gema) que são chocados dentro do corpo, de modo que os filhotes nascem vivos (mas não ligados à placenta). Isto se aplica a certas espécies de RÉPTEIS e PEIXES.Ectogênese: Desenvolvimento embrionário e fetal que acontece em um meio ambiente artificial in vitro.Regiões Promotoras Genéticas: Sequências de DNA reconhecidas (direta ou indiretamente) e ligadas por uma RNA polimerase dependente de DNA durante a iniciação da transcrição. Sequências altamente conservadas dentro do promotor incluem a caixa de Pribnow nem bactérias e o TATA BOX em eucariotos.Indução Embrionária: Processos complexos de iniciação da DIFERENCIAÇÃO CELULAR no embrião. O controle preciso por interações celulares leva a uma diversidade de tipos celulares e padrão específico de organização (EMBRIOGÊNESE).Galinhas: Nome vulgar dado a espécie Gallus gallus "ave doméstica" (família Phasianidae, ordem GALIFORME). São descendentes das aves selvagens vermelha do SUDESTE DA ÁSIA.Northern Blotting: Detecção de RNA que é separado eletroforeticamente e imobilizado por "blotting" em papel de nitrocelulose ou outro tipo de papel ou membrana de nylon, seguido de hibridização com SONDAS DE ÁCIDO NUCLEICO marcado.Fibroblastos: Células do tecido conjuntivo que secretam uma matriz extracelular rica em colágeno e outras macromoléculas.Deleção de Genes: Reordenamento genético [que ocorre] através da perda de segmentos de DNA ou de RNA, trazendo sequências normalmente separadas para perto. Esta eliminação (deletion) pode ser detectada por técnicas citogenéticas e também inferida a partir do fenótipo, que indica eliminação em locus específico.Núcleo Celular: Corpo, limitado por uma membrana, localizado no interior das células eucarióticas. Contém cromossomos e um ou mais nucléolos (NUCLÉOLO CELULAR). A membrana nuclear consiste de uma membrana dupla que se apresenta perfurada por certo número de poros; e a membrana mais externa continua-se com o RETÍCULO ENDOPLÁSMICO. Uma célula pode conter mais que um núcleo.Viviparidade não Mamífera: Capacidade de dar à luz a um ser vivo (em vez de por ovos) em espécies de não mamíferos. Algumas espécies de RÉPTEIS e PEIXES são vivíparos.Proteínas de Transporte: Proteínas de transporte que carreiam substâncias específicas no sangue ou através das membranas.Técnicas de Cultura: Métodos de manutenção ou de crescimento de materiais biológicos em condições controladas de laboratório. Entre elas estão culturas de CÉLULAS, TECIDOS, órgãos ou embrião in vitro. Tanto os tecidos animais como os vegetais podem ser cultivados por vários métodos. As culturas podem ser provenientes de tecidos normais ou anormais e consistem de populações de um único tipo de célula ou de mistura de populações de tipos celulares diferentes.Morte Fetal: Morte do ser em desenvolvimento no útero. O NASCIMENTO de um FETO morto é NATIMORTO. (MeSH/NLM) Óbito fetal é a morte de um produto da concepção, antes da expulsão ou da extração completa do corpo da mãe, independentemente da duração da gravidez; indica o óbito o fato do feto, depois da separação, não respirar nem apresentar nenhum outro sinal de vida, como batimentos do coração, pulsações do cordão umbilical ou movimentos efetivos dos músculos de contração voluntária. (CID-10, vol.2, rev. e ampl. 2008, p.155) Para fins estatísticos, comparação internacional, e o uso da CID, se o produto da concepção, nesta ordem, (1) pesa menos que 500 g, tem (2) idade gestacional de menos de 22 semanas completadas ou (3) comprimento coroa-calcanhar de menos de 25 cm, é definido como um ABORTO. Se o produto da concepção pesa pelo menos 500 g ou tem idade gestacional de pelo menos 22 semanas completadas ou tem comprimento coroa-calcanhar de pelo menos 25 cm, é definido como NATIMORTO.Tretinoína: Importante regulador da EXPRESSÃO GÊNICA durante o crescimento e desenvolvimento e em NEOPLASIAS. Tretinoína, também conhecida como ácido retinoico derivado da VITAMINA A materna, é essencial para o CRESCIMENTO normal e DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO. O excesso de tretinoína pode ser teratogênico. É também utilizada no tratamento da PSORÍASE, ACNE VULGAR e várias outras DERMATOPATIAS. Também foi aprovada para uso na leucemia promielocítica (LEUCEMIA PROMIELOCÍTICA AGUDA).Genes Reporter: Genes cuja expressão é facilmente detectável, sendo usados no estudo da atividade promotora em muitas posições de um genoma alvo. Na tecnologia do DNA recombinante estes genes podem ser ligados a uma região promotora de interesse.Notocorda: Bastão cartilaginoso de células mesodérmicas na linha média dorsal de todos os embriões de CORDADOS. Em vertebrados inferiores, a notocorda é a espinha dorsal de sustentação. Em vertebrados superiores, a notocorda é uma estrutura transitória e segmentos da coluna vertebral desenvolverão em torno dela. A notocorda também é uma fonte de sinais da linha média que moldam os tecidos ao redor, incluindo o desenvolvimento do TUBO NEURAL.Divisão Celular: Fissão de uma CÉLULA. Inclui a CITOCINESE quando se divide o CITOPLASMA de uma célula e a DIVISÃO DO NÚCLEO CELULAR.Via de Sinalização Wnt: Via de sinalização complexa cujo nome é derivado do gene Wg de DROSOPHILA, que, quando mutado, resulta no fenótipo sem asa, e do gene INT de vertebrados, que é localizado próximo aos sítios de integração do VÍRUS DO TUMOR MAMÁRIO DO CAMUNDONGO. A via de sinalização é iniciada pela ligação das PROTEÍNAS WNT aos RECEPTORES WNT de superfície celular que interagem com o COMPLEXO DE SINALIZAÇÃO DA AXINA e uma combinação de mensageiros secundários que influenciam as ações da BETA CATENINA.Ligação Proteica: Processo pelo qual substâncias endógenas ou exógenas ligam-se a proteínas, peptídeos, enzimas, precursores proteicos ou compostos relacionados. Medidas específicas de ligantes de proteínas são usadas frequentemente como ensaios em avaliações diagnósticas.Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais: o FOLÍCULO OVARIANO, para a produção de células germinativas femininas (OOGÊNESE), e as células endócrinas (CÉLULAS GRANULOSAS, CÉLULAS TECAIS e CÉLULAS LÚTEAS) para produção de ESTROGÊNIOS e PROGESTERONA.Injeções de Esperma Intracitoplásmicas: Técnica de fertilização assistida que consiste na microinjeção de um único esperma viável em um óvulo extraído. É utilizado principalmente para superar a baixa contagem de esperma, baixa motilidade de esperma, inabilidade do esperma em penetrar no óvulo ou outras afecções relacionadas à INFERTILIDADE MASCULINA.Filogenia: Relacionamentos entre grupos de organismos em função de sua composição genética.Epitélio: Uma ou mais camadas de CÉLULAS EPITELIAIS, sustentadas pela lâmina basal, que recobrem as superfícies internas e externas do corpo.Fertilidade: A capacidade de conceber ou de induzir concepção. Pode referir-se tanto a sexo masculino quanto ao feminino.Fator 3 de Transcrição de Octâmero: Fator de transcrição de octâmero, expresso principalmente em CÉLULAS-TRONCO embrionárias totipotentes e CÉLULAS GERMINATIVAS e durante a DIFERENCIAÇÃO CELULAR é regulado para baixo.Proteínas Aviárias: Proteínas obtidas de espécies de AVES.Transferência Embrionária: Transferência do embrião de mamífero de um ambiente in vivo ou in vitro, para um hospedeiro adequado com a intenção de assegurar o resultado da gravidez ou gestação em humanos ou animais. Nos programas de tratamento de fertilidade humana, a pré-implantação dos embriões variam desde o estágio de 4 células até o estágio de blastocisto, que são transferidos para cavidade uterina entre 3-5 dias após a FERTILIZAÇÃO IN VITRO.Região Branquial: Região, no período de desenvolvimento dos SOMITOS, contendo um número de arcos pareados, cada qual com um núcleo mesodérmico revestido por ectoderma e endoderma nos dois lados. Em vertebrados aquáticos inferiores, os arcos branquiais desenvolvem-se nas BRÂNQUIAS. Em vertebrados superiores, os arcos formam bolsas externas e desenvolvem-se nas estruturas da cabeça e pescoço. Separando os arcos estão as fendas ou sulcos branquiais.Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).Fatores de Transcrição Hélice-Alça-Hélice Básicos: Família de fatores de transcrição ligantes de DNA contendo uma SEQUÊNCIA HÉLICE-ALÇA-HÉLICE básica.Animais Recém-Nascidos: Refere-se a animais no período logo após o nascimento.Rombencéfalo: A posterior das três vesículas cerebrais primitivas do encéfalo embrionário. Consiste em mielencéfalo, metencéfalo e istmo do rombencéfalo, do qual se desenvolvem os componentes principais do TRONCO ENCEFÁLICO, como MEDULA OBLONGA do mielencéfalo, CEREBELO e PONTE do metencéfalo, com a cavidade expandida formando o QUARTO VENTRÍCULO.Fatores de Crescimento de Fibroblastos: Família de fatores de crescimento formados por pequenos polipeptídeos que compartilham várias características, incluindo uma forte afinidade pela HEPARINA, e uma região central em forma de barril formado por 140 aminoácidos, que apresenta uma grande homologia entre os membros da família. Embora originalmente estudado como proteínas que estimulam o crescimento de fibroblastos, esta distinção não é mais necessária para ser considerado um membro da família dos fatores de crescimento de fibroblastos.Proteínas com Domínio T: Proteínas contendo uma região de sequência conservada, em torno de 200 aminoácidos de comprimento, que encodifica uma sequência particular de domínio de ligação com o DNA (domínio T-box). Essas proteínas são fatores de transcrição que controlam as vias de desenvolvimento. O fenótipo desta família é o produto gênico camundongo Brachyury (ou T).Receptores Notch: Família de receptores de superfície celular conservados que possuem repetições do FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO em seu domínio extracelular e repetições de ANQUIRINA nos seus domínios citoplasmáticos. O domínio citoplasmático dos receptores notch é liberado com a ligação do ligante e translocado para o NÚCLEO CELULAR, no qual atua como fator de transcrição.Alelos: Formas variantes do mesmo gene, ocupando o mesmo locus em CROMOSSOMOS homólogos e governando as variantes na produção do mesmo produto gênico.Estrutura Terciária de Proteína: Nível de estrutura proteica em que estruturas das proteínas secundárias (alfa hélices, folhas beta, regiões de alça e motivos) se combinam dando origem a formas dobradas denominadas domínios. Pontes dissulfetos entre cisteínas em duas partes diferentes da cadeia polipeptídica juntamente com outras interações entre as cadeias desempenham um papel na formação e estabilização da estrutura terciária. As proteínas pequenas, geralmente são constituídas de um único domínio, porém as proteínas maiores podem conter vários domínios conectados por segmentos da cadeia polipeptídica que perdeu uma estrutura secundária regular.Encéfalo: A parte do SISTEMA NERVOSO CENTRAL contida no CRÂNIO. O encéfalo embrionário surge do TUBO NEURAL, sendo composto de três partes principais, incluindo o PROSENCÉFALO (cérebro anterior), o MESENCÉFALO (cérebro médio) e o ROMBENCÉFALO (cérebro posterior). O encéfalo desenvolvido consiste em CÉREBRO, CEREBELO e outras estruturas do TRONCO ENCEFÁLICO (MeSH). Conjunto de órgãos do sistema nervoso central que compreende o cérebro, o cerebelo, a protuberância anular (ou ponte de Varólio) e a medula oblonga, estando todos contidos na caixa craniana e protegidos pela meninges e pelo líquido cefalorraquidiano. É a maior massa de tecido nervoso do organismo e contém bilhões de células nervosas. Seu peso médio, em um adulto, é da ordem de 1.360 g, nos homens e 1.250 g nas mulheres. Embriologicamente, corresponde ao conjunto de prosencéfalo, mesencéfalo e rombencéfalo. Seu crescimento é rápido entre o quinto ano de vida e os vinte anos. Na velhice diminui de peso. Inglês: encephalon, brain. (Rey, L. 1999. Dicionário de Termos Técnicos de Medicina e Saúde, 2a. ed. Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro)Blastoderma: Camada de células que reveste a cavidade preenchida por líquido (blastocele) de uma BLÁSTULA, geralmente desenvolvida a partir de um ovo fertilizado de inseto, réptil ou ave.Fator de Crescimento Transformador beta: Fator sintetizado em uma ampla variedade de tecidos. Atua sinergisticamente com o TGF-alfa na indução da transformação fenotípica e também pode atuar como fator de crescimento autócrino negativo. O TGF-beta desempenha um papel no desenvolvimento embrionário, diferenciação celular, secreção de hormônio e função imunológica. O TGF-beta é encontrado principalmente como formas homodímeras de distintos produtos do gene TGF-beta1, TGF-beta2 ou TGF-beta3. Os heterodímeros compostos de TGF-beta1 e 2 (TGF-beta1.2) ou de TGF-beta2 e 3 (TGF-beta2.3) foram isolados. As proteínas TGF-beta são sintetizadas como precursoras de proteínas.Ouriços-do-Mar: Equinodermos ligeiramente achatados e globulares, que possuem conchas frágeis e finas de placas calcárias. São modelos úteis para estudos de FERTILIZAÇÃO e DESENVOLVIMENTO DO EMBRIÃO.Técnicas de Silenciamento de Genes: Indução artificial do SILENCIAMENTO GÊNICO pelo uso de INTERFERÊNCIA DE RNA para reduzir a expressão de um gene específico. Inclui o uso de RNA DE CADEIA DUPLA, como o RNA INTERFERENTE PEQUENO e o RNA contendo SEQUÊNCIAS REPETIDAS INVERTIDAS e OLIGONUCLEOTÍDEOS ANTISSENSO.Isoformas de Proteínas: Formas diferentes de uma proteína que pode ser produzida a partir de GENES diferentes, ou a partir do mesmo gene por PROCESSO ALTERNATIVO.Proteínas de Insetos: Proteínas encontradas em quaisquer espécies de inseto.Caderinas: Proteínas de adesão celular dependentes de cálcio. São importantes para a formação das JUNÇÕES ADHERENS entre células. As caderinas são classificadas de acordo com sua especificidade imunológica e tecidual por letras (E de epitelial, N de neural e P de placenta) ou por números (caderina 12 ou N-caderina 2 para a caderina do encéfalo). As caderinas promovem a adesão celular via um mecanismo homofílico e desempenham um papel na construção de tecidos e de todo o corpo do animal.Meiose: Tipo de divisão do NÚCLEO CELULAR que ocorre durante a maturação das CÉLULAS GERMINATIVAS. A duplicação de um único cromossomo (FASE S) é seguida por duas divisões sucessivas do núcleo celular, que resulta em células filhas com a metade do número de CROMOSSOMOS das células dos pais.Teratogênios: Agente que causa a produção de defeitos físicos no embrião em desenvolvimento.Viabilidade Fetal: Potencial do FETO sobreviver fora do ÚTERO após o nascimento, natural ou induzido. A viabilidade fetal depende amplamente da MATURIDADE DOS ÓRGÃOS FETAIS e das condições ambientais.Proteínas Proto-Oncogênicas: Produtos dos proto-oncogenes. Normalmente eles não possuem propriedade oncogênicas ou transformadoras, mas estão envolvidas na regulação ou diferenciação do crescimento celular. Geralmente possuem atividade de proteína quinase.Modelos Genéticos: Representações teóricas que simulam o comportamento ou a atividade de processos ou fenômenos genéticos. Envolvem o uso de equações matemáticas, computadores e outros equipamentos eletrônicos.Transgenes: Genes introduzidos em um organismo empregando TÉCNICAS DE TRANSFERÊNCIA DE GENES.RNA: Polinucleotídeo que consiste essencialmente em cadeias contendo unidades repetidas de uma estrutura de fosfato e ribose às quais as bases nitrogenadas encontram-se unidas. O RNA é único entre as macromoléculas biológicas pelo fato de codificar informação genética, servir como um componente celular estrutural abundante e também possuir atividade catalítica. (Tradução livre do original: Rieger et al., Glossary of Genética: Classical and Molecualr, 5th ed)Bovinos: Animais bovinos domesticados (do gênero Bos) geralmente são mantidos em fazendas ou ranchos e utilizados para produção de carne, derivados do leite ou para trabalho pesado.DNA: Polímero desoxirribonucleotídeo que é material genético primário de todas as células. Organismos eucariotos e procariotos normalmente contém DNA num estado de dupla fita, ainda que diversos processos biológicos importantes envolvam transitoriamente regiões de fita simples. O DNA, cuja espinha dorsal é constituída de fosfatos poliaçucarados possuindo projeções de purinas (adenina ou guanina) e pirimidinas (timina e citosina), forma uma dupla hélice que é mantida por pontes de hidrogênio entre as purinas e as pirimidinas (adenina com timina e guanina com citosina).Interferência de RNA: Fenômeno de inativação gênica, pelo qual os RNAds (RNA DE CADEIA DUPLA) desencadeiam a degradação de RNAm homólogo (RNA MENSAGEIRO). Os RNAs de cadeia dupla específicos são processados em RNA INTERFERENTE PEQUENO (RNAsi) que serve como guia para a clivagem do RNAm homólogo no COMPLEXO DE INATIVAÇÃO INDUZIDO POR RNA. A METILAÇÃO DE DNA também pode ser desencadeada durante este processo.Proteínas de Fluorescência Verde: Análogos e derivados proteicos da proteína fluorescente verde da [água viva] Aequorea victoria que emitem luz (FLUORESCÊNCIA) quando excitados com RAIOS ULTRAVIOLETA. São usadas em GENES REPÓRTER em procedimentos de TÉCNICAS GENÉTICAS. Numerosos mutantes têm sido fabricados para emitir outras cores ou ser sensíveis ao pH.Proteínas de Caenorhabditis elegans: Proteínas de CAENORHABDITIS ELEGANS (espécie nematoda). As proteínas desta espécie são um tema de interesse científico na área da MORFOGÊNESE de organismos multicelulares.Proteína Goosecoid: Proteína goosecoide é uma proteína do homeodomínio que foi identificada primeiro em XENOPUS. É encontrada no organizador de Spemann de VERTEBRADOS e desempenha um papel importante na DIFERENCIAÇÃO CELULAR neuronal e na ORGANOGÊNESE.Reação em Cadeia da Polimerase: Método in vitro para produção de grandes quantidades de DNA específico ou fragmentos de RNA de comprimento definido de pequenas quantidades de oligonucleotídeos curtos de sequências flanqueantes (iniciadores ou "primers"). O passo essencial inclui desnaturação térmica de moléculas alvo da dupla fita, reassociação dos primers a suas sequências complementares e extensão do iniciador reassociado pela síntese enzimática com DNA polimerase. A reação é eficiente, específica e extremamente sensível. A utilização da reação inclui diagnóstico de doenças, detecção de patógenos difíceis de se isolar, análise de mutações, teste genético, sequenciamento de DNA e análise das relações evolutivas.Ciclo Celular: Série complexa de fenômenos que ocorre entre o fim de uma DIVISÃO CELULAR e o fim da divisão seguinte, através da qual o material celular é duplicado, e então, dividido entre as duas células filhas. O ciclo celular inclui a INTERFASE que inclui a FASE G0, FASE G1, FASE S e FASE G2 e a FASE DE DIVISÃO CELULAR.Anormalidades MúltiplasTrofoblastos: Células que revestem a parte externa do BLASTOCISTO. Depois que os trofoblastos se ligam ao ENDOMÉTRIO, desenvolvem duas camadas distintas: uma camada interna (citotrofoblastos mononucleares) e outra externa (citoplasma multinuclear contínuo, os sinciciotrofoblastos) que forma a interface inicial entre o feto e a mãe (PLACENTA).Tubas Uterinas: Par de canais musculares altamente especializados, que se estendem do ÚTERO ao OVÁRIO correspondente. Propiciam o acolhimento do ÓVULO e o local tanto para maturação final dos gametas como para a FERTILIZAÇÃO. A tuba uterina é constituída por um interstício, um istmo, uma ampola, um infundíbulo e as fimbrias. Sua parede é composta de três camadas histológicas: serosa, muscular e uma camada mucosa interna (revestida com células ciliadas e secretórias).Microscopia de Fluorescência: Microscopia de amostras coradas com corantes fluorescentes (geralmente isotiocianato de fluoresceína) ou de substâncias naturalmente fluorescentes, que emitem luz quando expostas à luz ultravioleta ou azul. A microscopia de imunofluorescência utiliza anticorpos que são marcados com corante fluorescente.Pleurodeles: Gênero de tritão aquático que pertence à família Salamandridae e que é às vezes chamado de tritão "espinhoso". Há duas espécies: P. waltlii e P. poireti. P. waltlii é comumente utilizada em laboratórios. Como este gênero adapta-se em aquários, é fácil mantê-lo em laboratórios.Proteína Morfogenética Óssea 4: Proteína morfogenética do osso que é um indutor potente da formação de osso. Também funciona como regulador da formação de MESODERME durante o DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO.Botões de Extremidades: Regiões distintas de crescimento mesenquimal em ambos os flancos de um embrião durante o período de SOMITO. Os botões de extremidades revestidos pelo ECTODERMA dão origem ao membro anterior, membro posterior e eventualmente a estruturas límbicas funcionais. Culturas de botão de extremidade são utilizadas para estudar DIFERENCIAÇÃO CELULAR, ORGANOGÊNESE e MORFOGÊNESE.Imunofluorescência: Teste para antígeno tecidual utilizando um método direto, por conjugação de anticorpo e pigmento fluorescente (TÉCNICA DIRETA DE FLUORESCÊNCIA PARA ANTICORPO) ou um método indireto, pela formação do complexo antígeno-anticorpo que é então ligado a uma fluoresceína conjugada a um anticorpo anti-imunoglobulina (TÉCNICA INDIRETA DE FLUORESCÊNCIA PARA ANTICORPO). O tecido é então examinado por microscopia de fluorescência.Anormalidades Musculoesqueléticas: As anormalidades estruturais congênitas e deformidades do sistema musculoesquelético.Vertebrados: Animais que têm coluna vertebral (membros do filo Chordata, subfilo Craniata) que compreende os mamíferos, aves, répteis, anfíbios e peixes.Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intercelular: Proteínas e peptídeos regulatórios que são moléculas sinalizadoras envolvidas no processo de COMUNICAÇÃO PARÁCRINA. De modo geral, são fatores expressos em uma célula e cujos receptores alvos estão em outra célula vizinha. Diferem dos HORMÔNIOS pelo fato de suas ações serem locais e não à distância.Western Blotting: Identificação por transferência de mancha (em um gel) contendo proteínas ou peptídeos (separados eletroforeticamente) para tiras de uma membrana de nitrocelulose, seguida por marcação com sondas de anticorpos.RNA Mensageiro Estocado: RNA mensageiro que é estocado em um estado mascarado para translação em um tempo posterior. Distinguir de RNA NÃO TRADUZIDO que se refere a RNA não mensageiro, isto é RNA que não codifica para proteína.Sistema Cardiovascular: CORAÇÃO e VASOS SANGUÍNEOS, através dos quais o SANGUE é bombeado e circula pelo corpo.

*  Mamãe passou açúcar em mim: Genisteína, efeitos no desenvolvimento embrionário
... de fertilização e de desenvolvimento embrionário in vitro. A exposição de oocitos à genisteína durante a maturação in vitro ( ... desenvolvimento infantil (6) desodorantes (1) detox (2) diabetes (3) dieta (10) dioxanas (1) dióxido de titânio (1) dioxina (3) ... eles investigaram os efeitos da GNT na maturação do oocito e subsequentemente o desenvolvimento pré e pós implantação, tanto in ... como também lesões precoces de desenvolvimento. Eles acreditam, em base a seus achados, que tenha acontecido uma inibição ...
  http://leiaorotulo.blogspot.com/2009/08/genisteina-efeitos-no-desenvolvimento.html
*  Portal das Aves: Aves: Desenvolvimento Embrionário
Com constância, os ovos de garnisé têm o seu desenvolvimento embrionário um pouco mais rápido, ocorrendo a eclosão do pintinho ... essa semana estou postando sobre o desenvolvimento embrionário das aves. Não sei se está ficando meio chato já, só aves, estou ... 7º dia: -, Coração em sua posição torácica, ouvidos e outros ductos concluem seu desenvolvimento, abdômen saliente pela ... mais eu vou tentar relacionar com os dias de desenvolvimento do pintinho da galinha. Até a próxima!. ...
  https://leticia-prado.blogspot.com/2013/07/aves-desenvolvimento-embrionario.html
*  Desenvolvimento Embrionário Embriogênese Humana - ppt carregar
Embriogênese Humana O desenvolvimento embrionário humano tem seu início no ato da fecundação, em que espermatozóide e ovócito ... 1 Desenvolvimento Embrionário Embriogênese Humana. Rosana Moraes 2 Embriogênese Humana O desenvolvimento embrionário humano tem ... 10 Segunda semana do desenvolvimento embrionário. O embrião já tem finalizado sua completa implantação na parede uterina. Neste ... Desenvolvimento Embrionário Embriogênese Humana. PublicouLaís Lindo Alterado mais de 3 anos atrás ...
  http://slideplayer.com.br/slide/1671383/
*  Desenvolvimento Embrionário e Fetal « Biologia para Todos
Desenvolvimento Fetal - ocorre desde a 8ª semana até ao nascimento, correspondendo a um aumento da complexidade e da maturação ... Desenvolvimento Embrionário - dura cerca de 8 semanas, ao fim das quais todos os orgãos estão já totalmente esboçados. ... Desenvolvimento Embrionário - dura cerca de 8 semanas, ao fim das quais todos os orgãos estão já totalmente esboçados. ... Desenvolvimento Embrionário e Fetal. Posted by Francisco.e.Rute em 05/10/2009 ...
  https://blogdebiologia.wordpress.com/2009/10/05/desenvolvimento-embrionario-e-fetal/
*  Blog Animal Virtual: Desenvolvimento Embrionário de Aves
... encontrei essas imagens de um Desenvolvimento Embrionário de Aves no Facebook, e estou postando para matar a curiosidade de ...
  http://animalvirtual.blogspot.com/2012/10/desenvolvimento-embrionario-de-aves.html
*  Alunos japoneses fazem o desenvolvimento embrionário de uma ave sem a casca do ovo. Isso é realmente possível? - Diário de...
Alunos japoneses fazem o desenvolvimento embrionário de uma ave sem a casca do ovo. Isso é realmente possível?. ... Tags:aula de biologia, ave, casca do ovo, desenvolvimento embrionário, galinha, japão, ovo, vídeo ... Alunos japoneses fazem o desenvolvimento embrionário de uma ave sem a casca do ovo. Isso é realmente possível? ... é se os alunos do professor Yutaka Tahara realmente conseguiram um desenvolvimento embrionário tão perfeito a ponto de o ...
  http://diariodebiologia.com/2016/06/alunos-japoneses-fazem-o-desenvolvimento-embrionario-de-uma-ave-sem-a-casca-do-ovo-isso-e-realmente-possivel/
*  Mecanismos que controlam o desenvolvimento embrionário « Biologia para Todos
... estimula o desenvolvimento do corpo amarelo, que é responsável por manter os níveis de estrogénio e progesterona. Como se ... Mecanismos que controlam o desenvolvimento embrionário. Posted by Francisco.e.Rute em 29/10/2009 ... HCG - hormona gonadotrofina coriónica humana, tem amesma função da LH, e portanto, estimula o desenvolvimento do corpo amarelo ...
  https://blogdebiologia.wordpress.com/2009/10/29/mecanismos-que-controlam-o-desenvolvimento-embrionario/
*  Fecundação, Desenvolvimento Embrionário e Gestação « Biologia e Geologia na Escola
Com as etiquetas : 12º Ano, Apresentação, Biologia, Desenvolvimento Embrionario, Fecundação, Gestação. You can follow any ... Fecundação, Desenvolvimento Embrionário e Gestação. Posted by BG em 28/09/2010 ... Estes conteúdos estão directamente relacionados com os temas fecundação, desenvolvimento embrionário e gestação. ...
  https://bgnaescola.wordpress.com/2010/09/28/fecundacao-desenvolvimento-embrionario-e-gestacao/
*  Desenvolvimento embrionario de repteis e aves | Guia da Gravidez
... relacionadas com Desenvolvimento embrionario de repteis e aves. Descubra tudo com os nossos artigos... ... No estádio embrionário ocorre a organogénese, ou seja, a formação de todos os órgãos corporais. Trata-se de uma fase crucial, ... dado que qualquer alteração do desenvolvimento normal de qualquer estrutura pode originar um defeito no seu ... ...
  http://www.vouterumbebe.com/search/desenvolvimento-embrionario-de-repteis-e-aves/
*  desenvolvimento embrionário humano | Universidade de São Paulo - Serviço de Comunicação Social - Campus Ribeirão Preto
Tag Archives: desenvolvimento embrionário humano. 11 de setembro de 2017 Ciências, Ciências da Saúde Nenhum comentário ... é desativado durante o desenvolvimento embrionário. Artigo publicado na Scientific Reports, do grupo Nature, traz resultados de ...
  http://ribeirao.usp.br/?tag=desenvolvimento-embrionario-humano
*  Gravidez - Wikipédia, a enciclopédia livre
3.2 Desenvolvimento embrionário. *3.3 Desenvolvimento fetal. *3.4 Alterações fisiológicas maternas *3.4.1 Ovários, trompas de ... Desenvolvimento fetal[editar , editar código-fonte]. Ao fim da décima semana de idade gestacional, o embrião passa a ser ... O desenvolvimento do embrião tem início com a divisão do óvulo em múltiplas células e é nesta fase que se começam a formar a ... Durante o desenvolvimento fetal, ao deslocar-se em direção ao útero o óvulo fecundado pode ficar preso na trompa de Falópio e ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Complica%C3%A7%C3%B5es_na_gravidez
*  Gónada - Wikipédia, a enciclopédia livre
Desenvolvimento embrionário das gônadas[editar , editar código-fonte]. O desenvolvimento das gônadas faz parte da determinação ... No desenvolvimento de um macho, por influência de genes SRY e SOX9³, as células somáticas se diferenciarão em células de ... Já no desenvolvimento de uma fêmea, em contraposição ao masculino, o duto de Wolffian irá se degenerar, devido à baixa ... A gônada feminina tem um desenvolvimento mais passivo, ou seja, se não existir um cromossomo Y e assim, não existir um fator de ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/G%C3%B3nada
*  Gastrulação, Humana, Processo, Tipos, O que é Gastrulação
Essas duas características determinam aspectos diferentes no desenvolvimento embrionário.. É o estudo do desenvolvimento do ovo ... DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO. A ativação do óvulo pela fecundação inicia divisões mitóticas, denominadas clivagem. Os trés tipos ... A gastrulação é uma fase inicial do desenvolvimento embrionário da maioria dos animais, durante os quais o de camada única ... Após essa fecundação o desenvolvimento embrionário apresenta as etapas de segmentação que vão do zigoto até o estágio de ...
  http://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/gastrulacao
*  Segmentação (biologia) - Wikipedia
Desenvolvimento embrionário Clivagem Metâmero. ... qual passa o corpo de um animal durante o seu desenvolvimento. ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Segmenta%C3%A7%C3%A3o_(biologia)
*  Ementa mecatronica integrado
Classificação dos animais pelo desenvolvimento embrionário; - Histologia: - Animal e vegetal; - Principais tipos de tecidos e ... XVIII e XIX); Desenvolvimento Tecnológico e industrialização; Movimentos sociais, políticos, culturais e religiosos na ... Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editores, 2000.CHAVES, A.; SHELLARD, R. C.. Pensando o futuro: o desenvolvimento da Física ... Análise e desenvolvimento de sistemas Introdução ao CAD CAD Básico Projeção Ortogonal Comandos básicos de construção e edição ...
  https://www.slideshare.net/CamilaClivati/ementa-mecatronica-integrado
*  Embriologia - Wikipedia
110-111 ,acessodata= requer ,url= (ajuda) «Cronologia do Desenvolvimento Embrionário Humano» Desenvolvimento Embrionário Humano ... Faz parte da biologia do desenvolvimento. O desenvolvimento embrionário dos animais inicia-se pela relação sexual, gerando o ... Representação de diferentes fases do desenvolvimento embrionário. Peça em exposição no MAV/USP Início da fase do processo de ... chamado de desenvolvimento embrionário). Este é um processo contínuo que tem seu início quando um ovócito (óvulo) é fertilizado ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Embriologia
*  Karl Ernst von Baer - Wikipedia
Estudou particularmente o desenvolvimento embrionário dos animais. Além da embriologia, seus interesses também estavam focados ... Em 1827, descreveu o desenvolvimento dos mamíferos a partir do óvulo na sua obra "Ovi Mammalium et Hominis genesi" para a ... von Baer descreveu o desenvolvimento dos folhetos embrionários (ectoderma, mesoderma e endoderma) como um princípio de ... à que pertence um embrião aparecem no desenvolvimento antes das características específicas. As relações estruturais ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Karl_Ernst_von_Baer
*  2-Princípios de sinalização celular
desenvolvimento embrionário) 3- Contacto citoplasmático directo (gap junctions): - Propagação da excitação eléctrica ...
  https://pt.scribd.com/doc/23434180/2-Principios-de-sinalizacao-celular
*  Prefeitura de Arroio do Sal - RS
Desenvolvimento embrionário animal e vegetal. Histologia: Tecidos animais (epitelial, conjuntivo, muscular e nervoso). Tecidos ... Desenvolvimento embrionário animal e vegetal. Histologia: Tecidos animais (epitelial, conjuntivo, muscular e nervoso). Tecidos ... Desenvolvimento humano e Behaviorismo: Questões centrais da Psicologia do Desenvolvimento: Inato versus aprendido e análise ... Desenvolvimento humano e Teoria Sócio-Histórica: Processos de apropriação e objetivação como fundamentos do desenvolvimento ...
  https://www.pciconcursos.com.br/concurso/prefeitura-de-arroio-do-sal-rs-88-vagas
*  Polícia Militar - MT
Desenvolvimento embrionário: Segmentação, gastrulação, organogênese.. Anexos embrionários. 8 - Histologia animal. Os epitélios ... Os hormônios que atuam no desenvolvimento das plantas. 14 - Hereditariedade Nomenclatura genética Os trabalhos de Mendel - a ... crescimento e desenvolvimento anormais, em desacordo com a idade cronológica. ... identificação dos principais componentes do solo e suas funções para o desenvolvimento dos vegetais. ...
  https://www.pciconcursos.com.br/concurso/policia-militar-mt-60-vagas
*  Licenciatura em Biologia - Embriologia e Histologia Comparada
Essas duas características determinam aspectos diferentes no desenvolvimento embrionário. Durante o desenvolvimento embrionário ... Desenvolvimento embrionário dos sistemas reprodutores O desenvolvimento dos órgãos reprodutores antes do nascimento pode ser ... Organogênese - formação e desenvolvimento dos órgãos, que acontece durante o desenvolvimento embrionário, sucedendo a ... Etapas do Desenvolvimento Embrionário; Os Anexos Embrionários na Espécie Humana A ativação do óvulo pela fecundação inicia ...
  https://pt.scribd.com/doc/3213464/Licenciatura-em-Biologia-Embriologia-e-Histologia-Comparada
*  Gêmeos xifópagos - Wikipedia
As teorias do desenvolvimento embrionário dos gêmeos conjugados são opostas. A primeira é a teoria da fissão sugerindo que um ... Para tais casos foram estudados o que ocorre com o desenvolvimento embrionário de galinhas. A assimetria entre os lados do ... Os gêmeos conjugados se enquadram em um determinado tipo de desenvolvimento embrionário onde dividem a mesmo córion e a mesma ... O disco embrionário não chega a se dividir por completo, produzindo gêmeos que estarão ligados por uma parte do corpo, ou têm ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/G%C3%AAmeos_xif%C3%B3pagos
*  Blastóporo - Wikipedia
Uma outra abertura surge posteriormente (ainda durante o desenvolvimento embrionário). Na maioria dos animais o blastóporo dá ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Blast%C3%B3poro
*  Deuterostomia - Wikipedia
O que distingue este grupo é o seu desenvolvimento embrionário. A primeira abertura embrionária (blastóporo) dá origem ao ânus ... Nos primeiros estágios do desenvolvimento embrionários, isso se parece com o cordão nervoso dos Chordata. Por causa desse ... o desenvolvimento do celoma e pelas aberturas embrionárias que irão originar a boca (posteriormente) e ânus (primeiramente). ...
  https://pt.wikipedia.org/wiki/Deuterostomia
*  Canários de Porte Fife Fancy: Outubro 2010
Alteração do desenvolvimento embrionário: algumas substâncias como as penicilinas, tetraciclinas, cloranfenicois e as ... O seu grau de desenvolvimento varia nas diferentes espécies de aves; é mais desenvolvido nas espécies que se alimentam de grãos ... QUISTOS Pela impossibilidade da pena romper a pele e atingir seu desenvolvimento, fazendo com que ela fique abaixo da pele, ... Esta perturbação pode ter várias causas: O desenvolvimento é desfavorável: há muito barulho ou a fêmea está inquieta. Pode ser ...
  http://fifefancydavidsilva.blogspot.com/2010_10_01_archive.html

Fast Future Generation: Fast Future Generation é um "rockumentary" sobre os Good Charlotte noMesênquima: Mesênquima é um tecido embrionário derivado da mesoderme. Durante suas fases de transformação, o mesoderma origina uma espécie de tecido conjuntivo primitivo chamado mesênquima.Homeobox: Os homeobox são um segmento de genes homeóticos (reguladores): genes reguladores do desenvolvimento embrionário de animais, fungos e plantas. A atuação destes genes se dá por ativação ou inibição de outros genes que por sua vez produzem proteínas que vão se ligar e influenciar a atividade de outros genes, sucessivamente em um efeito cascata.Long terminal repeat: Long Terminal Repeats (LTR) são grandes sequências repetitivas de nucleotídeos que medem centenas ou milhares de bases. As LTRs são encontradas nas extremidades de uma molécula de ácido nucléico, flanqueando genes funcionais, como em DNA retroviral e em retrotransposons.Estrutura primária: A estrutura primária é dada pela sequência de aminoácidos ao longo da cadeia polipeptídica. É o nível estrutural mais simples e mais importante, pois dele deriva todo o arranjo espacial da molécula.Diferenciação celular: Em Biologia, diferenciação é o processo pelo qual as células vivas se "especializam" para realizar determinada função.Vesícula vitelinaVia de sinalização Wnt: A via de sinalização intracelular Wnt está associada à proliferação celular (via de sinalização canônica) e à formação de tecidos, por meio do controle da migração e da orientação celulares (via de sinalização não canônica) no desenvolvimento embrionário. Seu mecanismo consiste na ligação de moléculas Wnt aos receptores Frizzled, que, junto às proteínas Dvl (Disheveled), serão responsáveis pela cascata de sinalização celular.Somitogênese: Somitogênese é um processo dependente de tempo e espaço que dá origem aos SomitoMaroto, M.; Bone, R.Genes Hox: Os genes Hox são genes homeóticos . Foram encontrados em todos os filos de metazoários já estudados e, por isso, se diz que são genes conservados.Caspar Friedrich Wolff: Caspar Friedrich Wolff (Berlim, Alemanha, 18 de janeiro de 1734 — São Petersburgo, Rússia, 22 de fevereiro de 1793) foi um biólogo alemão. Foi um dos fundadores da embriologia.Teoria de Chapman-Enskog: A teoria ou método de Chapman-Enskog apresenta fórmulas precisas para uma mistura gasosa multicomponente em equilíbrio térmico e químico. Em gases elásticos o desvio da distribuição de Maxwell-Boltzmann no equilíbrio é pequeno e pode ser tratado como uma perturbação.Espermiogénese: A espermiogénese é a etapa final da espermatogénese, responsável pela maturação dos espermatídeos em espermatozóides maturos, e dotados de motilidade. O espermatídeo é uma célula de formato mais ou menos circular, contendo um núcleo, complexo de Golgi, centríolo e mitocôndrias.Repressor: Em genética, um repressor é uma proteína que se pode ligar ao DNA. Regula a expressão de um ou mais genes através do decréscimo da taxa de replicação.Placenta: A placenta é um anexo embrionário existente apenas na infraclasse Eutheria, onde estão os mamíferos placentários ou nos marsupiais, através da qual ocorrem as trocas entre a mãe e seu filho. É formada pelos tecidos do óvulo, embriologicamente derivada do córion.Idade gestacional: A idade gestacional é o tempo, medido em semanas ou em dias completos, decorrido desde o início da última menstruação (ou data da última menstruação - DUM) da mulher grávida.Ministério da saúde brasileiro- definições da OMSAchy Breaky Heart: "Achy Breaky Heart" é uma canção escrita por Don Von Tress, e gravada pelo cantor country Billy Ray Cyrus, lançada em 1992 no álbum Some Gave All. Tornou-se o primeiro single a atingir o status de platina triplo na Austrália e o mais vendido no país em 1992.


  • comparada
  • Caro(a) graduando(a), A proposta de se oferecer a disciplina Embriologia e Histologia Comparada é de envolver, de forma combinada, o desenvolvimento de conhecimentos teóricos/ científicos da mesma, aliada a conhecimentos práticos contextualizados, que respondam às necessidades da vida contemporânea. (scribd.com)
  • seja
  • A gônada feminina tem um desenvolvimento mais passivo, ou seja, se não existir um cromossomo Y e assim, não existir um fator de diferenciação testicular, haverá a formação de um ovário. (wikipedia.org)
  • efeitos
  • Já em um estudo anterior, eles haviam assinalado os efeitos citotóxicos da genisteína nos blastocistos de camundongos e sua associação com defeitos no seu desenvolvimento in vitro. (blogspot.com)
  • primeiros
  • Durante o segundo trimestre, o risco de aborto espontâneo diminui acentuadamente, a mãe começa a sentir o bebé, são visíveis os primeiros sinais exteriores da gravidez e o seu desenvolvimento é mais facilmente monitorizado. (wikipedia.org)
  • Nos primeiros estágios do desenvolvimento embrionários, isso se parece com o cordão nervoso dos Chordata. (wikipedia.org)
  • quais
  • Em 2012 ocorreram 213 milhões de gravidezes, das quais 190 milhões em países em vias de desenvolvimento e 23 milhões em países desenvolvidos . (wikipedia.org)
  • parte
  • O desenvolvimento do embrião tem início com a divisão do óvulo em múltiplas células e é nesta fase que se começam a formar a maior parte dos órgãos, muitos deles funcionais. (wikipedia.org)