Discriminação e racismo 213 a 16 Sistema político The Political System VIDA NA IRLANDA Como a Irlanda é governada? A Irlanda é uma democracia parlamentar. O Parlamento Nacional (Oireachtas) é composto
RESENHA:. MORGAN, Gareth. Interesses, conflitos e poder: as organizações vistas como sistemas políticos. IN: Morgan. G. Imagens da organização. São Paulo: Atlas, 1996.. O capítulo 6 do livro "Imagens da Organização", intitulado "Interesses, Conflitos e Poder", de Gareth Morgan, tem por objetivo reconhecer as tensões entre os interesses particulares e organizacionais que incentivam os indivíduos agirem politicamente. O texto oferece uma efetiva contribuição para compreender as organizações como sistemas políticos. A metáfora política é usada para esclarecer a vida organizacional no seu dia a dia. A partir desta compreensão é possível entender os problemas e legitimidade da administração como um processo de governo e sobre a relação entre a organização e sociedade.. Ressalta-se que o autor primeiramente detalha as características e a natureza política dos "interesses" dos indivíduos nas organizações para somente em seguida tratar dos conceitos de "conflitos". O ...
O sujeito est viajando de carro para Goi nia quando de repente o tr nsito p ra e a situa o n o muda por alguns minutos. Ent o ele desce do carro pra esticar as pernas, uma mulher aparece correndo, ofegante e ele pergunta o que est acontecendo ...
Democracia procedimental ou democracia institucional corresponde a uma corrente da teoria política, desenvolvida sobretudo na segunda metade do século XX, segundo a qual, nas democracias contemporâneas, à diferença da democracia clássica, é praticamente impossível que todos os cidadãos possam participar ativamente do jogo político. Após o término da Segunda Guerra Mundial, criou-se no Ocidente, sob a hegemonia dos Estados Unidos, uma unanimidade em torno da democracia como valor universal. Isso estimulou a reflexão sobre o conceito e os sentidos do termo democracia e suas variações (democracia direta, democracia representativa, democracia liberal ou democracia burguesa, democracia proletária, socialdemocracia). A dificuldade em definir democracia em termos de fontes de autoridade ou de propósitos de governo, levou esses autores a enfatizar uma definição institucional de democracia. Seus principais expoentes são Giovanni Sartori, Robert Alan Dahl, Samuel P. Huntington e ...
O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, defendeu hoje um sistema político que aproxime mais eleitos de eleitores e apontou como exemplo um sistema eleitoral como o da Grécia, que dá um bónus de 50 deputados ao partido vencedor.. Numa intervenção num almoço do International Club of Portugal, em Lisboa, no qual foi o orador-convidado, Luís Montenegro defendeu que, apesar de nas legislativas em Portugal se votar para eleger deputados, "escolher em eleições legislativas significa escolher um caminho", privilegiar a escolha que o povo fez num líder ou numa liderança, e assegurou não estar "a olhar para trás", para as eleições de 2015, mas a apontar ideias para futuros atos eleitorais.. Por isso, desafiou os partidos de esquerda a ponderarem um sistema eleitoral como o da Grécia, em que o partido vencedor obtém um bónus de 50 deputados, permitindo mais facilmente obter maiorias absolutas.. "Assim como BE, PS e PCP enalteceram o pulsar do povo grego podíamos aplicar no ...
Grão Mogol, Minas - De novo na estrada, e o intenso trabalho ao ar livre é o antídoto para a tristeza de ver não só o momento econômico, mas também a longa agonia do sistema político brasileiro. Não são animadoras as notícias que vêm de esquerda, direita e centro. Em toda parte, os parâmetros políticos são subvertidos. Lula, por exemplo, fez um pronunciamento para anunciar que era candidato. Comparou-se a Jesus Cristo e insultou numa só frase todos os funcionários públicos concursados do Brasil. ...
Como funciona o sistema político brasileiro?, política, Brasil, três poderes, câmara, senado, Executivo, Legislativo, Judiciário, processo político, política brasileira.
Lançado no fim do ano passado pensando nas premiações e tendo chegado ao Brasil em fevereiro, Miss Sloane (Armas na Mesa, no título nacional) é um filme que passou meio despercebido. Nos EUA foi um pouco boicotado por lidar sobre dois temas extremamente espinhosos por lá atualmente: sistema político e armas.. No filme, Elizabeth Sloane (Jessica Chastain) é uma lobista que está atuando para a aprovação da Lei Heiton-Harris a qual vai dificultar a venda de armas no país e pra isso precisar lidar com os empresários de armas, assim como com toda a "bancada da bala" americana que está muito mais interessada nos ganhos econômicos do que bem-estar da população. É interessante perceber que o argumento da "liberdade das pessoas de bem" tem sua utilização global, não se restringe ao nosso Brasil.. Sem adentrar muito no filme, a trama é instigante e inteligente e conta com um elenco de apoio é bastante competente. Mas a estrela é Jessica Chastain cuja única palavra que pode ...
BRASÍLIA ¿ O ex-assessor da Presidência da República Oded Grajew mais uma vez aproveitou a reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social para criticar o Senado e pediu um ¿minuto de silêncio¿ em solenidade à morte do sistema político nacional como um todo.
Apesar da aprovação do pacote de medidas de combate à corrupção, o sistema político continua tentando buscar blindagem contra o Judiciário.
O Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social estar presente na terceira edi o do F rum Social Mundial, a ser realizado em Porto Alegre/RS, entre os dias 23 e 28 de janeiro de 2003, participando da organiza o de duas oficinas.. A primeira ser realizada no dia 25 de janeiro, das 8h30 s 12 horas, na PUC/RS, e ter como tema central `Os novos fundamentos macroecon micos para o desenvolvimento social`. A palestrante convidada pelo Instituto Ethos ser Hazel Henderson, ambientalista e economista evolucion ria americana, mundialmente reconhecida pelo seu ativismo no desenvolvimento de uma economia sustent vel, autora dos livros `Transcendendo a economia`, `Construindo um mundo onde todos ganhem` e `Politics of the Solar Age: Alternatives Futures, the End of Economics`.. Hazel considerada uma das grandes l deres do pensamento alternativo e uma das poucas vozes femininas que defende a ado o de modelos de desenvolvimento baseados no est mulo s pequenas empresas. Ela uma das criadoras do ndice ...
O Grupo BAUMINAS, através da BAUMINAS Hidroazul, é filiada ao Instituto Ethos, reforçando o seu compromisso com a ética.. O Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social é uma Oscip cuja missão é mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente responsável, tornando-as parceiras na construção de uma sociedade justa e sustentável. ...
Apesar dessas mudanças, seguimos trabalhando integralmente em nossa missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente responsável, tornando-as parceiras na construção de uma sociedade justa e sustentável. Vamos adaptar as nossas atividades nesse período para que continuemos a gerar valor para as empresas associadas e para a sociedade.. O esforço é coletivo, não apenas para proteger os colaboradores, mas também a sociedade como um todo, e fomentar a adoção de medidas mitigadoras por parte de todas as empresas é imprescindível. Ou seja, estamos apoiando nossos parceirxs e associadxs a observar boas práticas para enfrentar esse momento, sobretudo potencializando ações quanto aos mais vulneráveis.. As empresas, que detém poder e são agentes de mudança de paradigmas, têm um papel social que vai além do cuidado com seus colaboradores e da manutenção de suas atividades e de sua própria lucratividade. Há tempos o Ethos vem ...
Ensine o triângulo retórico do Ethos Pathos Logos com divertidos e fáceis de entender. Ethos, Pathos e Logos são habilidades vitais para falar e escrever com persuasão.
O Brasil precisa ser passado a limpo. Mas o que nos falta? Hoje os mesmos que lutaram contra a ditadura são reféns do sistema que manda. Aliás, somos todos prisioneiros desse sistema falido, que de democrático não se tem nada. Políticos corruptos mais afinados com a corrupção do que com o povo que os colocou lá. No Brasil, são duas categorias que mandam. Os que estão no poder e os que querem estar no poder. Na teoria, nossa democracia quase que era perfeita, mas devido a tanta corrupção que assola o país, ela tem se mostrado uma verdadeira ditadura de uma minoria transvestida de democracia. Quem votasse a favor do povo, contra o vergonhoso salário mínimo de R$ 545, poderia ser expulso. Isso não é uma ditadura? Estamos mantendo candidatos corruptos, metidos numa falsa democracia, onde só governam para si mesmos e não estão nem aí para o povo. Vamos acordar Brasil! ...
Sem a opção militar, os políticos carecem de atalhos e são forçados a negociar com os instrumentos que o sistema político lhes dá. Embora a ausência da opção militar não impeça crises, ela serve para gerar incentivos que ajudam a encontrar soluções negociadas. A experiência da crise argentina de 2001 é um bom exemplo de um país onde a grande insatisfação com o sistema político foi resumida na frase de um cidadão exigindo "que se vayan todos", mas essa demanda não resultou na ocupação militar do vácuo político. No caso argentino, o repúdio popular à intervenção militar como resultado da última ditadura e o custo da justiça de transição para os militares foram fundamentais para explicar por que a classe política não recorre ao Exército e por que não quer interferir também. em crises políticas. Após a sucessão de golpes militares que começaram com a derrubada de Perón em 1955 e culminaram nos anos 70 com a ditadura mais violenta da história da Argentina, ...
Natalia Mori e Patrícia Rangel. Não é novidade para ninguém que o sistema político brasileiro é excludente e ancorado no patriarcado, no racismo e no elitismo, e que deixa diversos segmentos sociais de fora do jogo eleitoral e dos espaços institucionais de poder. Mulheres, [email protected], indígenas e pobres são [email protected] em cargos eletivos, o que aponta um déficit na nossa democracia "representativa".. Também não é novidade que alterações institucionais têm o poder de provocar mudanças reais no sistema político e suplantar a marginalização desses grupos. Neste sentido, movimentos sociais e parlamentares progressistas têm se empenhado há anos em levantar propostas de reforma política com o objetivo de diminuir a exclusão política e alargar espaços públicos de debate, com vistas à radicalização da democracia, ao enfrentamento das desigualdades e à promoção da diversidade. Após anos de luta e mobilização por uma transformação estrutural no sistema político ...
Não há ditaduras boas, da mesma forma que não há doenças boas. Há democracias avançadas e vigorosas e há democracias em crise, democracias frágeis, democracias necessitadas de um novo começo. O que não há com toda a certeza é democracias que possam ser substituídas com proveito por uma qualquer ditadura. Nenhuma democracia é tão má que consiga ser pior do que a melhor ditadura. Tempos como aqueles que vivemos são susceptíveis de engendrar monstros. Contudo, também são capazes de gerar sonhos enormes e poderosos. Mais do que nunca é urgente revisitar utopias antigas e projectar novas. É urgente procurar outros caminhos. Sonhar não é loucura. Loucura, hoje, é não sonhar. Mukanda 15.04.2016 , por José Eduardo Agualusa ...
Apenas em ditaduras se vê algo de semelhante. Não é de admirar, pois que nada em Portugal nos diz que estamos numa democracia. Absolutamente nada, tudo se passa ao invés. A saúde, a justiça e o direito a ela, os sistemas solidários, as reformas, as diferenças salariais, o ensino, o comportamento de todos e o civismo em geral, o roubo contínuo e descarado dos políticos. Nem vale a pena continuar, que a lista é quase infindável se se nomear cada caso um por um. Um facto de realçar é o perfeito estado de ignorância em que o povo se encontra imaginando que numa democracia se têm todos os direitos, esquecendo completamente que uma democracia se baseia em deveres, pelo que sem se cumprirem as obrigações democráticas se eliminam todos os direitos. Convencido, também, que basta votar para se ter uma democracia, esquecendo ainda que até nalgumas ditaduras também se vota, como aconteceu durante a maioria do tempo durante o Estado Novo ...
Democracia participativa ou democracia deliberativa significa a possibilidade de intervenção direta dos cidadãos nos procedimentos de tomada de decisão e de controle do exercício do Poder. Permite-lhes terem acesso aos seus representantes em permanência e não apenas periodicamente nas eleições, como na Democracia representativa, mas usual nas Democracia directa e na Democracia semi-directa, fazendo ouvir as suas opiniões de forma institucionalizada, prévia à tomada de decisões, e deliberar sobre elas. É um regime onde se pretende que existam efetivos mecanismos de controle exercidos pela sociedade civil sobre a administração pública, não se reduzindo o papel democrático apenas ao voto, mas também estendendo a democracia para a esfera social. Em causa está o princípio democrático na sua vertente de princípio da participação. Ela pode assumir as mais variadas formas, desde as clássicas, como o referendo ou o plebiscito, até formas que propiciam intervenções mais ...
PROJETO DE PESQUISA (PIBIC/FAPEAM/UFAM) REALIZADO EM 2012/2013. INTRODUÇÃO O conceito de Democracia, apesar de antigo, ainda não foi apreendido totalmente pela cidadania. De um lado nós temos a ideia de uma Democracia Direta que, em um país de dimensões continentais como o Brasil se torna inviável. Por outro lado, nós temos a Democracia Representativa, onde a sociedade escolhe, por meio do sufrágio universal, aqueles que devem representar seus interesses na esfera executiva e legislativa do poder público. O modelo atual de democracia no Brasil, que Boaventura de Sousa Santos (2002) chama de democracia liberal, representativa, "não garante mais que uma democracia de baixa intensidade baseada na privatização do bem público por elites mais ou menos restritas, na distância crescente entre representantes e representados e em uma inclusão política abstrata feita de exclusão social" (p. 32). Daí a necessidade de se pensar novos modelos, como a democracia participativa ou democracia ...
William Summerhill, professor de história da economia da Universidade da Califórnia - Los Angeles (UCLA), escolheu o Brasil como fonte de pesquisas acadêmicas. A maior parte de seu trabalho é realizada no Rio de Janeiro, onde, há alguns anos, encontrou um valioso material no prédio do Ministério da Fazenda para publicar sua tese. É dele a análise sobre as ferrovias brasileiras, um clássico para entender o desenvolvimento econômico do País. No seu último livro, o brasilianista viaja à época do Império para mostrar porque a solvência do País não se transformou em desenvolvimento econômico. Inglorious Revolution - Political Institutions, Sovereign Debt, and Financial Underdevelopment in Imperial Brazil (Revolução Inglória - Instituições Políticas, Dívida Soberana e Subdesenvolvimento Financeiro no Brasil do Império, em tradução livre) foi lançado em outubro de 2015 pela editora da Universidade Yale e ainda não tem previsão de lançamento no País. Atualmente, sua ...
A Associação Brasileira de Ciência Política, que reúne cientistas políticos de diferentes posições partidárias e ideológicas, vem a público para reafirmar seu claro compromisso com a democracia. Podemos divergir nos diagnósticos dos problemas do nosso sistema político e nas análises dos defeitos e dos potenciais da democracia brasileira, mas sabemos que o único terreno em que é possível encontrar caminhos para seu aprimoramento é o da democracia. Nos regimes autoritários, a tônica é a falta de transparência e de respeito aos direitos políticos e aos direitos fundamentais das pessoas. São regimes que limitam ou impedem a crítica e o combate à corrupção, o debate aberto sobre os modelos de desenvolvimento adotados e seus efeitos e que adotam a censura, a perseguição e a tortura como instrumentos para ocultar a crítica e eliminar adversários políticos. Temos muitas informações e estudos sobre a ditadura brasileira de 1964 e sobre outras ditaduras latino-americanas ...
El-Rei Dom Carlos I sabia que a solução para a salvação de Portugal era um Poder Real forte, um Rei a governar segundo os princípios da Carta Constitucional, que sem abandonar o parlamentarismo, fosse o Monarca o chefe-executivo nominal, embora obrigado pela Constituição a actuar no conselho do Gabinete, orientasse e aconselhasse o ministério, zelando pelo cumprimento criterioso do bem da coisa comum pelo executivo. O Monarca exerceria o poder executivo de forma significativa, embora não absoluta. A Monarquia sob esse sistema de governo seria uma poderosa instituição política e social. Por outro lado, nas Monarquias cerimoniais, o monarca tinha pouco poder real ou influência política directa o que dava grande margem de manobra aos políticos para tornarem a política a fonte de todos os males.. É El-Rei a única força que no País ainda vive e opera., registou o insuspeito Eça de Queiroz, nesses fins de século XIX, sobre Sua Majestade o Rei Dom Carlos I de Portugal.. De ...
Entre os fins dos anos 1990 e o começo dos anos 2000, a democracia havia chegado ao seu auge. Pela primeira vez na história, a maioria da população mundial vivia sob regimes democráticos. Além dos lugares onde ela já fincara raízes desde o século XIX (especialmente nos EUA, nos países da Commonwealth britânica e em um que outro país da Europa, como a Suécia), as ditaduras de direita do sul da Europa (Grécia, Portugal e Espanha) e da América Latina (incluindo o Brasil) e de esquerda no Leste Europeu haviam sido substituídas por democracias mais ou menos bem-sucedidas. Segundo o Índice de Democracia da revista inglesa The Economist, 2006 foi o auge. Desde lá, porém, um fantasma ronda o mundo: ano a ano, países democráticos se tornam autoritários e mesmo aqueles com democracias consolidadas veem o sinal amarelo se acender.. Paradoxalmente, esses declínios democráticos recentes surgem do voto dos cidadãos e não de golpes militares ou revoluções. Países que eram modelos ...
Dizia ontem a filha de Marcelo Caetano, Ana Maria Caetano, em entrevista à RTP, que não acreditava na Democracia. Vindas da sua boca estas palavras, até me podiam chocar. Mas não. Para falar verdade, descobri nela uma franqueza e uma dignidade que não vejo nos que passam o tempo a bater no peito tecendo encómios à Democracia, mas que não se coibiram de a abastardar todos estes anos [41!] com esquemas, homicídios e jogos de corrupção. Quase lhe dei razão, e digo quase porque no fundo da minha boa fé, me recuso a aceitar como utópica uma Democracia edificada por cidadãos e políticos de carácter. Essa Democracia é possível, é tolerante, é legal, mas não permissiva nem idealista. Utópica, e socialmente corrosiva, é a que os políticos que tivemos e temos ainda defendem. Uma democracia protectora para eles (ditadura liberal) e tremendamente dura e ineficiente para a população ...
O Parlamento é um tema central para o Inesc, por ser essencial para sua ação em defesa de direitos e da radicalização da democracia. O Inesc atua por uma reforma política ampla, que mude a forma de fazer política e de exercer o poder no Brasil. Outro grande desafio é a busca pelo aperfeiçoamento do Parlamento, símbolo da democracia representativa, incorporando a ele os mecanismos de democracia participativa e de democracia direita.
Nossa história republicana nasce das oligarquias e é atravessada por tantos golpes que a democracia parece ser o regime de exceção
Aproxima-se o 25 de Abril e com ele uma série de homenagens emocionadas, louvas à liberdade e à democracia. Mas será que os portugueses compreendem hoje estes conceitos? Chega a parecer que não, pois basta uma palavra para se gerar um burburinho típico nas sociedades menos democráticas: conservadorismo. O preconceito em relação ao conservadorismo é hoje excessivo, e é preconceito porque resulta da ignorância e da desinformação. Dizer que uma instituição ou um cidadão é conservador é quase sempre usado em sentido perjurativo como algo que não cabe na democracia, como algo relacionado com a ditadura, como se república, democracia e progresso fossem três sinónimos. Não são. Pois só quem milita no pensamento único, na ideologia única pode acreditar nisso e isto é tudo menos espírito democrático.. Num Estado providência como aquele em que vivemos, a imposição moral de uma ideologia única seria anti-democrática. A liberdade em democracia importa a diversidade de ...
Daqui a alguns anos o mundo político estará pacificado. Seja qual for o partido no poder, ou mesmo uma ditadura, a reação será o embate com o MPF e o Judiciário, pela simples razão de que nenhum sistema político conseguirá funcionar minimamente com a margem de arbítrio conquistada pelo MPF, Tribunal de Contas e outras instituições do funcionalismo público. Em caso de ambiente democrático, não haverá o embate direto, mas o estrangulamento orçamentário gradativo e as restrições aos salários e vencimentos da categoria. Será o fim da era dos concurseiros. Em caso de ditadura, basta bater a bota para colocar os bravos para correr. ...
Temas como a crise econômica no Brasil, diminuição da proteção social, falta de planos de ação para a transição e descarbonização da economia, erradicação das desigualdades e pobreza, discussões sob o viés do desenvolvimento sustentável e transição para modelos mais inclusivos e democráticos; observar cada um destes entraves através das agendas de direitos humanos, integridade, meio ambiente e gestão socialmente responsável é uma forma de atender às demandas da atualidade. Igualdade de oportunidades, inclusão, respeito aos saberes tradicionais, integração de tecnologias, geração de empregos, amadurecimento do sistema de integridade e transparência e mitigação de riscos ambientais permearão os 60 painéis que vão acontecer em cinco palcos simultâneos durante os dois dias de programação. A PROGRAMAÇÃO Esta edição da Conferência Ethos compartilha casos e iniciativas nacionais e internacionais que aperfeiçoam o debate e a experiência sobre as trajetórias ...
Fagali: Na verdade, o fato de sermos uma das agências de publicidade no mundo mais especializadas em comunicação de interesse público é consequência da visão e da essência da nossa alta administração que conseguiu reunir um quadro de funcionários extremamente competentes em termos técnicos e que são comprometidos com a construção de um mundo mais íntegro. Nosso trabalho sempre teve a ética, a integridade e a transparência como compromissos. Quanto ao Pró-Ética, ele é a principal premiação do Brasil na área de compliance. Importante ressaltar que é uma premiação oficial, organizada pelo Instituto Ethos e pelo próprio Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU). Tal fato, por si só, já seria uma justificativa mais do que suficiente e legítima para participar. Além disso, como mencionado, por sermos conhecidos como uma das melhores agências de comunicação de interesse público no mundo, nosso relacionamento com a ...
O uso do colar de choque em cães está prestes a ser efetivamente banido na Escócia. O Governo escocês confirmou a informação. Ministros disseram em Novembro que poderiam continuar a permitir o uso destes equipamentos de treinamento. Isso, mesmo apesar dos avisos de instituições de bem-estar animal de que os colares de choque causam sofrimento …. Saiba mais.... ...
A despeito dos resultados polêmicos, o executivo Oded Grajew, presente no lançamento na qualidade de presidente emérito do Instituto Ethos, destacou a importância da pesquisa como instrumento de mudança. Se vocês olharem ao longo da história, as lideranças religiosas, políticas, figuras reconhecidas, todas elas tinham um coisa em comum: todas empunharam a bandeira da justiça social, comentou. E essa bandeira não é fácil de carregar, porque se é para levar a sério, se é para transformar, você enfrenta muita resistência.. A coordenadora de Sustentabilidade da Philips do Brasil, empresa patrocinadora da pesquisa, juntamente com o Instituto Unibanco, Renata Macedo, também mencionou a dificuldade de arrancar certas raízes do solo corporativo. É uma batalha, admitiu. Porém, otimista, valorizou o fato de as empresas terem dado abertura para que isso [a pesquisa] aconteça. Renata também atentou para a relação entre a sustentabilidade - do ponto de vista da inclusão - ...
Nome: Luna. Tipo de Serviço: Terapia Comportamental / Adestramento. Resumo: Luna iniciou o adestramento aos 6 meses de idade, quando sua proprietária nos telefonou desesperada sem saber como proceder para que ela se tornasse mais calma e tivesse mais respeito para com ela e seu marido. Ela apresentava um quadro moderado de ansiedade que foi tratado através das sessões de Terapia Comportamental aliada ao Adestramento da Ethos Psicologia Animal.. ...
Eis o final da Democracia. No mundo das verdades, a prova decide tudo. No mundo das realidades, por sua vez, quem decide é o êxito. Pelo dinheiro, a Democracia anula-se a si própria, depois de o dinheiro ter anulado o espírito. O Cesarismo cresce no solo da Democracia, mas suas raízes penetram profundamente nas camadas ínfimas do sangue e da tradição. Por mais energicamente que os poderosos do futuro - já que a grande forma política da cultura se desfez irremediavelmente - dominarem a terra como se esta fosse sua propriedade particular, esse poderio informe, ilimitado, terá todavia uma missão a cumprir: a missão de cuidar sem descanso deste mundo. Tal cuidado é o contrário de todos os interesses na época da hegemonia do dinheiro e requer um senso de hora elevadíssimo, bem como a plena consciência do dever. Justamente por isso, porém, produz-se agora a luta final entre a Democracia e o Cesarismo, entre os poderes dominantes de uma plutocracia ditatorial e a vontade ...
Democracia é como gravidez, em que, ou se está ou não se está grávida? Ou é um processo gradual em que, após estabelecida, é possível vários graus de democracia? Uma democracia padrão poderia ser mensurada em índices do tipo 10 %, 50 %, 100 % ou 150 %? Ou só existe democracia padrão 100 %, sendo impossível haver menor ou maior intensidade desta forma de governo? Menos que 100 % de democracia é sempre uma ditadura? O que é uma democracia plena? É-se possível radicalizar na democracia? Ou ela, em si mesma já é o máximo possível de radicalização? É possível existir democracia com um déficit (uma deficiência) de si mesma? Uma democracia meia-boca é uma democracia de verdade? Merece este nome? ...
Democracia é como gravidez, em que, ou se está ou não se está grávida? Ou é um processo gradual em que, após estabelecida, é possível vários graus de democracia? Uma democracia padrão poderia ser mensurada em índices do tipo 10 %, 50 %, 100 % ou 150 %? Ou só existe democracia padrão 100 %, sendo impossível haver menor ou maior intensidade desta forma de governo? Menos que 100 % de democracia é sempre uma ditadura? O que é uma democracia plena? É-se possível radicalizar na democracia? Ou ela, em si mesma já é o máximo possível de radicalização? É possível existir democracia com um déficit (uma deficiência) de si mesma? Uma democracia meia-boca é uma democracia de verdade? Merece este nome? ...
Resumo: Pretende-se com este artigo conhecer as percep es dos membros das elites parlamentares dos pa ses do Mercosul sobre as institui es, sobretudo as opini es sobre a democracia. Para conhecer as opini es foram utilizados os resultados da pesquisa lites Parlamentarias Latinoamericanas desenvolvida pelos estudiosos vinculados ao Instituto Interuniversitario de Iberoam rica da Universidad de Salamanca (Espanha). As an lises das opini es revelam: 1) a democracia apresenta certa estabilidade, 2) a democracia prefer vel a qualquer outro tipo de regime pol tico, 3) os problemas sociais e econ micos amea am o regime democr tico e 4) as institui es partid rias e as elei es s o importantes para manter a estabilidade democr tica.. Palavras-chave: democracia, opini o pol tica, elite parlamentar.. Sum rio: 1. Introdu o, 2. A democracia nos pa ses do Mercosul, 3. Os partidos e as elei es s o importantes para a democracia? 4. Conclus o, 5. Refer ncias bibliogr ficas. 1. Introdu o. Alguns pa ses ...
Movimentos e organizações da sociedade civil realizaram ato na Câmara dos Deputados, quarta-feira (04/02), para retomar a luta por um novo sistema político no país. No plebiscito popular realizado em setembro de 2014, quase oito milhões de pessoas disseram sim à Constituinte Soberana e Exclusiva do Sistema Político. Em outubro, como desdobramento da campanha popular, um Projeto de Decreto Legislativo (PDL), assinado por 181 parlamentares, foi entregue ao Congresso Nacional e propõe um plebiscito oficial com a mesma e única pergunta da consulta popular: você é favor de uma Assembleia Nacional Constituinte Exclusiva e Soberana sobre o Sistema Político? O povo é quem deve ter a palavra e decidir qual a reforma necessária para reverter as distorções na representação política em nosso país causadas pelo atual sistema político. Entre elas, a baixa representatividade de mulheres, negros, indígenas e trabalhadores; em contraste com a forte presença do poder econômico e de ...
De modo nenhum. Todo sistema político totalitário e autocrático é execrável por princípio e, portanto, inadmissível em qualquer circunstância. A democracia tem recursos para assegurar a segurança da sociedade e a permanência das instituições. A "Lava Jato" é um exemplo disso. Sempre que a democracia for defenestrada é preciso que a sociedade se erga e derrube o regime tirano que foi colocado em seu lugar. Mesmo que ele esteja fazendo algo de bom, mas, por não ser democrático, é necessariamente péssimo. A única alternativa aceitável à democracia é a acracia, isto é, a ausência total de governo. Mas isso só poderá acontecer quando a humanidade atingir a maturidade civilizatória, que permitirá a inexistência de qualquer tipo de crime, desonestidade, injustiça, negligência, preconceitos, intolerâncias, crueldades, malvadezas e esse tipo de coisas por total ausência de vontade de quem quer que seja de praticá-las ...
Em seu livro "Política", o filósofo Aristóteles analisou vários sistemas de governo, chamou de injusta a democracia (demokratia) e de justa a República (politeia). A demokratia de Aristóteles se aproxima mais da democracia direta e a politeia da democracia representativa Alguns fundadores dos EUA usaram os termos "Democracia" e "República" de forma similar a usada por Aristóteles. "República" era usada para designar a democracia representativa, que na opinião deles era a única capaz de proteger os direitos dos cidadãos, já o termo "democracia" era usado para designar a democracia direta que para eles era sinônimo de tirania e injustiça. Muitos cientistas políticos usam o termo "democracia" para caracterizar um governo que atua em favor do povo (direto ou representativo), enquanto que "Republica", seria o sistema político onde o chefe de estado é eleito por um determinado período de tempo. ...
Graças a um processo de consolidação institucional realizado com o apoio do Fundo Acelerador de Inovações Cívicas, a organização argentina Democracia en Red participou do ciclo 2015 da Y Combinator, a aceleradora de negócios tecnológicos mais importante do Vale do Silício.. A Democracia en Red foi selecionada pelo seu projeto para desenvolver um spin-off da Democracy OS, sua plataforma digital de tomada coletiva de decisões, que até o momento era utilizada por ativistas, organizações civis e atores governamentais em processos cidadãos. A partir de agora, a Democracy OS poderá ser também comercializada como um serviço de governança digital para qualquer tipo de organização.. O Fundo Acelerador de Inovações Cívicas é uma iniciativa criada pela Fundación Avina, Avina Americas e Omidyar Network para promover o desenvolvimento de projetos de software livre de caráter cívico, com padrões de dados abertos.. A Democracia en Red é uma organização sem fins lucrativos que ...
Daniel Bensaïd). Em outubro de 2009 defendemos uma dissertação de mestrado em sociologia na Universidade Federal de Sergipe, em que a democracia participativa esteve no centro da discussão. Tratou-se de uma pesquisa sobre a experiência em andamento nesse estado - o Planejamento Participativo de Sergipe (PP) -, instituído pelo governo estadual em 2007. Não obstante os limites inerentes a um estudo espacial e temporalmente localizado, acreditamos que no que se refere aos impasses e desafios da democracia participativa a pesquisa tem algo a dizer.. Uma primeira observação importante é que não só a nossa, mas várias pesquisas sobre experiências de orçamento participativo atestam que a democracia participativa "tem lado", como diz Raul Pont. Se a democracia de um modo geral não mobiliza uma base social homogênea, a democracia participativa em particular tem operado sob a hegemonia das classes populares e isso tem conseqüências sobre seus resultados. Importante frisar que no caso ...
Na noite do dia 31 de março de 1964, o regime político vigente no Brasil sofreu um golpe. Mas o País seria golpeado muitas vezes até 1985. Para permanecer no poder, os militares prendiam, torturavam e manipulavam. A censura aos meios de comunicação limitou o acesso à informação dos brasileiros e também foi aplicada nas escolas, causando prejuízos com reflexos até hoje.. Enquanto nos porões da ditadura, os que se opunham ao governo eram até mesmo mortos, na superfície, a tentativa era mostrar que o Brasil estaria vivendo um milagre econômico. A campanha ufanista da época encorajava a população a acreditar que vivia em um país do futuro, sem saber detalhes da repressão, ou de dados que desfavorecessem o regime. ...
DEMOCRACIA LOCAL é um grupo de reflexão sobre o poder autárquico. Nele pretendemos debater, de forma construtiva e abrangente, todos os assuntos que dizem respeito às comunidades locais: da participação cidadã ao desempenho dos eleitos nos diversos órgãos existentes na freguesia, no município ou na região, passando pela apreciação da gestão corrente ao papel da oposição política.» ...
Por Silvio Caccia Bava para o Informes Abong* Acreditávamos ter consolidado a democracia e por isso a questão da reforma política era discutida nos marcos de uma institucionalidade, de regras do jogo que permitiriam enunciar propostas como a de um plebiscito através do qual a vontade popular pudesse se manifestar e influir no processo decisório, abrindo espaço para a realização de uma Constituinte independente para a reforma do sistema político. A aspiração era aperfeiçoar o sistema político no sentido de lhe atribuir maior legitimidade e representatividade graças à participação cidadã. No entanto, o campo político conservador endureceu seu discurso, quebrou a institucionalidade democrática para impor seu programa máximo, sem negociações com a sociedade. A exclusão dos trabalhadores, das mulheres, dos negros, na composição do governo Temer é um recado: o programa do governo é o da destituição de direitos em favor de uma maior acumulação rentista. Na situação atual
Formas de financiamento de campanha, mecanismos de democracia direta e representatividade de grupos como mulheres, negros e indígenas são alguns dos temas sobre os quais mais de 400 entidades querem debater com o conjunto da sociedade. Para tanto, ...
É possível construir um sistema democrático a partir do zero? Em arquipélago acima do Círculo Ártico, noruegueses estão provando que sim
O Projeto de Reforma Política foi lançado em setembro de 2013 e pretende, entre outras medidas, afastar a influência do poder econômico das eleições, proibindo a doação de empresas; reformular o sistema político, incluindo a melhor representatividade das mulheres e estimular a participação dos grupos sub-representados da sociedade; viabilizar a regulamentação do artigo 14 da Constituição, que trata dos instrumentos de participação popular como plebiscito, referendo e lei de iniciativa popular; melhorar o sistema político partidário, aumentando a participação de militantes e filiados em torno de um programa político; e promover a fidelidade partidária programática. ...