Definição de República Centro-Africana no Dicionário Português Online. Significado de República Centro-Africana tradução República Centro-Africana. Traduções de República Centro-Africana. O que é casa República Centro-Africana sinônimos. Informações sobre República Centro-Africana no dicionário e enciclopédia gratuitos em inglês. República Centro-Africana. Traduções. English: Central African Republic. Spanish / Español: República Centroafricana. + 19 more
A República Centro-Africana ou, raramente, República da África-Central é um país localizado no centro da África, limitado a norte pelo Chade, a nordeste pelo Sudão, a leste pelo Sudão do Sul, a sul pela República Democrática do Congo e pela República do Congo, e a oeste pelos Camarões. A capital do país é a cidade de Bangui. A maior parte da República Centro-Africana consiste em savanas, mas o país também inclui uma zona Sahel-sudanesa no norte e uma zona de floresta equatorial no sul. Dois terços do país estão na bacia do rio Ubangui (que desemboca no rio Congo), enquanto o terço restante está localizado na bacia do Chari, que desemboca no Lago Chade. O que hoje é a República Centro-Africana foi habitada há milênios. No entanto, as fronteiras atuais do país foram estabelecidas pela França, que governou o país como uma colônia a partir do final do século XIX. Depois de conquistar a independência da França em 1960, a República Centro-Africana foi governada por ...
Bangui / Genebra, 9 de agosto de 2017 - O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho está chocado e triste com a morte violenta de seis voluntários, no início da semana, na República Centro-Africana (RCA).. O grupo participava de uma reunião em um centro de saúde na cidade de Gambo, no sudeste da República Centro-Africana, em 3 de agosto. As circunstâncias exatas ainda não estão claras. No entanto, os relatórios indicam que outros civis e médicos também podem ter sido mortos.. O Movimento da Cruz Vermelha condena fortemente este que foi o terceiro atentado na RCA contra membros da Cruz Vermelha esse ano.. "Estamos chocados com a notícia da morte de nossos colegas", disse Antoine Mbao-Bogo, presidente da Cruz Vermelha da República Centro-Africana. "Solicitamos a todas as partes que tomem medidas para poupar a população civil e respeitem nossos voluntários que prestam ajuda humanitária".. O Movimento da Cruz Vermelha está profundamente preocupado com o ...
Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque. Uma especialista das Nações Unidas disse esta quarta-feira ao Conselho de Direitos Humanos que há uma "possibilidade real de retorno à guerra civil" na República Centro-Africana.. Falando numa sessão do órgão, a relatora sobre a situação dos direitos humanos no país, Therese Boucoum, considerou os próximos três meses "cruciais para o futuro da República Centro-Africana" diante da crescente onda de violência.. Taxista. De acordo com a ONU, mais de 30 pessoas morreram em distúrbios que se agravaram após a morte de um jovem taxista muçulmano na capital Bangui no sábado.. O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, a Organização Internacional para Migrações, OIM, e seus parceiros disseram que apoiam a pelo menos 27,4 mil deslocados.. Próximo do aeroporto, cerca de 10 mil pessoas procuram abrigo no acampamento de Mpoko, que já acolhia cerca de 11 mil deslocados.. Ameaça. Boucoum considerou essencial a realização das ...
Secretária-geral assistente avaliou situação de deslocados internos e refugiados afetados pela violência e conflito; Kyung-wha Kang encerrou missão de sete dias à região; mais de 2 milhões de pessoas precisam de ajuda nos Camarões.. Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.. A secretária-geral assistente da ONU para Assuntos Humanitários, Kyung-wha Kang, pediu mais apoio humanitário internacional para a República dos Camarões e também para a República Centro-Africana.. Kang fez a declaração ao encerrar visita de sete dias aos países, onde avaliou a situação dos deslocados internos, dos refugiados e de outros afetados pela violência e pelos conflitos na região.. Crise Humanitária. Ela afirmou que os Camarões enfrentam uma crescente, complexa e desafiadora crise humanitária.. Kang explicou que o país recebe um fluxo cada vez maior de refugiados da República Centro-Africana que estão a fugir dos conflitos e um aumento do número de deslocados internos por causa dos ...
As relações entre França e República Centro-Africana referem-se as relações bilaterais entre a República Centro-Africana e a França. Ambos os países são membros da Francofonia e das Nações Unidas. Durante a partilha da África na década de 1880, a Bélgica, a Alemanha e a França competiram entre si, a fim de controlar o território a norte do rio Ubangi. Em 1903, a França nomeou a sua nova colônia Ubangi-Shari e em 1910, a França incorporou o território junto com outras quatro colônias (Congo francês, Gabão, Chade e Camarões franceses) em uma federação colonial conhecida como África Equatorial Francesa. Inicialmente, o governo francês arrendou grandes partes dos territórios para as companhias europeias e forçou a população local a coletar borracha silvestre, a caçar para obter marfim e peles de animais, e a trabalhar nas plantações. Devido à exploração forçada pelo império colonial francês, os nativos da África Central começaram a se rebelar no início ...
Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*. Uma pesquisa realizada em vários campos de deslocados da República Centro-Africana refere que 66% dos muçulmanos e de outras minorias étnicas do país não pretendem voltar para as suas casas.. O estudo, a ser publicado esta semana, foi conduzido pela Organização Internacional para Migrações, OIM. A agência aponta que a intenção dos inquiridos é mudar-se para uma outra região, para o seu país de origem ou permanecer num campo de deslocados.. Habitação e Segurança. O estudo foi divulgado em Genebra, no momento em que o país acolhe a chefe do Escritório de Assistência Humanitária das Nações Unidas, Ocha, numa missão com o diretor-executivo do Programa Conjunto da ONU sobre o HIV/Sida, Onusida.. Até esta quinta-feira, Valerie Amos e Michel Sidibé devem analisar o impacto da crise sobre as necessidades essenciais de saúde na República Centro-Africana.. Prioridade. A pesquisa da OIM refere que entre os deslocados que ...
Lisboa, 15 abr 2019 (Ecclesia) - O bispo das Forças Armadas e de Segurança visitou este sábado os militares portugueses em ação na República Centro-Africana (RCA), destacando o contributo destes homens e mulheres enquanto "obreiros da paz".. Em entrevista à Agência ECCLESIA, D. Rui Valério salientou hoje que, durante a sua viagem à RCA, encontrou um país que "não obstante os longos anos de conflito não está resignado ao catastrofismo do destino, mas quer viver, quer voltar a página da sua história e construir um novo amanhã".. A República Centro-Africana vive desde 2013 um contexto de guerra civil, despoletado pela deposição do antigo presidente François Bozizé e agudizado pela violência entre diferentes grupos étnicos existentes naquela nação.. Um conflito que já provocou mais de um milhão de deslocados e refugiados e deixou cerca de 2,5 milhões de pessoas a precisarem de ajuda humanitária urgente.. "Há aqui uma força interior que faz as pessoas querem seguir em ...
A situação está bastante tensa em Bangui, capital da República Centro-Africana desde a nova onda de violência que eclodiu no dia 7 de outubro. Grupos estão posicionados em cruzamentos estratégicos e ergueram barreiras na cidade. Tornou-se extremamente difícil, tanto para a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) quanto para os demais atores, circular de maneira segura e ir ao encontro dos feridos.
Outros muçulmanos querem votar e levaram cartazes onde se lia isso mesmo. Cartazes que foram empunhar frente à sede da Minusca, a missão da ONU no país.. "Estávamos inscritos é para votar. A nossa assembleia de voto é aqui, por isso, temos o direito de votar. Se queremos dar uma segunda hipótese ao nosso governo e ao nosso Estado, temos de fazer uso de todos os meios para que possamos votar hoje" diz Hamadou Godobe, habitante do bairro PK5, em Bangui, onde se registaram os mortos.. Num país marcado, há três anos, por violentos confrontos intercomunitários e inter-religiosos, este referendo constitucional é a primeira tentativa de regresso à normalidade na vida política do país. As eleições presidenciais e legislativas estão marcadas para 27 de dezembro.. A República Centro-Africana, um dos países mais pobres do mundo, está mergulhada no caos desde o derrube do presidente Bozizé, em março de 2013, pela ex-rebelião Séléka, também afastada do poder por uma intervenção ...
Pelo menos 80 pessoas estão desaparecidas na República Centro-Africana devido ao naufrágio de uma embarcação no último dia 11 no Rio Mpoko, ao sul de Bangui, informou hoje (17) o Ministério dos Transportes.. "Até hoje, só foram salvas duas dezenas de pessoas. A embarcação tinha mais de uma centena a bordo. Pelo menos 80 pessoas estão desaparecidas", declarou o diretor-geral dos Transportes, Silvère Yabada.. Centenas de pessoas atravessam diariamente o Rio Mpoko, mas a embarcação que assegura a travessia está parada, devido a problemas mecânicos ou à falta de combustível. São então utilizadas canoas sobrecarregadas.. O naufrágio dessas embarcações sobrecarregadas é frequente no Rio Mpoko, bem como no Oubangui.. Fonte: Agência Lusa. ...
Bangui, 3 abr (EFE).- O novo presidente da República Centro-Africana, Faustin-Archange Touadéra, nomeou como primeiro-ministro Simplice Sarandji, cuja m...
A equipe de emergência da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) na República Centro-Africana (RCA) realizou uma breve intervenção na remota província de Vakaga, no nordeste do país, onde a oferta de ajuda humanitária tem sido precária, apesar dos evidentes efeitos de anos de conflitos e deslocamentos e da escassez de recursos de saúde na área. A província é lar de cerca de 70 mil pessoas.
O governo do Brasil condenou hoje (25) a ação que derrubou o presidente da República Centro-Africana, François Bozizé, e diz que mantém contato com os
O papa Francisco vai visitar o Uganda e a República Centro-Africana de 27 a 29 de novembro, na sua primeira viagem a África, anunciou esta sexta-feira o Vaticano.
A República Centro-Africana anunciou eleições presidenciais e parlamentares, consideradas fundamentais para ajudar a acabar com dois anos de conflito inter-religioso, para 18 de Outubro, disse um porta-voz do governo interino nesta quinta-feira.. O país descambou para o caos em Março de 2013, quando rebeldes predominantemente muçulmanos tomaram o poder, o que provocou represálias de milícias cristãs, que expulsaram dezenas de milhares de muçulmanos do sul numa partição de facto do país.. Uma autoridade de transição actualmente no poder está encarregada de organizar as eleições e restaurar o regime democrático.. No entanto, as eleições têm sido repetidamente adiadas, e um fórum nacional de paz afirmou no mês passado que um calendário anterior que previa eleições em Junho ou Julho era irreal.. Antes das eleições haverá um censo eleitoral, de 27 de Junho a 27 de Julho, e um referendo sobre uma nova Constituição, em 4 de Outubro, disse o porta-voz da autoridade de ...
20/12/2013 | Agência Brasil A União Europeia (UE) vai decidir em janeiro de 2014 sobre o envio de uma missão conjunta para a República Centro-Africana, segundo o texto das conclusões do Conselho Europeu aprovado hoje (20) pelos líderes reunidos em Bruxelas, na Bélgica. A decisão, que caberá aos ministros dos Negócios Estrangeiros dos 28 países…
Há dez meses que o terror está instalado na República Centro-Africana. As pilhagens, linchamentos, assassínios, violações fazem-se em plena luz do
O Sindicato dos Jornalistas da Rússia está tentando descobrir as circunstâncias da morte de três jornalistas russos na República Centro-Africana (RCA), disse o sindicato em um comunicado na terça-feira (31).
Mais de trinta moradores foram massacrados no norte da República Centro-Africana, a mais nova violação do frágil acordo de cessar-fogo assinado no ...
DACAR (Reuters) - Seis voluntários da Cruz Vermelha foram mortos em um ataque a um centro de saúde no sudeste da República Centro-Africana no...
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas. PORTARIA Nº 57/EMCFA/MD, DE 8 DE JANEIRO DE 2018. O CHEFE DO ESTADO-MAIOR CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS, no uso das competências subdelegadas pelo Ministro da Defesa, de acordo com o contido no art. 1º da Portaria nº 87/MD, de 9 de janeiro de 2017, e no inciso I do art. 1º da Portaria nº 162/GM/MD, de 13 de janeiro de 2017, considerando o Processo nº 60250.000605/2017-37, resolve:. DESIGNAR os militares abaixo, para participar do Reconhecimento da área de operações da Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização da República Centro-Africana (MINUSCA), a ser realizado nas cidades de Bangui, Bambari e localidades adjacentes da República Centro-Africana, no período de 21 de janeiro a 3 de fevereiro de 2018, incluindo o trânsito, com ônus total para o Ministério da Defesa:. - Contra-Almirante (FN) ROGÉRIO RAMOS LAGE, do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas;. - Coronel QMB FERNANDO CESAR HERNANDES, do ...
No hospital de Paoua, a equipe Msf assumiu os cuidados de somente 13 feridos.. "Um número muito baixo se considerarmos o número total dos deslocados e a extrema violência descrita às nossas equipes", explica Gwenola François, chefe-missão do Msf na República Centro Africana.. "Nos contaram que homens à cavalo disparavam contra tudo o que se movia, de pessoas mortas ou feridas abandonadas nos bosques. Estamos muito preocupados", afirma Gewnola.. Entre os feridos que chegaram aos hospital, está Léonard Gangbe, 33 anos, agricultor. Ele fugiu de seu vilarejo no dia em que explodiram os combates, buscando refúgio em uma casa na floresta.. Ele traz no seu rosto os sinais da violência sofrida. Enquanto tentava evitar que levassem sua criação embora, homens armados dispararam contra ele, provocando ferimentos no nariz e no lábio superior.. Devido aos combates, a equipe dos Médios Sem Fronteiras foi obrigada a suspender as atividades em 7 centros de saúde periféricos da cidade de Paoua, ...
Soldados de manutenção da paz do Burundi ao serviço da União Africana abateram mortalmente duas pessoas durante o segundo de dois dias de protestos
Mas, o Jungmann não saiu sem ser chamuscado pela imprensa que fazia a cobertura do evento. Durante o discurso ele afirmou que o Brasil recebeu convite para participar de outras 10 missões de paz da ONU e que "a melhor avaliação" seria para a República Centro-Africana, onde há um grande número de refugiados e as tropas da ONU são atacadas diariamente. Porém, como o ministro não detalhou qual interesse político-estratégico o Brasil teria na República Centro-Africana, foi questionado sobre se, em um momento de instabilidade política, o governo iria se empenhar para que o Congresso aprove o envio de soldados para a África. Irritado com a pergunta, Jungmann respondeu: "meu Deus do céu, será que temos que parar tudo o que estamos fazendo porque estamos vivendo uma crise política? Eu acho que embora tenhamos uma crise, temos compromissos e responsabilidades humanitárias com o mundo. A crise passa e o Brasil fica ...
Este texto é disponibilizado nos termos da licença Creative Commons - Atribuição - Compartilha Igual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0); pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de uso ...
Segundo um comunicado do Estado-Maior General das Forças Armadas, os militares receberam a medalha das Nações Unidas na quarta-feira e a um mês do seu regresso a Portugal
Mais de 180 espécies de borboleta foram catalogadas num raio de 10 km no centro do Parque Nacional de Dzanga-Ndoki, na República Centro-Africana, anunciou o dirigente de missão conjunta Philippe Annoyer. A expedição "Sangha", planejada pela associação Insetos do Mundo, foi realizada no final de 2010 perto do rio Sangha, permitindo observar e colher milhares de amostras entomológicas. Estão, entre elas, pelo menos 180 espécies diferentes de borboletas, 50 de louva-a-deus e 61 de libélulas. O sítio, constituído de 7 lagos, é "verdadeiramente rico", comentou o entomologista falando de uma zona "colorida de borboletas", com grandes extensões abertas no meio da floresta tropical e um bioma muito diversificado (lagos, pântanos, vegetação rasteira...). A missão "Sangha", que reúne vários cientistas franceses (entomologistas, botânicos, ornitólogos...) e pesquisadores da Universidade de Bangui, tornou também possível observar 61 espécies de pássaros e colher centenas de ...
Gladys Ngwepekeum Nkeh é oficial da Polícia das Nações Unidas, Unpol. Natural dos Camarões, ela trabalha com a Missão de Paz da ONU na República Centro-Africana.. Em parceria com as comunidades de Bangui, ela trabalha para garantir a segurança e empoderar mulheres e meninas da região.. fonte http://www.unmultimedia.org/radio/portuguese/2018/01/servico-e-sacrificio-boina-azul-camaronesa-empodera-mulheres/?app=2&lang=pt#.Wm9XULynF0s. ...
O Papa Francisco nomeou 22 novos membros do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, entre os quais seis cardeais e 16 bispos, segundo informou em 8 de julho a sala de imprensa da Santa Sé.. O Pontífice elegeu os cardeais Luis Antonio G. Tagle, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos; Dieudonné Nzapalainga, Arcebispo de Bangui (República Centro-Africana); Louis-Marie Ling Mangkhanekhoun, vigário apostólico de Vientiane (Laos); Inácio Suharyo Hardjoatmodjo, Arcebispo de Jacarta e ordinário militar da Indonésia; Jean-Claude Höllerich, Arcebispo de Luxemburgo; e Michael Czerny, subsecretário da Seção de Migrantes e Refugiados do Dicastério para o Serviço de Desenvolvimento Humano Integral.. Além disso, o Papa nomeou membros do dicastério a Dom Lawrence Huculak, arcebispo de Winnipeg dos Ucranianos; Dom Felix Anthony Machado, Arcebispo-bispo de Vasai (Índia); Dom George Frendo, arcebispo de Tiranë-Durrës (Albânia); Dom Mark Tin Win, arcebispo de ...
... , oficialmente a República dos Camarões ou República do Cameroun, é um país da região ocidental da África Central. Faz fronteira com a Nigéria a oeste; Chade a nordeste; República Centro-Africana a leste; e Guiné Equatorial, Gabão e Repúbl...
Definição: Esta entrada fornece uma estimativa do US Bureau of the Census com base em estatísticas de censos de população, sistemas de registro de estatísticas vitais ou pesquisas de amostra referentes ao passado recente e sobre pressupostos sobre tendências futuras. A população total apresenta uma medida geral do impacto potencial do país no mundo e dentro da sua região. Nota: Começando com 1993 Factbook , estimativas demográficas para alguns países (principalmente africanos) tomaram explicitamente em consideração os efeitos do impacto crescente da epidemia de HIV / AIDS. Atualmente, estes países são: Bahamas, Benin, Botswana, Brasil, Burkina Faso, Burma, Burundi, Camboja, Camarões, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, República do Congo, Costa do Marfim, Etiópia, Gabão, Gana Guiana, Haiti, Honduras, Quênia, Lesoto, Malawi, Moçambique, Namíbia, Nigéria, Ruanda, África do Sul, Suazilândia, Tanzânia, Tailândia, Togo, Uganda, Zâmbia e ...
Definição: Esta entrada fornece uma estimativa do US Bureau of the Census com base em estatísticas de censos de população, sistemas de registro de estatísticas vitais ou pesquisas de amostra referentes ao passado recente e sobre pressupostos sobre tendências futuras. A população total apresenta uma medida geral do impacto potencial do país no mundo e dentro da sua região. Nota: Começando com 1993 Factbook , estimativas demográficas para alguns países (principalmente africanos) tomaram explicitamente em consideração os efeitos do impacto crescente da epidemia de HIV / AIDS. Atualmente, estes países são: Bahamas, Benin, Botswana, Brasil, Burkina Faso, Burma, Burundi, Camboja, Camarões, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, República do Congo, Costa do Marfim, Etiópia, Gabão, Gana Guiana, Haiti, Honduras, Quênia, Lesoto, Malawi, Moçambique, Namíbia, Nigéria, Ruanda, África do Sul, Suazilândia, Tanzânia, Tailândia, Togo, Uganda, Zâmbia e ...
Pode ser encontrada nos seguintes países: África do Sul, Angola, Botswana, Burundi, Camarões, Costa do Marfim, Eritreia, Etiópia, Gabão, Gambia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Libéria, Malawi, Mali, Moçambique, Namíbia, Nigéria, Quénia, República Centro-Africana, República do Congo, República Democrática do Congo, Ruanda, São Tomé e Príncipe, Senegal, Serra Leoa, Sudão, Suazilândia, Tanzânia, Togo, Uganda, Zâmbia e Zimbabwe ...
África do Sul. Angola. Argélia. Benin. Botswana. Burkina Faso. Burundi. Cabo Verde. Camarões. Chad. Comoros. Congo. Costa do Marfim. Djibuti. Egito. Eritréia. Etiópia. Gabão. Gâmbia. Gana. Guiné. Guiné Bissau. Guiné Equatorial. Lesoto. Libéria. Líbia. Madagascar. Maláui. Mali. Marrocos. Maurício. Mauritânia. Moçambique. Namíbia. Niger. Nigéria. Quênia. República Árabe Saaraui Democrática. República Centro-Africana. República Democrática do Congo. Ruanda. São Tomé and Príncipe. Senegal. Seichelles. Serra Leoa. Somália. Somalilândia. Sudão. Sudão do Sul. Suazilândia. Tanzânia. Togo. Tunísia. Uganda. Zâmbia. Zimbábue ...
GENEBRA (Reuters) - O Ebola está se espalhando no oeste da República Democrática do Congo e já soma quase 50 casos conhecidos em uma vasta região que faz fronteira com a República do Congo e a República Centro-Africana, alertou a Organiza
Os fulas ou fulanis (em fula: Fulɓe) são um grupo étnico que compreende várias populações espalhadas pela África Ocidental, mas também na África Central e no Norte de África sudanesa. Os países africanos por onde se encontram incluem a Mauritânia, o Senegal, a Guiné, a Gâmbia, o Mali, a Nigéria, a Serra Leoa, o Benim, o Burquina Faso, a Guiné-Bissau, os Camarões, a Costa do Marfim, o Níger, o Togo, a República Centro-Africana, o Gana, a Libéria, até ao Sudão, a leste. Os fulas não são o grupo maioritário nesses países, com exceção da Guiné. ...
A República Democrática do Congo (anteriormente Zaire) é por vezes designada Congo-Kinshasa para diferenciá-la do vizinho Congo-Brazzavile. É um dos maiores países de África. Confina a norte com a República Centro-Africana, a leste com Uganda, Ruanda, Burundi e a Tanzânia, a leste e a sul com a Zâmbia, a sul com Angola e a oeste com o Oceano Atlântico, com o enclave de Cabinda e com o Congo. Capital: Kinshasa ...
A infância africana continua sob céus pesados apesar dos grandes progressos na assistência sanitária das últimas décadas. A Unicef, a agência da ONU para a infância, denuncia que no Sahel, no Nordeste da África, a crise alimentar ameaça cerca de 6,4 milhões de crianças de má nutrição aguda, afectando o seu desenvolvimento integral; que 2,4 milhões de crianças estão a ser atingidas pela crise na República Centro-Africana; que mais de 2,5 milhões de crianças sofrem de má nutrição severa aguda na República Democrática do Congo; que a guerra étnica no Darfur e nos montes Nuba, no Sudão, deixou as crianças vulneráveis às doenças e à fome, incluindo 1,2 milhões que sofrem de má nutrição aguda ...
O Sudão é um país africano, limitado a norte pelo Egito, a leste pelo Mar Vermelho, por onde faz fronteira com a Arábia Saudita, pela Eritréia e pela Etiópia, a sul pelo Quênia, Uganda e República Democrática do Congo e a oeste pela República Centro-Africana, Chade e Líbia. A capital é Cartum.
Apelos para que se coloquem fim a essas violências são uma constante nas palavras de Francisco, que olha para além das fronteiras erguidas pelos países, para além das raças e religiões a que pertencem as pessoas, e de sua condição social. Um dos últimos apelos foi na quarta-feira passada durante a Audiência Geral na Sala Paulo VI. Antes de saudar os peregrinos italianos já no final do encontro, o Papa recordou os atos de violência contra os cristãos na Nigéria e na República Centro-Africana. Ele disse estar profundamente entristecido pela tragédia ocorrida no último domingo na Nigéria, dentro de uma igreja, onde foram mortas pessoas inocentes. E infelizmente na manhã de quarta tinha chegado notícias de violências homicidas na República Centro Africana também contra a comunidade cristã. "Faço votos - disse Francisco - que cesse toda a forma de ódio e de violência e não se repitam mais crimes assim vergonhosos, perpetrados em locais de culto, onde os fiéis se reúnem ...
Os grupos ficaram assim ordenados:. Grupo 1: Mali, Cabo Verde, Zimbabwe e Libéria.. Grupo 2: Nigéria, Guiné-Conacri, Etiópia e Madagáscar.. Grupo 3: Zâmbia, Moçambique, Líbia, Ilhas Comores.. Grupo 4: Argélia, Marrocos, Tanzânia, República Centro-Africana.. Grupo 5: Camarões, Senegal, República Democrática do Congo, Maurícias.. Grupo 6: Burkina-Faso, Gâmbia, Namíbia, Mauritânia.. Grupo 7: Egipto, África do Sul, Serra Leoa, Níger.. Grupo 8: Costa do Marfim, Benin, Ruanda, Burundi.. Grupo 9: Gana, Congo, Sudão, Suazilândia.. Grupo 10: Angola, Uganda, Quénia, Guiné-Bissau.. Grupo 11: Tunísia, Malawi, Chade, Botswana ...
Com a gravidade da crise na Ásia, seja no Afeganistão ou no Paquistão ou nas Filipinas, as necessidades financeiras devem mais do que dobrar em 2010. No entanto, as maiores necessidades ainda estão na África ao Sul do Saara, onde cerca de 24 milhões de pessoas no Chifre da África estão sendo afetadas pela seca, pela insegurança alimentar crônica e pelos conflitos armados de 2009. Sudão, Chade, República Centro-Africana e República Democrática do Congo estão enfrentando violência e deslocamentos em massa internamente e/ou através das fronteiras, além de problemas de acesso à ajuda humanitária. A situação também permanece grave no Zimbabue, aprofundando a vulnerabilidade das crianças e das mulheres no país ...
Depois de se instalar em Berlim, Mardini começou a nadar em um clube esportivo local, onde chamou a atenção de um treinador.. Fruto das intervenções imperialistas para derrotar a primavera árabe, o auxílio de Turquia, Arábia Saudita e Israel no financiamento do jihadismo, além do desmoronamento do islamismo moderado, surgiu o Estado Islâmico, que com um regime de terror reacionário intensificou a perseguição de sunitas e principalmente xiitas na Síria e no Iraque, num conflito que já cobrou a vida de quase 500 mil pessoas e causou a fuga de 11 milhões de habitantes de seus lares, segundo a ACNUR (Agência das nações Unidas para Refugiados).. Não mencionamos aqui os séculos de colonialismo anglo-francês na África, desde 2011, o Reino Unido é o principal aliado norteamericano nos bombardeios na Península Arábica e no Chifre da África, na Etiópia, no Djibuti, na Somália, no Sudão do Sul, na República Centro-Africana e na República Democrática do Congo. Em importante ...
Fonte: AFP Ficha técnica do Sudão e do Sudão do Sul, país que deve ser criado como resultado do referendo de secessão que começou neste domingo: SITUAÇÃO GEOGRÁFICA: O Sudão faz fronteira com o Egito, no norte, com Líbia, Chade e a República Centro-Africana no oeste, com a República Democrática do Congo, Uganda e Quênia…
O Sudão, oficialmente República do Sudão, é um país africano, limitado a norte pelo Egito, a leste pelo Mar Vermelho, por onde faz fronteira com a Arábia Saudita, pela Eritreia e pela Etiópia, a sul pelo Sudão do Sul e a oeste pela República Centro-Africana,Chade e Líbia. No planalto sul, encontra-se um grande recife, que […]. ...
O Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, subscreveu, em nome do governo português, os Princípios de Vancouver sobre a prevenção de recrutamento e uso de crianças soldado. Portugal foi um dos 54 países a associar-se a este documento durante a reunião ministerial de Defesa dedicada às operações de paz das Nações Unidas, que decorreu terça e quarta-feira em Vancouver, no Canadá.. Nesta reunião ministerial, Portugal assumiu ainda cinco compromissos: 1. Contribuir para o fundo fiduciário para as vítimas de exploração e abuso sexual;. 2. Continuar a participação atual na Missão das Nações Unidas no Mali até 2020, inserida na Unidade de Transporte Aéreo; 3. Manter a Força de Reação Rápida na Missão das Nações Unidas na República Centro-Africana em 2018;. 4. Continuar a presença nas missões das Nações Unidas no Afeganistão e na Colômbia;. 5. Manter a participação das missões de treino da União Europeia no Mali e na República ...
O Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas assinou hoje, sob proposta do Governo, o Decreto de nomeação do Major-General Marco Paulino Serronha, para o cargo de Segundo Comandante da Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização da República Centro-Africana (MINUSCA), pelo período inicial de um ano, com efeitos à data de tomada de posse. ...
No último dia 14 de julho, os gerentes de turno (de longo turno) das ex-colônias africanas do império colonial francês que se tornaram "independentes" em 1960 - Camarões, Senegal, Togo, Madagascar, Congo, Benim, Niger, Burkina Faso, Costa do Marfim, Chade, República Centro-Africana, Gabão, Mali e Mauritânia - desfilaram em Paris lado-a-lado com o chefe de Estado da França, Nicolas Sarkozy, por ocasião das celebrações da tomada do poder pela burguesia no país em 1789. Nada mais ilustrativo de que a velha "Comunidade Francesa", cuja extinção ora é lembrada por seus 50 anos, continua existindo aos olhos da metrópole e de seus sanguinários paus-mandados na África.. Quanto aos outros países africanos que se tornaram "independentes" em 1960, a ex-colônia britânica Somália está ocupada pelas tropas da missão da União Africana no país (Amisom, na sigla em inglês), por obra e graça de ordens do USA e da ex-metrópole. Já a Nigéria, também antigo território do Império ...
No último dia 14 de julho, os gerentes de turno (de longo turno) das ex-colônias africanas do império colonial francês que se tornaram "independentes" em 1960 - Camarões, Senegal, Togo, Madagascar, Congo, Benim, Niger, Burkina Faso, Costa do Marfim, Chade, República Centro-Africana, Gabão, Mali e Mauritânia - desfilaram em Paris lado-a-lado com o chefe de Estado da França, Nicolas Sarkozy, por ocasião das celebrações da tomada do poder pela burguesia no país em 1789. Nada mais ilustrativo de que a velha "Comunidade Francesa", cuja extinção ora é lembrada por seus 50 anos, continua existindo aos olhos da metrópole e de seus sanguinários paus-mandados na África.. Quanto aos outros países africanos que se tornaram "independentes" em 1960, a ex-colônia britânica Somália está ocupada pelas tropas da missão da União Africana no país (Amisom, na sigla em inglês), por obra e graça de ordens do USA e da ex-metrópole. Já a Nigéria, também antigo território do Império ...