DUETO (31) POEMA SENSUAL (13) POEMA SURREAL (13) SENSUAL (13) FANTASIA (12) POESIA SURREAL (10) POESIA TRISTEZA (10) POETRIX (10) Amor (9) POESIA DESABAFO (9) POEMA TRISTEZA (8) SONETO (8) POEMA FANTASIA (6) POESIA (6) poesia reflexão (6) ALEGRIA (5) Desabafo (5) Esperança (5) POESIA AMOR (5) POESIA SENSUAL (5) QUADRA (5) DUETOS (4) POESIA ESPERANÇA (4) REFLEXÃO (4) SURREAL (4) TRISTEZA (4) poeisa tristeza (4) DESENCANTO (3) HOMENAGEM (3) POEMA REFLEXÃO (3) POEMA GÓTICO (3) POEMA SOCIAL (3) POESIA FANTASIA (3) POESIA INTROSPECÇÃO (3) Poema Saudade (3) DESILUSÃO (2) Dedicatória (2) Lembranças (2) Loucura (2) POEMA DESABAFO (2) POEMA REFLEXÃO (2) POESIA RECOMEÇO (2) POST (2) SOLIDÃO (2) poesia divagações (2) Acróstico homenagem (1) CRITICA (1) DEUS (1) Decepção (1) Devaneios (1) Divagações (1) Dueto Sensual (1) FELICIDADE (1) Neologismo (1) PENSAMENTOS (1) POEMA CONCRETO (1) POEMA SAUDDE (1) POESIA MISTERIO (1) POESIA SOCIAL (1) POESIA TRANSCEDENTAL (1) PROSA POÉTICA (1) ...
DUETO (31) POEMA SENSUAL (13) POEMA SURREAL (13) SENSUAL (13) FANTASIA (12) POESIA SURREAL (10) POESIA TRISTEZA (10) POETRIX (10) Amor (9) POESIA DESABAFO (9) POEMA TRISTEZA (8) SONETO (8) POEMA FANTASIA (6) POESIA (6) poesia reflexão (6) ALEGRIA (5) Desabafo (5) Esperança (5) POESIA AMOR (5) POESIA SENSUAL (5) QUADRA (5) DUETOS (4) POESIA ESPERANÇA (4) REFLEXÃO (4) SURREAL (4) TRISTEZA (4) poeisa tristeza (4) DESENCANTO (3) HOMENAGEM (3) POEMA REFLEXÃO (3) POEMA GÓTICO (3) POEMA SOCIAL (3) POESIA FANTASIA (3) POESIA INTROSPECÇÃO (3) Poema Saudade (3) DESILUSÃO (2) Dedicatória (2) Lembranças (2) Loucura (2) POEMA DESABAFO (2) POEMA REFLEXÃO (2) POESIA RECOMEÇO (2) POST (2) SOLIDÃO (2) poesia divagações (2) Acróstico homenagem (1) CRITICA (1) DEUS (1) Decepção (1) Devaneios (1) Divagações (1) Dueto Sensual (1) FELICIDADE (1) Neologismo (1) PENSAMENTOS (1) POEMA CONCRETO (1) POEMA SAUDDE (1) POESIA MISTERIO (1) POESIA SOCIAL (1) POESIA TRANSCEDENTAL (1) PROSA POÉTICA (1) ...
Desde pequenos, ouvimos falar em poesia, que alguém sabe fazer poesia, o poeta lançou seu livro de poesias, o professor declamou uma poesia e etc., e o conceito vai fixando em nossas mentes, todavia, não nos preocupamos com sua verdadeira definição. Quando vamos ao dicionário, deparamo-nos com termos vagos como: "poesia é uma composição poética de pequena extensão"; ou "poesia é arte de compor ou escrever em versos". Até aqui ainda não temos uma definição ou conceito sobre poesia e sim uma noção (imprecisa). Então, ao recorrermos à teoria literária, percebemos que ainda, deveras, há muito o que se aprender sobre poesia, em razão de sua complexidade. A Teoria da Literatura define poesia como um gênero literário, que pode ser dividido, nas categorias épica, dramática e lírica. Também conceitua como experiência cósmica do poeta, a soma de sua obra. Poesia pode ser também o conjunto do fazer poético em certo tempo ou espaço. Enfim, as definições são diversas e, ...
A poesia morreu domingo, no Rio, outra vez. Dizem que foi para sempre - o que duvido. A poesia não aprende. Ela insiste em viver morrendo por aí, nas esquinas, dentro dos bares, nas ruas, descalça nas calçadas. Depois, quando menos se espera, a poesia volta - viva - leve e solta. Para depois ser morta, de novo, como sempre.. Hoje, ainda não achei a poesia revivida. Isso porque, como eu disse, a poesia morreu no domingo. Morreu, não. Foi morta. Assassinada. A poesia foi assassinada no Rio. Vinha distraída, conduzindo o carro da família, vidros abertos para ver o sol lá fora. O rádio ligado no jogo do Vasco contra o Bangu, o bate-papo solto, com a mulher ao lado - no banco do passageiro. Ela, a mulher, também plena poesia, olhava para a sua poesia junto de si: o marido, guiando o carro, a achando também linda. No banco de trás, o sogro, uma outra mulher e uma criança de 7 anos, a parte mais importante da poesia desse dia. Todos calmos. Todos plenos. Todos poesia-em-poesia do ...
Poesia oral pode ser definida como toda a poesia que é composta e transmitida sem qualquer auxílio da escrita. Numa definição ainda mais abrangente, pode se referir também a qualquer poesia que seja executada ou lida ao vivo. Em diversas culturas do mundo, a poesia oral está misturada, ou até mesmo é idêntica, à canção. Embora o termo oral tenha ligação etimológica com a palavra boca (através do latim os), em algumas culturas a poesia oral também pode ser executada por outros meios, como os tambores falantes) de algumas culturas africanas. A poesia oral existe maneira mais clara nas culturais orais, porém também pode sobreviver, e até mesmo florescer, em culturas altamente alfabetizadas. A poesia oral difere da literatura oral em geral porque esta abrange registros literários que não são considerados poesia, como a prosa. Na maior parte da literatura oral, o termo poesia aplica-se apenas àquelas formas que se encaixam nas convenções métricas; entre os exemplos de ...
Atribui-se ao "Ovo" do grego Símias de Rodes como sendo o primeiro poema visual conhecido (três séculos antes de Cristo). Mas eu diria que a origem da Poesia Visual está nas pinturas rupestres e nos ideogramas. De lá pra cá, a visualidade na poesia passou por várias experimentações, caminhos e vertentes, até que foi criado o termo Poesia Visual (muito contestado e que alguns estudiosos preferem chamar de poesia inter-semiótica). Mesmo que contestada a denominação, mesmo que contestada a própria Poesia Visual, a Poesia Visual está aí, com esta nomenclatura e é um movimento poético de abrangência mundial, em que o Brasil é um dos países com vários expoentes na produção e divulgação desta forma de arte. O passado recente foi muito generoso com as artes visuais e a Poesia Visual se beneficiou de heranças como os caligramas, o letrismo, o Dadaísmo, o Surrealismo, o poema concreto (este sim é um termo "brazuca" que foi incorporado pelo Mundo afora), a Pop Art e, mais ...
A poesia de Mano Melo e seu modo peculiar de interpretação já são bem conhecidos do público. Neste seu novo trabalho, ele optou pelo formato de um roteiro variável, podendo ou não, a cada dia, serem apresentados poemas e histórias diferentes, de acordo com o desenvolvimento do espetáculo. Os elementos do show são: Poesia e Histórias. O tempero é o humor. Contar histórias como quem diz poesia, dizer poesia como quem conta histórias. Junto a seus próprios textos, Mano Melo interpreta alguns clássicos da Poesia, que pode ir de Bandeira, até Vinicius e Drummond, de Bukowsky até Pessoa e seus heterônimos. Tudo em tom de brincadeira, sem culturuosidades. Uma simbiose entre o poeta e sua platéia, com participação interativa do público. Os poemas e histórias poderão ( ou não) variar a cada dia, de acordo com o andamento do espetáculo, revezando poemas conhecidos ou inéditos. O mote é mostrar que poesia também é show, é diversão, é entretenimento. Eventualmente ...
aquele dia apetecia-me escrever de tudo, no entanto não sabia bem o quê. Comecei por fazer poesia. A poesia faz-se. A poesia é algo natural, é a forma bruta dos nossos pensamentos, ela é o que eu sinto, o que eu penso, a frustração do meu pensar, a minha maneira de ser. A poesia faz parte das coisas belas, das coisas belas que o Homem faz. É uma arma do escritor, fá-lo sentir poderoso, capaz, fá-lo sentir mais do que pensa ser, fá-lo ir mais longe e descobrir o que realmente é, o que realmente consegue ser escrevendo. Depois também existe a paixão e o vício de se ser poeta, de fazer poesia. E eu sou viciado ( ) Concentrei-me, desapareci. O espaço e o tempo desapareceram. Tudo ficou escuro à minha volta, e comecei a escrever. Quando se escreve, a poesia ouve-se e toca no coração. O seu som existe no pensamento, são palavras que fazem, e por vezes não fazem sentido, são sons de tranquilidade ou agitação, de águas que atravessam pedras descendo montes, é o som dos ramos ...
Os ganhadores do Concurso Nacional de Poesias Carlos Drummond de Andrade 2017 foram conhecidos no dia 31 de outubro, dentro da 16ª Semana Drummondiana.. A itabirana Natália Alves Drumond, utilizando o pseudônimo Ila Lisboa, foi a grande vencedora do concurso com a poesia "O Coração Fala ao Poeta". Ela faturou R$ 2 mil. O segundo lugar, que faturou R$ 1 mil, foi Conceição Ribeiro de Araújo, com o pseudônimo Cora Ricco e a poesia "Um Brinde, Poeta". A terceira colocada foi Silvia Tatiana Miranda, a Aivlis Drummond, com a poesia "Carta ao Poeta", que ganhou R$ 500.. Foram 482 poesias inscritas de várias cidades, estados e até de outros países, como Portugal. Um dado negativo é que 89% dos participantes foram desclassificados por não respeitarem as normas do edital.. O Concurso Nacional de Poesias é promovido pela Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA).. ...
Predefinição:Citar livroa A poesia lírica é uma forma de poesia que surgiu na Grécia Antiga, e originalmente, era feita para ser cantada ou acompanhada de flauta e lira (daí o lírico). Na poesia lírica o poeta fala diretamente ao leitor, representando os sentimentos, estado de espírito e percepções dele ou dela. O poema funciona como uma fotografia, registrando emoções e sentimentos do "eu lírico", isto é, a voz que se manifesta no poema. Essa voz pode representar o "eu" do próprio poeta (poesia confessional como a de Bocage) ou de outra pessoa ou ser, como fazia o trovador D. Dinis e como faz ainda hoje o compositor Chico Buarque, que tão bem interpretou os sentimentos da mulher em muitas de suas canções. Vejam dois exemplos do que foi dito: Poesia confessional: AMOR UNIVERSAL Trago nos olhos a água, nascida na fonte da serra. Na boca... na boca tenho terra, de tantas vezes ter ido ao chão. Nas mãos trago uma roseira de luz onde poesia é espinho ou flor. No ventre trago a ...
Para os apreciadores da dita poesia evangélica, desnecessárias são as apresentações à obra de J.T.Parreira. Mas para proveito de todos, devemos prestar os devidos esclarecimentos. Poeta evangélico lusitano, com já mais de quatro décadas dedicadas à poesia, JTP é autor de seis livros de poesia e tem participação em diversas antologias; poemas vertidos para o inglês, italiano, espanhol e turco. Foi um dos deflagradores, juntamente com o poeta e pastor brasileiro Joanyr de Oliveira, do movimento pela Nova Poesia Evangélica, que a partir das décadas de sessenta e setenta do século passado insuflou um benfazejo espírito de renovação e atualização em nossas letras. Faço minhas as palavras do economista e escritor João Pedro Martins: "João Tomaz Parreira é um autor incontornável no escasso universo da literatura feita por evangélicos. A sua poesia é Poesia Gourmet." ...
A poesia: Certa vez o escritor Oswald de Andrade disse a seguinte frase: "Aprendi com meu filho de 10 anos que poesia é o descobrimento das coisas que nunca vira antes". A poesia pode estar em tudo: em uma situação cotidiana, em uma paisagem, em uma fotografia, nas artes plásticas e em um poema. Isso significa que a poesia não é exclusividade da literatura, tampouco do poema. A poesia está associada a uma atitude criativa, e não a um gênero literário. É uma definição mais ampla, que pode estar presente em diversas manifestações artísticas. Responder à pergunta "O que é poesia?" nem sempre é tarefa fácil, deixando sem palavras até mesmo o experiente poeta Manuel Bandeira ...
É nesse contexto que se insere a poesia de Glória Perez. Ela estava ligada, principalmente, a poesia jovem produzida no Rio de Janeiro, que, em 1974, com o lançamento da "Coleção Frenesi" promoveu um verdadeiro reboliço na cultura literário-social, suscitando a urgência em se buscar novas formas e novos espaços para a poesia e a vida. Perez, por sua vez, irá integrar, em 1975, a pioneira antologia "Abertura poética, 1.ª Antologia dos Novos Poetas do Novo Rio de Janeiro", editada por Walmir Ayala e César de Araújo. Em seguida, participa das antologias: "Mulheres da vida", "Escrita", ambas de 1978, mesmo ano em que publica o seu primeiro livro "Sem Pão nem Circo"; "Alguma poesia" (1979); "Maria Poesia" e "Poesia Jovem Anos 70", ambas de 1982. ...
Nossas Poesias Nossas. Surgiu com a ideia de divulgar poesias do nosso cotidiano ou, de transformar o nosso cotidiano em poesia. Um espaço para todos; para a arte, para uma plêiade de poetas. Como trabalho com prevenção de acidentes, incluí algumas poesias minhas relativas ao assunto. Nele também, poesias sobre o amor, o cotidiano nas suas mais diversas formas, as coisas místicas e prevenção de acidentes (para uma reflexão).. Diante disto, estão todos convidados a participar do blog; bastando que sejam enviadas poesias de sua autoria pelo Formulário de Contato. Um grande abraço, Luciano,. 23/10/2011. ...
Começou na poesia editada em 2006, com o livro Penas da alma para a mão, pela Papiro Editora, na livraria Bertrand do Parque Nascente Porto, tendo sido galardoada com o prémio Papiro, de melhor livro de poesia no biénio 2006/07, pela sua qualidade literária e pelo seu contributo para o enriquecimento da coleção de Poesia dessa editora.. Em 2008 publicou o livro testemunho Teu Cancro Meu da Papiro Editora, lançado na Fnac Santa Catarina Porto, tendo participado na Feira do Livro do Porto/2008, tendo sido livro do dia, em destaque.. Participou em 2008 na Antologia de Poesia de luz e de sombra lançado na livraria Byblos em Lisboa, da Papiro Editora.. Ainda em 2008 publicou o seu primeiro livro infanto-juvenil Russa a burrinha tecedeira, pela Papiro Editora, na Fnac do Norte Shopping Porto.. Em 2009 integra a sua poesia no I e II volume da Antologia de Poetas Contemporâneos Entre o Sono e o Sonho, da Chiado Editora. Em 2010 na II Antologia Horizontes de Poesia e em 2011 na ...
Começou na poesia editada em 2006, com o livro Penas da alma para a mão, pela Papiro Editora, na livraria Bertrand do Parque Nascente Porto, tendo sido galardoada com o prémio Papiro, de melhor livro de poesia no biénio 2006/07, pela sua qualidade literária e pelo seu contributo para o enriquecimento da coleção de Poesia dessa editora.. Em 2008 publicou o livro testemunho Teu Cancro Meu da Papiro Editora, lançado na Fnac Santa Catarina Porto, tendo participado na Feira do Livro do Porto/2008, tendo sido livro do dia, em destaque.. Participou em 2008 na Antologia de Poesia de luz e de sombra lançado na livraria Byblos em Lisboa, da Papiro Editora.. Ainda em 2008 publicou o seu primeiro livro infanto-juvenil Russa a burrinha tecedeira, pela Papiro Editora, na Fnac do Norte Shopping Porto.. Em 2009 integra a sua poesia no I e II volume da Antologia de Poetas Contemporâneos Entre o Sono e o Sonho, da Chiado Editora. Em 2010 na II Antologia Horizontes de Poesia e em 2011 na ...
Alecrim - Manoel de Barros. O cenário é um sugestivo carrinho de pipoca, e os atores-pipoqueiros fazem a poesia brasiliense e brasileira explodir nas ruas e monumentos da cidade. Atualmente o projeto atua de acordo com o tripé venda de produtos (a venda de pipocas, e onde os atores-pipoqueiros declamam poesias numa atuação "corpo-a-corpo"), apresentações culturais (além da declamação seguida de poesias pelos atores-pipoqueiros, a plateia é estimulada a também declamar poesias ensejando um recital coletivo movido a pipoca. A cada poesia declamada, um saco com pipoca e poesia é oferecido), e formação (sim, eles estão engajados na formação de novos atores-pipoqueiros, ensinando a eles economia criativa e agindo socialmente, na medida em que buscam a sustentabilidade de jovens em situação de risco social).. O projeto dispõe também de uma estante móvel recheada de livros para consulta e deleite dos transeuntes. Nesta estante há um espaço destacado aos poetas de Brasília. ...
Rangel Alves da Costa nasceu em 16/03/1963, em Poço Redondo/SE. É advogado (OAB/SE 3478), escritor, jornalista (DRT/SE 2205), pesquisador, foi membro da Comissão de Direitos Humanos da Seccional da OAB/SE. Membro da Associação Sergipana de Imprensa - ASI (Mat. 940). Publicou os seguintes livros: Estórias dos Quatro Ventos (crônicas), Memória Cativa - O Sertão em Prosa e Verso, Sertão - Poesia e Prosa, Tempestade (romance), Ilha das Flores (romance), Evangelho Segundo a Solidão (romance), Desconhecidos (romance), Todo Inverso (poesias), Já Outono (poesias), Poesia Artesã (poesias), Andante (poesias), O Livro das Palavras Tristes (crônicas), Crônicas Sertanejas (crônicas), Crônicas de Sol Chovendo (crônicas), Três Contos de Avoar (contos), A Solidão e a Árvore e outros contos (contos), Poço Redondo - Relatos Sobre o Refúgio do Sol, Da Arte da Sobrevivência no Sertão, Estudos Para Cordel (prosa rimada sobre o cordel), Todo o Sertão num só Coração - Vida e Obra de Alcino ...
Rangel Alves da Costa nasceu em 16/03/1963, em Poço Redondo/SE. É advogado (OAB/SE 3478), escritor, jornalista (DRT/SE 2205), pesquisador, foi membro da Comissão de Direitos Humanos da Seccional da OAB/SE. Membro da Associação Sergipana de Imprensa - ASI (Mat. 940). Publicou os seguintes livros: Estórias dos Quatro Ventos (crônicas), Memória Cativa - O Sertão em Prosa e Verso, Sertão - Poesia e Prosa, Tempestade (romance), Ilha das Flores (romance), Evangelho Segundo a Solidão (romance), Desconhecidos (romance), Todo Inverso (poesias), Já Outono (poesias), Poesia Artesã (poesias), Andante (poesias), O Livro das Palavras Tristes (crônicas), Crônicas Sertanejas (crônicas), Crônicas de Sol Chovendo (crônicas), Três Contos de Avoar (contos), A Solidão e a Árvore e outros contos (contos), Poço Redondo - Relatos Sobre o Refúgio do Sol, Da Arte da Sobrevivência no Sertão, Estudos Para Cordel (prosa rimada sobre o cordel), Todo o Sertão num só Coração - Vida e Obra de Alcino ...
PROCURA DA POESIA Não faças versos sobre acontecimentos. Não há criação nem morte perante a poesia. Diante dela, a vida é um sol estático, não aquece nem ilumina. As afinidades, os aniversários, os incidentes pessoais não contam. Não faças poesia com o corpo, esse excelente, completo e confortável corpo, tão infenso à efusão lírica. Tua gota de bile, tua careta de gozo ou de dor no escuro são indiferentes. Nem me reveles teus sentimentos, que se prevalecem do equívoco e tentam a longa viagem. O que pensas e sentes, isso ainda não é poesia. Não cantes tua cidade, deixa-a em paz. O canto não é o movimento das máquinas nem o segredo das casas. Não é música ouvida de passagem, rumor do mar nas ruas junto à linha de espuma. O canto não é a natureza nem os homens em sociedade. Para ele, chuva e noite, fadiga e esperança nada significam. A poesia (não tires poesia das coisas) elide sujeito e objeto. Não dramatizes, não invoques, não indagues. Não percas tempo em ...
PROCURA DA POESIA Não faças versos sobre acontecimentos. Não há criação nem morte perante a poesia. Diante dela, a vida é um sol estático, não aquece nem ilumina. As afinidades, os aniversários, os incidentes pessoais não contam. Não faças poesia com o corpo, esse excelente, completo e confortável corpo, tão infenso à efusão lírica. Tua gota de bile, tua careta de gozo ou de dor no escuro são indiferentes. Nem me reveles teus sentimentos, que se prevalecem do equívoco e tentam a longa viagem. O que pensas e sentes, isso ainda não é poesia. Não cantes tua cidade, deixa-a em paz. O canto não é o movimento das máquinas nem o segredo das casas. Não é música ouvida de passagem, rumor do mar nas ruas junto à linha de espuma. O canto não é a natureza nem os homens em sociedade. Para ele, chuva e noite, fadiga e esperança nada significam. A poesia (não tires poesia das coisas) elide sujeito e objeto. Não dramatizes, não invoques, não indagues. Não percas tempo em ...
POESIA DAgosto com o Movimento LevArte. O Movimento LevArte Angola vem por intermédio desta via dar a conhecer as actividades agendadas para o mês de Agosto.. Sinta-se convidado e partilhe connosco momentos dedicados à poesia.. Agenda:. "Poesia Eu Vivo" - Acontece todas as Quintas-Feiras no Kings Club/Vila Alice;. Próximas actividades: Dias 11, 18 e 25 de Agosto.. "Poesia à Volta da Fogueira" - Acontece todo segundo Sábado de cada mês, na União Dos Escritores Angolanos/Largo das Escolas;. Próxima actividade: Dia 13 de Agosto.. "Poesia na Mulemba" - Acontece todo terceiro Sábado de cada mês, na Universidade Hip Hop/Petrangol;. Próxima actividade: Dia 20 de Agosto.. "Kruzeirus da Poesia" - Acontece quinzenalmente a Sexta-Feira no Restaurante Kruzeirus 13/Cruzeiro;. Próxima actividade: Dia 19 de Agosto.. Contamos com a sua presença e total apoio para divulgação e cobertura destas actividades.. Os Melhores Cumprimentos, Alice Cruz. -- [email protected] ...
A poesia está presente em nosso cotidiano seja na forma de comerciais, vídeo, mensagens de e-mails, músicas, livros e revistas. Na escola, ela merece um destaque, pois é possível analisá-la de forma ampla, aumentando o conhecimento sobre sua estruturação. O Projeto "Gênero textual poesia em projeto didático" tem como foco principal a interação dos alunos com a poesia, estudando a metrificação, a rima, inclusive analisando tais poesias, como também criando seus próprios textos poéticos. Na programação curricular, dentro da Língua Portuguesa, as oitavas séries apresentam o estudo da poesia. Sendo assim, a opção de escolher estas turmas deve-se ao fato de agregar a produção prazerosa de poesia ao estudo teórico deste gênero textual ...
Nos anos 60 Artur praticamente teve a revelação da poesia, e atravessou a década de 70 gritando seus poemas aos 4 ventos, por este Brasil a fora. Tive a honra de encontrá-lo inúmeras vezes pela estrada e cheguei a fazer alguns filmes sobre ele, do qual destaco o POESIA PROIBIDA, nome de seu recital que tive a honra de dirigir, por volta de 2012. Artur é um monstro sagrado, um poeta verdadeiro, com uma pegada forte e direta. Sua poesia traz uma palavra revolucionária e erótica. Seu jeito de eterno menino, esconde sua idade, Artur é o poeta que nunca envelhece. Sua fúria, sua criatividade, sua alma é a dos verdadeiros travadores medievais, cavaleiros quixotescos, lutando eternamente contra os moinhos de ventos da vida. ...
Nasci em Catanduva-SP no ano de 1982, sou poeta e escritor, autor dos livros Trilhas de Luz, Nas Asas da Poesia, Alquimia Poética, Relíquias da Alma, A Poesia e Eu e Sequelas de Outono, sou Membro Imortal da ALB - Academia de Letras do Brasil/Seccional Araraquara, Embaixador da Divine Académie Française des Arts Lettres et Culture, Comendador Acadêmico Municipal de Catanduva pela Academia dos Cavaleiros de Cristóvão Colombo, Acadêmico Fundador da Academia Virtual Brasileira AlmaArte e Poesia, membro da Associação Internacional Poetas del Mundo e membro do Conselho do Grupo de Poesia Guilherme de Almeida em Catanduva ...
P�gina web do poeta brasileiro Antonio Miranda, reposit�rio da obra liter�ria poesia romance ensaio de Antonio Miranda do Brasil, artigos cient�ficos e livros do professor Antonio Miranda da Universidade de Bras�lia sobre biblioteconomia e ci�ncia da informa��o, poesia brasileira e latino-americana bil�ng�e portugu�s e espanhol no Portal de Poesia Ibero-americana
A cultura tem sido, tradicionalmente, produzida por artistas e eruditos protegidos pelo estado. O estado, ou não cobra impostos, ou então fornece directamente apoio monetário a essas entidades. Os currículos escolares mostram que, no século xx, se tem considerado cultos e eruditos, pessoas que de facto não o são. Dizem, que a poesia do século xx, revela um avanço relativamente á métrica e temáticas anteriores; as ideias surrealistas, por vezes predominam; também a vanguarda do surrealismo, na poesia experimental, volta a dar valor ao significante em detrimento do significado e isso nada tem de especial. Sem qualquer custo, eu que não sou poeta, faço aqui um poema inovador, com todos os ingredientes da poesia, em apenas dois minutos. Crio uma mudança na história da literatura, simplesmente colando no papel, uma folha simbólica de uma planta, como poderia colocar um lápis, um pedra ou qualquer outro objecto simbólico; chamo a isto a nova poesia do Séc. XXI, a Poesia ...
O presente estudo traz uma reflexão sobre os discursos culturais afro-brasileiros e o lugar ocupado pela poesia em meio a uma sociedade racista. A pesquisa tem como propósito fazer um estudo da poesia de Oliveira Silveira (1968, 1970, 1977, 1981, 1987). Leva-se em consideração a relação da produção poética de Oliveira com as propostas do movimento da Negritude e o diálogo lúcido que o mesmo estabelece com poetas vinculados ao referido movimento e como Silveira sugere dentro da literatura a negritude como uma forma de intersecção na poesia brasileira. A proposta aqui apresentada observa também o hibridismo na poética de Oliveira Silveira ao se enfatizar um olhar sobre uma escrita comovida pelo traço do entre-lugar do discurso. Analisa-se a caracterização de uma literatura gerada pelo tom de denúncia ao desconstruir historicamente o que há muito tempo se estabelece como democracia racial . Em cumplicidade com a poesia regional do Rio Grande do Sul, a poesia de Oliveira vem ...
Pelo menos os poucos e bons amigos que tenho sabem que estou mais para "traidor" do que para tradutor. Se traduzo o faço mais pelo deleite, pelo gosto, por amar os textos que traduzo do que pela capacidade para tal. Inclusive por, em geral, não ter a determinação e o gosto que fazem, por exemplo, de minha querida amiga Lyla Rayol uma mestra na arte de traduzir. Ela persegue cada sentido, cada palavra. Sou a percepção, a poesia apenas. Algumas vezes traio o autor pela beleza de uma idéia. Não é o caso de Carrasco. Gostei muito de sua poesia e desta em especial. Fiquei empolgado e traduzi num sopro. Depois li e corrigi algumas "falhas", daí republicá-la com o devido carinho e respeito que o poeta e a poesia merecem. Ah! Esqueci de dizer também insisto em traduzir por não existir pessoas que traduzam as belas poesias que nos roedeiam nesta amada e esquecida América Latina. A poesia de Carrasco, porém vale mais do que todas as explicações ...
P gina web do poeta brasileiro Antonio Miranda, reposit rio da obra liter ria poesia romance ensaio de Antonio Miranda do Brasil, artigos cient ficos e livros do professor Antonio Miranda da Universidade de Bras lia sobre biblioteconomia e ci ncia da informa o, poesia brasileira e latino-americana bil ng e portugu s e espanhol no Portal de Poesia Ibero-americana
Fernando Guimarães nasceu no Porto em 1928. Tem-se notabilizado como poeta, ensaísta e tradutor. A sua obra poética encontra-se reunida nos seguintes livros: Casa: o seu Desenho, IN-CM, 1985; Poesias Completas, vol. I: 1952-1988, Edições Afrontamento, 1994; A Analogia das Folhas, ed. Limiar, 1990; O Anel Débil, Edições Afrontamento, 1992. A sua obra ensaística orienta-se para o estudo de questões teóricas, ligadas à estética, e da evolução da poesia portuguesa nos últimos cem anos, a partir de grandes movimentos como o Simbolismo, o Saudosismo ou o Modernismo. Nestes dois domínios publicou: A Poesia da "Presença" e o Aparecimento do Neo-Realismo, Ed. Brasília; Linguagem e Ideologia, ed. Lello; Simbolismo, Modernismo e Vanguardas, ed. Lello; Poética do Saudosismo, ed. Presença; A Poesia Portuguesa Contemporânea e o Fim do Modernismo, Editorial Caminho; Poética do Simbolismo em Portugal, IN-CM; Conhecimento e Poesia, ed. Oficina Musical; Os Problemas da Modernidade, ed. ...
O longo poema inaugural de Álcoois, "Zona" (Zone- 156 versos), objeto de muitos estudos, é considerado o comentário da escrita poética e, ao mesmo tempo, poema lírico de excelência, que abre a obra com o verso: "No fim estás lasso deste mundo antigo" (A la fin tu es las de ce monde ancien). A nova beleza da cidade surge. Neste poema temos Paris, a Torre Eiffel e os automóveis, todos os objetos das ruas industriais, o delírio poético então viaja pelo mundo, e enumera o percurso pelas cidades e seus elementos, a poesia da máquina se estabelece, a poesia da cidade moderna abre seu discurso. Numa expressão de simultaneidades e fragmentação, a nova poesia se edifica, o homem do início do século XX é reverenciado, a poesia de seu tempo se torna expressa, a vanguarda cumpre o seu papel. Homens, máquinas, cidades, a poesia os coloca como o novo conjunto de objetos da vanguarda poética, e que, em Apollinaire, será a carta-manifesto da nova poesia surrealista, tudo isto dentre as ...
Chegou, em mais um ano letivo, o dia de nas minhas aulas, dando cumprimentos ao programa de Língua Portuguesa, abordar a poesia. Embora devidamente preparado, estava um pouco apreensivo, sobretudo como a forma de os motivar. As aulas, porém, correram de forma magnífica, e todos se motivaram.. Depois de apresentar e ler alguns poemas, lá fomos sintetizando que a poesia é uma arte complexa e diversificada e há textos poéticos de formas diversas, mas fáceis de distinguir da prosa. Para além da diferença da mancha gráfica, a poesia tem mais ritmo do que a prosa. As palavras estão dispostas de acordo com determinadas normas, adequada acentuação e demarcadas pausas, o que lhe confere um ritmo, uma harmonia e uma musicalidade próprias, diferentes da prosa. Além disso, mais do que a prosa, a poesia provoca e excita a imaginação, o sonho e a sugestão.. De seguida fomos à parte formal ou técnica. O verso é o elemento fundamental da poesia. É um conjunto de palavras, correspondente a ...
Domingo de trabalho Frio. Chuva. Queixo batendo Frio. Chuva. Frio. Relógio não dá corda Frio. Frio. Frio. Tentar pensar numa solução Frii-io. Fri-iio. Friii-io. Papel e caneta a mão Chuva. Frio. Frio Pensar poesia, escrever poesia Chuva. Frio Água. Som sincronizado Poesia. Chuva Sentir poesia, Viver poesia Acalento. Corpo. Alma!
A poesia está para além da linguagem poética, está na linguagem da vida. A importância de trabalhar este tema decorre de ser ele pouco difundido entre as séries iniciais, deixando assim um rombo enormenas séries subsequentes que continuam sem ver a poesia na sala de aula, e resumindo a literatura, na maioria das vezes quando trabalhada, a textos prosódicos, ficando assim a poesia à margem do que é ensinado nas escolas. O que acontece é uma supervalorização da prosa literária em relação à poesia. Mas a poesia, além de ser uma linguagem extremamente atual ...
Não retornarei à tua casa, pois agora já posso encontrá-la à beira de qualquer piscina e passar o dia todo contemplando ao sol a candura de teu rosto e de teus versos. Vejamos o que Gabriel Nascente traz na antologia "Goiás, meio século de poesia", sobre o rasto de sua biografia: "`YÊDA SCHMALTZ é de Recife (PE), mas sempre viveu em Goiás. Bacharel em Letras Vernáculas e em Direito. Professora da Universidade Federal de Goiás, Instituto de Artes." E ele segue informando o rol dos livros publicados e das antologias em que figuras expressivamente. E não poderia informar a data de teu falecimento, se a poesia é anterior (foi.em 10/05/2003, aos 61 anos, no Hospital da Beneficência). "Recebeu inúmeros prêmios e distinções", tu que não precisavas de prêmio algum para ser distinta. Mas cabe destacar alguns prêmios merecidos por tua poesia: da Associação Paulista de Críticos de Arte, melhor livro de poesia, 1985 (Baco e Anas brasileiras); Remington de prosa e poesia, RJ/1980; ...
Title: Os Sinos - Poesia Narrativa Author: Proença, Raul Sangreman, 1884-1941 Language: Portuguese As this book started as an ASCII text book there are no pictures available. Copyright Status: Not copyrighted in the United States. If you live elsewhere check the laws of your country before downloading this ebook. See comments about copyright issues at end of book. *** Start of this Doctrine Publishing Corporation Digital Book "Os Sinos - Poesia Narrativa" *** This book is indexed by ISYS Web Indexing system to allow the reader find any word or number within the document. RAUL PROENÇA +OS SINOS+ _Raul Proença_ +OS SINOS+ (Poesia narrativa) ALCOBAÇA Typographia e Papelaria de Antonio M. dOliveira --Rua de Santo Antonio, 14, 16 e 18 1908. A João Carlos de Pina, artista talentoso e honesto A ti dedico esta poesia, meu caro amigo, para que assim fique memorada a nossa convivencia intelectual, as longas palestras em que estabelecemos a communhão dos mesmos Sonhos. É a primeira poesia narrativa ...
Este é o livro mais sublinhado do ano: quero sintetizá-lo (porque está organizado pela data dos textos), recolhendo-o por temas: o que o autor diz que a poesia é; o que o autor diz que a poesia não é; a necessidade e o papel da poesia; o princípio da poesia; o futuro da poesia; o obstáculo da poesia; o sentido da vida na poesia; o sentido da poesia na vida; o lugar do poema; a função do poema; a relatividade na poesia; a liberdade na poesia; a fúria na poesia; a crítica; o poeta; o leitor; o amor. Portanto, é livro para 2012 ...
Gosto quando Octavio Paz desfaz a confusão entre poesia e poema: "A poesia é conhecimento, salvação, poder, abandono. Operação capaz de mudar o mundo, a atividade poética é revolucionária por natureza; exercício espiritual, é um método de liberação interior. (…) Oração, litania, epifania, presença". Há poesia nas coisas. Há poesia na dança. Mas nem todas as coisas são poesia. Toda dança talvez seja poesia. A dança está para a poesia assim como o poema. "O poema não é uma forma literária, mas o lugar de encontro entre a poesia e o homem.Poema é um organismo verbal que contém, suscita ou emite poesia." Poética é palavra de outra natureza: não se trata aqui de uma forma literária, mas de um projeto, um devir, um fazer, conjunto de técnicas, conhecimentos, habilidades para tanger o que chamo aqui de poesia, mas que pode ser chamado também de experiência estética, travessia, encontro. Poesia, poema, poética. O Festival Poéticas Negras, do qual tive a honra de ...
Não chores, meu bem: Carlos Drummond de Andrade me disse que hoje tem filme de Carlitos. E um belo filme: Luzes da cidade (1931), de Charles Chaplin.. Não sou literato, embora ame os livros. Nem poeta, embora ame a poesia e, por amor a ela na adolescência, tenha cometido os meus versos. (Mais tarde, dei mais uma prova de amor à poesia: parei de cometer versos...) Nem mesmo poeta do Cinema, embora ame também poetas da imagem, como Humberto Mauro.. Em todo o caso, sabemos que o Cinema e a Literatura - em prosa - sempre se deram muito bem, obrigado. Mas e a poesia? Como ela e o Cinema se entenderam? Ou perguntando melhor: como o Cinema lidou com a poesia? E como os poetas do século XX lidaram com o Cinema e seus ícones?. Bem, por mais que seja tentador, não tenho mãos e conhecimentos suficientes para um levantamento completo da relação entre os versos e a imagem em movimento no século XX, nem este trabalho tem esta ambição. O que posso fazer neste texto é lançar alguns apontamentos ...
A Poesia, ao longo do tempo, foi perdendo a nítida feição com que nasceu: a oralidade. Conta-se que há 2.500 anos, o poeta grego Simónides de Ceos - célebre pelo hino que compôs aos heróis das Termópilas e que treinou sua memória para correr a Grécia declamando os poemas de Homero, de Safo e de poetas que o antecederam - encontrou um dia seu discípulo e conterrâneo Baquílides, escrevendo suas odes sobre uma placa de cera e o acusou de trair a poesia cuja magia e encanto, dizia, estava em sua expressão declamatória e não na palavra escrita. «A Poesia, afirmava ele, é uma pintura que fala ...
Augusto de Campos nasceu em 1931. É poeta, advogado, tradutor, crítico e publicitário. Estreou em fevereiro de 1949 na Revista de Novíssimos e logo depois publica nas páginas da Revista Brasileira de Poesia, ligada ao clube de Poesia de São Paulo, da geração de 1945. Em 1951 edita por conta própria o livro O Rei Menos o Reino. No ano seguinte funda o Grupo Noigandres, com seu irmão Haroldo e o poeta Décio Pignatari . Participando do lançamento da revista Noigandres, publica no primeiro número os poemas "Ad Augustum per augusta" e o "Sol por natural". Iniciou em 1953 a série "Poetamenos", que seria publicada em 1955, no n.2 da revista Noigandres. Começa a publicar seus primeiros artigos teóricos em 1955, já em outubro cunhava para a nova poesia que surgia o termo poesia concreta. Em novembro vê seu "Poetamenos" ser oralizado pelo grupo Ars Nova, ao mesmo tempo que realizou conferência sobre as correspondências estéticas entre as novas artes que surgiam. Em 1956 inicia ...
O DCP nesta edição traz a poesia de mais um importante poeta pernambucano: Marcus (Moraes) Accioly. Nasceu em 21 de janeiro de 1943, no engenho Laureano, município de Aliança, Estado de Pernambuco, onde passou sua infância. "Minha poesia vem de onde eu venho. Aprendi alguns bichos e sei de outros pássaros, gosto do cheiro da terra e da cantiga dos rios. Sou dos canaviais que já nasceram das mãos de minha família e agora crescem dos pés", afirma o poeta no seu livro Guriatã: um cordel para menino. Sua poesia já foi traduzida para o espanhol, francês, alemão. Possui poemas musicados por Capiba, Cussy de Almeida, César Barreto, Arnaut Matoso, entre outros. Além de Íxion - uma tragédia grega - teve livros adaptados e encenados, como peças de teatro, em São Paulo, Bahia e Pernambuco. Foi lançado por César Leal no Suplemento Literário do Diario de Pernambuco, em 1967. Publicou quatorze livros e possui dez inéditos. Recebeu doze Prêmios Literários. Pertence à Geração-60 ...
Distribuí, durante e ao final da palestra Existe Uma Poesia Feminina ?, realizada nesta terça-feira, 19 de março, no Centro Cultural Padre Eustáquio os saquinhos de poesia do Projeto Re-Insacando Poesia, que completou 20 anos .Ilustrei , anteriormente, a edição de Poetas Mineiros e o solo, do cito poeta, muito connhecido em especial pelo Belô POético (anual e internacional) e o Poesia na Praça Sete- (sazonal), na capital mineira. Um de meus desenhos a bico de pena foi linha d´água nas páginas e oferecido com o conjunto de poemas ...
Nasci em Catanduva-SP no ano de 1982, sou poeta e escritor, autor dos livros Trilhas de Luz, Nas Asas da Poesia, Alquimia Poética, Relíquias da Alma, A Poesia e Eu e Sequelas de Outono, sou Membro Imortal da ALB - Academia de Letras do Brasil/Seccional Araraquara, Embaixador da Divine Académie Française des Arts Lettres et Culture, Comendador Acadêmico Municipal de Catanduva pela Academia dos Cavaleiros de Cristóvão Colombo, Acadêmico Fundador da Academia Virtual Brasileira AlmaArte e Poesia, membro da Associação Internacional Poetas del Mundo e membro do Conselho do Grupo de Poesia Guilherme de Almeida em Catanduva ...
Ao que o grande poeta sénior, com a enorme modéstia que o caracterizava, apanágio aliás, de mentes sábias, respondeu: "- Não sei explicar e seria difícil explicar o caso poético do meu filho. Há coisas que acontecem mesmo sem hereditariedade, mesmo sem atavismo. Quanto à influência, creio ter exercido alguma, nele e em outros poetas novos de Cabo Verde (…) Influência entretanto perigosa porque a minha poesia com a sua embora novidade aliciadora por falta de certas virtudes poéticas, não chegou a ser nem uma obra, nem um marco itinerário. Talvez fosse um que anúncio de transição na poesia cabo-verdiana (mas há poesia cabo-verdiana?), um como que prefácio da nossa verdadeira e ainda inédita poesia, que eu apenas antevi um pouco e que é preciso escrever quanto antes, já que ela existe em potência na trágica vida das ilhas e na alma sofredora e estóica do povo mais cantador do mundo." (Fim de transcrição) Jorge Barbosa, in: «Cabo Verde - Boletim de Propaganda e ...
Estimada e muito querida Arlete, sempre será um prazer ler sua boa poesia, onde neste dia dedicado a Poesia, você soberbamente faz uma Acróstico homenageando o dia Mundial da poesia, que coisa linda, obrigada por nos brindar com suas maravilhas neste espaço tão significativo deste Jornal Raizonline, foi gratificante aqui poder ler você, com afeto, sua amiga de tantos anos aqui do Brasil ...
A Tertúlia Poética dos Poetas Sanjoanenses é um espaço inteiramente dedicado à poesia criada pelos nossos conterrâneos. As sessões são abertas a todos aqueles que gostam de poesia e querem conhecer mais a fundo o que de melhor a nossa cidade tem vindo a produzir. Ao longo destas sessões fala-se de poesia, do ato de criação e lêem-se textos, muitos deles ainda não publicados. É por isso um momento de revelação muito especial. Se escreve poesia ou tem prazer em descobrir novos talentos, inscreva-se nesta sessão através do email [email protected] Entrada gratuita ...
Paula, estou aqui para te parabenizar pela passagem de teu aniversário. O dia do nascimento de uma pessoa é especial porque foi nesse momento que o amor de Deus se materializou nela. Deus te amou des a eternidade e Ele teve um sonho especial para ti. O sonho de Deus se realizou quando o teu amor pelas crianças se manifestou de forma intensa. Ele te deu o dom da vida de do amor. Ela sabia que tu serias a poetisa que tem o aroma da poesia. Sim. a poesia é perfuma e o seu perfume está contido nas palavras que escreves. A tuas poesias revelam a magia do amor que tu sentes pelas crianças. Quando eu leio as tuas posias, não é apenas uma leitura qualquer. Nelas eu penetro com a emoção de minha ala para vislumbrar o milagre do amor. Saiba que tu és especial como um anjo.Tu és um anjo de amor. Deus te deu também a habilidade de brincar com as palavras. Tu as ordena demodo harmônico e faz da poesia uma escultura do amor. Quando tu escreves tu revela a sensibilidade e a ternura que existe em ...
Grosso modo, pode-se dizer que a poesia brasileira se divide entre duas grandes linhas (n o estanques, bom que se frise): a poesia do cotidiano, do humor, do coloquial, que encontra em Bandeira e Drummond seus maiores expoentes, e a poesia universal, de tom mais grave, cujos expoentes s o Jorge de Lima e Murilo Mendes. Gerardo Mello Mour o, com certeza, se enquadra nesta ltima tend ncia: sua poesia, tendo por base temas e motivos cl ssicos, se volta, de prefer ncia, para o mundo hel nico e b blico. Quando o referencial outro, por exemplo, Copacabana, S o Paulo e o Nordeste (como acontece, por exemplo, em "Epit fio 3"), o poeta propositadamente funde o espa o regional com o m tico, ou ainda, impregna o regional do m tico: "nasci em Tr ia - falsa/a p blica f do registro civil no cart rio do coronel N Guilhermino/pela qual o inocente seria nascido e datado/nas Ipueiras do Siarah Grande." N o bastasse esse olhar voltado para um universo povoado de arqu tipos, figuras exemplares do passado, como ...