Esterilidade dos planetas de controlo Kármico- a colocação de um planeta kármico no antara* de um planeta que está retrógrado no nascimento ; a colocação do planeta kármico no antara de um planeta no qual este está debilitado- nestes casos o planeta kármico não «frutifica».. Considerações Adicionais- Quando Rahu e Ketu estão em conjunção com os planetas de controlo Kármico ou quando estão colocados nos signos dos planetas Kármicos, têm precedência em relação a estes e atuam como seus agentes; quando um planeta de controlo kármico está retrógrado mas está colocado no antara de um planeta de movimento direto, é capaz de produzir frutos (válido em primeiro lugar para a Astrologia Horária) e tais frutos serão produzidos quando o planeta estiver em movimento direto; os planetas que estão colocados no Nakshtra que tem a regência de um planeta de controlo kármico dão os resultados desse planeta mas não atuam como planetas de controlo Kármico.. Basicamente, ...
Esta lista apresenta os principais parâmetros orbitais e físicos dos oito planetas e cinco planetas anões do Sistema Solar. Todos estes corpos orbitam o Sol, a estrela central do sistema. Os quatro planetas internos são denominados telúricos por apresentarem crosta sólida, sendo que seu maior componente é a Terra. No cinturão de asteroides encontra-se o pequeno planeta anão Ceres, um asteroide de formato arredondado. A seguir estão os quatro gigantes gasosos, os maiores planetas do Sistema Solar, compostos principalmente por hidrogênio e hélio. A seguir estão os quatro últimos planetas anões na região do Cinturão de Kuiper, nos confins do Sistema Solar. Dentre os elementos orbitais dos planetas e planetas anões, o semieixo maior representa a distância média do corpo ao Sol e a excentricidade representa o formato da elipse de suas órbitas. O período de translação refere-se ao tempo em que o corpo completa uma volta completa ao redor do Sol, enquanto o período de rotação ...
Um planeta é um grande corpo celeste que reflete a luz de uma estrela ao redor do qual ele gira. Os planetas em nosso Sistema Solar são classificados como planetas internos e planetas externos. Os planetas internos, os mais próximos do Sol, são esferas de rocha sólida e includem Mercúrio, Vênus, Terra, e Marte. Os planetas internos foram constantemente bombardeados por asteróides e meteoritos durante seus primeiros 600 milhões de anos de existência. Conseqüentemente, observa-se crateras de tamanhos variados nos planetas internos e seus satélites. Os planetas externos, com a exceção de Plutão, são grande esferas gasosas com anéis e includem Júpiter, Saturno, Urano, e Netuno. Entre os planetas internos e externos existe um cinturão de asteróides. Cada planeta, com exceção da Terra, recebeu seu nome de um antigo deus ou deusa Romanos. Alguns dos planetas possuem satélites naturais, ou luas, enquanto outros não possuem satélites. Todos os nove planetas orbitam o Sol de forma ...
Se falarmos sobre planetas extrassolares, deixemos as coisas claras: não emigraremos para eles. Esses planetas estão muito, muito distantes", essas são as palavras do Nobel da Física de 2019, Michel Mayor.. Da afirmação do físico suíço, podemos retirar o óbvio: a Terra é o único planeta que humanos habitarão em condições naturais e é dele que devemos cuidar. Não há saída, não há outro planeta para nos receber - ao acabarmos com o meio ambiente e os recursos naturais, acabamos com a vida no nosso planeta mãe.. Mayor é especialista em planetas fora do sistema solar e seu trabalho possibilitou a descoberta de mais de 4 mil exoplanetas fora de nosso alcance migratório. Ao aceitar o Nobel, o cientista disse que os humanos precisam abandonar a perspectiva de se mudar para outro planeta no caso de a vida se tornar impossível na Terra.. "Em tese, o que ele rechaçou foram as ambições de habitar um eventual planeta habitável localizado nas redondezas da nossa galáxia, a ...
A missão Kepler da NASA descobriu o primeiro sistema planetário com mais de um planeta transitando a mesma estrela. O anúncio de ontem, 26 de Agosto de 2010 da descoberta dos dois planetas, Kepler 9b e 9c é baseada nos sete meses de observação de mais de 156.000 estrelas que foram monitoradas e onde se buscou por sutis mudanças no brilho delas como parte da atual pesquisa por planetas parecidos com a Terra fora do Sistema Solar. Os cientistas chamaram a estrela parecida com o Sol de Kepler-9. O planeta mais interno do sistema, Kepler 9b, orbita a estrela a cada 19.2 dias a uma distância de 20 milhões de quilômetros, enquanto que o planeta mais externo tem uma órbita de 38,9 dias e uma distância de 33 milhões de quilômetros. Só para comparação, Mercúrio tem uma órbita de 88 dias ao redor do Sol. Eles orbitam a estrela quase que em ressonância, com o planeta interno completando duas órbitas para cada órbita completada pelo planeta mais externo. Ambos os planetas tem o tamanho ...
Um planeta desértico é um planeta com um único ou maioritário bioma climático, desértico, com pouca ou nenhuma precipitação. Marte é considerado um planeta desértico, por definição, embora o termo é aplicado principalmente aos planetas que podem se tornar habitável, ao contrário de um planetas estéreis. É um tema relativamente comum na ficção científica, o conceito inclui ambos os planetas reais e fictícios e, por vezes acompanhados por elementos do despotismo hidráulico. Talvez os exemplos mais famosos da ficção são Arrakis, o cenário para a maior parte da série Duna de romances de Frank Herbert e Tatooine do universo Star Wars. Um estudo recente sugeriu que os planetas desértico não só tem a capacidade de suportar a vida, mas pode ser mais comum do que planetas como a Terra. Esta previsão baseia-se em sua maior zona habitável em relação a planetas com água líquida. No mesmo estudo também se especulou que Vênus pode ter sido um planeta desértico habitável ...
Você sabia que pode haver um montão de planetas com condições de abrigar vida? Na verdade, há muitos milhões de Terras. Pois é, pessoal! Cientistas norte-americanos revelaram que, das estrelas parecidas com o Sol, um quinto delas tem planetas habitáveis. E a estrela mais próxima com planeta habitável está a 12 anos luz... Pertinho, né?…
Simulação por computador indica que pode haver vida em vários outros planetas Cientistas criam modelo que põe em xeque teoria da zona habitável, que procurava água líquida apenas nas superfícies dos planetas; pesquisadores escoceses miram reservatórios subterrâneos. Cientistas escoceses desenvolveram um simulador para identificar planetas onde há condições para a existência de vida. O sistema poderá indicar a existência de diversos planetas habitáveis em sistemas solares distantes. Até o presente estudo da Universidade de Aberdeen, as estimativas sobre o número de planetas habitáveis eram baseadas na probabilidade de que houvesse água na superfície desses lugares. O simulador, baseado em um modelo científico, permite, no entanto, que os pesquisadores identifiquem planetas com água subterrânea mantida em forma líquida, por calor gerado pelo próprio planeta.. O estudo foi apresentado durante o British Science Festival, em Aberdeen. Entre astrônomos, a teoria era a de ...
Os planetas são as peças chave em Astrologia. São eles que "encarnam" e canalizam as qualidades (energias) dos Signos. Cada Planeta representa um elemento da psique humana, uma parte da nossa consciência.. Os planetas dividem-se em vários tipos. O Sol e a Lua não sendo propriamente planetas são conhecidos como os luminares ou luzes. Eles representam as grandes polaridades humanas: Consciente - Inconsciente, Masculino - Feminino, etc. Seguem-se os planetas vitais (ou pessoais) que, juntamente com os luminares, representam os elementos básicos da personalidade. Depois temos os planetas sociais, que representam elementos de sociabilização e finalmente os transpessoais que simbolizam a nossa capacidade de transformação e transcendência.. Eis algumas características dos planetas:. ...
A segunda evidência identificada pelos astrônomos está relacionada a um planeta recém-descoberto que estaria desenvolvendo uma órbita elíptica em torno da estrela gigante vermelha.. Esse planeta tem pelo menos 1,6 vez a massa de Júpiter. Segundo Andrzej Niedzielski, co-autor do estudo da Nicolaus Copernicus University em Torun, na Polônia, órbitas com tal configuração não são comuns nos sistemas planetários formados em torno de estrelas antigas.. Na verdade, a órbita desse planeta em torno da BD 48 740 é a mais elíptica já detectada até agora, disse Niedzielski.. Como as interações gravitacionais entre planetas são em geral responsáveis por órbitas incomuns como essa, os astrônomos suspeitam que a incorporação da massa do planeta engolido à estrela poderia ter dado a esse outro planeta uma sobrecarga de energia que o lançou em uma órbita pouco comum.. Flagrar um planeta quando ele está sendo devorado por uma estrela é improvável por causa da rapidez com a ...
Os planetas que orbitam estrelas localizadas fora do nosso sistema solar são chamados de exoplanetas, ou planetas extra-solares. Existem vários tipos de exoplanetas: desde os extremos, os gigantes gasosos com 60 vezes a massa de Júpiter que giram em torno de suas estrelas em órbitas frenéticas, até os rochosos "super-Terras", muito mais massivos do que o nosso planeta ...
Cientistas das universidades de Washington e de Harvard, nos Estados Unidos, usaram computadores e modelos matemáticos para simular a vaporização da Terra e de planetas similares a ela. O objetivo da pesquisa é estudar a atmosfera e composição de "superplanetas", com características semelhantes ao nosso. Financiado pela Agência Espacial Americana (Nasa), o estudo foi publicado na edição de agosto da revista "Astrophysical Journal". A pesquisa mostra que grandes planetas, conhecidos como "super-Terras", têm atmosferas compostas muitas vezes por vapor e dióxido de carbono, com pequenas quantidades de outros gases que distinguiriam uma formação planetária de outra. As "super-Terras" são planetas com mais massa que o nosso, porém menores que Netuno e feitos de rocha em vez de gás. Elas se localizam fora do nosso Sistema Solar, e por isso são conhecidas como exoplanetas ou planetas extrassolares. O termo "super-Terra" faz referência apenas à massa do planeta e não à sua ...
No final do ano passado o presidente francês Emmanuel Macron reuniu líderes mundiais em Paris para uma conferência sobre o clima do planeta. Macron pediu a manutenção do Acordo de Paris, apesar da saída dos Estados Unidos. O lema da "Cúpula: Um planeta" foi "não existe plano B, porque não existe planeta B". Se destruirmos o planeta Terra estaremos destruindo a humanidade.. Pode parecer um paradoxo em uma época em que os astrônomos estão descobrindo dezenas de planetas novos na órbita de estrelas distantes. Alguns desses mundos podem ter condições de temperatura, atmosfera e clima semelhantes as da Terra. Mas estão muito distante e não podemos viajar até lá. Nem com a tecnologia atual nem com qualquer tecnologia que possa ser desenvolvida no futuro. Eles simplesmente estão totalmente fora do nosso alcance.. Fala-se também na colonização do planeta Marte, aqui em nosso sistema solar. Tecnicamente é possível enviar astronautas ao planeta vermelho, para viverem lá por ...
NASA/MESSENGER (planeta Mercúrio). A primeira pesquisa compreensiva da superfície de Mercúrio feita pela sonda MESSENGER mostra que a crosta do planeta tem contraído em 7 quilômetros à medida que ele esfria, significantemente mais do que se estimava anteriormente.. Esses novos resultados resolveram um paradoxo que dura mais de uma década sobre os modelos da história termal e a contração estimada de Mercúrio, diz um estudo liderado pelo autor Paul Byrne do Carnegie Institution for Science.. A superfície de Mercúrio é feita de apenas uma placa continental que cobre todo o planeta. Seu enorme núcleo de ferro, estimado em 4.040 km de diâmetro, deixa um manto e uma crosta com somente 420 km de espessura, uma camada extremamente fina para o menor planeta do Sistema Solar. O manto da Terra, para comparação tem cerca de 2.900 km de espessura, enquanto que a crosta acima dele tem cerca de 40 km de espessura. E além disso, o pequeno Mercúrio está encolhendo.. No passar dos bilhões de ...
Existem vários métodos de detecção de planetas extrasolares, sendo um deles consequência da perturbação dinâmica que o planeta produz na estrela. Este método tem três técnicas fundamentais: o pulsar timing, a velocidade radial e a astrometria. Além desse método, irei ainda explanar a fotometria (ocultações); a gravitational lensing; e a imaging.. A perturbação dinâmica de uma estrela por um planeta resulta da atracção gravitacional que o planeta produz sobre a estrela: do mesmo modo que a estrela induz um movimento elíptico no planeta em torno do centro de massa do sistema planeta-estrela, também o planeta induz um movimento elíptico na estrela de igual período em torno do centro de massa do sistema, com a particularidade de ser uma órbita muito menor, visto que na maioria dos casos este centro de massa se situa dentro da própria estrela, isto se a massa do planeta for muito inferior à massa da estrela, como é normal que seja.. Os pulsares são estrelas de neutrões ...
O Messenger, da NASA, encontrou fortes indícios de água congelada em Mercúrio. Mas como pode haver gelo em um inferno como Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol, fervendo a 400º C?. A resposta é um negócio chamado armadilhas congeladas, áreas na superfície de Mercúrio que estão constantemente geladas devido à posição do planeta em relação ao Sol. Essa posição cria algumas crateras que ficam em sombras permanentes, onde a temperatura tem estado baixa o bastante para reter a água congelada que havia originalmente no planeta. As partes amarelas da imagem acima mostram perfeitamente essas tais áreas de sombra eterna.. A descoberta, que está sendo publicada pela Science, foi feita por um time de cientistas do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins. Eles sobrepuseram dados da superfície de Mercúrio obtidos pelo Observatório Arecibo em 2011 (os quais indicavam a presença de água, para a surpresa e descrença dos cientistas) com informações precisas ...
Repórter da Agência Brasil. Brasília - A astrônoma Courtney Dressing, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, disse que há um planeta com condições semelhantes às da Terra a 13 anos-luz de distância - 1 ano-luz equivale a aproximadamente 10 trilhões de quilômetros. A conclusão faz parte de um estudo divulgado hoje (7) e mostra que há possibilidade de haver um sistema similar à terra em outro sistema planetário, mais próximo do sistema solar. Até então, os cientistas acreditavam que os planetas potencialmente habitáveis poderiam estar a uma distância entre 300 e 600 anos-luz.. "Pensávamos que teríamos de procurar distâncias vastas para encontrar um planeta como a Terra. Agora percebemos que outro está provavelmente no nosso próprio quintal", disse a pesquisadora.. Os cálculos foram feitos utilizando o telescópio norte-americano Kepler, partindo da premissa de que as estrelas denominadas gigantes vermelhas (red dwarves, em inglês) podem ter planetas habitáveis ...
Desconheço a localização do Planeta Kooru, retirei estas informações do site do Fábio Santoro (estrelas que vigiam).. Sharaya é um ser de aspecto feminino do Planeta Kooru. Suas orelhas são pontudas e tem em torno de 2 metros de altura. Os seres são esverdeados por fora e brancos por dentro, sua cor é diferente dos uranianos que são azulados.. Devido ao Planeta ser menor que a Terra , muitos deles tiveram que ir para outros Planetas já habitados por outros seres e lá residem em perfeita harmonia com os outros.. Lá no Planeta Kooru existem animais, só que os animais de lá são mais inteligentes do que os da Terra.. Minha observação:(Gente, lembra desses filmes que dizem ser ficção e aparece animais pilotando ou comandando naves?, é isso ai, não é ficção é baseado em verdades transmitidas por seres extraterestres). Esses animais operam máquinas evoluídas do comando estelar, são seres que participam ativamente do processo evolutivo do todo. Os seres desse Planeta estão ...
Amo astronomia. Não sou um grande conhecedor, sequer chego a ser um astrônomo amador, mas gosto de ficar de olho em novas descobertas científicas (ou nem tanto). Recentemente tenho acompanhado uma profusão de descobertas de novos planetas em outros sistemas solares. Tais astros são chamados de exoplanetas, pois estão fora do sistema solar. Graças ao Telescópio Espacial Hubble e a Sonda Kepler, estamos descobrindo novos sistemas solares todos os meses.. O infográfico abaixo mostra todos os 786 exoplanetas conhecidos, até junho de 2012, em uma escala real. Dentro do retângulo azulado, temos o nosso sistema solar, com seus maiores planetas. Provavelmente estão representados Júpiter, Saturno, Urano, Netuno, A Terra, Vênus e Marte. Observe a imensidão de planetas gigantes ao redor. É um número alto, mas ele deve crescer ainda mais porque agora os astrônomos já são capazes de detectar planetas iguais a Terra ou menores.. Agora o mais incrível é que todos os 786 planetas foram ...
Pra esclarecer antes de vocês lerem a matéria; até hoje que eu saiba existem duas categorias de planetas os rochosos (Mercúrio, Vênus, Terra e Marte) e os Gasosos (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno) e ainda há os planetas anões(Plutão entre outros). Quando se acham planetas rochosos é uma alegria só porque é o único tipo de planeta que pode abrigar vida como conhecemos e também que se pode visitar. Os planetas gasosos são envoltos por gases ou seja não dá pra pousar numa criança dessas, não há lugar sólido pra pousar uma nave a não ser o núcleo que é quente pra cacete e acho que ninguém gostaria de ir pra lá. Caso alguém fique com dúvidas quanto a exoplanetas procurem nas postagens do blog que lá há uma matéria sobre tais. Aí vai a matéria: ...
Ethevaldo Siqueira - Estadão) Exoplaneta é o planeta descoberto em outro sistema solar (daí o nome exoplaneta). Já são dois exoplanetas que, em princípio, podem abrigar a vida. O primeiro deles é, aliás, um Super-Terra, o exoplaneta GJ 1214b, com um raio 2,6 vezes o da Terra e massa é 6,5 vezes superior à de nosso planeta, o que lhe dá a classificação de Super-Terra (Super-Earth ...
Mercúrio recebeu esse nome em referência ao deus mensageiro romano, conhecido entre os gregos como Hermes. Motivo: o movimento rápido do planeta em torno do Sol.. É o menor planeta do Sistema Solar e o mais próximo do Sol. Só para efeito de comparação, ele é menor do que Titã, uma das luas de Saturno, e Ganimedes, de Júpiter.. Durante o dia, a temperatura em Mercúrio pode chegar a inconcebíveis 430º Celsius, enquanto que durante a noite pode despencar para -180º Celsius. Isso ocorre porque a superfície do planeta não retém o calor.. A superfície do vizinho Vênus é mais quente que a de Mercúrio, apesar deste estar mais próximo do Sol. No lado iluminado venusiano, as temperaturas podem chegar a incríveis 500º Celsius.. Existem regiões nos polos que nunca receberam luz solar. Foi por isso que os cientistas não esboçaram surpresa quando descobriram água congelada em crateras no polo norte de Mercúrio.. Enquanto a Terra viaja a 108 mil quilômetros por hora em sua ...
Hoje dia 22 de abril é o dia do planeta, o lugar onde todos nós vivemos, ou seja hoje é o dia da minha da sua da nossa casa.. E algo interessante a respeito do dia do Planeta Terra, esta relacionado ao grande número de buscas dentro do TudoLink por estudantes em busca de trabalhos, artigos e resumos a respeito do dia da Terra, ou seja tem muitos estudantes com tarefas escolares a serem feitas relacionada ao dia do planeta Terra.. E para você que esta na mesma situação, procurando o que escrever sobre o nosso planeta Terra para o seu trabalho escolar relaxe, fique tranqüilo, pois falar sobre o nosso planeta é como descrever a nossa casa, basta analisar, fechar os olhos e pensar.. Agora que você pensou, analise o que tem de errado com a sua casa, e para ajudar você vou citar alguns itens que poderão te ajudar a criar um trabalho bem legal sobre o dia da Terra.. Alguns problemas que o nosso planeta Terra tem enfrentado:- Problemas com poluição;. ...
É a chamada elongação, o ângulo entre o Sol e o planeta quando observado da Terra. Quando um planeta interior é visível depois do pôr-do-sol, está próximo da sua elongação oriental máxima e quando é visível antes do nascer do sol, está próximo da sua elongação ocidental máxima. O valor da elongação máxima (leste ou oeste) para Mercúrio varia entre 18º e 28º e para Vênus, outro planeta interior e o segundo mais perto do Sol, está entre 45º e 47º. Portanto, os valores da elongação para Mercúrio, faz deste astro, um planeta muito esquivo, daí essa oportunidade de observá-lo agora neste mês ...
O que acontece durante o movimento retrogrado aparente de um planeta? r. o planeta parece mover-se para leste em relação as estrelas ao longo de muitas noites.b. o planeta move-se para trás através do céu.c. o planeta move-se para trás em sua órbita em torno do sol.d. o planeta move-se através de constelações que não fazem parte do zodíaco.e. o planeta nasce no oeste e define ..
Por Eduardo Marchiori. A convite da Fox, o Papo de Quadrinho assistiu ao filme numa sessão exclusiva para profissionais de imprensa e traz as impressões sobre a produção, que resgata uma famosa franquia de cinema e TV. Sem spoilers, como manda a política do blog.. Se o leitor tem mais de 40, certamente vai se lembrar da emblemática cena de Charlton Heston cavalgando numa praia com metade da Estátua da Liberdade enterrada na areia.. Em 1968, o longa-metragem O Planeta dos Macacos mostrava um futuro apocalíptico da Terra, onde restaram poucos seres humanos e o planeta é dominado por uma raça de símios falantes. O filme gerou mais quatro continuações: De Volta ao Planeta dos Macacos (1970), A Fuga do Planeta dos Macacos (1971), A Conquista do Planeta dos Macacos (1972) e A Batalha do Planeta dos Macacos (1973).. A temática continuou despertando o interesse do público e, em 1974, a franquia ainda rendeu uma série de TV com 14 episódios e uma série animada com mais 13 episódios no ...
Planeta Xuxa, Planeta. Planeta Xuxa, Planeta Xuxa. Planeta Xuxa, Planeta.... Conte Comigo. Eternamente A Gente. Vai Ser Amigo.... Tá Sempr... Ouvir agora.
Os sete exoplanetas (planetas fora do Sistema Solar) têm um tamanho e uma massa aproximados ao da Terra e orbitam uma estrela anã extremamente fria, a TRAPPIST-1, localizada a cerca de 39 anos-luz do Sol, revela o estudo da equipa, divulgado pela revista científica Nature.. Apesar de a estrela ser ultrafria, o estudo sugere que em seis dos planetas extrassolares potencialmente habitáveis, os que estão mais perto da TRAPPIST-1, a temperatura à superfície pode oscilar entre os 0ºC e os 100ºC.. O grupo de cientistas estima que estes seis planetas sejam rochosos como a Terra.. A investigação surge na continuidade de uma outra, em que a equipa de astrónomos, liderada por Michaël Gillon, da Universidade de Liège, na Bélgica, concluiu haver três exoplanetas em torno da estrela anã, mais pequena do que o Sol.. Motivado pela descoberta, anunciada em maio, o grupo, do qual faz parte Catarina Fernandes, encetou uma campanha de monitorização fotométrica (medição da luz) da estrela, a ...
Um estudo publicado na revista científica "Proceedings of the National Academy of Sciences" (PNAS) aponta que Júpiter destruiu uma primeira geração de planetas do Sistema Solar, antes de recuar para sua órbita atual. A teoria ajudaria a explicar a configuração "incomum" do Sistema Solar quando comparado com as centenas de outros sistemas planetários já descobertos na Via Láctea.. "O sistema planetário padrão de nossa galáxia parece ter um conjunto de super-Terras (planetas rochosos pouco maiores que o nosso) com períodos orbitais (os "anos" destes planetas, que quanto menores se traduzem em uma maior proximidade da estrela) extremamente curtos. Com isso, nosso Sistema Solar parece ser cada vez mais incomum", explicou Gregory Laughlin, professor e chefe do Departamento de Astronomia da Universidade da Califórnia em Santa Cruz, EUA, e coautor do artigo na PNAS.. A teoria foi baseada em um cenário proposto por outro grupo de astrônomos em 2011. Júpiter teria "caído" mais perto do ...
Os planetas são pequenos astros do sistema solar que giram em torno do sol em órbitas elípticas e não mostram um tipo de atividade como os cometas. Apesar de os primeiros mil planetas não terem sido descobertos até 1923, o número destes astros dos quais se tem notícia aumenta de maneira exponencial devido aos avanços da técnica, segundo Jana Ticha, presidente da comissão da IAU para a nomeação de planetas e cometas.. Em 1991, já tinham sido encontrados cinco mil planetas, 10 mil em 1999, 20 mil em 2001, 50 mil em 2002 e quase 250 mil em 1º de janeiro de 2005, afirmou a cientista tcheca. O projeto americano Linear (Lincoln Laboratory Near Earth Asteroid Research), orientado a descobrir asteróides próximos à Terra, é o que mais contribuiu para conhecer a existência dos planetas, acrescentou a especialista.. ...
A estrela TRAPPIST-1 - classificada como uma anã ultrafria - é tão fria que pode haver água líquida nos planetas a orbitar muito perto dela. Os sete planetas de TRAPPIST-1 orbitam todos a sua estrela a distâncias menores que a de Mercúrio ao Sol, e estão também muito próximos uns dos outros. Uma pessoa de pé sobre a superfície de um deles, se olhasse para cima, poderia ver características geológicas ou nuvens num dos mundos vizinhos, que muitas vezes surgiriam maiores que a nossa Lua no céu.. Os planetas podem ainda estar em rotação sincronizada com a estrela, o que quer dizer que o lado do planeta voltado para a estrela é sempre o mesmo, ou seja, de um lado é sempre dia e do outro sempre noite. Isto pode significar que têm padrões climatéricos totalmente diferentes dos da Terra, como ventos fortes a soprar do lado diurno para o lado noturno e mudanças extremas de temperatura.. O Spitzer, telescópio espacial de infravermelhos, revelou-se o instrumento adequado para ...
O telescópio Kepler, da Nasa, detectou pela primeira vez desde que entrou em operação cinco planetas fora do nosso Sistema Solar. O tamanho dos planetas varia de um raio quatro vezes maior do que o da Terra até planetas muito maiores do que Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar ...
Um trânsito planetário é o evento que se dá quando um planeta "passa na frente" de um observador que esteja observando a estrela do seu sistema. Com um alinhamento favorável das órbitas, é possível perceber quando um exoplaneta passa na frente da sua estrela através de uma minúscula redução no brilho dela. Muita gente chama isso de "minieclipse", já que o planeta é incapaz de bloquear toda a luz da estrela. Essa é a técnica usada pelo finado telescópio espacial Kepler, recordista de descobrimentos de exoplanetas. Essa é também a técnica usado pelo seu sucessor, o satélite TESS.. ...
A Nasa, agência espacial norte-americana, anunciou nessa segunda-feira (6) a descoberta de um planeta do tamanho da Terra, a orbitar uma estrela a uma distância que torna possível a existência de água, em área identificada como habitável. O planeta é chamado de "TOI 700 d" e está relativamente próximo da Terra, a 100 anos-luz de distância, informou a agência.. A descoberta foi feita pelo satélite Tess, "projetado e lançado especificamente para encontrar planetas do tamanho da Terra e a orbitar estrelas próximas", explicou o diretor da Divisão de Astrofísica da Nasa, Paul Hertz. Outros planetas semelhantes foram descobertos antes, principalmente pelo antigo telescópio espacial Kepler, mas este é o primeiro do Tess, lançado em 2018.. O Tess descobriu três planetas a orbitarem a estrela, denominados "TOI 700 b", "c" e "d". Somente o "d" está na chamada área habitável. É quase do tamanho da Terra (20% a mais), circula a estrela em 37 dias e recebe o correspondente a 86% da ...
Sabe-se hoje, por exemplo, que planetas menores são bem mais comuns na Via Láctea que os gigantes. Contudo, as Terras não são mais comuns que as superterras. Aparentemente, o número de planetas vai aumentando em razão inversa do tamanho (ou seja, quanto menor, mais planetas) até atingir um valor crítico de pouco menos de 3 vezes o diâmetro da Terra. Daí para baixo, a prevalência é aproximadamente igual ...
Os planetas são, portanto, os andarilhos do céu que se movem e interagem pelos signos do zodíaco, atuando na vida humana. A partir de suas posições no espaço celeste consideradas em relação à Terra, pode-se, por interpretação simbólica, compreender a natureza do homem. Os planetas representam assim as funções psicológicas da personalidade humana. Em astrologia consideramos planetas os dez maiores corpos que compõem o sistema solar e aparentemente orbitam a Terra. São os Planetas que canalizam as características dos Signos. Cada Planeta representa um elemento da psique humana, uma parte da nossa consciência. ...
Os planetas são, portanto, os andarilhos do céu que se movem e interagem pelos signos do zodíaco, atuando na vida humana. A partir de suas posições no espaço celeste consideradas em relação à Terra, pode-se, por interpretação simbólica, compreender a natureza do homem. Os planetas representam assim as funções psicológicas da personalidade humana. Em astrologia consideramos planetas os dez maiores corpos que compõem o sistema solar e aparentemente orbitam a Terra. São os Planetas que canalizam as características dos Signos. Cada Planeta representa um elemento da psique humana, uma parte da nossa consciência. ...
O suposto planeta Nibiru se aproxima inevitavelmente da Terra e o mundo que conhecemos poderia ser eliminado em 23 de setembro de 2017, declara um astrônomo cristão que cita a numerologia bíblica.. O astrônomo se chama David Meade e já provocou um caos na Internet. O famoso e misterioso planeta, também conhecido como Planeta X, poderia ter chagado a nosso Sistema Solar e estar a ponto de colidir com a Terra.. +Espaçonave da NASA vai alterar trajeto para encontrar asteroide. Segundo o astrônomo, a enorme massa do planeta poderia ser a razão dos últimos desastres naturais que temos testemunhado nos meses de agosto e setembro, desde o imponente eclipse solar nos Estados Unidos até o furacão Irma, terremoto no México e mas furacões como José e Maria.. Nibiru é um planeta de grande intensidade magnética cuja existência ainda não foi confirmada pelos cientistas, mas que ganhou o fervor de teorias conspiratórias.. Há provas… bíblicas. A partir da teoria de Meade, no YouTube ...
Cientistas descobriram o primeiro "planeta cometário", astro que possui uma enorme cauda - uma fila de gás que vai sendo soprada dele por ventos solares a uma velocidade de 70 mil km/h.. Esse planeta está localizado a cerca de 153 anos-luz da Terra. Batizado de HD 209458b, ele orbita seu sol a uma distância 100 vezes menor do que Mercúrio do Sol. Isso faz com que ele tenha uma órbita de 3,5 dias de duração. Para você ter uma idéia, Mercúrio, que tem a menor órbita do nosso sistema, tem um ano de 88 dias.. Pelo novo planeta estar tão próximo do seu sol, os ventos estelares estão destruindo sua atmosfera e formando essa cauda (sua temperatura estimada é de cerca de 1100 graus Celsius). Cientistas teorizam que matéria lançada de um planeta para o espaço por ventos estelares formariam uma estrutura similar desde 2003 - mas só agora encontraram prova disso. [Gizmodo]. ...
Há alguns possíveis "suspeitos" em caso de HD 20782, Kane observou. Pode ser que não era originalmente mais de um planeta no sistema, e um planeta desenvolveu uma órbita instável, que trouxe os dois planetas muito próximos. Esta colisão ou quase colisão poderia ter expulso um planeta do sistema inteiramente e empurrou HD 20782 em seu caminho excêntrico. O planeta está em um sistema estelar binário, por isso também pode ser o caso de que a segunda estrela no binário feita uma abordagem perto que jogou HD 20782 fora de uma órbita mais circular ...
Extraterrestre ou extraterreno refere-se a tudo que é de fora do planeta Terra. A expressão comumente designa outros planetas, e os seres vivos, inteligentes ou não, que vivam lá. O estudo do fenômeno extraterrestre evoluiu muito nas últimas décadas com o crescimento do interesse da população pela vida fora do planeta Terra.. A ufologia é o nome popular utilizado para o estudo de indícios de vida fora do planeta. O nome academicamente aceito é "exobiologia". A literatura, o cinema e a televisão já exploraram muito a possibilidade de contato com seres inteligentes de outros planetas (chamados de ETs), porém muitas vezes estimulando a idéia de um contato hostil causando o protesto de alguns ufólogos.. Devido a essa influência negativa da mídia, boa parte da população teme um contato com seres extraterrestres. A ciência que se ocupa da vida fora da Terra chama-se Exobiologia. No Brasil e em Portugal usa-se a sigla OVNI para designar Objeto Voador Não-Identificado, equivalente ...
Descrição. O Município de Fafe volta a associar-se à iniciativa da organização global de conservação de natureza WWF - Hora do Planeta.. A Hora do Planeta é uma iniciativa da WWF que começou em 2007 em Sidney, na Austrália, quando 2,2 milhões de pessoas e mais de 2.000 empresas apagaram as luzes por uma hora numa tomada de posição contra as mudanças climáticas.. A Hora do Planeta tornou--se um movimento de sustentabilidade global com mais de 50 milhões de pessoas em 35 países a mostrarem o seu apoio a esta causa ao desligarem simbolicamente as suas luzes.. Para assinalar esta data, no próximo Sábado, dia 28, a partir das 20h30, durante 60 minutos, serão desligadas as luzes dos Paços do Concelho, Teatro Cinema, Arquivo e Biblioteca Municipal.. No âmbito da evolução da campanha Hora do Planeta e do conceito Liga-te ao Planeta o Município compromete-se, no correr deste ano, a disponibilizar publicamente o 2º carregador de automóveis elétricos do Município (Rua Prof. ...
Sobre os problemas do meio ambiente, duas questões colocadas parecem equivocadas ou, no mínimo, não corretamente formuladas. A primeira se refere à necessidade de se salvar o planeta. O planeta, efetivamente, não precisa ser salvo.. Leia: "O planeta não precisa ser salvo ".. O que tem que se repensado, senão recuperadas são as condições objetivas, no meio ambiente, que permitam a continuação da vida como a percebemos. O planeta só aparenta fragilidade. Na realidade ele é extremamente poderoso, com um poder "brutal" que pode inviabilizar a vida. As tragédias ambientais que se sucedem não deixam duvidas quanto a isso. A depredação irracional e a falta de cuidados pode gerar reações muito além das nossas pretensões - e da ciência - de prever e contornar ou corrigir.. A segunda, é sobre a "inversão" da primeira, quando se preconizam ações para deixarmos um planeta melhor - mais preservado - para os nossos filhos ou as próximas gerações. Será se a questão, também, ...
1. Planetas Fracos- Causas da Fraqueza dos planetas- Planeta Aflito Um planeta aflito é aquele que se encontra em conjunção ou aspeto exato ou próximo (numa orbe de 1º a 5º) com outro planeta funcional maléfico para o Ascendente em causa. Um planeta aflito torna-se fraco e não é capaz … Continuar a ler → ...
O telescópio Kepler, da Nasa, detectou pela primeira vez desde que entrou em operação cinco planetas fora do nosso Sistema Solar. O tamanho dos planetas varia de um raio quatro vezes maior do que o da Terra até planetas muito maiores do que Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar ...
The Exoplanets portal is dedicated to the study of sciences for exoplanets and planetary systems. The Exoplanets portal is managed by ESEP, a cluster of excellence for research, training and transfer of knowledge with 9 partner labs. Le portail Exoplanètes est dédié à létude des sciences pour les exoplanètes et les systèmes planétaires. Le portail Exoplanètes est géré par le LabEx ESEP, le regroupement de 9 laboratoires qui souhaitent mutualiser leurs compétences dans le domaine des environnements planétaires et leur savoir-faire dans le secteur spatial.
Os sumérios descreviam nosso sistema solar como um conjunto de 12 corpos celestes significativos. Na linguagem zodiacal, estes astros são todos chamadosplanetas, embora, entre eles, os antigos incluíssem a Lua e o Sol. Isso significa que os mesopotâmicos, não somente possuíam um inexplicável conhecimento astronômico; eles também afirmavam a existência de planetas que somente a ciência contemporânea pôde reconhecer, como o longínquo Plutão, hoje destituído de seu status planetário; os miteriosos Urano e Saturno e o até hoje desconhecido porém procurado 12º planeta, este que os sumérios denominavam Nibiru. Ora, se os sumérios, há 6 mil anos, estavam corretos em relação aos nove planetas reconhecidos hoje porque não poderiam estar, igualmente corretos, em relação a Nibiru? Meditemos ...
Se pudéssemos olhar a Terra de cima, veríamos uma grande esfera azul: é porque o mar toma conta de quase todo o planeta. Os oceanos compõem cerca de 70% da superfície da Terra, e os continentes ocupam o restante. Ou seja: quase 2/3 do planeta são cobertos de água. Mas a maior parte dessa água é imprópria para consumo. Do total, 97% é água do mar, muito salgada para beber e para ser usada em processos industriais; 1,75% está congelada na Antártica, na região do pólo Norte e em outros solos gelados; 1,243% fica escondida no interior da Terra. Sobram apenas 0,007% de água ´rópria para consumo. O planeta Terra possui mais água do que qualquer outra substância em sua estrutura. A camada externa da Terra é dura e rochosa e tem até 60 quilômetros de espessura.A baixo dos oceanos essa crosta não é tão grossa, e chega a 8 quilómetros. A água é também muito importante para a vida dos animais, pois eles dependem dela para a respiração, a digestão e a reprodução, e o ...
A quantidade exata de água existente no globo terrestre é de 1.332 quilômetros cúbicos, de acordo com o Instituto de Pesquisa Geológica dos EUA. 72% do nosso planeta estão cobertos por água, mas 97% dessa água toda é salgada, vinda dos mares e oceanos - e não é potável. Os oceanos possuem uma camada de 24 mil quilômetros ao redor da Terra, com uma média de profundidade de 3,2 quilômetros. Parece ser muita água, mas na verdade não é. Especialistas comparam a situação com uma maçã - se o nosso planeta fosse uma maçã, a água seria equivalente à casca da fruta. A água potável do planeta (aqueles 3% restantes) está separada da seguinte forma: 70% estão congelados; 1% está acessível para consumo imediato; 6 países (Brasil, Canadá, Rússia, Indonésia, China e Colômbia) possuem 50% de todas as reservas de água fresca do planeta. Além disso, temos que ter presente que um terço da população vive em países que consomem mais água do que o país oferece ...
Astrônomos descobriram a presença de um planeta que ainda não pode ser visto da Terra, mas sua existência pode ser explicada a partir de um fenômeno comprovado. O planeta Kepler-19b (que é possível ver) apresenta uma órbita irregular. Girando em torno da estrela Kepler-19, ele não se movia na velocidade prevista pelos cientistas. A explicação para a translação incomum só pode ser uma: a presença de um outro planeta a reboque, (mesmo que não possa ser visto). O "planeta invisível" foi batizado de Kepler-19c. Esse sistema solar fica a mais ou menos 650 anos-luz do nosso. ...