É importante examinar os efeitos do álcool no hipocampo, pois em estudos com animais, especialmente em ratos e macacos, esta região parece sensível aos efeitos neurotóxicos do álcool, e ela desempenha um papel fundamental na memória e aprendizado. Em outras palavras, o consumo excessivo de álcool pode afetar a memória de jovens adultos, o que pode prejudicar o seu dia a dia ...
Conhecido pelo conjunto de diagnósticos relacionados ao consumo excessivo e prolongado do álcool, o etilismo é uma doença que afeta todas as funções do organismo e os nossos sentidos como perda de consciência, falha na memória, alternância de humor além de distúrbios de ansiedade, sexuais e do sono.. A ingestão de bebidas alcoólicas pode ocasionar uma aparente excitação ou sensação de relaxamento, mas o uso constante pode causar causar uma variedade de problemas hepáticos incluindo o excesso de gordura no fígado (esteatose), hepatite alcoólica e em casos mais graves, a cirrose.. Os órgãos mais atingidos são o cérebro, coração, sangue e principalmente o fígado, que é responsável por destruir toxinas ingeridas ou produzidas pelo corpo. A endocrinologista do Hospital Santa Cruz, dra. Lilian Kanda Morimitsu explica que a medida que o álcool avança no corpo, a probabilidade do desenvolvimento de doenças hepáticas é muito maior pelo acúmulo de gordura no fígado e ...
O consumo de álcool por estudantes universitários é um tema que tem ganho destaque, pois é neste período em que os estudantes costumam estabelecer beber de forma sistemática e intensa. De acordo com o Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), além do fato de apenas 20% dos adultos bebedores tenham consumido 56% de todo o álcool vendido no país, a maioria tem menos de 30 anos. Uma pesquisa realizada em 2011 pela ANDIFES, mostrou que os alunos da UFOP, no Brasil, são os que mais admitem o consumo de bebidas alcoólicas. Super Interessante: Estudo traça comportamento dos brasileiros em relação ao álcool Jornal Estado de Minas: Morte de estudante da Ufop reacende discussão sobre exagero de álcool entre alunos Consumo excessivo de álcool preocupa as universidades Consumo excessivo de álcool preocupa as ...
A pesquisa dos psiquiatras Dusham Gupta e James Warner indica que o consumo excessivo de álcool pode causar a perda de tecido cerebral, o que, com o tempo, prejudicaria as faculdades mentais dessas pessoas.O álcool é considerado responsável por aproximadamente 10% de todos os casos de demência, e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas aumenta a incidência da doença."Dados os efeitos neurotóxicos do álcool e o aumento inexorável de seu consumo, futuras gerações poderão ver um aumento desproporcional dos casos de demência relacionada ao álcool", destacaram Gupta e Warner em seu trabalho.Embora o consumo moderado de álcool possa ter efeitos positivos, seu abuso é muito nocivo, já que eleva a pressão sangüínea, aumenta o nível de gorduras nocivas no sangue e danifica o tecido cerebral, acrescentaram ambos os psiquiatras em seu artigo ...
Diabético pode beber álcool, desde que com moderação Diabetes: como a dieta interfere na glicemia? Você sabe se proteger contra a hipoglicemia.você quer parar de beber pode ajudar a mantê-lo na em que você pode ser tentado a beber. Dieta Rápida: Cardápio Completo para Você Perder.O consumo de bebidas costuma ser comum na rotina Você pode até ter uma dieta bem montada e um Pense duas vezes antes de beber.Você pode beber chá verde com limão pela manhã para ajudar na dieta para perder barriga. 2) Sem falar que muitos têm álcool e açúcar em sua composição.. Você sabe quanto pode beber? a ingestão exagerada de álcool pode causar perda de memória, e isso tornará mais lenta a entrada do álcool na corrente.Enquanto você pode beber e Beber álcool pode na prática aumentar por ressacas piores quando em dieta cetogênica, então garanta que você.Você pode beber álcool durante a gravidez? por isso os especialistas recomendam dieta sempre saudável e saudável possível. ...
O álcool é absorvido principalmente no intestino delgado, e em menores quantidades no estômago e no cólon. A concentração do álcool que chega ao sangue depende de fatores como: quantidade de álcool consumida em um determinado tempo, massa corporal, e metabolismo de quem bebe, quantidade de comida no estômago. Quando o álcool já está no sangue, não há comida ou bebida que interfira em seus efeitos. Os efeitos do álcool dependem de fatores como: a quantidade de álcool ingerido em determinado período, uso anterior de álcool e a concentração de álcool no sangue. O uso do álcool causa desde uma sensação de calor até o coma e a morte dependendo da concentração que o álcool atinge no sangue. ...
O deputado Roberto Andrade apresentou, nesta terça-feira (25), requerimento em que pede a realização de uma audiência pública para debater formas de evitar o consumo excessivo de álcool entre adolescentes e jovens em Minas Gerais. O pedido foi apresentado e aprovado na reunião da Comissão de Esporte, Lazer e Juventude da Assembleia de Minas, com a coautoria do deputado Anselmo Gomes. A data do evento ainda não foi definida.. Na justificativa do requerimento, Roberto Andrade alega que milhares de adolescentes e, principalmente, jovens universitários estão sendo induzidos ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas em festas como calouradas, shows, micaretas e demais eventos estudantis que ocorrem em torno de estabelecimentos próximos às faculdades e universidades de todo o estado.. O parlamentar citou o exemplo do estudante Daniel Adolpho de Melo Vianna, da PUC Minas, assassinado após se desentender com o soldador Pedro Henrique Costa Lourenço, numa festa para calouros, no dia 7 de ...
Para evitar a propagação do novo coronavírus, a Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde recomendam que se lave as mãos várias vezes ao dia e que se use álcool nas mãos.. É importante lembrar que lavar as mãos várias vezes e usar álcool pode levar a um ressecamento e, se esse ressecamento se tornar extremo, vai desenvolver uma dermatite de contato por irritante primário, que se caracteriza por vermelhidão, descamação e coceira.. Isso em época de pandemia pode gerar dúvidas. Então, gostaria de recomendar, sempre que lavar as mãos, sempre que usar o álcool em gel para se proteger, use um hidratante sempre que possível. Assim, você vai estar mantendo as defesas na superfície da pele, uma barreira contra o ressecamento. E vai proteger sua mãos para passar esse período sem maiores problemas.. ...
O consumo de grandes quantidades de álcool pode causar mudanças no DNA das pessoas, levando-as a ter ainda mais vontade de beber, segundo um estudo recente publicado por pesquisadores da Universidade Rutgers (EUA) no periódico "Alcoholism: Clinical & Experimental Research".. Os pesquisadores analisaram os genes de consumidores moderados de álcool, de consumidores excessivos (os que bebem constantemente) e dos chamados "binge drinkers" - os que bebem uma grande quantidade de álcool em um curto espaço de tempo.. A conclusão foi de que os dois últimos grupos - os consumidores excessivos e os "binge drinkers" - haviam tido dois genes modificados sob influência do álcool, por um processo chamado de metilação.. Nesses grupos de pessoas, as mudanças genéticas levam a mudanças no relógio biológico do corpo, no sistema de resposta ao estresse e - o que é mais grave - na vulnerabilidade ao próprio álcool: as pessoas passam a buscar mais a bebida quando estão estressadas. Cria-se assim ...
Os 150 voluntários, com idades entre 18 e 89 anos, registraram suas atividades físicas e quantidade de bebida ingerida durante três períodos de 21 dias consecutivos distribuídos ao longo de um ano.. Um estudo anterior, que tentou investigar a associação entre consumo de álcool e exercícios físicos usando uma outra metodologia, concluiu que pessoas fisicamente ativas consomem mais álcool. O estudo de Conroy e sua equipe não chegou à mesma conclusão.. Talvez, ele explicou, porque o outro estudo pedia a participantes que relatassem todas as atividades físicas feitas e o álcool ingerido ao longo do mês anterior - com resultados menos precisos.. "Colocamos o zoom no microscópio e obtivemos uma visão mais detalhada e pessoal desses comportamentos dia a dia. Não procede dizer que os que se exercitam mais bebem mais. Na verdade, nos dias em que estão mais ativas, as pessoas tendem a beber mais do que nos dias em que estão menos ativas", disse o pesquisador.. "Esse resultado foi ...
O consumo de álcool após o diagnóstico de cancro da mama numa fase inicial da doença pode aumentar o risco de recorrência do tumor, refere um estudo apresentado no International Scientific Forum on Alcohol Research.. Num estudo epidemiológico norte-americano sobre a recorrência de cancro da mama, foram diagnosticados 1.897 casos na fase inicial da doença, entre 1997 e 2000. Após o diagnóstico da doença, as pacientes eram chamadas a cada dois anos para serem avaliadas quanto à associação entre a ingestão de álcool e a recorrência de cancro da mama e de morte.. As mulheres, consideradas consumidoras moderadas de álcool, foram seguidas durante uma média de 7,4 anos. O estudo relatou um aumento no risco de recorrência de cancro da mama e de morte pela doença, mas não foi verificado qualquer efeito sobre a mortalidade total associada ao consumo de três a quatro ou mais bebidas por semana, quando comparadas com as mulheres que não ingeriam álcool após o diagnóstico.. Estudos ...
Se você começar a se sentir tonto logo após consumir uma quantidade de álcool ao qual estava acostumado, pode ser porque a idade está chegando. Segundo um novo estudo, um corpo envelhecido é mais sensível ao álcool do que um mais novo.. A razão é que os idosos metabolizam o álcool mais lentamente, além de ter menos água em seus organismos. Até mesmo um adulto que consome apenas alguns copos de vinho tem uma maior percentagem de álcool em seu sangue do que um jovem bebendo a mesma quantia.. O álcool também pode piorar problemas de saúde relacionados com a idade. Idosos normalmente tomam mais medicamentos, por isso também podem ter mais problemas causados pela interação droga e álcool, como confusão, instabilidade ao caminhar, náuseas, e outros.. Por exemplo, consumir álcool ao mesmo tempo em que ingere medicamentos para a hipertensão, diabetes, gota ou insuficiência cardíaca pode piorar tais condições. Outros remédios combinados com álcool também representam ...
George F. Koob, Ph.D.. In this issue, two studies that use disparate methodologies have the potential to provide powerful leads into the etiology and diagnosis of alcohol use disorders. In a study by Squeglia et al. (1), heavy-drinking adolescents showed an accelerated gray matter reduction in the cortical lateral frontal and temporal lobes and attenuated white matter growth of the corpus callosum and pons relative to nondrinking control subjects.. acesse: 2015_jun_KOOB_Alcohol_Use_Disorders-_Tracts_Twins_and_Trajectories_.pdf. ...
O consumo excessivo de álcool é um dos mais importantes fatores de risco para a saúde no mundo. A relação entre esporte, atividade física e ingestão de álcool é clara e conhecida há muito tempo. O álcool continua a ser a droga mais consumida entre os atletas. Seu uso está diretamente relacionado a lesões em eventos esportivos e parece evocar efeitos prejudiciais na capacidade de exercício. Estudos experimentais em humanos comprovam efeitos agudos (dose única) e crônicos (doses repetidas por determinado período) do consumo de etanol. Tais estudos sugerem que o consumo de álcool diminui o uso de glicose (açúcar) e aminoácidos pelos músculos esqueléticos, interfere nos depósitos de energia e altera o metabolismo durante o exercício. Por outro lado, existem evidências que a atividade física pode atenuar os efeitos do álcool (estudos mostraram que as mitocôndrias, que são as unidades celulares responsáveis pela produção de energia, aumentaram sua capacidade de ...
Os efeitos não foram totalmente investigados. Uma coisa é certa: o álcool passa do sangue da mãe para o leite materno. Os níveis aumentam aproximadamente em paralelo, mas também diminuem novamente ao mesmo tempo.. O álcool afeta certos hormônios que estimulam a produção de leite materno. Se as mulheres que amamentam bebem álcool, a quantidade de leite pode diminuir.. Por razões éticas, os pesquisadores não podem, é claro, testar diretamente em bebês quanto álcool eles têm no sangue se a mãe tiver bebido antes da amamentação. No entanto, existem testes modelo que calcularam possíveis concentrações de álcool. O resultado: os bebês definitivamente ingerem álcool através do leite - mas provavelmente muito menos do que no ventre da mãe durante a gravidez.. O Instituto Federal de Avaliação de Riscos (BfR) escreveu em um artigo de síntese: Se uma mulher grávida bebe meio litro de cerveja e depois tem 0,36 por mil álcool no sangue, o feto tem cerca de 0,23 por mil no ...
Com o aumento dos casos de Coronavírus no Brasil e o decreto da Organização Mundial da Saúde como uma pandemia mundial, resolvi falar um pouco com vocês sobre o uso do álcool gel na pele para o combate desse novo microorganismo.. O álcool tem uma ação antimicrobiana, ou seja, sua composição pode matar bactérias e vírus presentes em superfícies, mas o álcool puro não é vendido. O que pode ser comprado é uma mistura de álcool, água e outras substâncias.. Os produtos mais comuns são os que contêm álcool etílico, porém, o álcool isopropílico também pode ser encontrado. Ambas as formulações têm a mesma finalidade e são eficazes.. Ao comprar a mercadoria contendo álcool, é importante ficar atento à quantidade de álcool na composição. O item com a porcentagem entre 60% e 70% é o mais indicado no combate ao coronavírus. Uma quantidade menor pode não ser efetiva e maior pode causar irritações na pele. É importante que uma parte da mistura seja composta de ...
Ainda foi possível descrever como o corpo tenta se proteger dos danos causados pelo álcool. ""Nosso estudo ressalta que não estar apto a processar álcool efetivamente pode levar a um risco ainda maior de dano ao DNA relacionado ao álcool e, portanto, de certos tipos de câncer. Mas é importante lembrar que a liberação do álcool e os sistemas de reparo de DNA não são perfeitos, e o álcool ainda pode causar câncer de formas diferentes, até mesmo em pessoas em que os mecanismos de defesa estão intactos", acrescentou Patel. Apenas no Reino Unido, afirmaram os pesquisadores, o álcool contribui para mais de 12 mil casos de câncer por ano. ...
Introdução - o que é e quais os efeitos do álcool Os efeitos do álcool - O álcool no corpo Danos no corpo - A ressaca Beber e conduzir - O vício do álcool O negócio do álcool Síndrome de abstinência - Voltar a controlar Álcool e violência O álcool altera o humor das pessoas. Quem bebe, torna-se uma pessoa barulhenta,…
Os pesquisadores identificaram 1.374 casos de melanoma invasivo durante 3.855.706 anos-pessoa de acompanhamento, e neles, uma maior ingestão de álcool foi associada com melanoma invasivo. Após o ajuste para outras bebidas, entre as bebidas alcoólicas, o consumo de vinho branco correlacionou-se com o aumento do risco de melanoma . ...
Precisa de ajuda para fazer brigadeiros com álcool? Nessas receitas de brigadeiros com álcool, você vai aprender 4 técnicas para fazer brigadeiros com álcool: colocando o álcool diretamente na receita colocando o álcool reduzido diretamente na receita recheando o brigadeiro com álcool usando ampolas com álcool Aulas e receitas desse curso: Os brigadeiros alcoólicos - as…
Os achados do estudo não detectaram associação entre a ingestão de doses baixas e moderadas de álcool e o declínio cognitivo, não corroborando um possível efeito protetor do álcool nestas doses. Por outro lado, o estudo sugere que a ingestão dessas doses (até 24 g/dia) são seguras do ponto de vista cognitivo (cerca de 200ml de vinho ou 400 ml de cerveja/dia). Um dos pontos interessantes deste trabalho é a separação que os autores estabeleceram entre abstêmios e ex-consumidores, que frequentemente são reunidos em um único grupo de "abstêmios", para efeito de análise estatística. Os ex-consumidores de álcool tem características muito diferentes dos abstêmios. São mais doentes e dependentes - como também observado neste trabalho - e interrompem a ingestão de álcool justamente por doença ou incapacidade física.. Diferentemente do observado neste trabalho, o Cardiovascular Health Study (CHS) considerou que a ingestão de até 6 doses de álcool por dia (não ...
A Bebida Alcóolica atrapalha na malhação? Pode beber socialmente? O que acontece com o álcool dentro do organismo? Veja nessa matéria!
Segundo o Lenad, quase um terço (27%) dos homens com menos de 30 anos que bebem já se envolveram em brigas com agressão. O número é alto em comparação com os indivíduos na mesma faixa etária que não ingerem álcool - só 6% estiveram em brigas, em 2012. A posse de arma de fogo e o ato de andar armado também sobem quando a análise inclui homens com menos de 30 anos que bebem, informa o estudo. Entre os indivíduos que não ingerem álcool, só 5% admitiram usar arma. Já entre os que têm menos de 30 anos e bebem, 10,3% andam armados. De acordo com os pesquisadores, em 50% dos casos de violência doméstica (3,4 milhões de pessoas) registrados em 2012 houve ingestão de álcool por parte do agressor, o que sugere uma relação entre a agressão em casa e a bebida. "Estamos despreparados para atender pessoas que querem parar de beber", ressaltou Laranjeira, referindo-se às políticas públicas do Brasil. "A gente combate a violência doméstica, mas o álcool como origem destes ...
O consumo crônico de álcool resulta na redução e atrofia de partes específicas do cérebro que podem levar à alteração do equilíbrio e marcha, dificuldade de raciocínio, cálculo e memória, muitas vezes progressivos e irreversíveis, além de quadros graves que evoluem para coma e morte se não forem tratados com rapidez e eficiência." De acordo com a médica, alguns desses sintomas são encontrados na Síndrome de Wernicke-Korsakoff (neuropatia relacionada à carência de vitamina B1), com achados específicos na ressonância magnética que permitem o diagnóstico e tratamento rápido e eficaz. As regiões do cérebro mais afetadas pelo consumo excessivo de álcool são responsáveis por alterações na memória, comportamento, déficit cognitivo, dificuldade para articular palavras e movimentos. ...
Mulheres que consomem álcool em excesso têm duas vezes mais chances de desenvolver câncer de mama, diz estudo.. O consumo excessivo de álcool (etilismo) está relacionado ao câncer de mama, segundo estudo recente realizado com beneficiários do plano de saúde de autogestão, Capesesp. De acordo com o estudo, que levou em conta os hábitos de quase 19 mil beneficiários ao longo de dez anos, as mulheres que consomem álcool por tempo e quantidade excessiva têm duas vezes mais chances de desenvolver câncer de mama.. A pesquisa também mostrou relação entre obesidade e o desenvolvimento de câncer de ovário. Ao todo, 26% das beneficiárias avaliadas que apresentaram este tipo de câncer, também estavam obesas.. Fatores de risco. O estudo analisou durante 10 anos a associação do câncer a fatores de risco, tais como tabagismo, sedentarismo, etilismo, exposição excessiva ao sol, sobrepeso e obesidade. Foram avaliados 4.685 beneficiários com diagnóstico positivo de câncer e outros ...
Bebe muito? Pois saiba que é possível diminuir alguns danos na substância branca cerebral causados pelo consumo excessivo de álcool. Segundo uma pesquisa americana, exercício aeróbico, como correr, pode ajudar na tarefa. Os dados são do jornal Daily Mail. O levantamento avaliou 60 voluntários e concluiu que a relação entre ingestão de álcool e problemas na substância branca depende de quanto a pessoas se exercita. "Tem-se demonstrado que o exercício protege a substância branca do cérebro de danos associados com o envelhecimento e várias doenças. Consumo pesado e crônico de álcool leva a dano neural que se parece com o declínio visto em pessoas mais velhas", disse a cientista Hollis Karoly, da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos. Susan Tapert, professora de psiquiatria na Universidade da Califórnia, também nos Estados Unidos, disse que os resultados sugerem que pessoas com problemas relacionados ao álcool poderiam usar o exercício para diminuir efeitos cerebrais ...
Comparado com mulheres abstêmias, as que bebem 1 dose de álcool por dia tem um pequeno aumento no risco. Aquelas que bebem 2 a 5 doses diariamente tem um aumento de 1,5 vezes no risco, comparadas às que não bebem nada. Mulheres que começaram a beber antes da primeira gravidez a termo mostraram estar em um risco maior que aquelas que começaram a beber após o primeiro filho.. Segundo a Organizacao mundial de saúde (OMS), uma dose contém de 10 a 12g de álcool puro, o equivalente a uma lata de cerveja (330ml), uma taça de vinho (100ml) ou uma dose de destilado (30ml). O excesso de álcool também é conhecido por aumentar os riscos de outros tipos de canceres.. Algumas recomendações importantes:. -Evite o consumo diário de álcool, mesmo em pouca quantidade ...
O carnaval chegou e com ele aquela vontade louca de relaxar e curtir. Nesta hora, muitos querem uma cervejinha gelada, petiscos, churrasco e muito samba no pé. O problema e que depois de tudo isso é preciso voltar pra casa. Nesta hora, prudência é tudo. Quem ingere álcool e tem responsabilidade sabe que com umas e outras "na cuca" não se pode dirigir. Porém, muitos deixam a prudencia de lado e saem a toda pelas ruas. Resultado: violência ao voltante, perda da CNH, do carro e, pior, de vidas vitimas do álcool. A proibição de se dirigir após ingestão de álcool foi estabelecida pela Lei 9.503/1997, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) que à época previa, em seu artigo 165, que "dirigir sob a influência de álcool é infração gravíssima". Bastava 0,6 gramas de álcool por litro de sangue para que o motorista fosse multado. Hoje, as regras são mais duras: a Lei 1.705/2008, em vigor, diz que qualquer quantidade de álcool presente no sangue do motorista o sujeita às ...
Na UFMG, o processo de produção será conduzido pela Faculdade de Farmácia. Segundo a diretora da unidade, Leiliane Coelho André, a produção do álcool em gel e álcool glicerinado 70% ficará a cargo do Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Farmacêutica (CPDI-FAR), que domina a tecnologia para formulação e produção. O álcool 80% será processado pelo Laboratório de Análises Toxicológicas (Lato), onde também ocorreu a análise do álcool recebido da BR Distribuidora. "A análise do álcool serviu à verificação da qualidade do produto e da não presença de contaminantes como metanol e hidrocarbonetos aromáticos", esclarece a diretora. Ainda segundo Leiliane André, além da Faculdade de Farmácia, parte da matéria-prima doada pela BR Distribuidora foi destinada à Escola de Veterinária, que, por iniciativa da diretora, a professora Zélia Inês Portela Lobato, também contribuirá para a produção do álcool 80%.. O volume doado será suficiente para produzir ...
A Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (Soperj) lançou no início deste mês uma campanha para alertar as mulheres grávidas e as que pretendem engravidar sobre os riscos da ingestão de bebidas alcoólicas para o feto. Segundo a diretora da Soperj, Leda Amar de Aquino, como não se sabe a quantidade segura de bebida alcoólica que uma grávida pode tomar, a recomendação é "álcool zero". O alerta, segundo ela, é referendado pela Academia Americana de Pediatria e pelo Colégio Americano de Obstetras e de Ginecologistas.. Quando a grávida ingere álcool, a substância atravessa a placenta, e pela imaturidade e pelos baixos níveis das enzimas do feto, o metabolismo e a eliminação do álcool são mais lentos. Isso faz com que o bebê fique mais exposto aos efeitos da bebida, que são mais frequentes no cérebro e no coração.. Um dos principais problemas que o consumo de álcool durante a gestação pode trazer ao bebê, segundo Leda, é a SAF (Síndrome Alcoólica Fetal), ...
O carnaval tá aí e, com muita frequência, a festa envolve o consumo de bebida alcoólica. A principal dúvida que surge para quem está tomando medicação é: será que posso beber? E o anticoncepcional, será que perde o efeito? Quais serão as consequências da interação da bebida com o antidepressivo?. Para sanar essas e outras questões, a farmacêutica Luciane Gomes, diretora da Anfarmag - Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais do Paraná, explica que as consequências da interação entre álcool e medicamentos dependem de vários fatores. Entre eles está a composição do medicamento, o organismo do paciente e a quantidade de álcool ingerida. Por isso, de forma geral, a recomendação é evitar misturar álcool com medicamento. O principal órgão prejudicado é o fígado, que metaboliza, por meio das enzimas que produz, o álcool e grande parte dos medicamentos, ficando sobrecarregado. O álcool também afeta especialmente o sistema nervoso central, que comanda nossas ...
Com a chegada do feriado de carnaval, muitas pessoas exageram nas comemorações com o abuso de bebidas alcoólicas. Muitos homens e mulheres entendem que os perigos deste excesso se limitam a acidentes automobilísticos, brigas e a famosa ressaca do dia seguinte. Entretanto, o médico gaúcho João Sabino da Cunha Filho, diretor do Centro de Reprodução Humana Insemine, explica que o álcool pode afetar de forma direta a fertilidade de ambos os sexos.. "No homem, o álcool reduz os níveis de testosterona e a qualidade e quantidade do espermatozoide. Pois, as células produtoras de testosterona atrofiam e há uma diminuição dos hormônios masculinos. O álcool pode, também, afetar o desejo sexual e levar a impotência por danos causados nos nervos ligados a ereção", menciona Sabino.. Já nas mulheres, esclarece o médico, o álcool pode afetar a produção hormonal feminina, causar a infertilidade, afetar as características sexuais, suspender a ovulação ou a qualidade dos óvulos. "Em ...
CISA - Centro de Informações sobre Saúde e Álcool Na cultura ocidental, a dependência de álcool é tema de saúde pública de relevância. Embora muito se conheça a respeito dos efeitos sociais e de saúde decorrentes do consumo de álcool, ainda pouco se sabe a respeito da interferência das condições do ambiente de trabalho sobre o uso e a dependência de álcool, principalmente no que se refere às suas características psicossociais.. Com o propósito de descobrir a associação da dependência de álcool às medidas psicossociais de trabalho, os autores realizaram um estudo prospectivo com 10.308 funcionários civis ingleses, de setores não-industriais, de faixa etária entre 35 a 55 anos. Adotaram-se 2 modelos teóricos para o estudo da relação do estresse do ambiente de trabalho à dependência de álcool, através da análise de medidas psicossociais como a demanda do serviço, suporte social pelo supervisor ou colegas de trabalho, possibilidade de decisão e prática das ...
Um estudo realizado nos Estados unidos e publicado na revista Obesity, da Sociedade de Obesidade, apontou que mulheres que ingerem bebidas alcoólicas com mais frequência tendem a ter o chamado efeito aperitivo. Ou seja, acabam comendo mais do que necessitam.. A excessiva vontade de comer, de acordo com a análise, deve-se ao fato de que o álcool sensibiliza a resposta do cérebro a estímulos alimentares, como aroma.. Para isso, 35 mulheres, não-vegetarianas e não-fumantes, foram analisadas e receberam álcool por via intravenosa. Posteriormente, todas almoçaram, variando entre massas com molho de carne e talharim com carne.. Ao final, foi constatado que houve diferenças individuais, mas foi notório que quando as participantes receberam álcool, comeram bem mais do que quando analisadas sem a aplicação da substância.. Segundo o cientista autor da pesquisa, William Eiler, da Universidade de Indiana, o cérebro é o responsável pelo processo alimentício após o consumo de álcool. ...
Um grupo internacional de cientistas afirmou que o álcool causa tantas mortes e doenças quanto o cigarro. O estudo foi publicado na semana passada pela revista The Lancet. Segundo o estudo, os únicos fatores que causam mais danos á saúde do que o álcool e cigarro são a obesidade e o sexo sem proteção. Os pesquisadores descobriram que cerca de 4% das contas destinadas à saúde em todo o mundo são dedicadas ao tratamento de doenças relacionadas ao álcool, comparados aos 4,1% de doenças relacionadas ao tabaco e 4% relacionados á pressão alta. Como o álcool está ligado a mais de 60 doenças diferentes, os cientistas que fizeram a pesquisa estão agora fazendo um apelo por medidas internacionais para reduzir os danos provocados por ele. O álcool pode ser associado a câncer, doenças do coração, desordens psiquiátricas, acidentes e ferimentos causados por violência. E, segundo o estudo, esses problemas de saúde são mais comuns em países onde as pessoas bebem mais. Em países ...
Compressas em Corumbá. Encontre telefones, endereços e informações sobre Compressas em Corumbá e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Compressas.
LONDRES - Cientistas mostraram como o álcool danifica o DNA em células-tronco, o que ajuda a explicar o motivo pelo qual ingerir bebidas alcoólicas aumenta o risco de desenvolver um câncer, de acordo com uma pesquisa parcialmente financiada pela instituição Cancer Research, do Reino Unido, e publicada na revista científica Nature, nesta quarta-feira.. Muitas pesquisas anteriores, feitas em culturas de células, se dedicavam às formas em que o álcool poderia causar câncer. Mas, neste estudo, pesquisadores usaram ratos de laboratório para mostrar como a exposição ao álcool leva a um dano genético permanente.. Cientistas do Laboratório de biologia molecular MRC, em Cambridge, deram álcool diluído, quimicamente conhecido como etanol, aos ratos. Eles então usaram uma análise de cromossomos e sequenciamento de DNA para examinar o dano genético causado por acetaldeído, um químico prejudicial produzido quando o corpo processa o álcool.. Eles descobriram que o acetaldeído pode ...
Autora do livro Comer, Treinar, Dormir, Samira Layaun nasceu na cidade de São Paulo e formou-se médica pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo (USP). Desenvolveu atividades nas áreas de Epidemiologia, Saúde do Trabalhador, População e Saúde, Clínica Médica, Psiquiatria, Oftalmologia e participou do sub programa de controle da Hipertensão Arterial e Diabetes do Centro de Saúde-Escola da FMRP-USP. Obteve os títulos de Sanitarista e Oftalmologista por sua atuação com médica residente junto aos Departamentos de Medicina Social e Preventiva do Hospital das Clínicas da FMRP-USP e Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMRP-USP. É praticante de corridas desde 1982. ...
Quando há alterações das sensibilidades vibratória, de posição segmentar e tátil discriminativa, deve ser considerado, como alternativa o diagnóstico de síndrome cordonal posterior. O comprometimento motor conduz à paresia ou plegia de predomínio distal, com hipotonia e ausência ou redução da intensidade da resposta dos reflexos de estiramento. O padrão centrípeto, que pode levar a uma tetraparesia, o predomínio de lesão de fibras finas, presumível pelo quadro clínico, a ausência de redução da velocidade de condução nervosa e evidência anatômica de que há maior redução axonal distalmente no mesmo nervo são sugestivos de que a polineuropatia alcóolica seja secundária à degeneração axonal ...
Antes de mais nada, precisamos deixar claro que os nossos leitores que isso nunca deve ser feito. Quando as pessoas bebem, claramente, elas ficam bêbadas, mas isso demora entre 20 minutos a 1 hora para que o corpo absorva o álcool através do estômago. Injetar álcool faz com que ele vá direto para corrente sanguínea, o que deixa a pessoa bêbada imediatamente. Mas também pode ser fatal.. Quando as pessoas bebem em excesso, basicamente existe uma disputa entre estômago e fígado. O estômago coloca o álcool em seu sistema, e o fígado tenta tirá-lo. Uma hora pode ser um bom tempo para que seu corpo previna a intoxicação por álcool. Uma injeção imediata não oferece o mesmo tempo.. É importante saber que o uísque não esteriliza as coisas como vemos em filmes de faroeste. Nosso corpo filta muitos compostos encontrados no álcool, como bactérias, que podem estar na agulha ou mesmo na bebida. Colocar álcool diretamente nas veias é uma péssima ideia para quem quer continuar ...
O objetivo principal deste trabalho foi o estudo da modelagem e simulação de produção e acúmulo de pó no leito de partículas inertes no processo de secag...
As consequências do consumo excessivo de álcool abrangem desde queda no desempenho acadêmico, perda de vivências sociais e cognitivas apropriadas, relações sexuais sem proteção ou ainda indesejadas, até a morte, seja por acidentes, lesões, ou mesmo coma alcoólico - grau tão severo de intoxicação que afeta de forma fatal o funcionamento de todo o corpo e do cérebro. Especialmente entre os jovens, há um problema frequente e associado a repercussões graves: o beber pesado episódico (consumo de grande quantidade de álcool em pouco tempo). Dados do I Levantamento Nacional sobre o Uso de Álcool, Tabaco e Outras Drogas entre Universitários das 27 Capitais Brasileiras, revelam que 25% dos estudantes relataram tal padrão em pelo menos uma ocasião no mês anterior à entrevista, ou seja, um em cada quatro estudantes está frequentemente exposto a comportamentos de risco e outros prejuízos. ...
The objective of this study is to identify the use of alcohol and tobacco among adolescents. It is a descriptive study that was developed with 1533 adolescents, both male and female, based on the following inclusion criteria: aged between 10 and 20 years old, registered and regularly attending elementary or high school at state schools in the morning period, in the regions of Santo Eduardo and Santa Emília, in the municipality of Embu. Results showed that 4.8% smoked and 58.3% tried an alcoholic drink. The age mean for the initiation in the use of alcohol was 13.1 years old (s=1.9) and the age mean for the initiation in the use of tobacco was 12.6 years old (s=1.5). The conclusion was that the study population presented a low consumption of tobacco and a high consumption of alcohol, an early initiation in the use of alcohol and tobacco, the alcoholic ingestion took place, mainly, in parties, with friends, and even at home, with relatives. It was also observed that wine is the favorite drink of ...
Um estudo recente do New England Journal of Medicine deixou muita gente confusa. Os consumidores habituais de álcool encontraram um aval para suas bebedeiras e os indivíduos que não consumem álcool passaram a se perguntar se deveriam iniciar. O estudo que acompanhou os hábitos de etilismo de 38.000 homens saudáveis por 12 anos demonstrou que aqueles que bebiam pelo menos 3 ou 4 vezes por semana tiveram menos ataques cardíacos do que aqueles não consumidores de álcool. Porém, os pesquisadores não recomendam que se aumente a quantidade de bebidas que os indivíduos ingerem.. Quando e como beber é uma pergunta complexa e a resposta deve ser baseada em seu estado de saúde, história médica, história familiar, idade, sexo e outros fatores. O álcool é uma faca de dois gumes já que pode beneficiar e também devastar uma sociedade. O número de mortes associadas ao álcool devido a acidentes e violências é estimado em 100.000 casos por ano nos EUA - mais do que o número de ...
Para entender os efeitos do álcool no corpo de um esportista, uma pesquisa acompanhou um jogador de futsal consumindo bebida alcoólica antes de um treino importante, sob a supervisão de um médico. O atleta saiu para beber e, na manhã seguinte, não teve um bom desempenho ao longo do treino. Cada pessoa tem uma reação diferente à quantidade de bebida ingerida, e não é necessária uma grande quantidade para influenciar no rendimento do praticante.. A dose é muito variável de pessoa para pessoa. Inicialmente, pensava-se que, para haver repercussões negativas no esportista, deveria ser consumida grande quantidade de álcool. Hoje, sabe-se que, mesmo com pequenas doses, o atleta já é prejudicado. O álcool causa desidratação, e a pesquisa mostrou a importância de ingerir água durante o consumo de bebidas alcoólicas. Desidratado, o praticante fica mais propenso a ter lesões musculares.. Após a desidratação, o esportista apresenta uma fraqueza muscular que piorará ...
As mulheres que consumiram álcool tiveram menos horas de sono, acordaram com mais frequência e por períodos mais longos durante a noite - apresentando mais interrupções do sono em comparação aos homens que consumiram álcool. O estudo está disponível online e será publicado na edição de maio da revista especializada Alcoholism: Clinical & Experimental Research.. "Estas diferenças (de gênero) nos resultados podem estar relacionadas às diferentes formas de metabolização do álcool, já que as mulheres apresentam um declínio mais rápido da concentração de álcool no sangue (BAC) após o consumo de álcool", disse J. Todd Arnedt, professor assistente de psiquiatria e neurologia da Universidade de Michigan e autor do estudo.. "É importante ressaltar que o pico do BAC foi equivalente entre homens e mulheres em nosso estudo, então as descobertas não estão vinculadas a índices de BAC mais altos entre as mulheres. Nós também não acreditamos que as diferenças foram ...
Olá visitantes do nosso blog formula grátis, algumas pessoas tem questionado o porque de se usar álcool de cereais em muitas de nossas formulações e o porque de não usar álcool comum? Então achamos por bem depois de falar sobre o pra que serve diversas matérias primas, como por exemplo o que é ácido sulfônico, também o … Ler mais o que é e pra que serve álcool de cereais ...
Veja nosso ultimo artigosobre Excesso de álcool pode provocar câncer em diversas partes do corpo! Fique por dentro de novidades e noticias no mundo da saúde, ac
De acordo com a BBC Brasil, um estudo feito pela Organização Mundial de Saúde revelou que o consumo de bebida alcoólica aumenta as possibilidades da pessoa desenvolver ansiedade, depressão, pancreatite e cirrose. Além disso, os indivíduos que fazem o uso do álcool se envolvem mais com episódios violentos e de suicídio.. Alguns cânceres de boca também estão ligados ao consumo excessivo de álcool: mama, fígado, cólon, nariz, esôfago, laringe e boca. Para se ter uma ideia, as mulheres que bebem apenas uma dose de álcool por dia aumentam em 4% as chances de ter câncer de mama. Se esse consumo passa a ser excessivo, o percentual sobre para 50%.. Mais de 200 doenças estão relacionadas ao consumo de álcool, como tuberculose, pneumonia e as sexualmente transmissíveis.. Por isso, o ideal é que você não consuma álcool, mas se for inevitável, você pode tomar o shake antirressaca indicado pela especialista.. Fonte: http://www.remedio-caseiro.com ...
o tomando uma cerveja bem gelada: uma pesquisa da Universidade de Cambrigde comprovou a relação entre o consumo de álcool e o surgimento de tumores.. A partir de testes com cobaias, os cientistas mostraram que a ingestão de álcool danifica o DNA das células-tronco, o que eleva o risco de câncer. O estudo foi publicado no periódico científico Nature nesta semana e teve apoio financeiro do instituto Cancer Research, da Inglaterra.. A ideia de que o álcool pode causar câncer não é nova. De fato, ninguém acorda depois de uma bebedeira achando que fez um grande serviço à própria saúde. Pesquisas anteriores, principalmente estudos populacionais que associavam a prevalência de câncer ao consumo alcoólico, já sugeriam que existe uma relação entre a bebida e o surgimento da doença em mais de dez partes do corpo, inclusive os mais comuns no Brasil como intestino e mama.. A novidade é que agora os cientistas conseguiram analisar como um derivado do álcool, o etanal ou ...