Defeito congênito em que a BEXIGA URINÁRIA é malformada, exposta de dentro para fora e protruída através da PAREDE ABDOMINAL. É causado por defeitos no fechamento envolvendo a superfície anterossuperior da bexiga, bem como a parede abdominal inferior, PELE, MÚSCULOS e o osso púbico.
Defeito congênito devido à malformação da URETRA em que a abertura uretral encontra-se acima da localização normal. Nos homens, a malformação da uretra geralmente se abre acima ou abaixo do PÊNIS, porém a uretra também pode ser aberta por todo o comprimento do pênis. Nas mulheres, a abertura da malformação uretral frequentemente ocorre entre o CLITÓRIS e os lábios, ou ainda, no ABDOME.
Os MÚSCULOS, ossos (OSSO E OSSOS) e cartilagens (CARTILAGEM) do corpo.
Espaço ou compartimento rodeado pela cintura pélvica (pelve óssea). É subdividida em pelve maior e PELVE MENOR. A cintura pélvica é formada pelos OSSOS PÉLVICOS e o SACRO.
Cirurgias executadas no trato urinário ou seus órgãos em indivíduos do sexo masculino ou feminino. Para cirurgia da genitália masculina está disponível o termo PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS UROLÓGICOS MASCULINOS.
Corte cirúrgico de um osso. (Dorland, 28a ed)
Cavidade dilatada que se estende em sentido caudal a partir do intestino posterior. Em aves adultas, répteis, anfíbios e muitos peixes, mas poucos mamíferos, a cloaca é uma câmara para dentro da qual os tratos digestório, urinário e reprodutivo descarregam seus conteúdos. Na maioria dos mamíferos, a cloaca dá origem ao INTESTINO GROSSO, BEXIGA URINÁRIA e GENITÁLIA.
Saco musculomembranoso ao longo do TRATO URINÁRIO. A URINA flui dos rins para dentro da bexiga via ureteres (URETER) e permanece lá até a MICÇÃO.

Extrofia vesical é uma anomalia congénita rara em que a bexiga está parcial ou totalmente exposta fora do corpo através de uma abertura na parede abdominal inferior. Normalmente, a bexiga é um órgão interno, mas em indivíduos com extrofia vesical, a parte anterior da bexiga se desenvolveu para fora do corpo durante o desenvolvimento fetal. Essa condição geralmente é identificada ao nascer e requer tratamento cirúrgico imediato. Além disso, os indivíduos com extrofia vesical podem apresentar outras anormalidades congénitas associadas, como problemas nos sistemas urinário, reprodutivo e musculoesquelético.

Epispadia é uma anomalia congênita rara do sistema urinário. Nesta condição, a uretra (o canal que transporta a urina para fora do corpo) não se fecha completamente durante o desenvolvimento fetal, resultando em uma abertura anormal na parte superior do pênis nos machos ou no clítoris nas fêmeas.

Existem três tipos de epispadia: distal (a uretra abre-se perto da ponta do pênis), peniana (a uretra abre-se ao longo do comprimento do pênis) e proximal (a uretra abre-se na base do pênis). A epispadia pode ocorrer isoladamente ou em associação com outras anomalias, como a exstrofia vesical, uma condição em que a bexiga está aberta e exposta no exterior do corpo.

O tratamento para epispadia geralmente inclui cirurgia reconstrutiva para fechar a uretra e reposicionar o pênis ou clítoris em sua posição normal. A idade ideal para a cirurgia depende da gravedade da anomalia e do tipo de procedimento cirúrgico a ser realizado, mas geralmente é realizada durante os primeiros anos de vida. Embora a cirurgia possa proporcionar melhorias significativas na função urinária e no aspecto estético, ela pode estar associada a complicações, como incontinência urinária e problemas sexuais.

O Sistema Musculoesquelético é um complexo sistema anatômico e funcional que consiste em dois componentes principais: o sistema muscular e o sistema esquelético.

1. O Sistema Muscular é composto por aproximadamente 700 músculos esqueléticos, que se ligam aos ossos e permitem o movimento corporal através da contração e relaxamento das fibras musculares. Esses músculos também desempenham um papel importante na proteção dos órgãos internos, manutenção da postura, geração de calor e suporte metabólico.

2. O Sistema Esquelético é formado por cerca de 206 ossos que fornecem estrutura, proteção e suporte ao corpo humano. Os ossos articulam-se em juntas sinoviais (articulações), permitindo uma variedade de movimentos controlados pelos músculos adjacentes.

A interação entre os sistemas muscular e esquelético permite a locomoção, o equilíbrio, a sustentação do corpo e a realização de atividades físicas diárias, como levantar objetos, andar, correr e manusear itens. Além disso, esses sistemas trabalham em conjunto com outros sistemas corporais, como o sistema nervoso, para coordenar as respostas a estímulos internos e externos, garantindo assim o bom funcionamento do organismo.

A pelve, em anatomia humana, refere-se à parte inferior e posterior do tronco, abaixo do abdômen, composta por um anel ósseo formado pela sacro ilíaca e os dois côndilos femorais. É a região que suporta o peso do corpo e conecta os membros inferiores ao tronco. Além disso, abriga e protege os órgãos genitourinários e parte do sistema digestivo inferior. Em medicina, o termo "pelve" pode ser usado para se referir especificamente à cavidade pélvica ou, de forma mais geral, ao conjunto dos ossos, músculos e outras estruturas que a compõem.

Os Procedimentos Cirúrgicos Urológicos referem-se a um conjunto de procedimentos cirúrgicos que são realizados no sistema urinário e genital masculino. Eles envolvem técnicas cirúrgicas especializadas para tratar uma variedade de condições, como doenças do rins, bexiga, uretra, próstata e outros órgãos reprodutivos masculinos.

Alguns exemplos comuns de procedimentos cirúrgicos urológicos incluem a remoção de cálculos renais (litotripsia), a remoção da próstata (prostatectomia), a reconstrução do trato urinário, a cirurgia para incontinência urinária e a cirurgia para o tratamento do câncer urológico, como o câncer de bexiga, rins ou próstata.

A cirurgia urológica pode ser realizada por diferentes métodos, incluindo cirurgia aberta, laparoscópica e robótica. A escolha do método depende da complexidade da condição a ser tratada, da localização do problema e dos fatores de saúde geral do paciente.

É importante notar que os procedimentos cirúrgicos urológicos devem ser realizados por um especialista treinado em urologia, o qual é um médico com formação especializada no tratamento médico e cirúrgico das doenças do sistema urinário e genital masculino.

Osteotomia é um termo médico que se refere a um procedimento cirúrgico em que é feita uma corte ou separação intencional em um osso. Essa técnica é usada para corrigir deformidades ósseas, alinhar os ossos de forma adequada e realinhar articulações deslocadas ou com problemas de alinhamento. A osteotomia pode ser realizada em diferentes partes do esqueleto, dependendo da necessidade clínica e do objetivo terapêutico.

Existem vários tipos de osteotomias, incluindo:

1. Osteotomia de corte simples: Neste procedimento, um único corte é feito no osso, permitindo que uma pequena porção do osso seja movida ou realinhada.
2. Osteotomia em forma de "V" ou em "Y": Nestes casos, mais de um corte é realizado no osso, formando uma configuração em "V" ou "Y". Isso permite que uma maior porção do osso seja movida ou ajustada, proporcionando maior correção da deformidade.
3. Osteotomia rotacional: Neste procedimento, o corte no osso é feito em forma de anel, permitindo que uma parte do osso seja girada e realinhada em sua posição original ou em uma nova posição desejável.

Após a realização da osteotomia, geralmente são utilizados dispositivos de fixação óssea, como placas e parafusos, para manter a nova posição do osso enquanto se recupera e se consolida. A osteotomia pode ser realizada em diversas regiões do esqueleto, incluindo o joelho, quadril, tornozelo, pé, punho, pulso e maxilar superior. O objetivo é tratar condições ortopédicas ou traumatológicas, como artrose, displasia do quadril, deformidades adquiridas ou congênitas, fraturas complexas e pseudartroses.

Em medicina, a cloaca é uma anomalia congênita rara em que a parte inferior do intestino e os sistemas urinário e genital não se desenvolveram separadamente durante o desenvolvimento fetal, resultando em um único orifício de saída para as fezes, urina e esperma ou fluido menstrual. Normalmente, esses três sistemas têm seus próprios canais de saída separados. A cloaca é geralmente detectada ao nascer e requer tratamento cirúrgico imediato para corrigir a anomalia.

A vejiga urinária é um órgão muscular do sistema urinário responsável por armazenar a urina produzida pelos rins antes de ser eliminada do corpo. Ela se encontra na parte inferior do abdômen, atrás da sínfise púbica e à frente do reto, no caso dos homens, ou do útero e vagina, no caso das mulheres.

A vejiga tem forma aproximadamente esférica e sua capacidade varia de 300 a 500 mililitros em adultos saudáveis. A parede da bexiga é formada por músculos lisos que se relaxam para permitir o armazenamento de urina e se contraem durante a micção, expulsando a urina para fora do corpo pelo uretra.

A bexiga urinária é revestida por uma membrana mucosa que a protege do conteúdo ácido da urina. Além disso, ela contém receptores sensoriais que enviam sinais ao cérebro quando a bexiga está cheia, indicando que é hora de urinar. Esses sinais podem ser suprimidos por meio de técnicas de controle da micção, como o treinamento vazante e a reeducação da bexiga.

Doenças que afetam a vejiga urinária incluem cistite (inflamação da bexiga), infecções do trato urinário, câncer de bexiga, incontinência urinária e outros transtornos. O tratamento dessas condições pode envolver medicação, terapia comportamental, cirurgia ou uma combinação desses métodos.

Extrofia da bexiga Na extrofia, ocorre falha no fechamento na linha média do cordão umbilical ao períneo, resultando em ... Divertículos vesicais são herniações da mucosa vesical através de um defeito no músculo vesical. Eles predispõem a infecções do ... Intervenção cirúrgica adicional pode ser necessária para tratar o reservatório vesical que não consegue se expandir o ... Podem ser necessárias remoção cirúrgica dos divertículos e reconstrução da parede vesical. ...
Giron, A. M. (1990). Reconstrução da extrofia vesical em estágios: Tratamento da incontinência urinaria por meio da tubulização ...
Extrofia Vesical. 100. + 2. Hipospadia. 87. + Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui ...
Extrofia Vesical [C12.050.351.875.132] Extrofia Vesical * Transtornos do Desenvolvimento Sexual [C12.050.351.875.253] ...
Extrofia Vesical - Conceito preferido Identificador do conceito. M0002632. Nota de escopo. Defeito congênito em que a BEXIGA ... extrofia de la vejiga Nota de escopo:. Eversión congénita de la vejiga urinaria. Se caracteriza por ausencia de una porción de ... Exstrophie vésicale Código(s) hierárquico(s):. C12.050.351.875.132. C12.050.351.968.829.132. C12.200.706.132. C12.200.777.829. ... la pared abdominal inferior y de la pared anterior de la vejiga, con eversión de la pared vesical posterior a través de dicho ...
O artigo fala da estigmatização de pessoas nascidas com uma condição física, clinicamente, denominada extrofia vesical. ...
Anomalias gênito-urinárias (hidronefrose, uropatia obstrutiva baixa, displasia renal, extrofia vesical, cisto de ovário, ...
Apesar de sorridente, essa criança de apenas 10 anos, desde muito pequena sofre de Extrofia Vesical (problema na bexiga) e ...
  • Intervenção cirúrgica adicional pode ser necessária para tratar o reservatório vesical que não consegue se expandir o suficiente ou tem insuficiência esfincteriana. (msdmanuals.com)
  • Apesar de sorridente, essa criança de apenas 10 anos, desde muito pequena sofre de Extrofia Vesical (problema na bexiga) e insuficiência renal crônica. (falabarreiras.com)
  • é uma disfunção vesical causada por distúrbios neurológicos, incluindo anomalias da medula espinal ou do sistema nervoso central, trauma ou sequelas da cirurgia pélvica (p. ex. (msdmanuals.com)