Período fisiológico caracterizado por alterações endócrinas, somáticas e psíquicas [relacionadas] com o término da função ovariana na mulher. Pode também acompanhar a diminuição normal da atividade sexual no homem (MeSH). O período de alterações endócrinas, somáticas e psicológicas transitórias que ocorrem na transição para a menopausa (fonte: Stedman 27a. ed., 2003)
Derivados do etileno, um gás orgânico simples de origem biológica com muitos usos industriais e biológicos.
Sensação súbita, temporária de calor, predominantemente vivenciada por algumas mulheres durante a MENOPAUSA. (Tradução livre do original: Random House Unabridged Dictionary, 2d ed)
O ovário desenvolvido de uma planta, podendo ser carnudo ou seco, portando a(s) semente(s).
Período de transição antes e depois da MENOPAUSA. Os sintomas da perimenopausa estão associados com CICLO MENSTRUAL irregular e níveis hormonais amplamente flutuantes. Pode aparecer 6 anos antes da menopausa e durar de 2 a 5 anos após a menopausa.
Espécie de plantas (família ACTINIDIACEAE, ordem Theales).
Gênero de plantas (família RANUNCULACEAE) contendo saponinas triterpenoides. A remifemina proveniente da C. racemosa é utilizada para suprimir o HORMÔNIO LUTEINIZANTE. Foi reclassificada por alguns como ACTAEA. O nome vulgar raiz-preta-de-cobra também é utilizado para o ASARUM e SANICULA.
Último período menstrual. A cessação permanente da MENSTRUAÇÃO, geralmente é definida após 6 a 12 meses da AMENORREIA numa mulher acima de 45 anos de idade. Nos Estados Unidos, a menopausa geralmente ocorre em mulheres entre os 48 e 55 anos de idade.
Pregnenos com uma dupla ligação ou mais do que três duplas ligações, que sofreram contrações de anel ou não possuem os carbonos 18 ou 19.
Gênero de plantas da família ROSACEAE, ordem Rosales, subclasse Rosidae. É mais conhecido como a fonte de frutas comestíveis, como damasco, ameixa, pêssego, cereja e amêndoa.
Ciclopropanos são compostos orgânicos insaturados com um anel formado por apenas três átomos de carbono e ligações duplas entre eles, geralmente usados como refrigerantes e anestésicos, mas também estudados em química orgânica por sua reatividade extrema.
Classe de aminoácidos caracterizados por uma estrutura em anel fechado.
Qualquer um dos hormônios produzidos naturalmente em plantas e que atuam no controle de crescimento e outras funções. Existem três classes primárias: auxinas, citocininas e giberelinas.
Gênero de plantas (família ROSACEAE) conhecido por suas frutas comestíveis.
Espécie de plantas (família SOLANACEAE) nativas da América do Sul, amplamente cultivadas por seu fruto, geralmente vermelho, carnudo e comestível. Também são usadas como medicamento homeopático.
Uso em mulheres de agentes hormonais com atividade semelhante ao do estrogênio na pós-menopausa ou outra deficiência de estrogênio para aliviar os efeitos da deficiência hormonal, como sintomas vasomotores, DISPAREUNIA e desenvolvimento progressivo de OSTEOPOROSE. Pode também incluir o uso de agentes progestacionais em terapia combinada.
Período fisiológico após a MENOPAUSA (suspensão permanente da vida menstrual).
Classe de enzimas que catalisa as reações de oxidorredução de aminoácidos.
Qualquer dos processos pelos quais os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influem no controle diferencial da ação gênica nas plantas.
Sensações cutâneas subjetivas (ex., frio, aquecimento, formigamento, pressão, etc.) que são vivenciadas espontaneamente na ausência de estimulação.
Proteínas encontradas em plantas (flores, ervas, arbustos, árvores, etc.). O conceito não inclui proteínas encontradas em vegetais para os quais PROTEÍNAS DE VERDURAS estão disponíveis.
Hemorragia dos vasos sanguíneos do ÚTERO, às vezes, manifestada como sangramento vaginal.
Uso de plantas e ervas para tratar doenças ou aliviar dores.
Classe de enzimas que catalisam a quebra de C-C, C-O e C-N e outras ligações por outros meios além da hidrólise ou oxidação. EC 4.
Compostos que interagem com RECEPTORES ESTROGÊNICOS em tecidos alvos para provocar os efeitos semelhantes aos do ESTRADIOL. Os estrogênios estimulam os órgãos reprodutivos femininos, e o desenvolvimento das CARACTERÍSTICAS SEXUAIS femininas. Os compostos químicos estrogênicos incluem os naturais, sintéticos, esteroides, ou não esteroides.

Climacteris ou climatério é o termo utilizado para descrever o período de transição fisiológica que ocorre no organismo feminino, marcado pela extinção progressiva da função reprodutiva. A diminuição da produção hormonal (estrogênio e progesterona) é responsável por uma série de alterações clínicas e laboratoriais que definem esse período.

O climatério pode ser dividido em três fases:

1. Perimenopausa ou pré-menopausa: período que varia de 2 a 8 anos antes da menopausa, caracterizado por irregularidades no ciclo menstrual e alterações hormonais;

2. Menopausa: é o momento em que ocorre a última menstruação, geralmente diagnosticada retrospetivamente após 12 meses sem menstruação;

3. Pós-menopausa: período que se inicia após a menopausa e pode durar décadas, durante as quais persistem os efeitos da falta de hormônios femininos no organismo.

Os sintomas mais comuns do climatério incluem: irregularidades no ciclo menstrual, boas ou más, suores noturnos, ondas de calor (rubor facial e corrimento da pele), alterações de humor, depressão, irritabilidade, dificuldade de concentração, diminuição do desejo sexual, dispareunia (dor durante o ato sexual), cefaleias, palpitações cardíacas, insônia, incontinência urinária e alterações vasomotores. Além disso, a falta de estrogênio aumenta o risco de doenças cardiovasculares, osteoporose e câncer ginecológico.

O tratamento do climatério pode ser sintomático ou hormonal, dependendo da gravidade dos sintomas e das contraindicações individuais. O uso de terapia hormonal substitutiva (THS) é controverso devido ao risco aumentado de câncer de mama e doença cardiovascular em alguns indivíduos. Portanto, a decisão de iniciar o THS deve ser individualizada e baseada em uma avaliação cuidadosa dos benefícios e riscos potenciais.

De acordo com a definição médica, etilenos referem-se a um grupo de compostos orgânicos que contêm um ou mais grupos funcionais etileno (-C=C-). No entanto, o termo "etilenos" geralmente é usado em um contexto específico, referindo-se ao gás medicinal etileno (C2H4), também conhecido como gasolina de frutas ou etileno oxido.

O etileno é um gás incolor, insípido e sem odor, com uma massa molecular baixa e um ponto de ebulição próximo ao do ponto de fusão. É produzido naturalmente por certas frutas e vegetais em decomposição e também pode ser sintetizado industrialmente.

No contexto médico, o etileno é usado como um gás anestésico leve e analgésico para aliviar a dor durante procedimentos cirúrgicos menores. Também é usado em terapia de maturação de frutas para acelerar a maturação e melhorar a qualidade dos frutos, especialmente no caso de bananas, maçãs e abacates.

Embora o etileno seja considerado seguro quando usado em pequenas doses, a exposição prolongada ou em altas concentrações pode causar efeitos adversos na saúde humana, como irritação nos olhos, nariz e garganta, dor de cabeça, náusea e confusão mental. Portanto, é importante manusear o etileno com cuidado e seguir as orientações do fabricante para garantir a segurança durante o uso.

'Fogachos' é um termo médico que se refere a pequenas bolsas ou espaços cheios de ar dentro do corpo. Eles geralmente ocorrem em tecidos revestidos por membranas serosas, como os pulmões e o abdômen.

No pulmão, os fogachos são chamados de alvéolos e são onde ocorre a troca gasosa entre o ar inspirado e o sangue. No abdômen, os fogachos podem ocorrer entre órgãos ou no interior deles, como no caso da vesícula biliar.

Em geral, os fogachos desempenham um papel importante na proteção dos órgãos, permitindo que eles se movam livremente dentro do corpo sem ferir-se mutuamente. No entanto, em certas condições patológicas, como infecções ou inflamações, os fogachos podem se encher de líquido ou pus, causando tumefação e dor na região afetada.

De acordo com a medicina e nutrição, frutas são alimentos sólidos ou semisólidos derivados dos órgãos reprodutores das plantas, geralmente ricos em vitaminas, minerais, fibras e carboidratos naturais. Eles provêm uma variedade de benefícios para a saúde, incluindo ajudar no controle do peso, reduzir o risco de doenças cardiovasculares e diabetes, e promover a regularidade intestinal. Algumas frutas comuns são maçãs, bananas, uvas, laranjas, abacaxis e morangos.

Perimenopause, também conhecida como climatério pré-maturez, refere-se ao período de transição que leva ao fim da vida reprodutiva feminina. Normalmente, isso ocorre em mulheres com idades entre os 45 e os 55 anos, mas pode começar em algumas mulheres na década de 30 ou 40. Durante a perimenopausa, as ovários produzem cada vez menos das hormonas estrogênio e progesterona, o que pode levar a uma variedade de sintomas.

Os sintomas comuns da perimenopausa incluem:

* Períodos menstruais irregulares: os períodos podem ser mais longos ou mais curtos, e as mulheres podem pular alguns ciclos.
* Sudorese noturna e flushing: muitas mulheres experimentam suores repentinos e rubor, especialmente na face, pescoço e peito.
* Tensão mental e depressão: as mudanças hormonais podem afetar o humor e a capacidade de se concentrar.
* Problemas de sono: algumas mulheres têm dificuldade em dormir ou experimentam interrupções no sono.
* Seca vaginal: a diminuição dos níveis de estrogênio pode causar a secagem e a atrofia da mucosa vaginal, o que pode levar a relações sexuais dolorosas.
* Perda óssea: as mulheres perdem densidade óssea mais rapidamente durante a perimenopausa, o que aumenta o risco de osteoporose.
* Aumento do risco de doenças cardiovasculares: os níveis mais baixos de estrogênio podem aumentar o risco de doenças cardiovasculares em algumas mulheres.

A perimenopausa geralmente dura entre 2 e 8 anos, mas pode ser mais longa em alguns casos. A menopausa é definida como a falta de menstruação por 12 meses consecutivos e marca o fim da perimenopausa. Se você tiver sintomas graves ou preocupantes, consulte um médico para obter orientação e tratamento adequados.

Actinidia é um género botânico que inclui várias espécies de plantas, sendo a mais conhecida delas o Actinidia deliciosa, comummente conhecido como kiwi. O termo "Actinidia" refere-se especificamente ao género taxonómico das plantas, e não à uma condição ou doença médica.

As espécies de Actinidia são originárias principalmente da Ásia Oriental e Meridional, e incluem árvores e arbustos lenhosos que podem crescer até 6-10 metros de altura. Algumas espécies produzem frutos comestíveis, como o kiwi, enquanto outras têm frutos ou partes da planta que são utilizadas na medicina tradicional chinesa e outras práticas medicinais tradicionais.

No entanto, é importante notar que a pesquisa médica sobre os possíveis benefícios para a saúde dos diferentes tipos de Actinidia ainda está em curso, e não há consenso científico geral sobre os seus efeitos na saúde humana. Portanto, é recomendável consultar fontes confiáveis e informações atualizadas antes de tomar decisões relacionadas à saúde com base nesta informação.

Na medicina, "Cimicifuga" é um termo que se refere a um gênero de plantas pertencente à família Ranunculaceae, comumente conhecidas como ativador-do-sono ou urtiga-da-vaca. A espécie mais conhecida e utilizada em medicina é a Cimicifuga racemosa, também chamada de Actaea racemosa ou black cohosh.

A raiz da Cimicifuga racemosa tem sido tradicionalmente usada em fitoterapia para tratar uma variedade de condições, especialmente aquelas relacionadas à menopausa e sistema reprodutivo feminino, como suores noturnos, irritabilidade, depressão, ansiedade, dores de cabeça, espasmos musculares e outros sintomas associados à menopausa. No entanto, os mecanismos pelos quais a Cimicifuga racemosa exerce seus efeitos não são completamente compreendidos e estudos clínicos sobre sua eficácia e segurança apresentam resultados inconsistentes.

Como com qualquer suplemento ou medicamento, é importante consultar um profissional de saúde antes de usar Cimicifuga racemosa para garantir a sua segurança e adequação ao seu caso específico.

Menopause is a natural biological process that marks the permanent cessation of menstruation and fertility in women. It's defined as the point when a woman has not had her period for 12 consecutive months, and no other underlying medical condition can explain this absence of menstrual periods.

Typically, menopause occurs in women between the ages of 45 and 55, with the average age being around 51 years old in the United States. As a woman approaches menopause, her body undergoes various hormonal changes, leading to a decrease in the production of estrogen and progesterone, two key hormones involved in the menstrual cycle.

Perimenopause is the transitional phase leading up to menopause, which can last for several years. During this time, women may experience various symptoms such as irregular periods, hot flashes, night sweats, mood changes, sleep disturbances, vaginal dryness, and decreased libido. These symptoms are a result of the fluctuating hormone levels in the body.

Once menopause is reached, the lack of estrogen can increase the risk of certain health conditions such as osteoporosis, heart disease, and urinary incontinence. It's essential for women to maintain a healthy lifestyle during and after menopause, including regular exercise, a balanced diet, and routine medical check-ups to monitor their overall health and manage any potential risks associated with menopause.

Norpregnenos são uma classe de hormônios esteroides derivados da progesterona, que é um hormônio sexual feminino. Eles são produzidos naturalmente no corpo humano e desempenham um papel importante em várias funções fisiológicas, especialmente no sistema reprodutivo feminino.

Existem dois principais norpregnenos: a 17α-hidroxiprogesterona e a 11-deoxicorticosteroide. A 17α-hidroxiprogesterona é um intermediário na síntese de outros hormônios esteroides, como o cortisol e os andrógenos. Já a 11-deoxicorticosteroide é um precursor da aldosterona, um hormônio que regula a pressão arterial e o equilíbrio de líquidos no corpo.

Além disso, os norpregnenos também têm propriedades anti-inflamatórias e imunossupressoras, o que os torna úteis no tratamento de certas condições médicas, como doenças autoimunes e rejeição de transplante. No entanto, seu uso clínico é limitado devido aos seus efeitos colaterais potencialmente graves, como o aumento do risco de infecções e doenças cardiovasculares.

De acordo com a nomenclatura botânica, 'Prunus' é um género que inclui cerca de 200 espécies de árvores e arbustos perenes, a maioria das quais produzem frutos comestíveis. Muitas destas espécies são amplamente cultivadas em todo o mundo para fins ornamentais, alimentares e medicinais.

Algumas das espécies mais conhecidas de 'Prunus' incluem:

- Pêra (Prunus persica): originária da China, produz frutos doces e sucosos com uma única grande semente no centro;
- Ameixa (Prunus domestica): originária do sudoeste asiático, produz frutos doces e aromáticos com uma única grande semente no centro;
- Cereja (Prunus avium e Prunus cerasus): originárias da Europa e Ásia Ocidental, produzem frutos doces e jugosos com um caroço no interior;
- Mirtilho (Prunus cerasifera): originário do sudoeste asiático, é uma pequena árvore ou arbusto que produz frutos doces e azulados;
- Alfarrobeira (Prunus dulcis): originária da região mediterrânica, produz sementes comestíveis ricas em proteínas e gorduras chamadas amêndoas.

Em termos medicinais, diferentes partes de várias espécies de 'Prunus' têm sido tradicionalmente utilizadas para tratar diversas condições de saúde. Por exemplo, as folhas e cascas de cerejeiras são ricas em compostos fenólicos com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, enquanto que as amêndoas de alfarrobeira contêm ácidos graxos insaturados benéficos para a saúde cardiovascular. No entanto, é importante notar que o consumo excessivo de algumas partes de 'Prunus' pode ser tóxico ou prejudicial à saúde, especialmente em casos de alergias ou sensibilidades individuais.

Ciclopropanos são compostos orgânicos que contêm um anel formado por três átomos de carbono conectados por ligações simples. A estrutura cíclica destes compostos resulta em uma geometria incomum, na qual os ângulos de ligação se aproximam de 60 graus, em vez dos 109,5 graus encontrados em sistemas de ligações carbono-carbono lineares ou ramificados.

A menor dimensão do anel ciclopropano confere a esses compostos propriedades únicas e interessantes. Por exemplo, o comprimento da ligação carbono-carbono no anel é mais curto do que o normal, e a barreira de rotação em torno dessa ligação também é menor. Além disso, os elétrons dos carbonos no anel estão deslocalizados, o que leva a reatividades especiais, como a abertura do anel em reações de cicloadição.

No entanto, é importante ressaltar que os ciclopropanos também apresentam certos riscos para a saúde humana. Eles são altamente inflamáveis e podem formar perigosos óxidos de nitrogênio quando expostos ao ar e à luz solar. Além disso, alguns ciclopropanos têm propriedades anestésicas, mas seu uso clínico é limitado devido aos seus efeitos adversos, como danos hepáticos e renais.

Em resumo, os ciclopropanos são compostos orgânicos com uma estrutura incomum que apresentam propriedades únicas e interessantes, mas também podem ser perigosos para a saúde humana se não forem manuseados adequadamente.

Aminoácidos cíclicos são tipos especiais de aminoácidos em que o grupo carboxila (-COOH) de um resíduo de aminoácido se liga ao grupo amino (-NH2) de outro resíduo de aminoácido, formando assim um anel ou laço. Isso resulta na formação de uma estrutura tridimensional fechada e cíclica, diferente da estrutura linear dos aminoácidos convencionais.

Existem dois tipos principais de aminoácidos cíclicos: aminoácidos dipeptídicos cíclicos e aminoácidos não proteínicos cíclicos. Os aminoácidos dipeptídicos cíclicos são formados pela ligação de dois resíduos de aminoácidos, enquanto os aminoácidos não proteínicos cíclicos podem conter um ou mais resíduos de aminoácidos em sua estrutura.

Alguns exemplos de aminoácidos cíclicos incluem a prolina, que é um aminoácido proteinogênico comum encontrado na maioria das proteínas, e a canavanina, que é um aminoácido tóxico encontrado em algumas plantas.

A estrutura cíclica dos aminoácidos cíclicos pode influenciar suas propriedades químicas e biológicas, como sua estabilidade, solubilidade, especificidade de ligação e atividade enzimática. Além disso, alguns aminoácidos cíclicos têm atividades farmacológicas importantes e são usados em pesquisas biomédicas e na indústria farmacêutica.

Los reguladores de crecimiento de las plantas (PCG, por sus siglas en inglés) son moléculas bioquímicas que desempeñan un papel crucial en el control y la coordinación del crecimiento y desarrollo de las plantas. Estos compuestos pueden ser hormonas vegetales endógenas, como la auxina, la giberelina, el ácido abscísico, la citocinina, el etileno y la brassinosteroides, o sustancias exógenas que influyen en el crecimiento de las plantas, como las fitohormonas sintéticas y los productos naturales.

Las PCG afectan diversos aspectos del crecimiento y desarrollo vegetal, incluyendo la germinación de semillas, el alargamiento celular, la división celular, la diferenciación celular, la floración, la senescencia y la muerte celular. La señalización de PCG implica una cascada de eventos bioquímicos y moleculares que comienzan con la percepción de la hormona por un receptor específico en la membrana celular o dentro del citoplasma. Esto desencadena una serie de respuestas que pueden incluir la activación o represión de genes diana, la modificación postraduccional de proteínas y la generación de segundos mensajeros.

La investigación sobre los reguladores de crecimiento de las plantas ha proporcionado importantes conocimientos sobre los mecanismos moleculares que subyacen al crecimiento y desarrollo vegetal, y ha tenido aplicaciones prácticas en la agricultura y la horticultura. Por ejemplo, el uso de reguladores sintéticos del crecimiento puede mejorar el rendimiento de los cultivos, reducir el uso de agua y fertilizantes, y aumentar la resistencia a las plagas y enfermedades. Además, la comprensión de los mecanismos de señalización de PCG puede ayudar a desarrollar estrategias para mejorar la tolerancia al estrés abiótico y el crecimiento en condiciones adversas.

'Pyrus' é o gênero botânico que inclui as peras, frutos comestíveis produzidos por várias espécies de árvores pertencentes à família Rosaceae. A mais cultivada e consumida em todo o mundo é a *Pyrus communis*, originária da Europa e Ásia Ocidental. As peras são ricas em nutrientes, fornecendo vitaminas C, K e potássio, além de fibra dietética. Além disso, elas contêm compostos fenólicos, que podem oferecer benefícios para a saúde, como propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.

'Lycopersicon esculentum' é o nome científico da planta do tomate. É um membro da família Solanaceae, que também inclui pimentões, beringelas e batatas. O tomate é originário das Américas e foi cultivado por povos indígenas há milhares de anos antes de ser introduzido na Europa no século XVI. Hoje em dia, o tomate é um dos vegetais mais consumidos em todo o mundo e é apreciado por sua variedade de sabores, texturas e cores. Além disso, o tomate também é uma fonte rica em nutrientes, incluindo vitaminas A e C, potássio e licopeno, um antioxidante que pode ajudar a proteger contra doenças crônicas como câncer e doenças cardiovasculares.

Terapia de Reposição de Estrogênios (HRT, do inglês Hormone Replacement Therapy) refere-se a um tratamento hormonal que visa suprir os níveis reduzidos de estrogénio no corpo da mulher, geralmente associado à menopausa. A terapia consiste na administração de estrogénios sintéticos ou derivados de fontes naturais, com o objetivo de aliviar os sintomas relacionados à falta dessas hormonas, como os vaginais e urinários, osso fragilidade, suores noturnos e ondas de calor.

Existem dois tipos principais de HRT: a terapia de reposição de estrogénio isolada (ERT) e a combinação de estrogénio e progesterona/progestina (HRT combinada). A ERT é indicada principalmente para mulheres que não possuem útero, enquanto a HRT combinada é recomendada para aquelas com útero intacto, pois a administração isolada de estrogénio pode levar ao crescimento do revestimento uterino e aumentar o risco de câncer de útero.

Embora a HRT seja eficaz no alívio dos sintomas da menopausa, seu uso tem sido objeto de debate devido aos potenciais riscos para a saúde, como o aumento do risco de câncer de mama, acidente vascular cerebral e trombose venosa. Portanto, é essencial que as mulheres considerem cuidadosamente os benefícios e riscos associados à terapia e consultem um profissional de saúde para avaliar se a HRT é uma opção adequada em seus casos específicos.

A pós-menopausa é a fase na vida de uma mulher que ocorre após o término permanente do ciclo menstrual, geralmente caracterizado por um período de 12 meses sem menstruação. Isso normalmente ocorre em torno dos 45 a 55 anos de idade, com uma média de aproximadamente 51 anos. Durante a pós-menopausa, os níveis hormonais da mulher, especialmente estrogênio e progesterona, diminuem dramaticamente, o que pode levar a sintomas como falta de energia, suores noturnos, alterações de humor, irritabilidade, problemas de memória, diminuição do desejo sexual e secagem vaginal. Além disso, as mulheres na pós-menopausa têm um risco aumentado de certas condições de saúde, como osteoporose e doenças cardiovasculares.

Aminoácido oxirredutases são uma classe específica de enzimas que catalisam a transferência de elétrons entre moléculas, processo conhecido como reação de oxirredução. No caso das aminoácido oxirredutases, essas enzimas estão envolvidas na oxirredução de aminoácidos, que são as unidades estruturais básicas dos polipeptídeos e proteínas.

Essas enzimas desempenham um papel crucial em diversos processos metabólicos, incluindo a biossíntese e degradação de aminoácidos, o ciclo do ácido cítrico, e a geração de energia celular. Além disso, as aminoácido oxirredutases também estão envolvidas em processos de detoxificação celular, como a neutralização de compostos tóxicos que contenham enxofre ou nitrogênio.

A atividade das aminoácido oxirredutases é regulada por diversos fatores, incluindo a disponibilidade de substratos e cofatores, as condições redox celulares, e a presença de outras enzimas e proteínas. A deficiência ou excesso de atividade dessas enzimas pode levar a diversos distúrbios metabólicos e doenças, como a fenilcetonúria, a deficiência de biotina, e a doença de Alzheimer.

Em resumo, as aminoácido oxirredutases são enzimas que catalisam a transferência de elétrons entre moléculas, desempenhando um papel crucial em diversos processos metabólicos e regulatórios celulares.

A regulação da expressão gênica em plantas refere-se aos processos complexos e controlados que regulam a transcrição, processamento, transporte e tradução dos genes nas células vegetais. Isso inclui mecanismos epigenéticos, como metilação do DNA e modificações das histonas, que podem afetar a acessibilidade do gene ao complexo do fator de transcrição e, assim, controlar sua expressão. Além disso, existem mecanismos de regulação transcripcional, como ativação ou repressão da transcrição por proteínas reguladoras, que se ligam a elementos cis-regulatórios no DNA. A regulação pós-transcricional também é importante em plantas e pode ocorrer através de processamento alternativo do RNA mensageiro (RNAm), modificações na estabilidade do RNAm ou tradução regulada do RNAm em proteínas. Esses mecanismos permitem que as plantas regulem a expressão gênica em resposta a diferentes estímulos ambientais, como luz, temperatura e patógenos, bem como durante o desenvolvimento e diferenciação celular.

Parestesia é um termo médico que descreve uma sensação anormal e incomum na pele, sem qualquer estimulação física aparente. Essas sensações podem incluir formigueiro, ardência, picada, coceira ou engelhose. A parestesia geralmente ocorre em partes específicas do corpo, como mãos, braços, pernas ou pés. Em alguns casos, a parestesia pode ser temporária e desaparecer por si só, mas em outros casos, ela pode ser um sintoma de uma condição médica subjacente mais séria, como lesões nervosas, diabetes, hipotiroidismo, esclerose múltipla ou AVC. Em geral, a parestesia não é considerada uma condição grave em si, mas pode ser um sinal de alerta para outros problemas de saúde subjacentes que requerem atenção médica.

Proteínas de plantas, também conhecidas como proteínas vegetais, referem-se aos tipos de proteínas que são obtidos através de fontes vegetais. Elas desempenham funções importantes no crescimento, reparação e manutenção dos tecidos corporais em humanos e outros animais.

As principais fontes de proteínas de plantas incluem grãos integrais, como trigo, arroz, milho e centeio; leguminosas, como feijão, lentilha, ervilha e soja; nozes e sementes, como amêndoas, castanhas, girassol e linhaça; e verduras folhadas, como espinafre, brócolos e couve-flor.

As proteínas de plantas são compostas por aminoácidos, que são os blocos de construção das proteínas. Embora as proteínas de origem animal geralmente contenham todos os aminoácidos essenciais em quantidades adequadas, as proteínas de plantas podem ser mais limitadas em seu perfil de aminoácidos. No entanto, consumindo uma variedade de fontes de proteínas vegetais pode ajudar a garantir que as necessidades diárias de aminoácidos sejam atendidas.

Além disso, as proteínas de plantas geralmente contêm fibra dietética, vitaminas e minerais importantes para a saúde humana, o que pode oferecer benefícios adicionais para a saúde em comparação com as fontes de proteínas animais. Alguns estudos sugeriram que dietas altamente baseadas em plantas, incluindo fontes de proteínas vegetais, podem estar associadas a um risco reduzido de doenças crônicas, como doenças cardiovasculares e câncer.

Hemorragia Uterina é um termo médico que se refere a um excessivo fluxo menstrual ou à perda de sangue do útero em mulheres pré-menopáusicas. Em termos médicos, é definida como uma perda de sangue vaginal superior a 80 mL por ciclo menstrual. No entanto, é importante notar que a percepção da quantidade de fluxo menstrual pode variar entre as mulheres, sendo mais subjetiva do que objetiva.

A hemorragia uterina pode ser classificada em duas categorias principais: hemorragia anovulatória e hemorragia ovulatória.

1. Hemorragia anovulatória: É a forma mais comum de hemorragia uterina e ocorre quando as mulheres experimentam ciclos menstruais irregulares, sem ovulação. Isso geralmente é visto em adolescentes e mulheres pré-menopausadas. Pode ser causado por desequilíbrios hormonais, como níveis altos de estrógeno e baixos níveis de progesterona. Outras condições, como o síndrome dos ovários policísticos (SOP), disfunção tireoidiana ou uso de anticoncepcionais hormonais, também podem contribuir para isso.

2. Hemorragia ovulatória: Também conhecida como sangramento de meio ciclo ou manchado de meio ciclo, é o tipo de hemorragia uterina que ocorre durante a ovulação. Acontece quando um folículo ovariano se rompe e libera um óvulo, resultando em pequenas quantidades de sangramento. Embora isso seja normal, algumas mulheres podem experimentar fluxos menstruais mais pesados ou mais longos durante esse período.

Em alguns casos, a hemorragia uterina pode ser um sinal de condições mais graves, como fibromas uterinos, pólipos endometriais, endometrite, displasia cervical ou câncer cervical ou uterino. Portanto, é importante consultar um médico se houver sangramento vaginal abundante, prolongado ou anormal, especialmente se estiver acompanhado de outros sintomas, como dor abdominal, perda de peso ou alterações menstruais.

Fitoterapia é um ramo da medicina que utiliza extratos de plantas e substâncias ativas derivadas delas, como folhas, flores, sementes, frutos, raízes e córtex, para pré-venir, aliviar ou curar doenças. Também pode envolver o uso de óleos essenciais, infusões, decocções, extratos fluidos, tinturas, cataplasmas e outras preparações fitoterápicas. A fitoterapia é baseada em conhecimentos tradicionais e estudos científicos que demonstram os efeitos farmacológicos das plantas e suas interações com o organismo humano. É considerada uma forma de medicina complementar e alternativa, mas também é integrada a alguns sistemas de saúde convencionais como um método seguro e eficaz de tratamento para diversas condições clínicas.

Em medicina, a palavra "liases" geralmente se refere a um tipo de infecção causada por bactérias do gênero Gardnerella ou outras bactérias anaeróbicas. A liases bacteriana é frequentemente associada ao aparecimento de uma doença chamada vaginose bacteriana (VB), que ocorre quando a flora bacteriana normal da vagina fica desequilibrada, resultando em um aumento no número de bactérias nocivas e uma diminuição no número de bactérias benéficas.

A vaginose bacteriana é uma condição comum que afeta muitas mulheres saudáveis e geralmente não causa sintomas graves. No entanto, em alguns casos, a VB pode causar sintomas desagradáveis, como aumento da secreção vaginal, cores e odor anormais, sensação de ardência ou dor durante a micção e relações sexuais dolorosas.

Embora as liases bacterianas sejam frequentemente associadas à vaginose bacteriana, elas também podem desempenhar um papel em outras infecções, como pneumonia e infecções do trato urinário. Além disso, a presença de liases pode ser um fator de risco para outras complicações, como parto prematuro e baixo peso ao nascer em mulheres grávidas.

Para tratar as liases bacterianas e a vaginose bacteriana associada, geralmente são prescritos antibióticos, como metronidazol ou clindamicina, que podem ser tomados por via oral ou aplicados localmente na forma de creme ou óvulo. É importante seguir as instruções do médico para garantir uma dose adequada e prevenir recorrências. Além disso, é recomendável praticar higiene pessoal adequada, evitar o uso de sabonetes perfumados ou detergentes agressivos na região genital e manter relações sexuais seguras para reduzir o risco de infecção.

Os estrogênios são um tipo de hormona sexual esteróide que é produzida principalmente pelos ovários em mulheres e, em menor extensão, pelo corpo pituitário, placenta e tecidos adiposos. Eles desempenham um papel crucial no desenvolvimento e manutenção dos caracteres sexuais secundários femininos, como seios e útero, além de regular o ciclo menstrual.

Os estrogênios também têm efeitos importantes em outras partes do corpo, incluindo os ossos, coração, cérebro e pele. Eles ajudam a manter a densidade óssea, aumentar o colesterol "bom" (HDL), proteger contra doenças cardiovasculares e melhorar a função cognitiva.

Além disso, os estrogênios desempenham um papel na regulação do metabolismo, incluindo o controle do apetite e o gasto de energia. Eles também podem influenciar a humora e o comportamento emocional.

Existem três principais tipos de estrogênios presentes no corpo humano: estradiol, estriol e estrona. O estradiol é o mais forte e abundante dos estrogênios e desempenha um papel importante no desenvolvimento sexual feminino e na regulação do ciclo menstrual. O estriol é produzido em maior quantidade durante a gravidez e tem um efeito mais fraco do que o estradiol. A estrona é produzida em pequenas quantidades nos tecidos adiposos e pode ser convertida em outros tipos de estrogênios no corpo.

Os estrogênios podem também ser usados como medicamentos, por exemplo, na terapia hormonal substitutiva para tratar os sintomas da menopausa e na prevenção da osteoporose em mulheres pós-menopáusicas. No entanto, o uso de estrogênios pode estar associado a riscos, como o aumento do risco de câncer de mama e doença cardiovascular, por isso é importante que seja usado com cuidado e sob a supervisão médica.

... sobre Climatério da SBRH, acessado em 29 de abril de 2008 PAULINA, Iracy: "Menopausa ou climatério?" Arquivado em 9 de outubro ... O climatério é o nome científico que descreve a transição fisiológica do período reprodutivo para o não reprodutivo na mulher. ... O período do climatério abrange a menopausa, que ocorre com a última menstruação espontânea. Pré-menopausa (dos 35 aos 48 anos ... à saúde da mulher no climatério", Rev. bras. enferm. vol. 60 no. 3 Brasília, maio/junho de 2007, acessado em 29 de abril de ...
No climatério falham os sistemas defensivos compulsivos'. Kraepelin (1907) foi o primeiro a descrever a melancolia involuctiva ...
Ela ocorre frequentemente em adolescentes e durante a climatério. Durante a menopausa o ressecamento das paredes da vagina e ...
164 - 166 «Town Climate:Rio de Contas». Meteoblue. Consultado em 13 de março de 2018. Arquivado do original em 17 de julho de ...
S.l.]: Diagraphic Lemgruber, Ivan; Póvoa, Luiz Cesar; Carneiro, Roberto (1999). Perimenopausa Climaterio E Senectude Aspectos ...
Inicia com a puberdade e termina com o climatério ou com a castração. Na prenhez, o seu desenvolvimento é acelerado e se ...
É utilizada, também, na síndrome do climatério, para repor os hormônios que os ovários deixam de produzir nesta etapa da vida. ...
... além de beneficiar mulheres na fase do climatério. O climatério pode ser definido como uma fase da evolução biológica feminina ...
Chattha R - BJOG - 01-JUL-2008; 115(8): 991-1000 «Sociedade Portuguesa de Menopausa» «Sociedade Brasileira de Climatério» ... é chamada por Climatério. O uso popular, entretanto, fez com que o termo menopausa fosse mais usado. A menopausa natural, ou ...
... saúde da mulher no climatério, homeopatia, acupuntura e o Programa de Atenção à Violência Sexual (Pavas). Atende moradores da ...
... para tratamento do climatério; Etapas tecnológicas para incremento da produção de gado por meio de sistema silvipastoril; ...
... bem como serve para aumentar o bem estar das pessoas portadoras do sistema reprodutor feminino durante o período do climatério ...
... corrimento epispadia hipospadia impotência sexual priapismo varicocele menarca duração do ciclo menstrual menopausa climatério ...
... que cria o Programa de Qualidade de Vida da Mulher no climatério, o Deus na Escola, que visa estimular os alunos a buscarem ...
... sobre Climatério da SBRH, acessado em 29 de abril de 2008 PAULINA, Iracy: "Menopausa ou climatério?" Arquivado em 9 de outubro ... O climatério é o nome científico que descreve a transição fisiológica do período reprodutivo para o não reprodutivo na mulher. ... O período do climatério abrange a menopausa, que ocorre com a última menstruação espontânea. Pré-menopausa (dos 35 aos 48 anos ... à saúde da mulher no climatério", Rev. bras. enferm. vol. 60 no. 3 Brasília, maio/junho de 2007, acessado em 29 de abril de ...
Os exames na menopausa são tão importantes quanto os realizados ao longo da vida reprodutiva. Além de permitirem ...
Climatério. Diante de ciclos menstruais irregulares logo antes da idade típica da perimenopausa, deve-se perseguir a elucidação ... Como uma equipe de ESF pode auxiliar pacientes no climatério?. As atribuições referentes a cada profissional da ESF estão na ...
No final do climatério o ciclo menstrual da mulher passa a ficar irregular, apresentando variação do fluxo e duração. A ... O climatério é o período no qual o corpo reduz drasticamente a produção dos hormônios sexuais femininos (estrogênio e ... Alguns dos sintomas do climatério podem se prolongar por um período após a menopausa e a mulher passa a estar mais propensa ao ... Por ser um termo ainda pouco conhecido, muitas pessoas confundem o climatério com a menopausa. Mas eu vou te ajudar a entender ...
GUSMAO, Estela Santos et al. Aumento gengival associado ao climatério: remoção cirúrgica. Rev. cir. traumatol. buco-maxilo-fac. ... O caso clínico apresentado reporta-se a uma paciente com 49 anos, na fase do climatério, que procurou atendimento na Clínica de ... climatério e uso de anticoncepcionais orais, além de atuar em outros orgãos, também agem na cavidade bucal, em especial nos ...
PEREIRA, Wendry Maria Paixão et al. Ansiedade no climatério: prevalência e fatores associados. Rev. bras. crescimento desenvolv ... Este estudo estimou a prevalência de ansiedade e caracterizou os possíveis fatores associados em 749 mulheres no climatério, ...
Trabalho: EP-001. Tipo: Pesquisa Científica. Área: Síndromes dolorosas - Dor miofascial e fibromialgia. Autores: Nadja Tiellet, Danielle Rachel Coelho Bezerra,Elisângela da Silva. Apresentador: Nadja Tiellet. ...
O climatério é a fase fisiológica da mulher que marca a transição entre o período fértil para o não-reprodutivo. Entenda como a ... Quais nutrientes melhoram a qualidade de vida da mulher no climatério?. Para combater os sintomas do climatério e melhorar a ... Quais alimentos são indicados para mulheres no climatério?. No cardápio das mulheres no climatério não podem faltar grãos, ... O climatério é a fase fisiológica da mulher que marca a transição entre o período fértil para o não-reprodutivo. O climatério ...
Mais de 1 milhão de mulheres entram no climatério por ano nos EUA. Segundo um levantamento de 2022, 4 em cada 10 referem sinais ... Citar este artigo: Importante lacuna na assistência a pacientes no climatério: sofrimento desnecessário - Medscape - 11 de ... cmds=contentId=6510060,type=related,size=3, recommendedReading=q=Importante lacuna na assistência a pacientes no climatério: ... é o padrão de atendimento para as mulheres que sofrem com muitos sinais e sintomas do climatério, disse Dra. Stephanie. Mas o ...
... têm sintomas relacionados ao climatério e menopausa; médico especialista avalia que ainda há desinformação e cita sintomas ... das mulheres brasileiras entrevistadas disseram ter sintomas associados ao período do climatério. O climatério é a fase de ... estão informadas sobre o climatério como uma questão de saúde", opina Dr. Rafael Lazarotto, médico especialista em climatério e ... Pesquisa aponta que sintomas do climatério são comuns. Um estudo publicado na revista científica Climacteric, com dados de 2022 ...
Climatério - Menopausa - Terapia de Reposição Hormonal Feminina. Início / Ginecologia / Climatério - Menopausa - Terapia de ... Climatério - Menopausa - Terapia de Reposição Hormonal Feminina. por Dr. Glaucius Nascimento postado 21 de maio de 2017 em ... No programa é exibido a importância da valorização e tratamento dos sintomas do climatério, as alterações hormonais que ocorrem ... Climatério - Menopausa - Terapia de Reposição Hormonal Feminina2017-05-212018-01-26https://drglaucius.com.br/wp-content/uploads ...
O uso da terapia de reposição hormonal durante o climatério e depois dele vem "sendo considerado uma estratégia para atenuar o ... "Sabemos que, se as mulheres forem tratadas [com a terapia de reposição hormonal] no início do climatério, pode-se prevenir a ... Além disso, se for comprovado que a reposição de estrogênio ou de [outro] hormônio no início do climatério pode ser protetora [ ... A introdução da terapia de reposição hormonal no início do climatério pode proteger mulheres portadoras do gene APOE4 contra a ...
CIAP2: X11 Sinais e sintomas da menopausa / climatério DeCS/MeSH: Agentes Comunitários de Saúde, Climatério, Equipe de ... Associação Brasileira de Climatério[Internet]. São Paulo: Sobrac - Associação Brasileira do Climatério; © 2004 [citado 2009 Jul ... Como uma equipe de ESF pode auxiliar pacientes no climatério? Núcleo de Telessaúde Rio Grande do Sul , 4 agosto 2008 , ID: sofs ... Com base nas Portarias, a divisão de tarefas em equipe para melhor atender as pacientes no climatério de acordo com as algumas ...
A webconferência "Abordagem do climatério na Atenção Primária" vai orientar como como as mulheres no climatério devem ser ... e não somente eventos endócrinos do climatério e menopausa. Especialistas ressaltam que o climatério não é uma doença e sim uma ... Webconferência abordará o climatério na APS. Posted on 13 de junho de 2023. 28 de junho de 2023. by Avelina Castro ... Segundo a Organização Mundial da Saúde, o climatério é definido como uma fase biológica da vida e não um processo patológico, ...
Usamos cookies em nosso site para oferecer a você a experiência mais relevante. Ao continuar a usar o site, você concorda com o uso de cookies. ...
Fone: 11 5055-6494 , 11 5055-2438 ...
Ensaio clínico placebo-controlado com isoflavonas da soja para sintomas depressivos em mulheres no climatério ... Ensaio clínico placebo-controlado com isoflavonas da soja para sintomas depressivos em mulheres no climatério. REVISTA ...
Percepções de enfermeiros sobre a atenção ao climatério Percepções de enfermeiros sobre a atenção ao climatério / Nurses ... analisar a atenção à saúde das mulheres acerca do manejo do climatério por enfermeiros de Atenção Primária à Saúde. Método:. ... analizar la atención de la salud de la mujer sobre el manejo del climaterio por enfermeros de Atención Primaria de Salud Método ... se concluye que la atención a la salud de la mujer en el climaterio se da de forma fragmentada y discontinua. Se advirtió la ...
Menopausa, Climatério, Saúde da Mulher 10 cuidados primordiais para a saúde da mulher. ...
Climatério : durante o climatério, período de transição entre a fase reprodutiva e a menopausa, ocorre uma queda dos hormônios ...
Médica ginecologista, especialista em menopausa e climatério, com especialização ainda em Modulação... ...
Ginecologia, Climatério, Obstetrícia III Congresso Catarinense de Ginecologia e Obstetrícia. II Simpósio Catarinense de ...
Atividade Física Como Fator de Proteção Para Sintomas do Climatério Juliene Gonçalves Costa,Tállita Cristina Ferreira de Souza, ... Atividade Física de Mulheres no Climatério: Comparação Entre Auto-relato e Pedômetro Ana Paula Lodi,Guilherme Gustavo Dorigo, ...
O especialista explica que durante o climatério, fase que se inicia a partir dos 35 anos de vida da mulher, o ovário vai ... Para as mulheres que passam pelo climatério sem o útero e, por consequência, sem o endométrio, a reposição hormonal combinada ... Mesmo se vivenciarem os sintomas do climatério de maneira mais intensa, mulheres que já tiveram câncer de mama ou de endométrio ... Para falar dos benefícios do tratamento, antes é preciso elencar os efeitos desencadeados pelo climatério, afinal a reposição ...
SIGNIFICADO DO CLIMATÉRIO PARA A MULHER OCTOGENÁRIA RURAL Isabel Inês Zamarchi Lanferdini, Marilene Rodrigues Portella ...
Fisioterapia no Climatério e pós menopausa;. - Patologias Miccional Infantil; Fisioterapia nas Disfunções Miccionais Infantis; ...
Na verdade, os sinais do climatério aparecem antes e também depois da última menstruação - esses períodos são chamados de ... A maioria das meninas (aproximadamente 80 por cento!) Sente doenças indesejáveis ​​relacionadas ao climatério. Os sintomas da ...
  • O período do climatério abrange a menopausa, que ocorre com a última menstruação espontânea. (wikipedia.org)
  • Pré-menopausa (dos 35 aos 48 anos) Perimenopausa (dos 45 aos 50 anos) Menopausa (por volta dos 48 anos) Pós-menopausa (dos 48 aos 65 anos) Sociedade Brasileira de Reprodução Humana: "Guideline" sobre Climatério da SBRH, acessado em 29 de abril de 2008 PAULINA, Iracy: "Menopausa ou climatério? (wikipedia.org)
  • O correto é as mulheres aprenderem o que é realmente a menopausa e divulgarem entre as amigas que estão convivendo com o período do climatério, antes ou depois da data da menopausa e, ao longo desse período, realizar os controles e efetuar as devidas reposições para os diferentes compartimentos endócrinos e para as carências do metabolismo intermediário, assim como a reposição dos oligoelementos, nutrientes básicos etc. (portalmedicinaesaude.com)
  • É também vital para a mulher prevenir a osteoporose (desgaste ósseo), principalmente na fase da menopausa e climatério pelo aumento de consumo de vitamina D (essencial na regulação do metabolismo do Cálcio). (naturopatasdobrasil.org)
  • foi identificado conhecimento limitado em relação a definição de climatério, menopausa e de sinais e sintomas característicos, como também referente à terapia de reposição hormonal vaginal. (ufsm.br)
  • Avalia pelos indices de sintomas e sinais a gravidade do climaterio ou menopausa. (ddhsoftware.com)
  • O climatério corresponde a um período de tempo, que se inicia antes da menopausa e se mantém após ela (perimenopausa). (medway.com.br)
  • São reuniões onde os melhores especialistas do Brasil são convidados para apresentarem temas importantes da atualidade na área do Climatério e Menopausa em forma de textos. (sobrac.org.br)
  • Após seu aceite em se filiar à SOBRAC, você estará fazendo parte de nosso mailling de associados, para o qual enviamos regularmente informações através de e-mails ou correspondências sobre novidades na área do Climatério e Menopausa (realização de eventos, campanhas e datas comemorativas, artigos científicos atualizados, etc. (sobrac.org.br)
  • Diante dessas informações, a especialista em saúde da mulher no climatério e menopausa, Ramiele Calmon, falou sobre o que é a menopausa precoce, as causas e como retardar a entrada nesta fase. (ig.com.br)
  • Porém, antes do ovário parar de vez de funcionar, o corpo passa por uma fase anterior à menopausa chamada climatério, onde acontece gradativamente a queda do hormônio Estradiol. (ig.com.br)
  • Está na menopausa ou pré-menopausa (climatério). (tailaveda.com)
  • O climatério é o nome científico que descreve a transição fisiológica do período reprodutivo para o não reprodutivo na mulher. (wikipedia.org)
  • KOHLRAUSCH, Sheila Cristina: "Conhecimento, percepções e assistência à saúde da mulher no climatério", Rev. bras. (wikipedia.org)
  • As alterações nos níveis dos hormônios sexuais (estrógeno e progesterona) na mulher, durante a puberdade, gravidez, ciclo menstrual, climatério e uso de anticoncepcionais orais, além de atuar em outros orgãos, também agem na cavidade bucal, em especial nos tecidos periodontais, como fator modificador de vários tipos de manifestações patológicas pré-existentes. (bvsalud.org)
  • O climatério poderá ser também um "período fértil", de empoderamento , transformações positivas e significativas para a mulher. (naturopatasdobrasil.org)
  • Esta revisao mostra que na sexualidade da mulher no climaterio e na senilidade alem dos fatores psicossociais interferem. (bvsalud.org)
  • Estes resultados poderão subsidiar o planejamento da assistência de enfermagem à mulher hipertensa no climatério. (unifor.br)
  • Tem afinidade com os seguintes temas: saúde da mulher, atenção à mulher no climatério, obstetrícia e ginecologia. (ufsm.br)
  • O climatério , como sabemos, é o período da vida da mulher caracterizado por alguns sintomas relacionados à redução dos hormônios produzidos durante o menacme. (medway.com.br)
  • Já no climatério, a mulher obesa tem maior risco de desenvolver doenças cardiovasculares: infarto, AVC, angina e mais complicações. (febrasgo.org.br)
  • Manejar bem a ansiedade e o estresse é importante para a mulher, porque quando ela está na fase do climatério, tem uma queda nos hormônios Dopamina e Serotonina, e um aumento no hormônio Cortisol, elevando o processo inflamatório. (ig.com.br)
  • Assim, um número cada vez maior de mulheres vivenciará o climatério, fase que compreende cerca de 1/3 de suas vidas. (bvsalud.org)
  • O caso clínico apresentado reporta-se a uma paciente com 49 anos, na fase do climatério, que procurou atendimento na Clínica de Periodontia da FOP/UPE, após várias tentativas de tratamento mal sucedido, em função da presença de um aumento gengival localizado na região palatina, envolvendo os dentes 15 e 16. (bvsalud.org)
  • o conhecimento acerca do climatério é limitado nas práticas das enfermeiras na abordagem às mulheres que estão passando por esta fase. (ufsm.br)
  • A Associação Brasileira de Climatério é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, e tem como objetivo a divulgação de informações e conceitos nesta área de conhecimento médico e humanístico, visando a melhoria da qualidade de vida das mulheres que se encontram na fase do climatério. (sobrac.org.br)
  • Ainda assim, apenas cerca de 14% das pessoas no climatério no país recebem prescrição de tratamento de reposição hormonal, apesar de as diretrizes nacionais e internacionais afirmarem claramente que os benefícios do tratamento geralmente superam os riscos. (medscape.com)
  • Também será oferecido assistência integral com apoio psicológico, social, terapia hormonal, não hormonal e outros a pessoas do sexo feminino que estão em processo de climatério e menopausas. (iparaiba.com.br)
  • A Associação Brasileira de Climatério (SOBRAC), em seu Consenso mais recente em 2014, também reserva a terapêutica androgênica para a ocorrência de queixas sexuais, sem mencionar a necessidade da presença de uma SIA. (febrasgo.org.br)
  • A Comissão Nacional Especializada em Climatério da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) referenda este documento. (bvsalud.org)
  • Desse modo, o presente estudo teve como objetivo analisar fatores associados à QV e ao BEP no climatério. (bvsalud.org)
  • O estudo analisou a auto-estima de mulheres hipertensas que vivenciam o climatério. (unifor.br)
  • Tudo isso apenas ressalta as frustrações que sinto em relação aos cuidados com o climatério", disse Louise. (medscape.com)
  • Em seguida, em 2019, realizamos O Simpósio SOBRAC - Obesidade no Climatério, eventos presencial realizado no Maksoud Plaza, em São Paulo. (sobrac.org.br)
  • O climatério é caracterizado por mudanças biopsicossociais expressivas que, conduzidas de maneira inadequada, podem prejudicar a qualidade de vida (QV) e o bem-estar psicológico (BEP). (bvsalud.org)
  • El climaterio se caracteriza por cambios biopsicosociales significativos que, si manejados inadecuadamente, pueden dañar la calidad de vida (CDV) y el bienestar psicológico (BP). (bvsalud.org)
  • No caso das mulheres, há um processo biopsicossocial relacionado ao envelhecimento que merece atenção especial por parte dos pesquisadores, uma vez que tem repercussões para a qualidade de vida (QV) e para o bem-estar psicológico (BEP) delas, bem como para seu desenvolvimento posterior, ou seja, para a velhice: trata-se do climatério. (bvsalud.org)
  • A primeira, realizada no ano da estreia, teve como tema central 'Sexualidade no Climatério' . (sobrac.org.br)
  • Nesta primeira reunião a drª Silma fez uma explanação sobre o climatério, falou dos objetivos e proposta de trabalho junto ao grupo. (soprev.org.br)
  • Após inúmeras pesquisas - todas elas com aplicações práticas, visão multidisciplinar e abordagem psicossomática - em 1989, fundou a Climaterium - a primeira clínica na América especializada no período do climatério. (portalmedicinaesaude.com)
  • A comercialização de produtos por via eletrônica, que oferece um elevado número de medicações miraculosas, remédios que tratam de tudo, de calor a impotência e, pior, até o câncer, tem contribuído de forma expressiva para a negação da abordagem investigativa, multidisciplinar e preventiva do climatério. (portalmedicinaesaude.com)
  • Formado, com mestrado e doutorado Sensu Strictu pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP), o Professor Dr. Odilon Ianetta, fundou, em 1979, o primeiro serviço público multidisciplinar de climatério do mundo, no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HCFMRP-USP), atuando até 2013. (portalmedicinaesaude.com)
  • Ambulatório Multidisciplinar de Atenção ao Climatério. (scielo.br)
  • A nova pesquisa procurou avaliar o que as participantes sabiam e vivenciaram em relação aos sintomas do climatério e o que elas consideravam importante. (medscape.com)
  • 2004). Supõe-se que tais mudanças associam-se a estados emocionais negativos, e que fatores psicológicos devem desempenhar um papel importante na deposição central da gordura corporal em mulheres, havendo, portanto, na literatura, uma associação entre parâmetros antropométricos e sintomatologia depressiva no climatério (EPEL et al. (semioblog.website)
  • Por muito tempo, muitas pensou-se no climatério apenas como fogachos e secura vaginal. (medscape.com)
  • Vale destacar que geralmente o climatério ocorre a partir dos 50 anos, entretanto, pode ter seu início antes, perto dos 40 ou 45 anos de idade. (drdanielstellin.com.br)
  • Chama a atenção nesse dado que cerca de 32% das mulheres no Brasil, naquele período, estavam na faixa etária em que ocorre o climatério. (ufpa.br)
  • Durante o climatério, ocorre uma queda nos níveis de estrogênio no organismo, é esse desequilíbrio que causa as dores. (activewomanplus.com.br)
  • Além da alimentação saudável, outras medidas podem aliviar os efeitos negativos do climatério, como por exemplo, tomar bastante água, praticar exercícios físicos regularmente, manter as consultas ginecológicas, nutricionais e dermatológicas em dia, dormir bem e evitar hábitos nocivos como beber e fumar. (drdanielstellin.com.br)
  • Para falar dos benefícios do tratamento, antes é preciso elencar os efeitos desencadeados pelo climatério, afinal a reposição hormonal servirá para diminuí-los. (r7.com)
  • Essas alterações hormonais características do climatério vem acompanhadas de muitas mudanças físicas e psicológicas, além de diversos sintomas. (drakarinabelickas.com)
  • O climatério acontece por conta da redução dos hormônios produzidos pelos ovários, o que leva à interrupção do ciclo reprodutivo das mulheres. (drdanielstellin.com.br)
  • Tratar com baixa dose de estrogênio não é uma estratégia radical - na verdade, é o padrão de atendimento para as mulheres que sofrem com muitos sinais e sintomas do climatério, disse Dra. (medscape.com)
  • Na verdade, os sinais do climatério aparecem antes e também depois da última menstruação - esses períodos são chamados de perimenopausa. (dgaa.pt)
  • O estudo da Apple sobre saúde feminina é uma pesquisa inédita realizada com a Faculdade de Saúde Pública T.H. Chan de Harvard e o Instituto Nacional de Ciências da Saúde Ambiental (NIEHS) dos Estados Unidos, com a finalidade de aumentar o conhecimento sobre os ciclos menstruais e como eles estão relacionados com diversas condições de saúde, como síndrome dos ovários policísticos (SOP), infertilidade e climatério. (apple.com)
  • Todos esses dados só reforçam a importância do tema da webconferência, que tem como objetivo primeiro contribuir com a qualificação do atendimento às mulheres que estão no climatério, nas unidades de APS. (ufpa.br)
  • Este estudo estimou a prevalência de ansiedade e caracterizou os possíveis fatores associados em 749 mulheres no climatério, cadastradas no Programa de Saúde da Família e integrantes do Projeto de Saúde de Pindamonhangaba (PROSAPIN). (bvsalud.org)
  • Os médicos estão bastante cientes da suscetibilidade das mulheres a alterações cognitivas durante o climatério", disse ao Medscape a primeira autora do estudo, Dra. (medscape.com)
  • Um estudo publicado na revista científica Climacteric , com dados de 2022, revelou que 87,9% das mulheres brasileiras entrevistadas disseram ter sintomas associados ao período do climatério. (botucatuonline.com)
  • Percebeu-se a necessidade de realizar educação permanente voltada ao tema climatério , bem como a elaboração de protocolos , normas e diretrizes atuais que orientem a atuação profissional. (bvsalud.org)
  • A webconferência "Abordagem do climatério na Atenção Primária" vai orientar como como as mulheres no climatério devem ser atendidas e cuidadas para que haja a maior efetividade possível no tratamento dos possíveis sintomas desse período, como o uso de estratégias que evitem a ocorrência de oportunidades perdidas de atenção a essa clientela feminina. (ufpa.br)
  • Durante o climatério é essencial consumir alimentos que são fontes desse mineral. (drdanielstellin.com.br)
  • Embora os alimentos sejam grandes aliados no controle dos sintomas de climatério, a alimentação não é capaz de resolver sozinha tal problema. (drdanielstellin.com.br)