Infecções com vírus do gênero AVULAVIRUS (família PARAMYXOVIRIDAE) incluindo DOENÇA DE NEWCASTLE e outras infecções de aves domésticas.
Gênero na subfamília PARAMYXOVIRINAE, família PARAMYXOVIRIDAE, que causa doença em aves domésticas. Há diversas espécies, sendo a mais conhecida a do paramyxovirus 1 aviário (VÍRUS DA DOENÇA DE NEWCASTLE).
Paramyxovirus aviário (o mais conhecido do gênero AVULAVIRUS) causador da pneumoencefalite altamente infecciosa, em aves. Também é relatado por causar CONJUNTIVITE em humanos. A transmissão ocorre por inalação de gotículas ou ingestão de água ou alimento contaminados.
Doença viral febril, aguda e contagiosa (em aves) causada pelo AVULAVIRUS chamada VÍRUS DA DOENÇA DE NEWCASTLE. É caracterizada por apresentar sintomas respiratórios e neurológicos, em aves, e transmissível ao homem causando uma conjuntivite grave, porém transitória.
Subfamília de PARAMYXOVIRIDAE composta pelos gêneros: RUBULAVIRUS; RESPIROVIRUS; MORBILLIVIRUS; HENIPAVIRUS; e AVULAVIRUS.
Gênero de vírus (subfamília PARAMYXOVIRINAE, família PARAMYXOVIRIDAE) com espécies que infectam e causam doença potencialmente fatal em várias espécies de hospedeiros, inclusive humanos.
Gênero de vírus (família PARAMYXOVIRIDAE, subfamília PNEUMOVIRINAE) cujos virions de humanos e bovinos não têm atividade de hemaglutinina nem de neuraminidase. O representante da espécie é o VÍRUS SINCICIAL RESPIRATÓRIO HUMANO.
Trabalhos que contêm artigos de informação em assuntos em todo campo de conhecimento, normalmente organizado em ordem alfabética, ou um trabalho semelhante limitado a um campo especial ou assunto.
Família de vírus esféricos, da ordem MONONEGAVIRALES, um pouco maiores que os orthomyxovirus e que contêm RNA em fita simples. Suas subfamílias incluem PARAMYXOVIRINAE e PNEUMOVIRINAE.

Avulavirus infections refer to a group of diseases caused by viruses from the Avulavirus genus, which belongs to the family Paramyxoviridae. There are currently 21 recognized species within this genus, with several of them known to cause illness in birds and mammals, including humans.

The most well-known Avulavirus is the Newcastle disease virus (Avian paramyxovirus 1), which primarily affects birds but can occasionally infect humans, causing conjunctivitis or mild respiratory symptoms. Another important species is the Sendai virus (Avian paramyxovirus 1), which mainly affects pigs and causes a severe respiratory disease in young animals.

In general, Avulavirus infections are associated with respiratory, gastrointestinal, or neurological symptoms, depending on the specific species involved and the host's immune response. The transmission of these viruses typically occurs through direct contact with infected animals or their secretions, contaminated fomites, or aerosols.

Human infections with Avulaviruses are relatively rare and usually result from close contact with infected birds or their excretions. Preventive measures include proper biosecurity practices, such as wearing personal protective equipment (PPE), washing hands regularly, and avoiding contact with potentially infected animals. No specific antiviral treatments are available for Avulavirus infections, and management typically focuses on supportive care to alleviate symptoms.

Avulavirus é um gênero de vírus da família Paramyxoviridae, que inclui várias espécies capazes de infectar aves e mamíferos. O gênero Avulavirus contém 12 espécies diferentes, incluindo o vírus da peste aviária (APVII), o vírus da parotidite dos porcos (SDSV) e o vírus da doença de Newcastle (NDV). Esses vírus geralmente causam sintomas respiratórios, gastrointestinais ou neurológicos em seus hospedeiros. O NDV, por exemplo, pode causar uma doença altamente contagiosa e fatal em aves domésticas e selvagens, enquanto o SDSV é a causa da parotidite viral em suínos. É importante notar que alguns desses vírus também podem infectar humanos, embora isso seja raro e geralmente cause apenas sintomas leves.

A doença de Newcastle é uma doença infecciosa altamente contagiosa que afeta aves, especialmente frangos e outras aves domésticas. O vírus responsável pela doença de Newcastle é um paramyxovírus aviário (APMV-1), da família Paramyxoviridae e gênero Avulavirus.

Existem diferentes estirpes desse vírus, com diferentes graus de patogenicidade. Algumas cepas causam sintomas leves ou são asintomáticas em aves adultas imunes, enquanto outras cepas mais virulentas podem causar doença grave e alta mortalidade em aves de todas as idades.

A via de transmissão primária é fecal-oral, embora o vírus também possa ser transmitido por inalação de aerossóis contaminados ou por contato direto com secreções nasais, orais ou fecais infectadas. O período de incubação varia de 2 a 15 dias, dependendo da cepa do vírus e da susceptibilidade da espécie hospedeira.

Os sintomas clínicos podem variar amplamente, desde formas leves e subclínicas até formas graves e letais. Em aves infectadas com cepas virulentas, os sintomas geralmente incluem:

1. Depressão e letargia
2. Diminuição do apetite
3. Diarreia verde-escura e líquida
4. Tosse e espirros
5. Dor abdominal
6. Inchaço dos tecidos submandibulares (sinusite)
7. Diminuição da produção de ovos
8. Baixa taxa de postura e baixa qualidade do ovo
9. Mortalidade aguda em alguns casos

A doença de Newcastle é uma zoonose, o que significa que pode ser transmitida a humanos. No entanto, os casos de infecção humana são raros e geralmente associados à exposição ocupacional a aves infectadas ou à ingestão de alimentos contaminados com o vírus. Os sintomas em humanos geralmente incluem conjuntivite, febre leve e sintomas respiratórios leves.

O diagnóstico da doença de Newcastle pode ser baseado em vários fatores, como história clínica, anamnese, sinais clínicos e resultados laboratoriais. O isolamento do vírus por meio de técnicas de cultura celular ou RT-PCR é o método mais preciso para confirmar a infecção. Também podem ser realizadas outras técnicas diagnósticas, como sorologia e histopatologia.

O tratamento da doença de Newcastle geralmente não é necessário, pois a maioria das aves infectadas se recupera naturalmente. No entanto, pode ser recomendado o uso de medidas de suporte, como administração de fluidos e nutrição adequada. Também podem ser usados antivirais e vacinas para prevenir a disseminação da infecção.

A prevenção da doença de Newcastle é essencial para proteger as aves domésticas e selvagens contra a infecção. As medidas preventivas incluem a vacinação regular das aves, o isolamento de aves infectadas, a limpeza e desinfecção adequadas dos ambientes avícolas e a restrição do movimento de aves e produtos avícolas em áreas infectadas. Além disso, é importante manter uma boa higiene pessoal e evitar o contato com aves selvagens ou domésticas infectadas.

A doença de Newcastle, também conhecida como pneumonia vírica aviária ou pseudopestre aviária, é uma doença viral altamente contagiosa que afeta principalmente aves, incluindo galinhas, patos e outras aves domésticas, assim como aves selvagens. O vírus da doença de Newcastle é um paramyxovírus aviário (PVA) que pertence à família Paramyxoviridae.

A doença de Newcastle pode causar sintomas leves a graves em aves, dependendo da cepa do vírus e da susceptibilidade da espécie afetada. Os sintomas podem incluir:

* Tosse e espirros
* Secreção nasal e ocular
* Diminuição do apetite
* Pele pálida ou cianose (cor azulada)
* Diarreia
* Baixo nível de produção de ovos
* Fraqueza e letargia
* Paralisia
* Mortalidade em massa em casos graves

A doença de Newcastle pode ser transmitida a humanos, mas isso é raro. Quando ocorre, geralmente afeta pessoas que trabalham em contato próximo com aves infectadas, como criadores e processadores de aves. Os sintomas em humanos podem incluir conjuntivite (inflamação dos olhos), febre leve e sintomas respiratórios leves.

Existem vacinas disponíveis para prevenir a doença de Newcastle em aves, mas não há tratamento específico para humanos infectados com o vírus. O controle da doença geralmente envolve a quarentena e o isolamento das aves infectadas, a desinfecção de equipamentos e instalações, e a vacinação de aves saudáveis em áreas de risco.

Paramyxovirinae é uma subfamília de vírus pertencentes à família Paramyxoviridae, que inclui vários vírus importantes para a saúde humana e animal. A subfamília Paramyxovirinae consiste em cinco gêneros:

1. Henipavirus: Inclui os vírus Hendra e Nipah, que podem causar doenças graves em humanos e animais, como encéfalitis e pneumonia.
2. Morbillivirus: Inclui o vírus da catapora (doença dos cães), vírus do sarampo, vírus da peste bovina e vírus da doença das baleias. Esses vírus podem causar doenças graves em humanos e animais.
3. Respirovirus: Inclui o vírus parainfluenza humano (HPIV1), vírus sincicial respiratório (HRSV) e vírus da pneumonia bovina. Esses vírus podem causar infecções do trato respiratório em humanos e animais.
4. Rubulavirus: Inclui o vírus da parotidite (paperas), vírus da catarampe dos porcos e vários outros vírus que podem causar infecções do trato respiratório, gastrointestinal ou neurológicas em humanos e animais.
5. Avulavirus: Inclui vários vírus que infectam aves e podem causar doenças como a doença de Newcastle e a pneumonia aviária.

Os vírus da subfamília Paramyxovirinae são envoltos em lipídios, têm genomas de RNA simples de sentido negativo e geralmente infectam células epiteliais do trato respiratório ou outros tecidos. Eles se replicam no citoplasma da célula hospedeira e são transmitidos por contato direto, gotículas ou aerossóis.

Henipavirus é um gênero de vírus da família Paramyxoviridae, que inclui os patógenos emergentes Hendra e Nipah vírus. Esses vírus têm um genoma de RNA monocatenário negativo e podem causar doenças graves em humanos e animais. O Hendra vírus é encontrado principalmente em cavalos e morcegos frugívoros, enquanto o Nipah vírus é encontrado em porcos e morcegos frugívoros. A transmissão de humanos geralmente ocorre através do contato direto com animais infectados ou material contaminado. Os sintomas da infecção humana podem variar de febre, mal-estar e dor de cabeça a encefalite severa e insuficiência respiratória, que podem ser fatais. Até o momento, não há vacinas ou tratamentos específicos disponíveis para essas infecções, e a prevenção depende do controle da exposição aos vírus.

Pneumovirus é um gênero de vírus da família Paramyxoviridae que inclui dois principais patógenos humanos: o vírus respiratório sincicial (VRS) e o metapneumovírus humano (hMPV). Esses vírus são a causa frequente de infecções respiratórias agudas, especialmente em crianças pequenas, idosos e indivíduos imunocomprometidos.

O VRS é o agente etiológico mais comum de bronquiolite e pneumonia em lactentes e crianças pequenas em todo o mundo. Os sintomas clínicos variam desde resfriados comuns até infecções graves do trato respiratório inferior, como bronquiolite e pneumonia.

O hMPV é responsável por aproximadamente 5 a 10% das infecções respiratórias agudas em crianças e pode causar sintomas leves a graves, incluindo tosse, congestão nasal, febre e dificuldade para respirar.

Ambos os vírus se transmitem principalmente por gotículas de secreções respiratórias infectadas, através do contato direto com superfícies contaminadas ou por fômites. A prevenção inclui medidas básicas de higiene, como o lavado regular das mãos e a limpeza adequada de superfícies contaminadas. Atualmente, não há vacinas ou tratamentos específicos disponíveis para infecções por pneumovírus, mas os cuidados de suporte e os medicamentos sintomáticos podem ajudar a aliviar os sintomas e prevenir complicações.

'Enciclopedias as a Subject' não é uma definição médica em si, mas sim um tema ou assunto relacionado ao campo das enciclopédias e referências gerais. No entanto, em um sentido mais amplo, podemos dizer que esta área se concentra no estudo e catalogação de conhecimento geral contido em diferentes enciclopédias, cobrindo uma variedade de tópicos, incluindo ciências médicas e saúde.

Uma definição médica relevante para este assunto seria 'Medical Encyclopedias', que se referem a enciclopédias especializadas no campo da medicina e saúde. Essas obras de referência contêm artigos detalhados sobre diferentes aspectos da medicina, como doenças, procedimentos diagnósticos, tratamentos, termos médicos, anatomia humana, história da medicina, e biografias de profissionais médicos importantes. Algumas enciclopédias médicas são direcionadas a um público especializado, como médicos e estudantes de medicina, enquanto outras são destinadas ao grande público leigo interessado em conhecimentos sobre saúde e cuidados médicos.

Exemplos notáveis de enciclopédias médicas incluem a 'Encyclopedia of Medical Devices and Instrumentation', 'The Merck Manual of Diagnosis and Therapy', ' tabulae anatomicae' de Vesalius, e a 'Gray's Anatomy'. Essas obras desempenharam um papel importante no avanço do conhecimento médico, fornecendo uma base sólida para o estudo e prática da medicina.

Paramyxoviridae é uma família de vírus com envelope que inclui diversos patógenos humanos e animais importantes. Esses vírus têm genomas de RNA de sentido negativo, não segmentado e monocatenário, com aproximadamente 15 a 19 kilobases de comprimento. A estrutura do genoma é linear e tem um extremidade 3' não poliadenilada e uma extremidade 5' metilada.

Os membros da família Paramyxoviridae são classificados em dois subfamílias: Pneumovirinae e Paramyxovirinae. A subfamília Pneumovirinae inclui os gêneros Metapneumovirus e Pneumovirus, que contém espécies como o vírus sincicial respiratório humano (HRSV) e o metapneumovírus humano (HMPV). A subfamília Paramyxovirinae inclui os gêneros Henipavirus, Morbillivirus, Respirovirus, Rubulavirus e Aquaparamyxovirus.

Os vírus da família Paramyxoviridae causam uma variedade de doenças em humanos e animais, incluindo a parainfluenza, sarampo, catarro nasal bovino, pneumonia equina, meningite, encefalite e outras infecções respiratórias e sistêmicas graves. Alguns membros da família Paramyxoviridae também têm potencial para serem usados como agentes de bioterrorismo.

A replicação dos vírus da família Paramyxoviridae ocorre no citoplasma das células hospedeiras e envolve a transcrição do genoma em moléculas de RNA mensageiro (mRNAs) que são traduzidas em proteínas estruturais e não estruturais. A entrada dos vírus na célula hospedeira é mediada pela interação entre as glicoproteínas de envelope do vírus e os receptores da superfície celular, seguida pela fusão do envelope viral com a membrana celular e liberação do genoma viral no citoplasma.

O vírus, agente da doença, pertence à família Paramyxoviridae, gênero Avulavirus. Existem nove sorotipos diferentes desde o ... e o gênero Avulavirus (vírus da Doença de Newcastle, mantida a designação APMV-1). É bastante sensível a luz solar e ...
Abaixo estão listadas as subfamílias e gêneros que compõem a família Paramyxoviridae: Subfamília Paramyxovirinae Avulavirus ...
Avulavirus) por estirpes mesogênicas ou lentogênicas. O diagnóstico definitivo depende de confirmação laboratorial. Anticorpos ...
Avulavirus). As primeiras referências de que tratamentos eficazes para vírus similares poderiam ser efetivos para cinomose ...
O vírus, agente da doença, pertence à família Paramyxoviridae, gênero Avulavirus. Existem nove sorotipos diferentes desde o ... e o gênero Avulavirus (vírus da Doença de Newcastle, mantida a designação APMV-1). É bastante sensível a luz solar e ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Infecções por Avulavirus Infecções por Bacillaceae Infecções por Bactérias use Infecções Bacterianas ...
Infecções por Avulavirus Infecções por Bacillaceae Infecções por Bactérias use Infecções Bacterianas ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...
Avulavirus. Vírus Semelhantes ao Norwalk. Norovirus. Vírus Semelhantes ao Sapporo. Sapovirus. B05 - ALGAS E FUNGOS. ...

No FAQ disponível com os "avulavirus"