Compostos utilizados extensivamente como agentes de acetilação, oxidação e desidratação, além de serem utilizados na modificação de proteínas e enzimas.
Compostos químicos derivados de ácidos pela eliminação de uma molécula de água.
Subclasse de anidridos com a estrutura geral de di-hidrofurandiona. Podem estar substituídos em qualquer átomo de carbono. Modificam e inibem proteínas e enzimas, além de serem utilizados na acilação de grupos amino e hidroxílicos.
Anidridos de ácidos ftálicos. Pode ser substituído em qualquer átomo de carbono. Utilizado extensivamente na indústria e como reagente na acilação de grupos amino e hidroxílicos.
Utilizados em reações de copolimerização na síntese de Diels-Alder(dieno), na preparação de resinas, químicos farmacêuticos e agrícolas. É um poderoso irritante e causa queimaduras.
Formação de um derivado acetil. (Stedman, 25a ed)
Subclasse dos GLICOESFINGOLIPÍDEOS que contém um ou mais açúcares na cabeça ligado diretamente a uma molécula ceramida. Consistem em monoglicosil-, e oligoglicosilesfingoides e monoglicosil- e oligoglicosilceramidas.
Derivados do ÁCIDO ACÉTICO. Sob este descritor estão incluídos uma grande variedade de formas ácidas, sais, ésteres e amidas que contêm a estrutura carboximetano.
Anidridos metilmaleicos.
Ciência básica envolvida com a composição, estrutura e propriedades da matéria, bem como as reações que ocorrem entre substâncias e o intercâmbio de energia associado às reações.
Composição, conformação e propriedades de átomos e moléculas, e seus processos de reação e interação.
Aminoácido essencial, frequentemente adicionado à ração animal.
Cromatografia em camadas delgadas de adsorventes e não em colunas. O adsorvente pode ser alumina, sílica gel, silicatos, carvão vegetal ou celulose.
Método espectroscópico de medição do momento magnético de partículas elementares, como núcleos atômicos, prótons ou elétrons. É empregada em aplicações clínicas, como Tomografia por RMN (IMAGEM POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA).
Trítio, também conhecido como hidrogénio-3, é um isótopo radioativo do hidrogênio com dois neutrons e um próton em seu núcleo, naturalmente presente em pequenas quantidades na água do mar e geralmente produzido como subproduto na indústria nuclear.

Os anidridos acéticos, também conhecidos como anidrido acético, são compostos químicos com a fórmula (CH3CO)2O. Trata-se de um sólido volátil e incolor com um cheiro pungente e irritante. É o anidrido da ácido acético e é usado em síntese orgânica como um agente desidratante e acetilação.

Em contato com a umidade, os anidridos acéticos reagem rapidamente para formar ácido acético líquido e vapor, o que pode causar queimaduras e irritação nas peles e membranas mucosas. É por isso que é importante manipulá-lo com cuidado, usando equipamentos de proteção adequados, como luvas e óculos de proteção.

No corpo humano, os anidridos acéticos podem ser metabolizados em ácido acético e eliminados através da urina. No entanto, a exposição a grandes quantidades ou concentrações elevadas pode causar sintomas como tosse, falta de ar, náuseas, vômitos e diarréia. Em casos graves, a exposição a anidridos acéticos pode levar a edema pulmonar e insuficiência respiratória.

Em medicina, o termo "anidrido" não é usado para descrever uma condição médica específica. No entanto, em química, um anidrido é um composto que contém dois grupos funcionais -O na mesma molécula. Alguns anidridos são utilizados em medicina como fármacos ou reagentes químicos.

Por exemplo, o anidrido acético é usado como um agente desidratante em alguns procedimentos cirúrgicos e também como um excipiente em algumas formulações farmacêuticas. O anidrido carbônico (CO2) é produzido naturalmente pelo corpo humano durante a respiração e é essencial para o equilíbrio ácido-base do sangue.

Em resumo, "anidridos" são termos de química que podem estar relacionados com algumas aplicações médicas, mas não se referem a uma condição médica específica.

Os anidridos succínicos são compostos orgânicos que consistem em um par de grupos funcionais de ácido succínico unidos por um átomo de oxigênio. Em outras palavras, é o dianidrido do ácido succínico. Sua fórmula química é (CH2)2(CO)2O.

Na medicina, os anidridos succínicos podem ser usados como um agente dessecante em cremes e pomadas para ajudar a reduzir a umidade da pele. Também são usados como intermediários na síntese de outros compostos químicos, incluindo alguns medicamentos.

No entanto, é importante notar que os anidridos succínicos em si não têm propriedades terapêuticas diretas e sua exposição excessiva pode causar irritação na pele e nos olhos. Portanto, devem ser usados com cuidado e conforme indicado por um profissional de saúde qualificado.

Os anidridos ftálicos são compostos químicos formados pela reação de ácidos ftálicos com a molécula de água, resultando na perda da água e formação de um grupo funcional anidro. Existem dois tipos principais de anidridos ftálicos: o anidrido ftálico meta (ou MPA) e o anidrido ftálico orto (ou OPA).

O anidrido ftálico meta é obtido pela reação do ácido ftálico com si mesmo, enquanto o anidrido ftálico orto é formado a partir da reação do ácido ftálico com o ácido benzóico. Estes compostos são amplamente utilizados em síntese orgânica como reagentes para a formação de ésteres, amidas e outros derivados de ácidos carboxílicos.

A fórmula química do anidrido ftálico meta é C6H4O3 e do anidrido ftálico orto é C7H6O3. É importante ressaltar que os anidridos ftálicos são substâncias voláteis, corrosivas e irritantes para a pele, olhos e sistema respiratório, portanto, devem ser manipuladas com cuidado e equipamento de proteção individual.

Os anidridos maleicos são compostos químicos que consistem em dióxido de buteno, um líquido volátil e incolor com um odor característico. Sua fórmula molecular é C2H2O3. É usado como um intermediário na produção de resinas sintéticas, tintas, corantes, perfumes sintéticos e outros produtos químicos especializados.

No campo médico, os anidridos maleicos não têm uso direto como medicamento ou terapia. No entanto, podem ser usados em alguns procedimentos cirúrgicos como um agente de sellagem para fechar feridas e promover a cicatrização. Além disso, o anidrido maleico pode ser encontrado em alguns materiais médicos, como cateteres e próteses, para reduzir a biofilme bacteriano e impedir a infecção.

É importante ressaltar que os anidridos maleicos podem ser irritantes para a pele, olhos e sistema respiratório, portanto, devem ser manuseados com cuidado e precaução adequada. Em caso de exposição, é recomendável procurar atendimento médico imediatamente.

Na medicina e bioquímica, a acetilação é um processo pelo qual um grupo funcional acetilo (-COCH3) é adicionado a um composto. Em particular, isso geralmente se refere à adição de um grupo acetilo a uma proteína ou ácido nucléico por enzimas específicas chamadas acetiltransferases.

A acetilação desempenha um papel importante na regulação da função das proteínas, especialmente nos histonas, que são proteínas que package DNA em nossos cromossomos. A adição de grupos acetilo aos resíduos de lisina nas caudas N-terminais das histonas pode relaxar a estrutura do cromatina e facilitar o acesso do DNA a fatores de transcrição, aumentando assim a expressão gênica. Em contrapartida, a remoção dos grupos acetilo por desacetilases resulta em uma condensação da cromatina e repressão gênica.

A acetilação também pode ocorrer em outras proteínas além das histonas e desempenhar funções regulatórias similares, como a regulação do metabolismo de glicose e lipídios, resposta ao estresse oxidativo e inflamação.

Em resumo, a acetilação é um processo importante na regulação da expressão gênica e outras funções celulares, e desequilíbrios neste processo podem contribuir para o desenvolvimento de doenças, como câncer e diabetes.

Glicoesfingolipídeos neutros são tipos específicos de glicoesfingolipídeos que não possuem carga líquida à neutralidade em pH fisiológico. Eles desempenham funções importantes nas membranas celulares, especialmente nas células do sistema nervoso central.

Existem dois tipos principais de glicoesfingolipídeos neutros: ceramidas e gangliosides. As ceramidas são moléculas simples compostas por um ácido graxo ligado a uma molécula de esfingosina. Já as gangliosides são glicoesfingolipídeos mais complexos, que contêm uma ou mais unidades de açúcar adicionais ligadas à molécula de ceramida.

As gangliosides são classificadas em função do número e tipo de unidades de açúcar que contém. As principais classes de gangliosides são as GM1, GD1a, GD1b e GT1b, que diferem umas das outras no número e tipo de unidades de açúcar presentes na molécula.

As glicoesfingolipídeos neutros desempenham funções importantes nas células, incluindo a modulação da atividade de proteínas e receptores de membrana, o tráfego intracelular e a organização da membrana celular. Além disso, eles também estão envolvidos em processos patológicos, como a formação de placas amiloides no cérebro de pacientes com doença de Alzheimer e a patogênese de algumas doenças genéticas raras, como as doenças de Gaucher e Tay-Sachs.

Na medicina, "acetatos" geralmente se refere a sais ou ésteres do ácido acético. Eles são amplamente utilizados em diferentes contextos médicos e farmacológicos. Alguns exemplos comuns incluem:

1. Acetato de cálcio: É um antiácido que pode ser usado para neutralizar o excesso de acididade no estômago. Também é usado como suplemento de cálcio em alguns casos.

2. Acetato de lantânio: É às vezes usado como um agente anti-diarréico, especialmente quando a diarreia é causada por bactérias que produzem toxinas.

3. Acetato de aluminício: Também é usado como um antiácido e para tratar a elevação dos níveis de ácido úrico no sangue, uma condição chamada hiperuricemia.

4. Espironolactona acetato: É um diurético utilizado no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva e edema. Também é usado para tratar a pressão alta.

5. Acetato de hidrocortisona: É um esteroide usado em cremes, unguentos e soluções para tratar inflamação, coceira e outros sintomas da dermatite e outras condições da pele.

6. Ácido acético (que é tecnicamente um acetato de hidrogênio): É um desinfetante comum usado em soluções como o vinagre. Também é usado em alguns líquidos para lentes de contato para ajudar a esterilizá-los antes do uso.

Esses são apenas alguns exemplos. Existem muitos outros acetatos com diferentes usos na medicina e farmacologia.

Na medicina, "anidridos citracónicos" não é um termo comumente usado. No entanto, em química, os anidridos citracónicos são compostos orgânicos que resultam da reação de ácido cítrico com ácidos anidros. Eles têm propriedades reacionais úteis e são usados em síntese orgânica.

Em um contexto médico, é possível que se refira a um medicamento específico chamado "citracónico de sódio", que é um agente anti-inflamatório não esteroidal (AINE) usado no tratamento de dores musculoesqueléticas leves à moderadas. No entanto, este composto não está relacionado aos anidridos citracónicos em termos químicos.

Em resumo, "anidridos citracónicos" é um termo de química orgânica e não tem uma definição médica específica. Se houver alguma dúvida sobre o uso deste termo em um contexto médico ou relacionado à saúde, seria recomendável consultar a um profissional de saúde qualificado para obter uma resposta mais precisa e adequada ao seu contexto.

De acordo com a maioria dos dicionários médicos, a química é definida como o ramo da ciência natural que se ocupa do estudo da estrutura, propriedades, composição e reações de substâncias materiais. A química desempenha um papel fundamental em muitas áreas da medicina e da saúde humana, incluindo farmacologia (o estudo dos medicamentos e suas ações na química do corpo), bioquímica (o estudo das substâncias químicas e reações que ocorrem no corpo vivo), toxicologia (o estudo da natureza, dos efeitos adversos e do tratamento das substâncias tóxicas) e patologia (o estudo das causas e progressão de doenças).

Em um nível mais básico, a química é o estudo da forma como as diferentes substâncias se combinam ou reagem uma com a outra. Isso pode incluir desde a formação de novos compostos até a liberação ou absorção de energia. A química é uma ciência fundamental que nos ajuda a entender o mundo à nossa volta e como as coisas funcionam ao nível molecular.

Os fenômenos químicos referem-se a alterações na composição ou estrutura molecular das substâncias que ocorrem quando elas interagem entre si. Essas mudanças resultam na formação de novas substâncias ou produtos, com propriedades e características distintas em relação às substâncias de origem.

Existem quatro tipos principais de fenômenos químicos: combustão, oxidação, síntese e análise. A combustão é um processo rápido que envolve uma reação entre um combustível e um oxidante, geralmente o oxigênio do ar, resultando na formação de calor, luz e produtos de combustão, como dióxido de carbono e água. A oxidação é um processo em que uma substância cede elétrons a outra, podendo ou não envolver o oxigênio como oxidante. A síntese é a formação de novas substâncias a partir da combinação de duas ou mais substâncias, enquanto a análise é o processo inverso, no qual uma substância é desconstruída em suas partes constituintes.

Os fenômenos químicos são governados por leis e princípios da química, como a lei de conservação da massa, a lei das proporções definidas e a teoria atômica. Eles desempenham um papel fundamental em diversas áreas do conhecimento, incluindo a biologia, a física, a medicina, a engenharia e a indústria, entre outras.

Lisina é um aminoácido essencial, o que significa que ele deve ser obtido através da dieta porque o corpo não é capaz de produzi-lo por si só. É um dos blocos de construção das proteínas e desempenha um papel importante em diversas funções corporais, incluindo a síntese de colágeno e elastina (proteínas estruturais importantes para a saúde da pele, cabelo, unhas e tendões), produção de hormônios, absorção de cálcio e produção de anticorpos.

A lisina é essencial para o crescimento e desenvolvimento, especialmente em crianças. Além disso, estudos têm sugerido que a suplementação com lisina pode ajudar a prevenir ou tratar certas condições de saúde, como a herpes, a fadiga crônica e o déficit de vitamina C. No entanto, é importante consultar um médico antes de começar a tomar qualquer suplemento, especialmente se estiver grávida, amamentando ou tomando medicamentos prescritos.

Na medicina e nas ciências biológicas, a cromatografia em camada delgada (CCD) é um método analítico e preparativo para separar, identificar e purificar diferentes componentes de uma mistura. Neste processo, a amostra mixta é aplicada sobre uma fina camada (camada delgada) de adsorvente, geralmente um material à base de sílica ou alumina, que está fixado em uma placa de suporte rígida.

Após a aplicação da amostra, ocorre a migração dos componentes da mistura através da camada delgada devido ao desenvolvimento (elução) com um solvente ou uma mistura de solventes, chamados de fase móvel. A interação diferencial entre os componentes da amostra e o adsorvente resulta em diferenças nas velocidades de migração, levando assim à separação dos componentes.

A CCD é amplamente utilizada em laboratórios clínicos, farmacêuticos, químicos e de pesquisa para a análise de drogas, metabolitos, toxinas, pigmentos, proteínas, lipídeos e outros compostos. Além disso, é um método simples, rápido e econômico para fins analíticos e preparativos em pesquisas científicas e no desenvolvimento de novos medicamentos.

A espectroscopia de ressonância magnética (EMR, do inglês Magnetic Resonance Spectroscopy) é um método de análise que utiliza campos magnéticos e ondas de rádio para estimular átomos e moléculas e detectar seu comportamento eletrônico. Nesta técnica, a ressonância magnética de certos núcleos atômicos ou elétrons é excitada por radiação electromagnética, geralmente no formato de ondas de rádio, enquanto o campo magnético está presente. A frequência de ressonância depende da força do campo magnético e das propriedades magnéticas do núcleo ou elétron examinado.

A EMR é amplamente utilizada em campos como a química, física e medicina, fornecendo informações detalhadas sobre a estrutura e interação das moléculas. Em medicina, a espectroscopia de ressonância magnética nuclear (RMN) é usada como uma técnica de diagnóstico por imagem para examinar tecidos moles, especialmente no cérebro, e detectar alterações metabólicas associadas a doenças como o câncer ou transtornos neurológicos.

Em resumo, a espectroscopia de ressonância magnética é um método analítico que utiliza campos magnéticos e ondas de rádio para estudar as propriedades eletrônicas e estruturais de átomos e moléculas, fornecendo informações valiosas para diversas áreas do conhecimento.

Trítio, também conhecido como hidrogênio-3, é um isótopo radioativo do hidrogênio. Sua núcleo contém um próton e dois nêutrons, diferentemente do hidrogênio normal, que possui apenas um próton em seu núcleo.

O trítio é instável e decai com uma meia-vida de cerca de 12,3 anos, emitindo partículas beta de baixa energia durante o processo. É encontrado em pequenas quantidades na natureza, mas a maior parte do trítio usado hoje é produzido artificialmente, geralmente como um subproduto da produção de energia nuclear ou em reações nucleares específicas.

Devido à sua radioatividade e facilidade de incorporação em moléculas de água, o trítio pode apresentar riscos para a saúde se concentrado em níveis elevados. No entanto, é frequentemente usado em aplicações científicas e tecnológicas, como marcadores radioativos e fontes de luz em relógios de radioluminescência.

... ácido acético ou sobre anidridos acéticos19. Consequente destas diferentes vias, alguns de seus componentes podem apresentar-se ...
Anidridos Acéticos - Conceito preferido Identificador do conceito. M0000133. Nota de escopo. Compostos utilizados ...

No FAQ disponível com os "anidridos acéticos"

No imagens disponível com os "anidridos acéticos"