Povidona é um polímero sintético, também conhecido como PVP ou polivinilpirrolidona, que é amplamente utilizado na indústria farmacêutica como excipiente em medicamentos. É uma substância inativa que serve como veículo para os principios ativos dos medicamentos, ajudando-os a se dissolver, desagregar ou dispersar uniformemente.

Em contextos médicos, povidona é frequentemente encontrada em formulações tópicas, como soluções e cremes antissépticos, devido à sua capacidade de aderir à pele e tecidos mucosos, proporcionando assim uma ação prolongada. A forma jélida de povidona iodada (PVP-I) é comumente usada como desinfetante prévio à cirurgia e para o tratamento de feridas e queimaduras superficiais.

Embora a própria povidona não tenha atividade antimicrobiana, a forma jélida de povidona iodada é capaz de liberar iodo, o que confere à formulação propriedades antissépticas e desinfetantes. É importante notar que a povidona não deve ser ingerida ou inalada em grande quantidade, pois pode causar efeitos adversos.

Substance P é um neuropeptídeo, o que significa que é uma pequena proteína usada por neurônios (células nervosas) para se comunicar entre si. Ele foi descoberto em 1931 pelo cientista norueguês Ulf von Euler e recebeu o nome de "substância Powdery" devido à sua natureza branca e polvorosa.

Substance P é composta por onze aminoácidos e está presente em todo o sistema nervoso central e periférico. Ela atua como neurotransmissor, ou seja, participa da transmissão de sinais elétricos entre neurônios. Substance P é conhecida por desempenhar um papel importante na modulação do doloroso, sendo responsável pela sensação de dor aguda e crônica. Além disso, está envolvido em diversos processos fisiológicos, como a regulação do sistema imunológico, a resposta ao estresse e a memória.

Em condições patológicas, como asma, alergias, infecções e inflamações, os níveis de Substance P podem aumentar, contribuindo para a sintomatologia associada a essas doenças. Por isso, é um alvo terapêutico importante no desenvolvimento de novos tratamentos para o manejo da dor e outras condições clínicas.

Na medicina e biologia, as "substâncias macromoleculares" se referem a moléculas grandes e complexas que desempenham um papel crucial em muitos processos fisiológicos e patológicos. Essas substâncias geralmente são formadas por unidades menores, chamadas de monômeros, que se combinam para formar estruturas maiores, as macromoléculas. Existem quatro classes principais de substâncias macromoleculares: proteínas, carboidratos, lipídios e ácidos nucléicos (DNA e RNA).

1. Proteínas: São formadas por aminoácidos e desempenham diversas funções no organismo, como atuar como enzimas, hormônios, anticorpos e componentes estruturais de tecidos e órgãos.

2. Carboidratos: Também conhecidos como açúcares ou hidratos de carbono, são formados por monômeros chamados monossacarídeos (glicose, frutose e galactose). Eles podem ser simples, como o açúcar de mesa (sacarose), ou complexos, como amido e celulose.

3. Lipídios: São formados por ácidos graxos e álcoois, e incluem gorduras, óleos, fosfolipídios e colesterol. Eles desempenham funções estruturais, energéticas e de sinalização celular.

4. Ácidos nucléicos: DNA (ácido desoxirribonucleico) e RNA (ácido ribonucleico) são formados por nucleotídeos e armazenam e transmitem informações genéticas, bem como desempenham um papel na síntese de proteínas.

Substâncias macromoleculares podem sofrer alterações em suas estruturas devido a fatores genéticos ou ambientais, o que pode resultar em doenças e desordens. Estudos da biologia molecular e bioquímica são dedicados ao entendimento das funções e interações dessas moléculas para desenvolver estratégias de prevenção e tratamento de doenças.

Os Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias (TRUS) são um grupo de condições mentais que ocorrem quando alguém faz uso indevido ou abusivo de drogas ou medicamentos. De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), publicado pela Associação Americana de Psiquiatria, os TRUS incluem 10 classes diferentes de substâncias:

1. álcool;
2. caffeína;
3. cannabis;
4. halucinógenos;
5. inalantes;
6. opióides;
7. sedativos, hipnóticos e ansiolíticos;
8. estimulantes (incluindo cocaine e anfetaminas);
9. outras substâncias ou medicamentos;
10. transtornos não especificados em relação a uma substância específica.

Para ser diagnosticado com um TRUS, os critérios gerais incluem:
- Uso recreativo ou não médico de uma substância;
- Falha repetida em cumprir obrigações escolares, profissionais ou domésticas devido ao uso da substância;
- Recorrente uso da substância em situações físicas perigosas;
- Uso contínuo apesar de problemas interpessoais causados ou exacerbados pela substância;
- Tolerância à substância (necesidade de consumir quantidades maiores para obter os mesmos efeitos);
- Sinais e sintomas de abstinência quando a substância não é usada.

Cada classe de substância tem critérios específicos adicionais que precisam ser atendidos para um diagnóstico específico de TRUS. É importante notar que o uso indevido ou abuso de substâncias pode levar a problemas de saúde física e mental graves, incluindo dependência e overdose.

Os Receptores da Neurocinina-1 (NK-1R) são um tipo de receptor acoplado à proteína G que se ligam especificamente à neurocinina-1 (substância P), um neuropeptídeo envolvido em diversas funções fisiológicas e patológicas no sistema nervoso central e periférico.

Esses receptores estão distribuídos amplamente no sistema nervoso central, especialmente nos núcleos do rafe magnus e no tronco encefálico, onde desempenham um papel importante na modulação da dor, vômito, ansiedade, depressão e outros comportamentos emocionais.

No sistema nervoso periférico, os NK-1R estão presentes em neurônios sensoriais, células endoteliais e imunes, onde estão envolvidos na regulação da inflamação e do sistema imune.

A ativação dos receptores NK-1R por neurocinina-1 leva a uma variedade de respostas celulares, incluindo a ativação de canais iônicos, a produção de segundos mensageiros e a expressão gênica.

Devido à sua importância em diversos processos fisiológicos e patológicos, os NK-1R têm sido alvo de pesquisas para o desenvolvimento de novos tratamentos farmacológicos para doenças como a dor crônica, náuseas e vômitos induzidos por quimioterapia, depressão e transtornos de ansiedade.

"Substance Treatment Centers" na medicina referem-se a instalações especializadas no tratamento de pessoas com problemas de abuso ou dependência de substâncias. Esses centros fornecem uma variedade de serviços, incluindo avaliação e diagnóstico, terapia individual e em grupo, conselhos sobre estilo de vida saudável, manejo de recaídas e suporte contínuo para aqueles que procuram recuperação de sua dependência. Alguns centros podem se especializar no tratamento de certos tipos de dependência, como álcool ou drogas ilegais, enquanto outros podem oferecer um amplo leque de serviços para abordar múltiplas formas de dependência. O objetivo geral desses centros é ajudar as pessoas a interromper o uso de substâncias nocivas, desenvolver habilidades adaptativas e promover uma vida saudável e produtiva, livre de drogas ou álcool.