Metilmanosídeos são compostos orgânicos que consistem em um resíduo de manose ligado a um carbono do ácido siálico por meio de um linkagem α-metilglicosídica. Eles são encontrados na superfície das células e desempenham um papel importante nas interações celulares, especialmente no sistema nervoso central. Os metilmanosídeos são sintetizados a partir de manose-6-fosfato e N-acetilneuramínico por meio de uma série de reações enzimáticas envolvendo glicosiltransferases. Eles estão presentes em diversas glicoproteínas e gangliosídios, e sua expressão pode ser regulada em diferentes tecidos e durante o desenvolvimento. Alterações na síntese e no metabolismo dos metilmanosídeos têm sido associadas a várias doenças, incluindo distúrbios neurológicos e câncer.