'Infecção Laboratorial' é um termo usado em medicina e saúde pública para se referir a uma infecção adquirida por contato acidental com organismos patogênicos (bactérias, vírus, fungos ou parasitas) durante atividades laboratoriais. Isto pode ocorrer quando as precauções adequadas de biossegurança não são seguidas corretamente, como por exemplo ao manipular amostras clínicas ou culturas de microorganismos perigosos em ambientes laboratoriais inadequadamente controlados.

As infecções laboratoriais podem variar em gravidade desde infecções cutâneas leves até doenças graves, potencialmente fatais, dependendo do patógeno envolvido e da susceptibilidade do indivíduo infectado. Portanto, é essencial que os profissionais de laboratório sigam rigorosamente os procedimentos recomendados para a manipulação de materiais infecciosos e usem equipamentos de proteção individual adequados, como luvas, máscaras e óculos de proteção, para minimizar o risco de exposição e infecção.

Em termos médicos, "laboratórios" se referem a instalações especialmente equipadas e projetadas para realizar diferentes tipos de análises e testes em amostras clínicas ou biológicas. Esses laboratórios são essenciais para o diagnóstico, prevenção, tratamento e pesquisa médica. Existem vários tipos de laboratórios, incluindo:

1. Laboratório Clínico: É responsável por realizar exames de rotina em amostras biológicas, como sangue, urina e tecidos. Esses testes ajudam no diagnóstico e monitoramento de doenças, bem como na avaliação da saúde geral dos indivíduos. Alguns exemplos de exames laboratoriais clínicos incluem hemograma completo (CBC), perfil bioquímico, testes para marcadores tumorais e coagulação sanguínea.

2. Microbiologia: Nesse tipo de laboratório, os profissionais estudam microrganismos, como bactérias, fungos, parasitas e vírus. Eles desempenham um papel crucial no isolamento, identificação e sensibilidade a antibióticos dos agentes infecciosos. Isso ajuda os médicos a escolher o tratamento antimicrobiano adequado para seus pacientes.

3. Patologia: É o ramo da medicina que diagnostica, estuda e interpreta alterações morfológicas e fisiológicas em tecidos e órgãos humanos. A patologia inclui dois ramos principais: anatomia patológica (exame de tecidos e órgãos) e citopatologia (estudo de células). Os patologistas trabalham em estreita colaboração com clínicos e cirurgiões para fornecer diagnósticos precisos de doenças, como câncer, doenças cardiovasculares e outras condições graves.

4. Genética: Nesse tipo de laboratório, os profissionais estudam genes, herança e variação genética em indivíduos e populações. Eles desempenham um papel crucial no diagnóstico e aconselhamento genético para doenças hereditárias, como fibrose cística, distrofia muscular de Duchenne e anemia falciforme. Além disso, os laboratórios genéticos também são importantes no campo da medicina reprodutiva, fornecendo testes pré-natais e aconselhamento para pais.

5. Bioquímica clínica: Nesse tipo de laboratório, os profissionais estudam substâncias químicas presentes em fluidos corporais, como sangue e urina. Eles desempenham um papel crucial no diagnóstico e monitoramento de doenças metabólicas, endócrinas e outras condições clínicas. Alguns exemplos de testes incluem glicose em sangue, colesterol, creatinina e eletrólitos.

6. Hematologia: Nesse tipo de laboratório, os profissionais estudam células sanguíneas e outros componentes do sistema hematopoiético. Eles desempenham um papel crucial no diagnóstico e monitoramento de doenças hematológicas, como anemia, leucemia e outras condições clínicas relacionadas ao sangue. Alguns exemplos de testes incluem hemograma completo (Hematocrito, Hemoglobina, Contagem de glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas).

7. Microbiologia: Nesse tipo de laboratório, os profissionais estudam microorganismos, como bactérias, fungos, parasitas e vírus. Eles desempenham um papel crucial no diagnóstico e monitoramento de infecções bacterianas, fúngicas e virais. Alguns exemplos de testes incluem culturas bacterianas, testes de sensibilidade a antibióticos e detecção de vírus por PCR.

8. Patologia clínica: Nesse tipo de laboratório, os profissionais estudam amostras de tecidos, líquidos corporais e outros materiais biológicos para diagnosticar doenças e monitorar a saúde dos pacientes. Eles desempenham um papel crucial no diagnóstico e monitoramento de diversas condições clínicas, como câncer, doenças cardiovasculares, diabetes e outras doenças crônicas. Alguns exemplos de testes incluem histopatologia, citopatologia, bioquímica clínica e imunologia clínica.

9. Toxicologia: Nesse tipo de laboratório, os profissionais estudam a presença e os efeitos de substâncias tóxicas em amostras biológicas, como sangue, urina e tecidos. Eles desempenham um papel crucial no diagnóstico e monitoramento de intoxicações agudas e crônicas, bem como na avaliação da exposição ocupacional a substâncias tóxicas. Alguns exemplos de testes incluem análises de drogas e medicamentos, detecção de metais pesados e avaliação de biomarcadores de exposição e efeito tóxico.

10. Genética clínica: Nesse tipo de laboratório, os profissionais estudam a relação entre genes e doenças para diagnosticar e prever o risco de desenvolvimento de condições genéticas e hereditárias. Eles desempenham um papel crucial no diagnóstico e counseling genético, bem como na pesquisa e desenvolvimento de novas terapias genéticas. Alguns exemplos de testes incluem análises de DNA, detecção de mutações genéticas e avaliação do risco de doenças hereditárias.

Em resumo, os laboratórios clínicos desempenham um papel fundamental na prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças, fornecendo informações precisas e confiáveis sobre a saúde dos pacientes. A acreditação e certificação dos laboratórios clínicos são essenciais para garantir a qualidade e a segurança das análises realizadas, bem como para promover a melhoria contínua da prática laboratorial.

Os Laboratórios Hospitalares são instalações especializadas em um hospital ou centro médico que fornecem serviços de diagnóstico e análises clínicas para ajudar no tratamento adequado dos pacientes. Eles desempenham um papel crucial na prestação de cuidados de saúde, fornecendo informações precisas e oportunas sobre os estados de saúde dos indivíduos.

Os Laboratórios Hospitalares oferecem uma ampla gama de testes, desde exames simples como hemogramas e testes de urina até análises complexas como biopsias e culturas microbiológicas. Alguns dos serviços comuns prestados por esses laboratórios incluem:

1. Hematologia: Análise de sangue completa, contagem de glóbulos brancos e vermelhos, e avaliação da coagulação sanguínea.
2. Química Clínica: Testes para avaliar funções orgânicas, como níveis de glicose, colesterol, creatinina e enzimas hepáticas.
3. Microbiologia: Identificação e sensibilidade a antibióticos de microrganismos causadores de infecções, como bactérias, fungos e vírus.
4. Serologia e Sorologia: Testes para detectar anticorpos ou antígenos relacionados a doenças infecciosas, como HIV, hepatite e sífilis.
5. Citopatologia e Histopatologia: Análise de células e tecidos, geralmente obtidos por meio de biópsias ou outros procedimentos diagnósticos invasivos.
6. Genética Molecular: Testes para detectar anomalias genéticas e mutações, bem como marcadores tumorais e doenças mitocondriais.

Os Laboratórios Hospitalares são operados por equipes multidisciplinares de profissionais altamente qualificados, incluindo bioquímicos clínicos, patologistas, microbiologistas, citopatologistas e técnicos de laboratório. Além disso, eles desempenham um papel fundamental no diagnóstico, monitoramento e acompanhamento do tratamento de pacientes com diversas condições clínicas, desde doenças infecciosas e metabólicas até câncer e outras patologias complexas.

As técnicas de laboratório clínico são métodos sistemáticos e normalizados utilizados para realizar análises em amostras biológicas, como sangue, urina e tecidos, a fim de fornecer informações diagnósticas, pronósticas ou terapêuticas sobre o estado de saúde de um indivíduo. Essas técnicas envolvem uma variedade de procedimentos, como química clínica, hematologia, microbiologia, imunologia, citogenética e bioquímica, entre outros. Algumas das técnicas laboratoriais comuns incluem:

1. Testes bioquímicos: Análise de níveis de substâncias químicas no sangue ou outras fluidos corporais, como glicose, colesterol, eletrólitos e enzimas.
2. Hematologia: Contagem e avaliação das características dos glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas no sangue.
3. Microbiologia: Identificação e sensibilidade a antibióticos de bactérias, fungos e parasitos presentes em amostras clínicas.
4. Imunologia: Determinação da presença e quantidade de anticorpos ou antígenos específicos no sangue ou outros fluidos corporais.
5. Citogenética: Análise do cariótipo das células, isto é, o número e a aparência dos cromossomos, para detectar anomalias genéticas.
6. Testes moleculares: Identificação de DNA ou RNA específicos usando técnicas como PCR (reação em cadeia da polimerase) ou sequenciamento de genes.

As técnicas de laboratório clínico são essenciais para o diagnóstico, tratamento e monitoramento de doenças, fornecendo informações precisas sobre a saúde dos pacientes e orientando as decisões clínicas.

"Animals of laboratory" (animal de laboratório) são animais utilizados em pesquisas científicas, ensino e testes de produtos e dispositivos médicos. Eles podem incluir uma variedade de espécies, como ratos, camundongos, coelhos, porcos, macacos e outros mamíferos, bem como aves, répteis, anfíbios e invertebrados. Esses animais são mantidos e cuidados em instalações especiais que seguem regulamentações rigorosas para garantir o seu bem-estar e a humanidade no tratamento. Eles desempenham um papel crucial no avanço do conhecimento médico e na desenvolvimento de novas terapias e tratamentos para beneficiar a saúde humana e animal.