Os derivados do benzeno são compostos orgânicos que contêm o benzeno como um grupo funcional ou como um componente da molécula. O benzeno é uma estrutura básica em química orgânica, composta por um anel hexagonal de átomos de carbono com um átomo de hidrogênio ligado a cada um dos átomos de carbono.

Quando outros grupos químicos se substituem a alguns ou a todos os átomos de hidrogênio do anel de benzeno, formam-se derivados do benzeno. Estes derivados podem apresentar propriedades físicas e químicas diferentes da do benzeno original, dependendo dos grupos funcionais presentes na molécula.

Existem muitos derivados de benzeno comumente encontrados em produtos industriais e comerciais, como tolueno, xileno, estireno, fenol, anilina, e diversos compostos aromáticos policíclicos (CAPs). Alguns destes derivados podem ser tóxicos, cancerígenos ou ter outros efeitos adversos sobre a saúde humana e o ambiente.

O benzeno é um composto orgânico aromático, com a fórmula química C6H6. É uma molécula simples e estável, composta por um anel hexagonal de 6 átomos de carbono conectados por ligações duplas, cada um dos quais também se ligando a um único hidrogénio. A estrutura do benzeno foi determinada pela primeira vez no início do século XX por Kekulé e outros cientistas, que propuseram a existência de ressonância entre diferentes formas estruturais possíveis da molécula.

O benzeno é um líquido incolor com um odor característico e doce, e é altamente inflamável. É derivado do petróleo e é usado na produção de uma grande variedade de produtos químicos industriais, incluindo plásticos, fibras sintéticas, tintas, explosivos, pesticidas e medicamentos. No entanto, o benzeno também é conhecido por ser um carcinógeno humano, especialmente associado ao aumento do risco de leucemia. A exposição ocupacional a altos níveis de benzeno está regulada em muitos países para minimizar os riscos à saúde dos trabalhadores.

O Ácido Sórbico é um composto químico naturalmente presente em algunos frutos, como a groselha e o sorbo, do qual deriva seu nome. É amplamente utilizado como conservante de alimentos devido à sua capacidade de inibir o crescimento de fungos e bactérias que causam a deterioração dos alimentos.

Na medicina, o ácido sórbico é considerado um agente antimicrobiano com propriedades antibacterianas e antifúngicas. É usado em alguns medicamentos tópicos para tratar infecções da pele causadas por fungos ou bactérias, como a candidíase e a pitiríase versicolor.

Além disso, o ácido sórbico é também utilizado como um agente de preservação em cosméticos e produtos farmacêuticos para evitar a contaminação microbiana. No entanto, é importante ressaltar que o uso do ácido sórbico deve ser feito com cautela, uma vez que pode causar irritação na pele e nos olhos em concentrações elevadas.