De acordo com a definição médica, condimentos são substâncias aromáticas e geralmente saboresas, adicionadas às comidas principalmente para dar sabor, mas também podem ser usados para preservar alimentos ou adicionar cor. Eles são utilizados em pequenas quantidades e incluem especiarias, ervas, além de outros ingredientes como vinagre, limão, e azeite. Alguns condimentos comuns são: sal, pimenta-do-reino, cravo-da-índia, canela, coentro, manjericão, alho e cebola.

Alimentos fortificados são aqueles aos quais foram adicionados deliberadamente nutrientes essenciais, com o objetivo de prevenir deficiências nutricionais em populações ou grupos específicos. Esses nutrientes podem incluir vitaminas, minerais ou outros componentes nutricionais importantes que possam estar ausentes ou presentes em quantidades inadequadas na dieta regular.

A fortificação de alimentos é uma estratégia eficaz e segura para melhorar a qualidade nutricional da alimentação de grande escala, especialmente em países em desenvolvimento ou em situações em que acesso a alimentos variados e nutritivos é limitado. Exemplos comuns de alimentos fortificados incluem farinha de trigo e cereais matinais fortificados com ferro, vitamina B12 e ácido fólico; leite fortificado com vitamina D e calcio; e sal iodado com adição de iodo.

É importante ressaltar que a fortificação de alimentos é diferente da adição de suplementos à dieta, uma vez que os nutrientes são incorporados diretamente aos alimentos durante o processo de fabricação ou processamento, tornando-os parte integrante do alimento final. Além disso, a fortificação é regulamentada e monitorada por autoridades sanitárias para garantir a segurança e eficácia dos nutrientes adicionados.