A definição médica para "Abandono do Uso de Tabaco" refere-se ao ato de descontinuar o uso do tabaco, seja qual for o método de consumo (fumar, mascar ou roer). Esse processo geralmente é descrito como uma mudança de comportamento que requer a abstenção completa e permanente do uso do tabaco.

O abandono do uso de tabaco pode ser um desafio devido à natureza adictiva da nicotina, presente no tabaco. Além disso, existem fatores psicológicos, sociais e ambientais que podem influenciar o hábito de fumar e dificultar a tentativa de abandoná-lo.

Existem diferentes abordagens para o tratamento do abandono do uso de tabaco, incluindo terapias de reposição de nicotina, counseling, suporte em grupo e medicamentos prescritos. O sucesso no processo de abandono pode variar de pessoa para pessoa, mas é geralmente associado a um aumento na expectativa de vida e uma diminuição no risco de doenças relacionadas ao tabaco, como câncer, doenças cardiovasculares e pulmonares.

Products for Tobacco Cessation, also known as smoking cessation products, are medical treatments and nicotine replacement therapies (NRTs) designed to help individuals stop using tobacco products, such as cigarettes, cigars, and smokeless tobacco. These products aim to manage withdrawal symptoms and reduce cravings associated with quitting tobacco use.

Some common FDA-approved tobacco cessation products include:

1. Nicotine replacement therapies (NRTs): These deliver controlled amounts of nicotine without the harmful chemicals found in tobacco smoke. Examples include nicotine gum, lozenges, patches, inhalers, and nasal sprays. NRTs help reduce withdrawal symptoms and ease cravings.
2. Prescription medications: Two primary medications used to aid smoking cessation are varenicline (Chantix) and bupropion (Zyban, Wellbutrin SR). These non-nicotine medications work by altering the brain's response to nicotine, reducing cravings and withdrawal symptoms.
3. Electronic cigarettes (e-cigarettes): While not FDA-approved as smoking cessation aids, some people use e-cigarettes as an alternative to traditional tobacco products. E-cigarettes contain nicotine but produce fewer harmful chemicals compared to combustible cigarettes. However, their long-term safety and effectiveness for quitting smoking are still under investigation.
4. Behavioral support: Counseling and therapy can be effective tools in helping individuals quit smoking. Support groups, telephone quitlines, and one-on-one counseling provide emotional encouragement, coping strategies, and accountability throughout the quitting process.

It is essential to consult a healthcare professional before starting any tobacco cessation product to ensure safety, effectiveness, and appropriate use.

A definição médica para "Abandono do Hábito de Fumar" refere-se ao processo de interromper o uso regular e contínuo do tabaco, geralmente através do cigarro. Este processo envolve uma série de etapas que podem incluir a conscientização dos riscos à saúde associados ao tabagismo, a tomada da decisão de parar de fumar, o estabelecimento de metas e planos para a cessação do hábito, a utilização de estratégias e técnicas de apoio, como terapia de reposição da nicotina ou counseling, e a manutenção do novo comportamento saudável ao longo do tempo.

O abandono do hábito de fumar pode ser desafiador devido à natureza adictiva da nicotina e às fortes associações psicológicas e sociais que se formam em torno do tabagismo. No entanto, é uma das coisas mais importantes que uma pessoa pode fazer para melhorar a sua saúde e prolongar a sua vida útil. A cessação do tabagismo está associada a uma redução significativa dos riscos de doenças cardiovasculares, câncer e outras condições de saúde graves.

De acordo com a definição do National Institute on Drug Abuse (NIDA), tabaco é um produto de folhas secas que contém nicotina, alcalóide altamente adictivo. O tabaco pode ser consumido por meio de cigarros, charutos, pipes, rapé, snus e outros produtos do tabaco para fumar, mascar ou sugar. A exposição à fumaça do tabaco também é considerada prejudicial à saúde.

A nicotina presente no tabaco atua como um estimulante do sistema nervoso central, aumentando a pressão arterial e o ritmo cardíaco. O uso de tabaco está associado a diversos problemas de saúde graves, incluindo doenças cardiovasculares, câncer (especialmente câncer de pulmão), doenças respiratórias crônicas e outras complicações de saúde.

A dependência da nicotina é uma forma grave de adicção que pode ser difícil de superar, mas o tratamento pode ajudar as pessoas a pararem de usar tabaco. É importante ressaltar que o uso do tabaco e a exposição à fumaça do tabaco representam sérios riscos para a saúde e podem causar danos irreversíveis ou mesmo a morte.

Transtorno por Uso de Tabaco, conforme definido pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), refere-se a um padrão persistente de uso de tabaco que leva a problemas clinicamente significativos ou sofrimento relacionado à saúde. Inclui os seguintes critérios:

1. Consumo repetido e maior quantidade de tabaco do que o pretendido.
2. Desejo persistente, mas muitas vezes falho, de diminuir ou controlar o uso de tabaco.
3. Grande parte do tempo gasto obtendo, usando ou se recuperando do efeito do tabaco.
4. Desejo intenso ou necessidade imperiosa de consumir tabaco (craving).
5. Frequentemente usado em situações em que é proibido, como em lugares de trabalho ou em casa.
6. Continuado o uso apesar da consciência dos problemas persistentes e recorrentes relacionados à saúde causados ou exacerbados pelo tabaco.
7. Tolerância: necessidade de aumentar a quantidade de tabaco para obter os efeitos desejados.
8. Síndrome de abstinência: após um período de abstinência, ocorrem sintomas físicos ou psicológicos, como irritabilidade, ansiedade, depressão, dificuldade de concentração, insônia, aumento do apetite ou peso, e desejo intenso ou necessidade imperiosa de consumir tabaco.

O Transtorno por Uso de Tabaco pode ser classificado em leve, moderado ou grave, dependendo da frequência e severidade dos sintomas. Também é possível especificar se o transtorno está em remissão parcial (alguns sintomas persistem) ou em remissão completa (nenhum sintoma por um período de pelo menos 3 meses).

'Tabaco sem Fumaça' é um termo geral que se refere a produtos do tabaco que não envolvem o ato de queimar e fumar folhas de tabaco. Embora esses produtos ainda possam conter nicotina e outros produtos químicos nocivos, eles geralmente são promovidos como opções menos prejudiciais em comparação com cigarros convencionais. Exemplos de tabaco sem fumaça incluem:

1. Nicotina em pó (snus): É um tipo de tabaco úmido que é colocado entre a gengiva e a bochecha, normalmente empacotado em pequenos sacos ou sobre uma folha de tabaco desidratada. O snus sueco, por exemplo, tem menos substâncias químicas nocivas do que outros tipos de tabaco sem fumaça e cigarros.

2. Tabaco para mascar: Também conhecido como "chaw" ou "dip", é um tipo de tabaco úmido que é colocado entre a gengiva e a bochecha, mas não é fermentado. O tabaco para mascar tradicionalmente vem em forma de fio ou folha e pode conter aditivos como saborizantes, conservantes e aromatizantes.

3. Tabaco de aquecer: Também chamados de sistemas eletrônicos de liberação de nicotina (ENDS), esses dispositivos aquecem o tabaco a uma temperatura baixa o suficiente para vaporizar os compostos ativos, mas não queimá-los. Isso resulta em um aerosol inalável que contém nicotina e outros produtos químicos. Exemplos incluem dispositivos como IQOS da Philip Morris International e glo da British American Tobacco.

4. Vaporizadores de nicotina: Também conhecidos como cigarros eletrônicos, esses dispositivos vaporizam líquidos contendo nicotina e outros ingredientes, geralmente aromatizantes. A vaporização ocorre quando a solução é aquecida por uma bateria, criando um aerosol inalável.

5. Nicotina em pó: Também conhecida como nicotina líquida ou nicotina em pó seca, essa forma de nicotina pode ser inalada, mascada ou fumada. A nicotina em pó é frequentemente misturada com outros ingredientes, como saborizantes e aditivos, para criar um produto final.

6. Nicotina líquida: Também conhecida como "e-liquid" ou "juice", essa forma de nicotina é frequentemente misturada com outros ingredientes, como saborizantes e aditivos, para criar um produto final que pode ser vaporizado em dispositivos de vaporização.

É importante notar que a maioria desses produtos contém nicotina, uma droga altamente adictiva que pode ter efeitos adversos na saúde, especialmente em crianças e adolescentes. Além disso, alguns desses produtos podem conter outros ingredientes perigosos ou nocivos para a saúde. Portanto, é recomendável consultar um profissional de saúde antes de usar qualquer um desses produtos.

'Tabagismo' ou 'uso de tabaco' refere-se à prática de fumar, mascar ou inalar tabaco em qualquer de suas formas. O produto do tabaco geralmente é queimado e o usuário inala o fumaço que contém nicotina e mais de 7000 outras substâncias químicas, muitas das quais são tóxicas e cancérigenas. O tabagismo é a principal causa evitável de doenças e mortes prematuras em todo o mundo. Pode causar diversas condições de saúde graves, incluindo doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), câncer de pulmão, enfisema, problemas cardiovasculares e outras complicações de saúde. Além disso, o tabagismo passivo, que ocorre quando uma pessoa é exposta ao fumo do tabaco de outra pessoa, também pode causar sérios problemas de saúde.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a "indústria do tabaco" refere-se a empresas envolvidas na produção, fabricação, marketing e distribuição de produtos do tabaco, como cigarros, charutos, rapé e snus. A indústria do tabaco inclui grandes multinacionais, bem como pequenas empresas nacionais e fabricantes independentes. Além disso, a indústria do tabaco também pode incluir empresas que fornecem matérias-primas, equipamentos e serviços às empresas de tabaco.

É importante notar que a indústria do tabaco tem uma longa história de promoção enganosa e marketing agressivo de seus produtos, especialmente para atrair novos fumantes, incluindo jovens e mulheres. Além disso, a indústria do tabaco é conhecida por resistir às políticas de controle do tabaco que visam proteger a saúde pública, como aumentos de impostos sobre os produtos do tabaco, restrições de publicidade e promoção, e ambientes livres de fumo.

Em termos médicos, o hábito de fumar refere-se ao ato consistente e regular de inalar e exalar fumaça de tabaco ou substâncias relacionadas, geralmente por meio de cigarros, charutos, cachimbos ou outros dispositivos de entrega de nicotina. Este hábito crónico é causado pela adição à nicotina e outras substâncias químicas presentes no tabaco, levando ao desenvolvimento de uma forte dependência psicológica e fisiológica.

A fumaça do tabaco contém mais de 7000 produtos químicos, sendo aproximadamente 70 deles conhecidos por serem cancerígenos. O hábito de fumar está associado a diversas complicações de saúde graves, como doenças cardiovasculares, pulmonares e diferentes tipos de câncer, especialmente no sistema respiratório. Além disso, o fumo passivo (exposição à fumaça do tabaco de segunda mão) também apresenta riscos significativos para a saúde.

Devido aos seus efeitos adversos na saúde, encorajam-se as pessoas a abandonarem o hábito de fumar, e existem vários programas, terapias e tratamentos disponíveis para ajudar os indivíduos a ultrapassar a dependência da nicotina e a sua utilização do tabaco.