Produção de drogas ou substâncias biológicas que dificilmente seriam fabricadas pela indústria privada, a menos que incentivos especiais fossem proporcionados por outros.
Plantas cujas raizes, folhas, sementes, cascas ou outros constituintes possuem atividades terapêuticas, tônicas, purgativas, curativas ou outros atributos farmacológicos quando administradas a humanos ou outros animais.
Processo através do qual um medicamento recebe aprovação por uma agência de regulamento governamental. Inclui qualquer teste pré-clínico ou clínico requisitado, revisão, submissão e avaliação das aplicações e resultados de testes, e vigilância "pós-marketing" da droga.
A designação coletiva de três organizações com associação comum: a Comunidade Econômica Europeia (Mercado Comum), a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço e a Comunidade de Energia Atômica Europeia (Euratom). Era conhecida como a Comunidade Europeia até 1994. É principalmente uma união econômica com os objetivos principais de movimentar livremente bens, capital e trabalho. Serviços profissionais, sociais, médicos e paramédicos estão incluídos dentro do trabalho. Os países constituintes são a Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Portugal, Espanha, Suécia e Reino Unido.
Leis e regulamentos referentes à produção, dispensação e comercialização de medicamentos.
Gênero (família Apiaceae) de planta cujas sementes são utilizadas como condimento.
O segmento de empresas comerciais dedicado ao projeto, desenvolvimento e fabricação de produtos químicos para uso no diagnóstico e tratamento de doenças, deficiências ou outras disfunções ou para melhorar as funções orgânicas e corporais.
Estudo medicinal originado das fontes botânicas.
Grupo amplo de doenças caracterizadas por baixa prevalência na população. Frequentemente são associadas com problemas no diagnóstico e no tratamento.
Drogas que já receberam aprovação do FDA (Abrev. de Federal Drug Administration) para teste em humanos, mas que ainda precisam ser aprovadas para propaganda comercial. Inclui drogas usadas em tratamentos, enquanto ainda estão sendo submetidas a ensaios clínicos (Treatment IND). O item principal inclui drogas sob investigação em países estrangeiros.
Drogas usadas por veterinários no tratamento de doenças dos animais. O arsenal farmacológico do veterinário é a contrapartida das drogas [usadas no] tratamento de doenças humanas, com a dosagem e a administração ajustadas ao tamanho, peso, doença e às idiossincrasias da espécie. Nos Estados Unidos a maioria das drogas está sujeita a normas federais, particularmente quanto à segurança e aos resíduos [que podem ser encontrados] em produtos animais comestíveis.
Uso de plantas e ervas para tratar doenças ou aliviar dores.
Gênero de plantas (família LAMIACEAE), fonte do óleo da Hortelã-Pimenta.
Sistemática de regras de fiscalização ou de princípios. Podem ser desenvolvidos por agências governamentais em qualquer nível, instituições, sociedades profissionais, juntas governamentais ou por reunião de especialistas para discussão. O texto pode ser cursivo ou em forma esquemática, mas é geralmente um guia completo para os problemas e abordagens em qualquer campo de atividade. Para guias nos campos dos cuidados de saúde e medicina clínica, GUIAS DE PRÁTICA CLÍNICA COMO ASSUNTO está disponível.
Material preparado de plantas para uso medicinal.
Aspectos comerciais e gerenciais de farmácia em seu sentido mais amplo.
Controle do uso de drogas e entorpecentes através de acordos internacionais ou de sistemas institucionais no manuseio de drogas prescritas. Isto inclui regulamentação tratando da fabricação, dispensação, aprovação (APROVAÇÃO DE DROGAS), e marketing de drogas.
Substâncias farmacêuticas complexas, preparações ou produtos de origem orgânica geralmente obtidos por métodos ou ensaios biológicos.
Exercício de autoridade governamental para controlar o comportamento.
Atividade envolvida na transferência de mercadorias do produtor para o consumidor ou em troca de serviços.
Unidades administrativas do governo responsável por criar políticas e administrar as atividades governamentais.
Aplicação de princípios e técnicas de marketing para aumentar o uso dos recursos de saúde.
Processo pelo qual um dispositivo é aceito para aprovação por uma agência de regulamento governamental. Inclui qualquer teste pré-clínico ou clínico requisitado, revisão, submissão e avaliação das aplicações e resultados de testes e vigilância "pós-marketing". Não está restrito ao FDA.
Estudo do conhecimento das plantas e dos costumes agrícolas de um povo. Nos campos da ETNOMEDICINA e ETNOFARMACOLOGIA, a ênfase está na medicina tradicional, na existência e usos medicinais das PLANTAS, EXTRATOS VEGETAIS e seus constituintes, tanto anteriormente como nos tempos modernos.
Sistemas de medicina baseados em crenças culturais e práticas passadas de geração a geração. O conceito inclui rituais místicos e mágicos (TERAPIAS ESPIRITUAIS), FITOTERAPIA e outros tratamentos que podem não ser esclarecidos pela medicina atual.
Drogas dirigidas para uso humano ou veterinário, apresentadas em sua formulação final. Estão incluídos aqui os materiais usados na preparação e/ou na formulação final.
Vigilância de medicamentos, dispositivos, aparelhos, etc., para eficácia ou efeitos adversos, após terem sido liberados para venda geral.
Criada em 7 de abril de 1992 como resultado da divisão da Iugoslávia.
Preparações farmacêuticas concentradas de plantas obtidas pela remoção dos constituintes ativos com um solvente adequado (que é eliminado por evaporação) e ajuste do resíduo [seco] a um padrão prescrito.
Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGUÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGUÍNEA prévia).
Interação de pessoas ou grupos de pessoas que representam várias nações na busca de uma meta ou interesse comum.
Pesquisa que envolve a aplicação das ciências naturais, especialmente a biologia, fisiologia à medicina.
Trabalhos sobre estudos pré-planejados sobre segurança, eficácia, ou esquema de dosagem ótima (se apropriado) de uma ou mais drogas diagnósticas, terapêuticas, ou profiláticas, dispositivos, ou técnicas selecionadas de acordo com critérios pré-determinados de elegibilidade e observadas para evidência pré-definida de efeitos favoráveis ou desfavoráveis. Este conceito inclui ensaios clínicos conduzidos tanto nos EUA quanto em outros países.
Estudo das açõese e propriedades dos medicamentos, muitas vezes, derivados de PLANTAS, autóctonas para populações ou GRUPOS ÉTNICOS.
Sistema de medicina tradicional que é baseado em crenças e práticas do povo africano. Abrange tratamentos por plantas medicinais e outras substâncias medicamentosas, bem como pelo auxílio de divindades, curandeiros, bruxos ou feiticeiros.
Preparações de imunoglobulinas usadas na infusão intravenosa, contendo principalmente IMUNOGLOBULINA G. São utilizadas para tratar várias doenças associadas com níveis diminuídos ou anormais de imunoglobulina, incluindo AIDS pediátrica, HIPERGAMAGLOBULINEMIA primária, SCID, infecções por CITOMEGALOVÍRUS em recipientes de transplantes, LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA, síndrome de Kawasaki, infecções em neonatos, e PÚRPURA TROMBOCITOPÊNICA IDIOPÁTICA.
Espécie de SANGUESSUGA de água doce da Europa usada antigamente para SANGRIAS e atualmente para APLICAÇÃO DE SANGUESSUGAS.
Decisões geralmente desenvolvidas por formuladores de políticas do governo, para definição de objetivos imediatos e futuros do sistema de saúde.
Sistema de medicina tradicional hindu que é baseada em costumes, crenças e práticas da cultura hindu. Ayurveda significa "ciência da vida": veda - ciência, ayur - vida.
Extratos de ervas ou plantas chinesas usadas como drogas para tratar doenças ou para promover bem-estar geral. Não inclui os compostos sintéticos preparados na China.
Anelídeos (classe Hirudinea) com espécies sugadoras de sangue que podem tornar-se temporariamente parasitas de animais (inclusive o homem). Antigamente as sanguessugas (HIRUDO MEDICINALIS) foram utilizadas terapeuticamente para efetuar sangrias.
Partes das plantas, incluindo as SEMENTES.
Historicamente, é o tratamento de doenças pela administração de órgãos de animais ou seus extratos (após Brown-Sequard). No presente, as preparações sintéticas substituem os extratos de glândulas. (Stedman, 25a ed)
Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.
Sistema de medicina tradicional que é baseada nas crenças e práticas da cultura chinesa.
Membros do grupo de plantas vasculares que possuem flores. São diferenciadas das GIMNOSPERMAS por sua produção de sementes dentro de câmaras (OVÁRIO VEGETAL). A divisão de Angiospermas é composta por duas classes: as monocotiledôneas (Liliopsida) e as dicotiledôneas (Magnoliopsida). As angiospermas representam aproximadamente 80 por cento de todas as plantas vivas conhecidas.
Família da planta menta. São caracteristicamente aromáticas, e muitas delas são cultivadas por seus óleos. Muitas possuem caules quadrados, folhas opostas e corolas tubulares bilabiadas e de boca aberta (pétalas unidas), com cálices com 5 lobos em forma de sino (sépalas unidas).
Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.
Localização dos átomos, grupos ou íons, em relação um ao outro, em uma molécula, bem como o número, tipo e localização das ligações covalentes.
Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.
Prática médica ou disciplina baseada no conhecimento, nas culturas e crenças do povo da ÁSIA ORIENTAL.
Grande família de plantas (ordem Asterales, subclasse Asteridae, classe Magnoliopsida), também conhecidas como Compositae. As pétalas da flor são unidas próximo à base e os estames se alternam com os lóbulos da corola. O nome vulgar 'margarida' refere-se a vários gêneros desta família, inclusive Aster, CHRYSANTHEMUM, RUDBECKIA e TANACETUM.
Espécie de planta da família LAMIACEAE. É usada como condimento com propriedades carminativas.
Camada externa das partes lenhosas das plantas.
Materiais ou substâncias usados na composição de remédios da medicina tradicional. O uso desse termo no MeSH foi anteriormente restrito aos artigos históricos ou aos voltados para a medicina tradicional, mas também pode se referir a remédios homeopáticos. Os nosódios são tipos específicos de remédios homeopáticos preparados a partir de agentes causais ou produtos de doenças.
Química que estuda a composição e preparação de agentes usados em AÇÕES FARMACOLÓGICAS ou uso diagnóstico.
Tipo de cogumelo, Ganoderma lucidum é um um fungo basidiomiceto da ordem POLYPORALES. Há muito tem sido usado na medicina tradicional chinesa sob várias formas.
Família eufórbia de plantas de florescência, da ordem Euphorbiales, que contém por volta de 7.500 espécies em 275 gêneros. A família consiste de ervas anuais e perenes, e arbustos florestais ou árvores.
Parte da planta acima da terra (sem as raizes).
Leite manufaturado cru e processado e produtos derivados do leite. Estes normalmente são de vaca (bovino), mas também são de cabras, ovelha, rena e búfalo d'água.
Aplicação de SANGUESSUGAS no corpo para extrair sangue com propósitos terapêuticos. Desta maneira, a aplicação medicinal de sanguessugas é uma prática muito antiga e ainda utilizada em microcirurgias e no tratamento de congestão ou obstrução venosa.
Técnica de cromatografia líquida que se caracteriza por alta pressão de passagem, alta sensibilidade e alta velocidade.
Família de plantas da ordem Lamiales caracterizadas por folhas simples em pares opostos, cistólitos (grandes células contendo cristais de carbonato de cálcio) e flores bissexuais bilateralmente simétricas que geralmente são agrupadas entre si. O nome vulgar para Ruellia de petúnia selvagem é facilmente confundido com PETÚNIA.
Estruturas expandidas, geralmente verdes, de plantas vasculares, consistindo caracteristicamente de uma expansão em lâmina ligada a um caule, funcionando como o principal órgão de fotossíntese e transpiração.
Gênero de plantas (família EUPHORBIACEAE) das quais quebra-pedra (MEDICINA AYURVÉDICA) pode ser preparada.
Indivíduos classificados de acordo a seu sexo, origem racial, religião, local comum de habitação, status financeiro ou social, ou algum outro atributo cultural ou comportamental.
Sistema da medicina tradicional que é baseada nas crenças e práticas da cultura Tibetana.
Organismos do reino vegetal naturalmente apropriados para o uso como alimento, especialmente por seres humanos. Nem todas as partes de qualquer planta são comestíveis, mas todas as partes de plantas comestíveis podem ser consumidas como alimentos crus ou cozidos: folhas, raizes, tubérculos, caules, sementes, brotos, frutos e flores. A parte da planta mais comumente comestível é a FRUTA, geralmente doce, carnuda e suculenta. Geralmente, a maioria das plantas comestíveis é cultivada por seu valor nutricional, sendo denominadas VERDURAS.
Espécie de bactérias Gram-negativas, facultativamente anaeróbicas, em forma de bastão (BACILOS GRAM-NEGATIVOS ANAERÓBIOS FACULTATIVOS) comumente encontrada na parte mais baixa do intestino de animais de sangue quente. Geralmente não é patogênica, embora algumas linhagens sejam conhecidas por produzir DIARREIA e infecções piogênicas. As linhagens patogênicas (virotipos) são classificadas pelos seus mecanismos patogênicos específicos como toxinas (ESCHERICHIA COLI ENTEROTOXIGÊNICA), etc.
Inserção de moléculas de DNA recombinante de origem procariótica e/ou eucariótica em um veículo replicante, tal como um plasmídeo ou vírus vetores, e a introdução das moléculas híbridas resultantes em células receptoras, sem alterar a viabilidade dessas células.
Gênero de plantas (família ORCHIDACEAE) contendo di-hidroaiapina (CUMARÍNICOS) e fenantraquinonas.
Planta (família APIACEAE) que é fonte do ácido asiático e asiaticosídeo. A Centella asiática (L.) Urb = Hydrocoyle asiática L. é conhecida pelo seu efeito na circulação periférica.
Grande família de planta da ordem Apiales, também conhecida como Umbelliferae. A maioria consiste de ervas aromáticas com folhas divididas, alternadas e felpudas que estão embainhadas na base. Com frequência, as flores formam uma umbela conspícua achatada no topo. Em geral, cada flor individual é pequena, bissexual, com cinco sépalas, cinco pétalas e um grande disco na base do estilete. Os frutos apresentam sulcos e são constituídos por duas partes que se abrem quando maduros.
As sementes secas, cascas, raizes, talos, brotos, folhas ou frutos de plantas aromáticas usadas para temperar comida.
Família monocotiledônea (ordem Liliales) dividida por alguns botânicos em outras famílias, como Convallariaceae, Hyacinthaceae e Amaryllidaceae. Entre as Amaryllidaceae, que possuem ovários inferiores estão CRINUM, GALANTHUS, LYCORIS e NARCISSUS e são conhecidos pelos ALCALOIDES DE AMARYLLIDACEAE.
Produtos derivados da reação não enzimática da GLUCOSE e PROTEÍNAS "in vivo" que exibem uma pigmentação amarelo-amarronzada e uma habilidade em participar das ligações cruzadas entre proteínas. Estas substâncias estão envolvidas em processos biológicos relacionados ao "turnover" de proteínas e acredita-se que seu acúmulo excessivo contribui para as complicações crônicas da DIABETES MELLITUS.
Família de plantas da ordem Gentianales. Seus membros possuem folhas de bordas lisas, com suco leitoso, geralmente venenoso, e flores em cachos. A família Asclepiadaceae, antes família da asclépia, foi incluída desde 1999 e antes de 1810.
Gênero de plantas da família CELASTRACEAE.
'Cabeças' ou 'cápsulas' frutíferas de FUNGOS, as quais (como produto alimentício) são conhecidas familiarmente como cogumelos com ESPOROS FÚNGICOS.
Vasta ordem de fungos basidiomicetos cujos corpos de frutificação são comumente chamados de cogumelos.
Taxa dinâmica em sistemas químicos ou físicos.
Gênero de plantas (família RUTACEAE) cujos membros contêm alcaloides quinolínicos.
Processo de encontrar compostos químicos para potencial uso terapêutico.
Derivados de benzeno que incluem um ou mais grupos hidroxila ligados à estrutura em anel.
Gênero de plantas (família SOLANACEAE) cujos membros contêm witanolídeos. A Withania somnifera é fonte de 'ashwagandha' e 'aswal'.
Uso de materiais escritos, impressos ou gráficos em acompanhamento a um produto ou seu recipiente ou invólucro. Inclui propósito, efeito, descrição, direções, perigos, advertências e outras informações pertinentes.
Família de plantas conhecidas como garança ou ruiva, da ordem Rubiales, subclasse Asteridae, classe Magnoliopsida, que inclui importantes plantas medicinais que fornecem QUININO, IPECA e CAFÉ. Possuem filotaxia oposta (folhas arranjadas em oposição uma à outra) e estípulas interpeciolares.
Porções geralmente subterrâneas de uma planta, que servem como suporte e estocagem de alimento, e pelas quais a água e nutrientes minerais penetram na planta.
Artigos de comida que são originados por um processo de manufatura de qualquer porção das carcaças de qualquer animal usados como comida (por exemplo, a gelatina feita de partes de cabeça e pés de porco, a salsicha, o angu com pedaços de carne de porco).
Caule horizontal subterrâneo semelhante a raiz, produzindo brotos aéreos e raizes subterrâneas. Distinguem-se das raizes verdadeiras, que não possuem botões e nós. Semelhantes a raizes verdadeiras por serem subterrâneos e mais espessos por armazenar depósitos de reserva.
Série de ações, algumas vezes simbólicas, que podem ser associadas a um padrão de comportamento e são, frequentemente, indispensáveis para a realização deste.
Gênero de fungos (família Ganodermataceae, ordem POLYPORALES) contendo um sistema hífico dimítico. Causador de uma putrefação branca e é um decompositor de madeira. O 'Ganoderma lucidum' (REISHI) é utilizado na MEDICINA TRADICIONAL CHINESA .
Família da planta Mogno (ordem Sapindales, subclasse Rosidae e classe Magnoliopsida).
Ciência da preparação de drogas a partir de fontes naturais, incluindo preparações com PLANTAS, animais e outros organismos, bem como MINERAIS e outras substâncias incluídas na MATÉRIA MÉDICA. O emprego terapêutico de plantas é a FITOTERAPIA.
Método in vitro para produção de grandes quantidades de DNA específico ou fragmentos de RNA de comprimento definido de pequenas quantidades de oligonucleotídeos curtos de sequências flanqueantes (iniciadores ou "primers"). O passo essencial inclui desnaturação térmica de moléculas alvo da dupla fita, reassociação dos primers a suas sequências complementares e extensão do iniciador reassociado pela síntese enzimática com DNA polimerase. A reação é eficiente, específica e extremamente sensível. A utilização da reação inclui diagnóstico de doenças, detecção de patógenos difíceis de se isolar, análise de mutações, teste genético, sequenciamento de DNA e análise das relações evolutivas.
Gênero de plantas (família CONVOLVULACEAE) mais conhecidas como 'corriola' (morning glories) (nome vulgar também usado com CONVOLVULUS) e batata doce.
Fenômeno através do qual compostos cujas moléculas têm o mesmo número e tipo de átomos e o mesmo arranjo atômico, mas diferem nas relações espaciais.
Tipo de glicosídeo amplamente distribuído em plantas. Cada um consiste de uma sapogenina como fração aglicona e um açúcar. A sapogenina podem ser um esteroide ou um triterpeno e o açúcar pode ser glicose, galactose, uma pentose ou uma metilpentose.
Qualquer composto que contém uma molécula carboidrato (açúcar), no qual o grupo hidroxila ligado ao primeiro carbono é substituído por um grupo alcoólico, fenólico ou outro. Recebem seu nome especificamente em relação ao açúcar contido, como glucosídeo (glucose), pentosídeo (pentose), frutosídeo (frutose) etc. A hidrólise [de glicosídeos] forma um componente açúcar e um componente não açúcar (aglicona).
Grupo de fenilbenzopiranos assim denominados por conterem estruturas semelhantes às FLAVONAS.
Gênero de plantas (familia EUPHORBIACEAE) cujo nome vulgar 'Sangue-de-Drago' também é usado para DRACAENA e Daemonorops (ARECACEAE). O 'Croton tiglium' é fonte do ÓLEO DE CROTON.
Teste pré-clínico de medicamentos em animais experimentais ou in vitro, para seus efeitos biológicos e tóxicos e aplicações clínicas potenciais.
Qualquer mudança detectável e hereditária que ocorre no material genético causando uma alteração no GENÓTIPO e transmitida às células filhas e às gerações sucessivas.
Substâncias naturais ou sintéticas que inibem ou retardam a oxidação de uma substância na qual é adicionado. Agem contra os efeitos nocivos e danosos da oxidação em tecidos animais.
Gênero amplo de plantas (família EUPHORBIACEAE, ordem Euphorbiales, subclasse Rosidae) cuja seiva é leitosa e a flor feminina composta por um único pistilo, circundada por inumeras flores masculinas, cada uma com um estame. A "Euphorbia hirta", raramente é chamada 'Erva-Leiteira', porém este nome, normalmente é usado para as ASCLEPIAS.
Espécie de plantas conhecidas como sendo da medicina tradicional Oriental.
Família de plantas chamadas de ervas-de-passarinho pomposas (ordem Santalales, subclasse Rosidae, classe Magnoliopsida) tropicais, parasitas com haustórios ligando-os aos hospedeiros. As folhas são opostas e grossas. As flores (4-7) possuem tanto cálice como corola. O fruto é uma baga com uma semente.
Líquido incolor e inflamável utilizado na fabricação do FORMALDEÍDO e do ÁCIDO ACÉTICO, na síntese química, como anticongelante e como solvente. A ingestão de metanol é tóxica e pode causar cegueira.
Ciência médica voltada para a prevenção, diagnóstico, e o tratamento de doenças em animais.
Gênero de planta (família POLYGONACEAE) ingrediente do "Shou-Wu-Pian", uma mistura MEDICAMENTOS DE ERVAS CHINESAS. O nome vulgar briônia-negra também se refere ao TAMUS ou Fallopia (usar POLYGONACEAE).
Gênero de plantas (família MALVACEAE) cujos membros contêm azadiractina A (um limonoide, normalmente chamado de azadiractina) e outros TRITERPENOS. Eles têm sido usados como PRAGUICIDAS. O nome anterior Melia azadirachta é muito semelhante à planta relacionada MELIA AZEDARACH.
Método espectroscópico de medição do momento magnético de partículas elementares, como núcleos atômicos, prótons ou elétrons. É empregada em aplicações clínicas, como Tomografia por RMN (IMAGEM POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA).
Família de plantas da ordem Sapindales que cresce em regiões mais quentes e possui flores conspícuas.
Proteínas encontradas em qualquer espécie de bactéria.
Gênero de plantas perenes, da família CLUSIACEAE (às vezes classificada como Hypericaceae). Preparações herbais e homeopáticas são usadas para depressão, neuralgia e uma variedade de outras afecções. Contém FLAVONOIDES, GLICOSÍDEOS, mucilagem, TANINOS e ÓLEOS ESSENCIAIS.
Processo de vários estágios que inclui clonagem, mapeamento físico, subclonagem, determinação da SEQUÊNCIA DE DNA e análise de informação.
Família de plantas (ordem Violales, subclasse Dilleniidae, classe Magnoliopsida). A Bixa contém bixina. O 'Cochlospermum' contém ácido arjunólico e goma kondagogu (POLISSACARÍDEOS).
Família malva (ordem Malvales, subclasse Dilleniidae, classe Magnoliopsida) entre os membros estão a planta do algodão (GOSSYPIUM), o quiabo (ABELMOSCHUS), HIBISCUS e CACAU. Os nomes vulgares malva e hollyhock são utilizados para vários gêneros da Malvaceae.
Gênero de fungos (família Clavicipitaceae, ordem Hypocreales) ascomicetos (ASCOMYCOTA) os quais crescem infectando larvas de insetos ou insetos maduros com esporos que geralmente germinam antes da formação do casulo.
Endossimbionte que pode ser tanto uma bactéria como um fungo que vive parte de sua vida em uma planta. Endófitas podem trazer benefícios para as plantas hospedeiras por impedir que organismos patogênicos as colonizem.
Gênero de plantas (família CELASTRACEAE) fonte de epóxidos triterpenoides e diterpenos como a triptolida.
Gênero de plantas (família ASTERACEAE) cuja folhagem tem forte odor e são fonte de SANTONINA e outros TERPENOS citotóxicos.
Unidades hereditárias funcionais das BACTERIAS.
Determinadas culturas de células que têm o potencial de se propagarem indefinidamente.
Gênero de plantas (família BERBERIDACEAE) utilizadas para MEDICAMENTOS DE ERVAS CHINESAS. Seus membros contêm glicosídeos flavonoides incluindo epimedinas, icariinas e noricariinas.
Substâncias obtidas de plantas superiores, e que apresentam atividades citostática ou antineoplásica demonstráveis.
Gênero de plantas (família ZINGIBERACEAE) contendo CURCUMINA e curcuminoides.
Gênero de fungos basidiomicetos da família POLYPORACEAE encontrado principalmente em árvores vivas ou madeira morta.
Espécie de plantas (gênero SCUTELLARIA, família LAMIACEAE) que contém 'skullcapflavone' utilizado em MEDICAMENTOS DE ERVAS CHINESAS.
Projeto (design) molecular de drogas para finalidades específicas (como ligação de DNA, inibição enzimática, eficácia anticancerígena, etc.) baseado no conhecimento de propriedades moleculares como atividade de grupos funcionais, geometria molecular, e estrutura eletrônica, e também em informações catalogadas sobre moléculas análogas. O desenho de drogas geralmente é uma modelagem molecular auxiliada por computador, mas não inclui farmacocinética, análise de dosagem ou de administração da droga.
Óleos que evaporam com rapidez. Os óleos voláteis ocorrem em plantas aromáticas, às quais eles conferem odor e outras características. A maioria dos óleos voláteis consiste em uma mistura de dois ou mais TERPENOS ou em uma mistura de eleopteno (o componente mais volátil de um óleo volátil) com um estearópteno (o componente mais sólido). O sinônimo óleos essencias se refere à essência da planta, ou seja, seu perfume ou odor, e não à sua indispensabilidade.
Gênero de plantas (família COMBRETACEAE) cujos membros contêm arjunina, um elagitanino (TANINOS).
Aspecto característico [(dependência)] da atividade enzimática em relação ao tipo de substrato com o qual a enzima (ou molécula catalítica) reage.
Compostos de vinte carbonos derivados de ÁCIDO MEVALÔNICO ou desoxixilulose fosfato.
Gênero fúngico de basidiomicetos da família Agaricaceae, ordem Agaricales, que inclui o cogumelo do campo (A. campestris) e o cogumelo comercial (A. bisporus).
Substâncias ou materiais usados no curso da manutenção da casa ou rotina pessoal.
Gênero de plantas da família Lamiaceae. A espécie de Coleus deve ser diferenciada de PLECTRANTHUS barbatus, também conhecida como Coleus forskohlii.
Sequências de RNA que servem como modelo para a síntese proteica. RNAm bacterianos são geralmente transcritos primários pelo fato de não requererem processamento pós-transcricional. O RNAm eucariótico é sintetizado no núcleo e necessita ser transportado para o citoplasma para a tradução. A maior parte dos RNAm eucarióticos têm uma sequência de ácido poliadenílico na extremidade 3', denominada de cauda poli(A). Não se conhece com certeza a função dessa cauda, mas ela pode desempenhar um papel na exportação de RNAm maduro a partir do núcleo, tanto quanto em auxiliar na estabilização de algumas moléculas de RNAm retardando a sua degradação no citoplasma.
Método analítico usado para determinar a identidade de um composto químico com base em sua massa, empregando analisadores/espectrômetros de massa.
Gênero de plantas da família ASTERACEAE há muito utilizadas em medicina popular para tratamentos de feridas.
Técnica microanalítica que combina espectrometria de massas e cromatografia gasosa para determinação qualitativa e quantitativa de compostos.
Ordem de fungos (filo BASIDIOMYCOTA) que possuem basidiocarpos macroscópicos. Seus membros são caracterizados por atividades saprofíticas como decompositores, especialmente na degradação da CELULOSE e LIGNINA. Um grande número de espécies da ordem são utilizadas medicinalmente. (Tradução livre do original: Alexopoulos et al., Introductory Mycology, 4th ed, pp504-68)
Reação química em que um elétron é transferido de uma molécula para outra. A molécula doadora do elétron é o agente de redução ou redutor; a molécula aceitadora do elétron é o agente de oxidação ou oxidante. Os agentes redutores e oxidantes funcionam como pares conjugados de oxidação-redução ou pares redox (tradução livre do original: Lehninger, Principles of Biochemistry, 1982, p471).
Reino de organismos eucarióticos e heterotróficos que vivem parasitariamente como sáprobios, incluindo COGUMELOS, LEVEDURAS, fuligens, bolores ou mofos, etc. Reproduzem-se sexuada ou assexuadamente e possuem ciclos de vida que variam de simples a complexo. Os fungos filamentosos, geralmente conhecidos como 'mofo', referem-se àqueles que crescem como colônias multicelulares.
Partes de plantas que geralmente crescem verticalmente para cima, em direção à luz, e que dão suporte às folhas, às células germinativas e às estruturas reprodutivas.
Familia da planta Samambaia-do-Mato (ordem Polypodiales, classe Filicopsida, divisão Pteridophyta).
Espécie de plantas da família EUPHORBIACEAE.
Concentração de um composto necessária para reduzir o crescimento populacional de organismos, incluindo células eucarióticas, em 50 por cento, in vitro. Embora em geral expresso para denotar atividade antibacteriana in vitro, também é utilizada como um ponto de referência para citotoxicidade a células eucarióticas em cultura.
Espécie de plantas aromáticas, perenes, utilizadas para tratar pessoas com enxaqueca, artrite, e como antipirético. Contém TANINOS, ÓLEOS VOLÁTEIS (óleos essenciais) e lactonas sesquiterpênicas (especialmente a partenolida).
Gênero de plantas da família FABACEAE.
Proteção, preservação, restauração e uso racional de todos os recursos ambientais.
Grau de similaridade entre sequências de aminoácidos. Esta informação é útil para analisar a relação genética de proteínas e espécies.
Restrição de um comportamento característico, estrutura anatômica ou sistema físico, como resposta imunológica, resposta metabólica ou gene ou variante gênico dos membros de uma espécie. Refere-se às propriedades que diferenciam uma espécie de outra, mas também se usa para níveis filogenéticos superiores ou inferiores ao nível de espécie.
Sequências curtas (geralmente em torno de 10 pares de bases) de DNA que são complementares à sequência do RNA mensageiro e permite a transcriptase reversa, copiando as sequências adjacentes de RNAm. Os primers são utilizados largamente em técnicas de biologia molecular e genética.
Gênero de plantas (família Apocynaceae) fonte de ALCALOIDES DE VINCA, utilizadas nas quimioterapias de leucemias.
Soma do peso de todos os átomos em uma molécula.
Moléculas extracromossômicas, geralmente de DNA CIRCULAR, que são autorreplicantes e transferíveis de um organismo a outro. Encontram-se em uma variedade de bactérias, Archaea, fungos, algas e espécies de plantas. São usadas na ENGENHARIA GENÉTICA como VETORES DE CLONAGEM.
Derivados do ergostano, de 28 carbonos, com átomos de oxigênio nas posições C1, C22 e C26 e a cadeia lateral ciclizada. São encontrados em plantas do gênero WITHANIA e possuem efeitos citotóxicos e outros.
Gênero de plantas (família CAPRIFOLIACEAE) conhecidas por sabugos.
Um dos três domínios da vida, também denominado Eubacterias (os outros são Eukarya e ARCHAEA). São micro-organismos procarióticos, unicelulares, com parede celular geralmente rígida. Multiplicam-se por divisão celular e apresentam três formas principais: redonda (cocos), bastonete (bacilos) e espiral (espiroquetas). Podem ser classificadas pela resposta ao OXIGÊNIO (aeróbicas, anaeróbicas, ou anaeróbicas facultativas), pelo modo de obter energia: quimiotróficas (via reação química) ou PROCESSOS FOTOTRÓFICOS (via reação com luz), quimiotróficas, pela fonte de energia química. As quimiolitotróficas (a partir de compostos inorgânicos) ou CRESCIMENTO QUIMIOAUTOTRÓFICO (a partir de compostos orgânicos), e pela fonte de CARBONO, NITROGÊNIO, etc. PROCESSOS HETEROTRÓFICOS (a partir de fontes orgânicas) e PROCESSOS AUTOTRÓFICOS (a partir de DIÓXIDO DE CARBONO). Podem também ser classificadas por serem coradas ou não (com base na estrutura da PAREDE CELULAR) pelo CRISTAL VIOLETA: Gram-positivas ou Gram-negativas.
Cromatografia em camadas delgadas de adsorventes e não em colunas. O adsorvente pode ser alumina, sílica gel, silicatos, carvão vegetal ou celulose.
Biossíntese de RNA realizada a partir de um molde de DNA. A biossíntese de DNA a partir de um molde de RNA é chamada de TRANSCRIÇÃO REVERSA.
Gênero de plantas (família ASTERACEAE, ordem Asterales, subclasse Asteridae) que são fonte de óleo da raiz de 'costus' e não devem ser confundidas com o gênero COSTUS.
Compostos formados por condensação da secologanina com a triptamina resultando em uma tetra-hidro-beta-carbolina que é posteriormente processada em vários compostos bioativos. Estes compostos são encontrados principalmente nas plantas das famílias APOCYNACEAE, LOGANIACEAE e RUBIACEAE.
O efeito das ervas, outras PLANTAS ou EXTRATOS DE PLANTAS sobre a atividade, metabolismo ou toxicidade das drogas.
Conhecimento, atitudes e comportamentos associados, que fazem parte dos tópicos relacionados com a saúde, como doenças e PROCESSOS PATOLÓGICOS, sua prevenção e tratamento. Este termo refere-se a trabalhadores da área da saúde (PESSOAL DE SAÚDE) ou não.
Gênero de plantas da família GENTIANACEAE. São fonte de glicosídeos como os de Swertia punicea e de GLICOSÍDEOS IRIDOIDES.
Relação entre a estrutura química de um composto e sua atividade biológica ou farmacológica. Os compostos são frequentemente classificados juntos por terem características estruturais em comum, incluindo forma, tamanho, arranjo estereoquímico e distribuição de grupos funcionais.
Gênero de ervas ou arbustos leguminosos cujas raizes produzem ÁCIDO GLICIRRETÍNICO e seus derivados, como o CARBENOXOLONA.
Gênero de plantas (família PIPERACEAE) entre as quais estão espécies usadas para condimentos e efeitos estimulantes.
Gênero de plantas (família CAPRIFOLIACEAE) cujos membros contêm glucosídeos iridoides.
Gênero de plantas (família FABACEAE) cujas espécies, incluindo a "C. senna" medicinal e "C. angustifolia" têm sido reclassificadas no gênero Senna (PLANTA SENNA) e, algumas no gênero CHAMAECRISTA.
Gênero de plantas (família ARACEAE) contendo 'pinelina' (polissacarídeo ácido). A planta é ingrediente de algumas misturas medicinais tradicionais da Ásia, incluindo o 'cozimento' (decoction) do sho-saiko-to, saiko-keishi-to e banxia houpu.
Grupo de FLAVONOIDES caracterizados por uma cetona na posição 4.
Classe de derivados dibenzilbutano encontrado em plantas superiores e em fluidos (bile, plasma, urina, etc.) humanos e de outros animais. Esses compostos, que possuem um importante papel anticâncer, podem ser sintetizados "in vitro" pela flora fecal humana.
Proteínas preparadas através da tecnologia de DNA recombinante.
Facilitação de uma reação química por um material (catalisador) que não é consumido na reação.
Gênero de plantas (família SIMAROUBACEAE) cujos membros produzem quassinoides.
Relacionamentos entre grupos de organismos em função de sua composição genética.
Alcaloide extraído de Hydrastis canadensis L.(Berberidaceae). Também encontrada em muitas outras plantas. É relativamente tóxica por via parenteral, mas tem-se utilizado oralmente para várias infecções parasitárias, fúngicas e como antidiarreica.
Gênero araliáceo de plantas contendo vários agentes farmacologicamente ativos, usados como estimulantes, sedativos e tônicos, especialmente na medicina tradicional. Às vezes é confundido com o ginseng Siberiano (ELEUTHEROCOCCUS).
Presença de organismos, ou qualquer material estranho que torna a preparação do medicamento impura.
Grande família de plantas caracterizadas por vagens. Algumas são comestíveis, enquanto outras causam LATIRISMO ou FAVISMO e outras formas de envenenamento. Outras espécies produzem materiais úteis, como as gomas da ACÁCIA e várias LECTINAS, como as FITOHEMAGLUTININAS do PHASEOLUS. Muitas delas abrigam bactérias FIXADORAS DE NITROGÊNIO em suas raizes. Muitas, mas nem todas, as espécies de feijão pertencem à esta família.
Família de plantas (ordem Primulales, subclasse Dilleniidae, classe Magnoliopsida) cujas flores apresentam tanto estames como pistilo, e os frutos são cápsulas.
Classe de compostos com unidades repetidas de 5 carbonos de HEMITERPENOS.
Consiste no estudo do fenômeno cultural que caracteriza as atividades sociais aprendidas, compartilhadas e transmitidas de um grupo étnico em particular com foco nas causas, consequências e complexidades da variabilidade humana social e cultural.
Grupo de DITERPENOS ciclizados dentro de FENANTRENOS tricíclicos.
Prática médica ou disciplina baseada no conhecimento, culturas e crenças de pessoas da COREIA.
Gênero de plantas (família ASTERACEAE) cujos membros contêm LACTONAS de germacrano e sesquiterpênica.
Relação entre a quantidade (dose) de uma droga administrada e a resposta do organismo à droga.
Gênero de plantas (família ASTERACEAE) cujo nome popular margarida é facilmente confundido com o de outras plantas. Algumas espécies deste gênero foram reclassificadas para TANACETUM.
Ácido desoxirribonucléico que forma o material genético de bactérias.
Compostos polifenólicos com pesos moleculares de aproximadamente 500-3000 daltons e contendo numerosos grupos hidroxilas (1-2 por 100 PM) para eficácia das ligações cruzadas de outros compostos (ADSTRINGENTES). Os dois principais tipos são os TANINOS HIDROLISÁVEIS e os taninos condensados. Historicamente, o termo foi aplicado para muitos compostos e extratos de plantas capazes de fornecer COLÁGENOS epidérmicos impermeáveis à degradação. A palavra tanino deriva da palavra Céltica utilizada para carvalho que foi usada para o processamento do couro.
Família de plantas (ordem Polygalales, subclasse Rosidae, classe Magnoliopsida) sendo a maioria arbustos e árvores pequenas. Vários dos seus membros contêm alcaloides indol.
Gênero de plantas (família VIOLACEAE) com algumas espécies chamadas 'Saboneteiras' que é o nome vulgar mais frequente usado com SAPONARIA OFFICINALIS. Seus membros contêm peptídeos macrocíclicos.