Corpo de água que cobre aproximadamente um quinto da área oceânica total da terra, estendendo-se entre a África no oeste, Austrália no leste, Ásia no norte e Antártica no sul. Inclui o Mar Vermelho e o Golfo Pérsico, constitui o terceiro maior oceano depois do OCEANO ATLÂNTICO e do OCEANO PACÍFICO.
Água salinizada dos OCEANOS E MARES que supre habitat para organismos marinhos.
Estudo da origem, estrutura, desenvolvimento, crescimento, função, genética e reprodução de organismos que habitam os OCEANOS E MARES.
Organismos minusculos que flutuam livremente e são fotossintetizantes. O termo não é taxonômico, referindo-se mais ao estilo de vida (utilização da energia e motilidade) do que ao tipo específico de organismo. Muitos (não todos) são algas unicelulares. Grupos importantes incluem DIATOMÁCEAS, DINOFLAGELADOS, CIANOBACTÉRIAS, CLORÓFITAS, HAPTÓFITOS, CRIPTOMONADES e silicoflagelados.
O continente situado ao redor do Polo Sul e das águas meridionais dos Oceanos Atlântico, Pacífico e Índico. Inclui as Dependências das Ilhas Falkands.
Fluxo de água nos corpos hídricos ambientais, como rios, oceanos, fontes, aquários, etc. O termo inclui correntes, marés e ondas.
Camada gasosa que envolve os astros em geral e a Terra em particular, onde ocorrem os fenômenos meteorológicos relacionados com o clima (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992)
1) Sistema funcional que inclui os organismos de uma comunidade natural junto a seu ambiente. (MeSH/NLM)(Tradução livre do original: McGraw Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 4th ed) 2)Sistema aberto integrado pelos organismos vivos (inclusive o homem) e os elementos não vivos de um setor ambiental definido no tempo e no espaço, cujas propriedades globais de funcionamento e autorregulação derivam da interação entre seus componentes, tanto pertencentes aos sistemas naturais como aqueles modificados ou organizados pelo próprio homem. 3) Complexo constituído pelo biótopo e pela biocenose (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992)
Comunidade de PLANTAS e ANIMAIS aquáticos muito pequenos e BACTÉRIAS fotossintetizantes que são flutuantes ou suspendidas na água, com pequeno ou nenhum poder de locomoção. São divididos em FITOPLÂNCTON e ZÔOPLANCTON.
Gênero de CYANOBACTERIA (ordem PROCHLOROPHYTES) planctônicas, marinhas, sem FICOBILISSOMAS e contendo divinil CLOROFILA 'a' e 'b'.
Região que abrange o Oceano Ártico, as terras nele e adjacentes a ele. Inclui a Ponta Barrow (no Alasca), a maioria do Distrito de Franklin no Canadá, dois terços da Groenlândia, o arquipélago de Esvalbarda, o arquipélago de Franz Josef Land, a Lapônia, o arquipélago de Novaya Zemlya e a Sibéria Setentrional. (Tradução livre do original: Webster's New Geographical Dictionary, 1988, p66)
Massa de material sólido fragmentado, orgânico ou inorgânico, ou o próprio fragmento sólido, que vem do desgaste das rochas, sendo transportado, suspenso ou aprisionado pelo ar, água ou gelo. Refere-se também a uma massa acumulada por qualquer outro agente natural e que se deposita em camadas na superfície terrestre, como areia, pedregulhos, lodo, lama, terra ou argila.
Massa grossa de GELO formada sobre regiões extensas de terra, RIOS, LAGOS, LAGOAS ou ÁGUA DO MAR.
Ordem de CRUSTÁCEOS pelágicos. Muitos consomem ZOOPLÂNCTON e poucos são predadores. Muitas espécies antárticas, como a Euphuasia superba, constituem o principal alimento de outros animais.
Matéria inanimada da Terra, as estruturas e propriedades desta matéria e os processos que a afetam.
Organismos que vivem na água.
Movimentos periódicos de animais em resposta as mudanças sazonais ou instintos reprodutivos. As alterações hormonais são os principais motivos desencadeadores, pelo menos em alguns animais. A maioria das migrações é realizada por mudanças climáticas, alimentação ou procriação.
Relacionamentos entre grupos de organismos em função de sua composição genética.
Nome vulgar do filo de ESTRAMENÓPILAS unicelulares microscópicas. A maioria é aquática, sendo encontrada em água doce, salobra e salgada. As diatomáceas são notáveis pela simetria e forma de suas paredes celulares silicosas. Equivalem a 40 por cento do FITOPLÂNCTON, mas nem todas as diatomáceas são planctônicas.
A variedade de todos os órgãos vivos autóctones e suas diversas formas e inter-relações. (MeSH, 2010) Conteúdo vivo da Terra em seu conjunto, tudo quanto vive nos oceanos, nas montanhas e nos bosques. Encontramo-la em todos os níveis, desde a molécula de DNA até os ecossistemas e a biosfera. Todos os sistemas e entidades biológicas estão interconectadas e são interdependentes. A importância da biodiversidade fundamenta-se no fato de nos facilitar serviços essenciais: protege e mantém os solos, regula o clima e torna possível a biossíntese, proporcionando-nos assim o oxigênio que respiramos e a matéria básica para nossos alimentos, vestuário, medicamentos e habitações. (Tradução livre do original: Material IV - Glosario de Protección Civil, OPS, 1992)
Nascentes de águas quentes no fundo do oceano. São comumente encontradas próximas a locais de atividade vulcânica como cristas meso-oceânicas.
Ciência que estuda a terra e sua vida, especialmente a descrição da terra, mar e ar e a distribuição da vida vegetal e animal, incluindo a humanidade e suas indústrias referentes às relações mútuas destes elementos. (Tradução livre do original: Webster, 3d ed)
Manifestações a longo prazo do TEMPO (METEOROLOGIA). (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)
Classe (filo CNIDARIA)composta principalmente por corais e anêmonas. Todos os membros são pólipos, o estágio de medusa é completamente ausente.
Aumento na temperatura da atmosfera próxima à superfície da Terra e na troposfera, o que pode contribuir para alterações nos padrões climáticos globais.
Grupo de Ilhas do Oceano Índico, as ilhas de Grande Comore (ou Ngazidja), Anjouan, Mayotte e Moheli, que se situam entre o nordeste de Moçambique e noroeste de Madagáscar. A capital é Moroni. Em 1914 elas se tornaram uma colônia vinculada administrativamente a Madagáscar e foram feitas um território ultramarino Francês em 1947. Com exceção de Mayotte que permaneceu Francesa, Comores tornou-se uma república independente em 1975. Comores representa o Árabe qamar, lua, que alguns estudiosos acham ser ligada às místicas Montanhas da Lua que dizem estar em algum lugar na África equatorial.
Movimentação do ar relativa à superfície da terra.
Sais ou íons do teórico ácido carbônico que contêm o radical CO2(3-). Os carbonatos são prontamente decompostos pelos ácidos. Os carbonatos dos metais alcalinos são hidrossolúveis; todos os outros são insolúveis.
Ciclo pelo qual o elemento carbono é trocado entre a matéria orgânica e o ambiente físico da Terra.
Presença de bactérias, vírus e fungos na água. A expressão não se restringe [apenas] aos organismos patogênicos.
Criação e desenvolvimento de corpos [celestes] dentro de sistemas solares; inclui o estudo da geologia planetária primitiva (early).
Grupo de vertebrados aquáticos de sangue frio que possuem brânquias, nadadeiras, endoesqueleto ósseo ou cartilaginoso e corpos alongados cobertos com escamas.
Sal de cálcio do ácido carbônico (CaCO3). Existe na natureza na forma de cristal ou pó inodoro e insípido. É utilizado terapeuticamente como um tampão fosfato em tratamentos de hemodiálise e como suplemento de cálcio.
1) Qualquer alteração significativa nas medidas do clima (tais como temperatura, precipitação ou ventos) que dura por um período extenso (décadas ou mais). Pode resultar de fatores naturais como mudanças na intensidade do sol, processos naturais dentro do sistema de climas terrestres como mudanças na circulação oceânica, ou de atividades humanas (MeSH). 2) Mudança observada no clima, em uma escala global, regional ou sub-regional, causado por processos naturais e/ou atividade humana. (Material II - IDNDR, 1992)
Uma das Ilhas do Oceano Índico, a leste de Madagáscar. Sua capital é Saint-Denis. Foi descoberta em 1507 pelos portugueses e reivindicada pela França em 1638. Foi colonizada primeiro em 1662 como Isle de Bourbon, mas renomeada Reunião em 1793. Em 1946 foi transformada em um departamento ultramarino da França. O nome comemora a reunião dos revolucionários de Marselha com a Guarda Nacional em Paris em 1792.
Lugares para cultivo e colheita de peixe, particularmente em águas marítimas.
Gás incolor, inodoro, não venenoso, componente do ar ambiental, também chamado de dióxido de carbono. É um produto normal da combustão de materiais orgânicos e da respiração. Tem um importante papel na vida dos animais e das plantas.
Elemento não metálico com símbolo atômico C, número atômico 6 e massa atômica [12,0096; 12,0116]. Pode ocorrer como vários alótropos diferentes, entre eles, DIAMANTE, CARVÃO VEGETAL, GRAFITE e como FULIGEM a partir de queima incompleta de combustível.
Grupo (ou filo) de EUCARIOTOS unicelulares (ou algas) que possuem CLOROPLASTOS e FLAGELOS.
Ordem de peixe mais diversificada e a maior ordem de vertebrados. Composta por vários peixes normalmente conhecidos como pargos, roncadores, Peixes-Lua, dourado do mar, mackerels, TUNA, etc.
Minusculos organismos livre-flutuantes que vivem em praticamente todas as águas naturais.
Espécie de ALPHAVIRUS que causa uma febre aguda semelhante a dengue.
Classe do filo MOLUSCOS composta por CARAMUJOS e lesmas. O primeiro possui conchas externas em forma de hélice e o segundo geralmente é desprovido de conchas.
Vértices marinhos compostos de CORAIS vivos, esqueletos de corais, algas calcáreas e outros organismos, misturados com minerais e matéria orgânica. São encontrados mais comumente em águas tropicais e sustentam outros tipos de vida animal e vegetal. (MeSH/NLM) Recife: Estrutura rochosa, frequentemente coralina, que emerge da superfície do mar ou que se encontra a muito pouca profundidade e que pode representar um perigo para a navegação (Material IV - Glossário de Proteção Civil, OPAS, 1992).
Massa total de todos os organismos de determinado tipo e/ou de uma área específica. Inclui o rendimento de massa vegetativa produzida em uma colheita específica.
Efeito do AQUECIMENTO GLOBAL e o aumento das temperaturas no mundo dele decorrentes. Os efeitos previstos na saúde de tal mudança climática de longa duração incluem aumento da incidência de doenças respiratórias e de doenças transmitidas pela água e por vetores (MeSH/NLM). Aquele no qual a radiação solar passa através do ar e sua energia é absorvida pela terra; por sua vez, a terra irradia essa energia em forma de calor (radiação infravermelha) e esta é absorvida pelo ar, especificamente pelo dióxido de carbono. Neste processo, o ar se comporta como o vidro de uma estufa, que permite a passagem da radiação solar e não permite a saída das radiações infravermelhas geradas na terra. Alguns cientistas julgam que o aumento do dióxido de carbono na atmosfera pode elevar a temperatura e produzir uma catástrofe em nosso planeta. O conteúdo do dióxido de carbono na atmosfera aumentou notavelmente em nossos dias, comparado com as quantidades medidas no princípio do século. (Material IV - Glosario de Protección Civil, OPAS, 1992)
Qualquer processo ou inter-relação de fenômenos que provocam mudanças em uma população.
Sequência de transferências de matéria e energia de um organismo para outro em forma de ALIMENTO. As cadeias alimentares se entrelaçam localmente em uma rede alimentar, pois a maioria dos organismos consome mais de um tipo de animal ou vegetal. As PLANTAS [que convertem ENERGIA SOLAR em alimento através da FOTOSSÍNTESE] são as fontes primárias de alimento. Em uma cadeia de predadores, um animal herbívoro é devorado por um animal maior. Em uma cadeia de parasitas, o menor organismo consome parte de grandes hospedeiros e podem eles mesmos serem parasitados por organismos ainda menores. Em uma cadeia saprofitica, os micro-organismos vivem da matéria orgânica de um organismo morto.
Colônia britânica a oeste do Oceano Atlântico do Norte, aproximadamente 640 milhas a leste e sudoeste de Cape Hatteras. Inclui um grupo de cerca de 300 ilhas das quais aproximadamente apenas 20 são habitadas. Também é chamada Ilhas Bermudas ou as Bermudas. Foi assim denominada em homenagem ao explorador Espanhol Juan Bermudez que visitou as ilhas em 1515. (Tradução livre do original: Webster's New Geographical Dictionary, 1988, p140 & Room, Brewer's Dictionary of Names, 1992, p61)
Única família de pinguins (ordem Sphenisciforme, com 6 gêneros e 17 espécies). São aves aquáticas não voadoras do hemisfério Sul, altamente adaptadas para a vida marinha.
1) Ciência da Terra e outros corpos celestes e sua história de acordo com os registros nas rochas. Inclui o estudo dos processos geológicos de uma área tais como a formação de rochas, intemperismo e erosão, e sedimentação. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed) 2) Ciência que estuda o planeta Terra, a disposição dos materiais que o compõem e todos os fenômenos que nele operaram até chegar ao seu estado atual (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992)
As doenças virais causadas por membros do gênero ALPHAVIRUS da família TOGAVIRIDAE.
Um dos três domínios da vida, também denominado Eubacterias (os outros são Eukarya e ARCHAEA). São micro-organismos procarióticos, unicelulares, com parede celular geralmente rígida. Multiplicam-se por divisão celular e apresentam três formas principais: redonda (cocos), bastonete (bacilos) e espiral (espiroquetas). Podem ser classificadas pela resposta ao OXIGÊNIO (aeróbicas, anaeróbicas, ou anaeróbicas facultativas), pelo modo de obter energia: quimiotróficas (via reação química) ou PROCESSOS FOTOTRÓFICOS (via reação com luz), quimiotróficas, pela fonte de energia química. As quimiolitotróficas (a partir de compostos inorgânicos) ou CRESCIMENTO QUIMIOAUTOTRÓFICO (a partir de compostos orgânicos), e pela fonte de CARBONO, NITROGÊNIO, etc. PROCESSOS HETEROTRÓFICOS (a partir de fontes orgânicas) e PROCESSOS AUTOTRÓFICOS (a partir de DIÓXIDO DE CARBONO). Podem também ser classificadas por serem coradas ou não (com base na estrutura da PAREDE CELULAR) pelo CRISTAL VIOLETA: Gram-positivas ou Gram-negativas.
Espécie Megaptera novaeangliae (family Balaenopteridae) caracterizada por sua enorme nadadeira e pela curvatura de suas costas quando mergulha. São também conhecidas por seu salto e canto.
Grande subclasse de CRUSTÁCEOS (predominantemente marinhos, com mais de 14.000 espécies). As 10 ordens englobam organismos planctônicos e bênticos, incluindo as formas parasitárias e de vida livre. Os copépodes planctônicos constituem o principal elo entre o FITOPLÂNCTON e os níveis tróficos superiores da cadeia alimentar marinha.
Nome comum de várias espécies de peixes oceânicos grandes e vigorosos da família Scombridae.
Proteção, preservação, restauração e uso racional de todos os recursos ambientais.
Constituintes da subunidade 30S dos ribossomos procarióticos contendo 1600 nucleotídeos e 21 proteínas. O RNAr 16S encontra-se envolvido no início da síntese polipeptídica.
Comunicações que usam um satélite ativo ou passivo para estender o alcance do rádio, televisão ou outra transmissão eletrônica devolvendo sinais para a terra de um satélite em órbita.
Porções de terra completamente rodeadas por água.
Grau de conteúdo salino, que é basicamente a CONCENTRAÇÃO OSMOLAR de CLORETO DE SÓDIO mais quaisquer outros SAIS presentes. É um fator ecológico de considerável importância, que influencia os tipos de organismos que vivem em um MEIO AMBIENTE.
Qualquer um dos vários processos de captura ou remoção, permanente ou de longo prazo, artificial ou natural, e armazenamento de dióxido de carbono ou outras formas de carbono, por meio de processos biológicos, químicos ou físicos, em uma forma que o impeça de ser liberado na atmosfera.
Reino do domínio ARCHAEA que compreende organismos termoacidofílicos e que dependem de enxofre. As duas ordens são SULFOLOBALES e THERMOPROTEALES.
Técnicas usadas para determinar a idade dos materiais, baseadas no conteúdo e meias-vidas dos ISÓTOPOS RADIOATIVOS que eles contêm.
Estações do ano: Divisões do ano de acordo com algum fenômeno regularmente recorrente, geralmente astronômico ou climático. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed) Variações sazonais: Diferenças sazonais na ocorrência de eventos vitais.
Ramo da ciência voltado para as inter-relações de organismos e seu AMBIENTE, especialmente as manifestadas por ciclos e ritmos naturais, desenvolvimento e estrutura da comunidade, interações entre espécies de organismos diferentes, distribuições geográficas e alterações populacionais. (Tradução livre do original: Webster's, 3d ed)
Propriedade de objetos que determina a direção do fluxo de calor quando eles são posicionados em contato térmico direto. A temperatura é a energia dos movimentos microscópicos (translacionais e de vibração) das partículas dos átomos.
Classe do filo PROTEOBACTÉRIAS que apresentam dois fenótipos principais: bactérias não sulfúricas púrpura e bactérias aeróbicas com bacterioclorofila.
Padrão instintivo de comportamento em que o alimento é obtido pelo abatimento e consumo de outras espécies.
Ordem de EUCARIOTOS ameboides caracterizados por pseudópodos reticulados e ciclo de vida complexo com alternância de gerações. A maioria possui menos de 1 mm de tamanho e é encontrada água marinha ou salobra.
Processo de vários estágios que inclui clonagem, mapeamento físico, subclonagem, determinação da SEQUÊNCIA DE DNA e análise de informação.
Cobertura rígida de animais que incluem MOLUSCOS, TARTARUGAS, INSETOS e crustáceos.
Um dos três domínios de vida (os outros são BACTÉRIAS e EUCARIOTOS), anteriormente chamado Archaebacteria no táxon Bactéria, mas atualmente considerado separadamente e distinto. São caracterizados por: 1) presença de RNA de transferência e RNA ribossômicos característicos; 2) ausência de paredes celulares de peptidoglicanas; 3) presença de lipídeos com ligações éter, construídos de subunidades de cadeias ramificadas e 4) sua ocorrência em habitats pouco usuais. Enquanto as Archaea se parecem com as bactérias na organização genômica e morfológica, assemelham-se aos eucariontes em seu método de replicação genômica. O domínio contém ao menos quatro reinos: CRENARCHAEOTA, EURYARCHAEOTA, NANOARCHAEOTA e KORARCHAEOTA.
Compostos químicos que cedem íons hidrogênio ou prótons quando dissolvidos em água podendo o hidrogênio ser substituído por metais ou radicais básicos ou ainda, substâncias que podem reagir com bases formando sais e água (neutralização). Uma extensão do termo inclui também substâncias dissolvidas em outros meios que não água. (Tradução livre do original: Grant & Hackh's Chemical Dictionary, 5th ed)
Grupo de proteobactérias que compreende bactérias Gram-negativas fermentadoras e facultativamente anaeróbias.
Um dos três domínios da vida (os outros são BACTÉRIAS e ARCHAEA), também chamado de Eukarya. Constituem os organismos cujas células são envolvidas por membranas e possuem um núcleo. Compreendem quase todos os organismos pluricelulares e muitos dos unicelulares, e são tradicionalmente divididos em grupos (algumas vezes chamados reinos) que incluem ANIMAIS, PLANTAS, FUNGOS, várias algas e outros ‘taxa’ que foram previamente parte do antigo reino Protista.
Grupo de ilhas do Oceano Índico, a leste da Tanzânia. A capital delas é Victoria. Foram reivindicadas primeiro pelos franceses em 1744, mas tomadas pelos ingleses em 1794 e transformadas em uma dependência de MAURÍCIO em 1810. Tornaram-se uma colônia da coroa em 1903 e uma república dentro da Commonwealth em 1976. Foram denominadas em homenagem ao ministro francês das finanças, Jean Moreau de Sechelles, mas o nome foi modificado pelos ingleses em 1794.
Campo de estudo que lida com os princípios e processos que controlam as distribuições geográficas de linhagens genealógicas, especialmente aquelas dentro e entre espécies intimamente relacionadas. (Tradução livre do original: Avise, J.C., Phylogeography: The History and Formation of Species. Harvard University Press, 2000)
Enriquecimento de um ECOSSISTEMA aquático ou terrestre pela adição de nutrientes, especialmente nitrogênio e fósforo, que resulta em um crescimento excessivo de plantas, ALGAS ou outros produtores primários. Pode ser um processo natural ou o resultado da atividade humana, tal como resíduos de agricultura ou poluição pelo escoamento de esgoto. Em ecossistemas aquáticos, um aumento na população de algas é denominado de floração de algas.
Restos, impressões ou traços de animais ou plantas de eras geológicas passadas que se mantêm preservados na crosta terrestre.
Processo pelo qual um tecido orgânico se torna endurecido pelo depósito fisiológico de sais de cálcio.
Forma do gênero de CIANOBACTÉRIAS cuja forma vai do esférica até o bastonete (ordem Chroococcales). Apresentam TILACOIDES e são encontradas em muitos tipos de habitats.
Classe de anelídeos marinhos incluindo os vermes de areia, tubários, "clamworms" e vermes de fogo. Também inclui o gênero Myxicola infundibulum.
Espécie, Physeter catodon (também chamada Physeter macrocephalus), da família Physeteridae. O nome vulgar é derivado de uma substância céreo-leitosa (espermacete) em sua cabeça. A espécie também produz uma secreção intestinal, o ÂMBAR-GRIS, que fora antigamente utilizada em perfumes. O cachalote é o maior MAMÍFERO dentado do mundo.
Largas embarcações impulsionadas por energia ou velas usadas para transporte em rios, mares, oceanos ou outras águas navegáveis. Barcos são embarcações menores impulsionadas por remos, pás, velas ou energia; eles podem ou não ter um convés.
Animais que não possuem coluna vertebral.
Cinza, poeira, gases e lava liberados por explosão vulcânica. Os gases são matéria volátil composta principalmente por cerca de 90 por cento de vapor de água, e também por gás carbônico, dióxido de enxofre, hidrogênio, monóxido de carbono e nitrogênio. A cinza ou poeira são ejetos piroclásticos, e a lava expelida é um material fundido constituído principalmente de silicato de magnésio. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 4th ed)
Compostos sulfúreos em que o átomo de enxofre está anexado a três radicais orgânicos e a um elemento eletronegativo ou radical.
Substância sólida formada pelo CONGELAMENTO da água.
Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.
Grandes correntes naturais de ÁGUA DOCE formadas pela convergência de afluentes e que desembocam em um grande volume de água (lago ou oceano).
Análise genômica da comunidade de organismos em um determinado ambiente.
Grupo composto por várias espécies de focas-de-orelha encontradas em dois gêneros (família Otoriidae). Comparando com os LEÕES MARINHOS, elas apresentam uma densa camada de pelos.
Abrangência de organismos vivos diferentes que habitam uma determinada região, habitat ou biótopo.
Uma das ilhas do Oceano Índico distantes da costa da África. Sua capital é Antananarivo. Antigamente chamava-se República Malgaxe. Descoberta pelos Portugueses em 1500, sua história está ligada predominantemente aos franceses, tornando-se um protetorado francês em 1882, uma colônia francesa em 1896 e um território dentro da união francesa em 1946. A República Malgaxe foi estabelecida na Comunidade Francesa em 1958, mas alcançou independência em 1960. Seu nome foi mudado para Madagáscar em 1975.
Processo facilitado por bactérias especializadas que envolve a oxidação do amônio para nitrito e nitrato.
Restrição de um comportamento característico, estrutura anatômica ou sistema físico, como resposta imunológica, resposta metabólica ou gene ou variante gênico dos membros de uma espécie. Refere-se às propriedades que diferenciam uma espécie de outra, mas também se usa para níveis filogenéticos superiores ou inferiores ao nível de espécie.
Elementos e condições externos que envolvem, influenciam e afetam a vida e o desenvolvimento de um organismo ou população.
Grupo de elasmobrânquios elongados. Tubarões são majoritariamente peixes marinhos, sendo algumas espécies grandes e vorazes.
Forma hidratada de dióxido de silício encontrado na natureza. É comumente usado na manufatura de CREMES DENTAIS e como fase estacionária em CROMATOGRAFIA.
Sequências de DNA que codificam o RNA RIBOSSÔMICO e os segmentos de DNA separando os genes individuais do RNA ribossômico, citados como DNA ESPAÇADOR RIBOSSÔMICO.
Eventos característicos que ocorrem na ATMOSFERA durante interações e transformações de várias condições e componentes atmosféricos.
Filo de bactérias oxigênicas, fotossintéticas composto por bactérias unicelulares a multicelulares que possuem CLOROFILA (realizam a FOTOSSÍNTESE oxigênica). As cianobactérias são os únicos organismos conhecidos capazes de fixar o DIÓXIDO DE CARBONO (presença de luz) e NITROGÊNIO. A morfologia celular pode incluir heterocistos fixadores de nitrogênio e/ou células em repouso denominadas acinetos. Previamente chamadas algas verde-azuladas, as cianobactérias foram tradicionalmente tratadas como ALGAS.
Grande supergrupo de EUCARIOTOS predominantemente ameboides, cujos três principais subgrupos são CERCOZOÁRIOS, FORAMINÍFEROS e HAPLOSPORÍDEOS. Quase todas as espécies possuem MITOCÔNDRIAS e historicamente muitas foram consideradas ANIMAIS.
Família Phocidae (subordem PINNIPEDIA, ordem CARNÍVORA) abrande as focas verdadeiras que perderam a orelha externa e são incapazes de usar suas nadadeiras posteriores para andar. Incluem mais de 18 espécies, entre elas, a foca-da Groelândia, provavelmente a espécie mais conhecida mundialmente.
Período da história antes [do ano] 500 da era comum.
Ondas de água causadas por interações gravitacionais entre a TERRA, a LUA e o SOL.
Normalidade de uma solução com relação a íons de HIDROGÊNIO, H+. Está relacionada com medições de acidez na maioria dos casos por pH = log 1/2[1/(H+)], onde (H+) é a concentração do íon hidrogênio em equivalentes-grama por litro de solução. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)
Diferenças genotípicas observadas entre indivíduos em uma população.
Circulação do nitrogênio na natureza, que consiste de um ciclo de reações bioquímicas em que o nitrogênio atmosférico é composto, dissolvido na chuva e depositado no solo, onde é assimilado e metabolizado por bactérias e plantas, retornando eventualmente para a atmosfera por decomposição da matéria orgânica feita por bactérias.
Derivados de porfirina contendo magnésio que atuam para converter energia luminosa em organismos fotossintéticos.
1) Dimensão do universo físico que, em um determinado lugar, ordena a sequência de eventos. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed) (MeSH 2009) 2) Arranjo sequencial de todos os eventos, ou o intervalo entre dois eventos em tal sequência. O conceito de tempo pode ser discutido em vários níveis diferentes: físico, psicológico, filosófico e científico, e biológico (tradução livre do original: Columbia Electronic Encyclopedia, sixth edition, Columbia University Press, 2003, citada em http://www.answers.com/time). 3) Duração relativa das coisas que cria no ser humano a ideia de presente, passado e futuro; período contínuo e indefinido no qual os eventos se sucedem (Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa, 2002). 4) Magnitude física que mede a duração das coisas sujeitas a mudança, isto é, o lapso que transcorre entre dois eventos consecutivos que se medem de um passado para um futuro, passando pelo presente. É a magnitude que permite parametrizar a mudança e ordenar os sucessos em sequências, estabelecendo um passado, um presente e um futuro, e dá lugar ao Princípio de causalidade, um dos axiomas do método científico. Sua unidade básica no Sistema Internacional é o segundo. Seu símbolo é s; por ser um símbolo e não uma abreviatura, não se deve escrever com maiúscula, escrever como "seg. ou acrescentar um ponto posterior. (tradução livre do original: http://es.wikipedia.org/wiki/Tiempo)
O clima que prevalece nas zonas subtropicais e tropicais, caracterizado por uma estação seca bem marcada (nos meses em que é inverno no hemisfério norte) e uma estação chuvosa igualmente distinta (durante o inverno no hemisfério norte)
Coleção contínua, análise e interpretação de dados ecológicos que são usados para avaliar mudanças nos componentes, processos e condição geral e funcionamento de um ECOSSISTEMA.
Monitoração do nível de toxinas, poluentes químicos, contaminantes microbianos ou outras substâncias danosas no ambiente (solo, ar e água), no trabalho ou nos corpos das pessoas e animais presentes naquele ambiente.
Síntese, por organismos, de compostos químicos orgânicos, especialmente carboidratos, a partir do dióxido de carbono usando a energia proveniente da luz em vez da oxidação dos compostos químicos. A fotossíntese é composta por dois processos distintos: as reações na luz e as reações no escuro. Nas plantas superiores, ALGAS VERDES e CIANOBACTÉRIAS, o NADPH e ATP formados pelas reações na luz dirigem a as reações que ocorrem no escuro, resultando na fixação do dióxido de carbono. (Tradução livre do original: Oxford Dictionary of Biochemistry and Molecular Biology, 2001)
1) Ciência que estuda as características da atmosfera, tais como sua temperatura, densidade, ventos, nuvens, precipitações, e outros fenômenos atmosféricos, que objetiva considerar o tempo climático em termos de influências externas e de acordo com as leis básicas da física (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed). 2) Ciência que estuda os fenômenos que se produzem na atmosfera, suas causas e seus mecanismos.
Água contendo quantidades insignificantes de sais, como as águas dos RIOS e LAGOS.
Grupo de substâncias químicas que contêm as ligações covalentes de enxofre -S-. O átomo de enxofre pode estar ligado a partes inorgânicas ou orgânicas.
Tório. Um elemento radioativo da série dos actinídeos metálicos. Seu símbolo metálico é Th, seu número atômico 90 e seu peso atômico 232,04. É utilizado em reatores nucleares para produzir isótopos de urânio propícios a sofrerem fissão nuclear. Devido a sua radiopacidade, costuma ser utilizado para facilitar a visualização de radiografias.
Grandes mamíferos marinhos (ordem CETACEA). No passado eram valorizados comercialmente por seu óleo, por sua carne (como alimento humano, na RAÇÃO ANIMAL e FERTILIZANTES) e pela barbatana. Hoje há uma moratória em quase toda a pesca comercial de baleias, pois todas as espécies figuram como ameaçadas ou em vias de extinção.
Processo de alterações acumuladas ao longo de gerações sucessivas através das quais os organismos adquirem características morfológicas e fisiológicas distintas.
Representações teóricas que simulam o comportamento ou atividade dos sistemas, processos ou fenômenos. Eles incluem o uso de equações matemáticas, computadores e outros equipamentos eletrônicos.
Estágio de desenvolvimento em que os seres apresentam forma semelhante a uma minhoca (wormlike) ou a uma lagarta (grublike), após o de ovo no ciclo de vida de insetos, vermes (worms), e outros animais que sofrem metamorfose.
Átomos de oxigênio estáveis que possuem o mesmo número atômico que o elemento oxigênio, porém diferem em relação ao peso atômico. O-17 e 18 são isótopos de oxigênio estáveis.
Atividades realizadas por seres humanos.
Filo dos invertebrados marinhos mais comuns. Sua classe Stelleroidea contém duas subclasses, a Asteroidea (a ESTRELA-DO-MAR) e a Ophiuroidea (os ofiuros, também chamadas de estrelas em cestas e estrelas-serpentes). Há 1500 espécies descritas de ESTRELAS-DO-MAR encontradas pelo mundo. A segunda classe, Echinoidea, contém por volta de 950 espécies de OURIÇOS-DO-MAR, "heart urchins" (ouriços coração), e bolachas-do-mar. Uma terceira classe, Holothuroidea, compreende por volta de 900 equinodermos conhecidos como HOLOTÚRIAS. Equinodermos são extensamente utilizados em pesquisa biológica.
Maior ordem dos CRUSTÁCEOS (mais de 10.000 espécies), caracterizados por três pares de apêndices torácicos (modificados em maxilipídeos) e cinco pares de patas torácicas. Fazem parte da ordem o conhecido camarão, caranguejo de rio (ASTACOIDEA), caranguejos verdadeiros (BRAQUIÚROS) e lagostas (NEPHROPIDAE e PALINURIDAE) e outros.
Constituinte da subunidade 40S dos ribossomos eucarióticos. O RNAr 18 S encontra-se envolvido no início da síntese polipeptídica nos eucariotos.
Grande subfilo de ARTRÓPODES (mais de 42.000 espécies) geralmente marinhos, sendo alguns muito conhecidos, como lagostas (NEPHROPIDAE), caranguejos (BRAQUIÚROS), camarões (PENAEIDAE) e cracas (THORACICA).
Corpos celestes queorbitam ao redor do sol ou de outras estrelas.
Clima caracterizado por TEMPERATURA FRIA na maior parte do ano.
Peixes dos gêneros ONCORHYNCHUS e Salmo na família SALMONIDAE. São peixes selvagens anádromos que frequentam as águas costais do norte Atlântico e Pacífico. São conhecidos, por serem selvagens, como peixes de pesca esportiva e pela qualidade de sua carne, como alimento.
Área geográfica da África que abrange BURUNDI, DJIBUTI, ETIÓPIA, QUÊNIA, RUANDA, SOMÁLIA, SUDÃO, TANZÂNIA e UGANDA.
Classe (do filo MOLLUSCOS) composta por mexilhões, moluscos bivalves, OSTRAS, berbigão e vieiras. Caracterizados por uma concha articulada (com simetria bilateral) e um pé muscular (usado para escavação e ancoragem).
Descontinuação da existência de uma espécie ou grupos de organismos taxonômicos.
Número de indivíduos por unidade de espaço.
Processo (em certas BACTÉRIAS, FUNGOS e CIANOBACTÉRIAS) de conversão do NITROGÊNIO livre da atmosfera para formas de nitrogênio biologicamente utilizáveis, como AMÔNIA, NITRATOS e compostos aminados.
Macroalgas multicelulares marinhas que incluem alguns membros de algas vermelhas (RODÓFITAS), verdes (CLORÓFITAS) e pardas (FEÓFITAS). São amplamente distribuídas no oceano, ocorrendo desde o nível do mar até profundidades consideráveis, flutuando livremente (planctônicas) ou ancoradas no substrato (bênticas). Carecem de um sistema vascular especializado, mas ingerem líquidos, nutrientes e gases diretamente da água. Contêm CLOROFILA e são fotossintéticas (algumas também possuem outros pigmentos que absorvem a luz). Muitas têm importância econômica como ALIMENTOS, fertilizantes, ÁGAR, potassa ou como fonte de IODO.
O estudo das formas de vida primitivas através de restos fósseis.
Elemento com o símbolo atômico N, número atômico 7 e peso atômico [14.00643; 14.00728]. O nitrogênio existe na forma de um gás biatômico e compõe aproximadamente 78 por cento do volume da atmosfera terrestre. É um constituinte das proteínas e dos ácidos nucleicos, sendo encontrado em todas as células.
EUCARIOTOS flagelados, encontrados principalmente nos oceanos. São caracterizados pela presença de flagelos transversais e longitudinais que impelem os organismos por movimentos de rotação na água. Os dinoflagelados foram outrora membros da classe Phytomastigophorea, sob o antigo paradigma dos cinco reinos.
A espécie Orcinus orca (família Delphinidae), caracterizada pela cor preto-branco e pela grande nadadeira dorsal triangular, é o maior membro da família dos GOLFINHOS. Seu nome vem do fato de ser um grande (fearsome) predador.
Corpos grandes consistindo de gás de luz própria mantido por sua própria gravidade. (Tradução livre de McGraw Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)
Filo de esponjas (multicelulares) sésseis que alimentam-se de suspensões e utilizam células com flagelos (coanócitos) para a circulação da água. A maioria é hermafrodita. Provavelmente existiu um ramo na escala evolutiva que não originou nenhum grupo de animal. As esponjas são animais marinhos (cerca de 150 espécies de água doce) e fonte de ALCALOIDES, ESTERÓIS e outras moléculas complexas úteis na medicina e pesquisa biológica.
DNA bicatenário de MITOCÔNDRIAS. Em eucariotos, o GENOMA mitocondrial é circular e codifica para RNAs ribossômicos, RNAs de transferência e aproximadamente 10 proteínas.
Ácido desoxirribonucléico que forma o material genético de bactérias.
Filo composto por bactérias púrpura e seus parentes, que constitui um ramo da árvore eubacteriana. Este grupo de bactérias predominantemente Gram-negativas é classificado com base na homologia de sequências nucleotídicas equivalentes de RNA ribossômico 16S, ou pela hibridização de RNA ou DNA ribossômico com 16S e RNA ribossômico com 23S.
Quinto planeta [contado] na ordem a partir do sol. É um dos cinco planetas exteriores do sistema solar. Seus dezesseis satélites naturais incluem Calixto, Europa, Guanymede e Io.
Eventos e atividades da Terra e suas estruturas.
Origem da vida. Inclui os estudos da base potencial para a vida a partir de compostos orgânicos, mas exclui aqueles sobre o desenvolvimento de formas alteradas de vida que ocorrem através de mutações e da seleção natural, que é a EVOLUÇÃO.
Vertebrados de sangue quente que possuem PLUMAS e pertencem à classe das Aves.
Família de MEXILHÕES marinhos na classe BIVALVIA.
Espécies atômicas que diferem quanto ao número de massa, porém apresentam o mesmo número atômico.
Pequenos corpos planetários do sistema solar, incluindo os asteroides. A maioria desses asteroides são encontrados [no espaço existente] entre as órbitas de Marte e de Júpiter.
Mamíferos das famílias Delphinidae (golfinhos oceânicos), Iniidae, Lipotidae, Pontoporiidae e Platanistidae (todos fluviais). Entre as espécies mais conhecidas estão o GOLFINHO NARIZ-DE-GARRAFA e a ORCA (também um golfinho). O nome vulgar golfinho é aplicado a pequenos cetáceos que possuem focinho pontiagudo (beaklike), corpo delgado e alongado, enquanto TONINHAS são pequenos cetáceos com focinho achatado e corpo mais robusto (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, pp 978-9).
Relação entre duas espécies diferentes de organismos que são interdependentes; uma ganha benefícios da outra ou uma relação entre diferentes espécies em que ambos os organismos em questão se beneficiam da presença do outro.
Compostos químicos que poluem a água dos rios, córregos, lagos, mar, reservatórios ou outros corpos aquáticos.
Superordem de CRUSTÁCEOS marinhos, que nadam livremente no estágio larval, mas permanentemente fixos durante a vida adulta. Há cerca de 800 espécies descritas, agrupadas em vários gêneros, entre eles as duas maiores ordens de cracas: pedunculadas (Pedunculata) e sésseis (Sessilia).
Nome comum, mas usado formalmente, de um grupo de organismos que são principalmente tipos de algas, incluindo Bacilariófitas (ver DIATOMÁCEAS), OOMICETOS, FEOFÍCEAS e CRISOFÍCEAS. Todas contêm CLOROPLASTOS que se acredita terem sidos derivados da endossimbiose de algas vermelhas (ver RODÓFITAS) ancestrais.
Subclasse de peixes cartilaginosos composta por TUBARÕES, arraias, raias (RAIAS, PEIXE) e peixe-serra. Elasmobrânquios são tipicamente predadores que se guiam mais pelo cheiro (suas cápsulas olfatórias são relativamente grandes) que pela visão (seus olhos são relativamente pequenos) para obter seu alimento.
Zona de desembocadura de um rio, geralmente em forma de funil, onde ocorre uma mistura de água doce e salgada, potencializada pela ação das marés. Segundo o sentido da circulação, fala-se de estuário positivo e estuário negativo. (Material IV - Glosario de Protección Civil, OPAS, 1992)
Ordem de peixe que incluem as famílias Gadidae (bacalhau), Macrouridae (granadeiros) e merluzas. A grande família Gadidae inclui bacalhau, haddock, pescadinhas e pollock.
Gênero de BALEIAS (família Balaenopteridae) que compreende 5 espécies (baleias azul, 'Bryde', comum, 'Sei' e BALEIA ANÃ). São reconhecidas pelo corpo relativamente alongado, cauda achatada, e focinho ponteagudo.
Processo pelo qual animais em várias formas e estágios de desenvolvimento estão distribuídos fisicamente ao longo do tempo e espaço.
Genes encontrados tanto nos procariotos como nos eucariotos, que são transcritos para produzir o RNA que é incorporado nos RIBOSSOMOS. Os genes dos RNAr procarióticos geralmente são encontrados em óperon dispersados no GENOMA, enquanto os genes dos RNAr eucarióticos são unidades transcritivas multicistrônicas agrupadas.
Gênero de mexilhões marinhos (família MYTILIDAE, classe BIVALVIA). A espécie MYTILUS EDULIS é o mexilhão comum muito apreciado como alimento.
Gênero de bactérias obrigatoriamente aeróbicas, marinhas, fototróficas e quimiorganotróficas (família RHODOBACTERACEAE).
1) Sistemas não frontais de baixa pressão sobre águas tropicais ou subtropicais com convexão organizada e padrão definido de circulação de vento na superfície. (MeSH) 2) Área de concentração de energia cinética na atmosfera, ou seja, de ventos fortes. Essa energia vem da distribuição de massas de ar diferentes entre si em temperatura, pressão e densidade. Tipos: Frontais - São os que se formam ao longo das frentes; Orográficos - Formam-se sobre as áreas montanhosas. Predominam a sotavento das montanhas e cordilheiras e são sempre mais intensos no outono e inverno; Superiores - Desenvolvem-se em níveis elevados (troposfera superior) e propagam-se para os níveis inferiores até a superfície; ocorrem com mais frequência no outono e inverno; Termais - São muito mais intensos e cobrem maiores áreas no verão, desaparecendo quase que por completo no inverno; ocorrem pelo aquecimento de certas regiões livres de atividades frontais; Tropicais - veja em CICLONE TROPICAL.
A camada de ozônio na estratosfera, que protege a terra de radiação ultravioleta excessiva pode ser esgotada por certos poluentes. Os gases usados em latas de spray (clorofluorcarbonos, clorofluormetanos) ou óxidos de nitrogênio liberados por carros e aeronaves podem prejudicar ou criar "buracos" na camada de ozônio, permitindo que quantidades excessivas de radiação ultravioleta cheguem à terra, com consequências climáticas e ambientais globais, além de danos à saúde. Uma combinação de desastre tecnológico e natural. (Tradução livre do original: Material V - Gunn, S.W.A. Multilingual Dictionary of Disaster Medicine and International Relief, 1990)
El Niño-Oscilação Sul, ou ENSO é um ciclo de eventos de extrema alternância entre quente (El Niño) e frio (La Niña), que é o padrão dominante de clima de ano para ano na Terra. Os dois termos referem-se a grandes mudanças na temperatura da superfície do mar no Pacífico tropical oriental. A ENOS está associada com um risco aumentado para certas doenças transmitidas por vetores (MeSH). O fenômeno El Niño Oscilação Sul representa de forma mais genérica um fenômeno de interação atmosfera-oceano, associado a alterações dos padrões normais da Temperatura da Superfície do Mar (TSM) e dos ventos alísios na região do Pacífico Equatorial, entre a Costa Peruana e no Pacifico oeste próximo à Austrália. Além de índices baseados nos valores da temperatura da superfície do mar no Oceano Pacifico equatorial, o fenômeno ENOS pode ser também quantificado pelo Índice de Oscilação Sul (IOS). Este índice representa a diferença entre a pressão ao nível do mar entre o Pacifico Central (Taiti) e o Pacifico do Oeste (Darwin/Austrália). Esse índice está relacionado com as mudanças na circulação atmosférica nos níveis baixos da atmosfera, consequência do aquecimento/resfriamento das águas superficiais na região. Valores negativos e positivos da IOS são indicadores da ocorrência do El Niño e La Niña respectivamente. (http://www.cptec.inpe.br/enos/Oque_el-nino.shtml)
Nome coletivo para as ilhas do Oceano Pacífico central, abrangendo as Ilhas Austrais, Ilhas Cook, Ilha da Páscoa, HAWAII, NOVA ZELÂNDIA, Ilhas Phoenix, ILHA PITCAIRN, SAMOA, TONGA, Arquipélago de Tuamotu, Ilha Wake e Ilhas Wallis e Futuna. Os Polinésios são de uma raça Caucasoide, mas muitos são de origem mista. Polinésia vem do Grego poly, muitos + nesos, ilha, com referência às muitas ilhas do grupo. (Tradução livre do original: Webster's New Geographical Dictionary, 1988, p966 & Room, Brewer's Dictionary of Names, 1992, p426)
Gênero de plantas (família RANUNCULACEAE) que contém saponinas triterpenos. A raiz da Anemone raddeana é fonte de um remédio popular chinês, o "zhu jie xian fu". O nome vulgar Hepática, também é usado para outras plantas. Este gênero não está relacionado com as ANÊMONAS-DO-MAR.
Ordem de MAMÍFEROS inteiramente aquáticos que ocorre em todos os OCEANOS e mares adjacentes do mundo, bem como em certos sistemas fluviais. Geralmente se alimentam de PEIXES, cefalópodes e crustáceos. A maioria é gregária e requer um tempo relativamente longo de cuidados parentais e de maturação. Entre eles estão os GOLFINHOS, BÔTOS e BALEIAS. (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, pp 969-70)
Infraordem de CRUSTÁCEOS (ordem DECAPODA) composta por caranguejos ermitas e caracterizados por um quinto par de patas pequenas.
Carnívoros (da família Mustelidae) que se alimentam de peixe, encontrados nos dois hemisférios da Terra.
O arranjo sistemático de entidades em qualquer campo em classes de categorias baseado em características comuns como propriedades, morfologia, assunto ou tema, etc.
1) Qualquer depósito de hidrocarbonetos que possa ser usado como combustível, por ex. petróleo, carvão e gás natural (MeSH/NLM). 2) Produtos derivados de restos de plantas e animais que viveram na Terra em épocas muito anteriores ao surgimento do homem, como o carvão mineral, o petróleo e o gás mineral, o petróleo e o gás. (Material IV - Glosario de Protección Civil, OPAS, 1992)
Elemento metálico de símbolo Fe, número atômico 26 e massa atômica de 55,85. É um constituinte essencial de HEMOGLOBINAS, CITOCROMOS e PROTEÍNAS LIGANTES DE FERRO. Desempenha papel em reações de oxido-redução celulares e no transporte de OXIGÊNIO.
1) Calamidades que produzem grandes danos, perda de vidas e desgraça. Incluem aquelas que são resultados de fenômenos naturais e de fenômenos originados pelo homem. As condições normais de existência são interrompidas e o nível de impacto supera a capacidade da comunidade afetada. 2) Resultado de eventos adversos, naturais ou provocados pelo homem, sobre um ecossistema vulnerável, causando danos humanos, materiais e ambientais e consequentes prejuízos econômicos e sociais. Os desastres classificam-se quanto à Evolução, Intensidade e Tipologia. Quanto à Evolução, podem ser: Súbitos ou de Evolução Aguda, de Evolução Crônica e Gradual e Por Somação de Efeitos Graduais. A intensidade do desastre é definida, em termos absolutos, a partir da proporção entre necessidade/possibilidade de meios disponíveis na área, para responder ao problema. Dessa forma, caracterizam-se: Acidentes, quando os danos e os prejuízos são de pouca importância; Desastres de Médio Porte, quando solucionados com recursos locais; Desastres de Grande Porte, quando exigem reforço de recursos regionais e algum apoio central; Desastres de Muito Grande Porte, quando exigem a intervenção coordenada dos três níveis do Sistema Nacional de Defesa Civil. Quanto à Tipologia, classificam-se: a) Natural, provocado por fenômenos e desequilíbrios da natureza e gerados por fatores de origem externa que atuam independentemente das ações humanas; b) Humano, provocado pelas ações ou omissões do homem, de origem interna, enquanto resultante da atividade humana, provocadora de desajustes políticos ou sociais, de desequilíbrios ambientais ou da redução de padrões de segurança coletiva; c) Misto, quando as ações ou omissões humanas contribuem para intensificar ou complicar os efeitos dos desastres naturais (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992)
Espécie animal ou vegetal em perigo de extinção. As causas podem incluir a atividade humana, alterações climáticas ou alterações nas proporções entre predadores e presas.
Ordem de bactérias Gram-negativas cujos membros são encontrados em uma grande variedade de habitats aquáticos, bem como em tecidos animais.
Processos e propriedades fisiológicas de BACTÉRIAS.
Ambiente fora da Terra ou de sua atmosfera. Pode se referir a uma cabine fechada (como um ônibus espacial ou uma estação espacial) ou ao espaço propriamente, a lua ou outros planetas.
Nome coletivo para as repúblicas da ESTÔNIA, LETÔNIA e LITUÂNIA na orla oriental do Mar Báltico. (Tradução livre do original: Webster's New Geographical Dictionary, 1988, p111)
Adaptação a um novo ambiente ou a uma transformação [ocorrida] na velha.
Ampla classe de substâncias abrangendo todas aquelas que não incluem carbono e seus derivados como principais elementos. Entretanto, carburetos, carbonetos, cianetos, cianatos e dissulfeto de carbono estão incluídos nesta classe.
Família da ordem Rhodobacterales, classe ALPHAPROTEOBACTERIA.
Partículas de água que caem da ATMOSFERA.
Contaminação de corpos d'água (como LAGOS, RIOS, OCEANOS E MARES e ÁGUAS SUBTERRÂNEAS).
Filo de EUCARIOTOS fotossintéticos que possuem plastídeos ligados a membrana dupla contendo clorofilas a e b. Compreendem as clássicas algas verdes e representam mais de 7.000 espécies que vivem em vários habitats, basicamente aquáticos. Somente cerca de 10 por cento são espécies marinhas, vivendo a maioria em água doce.
Técnicas que estudam as entidades por meio do uso de suas propriedades topológicas, geométricas ou geográficas e incluem a dimensão tempo na análise.
Estado da ATMOSFERA no período de minutos até meses.
Padrões de atividade de instinto relacionados com uma área específica, p.ex., a capacidade de certos animais para retornar quando afastados de um determinado lugar, frequentemente de grandes distâncias, usando pistas de navegação como as usadas na migração (MIGRAÇÃO ANIMAL).
Praias, naturais e artificiais, usadas para banho e outras atividades.
Complemento genético de uma BACTÉRIA como representado em seu DNA.
Filo de pequenos animais aquáticos sésseis vivendo como pequenas colônias em tufos. Algumas parecem com hidroides ou corais, mas sua estrutura interna é mais avançada. A maioria dos briozoários são como tapetes, formando finas encrustrações em rochas, conchas ou algas.