Agonista beta-adrenérgico que causa relaxamento direto da musculatura lisa uterina e vascular. Suas ações vasodilatadoras são mais intensas nas artérias que suprem a musculatura esquelética do que naquelas que suprem a pele. É utilizada no tratamento do acidente vascular periférico e no trabalho de parto prematuro.
Hipoglicêmico sulfonilureia que é metabolizado no fígado a 1-hidro-hexamida.
Drogas que inibem as ações do sistema nervoso simpático através de qualquer mecanismo. As mais comuns são os ANTAGONISTAS ADRENÉRGICOS e as que esgotam a norepinefrina ou diminuem a liberação de transmissores das terminações pós-ganglionares adrenérgicas (veja AGENTES ADRENÉRGICOS). Estão incluídas aqui as drogas que agem no sistema nervoso central reduzindo a atividade simpática (p. ex., os agonistas adrenérgicos alfa-2 de ação central, veja ALFA-AGONISTAS ADRENÉRGICOS).
Fármacos que impedem o parto prematuro e o nascimento de crianças imaturas, suprimindo as contrações uterinas (TOCÓLISE). Entre as substâncias usadas para retardar a atividade uterina prematura se incluem o sulfato de magnésio, os beta-miméticos, os antagonistas da ocitocina, os inibidores dos canais de cálcio e os agonistas dos receptores adrenérgicos beta. O uso de álcool intravenoso como tocolítico é agora obsoleto.
Agonista beta-2 adrenérgico utilizado no controle do TRABALHO DE PARTO PREMATURO.
Terra ou outra matéria em partículas finas e secas.(Tradução livre do original:Random House Unabridged Dictionary, 2d ed)