Hábitos Alimentares: Preferências alimentares adquiridas ou aprendidas.Hábitos: Respostas adquiridas ou aprendidas, que se manifestam regularmente.Dieta: Método regular de ingestão de comida e bebida adotado por uma pessoa ou animal.Preferências Alimentares: Atitude em relação a um determinado tipo de alimento, geralmente comparado com outros alimentos, baseada em reações fisiológicas favoráveis, normas sociológicas ou sensações agradáveis.Alimentos: Qualquer substância tomada pelo corpo que proporciona nutrição.Fenômenos Fisiológicos da Nutrição: Processos e propriedades de organismos vivos pelos quais eles assimilam e equilibram o uso de materiais nutritivos para energia, produção de calor, ou material construtor para o crescimento, manutenção ou reparo de tecidos, e as propriedades nutritivas dos ALIMENTOS.Verduras: Grupo de alimentos que compreende as PLANTAS COMESTÍVEIS e/ou suas partes.Frutas: O ovário desenvolvido de uma planta, podendo ser carnudo ou seco, portando a(s) semente(s).Inquéritos sobre Dietas: Coleta sistemática de dados reais relativos à dieta de seres humanos em uma determinada área geográfica.Inquéritos Nutricionais: Coleta sistemática de dados precisos relativos ao estado nutricional de uma população humana em uma área geográfica. Estes dados são usados para preparar AVALIAÇÃO NUTRICIONAL.Comportamento Alimentar: Respostas comportamentais ou sequenciais associadas ao ato de alimentar-se, maneira ou modos de se alimentar, padrões rítmicos da alimentação (intervalos de tempo - hora de comer, duração da alimentação).Aposentadoria: População excluída da força de trabalho, geralmente por causa da idade, incapacidade ou por opção própria. (Tradução livre do original: Popline, 2002)Abastecimento de Alimentos: Produção de alimentos e seu percurso desde o ponto de origem até o seu uso ou consumo.Questionários: Conjunto de perguntas previamente preparadas utilizado para a compilação de dados.Estudos Transversais: Estudos epidemiológicos que avaliam a relação entre doenças, agravos ou características relacionadas à saúde, e outras variáveis de interesse, a partir de dados coletados simultaneamente em uma população. (Tradução livre do original: Last, 2001)Rotulagem de Alimentos: Uso de materiais escritos, impressos ou gráficos juntamente com um alimento ou sua embalagem ou envoltório. Inclui, entre outras informações, os ingredientes, VALOR NUTRITIVO, orientação sobre uso, advertências e outras informações relevantes.Análise de Alimentos: Medida e avaliação de componentes de substâncias ingeridas como ALIMENTO.Fatores Socioeconômicos: Fatores sociais e econômicos que caracterizam o indivíduo ou o grupo dentro da estrutura social.Indústria Alimentícia: Indústria preocupada com o processamento, preparo, preservação, distribuição e o ato de servir comidas e bebidas.Microbiologia de Alimentos: Presença de bactérias, vírus e fungos em alimentos e produtos alimentícios. Esse termo não se restringe a organismos patogênicos: a presença da várias bactérias e fungos não patogênicos em queijos e vinhos, por exemplo, está incluída neste conceito.Hipersensibilidade Alimentar: Distúrbios gastrointestinais, erupções cutâneas ou choque causados por reações alérgicas aos alérgenos ingeridos nos alimentos.Contaminação de Alimentos: Presença de elementos estranhos nos alimentos, por ex. substâncias químicas, micro-organismos, diluentes, que possam torná-lo nocivo ou inadequado para o consumo, durante, antes e após seu processamento ou armazenagem.Alimentos Naturais: Termo não médico definido pela lei pública como alimento que apresenta pouco ou nenhum conservante, que não sofreu processamento significativo, enriquecimento ou refinamento e que pode crescer sem o auxílio de praguicidas. (Tradução livre do original: Segen, The Dictionary of Modern Medicine, 1992)Fast Foods: Comida preparada pronta para consumo ou parcialmente preparada que possui tempo de preparação final de poucos minutos ou menos.Manipulação de Alimentos: Qualquer aspecto das operações envolvidas no preparo, processamento, transporte, armazenagem, embalagem e exposição para venda, serviços ou distribuição de alimentos.Inocuidade dos Alimentos: Atividades que envolvem a garantia da segurança dos ALIMENTOS, incluindo o impedimento de contaminação por bactérias ou outros tipos de contaminação.Privação de Alimentos: Suspensão da alimentação em uma situação experimental estruturada.Alimentos Fortificados: Qualquer alimento que tenha sido suplementado com nutrientes essenciais em quantidades normais ou em maiores quantidades do que aquelas presentes naturalmente, ou que não estejam presentes no alimento em condições originais. Os alimentos fortificados incluem também aqueles aos quais vários nutrientes tenham sido adicionados para compensar aqueles removidos pelo refino ou processamento. (tradução livre do original: Segen, Dictionary of Modern Medicine, 1992)Serviços de Alimentação: Equipamentos, instalações e funções relacionadas com a preparação e a distribuição de alimentos prontos para consumo.Alimentos Geneticamente Modificados: Alimentos originados de ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS.Cadeia Alimentar: Sequência de transferências de matéria e energia de um organismo para outro em forma de ALIMENTO. As cadeias alimentares se entrelaçam localmente em uma rede alimentar, pois a maioria dos organismos consome mais de um tipo de animal ou vegetal. As PLANTAS [que convertem ENERGIA SOLAR em alimento através da FOTOSSÍNTESE] são as fontes primárias de alimento. Em uma cadeia de predadores, um animal herbívoro é devorado por um animal maior. Em uma cadeia de parasitas, o menor organismo consome parte de grandes hospedeiros e podem eles mesmos serem parasitados por organismos ainda menores. Em uma cadeia saprofitica, os micro-organismos vivem da matéria orgânica de um organismo morto.Legislação sobre Alimentos: Leis e regulamentos relativos ao processamento industrial e comercialização de alimentos.Ingestão de Alimentos: Consumo de substâncias comestíveis.Alimentos em Conserva: Comida preparada e conservada de modo a impedir a deterioração.Aditivos Alimentares: Substâncias com pouco ou nenhum valor nutritivo, mas são usados no processamento ou armazenamento de alimentos ou ração animal, AROMATIZANTES, ANTI-INFECCIOSOS (tanto tópico como LOCAL), VEÍCULOS, EXCIPIENTES e outras substâncias com aplicação semelhante. Muitas dessas substâncias são EXCIPIENTES FARMACÊUTICOS quando adicionados aos medicamentos em vez de alimentos.United States Food and Drug Administration: Agência do PUBLIC HEALTH SERVICE envolvida com o planejamento global, promoção e administração de programas pertinentes à manutenção de padrões de qualidade de comida, medicamentos, dispositivos terapêuticos, etc.Sucção de Dedo: Ato de sugar o dedo. É uma das manipulações do corpo mais comuns entre as crianças pequenas.Alimentos Infantis: Alimentos destinados especificamente para ser consumido por bebês e crianças.Ingestão de Energia: Número total de calorias ingeridas em um dia seja por ingestão ou pelas vias parenterais.Alimento Funcional: 1) Componentes da dieta comum que podem fornecer benefícios além dos nutrientes básicos. Exemplos de comida funcional incluem soja, nozes, chocolate e mirtilos (Tradução livre do original: NCCAM Backgrounder, March 2004, p3). 2) Alimentos com propriedades relativas ao papel metabólico ou fisiológico que o nutriente ou não nutriente tem no crescimento, desenvolvimento, manutenção ou outras funções normais do organismo humano. (ANVISA)Conservação de Alimentos: Procedimentos e técnicas usadas para impedir a deterioração de alimentos.Alimentos de Soja: Alimentos fabricados de FEIJÕES DE SOJA. Os benefícios são atribuídos aos altos níveis de PROTEÍNAS ALIMENTARES e ISOFLAVONAS.Alimentos Formulados: Formulação alimentícia e dietética; inclui alimentos "de imitação", como por exemplo, os substitutos do ovo, carne e do leite, fórmulas completas do ponto de vista nutricional como as dietas "elementares" (quimicamente definidas, fórmula definida), dietas sintéticas ou semissintéticas, dietas espaciais, fórmulas para redução de peso, dietas para alimentação por sonda, dietas totalmente líquidas e dietas suplementares líquidas ou sólidas.Corantes de Alimentos: Corantes naturais ou sintéticos usados como agentes corantes em alimentos processados.Inspeção de Alimentos: Fiscalização para verificar o cumprimento das normas de higiene na produção de alimentos.Enciclopédias como Assunto: Trabalhos que contêm artigos de informação em assuntos em todo campo de conhecimento, normalmente organizado em ordem alfabética, ou um trabalho semelhante limitado a um campo especial ou assunto.Tricomas: Extensões semelhantes a cabelos de superfícies epidérmicas de plantas que protegem contra danos provocados por insetos ou outros animais, fotodegradação e infecção por fungos. Os tricomas também podem ocorrer em certos EUCARIOTAS unicelulares.União Europeia: A designação coletiva de três organizações com associação comum: a Comunidade Econômica Europeia (Mercado Comum), a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço e a Comunidade de Energia Atômica Europeia (Euratom). Era conhecida como a Comunidade Europeia até 1994. É principalmente uma união econômica com os objetivos principais de movimentar livremente bens, capital e trabalho. Serviços profissionais, sociais, médicos e paramédicos estão incluídos dentro do trabalho. Os países constituintes são a Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Portugal, Espanha, Suécia e Reino Unido.Baleias: Grandes mamíferos marinhos (ordem CETACEA). No passado eram valorizados comercialmente por seu óleo, por sua carne (como alimento humano, na RAÇÃO ANIMAL e FERTILIZANTES) e pela barbatana. Hoje há uma moratória em quase toda a pesca comercial de baleias, pois todas as espécies figuram como ameaçadas ou em vias de extinção.Ipomoea batatas: Espécie de plantas (gênero IPOMOEA, família CONVOLVULACEAE) em que algumas variedades são doces e comestíveis, ao passo que outras são amargas e fonte de SAPONINAS. A batata doce é, às vezes, mencionada como Cará (DIOSCOREA).Transtornos da Alimentação: Grupo de transtornos caracterizados por distúrbios fisiológicos e psicológicos do apetite e da ingestão de alimentos.Brasil: A República Federativa do Brasil é formada por 5 regiões (norte, nordeste, centro-oeste, sudeste e sul), 26 Estados e o Distrito Federal (Brasília). A atual divisão político-administrativa é de 1988, quando foi criado o estado do Tocantins, a partir do desmembramento de parte de Goiás, e os territórios de Amapá e Roraima foram transformados em estados. Quinto país do mundo em área total, superado por Federação Russa, Canadá, China e EUA, e maior da América do Sul, o Brasil ocupa a parte centro-oriental do continente. São 23.089 km de fronteiras, sendo 7.367 km marítimas e 15.719 km terrestres. A orla litorânea estende-se do cabo Orange, na foz do rio Oiapoque, ao norte, até o arroio Chuí, no sul. Todos os países sul-americanos, com exceção de Equador e Chile, fazem fronteira com Brasil. Pouco mais de 70 km tornam a extensão norte-sul do país superior ao sentido leste-oeste. São 4.394,7 km entre os extremos leste e oeste. Ao norte, o ponto extremo do Brasil é a nascente do rio Ailã, no monte Caburaí, em Roraima, fronteira com a Guiana. Ao sul, o arroio Chuí, na divisa do Rio Grande do Sul com o Uruguai. A leste, a ponta do Seixas, na Paraíba. E a oeste, as nascentes do rio Moa, na serra da Contamana, no Acre, fronteira com o Peru. O centro geográfico fica na margem esquerda do rio Jarina, em Barra do Garça em Mato Grosso. (Almanaque Abril. Brasil, SP: Editora Abril S.A., 2002). Existe grande contraste entre os estados em relação aos aspectos físicos e demográficos e aos indicadores sociais e econômicos. A área do Amazonas, por exemplo, é maior do que a área somada dos nove estados da região nordeste. Enquanto Roraima e Amazonas têm cerca de um a dois habitantes por km2, no Rio de Janeiro e no Distrito Federal esse índice é superior a 300 (a média para o país é de 20,19 IBGE 2004). A população brasileira estimada para 2006 é de 186 milhões de habitantes distribuída em uma área de 8.514.215,3 km2 (média de 46 hab/km2). A mortalidade infantil média para o país é de 26,6 óbitos de crianças menores de um ano por 1000 nascidos vivos, variando de 47,1 para o estado de Alagoas (IBGE 2004) e 13,5 para o estado de São Paulo (SEADE 2005). A esperança (ou expectativa) de vida do brasileiro ao nascer é de 71,7 anos (IBGE 2004). A taxa de fecundidade é de 2,3 filhos por mulher menor de 20 anos (IBGE 2004). Em relação à economia, apenas três estados do Sudeste - São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais - respondem por cerca de 60 por cento do PIB brasileiro.