Série de alcaloides relacionados estruturalmente, contendo a estrutura básica da ergotamina.
Classe de transtornos cefaleicos primários e incapacitantes caracterizados por cefaleias pulsáteis, unilaterais e recorrentes. Os dois subtipos principais são a enxaqueca comum (sem aura) e a clássica (com aura ou sintomas neurológicos) (Tradução livre do original: International Classification of Headache Disorders, 2nd ed. Cephalalgia 2004: suppl 1)
Subtipo de enxaqueca caracterizada por ataques recorrentes de sintomas neurológicos reversíveis (aura) que precedem ou acompanham a cefaleia. A aura também inclue uma combinação de distúrbios sensoriais, como VISÃO embaçada, ALUCINAÇÕES, VERTIGEM, Adormecimento e dificuldade de concentração e fala. A aura, normalmente é seguida por traços de Enxaqueca Comum, como FOTOFOBIA, FONOFOBIA e NÁUSEA. (Tradução livre do original: International Classification of Headache Disorders, 2nd ed. Cephalalgia 2004: suppl 1)
Trabalhos que contêm artigos de informação em assuntos em todo campo de conhecimento, normalmente organizado em ordem alfabética, ou um trabalho semelhante limitado a um campo especial ou assunto.
Cefaleias recorrentes unilaterais pulsáteis, não precedidas ou acompanhadas de aura, em episódios que duram de 4-72 horas. São caracterizadas por DOR de intensidade moderada a severa, agravadas por atividade física e associadas a NÁUSEA e /ou FOTOFOBIA ou FONOFOBIA.
Sintoma de DOR na região craniana. Pode ser uma ocorrência ou manifestação benigna isolada de uma ampla variedade de TRANSTORNOS DA CEFALEIA.
Transtorno de cefaleia primária semelhante a CEFALEIA HISTAMÍNICA com dor de cabeça unilateral, mas diferencia por ataques severos curtos e múltiplos. Frequentemente é observada em mulheres e pode ser resposta a fármacos anti-inflamatórios não esteroidais (NSAIDS).
Várias afecções com sintoma de CEFALEIA. Transtornos de cefaleia são classificados em dois grupos principais, tais como TRANSTORNOS PRIMÁRIOS DA CEFALEIA (baseados nas características dos sintomas da cefaleia) e TRANSTORNOS SECUNDÁRIOS DA CEFALEIA (baseados nas suas etiologias). (Tradução livre do original: International Classification of Headache Disorders, 2nd ed. Cephalalgia 2004: suppl 1)
Principal dos dois componentes alucinógenos do Teonanacatl, o cogumelo sagrado do México, sendo a psilocina o outro componente.
Gênero de pequenos cogumelos da família Strophariaceae. Algumas espécies são conhecidas por suas propriedades alucinógenas.
Intoxicação por ingestão de cogumelos, principalmente de variedades tóxicas, mas não restrita a essas.
Compostos que contêm a monoamina biogênica triptamina e são substituídas com um grupo metoxi e dois grupos metil. Membros desta classe são potentes alucinógenos serotonérgicos encontrados em plantas não relacionadas, pele de alguns sapos e em cérebros de mamíferos. Estão provavelmente envolvidos na etiologia da esquizofrenia.
Estudo da origem, estrutura, desenvolvimento, crescimento, função, genética e reprodução dos vegetais.
Reino de organismos eucarióticos e heterotróficos que vivem parasitariamente como sáprobios, incluindo COGUMELOS, LEVEDURAS, fuligens, bolores ou mofos, etc. Reproduzem-se sexuada ou assexuadamente e possuem ciclos de vida que variam de simples a complexo. Os fungos filamentosos, geralmente conhecidos como 'mofo', referem-se àqueles que crescem como colônias multicelulares.
Divisão de organismos que existem vegetativamente como complexos plasmódios com motilidade, reproduzem-se por meio de esporos e possuem complexos ciclos de vida. São atualmente classificados como protozoários embora anteriormente fossem considerados fungos.
Eucariotos no grupo dos ESTRAMENÓPILAS, anteriormente consideradas FUNGOS, cujo nível taxonômico preciso não foi definido. Muitos consideram os Oomycetes (Oomycota) um filo do reino Stramenopila ou, alternativamente, como Pseudofungi no filo Heterokonta do reino Chromista. São morfologicamente similares aos fungos, mas não possuem relação filogenética próxima com eles. Os oomicetos são encontrados tanto em água doce, salgada e em ambientes terrestres. (Tradução livre do original: Alexopoulos et al., Introductory Mycology, 4th ed, pp683-4). Produzem esporos flagelados e móveis (zooesporos) que são patogênicos a várias plantas cultivadas e PEIXES.
Grande e heterogêneo grupo de fungos cuja característica em comum é a ausência de estado sexual. Muitos dos fungos patogênicos para humanos pertencem a este grupo.
Polissacarídeo linear de unidades de ACETILGLUCOSAMINA unidas por ligações beta-1,4. É o segundo biopolímero mais abundante na terra encontrado especialmente em INSETOS e FUNGOS. Quando desacetilado, é denominado QUITOSANA.
Eliminação periódica do ENDOMÉTRIO associada com o sangramento no CICLO MENSTRUAL de humanos e primatas. A menstruação se deve à diminuição da PROGESTERONA circulante e ocorre no final da FASE LUTEAL quando ocorre a LUTEÓLISE do CORPO LÚTEO.
Variações da menstruação, podendo ser indicativo de alguma doença.
Cefaleia primária comum, caracterizada por uma DOR contínua, não pulsátil, difusa, tensional de identidade suave a moderada na CABEÇA, COURO CABELUDO ou PESCOÇO. Os subtipos são classificados por frequência e severidade do dos sintomas. Não há causa clara, apesar de ter sido associada com CONTRAÇÃO MUSCULAR e estresse. (Tradução livre do original: (International Classification of Headache Disorders, 2nd ed. Cephalalgia 2004: suppl 1)
Transtorno primário de cefaleia caracterizado por forte DOR, estritamente unilateral, nas regiões orbital, supraorbital e temporal (ou em qualquer combinação destes) com duração de 15 min a 3 h, ocorrendo 1 a 8 vezes ao dia. Os ataques estão associados com um ou mais dos seguintes transtornos (todos ipsilaterais): injeção conjuntival, lacrimação, congestionamento nasal, rinorreia, SUDORESE facial, EDEMA nas pálpebras e miose. (Tradução livre do original: International Classification of Headache Disorders, 2nd ed. Cephalalgia 2004: suppl 1)
Transtornos secundários de cefaleia atribuídos a uma variedade de transtornos cranianos ou vasculares cervicais, como ISQUEMIA CEREBRAL, HEMORRAGIAS INTRACRANIANAS e MALFORMAÇÕES VASCULARES DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL.
Estado de inconsciência como resultado de uma complicação de diabetes mellitus. Ocorre em casos de HIPERGLICEMIA ou HIPOGLICEMIA extrema como uma complicação da terapia com INSULINA.
Representações gráficas, especialmente da face, de pessoas reais, normalmente posadas, vivas ou mortas.
Sentimento subjetivo de ter cometido um erro, uma ofensa ou um pecado; sentimento desagradável de autocrítica. Resultam de atos, impulsos ou pensamentos contrários à própria consciência (MeSH). Inobservância do dever seja por IMPRUDÊNCIA, IMPERÍCIA ou NEGLIGÊNCIA (Direito Sanitário).
Grandes agregados de ASTROS CELESTES, POEIRA CÓSMICA e gás (Tradução livre de McGraw Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)
Composição de um comitê; o estado ou status de ser membro de um comitê.
Espécie tipo de LENTIVIRUS e agente etiológico da AIDS. É caracterizado pelo seu efeito citopático e pela afinidade pelo linfócito T CD4+.
Incluem o espectro das infecções pelo vírus da imunodeficiência humana que vão desde o estado soropositivo assintomático, passando pelo complexo relação-AIDS até a síndrome de imunodeficiência adquirida (AIDS).
Determinações dadas por pacientes, prévias a uma situação, na qual eles se tornem incompetentes para decidir o cuidado de si mesmo, indicando suas preferências de tratamento ou autorizando uma terceira pessoa a tomar decisões por eles. (Tradução livre do original: Bioethics Thesaurus)
Contração uterina repetitiva durante o parto, associada com a dilatação progressiva do COLO DO ÚTERO. Um trabalho de parto bem sucedido resulta na expulsão do FETO e PLACENTA. O trabalho de parto pode ser espontâneo ou induzido (TRABALHO DE PARTO INDUZIDO).
CONTRAÇÃO UTERINA induzida artificialmente. Geralmente o TRABALHO DE PARTO é induzido com a intenção de provocar a expulsão do feto e término da gravidez.
Especialidade médico-cirúrgica voltada para a fisiologia e para os distúrbios basicamente do trato genital feminino, bem como para a endocrinologia e fisiologia reprodutiva femininas.
Comportamento animal relacionado com o ninho. Inclui a construção e os efeitos do tamanho e do material; comportamento do animal adulto durante o período de nidação e os efeitos do ninho no comportamento dos mais jovens.
Insetos da família Formicidae, bastante comuns e amplamente distribuídos, provavelmente o grupo de maior êxito dentre os insetos. Todas as formigas são insetos sociais e a maioria das colônias possui três castas: rainhas, machos e operárias. Seus hábitos são frequentemente muito elaborados e diversos estudos têm sido realizados sobre o comportamento das formigas. Formigas produzem diversas secreções que funcionam no ataque, defesa e comunicação.
Combinação dos recursos administrativos e organizacionais de duas ou mais instituições de saúde.
A República Federativa do Brasil é formada por 5 regiões (norte, nordeste, centro-oeste, sudeste e sul), 26 Estados e o Distrito Federal (Brasília). A atual divisão político-administrativa é de 1988, quando foi criado o estado do Tocantins, a partir do desmembramento de parte de Goiás, e os territórios de Amapá e Roraima foram transformados em estados. Quinto país do mundo em área total, superado por Federação Russa, Canadá, China e EUA, e maior da América do Sul, o Brasil ocupa a parte centro-oriental do continente. São 23.089 km de fronteiras, sendo 7.367 km marítimas e 15.719 km terrestres. A orla litorânea estende-se do cabo Orange, na foz do rio Oiapoque, ao norte, até o arroio Chuí, no sul. Todos os países sul-americanos, com exceção de Equador e Chile, fazem fronteira com Brasil. Pouco mais de 70 km tornam a extensão norte-sul do país superior ao sentido leste-oeste. São 4.394,7 km entre os extremos leste e oeste. Ao norte, o ponto extremo do Brasil é a nascente do rio Ailã, no monte Caburaí, em Roraima, fronteira com a Guiana. Ao sul, o arroio Chuí, na divisa do Rio Grande do Sul com o Uruguai. A leste, a ponta do Seixas, na Paraíba. E a oeste, as nascentes do rio Moa, na serra da Contamana, no Acre, fronteira com o Peru. O centro geográfico fica na margem esquerda do rio Jarina, em Barra do Garça em Mato Grosso. (Almanaque Abril. Brasil, SP: Editora Abril S.A., 2002). Existe grande contraste entre os estados em relação aos aspectos físicos e demográficos e aos indicadores sociais e econômicos. A área do Amazonas, por exemplo, é maior do que a área somada dos nove estados da região nordeste. Enquanto Roraima e Amazonas têm cerca de um a dois habitantes por km2, no Rio de Janeiro e no Distrito Federal esse índice é superior a 300 (a média para o país é de 20,19 IBGE 2004). A população brasileira estimada para 2006 é de 186 milhões de habitantes distribuída em uma área de 8.514.215,3 km2 (média de 46 hab/km2). A mortalidade infantil média para o país é de 26,6 óbitos de crianças menores de um ano por 1000 nascidos vivos, variando de 47,1 para o estado de Alagoas (IBGE 2004) e 13,5 para o estado de São Paulo (SEADE 2005). A esperança (ou expectativa) de vida do brasileiro ao nascer é de 71,7 anos (IBGE 2004). A taxa de fecundidade é de 2,3 filhos por mulher menor de 20 anos (IBGE 2004). Em relação à economia, apenas três estados do Sudeste - São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais - respondem por cerca de 60 por cento do PIB brasileiro.
Receptor de superfície celular específico para INSULINA. Compreende um tetrâmero de duas subunidades alfa e duas beta, que são derivadas da clivagem de uma única proteína precursora. O receptor contém um domínio intrínseco com atividade de TIROSINA QUINASE que está localizado na subunidade beta. A ativação do receptor por INSULINA resulta em numerosas alterações metabólicas, incluindo a captação aumentada de GLICOSE para o fígado, músculo e TECIDO ADIPOSO.
Instituições educacionais.
Classe de citocinas pró-inflamatórias, capazes de atrair e ativar leucócitos. Podem ser divididas em pelo menos três classes estruturais [C (QUIMIOCINAS C), CC (QUIMIOCINAS CC) e CXC (QUIMIOCINAS CXC)], dependendo de variações na estrutura de 'motivo' (motif) de cisteína compartilhado.