Edema Pulmonar: Acúmulo excessivo de fluido extravascular no pulmão, uma indicação de uma doença ou distúrbio básico (subjacente) sério. O edema pulmonar impede a TROCA GASOSA PULMONAR eficiente nos ALVÉOLOS PULMONARES, e pode oferecer risco à vida.Edema: Acúmulo anormal de líquido em TECIDOS ou cavidades do corpo. Na maioria dos casos, estão presentes sob a PELE, na TELA SUBCUTÂNEA.Edema Encefálico: Aumento do líquido intra ou extracelular em tecidos cerebrais. O edema encefálico citotóxico (inchaço devido ao aumento do líquido intracelular) é indicativo de um distúrbio do metabolismo celular e normalmente associado com lesões isquêmicas ou hipóxicas (ver HIPÓXIA ENCEFÁLICA). Um aumento no líquido extracelular pode ser causado por aumento na permeabilidade capilar encefálica (edema vasogênico), um gradiente osmótico, bloqueio local das vias de líquidos intersticiais, ou por obstrução do fluxo de CSF (ex. HIDROCEFALIA obstrutiva). (Tradução livre do original: Childs Nerv Syst 1992 Sep; 8(6):301-6)Doença da Altitude: Sintomas múltiplos associados com concentração reduzida de oxigênio em grande ALTITUDE.Água Extravascular Pulmonar: Conteúdo de água fora da vasculatura pulmonar. Aproximadamente 80 por cento de um pulmão normal é constituído de água, incluindo a água intracelular, intersticial e a do sangue. A deficiência em manter a troca homeostática normal de fluidos entre o espaço vascular e o interstício dos pulmões pode resultar em EDEMA PULMONAR e inundação do espaço alveolar.Barreira Alveolocapilar: Barreira entre o sangue capilar e o ar alveolar compreendendo o EPITÉLIO alveolar e o ENDOTÉLIO capilar com sua MEMBRANA BASAL aderente e citoplasma das CÉLULAS EPITELIAIS. As TROCAS GASOSAS PULMONARES ocorrem através desta membrana.Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.Circulação Pulmonar: Circulação do SANGUE através do PULMÃO.Permeabilidade Capilar: Propriedade dos capilares sanguíneos do ENDOTÉLIO que permite a troca seletiva de substâncias entre o sangue e os tecidos circunscritos e através de barreiras membranosas, como as BARREIRA SANGUE-AR, BARREIRA HEMATOAQUOSA, BARREIRA HEMATOENCEFÁLICA, BARREIRA HEMATONEURAL, BARREIRA HEMATO-RETINIANA e BARREIRA HEMATOTESTICULAR. Moléculas lipossolúveis pequenas, como o dióxido de carbono e oxigênio deslocam-se livremente por difusão. A água e as moléculas hidrossolúveis não podem passar através das paredes do endotélio e dependem de poros microscópicos. Estes poros mostram áreas estreitas (JUNÇÕES ESTREITAS) que podem limitar o movimento de moléculas grandes.Síndrome do Desconforto Respiratório do Adulto: Síndrome caracterizada por INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA progressiva com risco de morte na ausência de PNEUMOPATIAS conhecidas, normalmente depois de um insulto sistêmico como cirurgia ou TRAUMA importante.Edema Cardíaco: Retenção de líquido anormal pelo corpo devido a deficiência da função cardíaca ou insuficiência cardíaca. Geralmente é caracterizada por aumento de pressão venosa e capilar e pernas inchadas quando em pé. É diferente de edema generalizado causado por disfunção renal (SÍNDROME NEFRÓTICA).Alvéolos Pulmonares: Pequenas bolsas poliédricas localizadas ao longo das paredes dos sacos alveolares, ductos alveolares e bronquíolos terminais. A troca gasosa entre o ar alveolar e o sangue capilar pulmonar ocorre através das suas paredes.Laringismo: Distúrbio em que os músculos adutores das PREGAS VOCAIS apresentam atividade aumentada, o que leva a espasmo laringeo. O laringismo causa o fechamento das PREGAS VOCAIS e a obstrução do ar durante a inspiração.EscatolPressão Hidrostática: Pressão devida ao peso do fluido.Lesão Pulmonar Aguda: Lesão no pulmão caracterizada por infiltrados pulmonares bilaterais (EDEMA PULMONAR) ricos em NEUTRÓFILOS e na ausência de INSUFICIÊNCIA CARDÍACA clínica. Isto pode representar um conjunto de lesões pulmonares, endoteliais e epiteliais, devido a inúmeros fatores (físicos, químicos ou biológicos).Montanhismo: Esporte envolvendo técnicas de escalada de montanha.Picadas de Escorpião: Efeitos locais e sistêmicos causados pela picada de ESCORPIÕES.Altitude: Distância vertical medida entre um objeto e um nível conhecido na superfície de um planeta ou outro corpo celeste.Edema da Córnea: Quantidade excessiva de líquido na córnea devido a danos do epitélio ou endotélio, causando diminuição da acuidade visual.Radiografia Torácica: Visualização do peito e órgãos da cavidade torácica por raio x. Não está restrita à visualização dos pulmões.Pressão Propulsora Pulmonar: Pressão arterial registrada após a introdução de um CATETER em uma pequena ARTÉRIA PULMONAR. Acredita-se que [este registro] reflita a PRESSÃO [existente] nos CAPILARES pulmonares.Fumonisinas: Grupo de MICOTOXINAS encontradas em MILHO contaminado com fungos FUSARIUM. São cadeias de aproximadamente 20 carbonos com éster acídico, acetilamina e, algumas vezes, outros substitutos. Inibem a conversão da ceramida sintetase dos ESFINGOLIPÍDEOS a CERAMIDAS.Substâncias Explosivas: Substâncias energeticamente instáveis que podem gerar uma expansão súbita de material, denominada explosão, acompanhada de calor, pressão e ruído. Outras coisas que foram descritas como explosivas e que não foram incluídas aqui são o aquecimento da ação do laser, o comportamento humano, surtos epidêmicos súbitos ou rápido crescimento celular.Água Corporal: Líquidos encontrados dentro do corpo, compostos principalmente de água.Tocólise: Qualquer modalidade de tratamento medicamentoso desenvolvida para inibir a CONTRAÇÃO UTERINA. Utilizada em gestantes com risco de trabalho de parto prematuro.Bombas (Dispositivos Explosivos): Arma projetada para explodir quando ativada. Frequentemente se aplica a um estojo côncavo cheio com EXPLOSIVOS.Etclorvinol: Sedativo e hipnótico que tem sido utilizado no tratamento de curto prazo da INSÔNIA. Seu uso tem sido substituído por outras drogas.Edematose Suína: Doença aguda de porcos jovens, normalmente associada com desarmamento. É caracterizada clinicamente por paresia e edema subcutâneo.Doença Aguda: Doença relativamente grave de curta duração.Lesão Pulmonar: Lesão a qualquer compartimento do pulmão causada por agentes físicos, químicos ou biológicos, que caracteristicamente desencadeia uma reação inflamatória. Estas reações inflamatórias podem ser agudas e dominadas por NEUTRÓFILOS, ou crônicas e dominadas por LINFÓCITOS e MACRÓFAGOS.Respiração Artificial: Qualquer método de respiração artificial que emprega meios mecânicos ou não mecânicos para forçar a entrada e saída de ar dos pulmões. A respiração ou ventilação artificial é usada em indivíduos que sofreram parada respiratória ou têm INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA para aumentar sua captação de oxigênio (O2) e a liberação de dióxido de carbono (CO2).Anóxia: Ausência relativamente total de oxigênio em um ou mais tecidos.Doenças da TraqueiaLíquido da Lavagem Broncoalveolar: Fluido obtido pela irrigação do pulmão, incluindo os BRÔNQUIOS e os ALVÉOLOS PULMONARES. É geralmente utilizado para se avaliar o estado bioquímico, inflamatório ou infeccioso do pulmão.Queimaduras por Inalação: Queimaduras do trato respiratório causadas por calor ou agentes químicos inalados.Insuficiência Respiratória: Incapacidade para proporcionar oxigênio adequado às células do organismo e para remover o excesso de dióxido de carbono. (Stedman, 25a ed)Hemodinâmica: Movimento e forças envolvidos no movimento do sangue através do SISTEMA CARDIOVASCULAR.Ácidos Oleicos: Grupo de ácidos graxos contendo 18 átomos de carbono e uma ligação dupla no carbono ômega 9.Gasometria: Medida de oxigênio e dióxido de carbono no sangue.Pneumotórax: Acúmulo de ar ou gás na CAVIDADE PLEURAL, que pode ocorrer espontaneamente ou como resultado de trauma ou processo patológico. O gás pode ser introduzido deliberadamente durante a PNEUMOTÓRAX ARTIFICIAL.Respiração com Pressão Positiva: Método de ventilação mecânica no qual é mantida uma pressão para aumentar o volume de gás que permanece nos pulmões até o final da expiração, reduzindo assim o desvio de sangue através dos pulmões e melhorando a troca gasosa.Edema Laríngeo: Acúmulo anormal de fluido nos tecidos de qualquer parte da LARINGE, comumente associado a lesões laringeas e reações alérgicas.Hemoptise: Expectorar ou cuspir sangue originário de qualquer parte do TRATO RESPIRATÓRIO, geralmente oriundo de hemorragia no parênquima pulmonar (ALVÉOLOS PULMONARES) e nas ARTÉRIAS BRÔNQUICAS.Derivação Peritoneovenosa: Operação para esvaziamento contínuo do líquido ascítico do sistema venoso. A remoção do líquido é baseada no diferencial de pressão intraperitoneal e intratorácica da veia cava e é feita por uma válvula de uma via, sensível à pressão, conectada a um tubo que avança no tecido subcutâneo da parede torácica para o pescoço onde entra na veia jugular interna e termina na veia cava superior. É utilizada no tratamento de ascites intratáveis.Micotoxinas: Compostos tóxicos produzidos por FUNGOS.Líquidos Corporais: Componentes líquidos presentes em organismos vivos.Toracostomia: Procedimento cirúrgico que envolve a criação de uma abertura (estoma) na cavidade peitoral para drenagem. Usado no tratamento da DERRAME PLEURAL, PNEUMOTÓRAX, HEMOTÓRAX e EMPIEMA.Diuréticos: Agentes que promovem a excreção da urina pelos seus efeitos sobre a função renal.Hipertensão Pulmonar: Aumento da RESISTÊNCIA VASCULAR na CIRCULAÇÃO PULMONAR, geralmente secundária a CARDIOPATIAS ou PNEUMOPATIAS.Cães: O cão doméstico (Canis familiaris) compreende por volta de 400 raças (família carnívora CANIDAE). Estão distribuídos por todo o mundo e vivem em associação com as pessoas (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, p1065).Evolução Fatal: Morte resultante da presença de uma doença em um indivíduo, como mostrado por um único caso relatado ou um número limitado de pacientes. Deve ser diferenciado de MORTE, a interrupção fisiológica da vida e de MORTALIDADE, um conceito epidemiológico ou estatístico.Ventilação Não Invasiva: Técnicas para administrar respiração artificial sem a necessidade de INTUBAÇÃO INTRATRAQUEAL.Troca Gasosa Pulmonar: Troca de OXIGÊNIO e DIÓXIDO DE CARBONO entre o ar alveolar e os capilares sanguíneos pulmonares que ocorre através da BARREIRA SANGUE-AR.Modelos Animais de Doenças: Doenças animais ocorrendo de maneira natural ou são induzidas experimentalmente com processos patológicos suficientemente semelhantes àqueles de doenças humanas. São utilizados como modelos para o estudo de doenças humanas.Artéria Pulmonar: Vaso curto e calibroso que se origina do cone arterial do ventrículo direito e transporta sangue venoso para os pulmões.