Objetos inanimados que ficam retidos no olho.
Objetos inanimados que ficam encerrados no corpo.
Inflamação crônica e formação de granuloma ao redor de corpos estranhos irritantes.
Órgão da visão consistindo de um par de órgãos globulares compostos por uma estrutura relativamente esférica de três camadas especializado em receber e responder à informação luminosa.
Resposta inflamatória, histiocítica a um corpo estranho. Consiste de macrófagos modificados com células gigantes multinucleadas, neste caso CÉLULAS GIGANTES DE CORPO ESTRANHO, normalmente rodeadas por linfócitos.
Ferimentos intraoculares do tipo puntiforme ou profundamente perfurante.
Células multinucleares (macrófagos fusionados), característicos de inflamação granulomatosa, as quais se formam ao redor de material exógeno na pele. Em aparência, são similares às células gigantes de Langhans (CÉLULAS GIGANTES DE LANGHANS), porém as células gigantes de corpo estranho apresentam cromatina mais abundante e núcleos dispersos no citoplasma seguindo um padrão irregular.
Migração de um corpo estranho de sua localização original para alguma outra localização no corpo.
Ferimentos causados por objetos que penetram na pele.
Doenças que afetam os olhos.
Cavidade óssea que segura o globo ocular e seus tecidos associados e apêndices.
Inalação de líquidos ou sólidos, como conteúdo estomacal, pelo TRATO RESPIRATÓRIO. Quando isto causa dano grave ao pulmão, é denominado de PNEUMONIA ASPIRATIVA.
Exame endoscópico, terapia ou cirurgia dos brônquios.
Estudo de moedas, símbolos, medalhas, etc. Porém, normalmente se refere a medalhas que pertencem à história da medicina.
Dano ou trauma causado no olho por instrumentos externos. O conceito inclui ambas as lesões de superfície e lesões intraoculares.
Movimentos oculares voluntários ou controlados por reflexos.
Material de gaze usado para absorver fluidos corporais durante cirurgia. É chamado de gossipiboma (ver CORPOS ESTRANHOS) se ficar acidentalmente retido no corpo após uma cirurgia.
Produto duro do xilema secundário (composto por CELULOSE, hemicelulose e LIGNANAS) que está sob a casca das árvores e arbustos. É usado na construção, como fonte de CARVÃO VEGETAL e muitos outros produtos.
Especialidade cirúrgica voltada para a estrutura e função dos olhos, e para os tratamentos médico e cirúrgico de seus defeitos e doenças.
Desalinhamento dos eixos visuais dos olhos. No estrabismo concomitante, o grau de desalinhamento ocular não varia de acordo com a direção da tentativa de olhar fixo. No estrabismo não concomitante, o grau de desalinhamento varia dependendo da direção da tentativa de olhar fixo ou de qual olho está fixando o alvo. (Tradução livre do original: Miller, Walsh & Hoyt's Clinical Neuro-Ophthalmology, 4th ed, p641)
Controle do uso de drogas e entorpecentes através de acordos internacionais ou de sistemas institucionais no manuseio de drogas prescritas. Isto inclui regulamentação tratando da fabricação, dispensação, aprovação (APROVAÇÃO DE DROGAS), e marketing de drogas.
Opacidade, parcial ou completa, do cristalino ou cápsula de um ou ambos os olhos que compromete a visão ou causa cegueira. Os muitos tipos de catarata são classificados pela sua morfologia (tamanho, forma, localização) ou etiologia (causa e época de ocorrência). (Dorland, 28a ed)
Membrana mucosa que reveste a superfície posterior das pálpebras e a superfície pericorneal anterior do globo ocular.
Trabalhos que contêm artigos de informação em assuntos em todo campo de conhecimento, normalmente organizado em ordem alfabética, ou um trabalho semelhante limitado a um campo especial ou assunto.
Tumores ou câncer da TÚNICA CONJUNTIVA.
Líquido secretado pelas glândulas lacrimais. Este líquido umedece a CONJUNTIVA e a CÓRNEA.
Doença bolhosa crônica com predileção para as mucosas e menos frequentemente para pele, e com tendência em causar feridas. Algumas vezes é chamada de penfigoide ocular devido ao envolvimento da mucosa da conjuntiva.
Uma das ARTES MARCIAIS e também uma forma de exercício de meditação usando metodicamente movimentos vagarosos circulares de alongamentos e posições de equilíbrio corporal.
Atividades nas quais os participantes aprendem autodefesa principalmente através do uso do combate corpo-a-corpo. O judô implica em arremessar um oponente ao solo, enquanto o karatê (que inclui kung-fu e tae-kwon-dô) envolve chutar e socar um oponente.
Árvore conhecida por sua casca, vendida como canela. O óleo contém cerca de 65 a 80 por cento de cinamaldeído, 10 por cento de EUGENOL e vários TERPENOS.
Serviços da NATIONAL LIBRARY OF MEDICINE para profissionais e usuários da área da saúde. Integra extensa informação do National Institutes of Health e de outras fontes de informações sobre determinadas doenças e anormalidades.
A coleção, preparação e distribuição de notícias e comentários relacionados e materiais de destaque através de meios como panfletos, circulares, jornais, revistas, rádio, filmes, televisão e livros. Embora originalmente aplicado à reportagem de eventos atuais em forma impressa, especificamente jornais, com o advento do rádio e da televisão o uso do termo cresceu para incluir toda comunicação, impressa e eletrônica, que lida com questões atuais.
Conteúdo, administração, edição, políticas e impressão de periódicos odontológicos como diários, circulares, tabloides e boletins.
A coleção, escrita e edição de material de interesse atual em tópicos relacionados à biomedicina para apresentação pelos meios de comunicação de massa, inclusive jornais, rádio ou televisão, normalmente para uma audiência pública como os consumidores de cuidados de saúde.
Publicações impressas e distribuídas diariamente, semanalmente ou a algum outro intervalo regular e normalmente pequeno, contendo notícias, artigos de opinião (como editoriais e cartas), matérias especiais, avisos e anuncios de interesse atual.
Instrumentos ou meios tecnológicos de comunicação que alcançam um grande número de pessoas com uma mensagem comum: imprensa, rádio, televisão, etc.
Os meios de intercambiar ou transmitir e receber informação. Historicamente os meios eram escritos: livros, diários, jornais e outras publicações; na idade moderna os meios incluem também rádio, televisão, computadores e redes de informação.
Subtipo de enxaqueca caracterizada por ataques recorrentes de sintomas neurológicos reversíveis (aura) que precedem ou acompanham a cefaleia. A aura também inclue uma combinação de distúrbios sensoriais, como VISÃO embaçada, ALUCINAÇÕES, VERTIGEM, Adormecimento e dificuldade de concentração e fala. A aura, normalmente é seguida por traços de Enxaqueca Comum, como FOTOFOBIA, FONOFOBIA e NÁUSEA. (Tradução livre do original: International Classification of Headache Disorders, 2nd ed. Cephalalgia 2004: suppl 1)
Período de tempo a partir de 1901 até 2000 da era comum.
Conhecimento de si mesmo e do ambiente.
Cefaleias recorrentes unilaterais pulsáteis, não precedidas ou acompanhadas de aura, em episódios que duram de 4-72 horas. São caracterizadas por DOR de intensidade moderada a severa, agravadas por atividade física e associadas a NÁUSEA e /ou FOTOFOBIA ou FONOFOBIA.
Organizações mantidas por doações com provisões para manutenção futura.
Transtornos mentais orgânicos em que há deficiência da capacidade em manter consciência de si próprio e do ambiente, e em responder a estímulos ambientais. A disfunção dos hemisférios cerebrais ou da FORMAÇÃO RETICULAR do tronco cerebral pode resultar nesta afecção.
Praias, naturais e artificiais, usadas para banho e outras atividades.
O efeito dos fatores ambientais ou psicológicos sobre os motoristas e a capacidade de dirigir. Estão incluídos a fadiga ao dirigir e o efeito de drogas, doença e incapacidades físicas no dirigir.
Movimentação do ar relativa à superfície da terra.
Crença ou prática a qual carece de bases adequadas de evidência. Personificação do temor do desconhecido, mágica e ignorância.
Acidentes em ruas, estradas e rodovias envolvendo condutores, passageiros, pedestres ou veículos. Estes acidentes referem-se a AUTOMÓVEIS (carros para passageiros, ônibus e caminhões), BICICLETAS e MOTOCICLETAS, mas não VEÍCULOS RECREACIONAIS A MOTOR, FERROVIAS nem veículos para neve.
Parte do espectro eletromagnético nas faixas visível, ultravioleta e infravermelha.
Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.