A ciência voltada para o estudo comparativo do homem.
Ciência comparativa que lida com as características físicas dos humanos em relação com sua origem, evolução e desenvolvimento em todo o meio ambiente.
Campo das ciências sociais relacionado com as diferenças entre os grupos humanos, no que concerne às condições de saúde e crenças.
Consiste no estudo do fenômeno cultural que caracteriza as atividades sociais aprendidas, compartilhadas e transmitidas de um grupo étnico em particular com foco nas causas, consequências e complexidades da variabilidade humana social e cultural.
Estudo científico de restos do esqueleto humano com o propósito explícito de identificação. Este inclui o estabelecimento da identidade individual, análise do trauma, reconstrução facial, superposição fotográfica, determinação do tempo de intervalo desde a morte e reconstrução da cena do crime. Os antropologistas forenses não certificam a causa da morte, mas fornecem dados para auxiliar na determinação da causa provável. Esta é um ramo do campo da antropologia física e indivíduos qualificados são certificados pela American Board of Forensic Anthropology.
Validação do sexo de um indivíduo por meio dos ossos do ESQUELETO. É mais comumente baseado é baseada na aparência da PELVIS, CRÂNIO, ESTERNO e/ou ossos longos.
Aplicação do conhecimento odontológico às perguntas da lei.
O processo de desenvolvimento contínuo de uma cultura de formas simples a complexas e de qualidades homogêneas a heterogêneas.
Ciência biológica relacionada com as propriedades vitais de suporte, funções e processos de organismos vivos ou suas partes.
Programas de estudo que abrangem as fronteiras tradicionais do conhecimento acadêmico.
Disciplinas científicas interessadas na embriologia, anatomia, fisiologia, bioquímica, farmacologia, etc., do sistema nervoso.
Ciência social que estuda as relações de grupo, os padrões coletivos de comportamento e a organização social.
A aplicação de conhecimento científico para propósitos práticos em qualquer campo. Inclui métodos, técnicas e instrumentação.
Indivíduos ou grupos excluídos da participação em atividades econômicas, sociais e políticas dos membros de uma comunidade.
Expressão coletiva para todos os modelos de comportamento adquiridos e transmitidos socialmente através de símbolos. Cultura inclui costumes, tradições e linguagem.
Período de tempo a partir de 1801 até 1900 da era comum.
Período de tempo a partir de 1901 até 2000 da era comum.
Período de tempo a partir de 2001 até 2100 da era comum.
Investigação crítica e exaustiva ou experimentação, tendo por objetivo a descoberta de fatos novos e sua interpretação correta, a revisão de conclusões, teorias ou leis aceitas, à luz de fatos recentemente descobertos, ou a aplicação prática dessas conclusões, teorias ou leis novas ou revisadas.
Trabalhos que contêm artigos de informação em assuntos em todo campo de conhecimento, normalmente organizado em ordem alfabética, ou um trabalho semelhante limitado a um campo especial ou assunto.
O agregado de instituições sociais e culturais, formas, padrões e processos que influenciam a vida de um indivíduo ou comunidade.
Comitês estabelecidos por sociedades profissionais, instalações de saúde ou outras instituições para considerar decisões que têm implicações bioéticas. O papel destes comitês pode incluir consulta, educação, mediação e/ou revisão de políticas e práticas. Os comitês que consideram as dimensões éticas de cuidado ao paciente são os COMITÊS DE ÉTICA CLÍNICA. Os comitês estabelecidos para proteger o bem-estar de assuntos de pesquisa são os COMITÊS DE ÉTICA NA PESQUISA.
Comitês hospitalares (ou de outras instituições) estabelecidos para proteger o bem-estar de sujeitos de pesquisa. Os regulamentos federais (a "Regra Comum" (45 CFR 46) nos EUA) determinam o emprego destes comitês para monitorar pesquisas biomédicas e comportamentais financiadas com recursos federais envolvedo humanos.
Ciências que se ocupam de aspectos do homem não estudados nas ciências naturais. Inclui disciplinas como filosofia, história, arte, literatura, etc.
Materiais, frequentemente aplicações de computador, que integram alguns ou todos os pacotes integrados de texto, som, gráficos, animação e vídeo.
Disciplinas voltadas para as inter-relações dos indivíduos em um ambiente social, incluindo as organizações sociais e as instituições.
Compostos inorgânicos que contêm zinco como parte integral da molécula.
Experimentos planejados para determinar o potencial de efeitos tóxicos de uma exposição prolongada a um ou mais compostos químicos.
No Direito Civil é uma causa de ação que alega que um acusado causou erroneamente o nascimento de uma criança.
Declarações anuais revendo o estado (status) das funções administrativas e operacionais e das realizações de uma instituição ou organização.
O estudo comparativo e teórico da cultura, muitas vezes sinônimo de antropologia cultural.
As ciências que estudam os processos observáveis na natureza.
A ciência da linguagem, inclusive fonética, fonologia, morfologia, sintaxe, semântica, pragmática e linguística histórica.
Estudo científico de sociedades do passado através de artefatos, fósseis, etc.
País da América do Sul localizado na parte meridional do continente. Atualmente a Argentina está dividida em 24 jurisdições (23 províncias e mais a Cidade Autônoma de Buenos Aires, sede do governo nacional).
Atividades associadas com o sepultamento dos mortos. Exclui práticas culturais como ritos fúnebres.
O estudo dos determinantes e efeitos sociais da saúde e da doença e da estrutura social das instituições ou profissões médicas.
Gênero de plantas da família PINACEAE, ordem Pinales, classe Pinopsida, divisão Coniferophyta. São árvores coníferas, perenes, com agulhas longas, achatadas e espiralmente distribuídas que crescem diretamente a partir dos galhos.
Doença de lactentes devido ao estafilococo do grupo 2, fago-tipo 17 que produz uma exotoxina epidermolítica. Bolhas e vesículas superficiais delicadas são formadas e se rompem facilmente, resultando na perda de extensas camadas de epiderme.
As unidades baseadas em teoria política e escolhidas por países sob as quais o poder governamental deles é organizado e administrado aos cidadãos.
Exotoxinas proteicas do Staphylococcus aureus (fago do tipo II), que causam a necrólise da epiderme. São proteínas com massa molecular de 26 a 32 kDa. Elas causam uma doença conhecida por vários nomes: pele escamosa, síndrome de Lyell ou Ritter, doença exfoliativa da epiderme, necrólise epidérmica tóxica, etc.
A República Federativa do Brasil é formada por 5 regiões (norte, nordeste, centro-oeste, sudeste e sul), 26 Estados e o Distrito Federal (Brasília). A atual divisão político-administrativa é de 1988, quando foi criado o estado do Tocantins, a partir do desmembramento de parte de Goiás, e os territórios de Amapá e Roraima foram transformados em estados. Quinto país do mundo em área total, superado por Federação Russa, Canadá, China e EUA, e maior da América do Sul, o Brasil ocupa a parte centro-oriental do continente. São 23.089 km de fronteiras, sendo 7.367 km marítimas e 15.719 km terrestres. A orla litorânea estende-se do cabo Orange, na foz do rio Oiapoque, ao norte, até o arroio Chuí, no sul. Todos os países sul-americanos, com exceção de Equador e Chile, fazem fronteira com Brasil. Pouco mais de 70 km tornam a extensão norte-sul do país superior ao sentido leste-oeste. São 4.394,7 km entre os extremos leste e oeste. Ao norte, o ponto extremo do Brasil é a nascente do rio Ailã, no monte Caburaí, em Roraima, fronteira com a Guiana. Ao sul, o arroio Chuí, na divisa do Rio Grande do Sul com o Uruguai. A leste, a ponta do Seixas, na Paraíba. E a oeste, as nascentes do rio Moa, na serra da Contamana, no Acre, fronteira com o Peru. O centro geográfico fica na margem esquerda do rio Jarina, em Barra do Garça em Mato Grosso. (Almanaque Abril. Brasil, SP: Editora Abril S.A., 2002). Existe grande contraste entre os estados em relação aos aspectos físicos e demográficos e aos indicadores sociais e econômicos. A área do Amazonas, por exemplo, é maior do que a área somada dos nove estados da região nordeste. Enquanto Roraima e Amazonas têm cerca de um a dois habitantes por km2, no Rio de Janeiro e no Distrito Federal esse índice é superior a 300 (a média para o país é de 20,19 IBGE 2004). A população brasileira estimada para 2006 é de 186 milhões de habitantes distribuída em uma área de 8.514.215,3 km2 (média de 46 hab/km2). A mortalidade infantil média para o país é de 26,6 óbitos de crianças menores de um ano por 1000 nascidos vivos, variando de 47,1 para o estado de Alagoas (IBGE 2004) e 13,5 para o estado de São Paulo (SEADE 2005). A esperança (ou expectativa) de vida do brasileiro ao nascer é de 71,7 anos (IBGE 2004). A taxa de fecundidade é de 2,3 filhos por mulher menor de 20 anos (IBGE 2004). Em relação à economia, apenas três estados do Sudeste - São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais - respondem por cerca de 60 por cento do PIB brasileiro.