Bases orgânicas nitrogenadas. Muitos alcaloides de importância médica ocorrem nos reinos animal e vegetal e alguns são sintéticos.
Alcaloides originalmente isolados do fungo da espécie Claviceps purpurea (Hypocreaceae). Entre eles estão os compostos estruturalmente relacionados com a ergolina (ERGOLINAS) e a ergotamina (ERGOTAMINAS). Muitos dos alcaloides de Claviceps agem como antagonistas alfa-adrenérgicos.
Grupo de alcaloides contendo um grupo benzilpirrólico (derivado do TRIPTOFANO).
Grupo de ALCALOIDES caracterizados por uma necina contendo nitrogênio e encontrados principalmente em plantas das seguintes famílias BORAGINACEAE, COMPOSITAE e LEGUMINOSAE. Podem ser ativados no fígado por hidrólise do éster e desnaturação da base necina para reativar as CITOTOXINAS pirrólicas eletrofílicas.
Grupo de dímeros ALCALOIDES do tipo indol-indolina obtidos de plantas do gênero VINCA. Inibem a polimerização de TUBULINAS em MICROTÚBULOS, bloqueando assim a formação do fuso e parando as células na METÁFASE. Representam alguns dos ANTINEOPLÁSICOS mais úteis.
Alcaloides extraídos de várias espécies de Cinchona.
Grupo de alcaloides relacionados de plantas que contêm a estrutura de anel heterocíclico de BERBERINA.
Alcaloides derivados da TIRAMINA e combinados com 3,4-di-hidroxibenzaldeído pela via da norbeladina, incluindo a GALANTAMINA, licorina e crinina. São encontrados na família de plantas Amaryllidaceae (LILIACEAE).
Gênero de plantas (família RANUNCULACEAE) cujos membros possuem vários alcaloides diterpenoides incluindo: aconitans, hypaconitina, ACONITINA, jesaconitina, ignavina, nappelina e mesaconitina. O nome vulgar Veneno-de-Lobo é semelhante ao nome vulgar da ARNICA.
Dibenzoquinolinas que, em plantas, são derivadas de (S)-reticulina (BENZILISOQUINOLINAS).
Gênero de fungos (família Clavicipitaceae, ordem Hypocreales) ascomicetos, parasitas de várias gramíneas (POACEAE). Os escleródios contêm vários alcaloides tóxicos. Claviceps purpurea (no centeio) causa ergotismo.
Gênero de plantas (família Apocynaceae) fonte de ALCALOIDES DE VINCA, utilizadas nas quimioterapias de leucemias.
ISOQUINOLINAS com um substituinte de benzil.
Gênero de plantas (família RANUNCULACEAE) cujos membros contêm ACONITIDINA e outros alcaloides diterpenoides.
Alcaloides, principalmente tropanos, elaborados por plantas da família Solanaceae, incluindo Atropa, Hyoscyanus, Mandragora, Nicotiana, Solanum, etc. Alguns agem como antagonistas colinérgicos; a maioria é muito tóxica; muitos são usados como remédios.
Alcaloide extraído de Hydrastis canadensis L.(Berberidaceae). Também encontrada em muitas outras plantas. É relativamente tóxica por via parenteral, mas tem-se utilizado oralmente para várias infecções parasitárias, fúngicas e como antidiarreica.
Preparações farmacêuticas concentradas de plantas obtidas pela remoção dos constituintes ativos com um solvente adequado (que é eliminado por evaporação) e ajuste do resíduo [seco] a um padrão prescrito.
Forma anamórfica do fungo EPICHLOE. Muitas espécies de Neotyphodium produzem ALCALOIDES DO ESPORÃO DO CENTEIO.
Gênero de plantas (família RANUNCULACEAE) cujos membros contêm BERBERINA e outros ALCALOIDES isoquinolínicos.
Família de plantas da ordem Sapindales que cresce em regiões mais quentes e possui flores conspícuas.
Intoxicação pela ingestão de plantas ou suas folhas, frutos, raizes ou caules. As manifestações, tanto em humanos como em animais, variam no grau de severidade, desde leve até causar risco de morte. Em animais, especialmente animais domésticos, normalmente é o resultado da ingestão de fungos ou forragem fermentada.
Localização dos átomos, grupos ou íons, em relação um ao outro, em uma molécula, bem como o número, tipo e localização das ligações covalentes.
Intoxicação causada pela ingestão de grãos ergotizados ou pelo uso mal direcionado ou excessivo do fungo Claviceps [ergot] como medicamento.
Gênero de plantas (família LYCOPODIACEAE) cujos membros contêm ALCALOIDES. O óleo de licopodium é obtido da L. clavatum.
Vasoconstritor encontrado no esporão (fungo) do centeio na Europa Central. É um agonista da serotonina que tem sido usado como agente oxitócico e no tratamento de TRANSTORNOS DA ENXAQUECA.
Gênero de plantas herbáceas da Eurásia, as papoulas (família Papaveraceae, classe Magnoliopsida, dicotiledônea) produzem ÓPIO a partir do látex das sementes de vagens verdes.
Família de plantas conhecidas como garança ou ruiva, da ordem Rubiales, subclasse Asteridae, classe Magnoliopsida, que inclui importantes plantas medicinais que fornecem QUININO, IPECA e CAFÉ. Possuem filotaxia oposta (folhas arranjadas em oposição uma à outra) e estípulas interpeciolares.
Gênero de plantas (família Ephedraceae, ordem Ephedrales, classe Gnetopsida, divisão Gnetophyta).
Alcaloides obtidos de várias plantas, especialmente da mortal árvore sombra da noite (Atropa belladonna), variedade acuminata. Atropina, hiosciamina e escopolamina são agentes antimuscarínicos específicos clássicos, com muitos efeitos farmacológicos. São usados principalmente como antiespasmódicos.
Alcaloide isolado das sementes de Peganum harmala L., Zygophyllaceae. É idêntico à banisterina, ou telepatina, de Banisteria caapi e é um dos ingredientes ativos de bebidas alucinógenas feitas na região ocidental da Amazônia a partir de plantas relacionadas. Não tem uso terapêutico mas,(como banisterina), foi aclamada como cura para a doença de Parkinson pós-encefalítica, nos anos da década de 1920.
Gênero de planta da família APOCYNACEAE. Contém elipticina.
Família das papoulas (ordem Papaverales, subclasse Magnoliidae, classe Magnoliopsida) com flores regulares em forma de cálice, bissexuais com pistilo superior e vários estames. Duas ou três sépalas conspícuas e distintas e várias pétalas separadas. O fruto é uma cápsula e as folhas são, em geral, muito recortadas ou divididas em folhas menores.
Fenômeno através do qual compostos cujas moléculas têm o mesmo número e tipo de átomos e o mesmo arranjo atômico, mas diferem nas relações espaciais.
Camada externa das partes lenhosas das plantas.
Fenetilamina encontrada em EPHEDRA SÍNICA. A PSEUDOEFEDRINA é um isômero. É um agonista alfa e beta-adrenérgico que pode também aumentar a liberação de norepinefrina. Foi utilizada no tratamento de muitas patologias, inclusive asma, insuficiência cardíaca, rinite, incontinência urinária, e por seus efeitos estimulantes no sistema nervoso central. Foi utilizada no tratamento da narcolepsia e depressão. Foi se tornando menos utilizada com o aparecimento de agonistas mais seletivos.
Plantas cujas raizes, folhas, sementes, cascas ou outros constituintes possuem atividades terapêuticas, tônicas, purgativas, curativas ou outros atributos farmacológicos quando administradas a humanos ou outros animais.
Exudato seco no ar da cápsula da semente imatura da papoula do ópio "Papaver somniferum" ou sua variante "P. album". Contém vários alcaloides, mas apenas alguns (MORFINA, CODEÍNA e PAPAVERINA) têm importância clínica. Tem-se utilizado o ópio como analgésico, antitussígeno, antidiarreico e antiespasmódico.
Série de alcaloides relacionados estruturalmente, contendo a estrutura básica da ergolina.
Família da planta 'custard-apple' (ordem Magnoliales, subclasse Magnoliidae e classe Magnoliopsida) com alguns membros fornecendo grandes frutos carnudos e madeira para o comércio. As folhas e a madeira são frequentemente aromáticas. As folhas são simples com margens simples e dispostas alternadamente em duas fileiras ao longo do talo.
Espécie de planta tóxica das Compositae. Os compostos venenosos são alcaloides que produzem doenças no gado, neoplasias e dano hepático, e são usados para produzir câncer em animais experimentais.
Classe de compostos orgânicos que contêm quatro ou mais estruturas em anel, uma das quais constituída de mais de uma espécie de átomo, geralmente carbono mais outro átomo. Os heterocíclicos podem ser aromáticos ou não aromáticos.
Gênero de plantas (família RUBIACEAE) cujos membros contêm uncarina e outros alcaloides oxindólicos citotóxicos e hipotensivos.
Gênero de plantas (família APOCYNACEAE ou 'dogbane') cujos alcaloides têm sido usados como tranquilizantes e anti-hipertensivos. A RESERPINA é derivada da R. serpentina.
Alcaloides com efeitos hipotensores poderosos isolados da Hellebore americana ou europeia (Veratrum viride Ait. Liliaceae e Veratrum album L. Liliaceae). Aumentam o tônus colinérgico e diminuem o adrenérgico com efeitos colaterais. Em doses mais elevadas, deprimem a respiração e provocam arritmias cardíacas. Apenas os ésteres de alcaloides têm sido usados como agentes hipotensores em casos específicos. Geralmente têm sido substituídos por drogas com menos efeitos adversos.
Filo de esponjas (multicelulares) sésseis que alimentam-se de suspensões e utilizam células com flagelos (coanócitos) para a circulação da água. A maioria é hermafrodita. Provavelmente existiu um ramo na escala evolutiva que não originou nenhum grupo de animal. As esponjas são animais marinhos (cerca de 150 espécies de água doce) e fonte de ALCALOIDES, ESTERÓIS e outras moléculas complexas úteis na medicina e pesquisa biológica.
Ordem de fungos do filo ASCOMYCOTA que inclui numerosas espécies que são parasitas de plantas superiores, insetos ou fungos. Outras espécies são saprotróficas.
Alcaloide C19 não diterpenoide (DITERPENOS) da raiz de ACONITUM. Ativa os CANAIS DE SÓDIO DISPARADOS POR VOLTAGEM. Tem sido usado para induzir ARRITMIAS CARDÍACAS em animais de experimentação e possui propriedades anti-inflamatórias e antinevrálgicas.
Gênero de fungos ascomicetos da família Clavicipitaceae, ordem HYPOCREALES, que fazem simbiose com gramíneas. Encontram-se anamorfos no gênero NEOTYPHODIUM.
Família monocotiledônea (ordem Liliales) dividida por alguns botânicos em outras famílias, como Convallariaceae, Hyacinthaceae e Amaryllidaceae. Entre as Amaryllidaceae, que possuem ovários inferiores estão CRINUM, GALANTHUS, LYCORIS e NARCISSUS e são conhecidos pelos ALCALOIDES DE AMARYLLIDACEAE.
Gênero de plantas (família RUBIACEAE) cujos membros contêm alcaloides indólicos ANTIMALÁRIA e ANALGÉSICOS.
Alcaloide beta-carbolínico isolado das sementes de PEGANUM.
Um dos vários indolalcaloides extraídos de Tabernanthe iboga, Baill. Tem um perfil farmacológico complexo, e interage com múltiplos sistemas de neurotransmissão. A ibogaína tem propriedades psicoativas e parece modular a tolerância a opiáceos.
Compostos de quatro anéis contendo nitrogênio. São biossintetizados a partir de reticulina, por meio de rearranjo na escolerina ('scoulerine'). São similares às BENZILISOQUINOLINAS. Entre seus membros estão a queleritrina e a sanguinarina.
Gênero de plantas da família FUMARIACEAE (classificada por alguns autores em PAPAVERACEAE) contém alcaloides do tipo isoquinolina.
Modificação [estrutural] de um hidrocarboneto de cadeia aberta para [a forma de] anel fechado.
Espécie de plantas (família Ephedraceae, ordem Ephedrales, classe Gnetopsida, divisão Gnetophyta) que são fontes da EFEDRINA e outros alcaloides.
Venenos produzidos por rãs, sapos, salamandras, etc. As glândulas de veneno geralmente estão na pele das costas e contêm glicosídeos cardiotóxicos, colinolíticos, e vários outros materiais bioativos, muitos dos quais foram caracterizados. Os venenos (inclusive a bufogenina, a bufotoxina, a bufagina, a bufotalina, histrionicotoxinas, e a pumiliotoxina) têm sido usados em flechas.
Família de plantas da ordem Gentianales. Seus membros possuem folhas de bordas lisas, com suco leitoso, geralmente venenoso, e flores em cachos. A família Asclepiadaceae, antes família da asclépia, foi incluída desde 1999 e antes de 1810.
Indolizinas saturadas que são anéis fundidos de cinco e seis membros, tendo um átomo de nitrogênio em comum. São sintetizadas em PLANTAS por ciclização de uma LISINA acoplada à ACETIL COENZIMA A. Muitas delas ocorrem naturalmente em ALCALOIDES.
Benzo(c)piridina; estrutura anelar característica do grupo de alcaloides do ópio, representado pela paverina. (Stedman, 25a ed)
Alcaloide antitumoral isolado de Vinca rosea.
Compostos de vinte carbonos derivados de ÁCIDO MEVALÔNICO ou desoxixilulose fosfato.
1) Espécie de plantas do gênero ATROPA da família SOLANACEAE que contêm ATROPINA, ESCOPOLAMINA, ALCALOIDES DE BELADONA e outros ALCALOIDES DE SOLANÁCEAS. Algumas espécies deste gênero são chamadas de beladona, sendo este também o nome vulgar para SOLANUM (MeSH/NLM). 2) Também se utiliza como medicamento homeopático. Atropa belladona. Abrev.: "bell.". Origem vegetal. Parte utilizada: planta fresca, sem as partes lenhosas inferiores do caule ao final da florada.
Gênero de plantas da família LOGANIACEAE (classificado por alguns botânicos como Strychnaceae).
Gênero de plantas (família RANUNCULACEAE) cujos membros contêm alcaloides isoquinolinos e glicosídeos triterpenos.
Alcaloide do ópio que ocorre na natureza, e que atua centralmente como agente antitussígeno.
Gênero de plantas da família APOCYNACEAE. Seus membros possuem equitovenidina, equitamina, venenatina (alcaloide indólico) e triterpenoides anti-inflamatórios.
Gênero de plantas (família FABACEAE) que são fonte de ESPARTEÍNA, lupanina e outros alcaloides lupínicos.
Gênero de plantas (família LILIACEAE) com raizes venenosas, contendo ALCALOIDES DE VERATRUM utilizados como eméticos, antiparasitários e anti-hipertensivos. É o principal ingrediente do Boicil.
Gênero de plantas (família APOCYNACEAE) cujos membros contêm IBOGAÍNA e alcaloides bisindol.
Estruturas expandidas, geralmente verdes, de plantas vasculares, consistindo caracteristicamente de uma expansão em lâmina ligada a um caule, funcionando como o principal órgão de fotossíntese e transpiração.
Grande família de gramíneas herbáceas de folhas estreitas da ordem Cyperales, subclasse Commelinidae, classe Liliopsida (monocotiledôneas). GRÃO COMESTÍVEL vem de membros desta família. RINITE ALÉRGICA SAZONAL pode ser induzida por PÓLEN de muitas gramíneas.
Alcaloide do ergot (ALCALOIDES DO ESPORÃO DO CENTEIO) que apresenta propriedades contráteis de MÚSCULO LISO VASCULAR e uterino.
Gênero de plantas da família RUTACEAE utilizadas na medicina Chinesa (MEDICAMENTOS DE ERVAS CHINESAS). A evodiamina e outros alcaloides quinazolínicos (QUINAZOLINAS) são obtidos do fruto da E. ruticarpa.
Classe de compostos orgânicos contendo estruturas de três anéis, uma das quais constituída de mais de uma espécie de átomo, geralmente carbono mais outro átomo. O heterocíclico pode ser aromático ou não aromático.
Família de plantas verdejantes principalmente aromáticas (ordem Laurales). A família laurácea inclui 2.200 espécies em 45 gêneros, e destes são derivados extratos medicinais, óleos essenciais, cânfora e outros produtos.
Gênero de leguminosas em arbustos ou árvores, principalmente tropicais, que produzem ALCALOIDES e LECITINAS DE PLANTAS.
Substâncias obtidas de plantas superiores, e que apresentam atividades citostática ou antineoplásica demonstráveis.
Gênero de plantas (família ZYGOPHYLLACEAE) nas quais foram encontrados harmala e outros ALCALOIDES, fenilpropanoides e TRITERPENOS.
Método espectroscópico de medição do momento magnético de partículas elementares, como núcleos atômicos, prótons ou elétrons. É empregada em aplicações clínicas, como Tomografia por RMN (IMAGEM POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA).
Extratos de ervas ou plantas chinesas usadas como drogas para tratar doenças ou para promover bem-estar geral. Não inclui os compostos sintéticos preparados na China.
Gênero de plantas (família FABACEAE) contendo crotalarina.
Porções geralmente subterrâneas de uma planta, que servem como suporte e estocagem de alimento, e pelas quais a água e nutrientes minerais penetram na planta.
Família de plantas (ordem Linales, subclasse Rosidae, classe Magnoliopsida) melhores conhecidas pela planta coca.
Gênero de plantas (família POACEAE), cujo nome vulgar 'fescue' também é usado para algumas outras gramíneas.
N-metil-8-azabicíclico[3.2.1]octanos mais conhecidos por aqueles encontrados em PLANTAS.
Gênero de plantas da família ASCLEPIADACEAE. Seus membros contêm alcaloides fenantro-indolizidínicos.
Alcaloide obtido da noz betel (Areca catechu), fruto de uma palmeira. É um agonista tanto de receptores muscarínicos como nicotínicos da acetilcolina. É utilizado na forma de vários sais como estimulante ganglionar, parassimpatomimético e vermífugo, especialmente na clínica veterinária. Tem sido usado como euforizante nas Ilhas do Pacífico.
Pequena família de plantas , monocotiledôneas (ordem Liliales, subclasse Liliidae, classe Liliopsida).
Partes de plantas que geralmente crescem verticalmente para cima, em direção à luz, e que dão suporte às folhas, às células germinativas e às estruturas reprodutivas.
Gênero de plantas (família LYCOPODIACEAE) cujos membros contêm huperzina ( um dos INIBIDORES DE COLINESTERASE).
Gênero de plantas (família MENISPERMACEAE) cujos membros possuem eletefina (alcaloide estefaoxocano) e os ALCALOIDES tropoloisoquinolina e protoberberina.
Uso de plantas e ervas para tratar doenças ou aliviar dores.
Gênero de plantas (família PAPAVERACEAE, ordem Papaverales e subclasse Magnoliidae).
Grupo de compostos do piridoindol. Estão incluídos quaisquer pontos de fusão de piridina com o anel de cinco membros do indol e quaisquer derivados destes compostos. São similares aos CARBAZÓIS que são benzo-indóis.
Simpatomimético que atua principalmente causando a liberação de NOREPINEFRINA, mas também tem atividade agonista direta em alguns receptores adrenérgicos. É mais comumente utilizada como vasoconstritor nasal e inibidor de apetite.
Gênero de plantas da família FABACEAE.
Inseticida botânico de piperidina.
Compostos baseados na acridona, com três anéis planos, e o anel central contendo um nitrogênio e um oxigênio cetônico opostos entre si. Muitos deles ocorrem naturalmente em alcaloides.
Gênero fúngico mitospórico com vários ascomicetos teleomorfos observados. Antibióticos de cefalosporina são derivados deste gênero.
Enzimas que catalisam a clivagem de uma ligação carbono-nitrogênio através de outros meios que não hidrólise e oxidação. Subclasses são as AMÔNIA-LIASES, as AMIDINO-LIASES, as amino-liases e outras liases carbono-nitrogênio. Ec 4.3.
Grupo de compostos consistindo em parte de dois anéis que compartilham um átomo (geralmente um carbono).
Gênero de plantas (família LOGANIACEAE, classificada por alguns botânicos como Gelsemiaceae) cujo nome vulgar Erva-Trombeta também é utilizado para DATURA.
A designação geográfica para os estados que limitam com ou localizam-se no Oceano Pacífico. Os estados assim designados são Alaska, California, Hawaii, Oregon e Washington.
Métodos de investigação da eficácia de drogas citotóxicas anticâncer e inibidores biológicos. Incluem modelos de morte celular in vitro e testes de exclusão de corantes citostáticos assim como medidas in vivo dos parâmetros de crescimento tumoral em animais de laboratório.
Parte da planta acima da terra (sem as raizes).
Ligação de isoprenoides (TERPENOS) para outros compostos, especialmente PROTEÍNAS e FLAVONOIDES.
Técnica de cromatografia líquida que se caracteriza por alta pressão de passagem, alta sensibilidade e alta velocidade.
Espiro-BENZAZEPINAS tetracíclicas isoladas das sementes de CEPHALOTAXUS. São ésteres do alcaloide cefalotaxina e podem ser eficazes como antineoplásicos.
Alcaloide que ocorre no extrato de folhas dos tomateiros selvagens.Descobriu-se que inibe o crescimento de vários fungos e bactérias. É usado como agente precipitante de esteroides.
Composto constituído por 10 carbonos geralmente formado pela via do mevalonato a partir da combinação do 3,3-dimetilalil pirofosfato e isopentenil pirofosfato. Sofrem ciclização e oxidação em diversas vias. Devido ao baixo peso molecular muitos deles existem na forma de óleos essenciais (ÓLEOS VOLÁTEIS).
Gênero de plantas (família LILIACEAE) cujos membros contêm radiatina, vittatina, haemanthamina, lycorenina, di-hidrolicorina, licorina, licoricidinol e licoricidina.
Gênero de plantas (família LAURACEAE) cujos membros possuem criptofoliona, cariaquina, grandisina e outros compostos. Algumas espécies [do gênero] PEUMUS foram reclassificadas como CRYPTOCARYA.
Gênero de plantas (família RANUNCULACEAE) cujos membros contêm BERBERINA.
Forma característica tridimensional de uma molécula.
Gênero de plantas (família RUBIACEAE, ordem Rubiales, subclasse Asteridae). A Cephaelis ipecacuanha é a fonte de IPECA.
Família de plantas (ordem Solanales, subclasse Asteridae) entre as mais importantes estão BATATAS, TOMATES, CAPSICUM (pimentões verdes e vermelhos), TABACO e BELADONA.
Partes das plantas, incluindo as SEMENTES.
Gênero de plantas (família FABACEAE) cujos membros contêm SWAINSONINA.
Gênero de esponjas grandes de cores brilhantes (família Agelasidae) que possuem esqueleto de fibras esponginas com núcleo de grandes espículas (megascleras).
Gênero de plantas (família CONVOLVULACEAE) mais conhecidas como 'corriola' (morning glories) (nome vulgar também usado com CONVOLVULUS) e batata doce.
Substâncias farmacêuticas complexas, preparações ou produtos de origem orgânica geralmente obtidos por métodos ou ensaios biológicos.
Gênero de plantas (família LILIACEAE) contendo ALCALOIDES.
Membro comum da família Gramineae, usado como RAÇÃO ANIMAL. Abriga diversos fungos e outros parasitas, tóxicos às criações e a pessoas, e produz compostos alergênicos, especialmente em seu pólen. As variedades mais comumente observadas são L. perenne, L. multiflorum e L. rigidum.
Tipo de MONOTERPENOS derivado do geraniol. Têm a forma geral de ciclopentanopirano, mas em alguns casos, um dos anéis é rompido como no caso do secoiridoide. São diferentes dos iridais (TRITERPENOS) apesar da similaridade em seus nomes.
Gênero de plantas (família NELUMBONACEAE). O nome comum "lótus" também é utilizado para LOTUS e NYMPHAEA.
Gênero de plantas (família LILIACEAE) cujos membros produzem imperialina, alcaloide esteroide que age em receptores muscarínicos.
Gênero de plantas (família RUTACEAE) cujos membros contêm murraianina, koenina, isomahanina, kwangsine, siamenol, murrayafolina A, murrayaquinona A e outras carbazolequinonas citotóxicas.
Família de plantas (ordem Ranunculales, subclasse magnoliidae, classe Magnoliopsida) cujos membros, na sua maioria são trepadeiras e arbustos. Contêm alcaloides isoquinolínicos, alguns dos quais têm sido usados como venenos de flechas.
Concentração de um composto necessária para reduzir o crescimento populacional de organismos, incluindo células eucarióticas, em 50 por cento, in vitro. Embora em geral expresso para denotar atividade antibacteriana in vitro, também é utilizada como um ponto de referência para citotoxicidade a células eucarióticas em cultura.
Grupos de reações enzimáticas que ocorrem em organismos, formando compostos bioquímicos através de novas ligações covalentes.
Hidrocarbonetos cíclicos que contêm múltiplos anéis e compartilham um ou mais átomos.
Família das plantas 'buttercup' (ordem Ranunculales, subclasse Magnoliidae, classe Magnoliopsida) cujas folhas, normalmente são alternadas e sem caule. Geralmente, as flores possuem duas a cinco sépalas livres e podem ser radialmente simétricas ou irregulares.
Classe de compostos orgânicos que contêm dois anéis, que compartilham um par de átomos de carbono como cabeça de ponte.
Técnica de espectrometria de massa usada para análise de compostos não voláteis tais como proteínas e macromoléculas. A técnica envolve preparação de gotas eletricamente carregadas das moléculas em análise dissolvidas em solvente. As gotas eletricamente carregadas entram em uma câmara de vácuo onde o solvente é evaporado. A evaporação de solvente reduz o tamanho da gota, através disso aumentando a repulsão coulombiana dentro da gota. Como as gotas carregadas se tornam menores, a carga excessiva dentro delas lhes faz desintegrar e liberar moléculas em teste. As moléculas volatilizadas são então analisados por espectrometria de massa.
Grupo de ISOQUINOLINAS no qual o anel contendo nitrogênio é protonado. Derivam da condensação não enzimática Pictet-Spengler de CATECOLAMINAS com ALDEÍDOS.
Espécie de plantas (gênero PINUS) contendo ácido isocupréssico.
Droga derivada do ópio, que contém 0,3-1,5 por cento de tebaína, dependendo da origem. Produz mais convulsões do tipo da estricnina do que narcose. Pode levar à dependência e é uma substância controlada (opiato) listada no Código de Regulações Federais dos Estados Unidos, Título 21 parte 1308.12 (1985).
Plantas ou partes de plantas que são prejudiciais ao homem e outros animais.
Alcaloide de indolizidina da planta "Swainsona canescens", inibidor potente da alfa-manosidase. A swainsonina também apresenta atividades antimetastática, antiproliferativa e imunomoduladora.
Pirido-CARBAZÓIS originalmente descobertos na casca da OCHROSIA ELLIPTICA. Inibem a síntese de DNA e RNA e apresentam propriedades imunossupressoras.
Caule horizontal subterrâneo semelhante a raiz, produzindo brotos aéreos e raizes subterrâneas. Distinguem-se das raizes verdadeiras, que não possuem botões e nós. Semelhantes a raizes verdadeiras por serem subterrâneos e mais espessos por armazenar depósitos de reserva.
Gênero de plantas (gênero STRYCHNOS e família LOGANIACEAE), fonte de ESTRICNINA.
Subclasse de compostos iridoides que incluem uma porção glucosídica geralmente posicionada no carbono C-1.
Gênero de plantas (família PIPERACEAE) entre as quais estão espécies usadas para condimentos e efeitos estimulantes.
Membros do grupo de plantas vasculares que possuem flores. São diferenciadas das GIMNOSPERMAS por sua produção de sementes dentro de câmaras (OVÁRIO VEGETAL). A divisão de Angiospermas é composta por duas classes: as monocotiledôneas (Liliopsida) e as dicotiledôneas (Magnoliopsida). As angiospermas representam aproximadamente 80 por cento de todas as plantas vivas conhecidas.
Benzopirróis com o nitrogênio no carbono número um adjacente à porção benzílica, diferente de ISOINDÓIS que têm o nitrogênio fora do anel de seis membros.
Gênero de plantas (família PAPAVERACEAE) contendo alcaloides com benzo[c]fenantridina.
Endossimbionte que pode ser tanto uma bactéria como um fungo que vive parte de sua vida em uma planta. Endófitas podem trazer benefícios para as plantas hospedeiras por impedir que organismos patogênicos as colonizem.
Alcaloide de pirrolizidina e constituinte de uma planta tóxica que envenena o gado e humanos por meio da ingestão de grãos e outros alimentos contaminados. O alcaloide provoca hipertensão da artéria pulmonar, hipertrofia ventricular direita e alterações patológicas na vasculatura pulmonar. Atenuação significativa das alterações cardiopulmonares é observada após o tratamento com magnésio oral.
Terceiro estômago dos ruminantes, situado no lado direito do abdome em um nível superior ao quarto estômago (entre este último e o segundo estômago) comunicando-se com ambos. De sua superfície interna projeta-se grande número de folhas ou folia, cada uma possuindo superfícies rugosas. No centro de cada folium há uma banda de fibras musculares que produzem um movimento de fricção da folha quando esta se contrai. Uma folha se atrita contra aquelas a cada lado desta, e grandes partículas de alimento são moídas entre as superfícies rugosas, consistindo de uma preparação para a digestão futura que acontecerá nas partes seguintes do canal alimentar. (Black's Veterinary Dictionary, 17th ed).
Gênero de árvores rubiáceas da América do Sul que produzem os tóxicos ALCALOIDES DE CINCHONA (suas cascas), QUININA, QUINIDINA, cinchonina, cinchonidina e outros que são utilizados para tratar MALÁRIA e ARRITMIAS CARDÍACAS.
Substâncias usadas para detecção, identificação, análise, etc. de processos ou condições químicas, biológicas ou patológicas. Indicadores são substâncias que mudam sua aparência física (p.ex., cor) no ponto final de uma titulação química (ou dele se aproximando), p.ex., na passagem entre a acidez e a alcalinidade. Reagentes são substâncias usadas para detecção ou determinação (especialmente análise) de outra substância por meios químicos ou microscópicos. Os tipos de reagentes são precipitantes, solventes, oxidantes, redutores, fluxos, e reagentes colorimétricos.
Gênero de plantas (família RUTACEAE) fonte natural de PILOCARPINA.
Estudo da origem, estrutura, desenvolvimento, crescimento, função, genética e reprodução de organismos que habitam os OCEANOS E MARES.
Gênero de plantas (família SAPINDACEAE) em que a semente da P. cupana é fonte do pó de guaraná (que contém 4 por cento de CAFEÍNA).
Espectrofotometria na região infravermelha, geralmente para fins de análise química através da medida de absorção do espectro associada aos níveis de energia rotacionais e vibratórios das moléculas.