Equinodermos ligeiramente achatados e globulares, que possuem conchas frágeis e finas de placas calcárias. São modelos úteis para estudos de FERTILIZAÇÃO e DESENVOLVIMENTO DO EMBRIÃO.
Grandes extensões de água salgada que, juntas, cobrem mais de 70 por cento da superfície da Terra. Mares podem ser totalmente ou parcialmente rodeados por terra e são menores do que os cinco oceanos (Atlântico, Pacífico, Índico, Ártico e Antártico).
Ordem Actiniaria (classe ANTHOZOA) composta de grandes pólipos solitários. Todas as espécies são carnívoras.
2- ou 4-Hidroxiestrogênios. Substâncias que são fisiologicamente ativas em mamíferos, especialmente no controle da secreção de gonadotropinas. Atividade fisiológica pode ser creditada tanto à ação estrogênica ou à interação com o sistema catecolaminérgico.
Classe de Equinodermos caracterizada por corpos longos e delgados.
Produtos de reações químicas que resultam na adição de grupos de substâncias químicas estranhas ao DNA.
Enzima que catalisa a desidrogenação de inosina 5'-fosfato a xantosina 5'-fosfato na presença de NAD. EC 1.1.1.205.
Nucleosídeo que consiste na base guanina e no açúcar desoxirribose.
Nucleosídeo de purina que tem uma guanina ligada por seu nitrogênio N9 ao carbono C1 da ribose. É um componente do ácido ribonucleico e seus nucleotídeos desempenham papéis importantes no metabolismo. (Tradução livre do original: From Dorland, 28th ed)
Enzimas que catalisam a união de duas moléculas através da formação de uma ligação carbono-nitrogênio. EC 6.3.
Enzima de reparo do DNA, uma N-glicosil-hidrolase com especificidade para resíduos de N(7)-metilguanina de anel aberto contendo DNA.
Potente micotoxina hepatotóxica e hepatocarcinogênica produzida pelo grupo de fungos Aspergillus flavus. Essa toxina também é mutagênica e teratogênica, causando imunossupressão em animais. É encontrada como contaminante em amendoim, semente de algodão, milho, e em outros grãos. Para ser ativada a micotoxina exige epoxidação para a forma 2,3-óxido da aflatoxina B1. As mono-oxigenases microssomais biotransformam a toxina nos metabólitos aflatoxina M1 e Q1 que são menos tóxicos.
Mar interno entre a Europa e a Ásia. Conecta-se com o Mar Egeu pelo estreito de Bósforo, o Mar de Marmara o Estreito de Dardanelos.
Água salinizada dos OCEANOS E MARES que supre habitat para organismos marinhos.
Polímero desoxirribonucleotídeo que é material genético primário de todas as células. Organismos eucariotos e procariotos normalmente contém DNA num estado de dupla fita, ainda que diversos processos biológicos importantes envolvam transitoriamente regiões de fita simples. O DNA, cuja espinha dorsal é constituída de fosfatos poliaçucarados possuindo projeções de purinas (adenina ou guanina) e pirimidinas (timina e citosina), forma uma dupla hélice que é mantida por pontes de hidrogênio entre as purinas e as pirimidinas (adenina com timina e guanina com citosina).
Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.
Classe de enzimas envolvidas na hidrólise da ligação N-glicosídica de açúcares ligados ao nitrogênio.
Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.
Nome coletivo para as repúblicas da ESTÔNIA, LETÔNIA e LITUÂNIA na orla oriental do Mar Báltico. (Tradução livre do original: Webster's New Geographical Dictionary, 1988, p111)
Técnica de cromatografia líquida que se caracteriza por alta pressão de passagem, alta sensibilidade e alta velocidade.
Célula germinativa feminina (haploide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.
Localização dos átomos, grupos ou íons, em relação um ao outro, em uma molécula, bem como o número, tipo e localização das ligações covalentes.
Espécie de bactérias Gram-negativas, facultativamente anaeróbicas, em forma de bastão (BACILOS GRAM-NEGATIVOS ANAERÓBIOS FACULTATIVOS) comumente encontrada na parte mais baixa do intestino de animais de sangue quente. Geralmente não é patogênica, embora algumas linhagens sejam conhecidas por produzir DIARREIA e infecções piogênicas. As linhagens patogênicas (virotipos) são classificadas pelos seus mecanismos patogênicos específicos como toxinas (ESCHERICHIA COLI ENTEROTOXIGÊNICA), etc.
Espécie de OURIÇOS-DO-MAR (família Strongylocentrotidae) encontrada na costa do Pacífico do Alaska até o México. Esta espécie é utilizada como modelo principal de pesquisa para a biologia do desenvolvimento molecular e outros campos.
Filo dos invertebrados marinhos mais comuns. Sua classe Stelleroidea contém duas subclasses, a Asteroidea (a ESTRELA-DO-MAR) e a Ophiuroidea (os ofiuros, também chamadas de estrelas em cestas e estrelas-serpentes). Há 1500 espécies descritas de ESTRELAS-DO-MAR encontradas pelo mundo. A segunda classe, Echinoidea, contém por volta de 950 espécies de OURIÇOS-DO-MAR, "heart urchins" (ouriços coração), e bolachas-do-mar. Uma terceira classe, Holothuroidea, compreende por volta de 900 equinodermos conhecidos como HOLOTÚRIAS. Equinodermos são extensamente utilizados em pesquisa biológica.
Lesões no DNA que introduzem desvios em relação a sua conformação normal e que, se não reparadas, resultam em uma MUTAÇÃO ou bloqueio da REPLICAÇÃO DO DNA. Esses desvios podem ser causados por agentes físicos ou químicos e ocorrem tanto em circunstâncias naturais ou não. Incluem a introdução de bases erradas durante a replicação, seja por desaminação ou outras modificações de bases, perda de uma base da cadeia do DNA, deixando um local sem base, quebras da fita simples, quebra da dupla hélice e ligações intrafita (DÍMEROS DE PIRIMIDINA) ou interfita. Na maioria das vezes, o dano pode ser reparado (REPARO DO DNA). Se o dano for extenso, pode induzir APOPTOSE.
Nome vulgar de peixes (ordem Perciformes) que ocorrem em três famílias distintas.
Arranjo espacial dos átomos de um ácido nucleico (ou de um polinucleotídeo) que resulta em sua forma tridimensional característica.
Corpo de água que cobre aproximadamente um quinto da área oceânica total da terra, estendendo-se entre a África no oeste, Austrália no leste, Ásia no norte e Antártica no sul. Inclui o Mar Vermelho e o Golfo Pérsico, constitui o terceiro maior oceano depois do OCEANO ATLÂNTICO e do OCEANO PACÍFICO.
Aspecto característico [(dependência)] da atividade enzimática em relação ao tipo de substrato com o qual a enzima (ou molécula catalítica) reage.
Venenos de águas-vivas, corais, anêmonas marinhas, etc. Estes venenos contêm substâncias hemo, cardio, dermato e neurotóxicas (e provavelmente ENZIMAS). Entre elas estão a palitoxina, a sarcofina, e a antopleurina.
Taxa dinâmica em sistemas químicos ou físicos.
Qualquer mudança detectável e hereditária que ocorre no material genético causando uma alteração no GENÓTIPO e transmitida às células filhas e às gerações sucessivas.
Relacionamentos entre grupos de organismos em função de sua composição genética.
Carnívoros (da família Mustelidae) que se alimentam de peixe, encontrados nos dois hemisférios da Terra.
Massa grossa de GELO formada sobre regiões extensas de terra, RIOS, LAGOS, LAGOAS ou ÁGUA DO MAR.
Gênero de peixe primitivo (família Petromyzontidae) de única espécie (Petromyzon marinus) conhecido como lampreia do mar. A forma adulta alimenta-se parasiticamente de outras espécies de peixes.
Distância vertical medida entre um objeto e um nível conhecido na superfície de um planeta ou outro corpo celeste.
Gênero de OURIÇOS-DO-MAR (família Toxopneustidae) que possuem placa ambulacrária trigeminada.
Massa de material sólido fragmentado, orgânico ou inorgânico, ou o próprio fragmento sólido, que vem do desgaste das rochas, sendo transportado, suspenso ou aprisionado pelo ar, água ou gelo. Refere-se também a uma massa acumulada por qualquer outro agente natural e que se deposita em camadas na superfície terrestre, como areia, pedregulhos, lodo, lama, terra ou argila.
Filo de invertebrados radialmente simétricos que se caracterizam por possuírem células urticantes denominadas nematócitos, cujos membros possuem VENENOS DE CNIDÁRIOS. As classes são: ANTHOZOA, CUBOZOA, HYDROZOA e SCYPHOZOA .
Ciência que estuda os mares e oceanos, seus elementos (águas, fundos, organismos vivos) e a dinâmica do sistema. Seu auge tem se mantido desde o século XIX até hoje. Existem duas motivações principais do estudo: a ecológica, ou protecionista, e a exploração dos recursos marinhos, com amplo predomínio da segunda. O principal organismo internacional é a Comissão Oceanográfica Intergovernamental pertencente a UNESCO. (Tradução livre do original: Material IV - Glosario de Protección Civil, OPS, 1992).
Estudo da origem, estrutura, desenvolvimento, crescimento, função, genética e reprodução de organismos que habitam os OCEANOS E MARES.
Entidade que se desenvolve de um ovo fertilizado (ZIGOTO) em espécies animais diferentes de MAMÍFEROS. Para galinhas, usa-se o termo EMBRIÃO DE GALINHA.
Fusão de um espermatozoide (ESPERMATOZOIDES) com um ÓVULO, resultando na formação de um ZIGOTO.
Equinodermos que possuem corpo geralmente com cinco braços radialmente dispostos que coalescem no centro.
1) Sistema funcional que inclui os organismos de uma comunidade natural junto a seu ambiente. (MeSH/NLM)(Tradução livre do original: McGraw Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 4th ed) 2)Sistema aberto integrado pelos organismos vivos (inclusive o homem) e os elementos não vivos de um setor ambiental definido no tempo e no espaço, cujas propriedades globais de funcionamento e autorregulação derivam da interação entre seus componentes, tanto pertencentes aos sistemas naturais como aqueles modificados ou organizados pelo próprio homem. 3) Complexo constituído pelo biótopo e pela biocenose (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992)
Lugares para cultivo e colheita de peixe, particularmente em águas marítimas.
Fluxo de água nos corpos hídricos ambientais, como rios, oceanos, fontes, aquários, etc. O termo inclui correntes, marés e ondas.
Constituintes da subunidade 30S dos ribossomos procarióticos contendo 1600 nucleotídeos e 21 proteínas. O RNAr 16S encontra-se envolvido no início da síntese polipeptídica.
Cultivo dos recursos naturais da fauna aquática.
O continente situado ao redor do Polo Sul e das águas meridionais dos Oceanos Atlântico, Pacífico e Índico. Inclui as Dependências das Ilhas Falkands.
Região que abrange o Oceano Ártico, as terras nele e adjacentes a ele. Inclui a Ponta Barrow (no Alasca), a maioria do Distrito de Franklin no Canadá, dois terços da Groenlândia, o arquipélago de Esvalbarda, o arquipélago de Franz Josef Land, a Lapônia, o arquipélago de Novaya Zemlya e a Sibéria Setentrional. (Tradução livre do original: Webster's New Geographical Dictionary, 1988, p66)
Subordem de CARNÍVOROS aquáticos composta por MORSAS; OTÁRIAS; LEÕES MARINHOS; e FOCAS VERDADEIRAS. Apresentam um corpo fusiforme com cauda curta e são encontradas em todas as costas marinhas. Os filhotes nascem em terra.
Organismos que vivem na água.
Gênero de OURIÇOS - DO - MAR (família Echinidae) encontrados principalmente nas costas ocidentais da Irlanda.
Gênero de grandes PEPINOS - DO - MAR (família Holothuriidae) que possuem parede corpórea espessa, recoberta por verrugas e ossículos microscópicos.
Grupo de vertebrados aquáticos de sangue frio que possuem brânquias, nadadeiras, endoesqueleto ósseo ou cartilaginoso e corpos alongados cobertos com escamas.
Sequências de DNA que codificam o RNA RIBOSSÔMICO e os segmentos de DNA separando os genes individuais do RNA ribossômico, citados como DNA ESPAÇADOR RIBOSSÔMICO.
Prática da medicina voltada para as doenças que afetam a saúde dos indivíduos ligados ao ambiente marinho.
Classe (filo CNIDARIA)composta principalmente por corais e anêmonas. Todos os membros são pólipos, o estágio de medusa é completamente ausente.
Éteres ligados a uma estrutura de anel benzênico.
Comunidade de PLANTAS e ANIMAIS aquáticos muito pequenos e BACTÉRIAS fotossintetizantes que são flutuantes ou suspendidas na água, com pequeno ou nenhum poder de locomoção. São divididos em FITOPLÂNCTON e ZÔOPLANCTON.
Gênero de PEPINOS-DO-MAR (família Stichopodidae), grandes, epibentônicos, cultivados comercialmente no sudeste da Ásia para alimentação.
Doenças dos peixes de aquário, marinhos ou de água fresca. Este termo inclui doenças de ambos os peixes, teleostes (peixes verdadeiros) e elasmobranches (tubarões, raias e skates).
Processo de vários estágios que inclui clonagem, mapeamento físico, subclonagem, determinação da SEQUÊNCIA DE DNA e análise de informação.
Parte posterior (filiforme) do espermatozoide (ESPERMATOZOIDES), responsável por sua motilidade.
Gênero de OURIÇOS-DO-MAR (família Strongylocentrotidae) que possuem mais de três pares de poros por placa ambulacrária. A espécie STRONGYLOCENTROTUS PURPURATUS é comumente utilizada em pesquisa.
Infestações por PARASITOS que vivem na superfície (ou dentro) da EPIDERME de seu hospedeiro. A maioria dos ectoparasitas são ARTRÓPODES.
Ordem de peixe mais diversificada e a maior ordem de vertebrados. Composta por vários peixes normalmente conhecidos como pargos, roncadores, Peixes-Lua, dourado do mar, mackerels, TUNA, etc.
Enriquecimento de um ECOSSISTEMA aquático ou terrestre pela adição de nutrientes, especialmente nitrogênio e fósforo, que resulta em um crescimento excessivo de plantas, ALGAS ou outros produtores primários. Pode ser um processo natural ou o resultado da atividade humana, tal como resíduos de agricultura ou poluição pelo escoamento de esgoto. Em ecossistemas aquáticos, um aumento na população de algas é denominado de floração de algas.
Grau de conteúdo salino, que é basicamente a CONCENTRAÇÃO OSMOLAR de CLORETO DE SÓDIO mais quaisquer outros SAIS presentes. É um fator ecológico de considerável importância, que influencia os tipos de organismos que vivem em um MEIO AMBIENTE.
Restrição de um comportamento característico, estrutura anatômica ou sistema físico, como resposta imunológica, resposta metabólica ou gene ou variante gênico dos membros de uma espécie. Refere-se às propriedades que diferenciam uma espécie de outra, mas também se usa para níveis filogenéticos superiores ou inferiores ao nível de espécie.
Ciência que estuda a terra e sua vida, especialmente a descrição da terra, mar e ar e a distribuição da vida vegetal e animal, incluindo a humanidade e suas indústrias referentes às relações mútuas destes elementos. (Tradução livre do original: Webster, 3d ed)
Família de cobras extremamente venenosas, compreendendo a coral, najas, mambas, kraits e serpentes marinhas. São amplamente distribuídos, sendo encontrados no sul dos Estados Unidos, América do Sul, África, sul da Ásia, Austrália e ilhas do Pacífico. Os elapídeos incluem três subfamílias: Elapinae, Hydrophiinae e Lauticaudinae. Como os viperídeos, possuem ferrões venenosos na parte frontal da mandíbula superior. As mambas da África são as mais perigosas de todas as cobras por seu tamanho, velocidade e veneno altamente tóxico.
Células germinativas masculinas maduras que se originam das ESPERMÁTIDES. À medida que as espermátides se deslocam em direção à luz dos TÚBULOS SEMINÍFEROS, elas sofrem profundas mudanças estruturais, com perda do citoplasma, condensação da CROMATINA na CABEÇA DO ESPERMATOZOIDE e formação tanto do capuz do ACROSSOMO, como da PEÇA INTERMEDIÁRIA DO ESPERMATOZOIDE e da CAUDA DO ESPERMATOZOIDE (que permite a mobilidade).
Movimentos periódicos de animais em resposta as mudanças sazonais ou instintos reprodutivos. As alterações hormonais são os principais motivos desencadeadores, pelo menos em alguns animais. A maioria das migrações é realizada por mudanças climáticas, alimentação ou procriação.
Refere-se às condições criadas para que mergulhadores e homens-rãs possam trabalhar em ambiente subaquático e as consequências delas (as condições) sobre a saúde do ser humano.
Classe (do filo MOLLUSCOS) composta por mexilhões, moluscos bivalves, OSTRAS, berbigão e vieiras. Caracterizados por uma concha articulada (com simetria bilateral) e um pé muscular (usado para escavação e ancoragem).
Família Phocidae (subordem PINNIPEDIA, ordem CARNÍVORA) abrande as focas verdadeiras que perderam a orelha externa e são incapazes de usar suas nadadeiras posteriores para andar. Incluem mais de 18 espécies, entre elas, a foca-da Groelândia, provavelmente a espécie mais conhecida mundialmente.
Gênero de OURIÇOS - DO - MAR (família Strongylocentrotidae) com disco apical hemicíclico e espinhos curtos.
Presença de bactérias, vírus e fungos na água. A expressão não se restringe [apenas] aos organismos patogênicos.
Genes encontrados tanto nos procariotos como nos eucariotos, que são transcritos para produzir o RNA que é incorporado nos RIBOSSOMOS. Os genes dos RNAr procarióticos geralmente são encontrados em óperon dispersados no GENOMA, enquanto os genes dos RNAr eucarióticos são unidades transcritivas multicistrônicas agrupadas.
A variedade de todos os órgãos vivos autóctones e suas diversas formas e inter-relações. (MeSH, 2010) Conteúdo vivo da Terra em seu conjunto, tudo quanto vive nos oceanos, nas montanhas e nos bosques. Encontramo-la em todos os níveis, desde a molécula de DNA até os ecossistemas e a biosfera. Todos os sistemas e entidades biológicas estão interconectadas e são interdependentes. A importância da biodiversidade fundamenta-se no fato de nos facilitar serviços essenciais: protege e mantém os solos, regula o clima e torna possível a biossíntese, proporcionando-nos assim o oxigênio que respiramos e a matéria básica para nossos alimentos, vestuário, medicamentos e habitações. (Tradução livre do original: Material IV - Glosario de Protección Civil, OPS, 1992)
Classe do filo MOLUSCOS composta por CARAMUJOS e lesmas. O primeiro possui conchas externas em forma de hélice e o segundo geralmente é desprovido de conchas.
Quantidades relativas de PURINAS e PIRIMIDINAS em um ácido nucleico.
Gênero de plantas (família ELAEAGNACEAE) composto por ácidos linolêico (18:2n-6) e alfa-linolênico (18:3n-3) formando cerca de 70 por cento dos ácidos graxos das sementes. Isto não está relacionado com o 'óleo do espinheiro-cerval-marítimo'. Este gênero não pertence à família do espinheiro (RHAMNACEAE).
Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.
Organismos minusculos que flutuam livremente e são fotossintetizantes. O termo não é taxonômico, referindo-se mais ao estilo de vida (utilização da energia e motilidade) do que ao tipo específico de organismo. Muitos (não todos) são algas unicelulares. Grupos importantes incluem DIATOMÁCEAS, DINOFLAGELADOS, CIANOBACTÉRIAS, CLORÓFITAS, HAPTÓFITOS, CRIPTOMONADES e silicoflagelados.
Infecções ou infestações por organismos parasitas. As infestações podem ser experimentais ou veterinárias.
Grupo de proteobactérias que compreende bactérias Gram-negativas fermentadoras e facultativamente anaeróbias.
Ácido desoxirribonucléico que forma o material genético de bactérias.
Substâncias tóxicas ou venenosas elaboradas pela flora ou fauna marinhas, compreendendo venenos ou toxinas específicos e caracterizados, para as quais não há mais título específico (como as de PEIXES venenosos).
Propriedade de objetos que determina a direção do fluxo de calor quando eles são posicionados em contato térmico direto. A temperatura é a energia dos movimentos microscópicos (translacionais e de vibração) das partículas dos átomos.
Largas embarcações impulsionadas por energia ou velas usadas para transporte em rios, mares, oceanos ou outras águas navegáveis. Barcos são embarcações menores impulsionadas por remos, pás, velas ou energia; eles podem ou não ter um convés.
Ordem de CRUSTÁCEOS (uma das maiores) predominantemente marinhos (mais de 10.000 espécies). Assim como nos AMPHIPODA (a outra grande ordem na superordem Peracarida), seus membros parecem camarões, apresentam olhos compostos sésseis e não têm carapaça. Porém, diferentemente dos Amphipoda, possuem pleiópodes abdominais (modificadas como brânquias) e corpo achatado dorsoventralmente.
Substâncias que são tóxicas para o trato intestinal, causando vômitos, diarreia, etc. As enterotoxinas mais comuns são produzidas por bactérias.
Qualquer processo ou inter-relação de fenômenos que provocam mudanças em uma população.
Órgãos respiratórios aos pares de peixes e alguns anfíbios, análogos aos pulmões. São abundantemente supridos de vasos sanguíneos pelo qual o oxigénio e dióxido de carbono são trocados diretamente com o ambiente.
Estágio de desenvolvimento em que os seres apresentam forma semelhante a uma minhoca (wormlike) ou a uma lagarta (grublike), após o de ovo no ciclo de vida de insetos, vermes (worms), e outros animais que sofrem metamorfose.
Minusculos organismos livre-flutuantes que vivem em praticamente todas as águas naturais.
Estações do ano: Divisões do ano de acordo com algum fenômeno regularmente recorrente, geralmente astronômico ou climático. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed) Variações sazonais: Diferenças sazonais na ocorrência de eventos vitais.
EUCARIOTOS flagelados, encontrados principalmente nos oceanos. São caracterizados pela presença de flagelos transversais e longitudinais que impelem os organismos por movimentos de rotação na água. Os dinoflagelados foram outrora membros da classe Phytomastigophorea, sob o antigo paradigma dos cinco reinos.
1) Qualquer alteração significativa nas medidas do clima (tais como temperatura, precipitação ou ventos) que dura por um período extenso (décadas ou mais). Pode resultar de fatores naturais como mudanças na intensidade do sol, processos naturais dentro do sistema de climas terrestres como mudanças na circulação oceânica, ou de atividades humanas (MeSH). 2) Mudança observada no clima, em uma escala global, regional ou sub-regional, causado por processos naturais e/ou atividade humana. (Material II - IDNDR, 1992)
Manifestações a longo prazo do TEMPO (METEOROLOGIA). (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)
Sequência de transferências de matéria e energia de um organismo para outro em forma de ALIMENTO. As cadeias alimentares se entrelaçam localmente em uma rede alimentar, pois a maioria dos organismos consome mais de um tipo de animal ou vegetal. As PLANTAS [que convertem ENERGIA SOLAR em alimento através da FOTOSSÍNTESE] são as fontes primárias de alimento. Em uma cadeia de predadores, um animal herbívoro é devorado por um animal maior. Em uma cadeia de parasitas, o menor organismo consome parte de grandes hospedeiros e podem eles mesmos serem parasitados por organismos ainda menores. Em uma cadeia saprofitica, os micro-organismos vivem da matéria orgânica de um organismo morto.
Estágio do desenvolvimento que segue a BLÁSTULA ou BLASTOCISTO. Caracteriza-se por movimentos celulares morfogenéticos, incluindo a invaginação, ingresso e involução. A gastrulação começa com a formação da LINHA PRIMITIVA, e termina com a formação de três CAMADAS GERMINATIVAS, o plano corporal do organismo maduro.
Subfilo de cordados intermediários entre os invertebrados e os verdadeiros vertebrados. Inclui as Ascídias.
Gênero de ESTRELA-DO-MAR (família Asteriidae). A espécie Asterias rubens é a mais vulgar na região do nordeste do Atlântico.
Nome vulgar do filo de ESTRAMENÓPILAS unicelulares microscópicas. A maioria é aquática, sendo encontrada em água doce, salobra e salgada. As diatomáceas são notáveis pela simetria e forma de suas paredes celulares silicosas. Equivalem a 40 por cento do FITOPLÂNCTON, mas nem todas as diatomáceas são planctônicas.
Família de bactérias da ordem Sphingobacteriales, classe Sphingobacteria. São bacilos Gram-negativos, a maioria saprófita em habitats terrestres e aquáticos.
Proteção, preservação, restauração e uso racional de todos os recursos ambientais.
Gênero de ESTRELA-DO-MAR (família Asteriidae) que carregam externamente embriões em desenvolvimento (EMBRIÃO DE NÃO MAMÍFEROS) entre os espinhos sob a superfície oral.
Animais que não possuem coluna vertebral.
Vértices marinhos compostos de CORAIS vivos, esqueletos de corais, algas calcáreas e outros organismos, misturados com minerais e matéria orgânica. São encontrados mais comumente em águas tropicais e sustentam outros tipos de vida animal e vegetal. (MeSH/NLM) Recife: Estrutura rochosa, frequentemente coralina, que emerge da superfície do mar ou que se encontra a muito pouca profundidade e que pode representar um perigo para a navegação (Material IV - Glossário de Proteção Civil, OPAS, 1992).
Espécie de peixe (família GADIDAE)bacalhau conhecida como bacalhau do Atlântico. É um dos mais importantes PEIXES que se comercializa.
Ex-reino, localizado na Península da Coreia, entre o Mar do Japão e o Mar Amarelo, na costa leste da Ásia. Em 1948, a monarquia caiu e foram formados dois países independentes separados pelo paralelo 38.
A mais externa das três camadas germinativas de um embrião.
Nome vulgar da ordem Pleuronectiformes. Grupo peculiar pela assimetria adquirida durante o desenvolvimento (p.ex., um olho migra, ficando adjacente ao outro; nadam do lado em que não há olhos). O LINGUADO, solha, turbot e várias outras espécies fazem parte desta ordem.
Sintomas múltiplos associados com concentração reduzida de oxigênio em grande ALTITUDE.
Classe do filo PROTEOBACTÉRIAS que apresentam dois fenótipos principais: bactérias não sulfúricas púrpura e bactérias aeróbicas com bacterioclorofila.
Única família de pinguins (ordem Sphenisciforme, com 6 gêneros e 17 espécies). São aves aquáticas não voadoras do hemisfério Sul, altamente adaptadas para a vida marinha.
Água contendo quantidades insignificantes de sais, como as águas dos RIOS e LAGOS.
Adaptação a um novo ambiente ou a uma transformação [ocorrida] na velha.
Ácidos monobásicos orgânicos derivados de hidrocarbonetos pela oxidação equivalente de um grupo metil em um álcool, aldeído e, então, ácido. Ácidos graxos são saturados e não saturados (ÁCIDOS GRAXOS NÃO SATURADOS).
Ordem de CRUSTÁCEOS pelágicos. Muitos consomem ZOOPLÂNCTON e poucos são predadores. Muitas espécies antárticas, como a Euphuasia superba, constituem o principal alimento de outros animais.
Família de mamíferos Phocoenidae composta por quatro gêneros encontrados no norte do Oceano Pacífico, dos lados do norte do Oceano Atlântico e em outros mares. As toninhas diferem dos GOLFINHOS, pois apresentam focinho achatado e corpo robusto, enquanto que, os golfinhos têm focinho pontudo, corpo delgado e alinhado. Geralmente, viajam em pequenos grupos. (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, pp1003-4)
ÓVULO fecundado, resultante da fusão entre um gameta feminino e um masculino.
Grande subfilo de ARTRÓPODES (mais de 42.000 espécies) geralmente marinhos, sendo alguns muito conhecidos, como lagostas (NEPHROPIDAE), caranguejos (BRAQUIÚROS), camarões (PENAEIDAE) e cracas (THORACICA).
Porções de terra completamente rodeadas por água.
Qualquer [um] dos processos pelo qual os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influem sobre o controle diferencial da ação gênica durante as fases de desenvolvimento de um organismo.
Hidrocarbonetos líquidos e complexos, de ocorrência natural, que após destilação permitem obter combustíveis, compostos petroquímicos e lubrificantes.
Processo de alterações acumuladas ao longo de gerações sucessivas através das quais os organismos adquirem características morfológicas e fisiológicas distintas.
Família da ordem Rhodobacterales, classe ALPHAPROTEOBACTERIA.
Filo de esponjas (multicelulares) sésseis que alimentam-se de suspensões e utilizam células com flagelos (coanócitos) para a circulação da água. A maioria é hermafrodita. Provavelmente existiu um ramo na escala evolutiva que não originou nenhum grupo de animal. As esponjas são animais marinhos (cerca de 150 espécies de água doce) e fonte de ALCALOIDES, ESTERÓIS e outras moléculas complexas úteis na medicina e pesquisa biológica.
Processos interativos entre o oócito (ÓVULO) e o esperma (ESPERMATOZOIDE), incluindo a adesão espermática, REAÇÃO ACROSSÔMICA, a penetração do espermatozoide na ZONA PELÚCIDA e eventos que levam à FERTILIZAÇÃO.
Compostos químicos que poluem a água dos rios, córregos, lagos, mar, reservatórios ou outros corpos aquáticos.
Atividade em que o corpo é propelido através da água por movimentos específicos dos braços e/ou das pernas. A natação como propulsão através da água, pelo movimento dos membros, cauda ou barbatanas de animais é frequentemente estudada como uma forma de ESFORÇO FÍSICO ou de resistência.
Sal de cálcio do ácido carbônico (CaCO3). Existe na natureza na forma de cristal ou pó inodoro e insípido. É utilizado terapeuticamente como um tampão fosfato em tratamentos de hemodiálise e como suplemento de cálcio.
Filo do reino Metazoa. Moluscos possuem corpos moles, não segmentados com cabeça anterior, massa visceral dorsal e pé ventral. A maioria é revestida por concha protetora calcárea. Composto por classes GASTROPODA, BIVALVIA, CEPHALOPODA, Aplacophora, Scaphopoda, Polyplacophora e Monoplacophora.
Sal de sódio ubíquo que é comumente usado para temperar comida.
Nome vulgar de peixes (única família, Petromyzontidae; ordem Petromyzontiformes) semelhantes a enguias. Não possuem mandíbula, mas têm uma boca sugadora com dentes córneos.
Matéria inanimada da Terra, as estruturas e propriedades desta matéria e os processos que a afetam.
Formas grandes e robustas de algas pardas (PHAEOPHYCEAE). Componente principal das zonas intermaré inferior e sublitoral nas costas rochosas das águas temperadas e polares. Frequentemente se ve a denominação Kelp, um tipo de ALGA MARINHA, para espécies dos gêneros LAMINARIA ou MACROCYSTIS, mas o termo pode também ser usado para espécies em FUCUS ou Nereocystis.
Diferenças genotípicas observadas entre indivíduos em uma população.
Ordem de peixe que incluem as famílias Gadidae (bacalhau), Macrouridae (granadeiros) e merluzas. A grande família Gadidae inclui bacalhau, haddock, pescadinhas e pollock.
Proteínas encontradas em ovos de qualquer espécie.
Grau de similaridade entre sequências de aminoácidos. Esta informação é útil para analisar a relação genética de proteínas e espécies.
Um dos três domínios da vida (os outros são BACTÉRIAS e ARCHAEA), também chamado de Eukarya. Constituem os organismos cujas células são envolvidas por membranas e possuem um núcleo. Compreendem quase todos os organismos pluricelulares e muitos dos unicelulares, e são tradicionalmente divididos em grupos (algumas vezes chamados reinos) que incluem ANIMAIS, PLANTAS, FUNGOS, várias algas e outros ‘taxa’ que foram previamente parte do antigo reino Protista.
Um dos três domínios da vida, também denominado Eubacterias (os outros são Eukarya e ARCHAEA). São micro-organismos procarióticos, unicelulares, com parede celular geralmente rígida. Multiplicam-se por divisão celular e apresentam três formas principais: redonda (cocos), bastonete (bacilos) e espiral (espiroquetas). Podem ser classificadas pela resposta ao OXIGÊNIO (aeróbicas, anaeróbicas, ou anaeróbicas facultativas), pelo modo de obter energia: quimiotróficas (via reação química) ou PROCESSOS FOTOTRÓFICOS (via reação com luz), quimiotróficas, pela fonte de energia química. As quimiolitotróficas (a partir de compostos inorgânicos) ou CRESCIMENTO QUIMIOAUTOTRÓFICO (a partir de compostos orgânicos), e pela fonte de CARBONO, NITROGÊNIO, etc. PROCESSOS HETEROTRÓFICOS (a partir de fontes orgânicas) e PROCESSOS AUTOTRÓFICOS (a partir de DIÓXIDO DE CARBONO). Podem também ser classificadas por serem coradas ou não (com base na estrutura da PAREDE CELULAR) pelo CRISTAL VIOLETA: Gram-positivas ou Gram-negativas.
Procedimentos para identificação de tipos e variedades de bactérias. Os sistemas de tipagem mais frequentemente empregados são TIPAGEM DE BACTERIÓFAGO e SOROTIPAGEM bem como tipagem de bacteriocinas e biotipagem.
Elementos e condições externos que envolvem, influenciam e afetam a vida e o desenvolvimento de um organismo ou população.
Combinação de dois ou mais aminoácidos ou sequências de bases de um organismo ou organismos de tal forma a alinhar áreas das sequências de distribuição das propriedades comuns. O grau de correlação ou homologia entre as sequências é previsto computacionalmente ou estatisticamente, baseado nos pesos determinados dos elementos alinhados entre as sequências. Isto pode servir como um indicador potencial de correlação genética entre os organismos.
Padrão instintivo de comportamento em que o alimento é obtido pelo abatimento e consumo de outras espécies.
Embrião inicial de não mamíferos, após o estágio de MÓRULA. A blástula se assemelha a uma bola vazia com uma camada de células envolvendo uma cavidade preenchida por líquido (blastocele). A camada de células é chamada BLASTODERMA.
Espécie de SALMON, comercialmente importante, (família SALMONIDAE, ordem Salmoniformes) que ocorre no Atlântico norte.
Peixes dos gêneros ONCORHYNCHUS e Salmo na família SALMONIDAE. São peixes selvagens anádromos que frequentam as águas costais do norte Atlântico e Pacífico. São conhecidos, por serem selvagens, como peixes de pesca esportiva e pela qualidade de sua carne, como alimento.
Massa total de todos os organismos de determinado tipo e/ou de uma área específica. Inclui o rendimento de massa vegetativa produzida em uma colheita específica.
Família de PROTEOBACTÉRIAS Gram-negativas, marinhas, que inclui os gêneros ALTEROMONAS, Colwellia, Idiomarina, MARINOBACTER, MORITELLA, PSEUDOALTEROMONAS e SHEWANELLA.
Substância eosinófila, clara, homogênea e desestruturada que ocorre na degeneração patológica dos tecidos.
Campo de estudo que lida com os princípios e processos que controlam as distribuições geográficas de linhagens genealógicas, especialmente aquelas dentro e entre espécies intimamente relacionadas. (Tradução livre do original: Avise, J.C., Phylogeography: The History and Formation of Species. Harvard University Press, 2000)
Classe de protozoários ciliados. Suas características incluem a presença de aparato oral bem desenvolvido e cílios orais claramente distintos dos cílios somáticos.
Inserção de moléculas de DNA recombinante de origem procariótica e/ou eucariótica em um veículo replicante, tal como um plasmídeo ou vírus vetores, e a introdução das moléculas híbridas resultantes em células receptoras, sem alterar a viabilidade dessas células.
Ácido ribonucleico das bactérias, que tem papéis regulatórios e catalíticos, tanto quanto envolvimento na síntese proteica.
Gênero de BACTÉRIAS GRAM-NEGATIVAS AERÓBICAS de origem marinha. Muitas espécies foram formalmente classificadas como ALTEROMONAS.
Substância sólida formada pelo CONGELAMENTO da água.
Terapia pelo uso de vários banhos quentes ou mornos em águas minerais naturais, balneários ou curas. Abrange não só banhos, mas também a ingestão das águas, mas não inclui banhos em redemoinhos de água (HIDROTERAPIA).
Número de indivíduos por unidade de espaço.
Esporte envolvendo técnicas de escalada de montanha.
Processo de mudanças cumulativas em relação ao DNA, RNA e PROTEÍNAS, ao longo de sucessivas gerações.
Monitoração do nível de toxinas, poluentes químicos, contaminantes microbianos ou outras substâncias danosas no ambiente (solo, ar e água), no trabalho ou nos corpos das pessoas e animais presentes naquele ambiente.
Gênero de OURIÇOS-DO-MAR (família Arbaciidae) que possuem apenas um spheridium (corpo peduncular) por área ambulacrária (contém pés tubulares); a maioria dos ouriços-do-mar possue vários esferídios por área.
Efeitos adversos em corpos aquáticos (LAGOS, RIOS, mares, água subterrânea etc.) causados por POLUENTES QUÍMICOS DA ÁGUA.
Qualquer parte ou derivado de um helminto que induz uma reação imune. Os antígenos de helmintos mais frequentemente encontrados são os do schistosomos.
Padrões de atividade de instinto relacionados com uma área específica, p.ex., a capacidade de certos animais para retornar quando afastados de um determinado lugar, frequentemente de grandes distâncias, usando pistas de navegação como as usadas na migração (MIGRAÇÃO ANIMAL).
A intoxicação por toxinas estafilocócicas presentes em comida contaminada.
Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.
Gênero da família das FOCAS NÃO ESPIGADAS (Phocidae) e coletivamente os PINÍPEDES mais abundantes do Hemisfério Norte.
Aumento na temperatura da atmosfera próxima à superfície da Terra e na troposfera, o que pode contribuir para alterações nos padrões climáticos globais.
Contaminação de corpos d'água (como LAGOS, RIOS, OCEANOS E MARES e ÁGUAS SUBTERRÂNEAS).
Gênero de grandes PEPINOS-DO-MAR cujos pés têm a configuração radial primitiva em todas (5) as áreas ambulacrais.
Gênero da ordem Sirenia caracterizado por cauda chanfrada, presença de ossos nasais e longa cavidade nasal, e longos dentes colunares sem esmalte. Dugongues habitam as águas costeiras do Oceano Índico, Mar Vermelho e Arquipélago Malaio.
Classe de trematódeos parasitas compreendendo três subclasses, Monogenea, Aspidogastrea e Digenea. Os trematódeos dioicos (com sexos separados) são os únicos encontrados no homem. São endoparasitas e requerem dois hospedeiros para completar seu ciclo de vida.
Família de proteínas citoesqueléticas motoras com múltiplas subunidades que usam a energia da hidrólise do ATP para desempenhar uma variedade de funções celulares. As dineínas são divididas em duas classes principais com base em critérios estruturais e funcionais.
A mais interna das três camadas germinativas de um embrião.
Gênero de bactérias obrigatoriamente aeróbicas, marinhas, fototróficas e quimiorganotróficas (família RHODOBACTERACEAE).
Um dos três domínios de vida (os outros são BACTÉRIAS e EUCARIOTOS), anteriormente chamado Archaebacteria no táxon Bactéria, mas atualmente considerado separadamente e distinto. São caracterizados por: 1) presença de RNA de transferência e RNA ribossômicos característicos; 2) ausência de paredes celulares de peptidoglicanas; 3) presença de lipídeos com ligações éter, construídos de subunidades de cadeias ramificadas e 4) sua ocorrência em habitats pouco usuais. Enquanto as Archaea se parecem com as bactérias na organização genômica e morfológica, assemelham-se aos eucariontes em seu método de replicação genômica. O domínio contém ao menos quatro reinos: CRENARCHAEOTA, EURYARCHAEOTA, NANOARCHAEOTA e KORARCHAEOTA.
Respostas comportamentais ou sequenciais associadas ao ato de alimentar-se, maneira ou modos de se alimentar, padrões rítmicos da alimentação (intervalos de tempo - hora de comer, duração da alimentação).
Corante que é uma mistura de violetas rosanilinas com propriedades antibacterianas, antifúngicas e anti-helmínticas.
Classe de anelídeos marinhos incluindo os vermes de areia, tubários, "clamworms" e vermes de fogo. Também inclui o gênero Myxicola infundibulum.
Técnica amplamente usada que explora a capacidade de sequências complementares de DNAs ou RNAs de fita simples para parear entre si formando uma dupla hélice. A hibridização pode ocorrer entre duas sequências complementares de DNA, entre DNA de fita simples e um RNA complementar, ou entre duas sequências de RNA. A técnica é usada para detectar e isolar sequências específicas, medir homologia, ou definir outras características de uma ou ambas as cadeias. (Tradução livre do original: Kendrew, Encyclopedia of Molecular Biology, 1994, p503)
Movimentos característicos dos ESPERMATOZOIDES em uma amostra fresca. É medido pela porcentagem de espermatozoides que estão em movimento e a porcentagem de espermatozoides com movimento flagelar produtivo em progressão rápida, linear e para frente.
Grupo (ou filo) de EUCARIOTOS unicelulares (ou algas) que possuem CLOROPLASTOS e FLAGELOS.
Ordem de AVES (mais de 300 espécies, como os pássaros costeiros, gaivotas e andorinhas do mar) que habitam primariamente águas, praias e pântanos costeiros.
Colônia britânica a oeste do Oceano Atlântico do Norte, aproximadamente 640 milhas a leste e sudoeste de Cape Hatteras. Inclui um grupo de cerca de 300 ilhas das quais aproximadamente apenas 20 são habitadas. Também é chamada Ilhas Bermudas ou as Bermudas. Foi assim denominada em homenagem ao explorador Espanhol Juan Bermudez que visitou as ilhas em 1515. (Tradução livre do original: Webster's New Geographical Dictionary, 1988, p140 & Room, Brewer's Dictionary of Names, 1992, p61)