• tumorais
  • Na classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS)1 (Fig. 60.1), o diagnóstico das várias neoplasias linfoides depende não da localização anatômica das células tumorais, mas da célula de origem do tumor, avaliado por morfologia, imunofenótipo e achados genéticos. (medicinanet.com.br)
  • No linfoma de Hodgkin clássico, as células tumorais geralmente são positivas para CD30 (um marcador de células ativadas) e CD15 (um marcador de monócitos-macrófagos), mas são negativas para CD45 e antígenos celulares pan-B e pan-T. Em contraste, as células tumorais do subtipo de linfoma de Hodgkin nodular com predominância de linfócitos são negativas para CD30 e CD15, mas positivas para CD20, BCL6 e CD45. (medicinanet.com.br)
  • pode
  • Entretanto, hoje se considera que qualquer "linfoma" pode apresentar-se como ou desenvolver um quadro leucêmico, e qualquer "leucemia" pode ocasionalmente apresentar-se com uma lesão em massa. (medicinanet.com.br)
  • 2 Os familiares dos pacientes com história de linfoma de Hodgkin apresentam risco aumentado de desenvolverem a doença: este risco pode ser até 10 vezes maior em irmãos do mesmo sexo e até 100 vezes mais alto em gêmeos idênticos. (medicinanet.com.br)
  • 7,8 Além disso, o genoma do EBV pode ser detectado em células malignas de aproximadamente 50% dos pacientes com linfoma de Hodgkin. (medicinanet.com.br)
  • sido
  • Embora uma variedade de esquemas de classificação histológica tenha sido usada em casos de linfoma de Hodgkin no passado, a atual classificação da Organização Mundial de Saúde (OMS) define 2 tipos biologicamente distintos: linfoma clássico e linfoma nodular com predominância de linfócitos. (medicinanet.com.br)