• parto
  • Filó, como é chamada com carinho pelos pais de seus pequenos pacientes, explica que a prematuridade nem sempre pode ser evitada e, hoje, são três grupos de fatores que levam a antecipação do parto: doenças maternas, placentárias ou do próprio bebe. (vidaequilibrio.com.br)
  • A relação entre as doenças periodontais e as doenças sistêmicas é um fato comprovado, e pode desencadear, em mulheres grávidas, a incidência de partos prematuros, cujo nome obstétrico correto é parto pré-termo (PT). (wordpress.com)
  • Parece que a doença periodontal aumenta os níveis de fluidos biológicos que induzem ao parto, podendo levar a prematuridade. (wordpress.com)
  • Indicador de grande importância em saúde materno-infantil Reflete condições de assistência pré-natal e ao parto e condições biológicas da reprodução humana Presença de doenças provocadas ou agravadas pelo ciclo gravídico-puerperal. (slideplayer.com.br)
  • Inicialmente o tratamento da infecção puerperal era no intuito de ajudar a paciente a criar uma resistência geral para a doença, porém a evidência de que essa enfermidade pudesse ser transferida para as mulheres pelas mãos do obstetra era inconcebível, pois sua única função era a de auxiliá-las no momento do parto. (ebah.com.br)
  • MATERNA
  • No entanto, a despeito da relevância da carga viral, ela não é a única variável desta equação, devendo ser lembrado o uso de drogas ilícitas, parceria sexual múltipla com sexo desprotegido, desnutrição, tabagismo, doença materna avançada e falta de adesão ou de acesso aos anti-retrovirais. (scielo.br)
  • a maioria dos fetos com trissomia 21 vêm do grupo de mulheres abaixo dos 35 anos de idade Nas décadas de 70 e 80 o screening para trissomia 21 era basedo na idade materna e a amniocentese ou BVC eram oferecidos se a idade era igual ou superior a 35 anos. (scribd.com)
  • maior
  • Quando o bebê recebe alta está pesando, no mínimo, 1800g, e se não tiver de utilizar Home Care - continuação do tratamento em casa - os cuidados são os mesmos, porém, deve-se evitar visitas nos primeiros dois meses após a alta, pela baixa imunidade e maior susceptibilidade às doenças. (vidaequilibrio.com.br)