• cobre
  • O defeito no transporte intracelular do cobre acarreta diminuição na incorporação de cobre na ceruloplasmina. (wikipedia.org)
  • Acredita-se que a ausência de cobre ligado à ceruloplasmina deixe a molécula menos estável, sendo o motivo pelo qual o nível circulante desta glicoproteína nos pacientes com doença de Wilson está reduzido. (wikipedia.org)
  • Pacientes que fazem uso de fenitoína apresentam níveis plasmáticos de ceruloplasmina diminuídos, assim um aumento de cobre sérico livre é observado pela diminuição desta glicoproteína devido à sua função de se ligar ao cobre livre no sangue. (wikipedia.org)
  • O cobre é um elemento-traço essencial para a manutenção de vários processos biológicos, tais como metabolismo energético, homeostase de ferro e mecanismos de proteção antioxidante através da atividade da cobre-zinco superóxido dismutase (Cu-Zn SOD), da ceruloplasmina e da metalotioneína. (scielo.br)
  • Os indicadores bioquímicos (metalotioneína e Cu-Zn SOD eritrocitárias, ceruloplasmina e cobre plasmáticos) foram avaliados em 50 atletas, homens e adultos, utilizando metodologias já consolidadas. (scielo.br)
  • 0,001) demonstraram que a atividade da Cu-Zn SOD e a concentração de metalotioneína eritrocitárias são sensíveis a menor concentração, enquanto que a ceruloplasmina é sensível a elevadas concentrações plasmáticas de cobre, sugerindo que há um equilíbrio homeostático entre antioxidantes, cobre-dependentes, intra e extracelulares em atletas de elite. (scielo.br)
  • As metaloproteínas, ceruloplasmina plasmática, Cu-Zn SOD e metalotioneína eritrocitárias são metaloproteínas cobre-dependentes e mantêm a proteção antioxidante intra e extracelular, respectivamente (1,9-10) . (scielo.br)