Alguém sabe de alguém ou alguma instituição que pesquise sobre o uso da eletricidade no tratamento de doenças?


bioimpedancia é a mesma coisa que impédancia bioeletrica?


COMO EU POSSO SABER O QTO EU TENHO DE GORDURA E DE MASSA MUSCULAR NO MEU CORPO?


  • Eu acho mais interessante numa dieta e exercicios para mim é perder medida, independente do peso que a balança marca, e como eu posso saber que medidas eu posso ter no minimo?? O IMC EU SEI, MAS GOSTARIA DE SABER MEU INDICE DE GORDURA E QUANTOS CENTIMATRO NO MÁXIMO EU POSSO PERDER EM ALGUMAS PARTES DO CORPO
  • vc pode fazer a medição por adipometro ou por impedancia para saber seu bf (body fat), ou seja, seu percentual de gordura... nao existe medidas padroes para as partes do corpo....existe o peso saudavel ou o bf saudavel para sua idade... entrando numa academia...vc faz a sua avaliacao funcional...e vai saber todas essas informações...

quais são as causas os sintomas e o tratamento da pneumopatias?


  • por favor me ajudem eu pesquisei no google mas não achei..
  • o termo pneumopatia refere-se a patologias dos pulmoes, que podem ser diversas: enfisema, edema pulmonar, asma, bronquite, cancro, emtre outras. os sinais mais comuns que indicam a presença de pneumopatia são a falta de ar, sensação de falta de ar, cansaço fácil, dor ao respirar, respiração muito acelerada. Existem vários exames respiratórios (espirometria, pneumotacografia, pletismografia...) e radiológicos (radiografia do torax, TC do torax, ressonancia magnética do torax) que podem confirmar a presença de alguma doença pulmonar.

Estou preocupado com os resultados do meu exame de sangue. Meus Triglicerídeos estão no limite, muito altos?


  • COLESTEROL TOTAL Material: Soro Método: Enzimático/Automatizado Resultado: 184 mg/dL Valores de referência: 100 a 200 mg/dL COLESTEROL HDL Material: Soro Método: Homogêneo sem precipitação Resultado: 47 mg/dL Relação Colesterol total/HDL: 3,9 Valores de referência: Colesterol HDL - superior a 40 mg/dL Relação Colesterol total/HDL - até 5,0 COLESTEROL LDL Método: Equação de Friedewald Resultado: 107 mg/dL Desejável para minha idade: 100,0 a 129,0 mg/dL ======================================… TRIGLICERÍDIOS Material: Soro Método: Enzimático/ Automatizado Resultado: 150 mg/dL Valor de Referência: até 150 mg/dL ======================================… GLICOSE Material: Soro Método: Enzimático/ Automatizado Resultado: 100,9 mg/dL Valores de Referência: 65,0 a 115,0 mg/dL ======================================… HEMOGRAMA Material: Sangue total c/EDTA Método: Impedância e Microscopia Dados Obtidos da Automação Cell-Dyn 3200 Eritrócitos ............. 5,39 milhões/uL Hemoglobina....... 15,0 milhões g/dL Hematrócito........46,5 % VCM ...........86,3 fL HCM ........27,8 g/dL RDW..........13,1 % Leucócitos (global) .............8.150 /uL Neutrófilos .............52............4238 Promielócitos...........0.............… Mielócitos................0...........… Metamielócitos.........0..............… Bastonetes .................0.................0 Segmentados ...........52..........4238 Eosinófilos...............5...........… Basófilos...............1.............… Linfócitos........33...............269… Linfócitos Atípicos ............0..............0. Monócitos.........9..............734 Blastos...........0...............0 A contagem de Neutrófilos inclui Bastonados até 5% Forma hemática: Normal PLAQUETAS Material: Sangue total com EDTA Método: Impedância e Microscopia Resultado: 299.000 /uL Valor de Referência: 140.000 A 400.000 uL ======================================… SANGUE OCULTO - PESQUISA Material: Fezes Método: Benzidina Resultado: Negativa Valor de Referência: Negativa EXAME PATOLÓGICO DE FEZES Material: Fezes Método: Concentração por Centrifugação Amostra: Única Exame Microscópio: Negativo Valors de Referência: Negativo PESQUISA DE LEUCÓCITOS FECAIS Material: Fezes Método: Microscopia Resultado: Negativo CROPOCULTURA Material: Fezes Método: Cultura e Identificação Resultado|: Negativo para germes enteropatogênico ================================================================== Sou homem, tenho 30 anos Tenho 1,75m e peso 85,5 Kg Corro o risco de ter um infarto ou um AVC?
  • Amigo, todas as pessoas correm risco de ter um infarto ou AVC, mesmo com todas as dosagens normais. É claro que o risco é maior para aquelas que estejam com as dosagens aumentadas. Você ainda não está,mas realmente está no limite. É hora de rever sua alimentação e melhorar esse quadro. Boa sorte.

Tive uma TVP na perna esquerda e meu A. lúpico deu 1,57 na triagem e 1,3 no confirmatório,o q isso quer dizer?


  • Estou em tratamento com Marevan com 2 comprimidos ao dia e meu INR atual está em 2,06. A Cardiolipina IGG deu inferior a 5 (negativo) e o IGM deu 15,6 (fracamente positivo). Alinhado com o resultado do anticoagulante lúpico, vou ter q tomar o marevan até quando?
  • Na atualidade, o diagnóstico proposto de SAF inclui a dosagem laboratorial de anticardiolipina dos subtipos IgG e/ou IgM; anti-ß2-glicoproteína I IgG e/ou IgM e anticoagulante lúpico. O anticoagulante lúpico deve ser realizado segundo as normas da International Society for Thrombosis and Hemostasis. São testes funcionais e compreendem três etapas, sendo a primeira um teste de triagem utilizando-se pelo menos dois dos seguintes testes: TTPa, teste da víbora de Russel ou ainda o teste de coagulação de Caolim. Nessa etapa, utilizam-se testes dependentes de fosfolípides. O prolongamento desses testes indica a presença de um inibidor ou deficiência de fatores de coagulação; na etapa seguinte, mistura-se o plasma do paciente meio-a-meio com plasma de um indivíduo sadio. Na deficiência de fatores de coagulação haverá uma correção dos testes utilizados na triagem, pois o plasma de um indivíduo sadio contém os fatores necessários; entretanto, na presença de um inibidor, o teste permanece prolongado, e prossegue para a terceira etapa, que é a adição de um excesso de fosfolípides (plaquetas, por exemplo) que irá competir com os anticorpos antifosfolípides neutralizando a sua ação in vitro e corrigindo, portanto, o tempo de coagulação. O ensaio da anticardiolipina deve conter uma fonte de ß2-glicoproteína I, que poderá ser soro bovino adulto ou fetal, e utiliza-se a técnica padronizada de imunoensaio enzimático (ELISA). São colocados controles positivos internacionalmente utilizados para que esse teste tenha menor variabilidade e corresponda aos padrões internacionais (tabela 4). Os anticorpos anti-ß2-glicoproteína também são utilizados e detectados pela técnica de ELISA, e foram recentemente incluídos nos critérios de classificação. Obrigatoriamente, devem-se ter duas dosagens positivas do anticorpo, separadas pelo intervalo mínimo de 12 semanas para afastar a possibilidade de uma positividade transitória dos anticorpos antifosfolípides induzida por infecções ou drogas. A realização de técnicas complementares para se confirmar os eventos clínicos é obrigatória. Portanto, a confirmação da trombose venosa profunda mediante ultra-som Doppler, venografia, pletismografia ou fibrinogênio marcado é importante. Da mesma forma, a embolia pulmonar deve ser confirmada por cintilografia pulmonar de ventilação-perfusão, tomografia helicoidal ou arteriografia. Na histopatologia, a observação de trombos intravasculares, com nenhum ou discreto processo inflamatório da parede vascular, conclui o diagnóstico clínico da SAF. TRATAMENTO O primeiro estágio do tratamento da SAF é a realização de um diagnóstico acurado baseado principalmente nos critérios de classificação recentemente propostos. Por ter um diagnóstico diferencial amplo e por ter muitas características clínicas inespecíficas de doenças, o tratamento do episódio agudo de trombose não difere daquele estabelecido nos pacientes não portadores de SAF. Portanto, a infusão de heparina intravenosa 5.000UI, seguida da infusão intravenosa contínua de aproximadamente 1.000UI/hora ou a injeção subcutânea de 10.000 a 15.000 UI de 12/12 horas, deve ser realizada, com o controle do TTPa a cada 6 horas até se obter aumento do R desse tempo de coagulação entre 1,5 a 2 vezes. O uso de heparinas de baixo peso molecular também é uma opção terapêutica, com as vantagens de não necessitar de controle laboratorial e de necessitar apenas da aplicação subcutânea. Por outro lado, o custo individual desta heparina é maior. A dose de enoxaparina é de 1 mg/kg/dose aplicado subcutaneamente de 12/12 horas ou 1,5 mg/kg/dia em dose única. A dalteparina pode ser aplicada na dose de 100 UI/kg/dose também duas vezes ao dia, via subcutânea. Algumas situações especiais durante o uso de heparinas de baixo peso molecular requerem a monitorização laboratorial do fator anti-Xa. Dentre elas, destaca-se o excesso de peso, que alguns autores consideram ser acima de 90 kg e outros acima de 130 kg ou IMC > 32; prematuridade; gravidez; insuficiência renal com creatinina acima de 2,5 mg/dl ou o clearance de creatinina < 30 ml/min; e, de forma importante, naqueles indivíduos que apresentam hemorragia ou trombose na vigência de uma dose adequada corrigida pelo peso da heparina de baixo peso molecular. Após o episódio agudo, o tratamento a longo prazo com anticoagulante oral é a terapia de eleição. O uso de varfarina para manter o INR do tempo de protrombina entre 2 e 3 para os episódios de trombose venosa e entre 3 e 4, com algumas controvérsias, para os fenômenos arteriais, é a forma adequada e realizada nos grandes centros mundiais nos quais se estuda a SAF. Por sua vez, o estudo APASS, realizado com um grande número de pacientes, levantou o questionamento de que a anticoagulação oral com INR entre 2 e 3 não é superior à utilização de AAS nos casos de primeiro episódio de AVC isquêmico. A interação medicamentosa é extremamente importante naqueles pacientes que fazem uso de anticoagulação oral (tabela 6), bem c

O que significa essa alteração nos glóbulos brancos???!!!!!?


  • Tenho uma dor embaixo da costela esquerda, por conta de um hemograma que fiz, e por sentir essa dor, o médico pediu para que eu fizesse um ultrassom de abdomem total... O que pode ser isto? E o que vcs acham que é pela ateração do exame? LEUCOGRAMA (Serie Branca) (Resultado) (Valor referencia) Leucocitos : 15.1 mil/mm3 3.8 - 11.0 mil/mm3 Metamielocito : 0.00 % 0 - 1 % Bastonetes : 2.00 % 0 - 4 % Segmentados : 69.56 % 48 - 72 % Eosinofilos : 1.00 % 0 - 7 % Basofilos : 0.30 % 0 - 2 % Linfocitos : 20.00 % 20 - 40 % Monocitos : 7.14 % 2 - 10 % Plaquetas : 295 mil/mm3 150 - 450 mil/mm3 OBS: Exame automatizado, e quando necessario contagem diferencial manual. Met: Impedancia Eletrica / Laser / Espectrofotometria (Cell Dyn 3700
  • A alteração nos leucócitos é muito pequena para se avaliar só com esse exame. Aguarde o outro exame para o medico poder avaliar melhor.

O quê vocês acham da Medicina Ortomolecular? Alguém aqui conhece o sistema EIS?


  • Ouvi falar deste aparelho e gostaria de saber onde encontrar. Alguém aqui sabe me dizer?
  • Corrigir a bioquímica celular e colocar em ordem os mecanismos fisiológicos invisíveis do nosso corpo é o objetivo desta medicina que ainda não tem seu lugar reconhecido na academia e na estrutura "oficial" da medicina brasileira. A alimentação por si só, não é capaz de nutrir o ser humano com tudo aquilo de que ele necessita. Por outro lado, os solos estão cada vez mais pobres em nutrientes, respiramos muita poluição no dia a dia e mal nos damos conta de que respiramos, por falta de tempo, excesso de trabalho, correria, etc., passamos muito tempo fora de casa e nossa alimentação sempre deixa a desejar. A medicina ortomolecular visa corrigir as carências do nosso organismo através da reposição de vitaminas, minerais, enzimas, aminoácidos deficientes. Quando nossa química está correta, o equilíbrio global torna-se a única alternativa. Não é minha área de trabalho, mas tenho visto muitos casos de sucesso na clínica onde atendo (Clínica do Ser - Belo Horizonte / MG). Portanto, tenho motivos para ter uma opinião favorável a esta prática. O Sistema EIS ou Eletrosomatograma é um exame feito a partir de um aparelho que utiliza alta tecnologia a fim de checar a saúde entre as células (intersticial). É um exame funcional o que significa que é capaz de detectar alterações das funções do organismo muito antes destas alterações aparecerem no plasma (exame de sangue). O sistema EIS (Eletro Intersticial Scan) é um equipamento médico aprovado pela ANVISA (MS: 80318860002), de alta tecnologia, não invasivo, para observação clínica por ESG e auxiliar de terapêutica. O sistema EIS fornece relatórios com valores da bioquímica intersticial e uma avaliação de composição do corpo, incluindo massa magra, massa gorda e dados de hidratação, além de relatórios hormonais, eletrolíticos, neurotransmissores e análise de stress oxidativo. Auxilia a avaliação clínica com sugestões de exames complementares, dieta personalizada, micro e macro nutrição, vitaminas, fitoterapia, oligoelementos, homeopatia e acupuntura. O Sistema EIS representa um avanço na aplicação da impedância bioelétrica na clínica médica: Exame - EIS- Avaliação funcional do corpo humano; - Auxiliar de diagnóstico; - Monitoramento da eficácia e qualidade da terapêutica; - Não invasivo; - Sem efeitos colaterais; - Em apenas 3 minutos analisa o interstício, os neurotransmissores, os hormônios, ionograma do interesticial, o pH geral, o ângulo de fase e o nível de stress oxidativo; - Avalia a função de órgãos e sistemas, apresentando sugestão de macro e micro nutrição para equilibrar funcionalmente o organismo. Mãos e pés apóiam-se em placas de metal e também são ligados dois eletrodos na fronte o que permite o cruzamento de informações com respostas em vinte e dois pontos do corpo. O exame dura apenas três minutos. Os resultados permitem um direcionamento mais acertado para o tratamento. Espero ter ajudado.