Fazer uma pergunta:


MEU EXAME PAPANICOLAOU DEU UM MONTE DE COISA, QUERO INTERPRETAR, COMO EU FAÇO?


flora bacteriana de lactobacilos e cocos/ PADRAO CELULAR DO ESFREGAÇO:descamaçao dominante de celulas superficiais e intermediarias(predominio), dispostas agrupadas e dobradas, com alteraçoes celulares tais como: cariomegalia discreta hipercromasia e cromatina levemente irregular, de permeio a varios leucocitos, frequente histiocistos, varias hemacias e muco filamentoso abundante. Celulas endocervicais inflamadas. Celulas metaplasicas maduras e imaturas.
CONCLUSÃO;
Cito-Hormonal: avaliação hormonal prejudicada pela inflamação.
Cito-Oncotica: asc-us.
cervicite.
metaplasia escamosa imatura.
----------

Retorna ao médico que te solicitou o exame.....ele melhor que ninguém poderá esclarecer, senão, leva- o ao outro médico......  (+ info)

Qual a funçao dos cromossomos?


Um cromossomo (br.) ou cromossoma (pt.) é uma longa sequência de DNA, que contém vários genes, e outras sequências de nucleótidos (nucleotídeos) com funções específicas nas células dos seres vivos.

Nos cromossomas dos eucariontes, o DNA encontra-se numa forma semi-ordenada dentro do núcleo celular, agregado a proteínas estruturais, as histonas (Fig. 1), e toma a designação de cromatina. Os procariontes não possuem histonas nem núcleo. Na sua forma não-condensada, o DNA pode sofrer transcrição, regulação e replicação.

Durante a mitose (ver divisão celular), os cromossomos encontram-se condensados e têm o nome de cromossomos metafásicos e é a unica ocasião em que se podem observar com um microscópio óptico.

O primeiro investigador a observar cromossomas foi Karl Wilhelm von Nägeli em 1842 e o seu comportamento foi descrito em detalhe por Walther Flemming em 1882. Em 1910, Thomas Hunt Morgan provou que os cromossomas são os portadores dos genes.  (+ info)

na mulher, oque e considerado periodo fertil?


Fazendo trabalho ... =S
mim ajuda ai gente
----------

O período mais fértil, isto é, o período com maiores probabilidades de ocorrência de uma gravidez como resultado de uma relação sexual, ocorre durante os 5 dias que antecedem a ovulação até aos 1-2 dias que lhe sucedem. Num ciclo de 28 dias com uma fase luteínica de 14 dias, isto corresponde à segunda e ao início da terceira semana. Foram desenvolvidos vários métodos para ajudar a mulher a fazer uma estimativa dos dias relativamente férteis ou inférteis durante o ciclo, designados por monitorização da fertilidade.
Os métodos de monitorização que apenas têm como base os registos de duração dos ciclos designam-se por métodos rítmicos. Os métodos que requerem a observação de um ou mais dos três sinais básicos de fertilidade (temperatura corporal basal, muco do colo do útero e posição cervical) são conhecidos como métodos de avaliação de sintomas.Estão também disponíveis kits de testes de urina que detectam a afluência de HL que ocorre nas 24 a 36 horas antes da ovulação, conhecidos como kits de previsão de ovulação.
A fertilidade feminina é também influenciada pela idade. Uma vez que todos os óvulos de uma mulher se formam durante o feto, para serem fertilizados apenas décadas mais tarde, tem sido proposto que este longo período de tempo pode fazer com que a cromatina dos óvulos se vá tornando mais vulnerável a problemas decorrentes da divisão, quebras e mutações, em relação à cromatina do esperma, que é produzido de forma contínua durante a fase reprodutiva do homem.  (+ info)

o que significa discreta hipercromasia nuclear?


É uma alteração na coloração do nucleo das células que podem indicar alteração na carga de cromatina nuclear que indica um processo neoplásico.  (+ info)

o que é atipia celular e nuclear?


o que é Atipia Celular e Nuclear
----------

Atipia inflamatória das células ectocervicais: núcleos são de forma e tamanho uniformes, cromatina densa, exsudato linfocitário, diminuição da maturação celular e discreta hiperplasia das células basais.
Atipia de reparo: núcleos são de forma e tamanho uniformes, cromatina densa, diminuição da maturação celular e discreta hiperplasia das células basais.
Atipia ectocervical: discreta atrofia epitelial, diminuição da maturação nuclear, cromatina regularmente dispersa, contornos nucleares discretamente irregulares, paraqueratose e congestão da lâmina própria.
Atipia ectocervical: discreta atrofia epitelial, diminuição da maturação nuclear, cromatina regularmente dispersa, contornos nucleares discretamente irregulares, discreta exocitose, paraqueratose.
Atipia inflamatória: discreta atrofia do epitélio, diminuição da maturação nuclear, contornos nucleares discretamente irregulares, discreta exocitose, edema e congestão da lâmina própria.
Atipia inflamatória: discreta atrofia do epitélio, diminuição da maturação nuclear, cromatina regurlamente dispersa, contornos nucleares discretamente irregulares, discreta exocitose, edema e congestão da lâmina própria.
Atipia inflamatória da ectocérvice: discreta atrofia do epitélio, diminuição da maturação nuclear, cromatina regurlamente dispersa, contornos nucleares discretamente irregulares, intenso exsudato linfocitário, espongiose e congestão da lâmina própria.
Atipia inflamatória da ectocérvice: exsudato (polimorfonucleares, linfócitos), edema, atipia das células epiteliais e hiperplasia das células basais e parabasais. Marcação negativa para p16 (ver glossário).  (+ info)

Alguem esclarece esse meu exame?


fiz uma uma punção aspirativa por agulha fina em um nodulo na minha tireoide, resultado:

Microscopia: Os esfregaços citologicos mostram substancia de fundo sero-hematica com escasso coloide, notando-se de permeio agrupamentos em monocamada de celulas foliculares com nucleos redondos, exibindo cromatina bem distribuida e citoplasma escasso. Algumas celulas estao isoladas ou esboçam a formação de foliculos. Ademais, fragmentos de estroma conjuntivo e macrofagos com pigmento de hemossiderina no citoplasma.

Conclusao: quando citologico compativel com bocio nodular ( categoria II: benigno - Sistema Bethesda)

enfim, vi q e benigno...
fiz esse exame no dia 19/10/2011, nao estou verificando nenhum crecimento do nodulo, pois consigo sentir quando toco, e de uns tempos pra ca estou sentindo umas dores no nodulo e ainda nao levei esse exame pra nenhum medico, sou relaxado mesmo.

enfim, o que me dizem? tenho que me preocupar muito por conta da dor??
----------

Com certeza, esse nódulo é benigno mas se você não tratar pode mais tarde se tornar maligno. Essa dor pode ser até que esteja mudando de forma sem você perceber. Cinco meses e meio que você constatou isso e não levou no médico, por favor é tempo suficiente para tudo mudar inclusive o médico vai pedir para fazer os exames todos de novo para poder tratar, não pode se basear por aquele de 19/10/2011 pois sem tratamento pode ter ocorrido mudanças. Procure imediatamente o seu médico.  (+ info)

porque a cromatina é empacotada ?


Em biologia, chama-se cromatina ao complexo de DNA e proteínas (que juntas denomina-se cromossoma) que se encontra dentro do núcleo celular nas células eucarióticas. Os ácidos nucléicos encontram-se geralmente na forma de dupla-hélice. As principais proteínas da cromatina são as histonas. As histonas H2A, H2B, H3 e H4 unem-se, formando um octâmero denominado nucleossoma, enquanto que a histona H1 une os nucleossomas adjacentes, "empacotando-os", visto que a molecula de DNA "dá" uma volta e meia em torno do octomero de histonas é essencial existir a histona H1 para estabilizar este enrolamento.

Numa célula eucariótica, quase todo o DNA está compactado na cromatina. O DNA é "empacotado" na cromatina para diminuir o tamanho da molécula (de DNA), e para permitir maior controle por parte da célula de tais genes. Grande parte da cromatina é localizada na periferia do núcleo, possivelmente pelo fato de uma das principais proteínas associadas com a heterocromatina ligar-se a uma proteína da membrana nuclear interna.

Conhecem-se dois tipos de cromatina:

Eucromatina, que consiste em DNA ativo, ou seja, que pode-se expressar como proteínas e enzimas.
Heterocromatina, que consiste em DNA inativo e que parece ter funções estruturais durante o ciclo celular. Podem ainda distinguir-se dois tipos de heterocromatina:
Heterocromatina constitutiva, que nunca se expressa como proteínas e que se encontra localizada à volta do centrómero (contem geralmente sequências repetitivas); e
Heterocromatina facultativa, que, por vezes, é transcrita em outros tipos celulares, consequentemente a sua quantidade varia dependendo da atividade transcricional da célula.  (+ info)

o que são linfócitos atípicos?


Os linfócitos e os plasmócitos foram descritos, respectivamente, em 1774 e 1875. Não obstante terem sido os anticorpos descritos em 1890, por von Behring e Kitassato, foi só a partir de 1960, com a “Teoria da Expansão Clonal”, de McFarlane-Burnet, que as funções linfocitárias começaram a ser desvendadas.

Os linfócitos constituem um agrupamento heterogêneo de células cujas características morfológicas comuns o distingue dos outros leucócitos. Três grupos de células compartilham essa morfologia, as células derivadas do timo (T), as células derivadas do homólogo humano da bursa das aves (B) e as células natural killer (NK). Dentro destes subgrupos, os linfócitos podem ser subdivididos de acordo suas moléculas de superfície e função biológica, porém sempre conservando a morfologia, em: Linf B CD5 e B1, Linf T ab: CD8 e CD4 (Th1, Th2, T regulador); gd; CD45RoLo; NK e NK1.1.

Os linfócitos B se transformam em plasmócitos, células que atuam na defesa humoral do organismo através da produção dos anticorpos, sendo que uma pessoa pode sintetizar de 10 a 100 milhões de diferentes moléculas de imunoglobulinas, cada uma advinda de um diferente clone de linfócitos B, com sua especificidade distinta. A resultante eventual é depuração e degradação da substância estranha.

Os linfócitos T atuam na defesa celular do organismo, através da secreção de citoquinas, de outros produtos tóxicos ou da indução direta de morte celular programada. Existem 25 a 100 milhões de diferentes clones de linfócitos T num indivíduo, cada clone com seu diferente Receptor T, específico para um diferente antígeno. Este receptor reconhece pequenos fragmentos peptídicos do antígeno, os quais devem geralmente ser apresentados por uma célula apresentadora do antígeno. O sinal gerado pela ligação do Receptor da Célula T ao seu antígeno especÍfico é modificado pela simultânea ligação de outros co-receptores para moléculas acessórias. No caso da ligação específica do antígeno ao Receptor de Célula T, a resultante varia desde a ativação imune do linfócito com proliferação e secreção de citoquinas, para uma tolerância específica ou até morte celular programada (apoptose).

Enquanto os linfócitos B e T participam da resposta imune adaptativa, os linfócitos NK participam da resistência inata a patógenos intracelulares e células malignas. São capazes de responder rapidamente, embora não especificamente, tendo um efeito modulador na adaptação imunitária e na hematopoiese.

O linfócito atípico é um leucócito não maligno que pode ser encontrado no sangue periférico em resposta a alguns estímulos antigênicos. Nos locais de inflamação ele atua como os linfócitos normais, desempenhando um papel na resposta imune, tanto na primária quanto na auxiliar.

Ele apresenta variações nos detalhes morfológicos e nas características dos marcadores de superfície, mostrando constituir uma mistura heterogênea de tipos celulares.

Em algumas situações ele é facilmente identificado como sendo uma célula intermediária entre o linfócito e o plasmócito, oportunidade na qual pode ser denominado linfócito plasmocitóide ou plasmócito linfocitóide.

Em outras, a morfologia é variável caso a caso: o tamanho é aumentado, a forma pode mostrar periferia angulosa com aspecto recortado ou poliédrico, citoplasma abundante variando desde azul escuro até cinza pálido, com condensação da basofilia na periferia da célula e eventual microvacuolização; o núcleo de forma variada pode ter localização excêntrica, eventual imagem de nucléolo, lobulação, e cromatina fina e delicada. Estudos anteriores indicavam ser estas células tanto do tipo B quanto T. Os estudos mais recentes sugerem que estes linfócitos atípicos são linfócitos T ativados produzidos em resposta a linfócitos B infectados.

A histoquímica e a microscopia eletrônica são consistentes em demonstrar síntese de DNA nessas células.

Causas de linfócitos atípicos
Os detalhes característicos dos linfócitos atípicos são facilmente identificados ao microscópio pelo examinador experimentado, mas com a difusão do uso dos contadores eletrônicos automáticos estas células podem estar sendo sub-relatadas. Deve-se ressaltar contudo, que a presença e o número de linfócitos atípicos são informações úteis e em algumas situações vitais, pois podem orientar o diagnóstico para uma patologia particular, como é o caso da síndrome mononucleose-símile (mononucleose, citomegalovirose, HIV, herpes simples, rubéola, toxoplasmose, adenovirose e hepatite A e B).

bjossssssssssssssssss  (+ info)