• patologia
  • Avaliação imuno-histoquímica para vírus da Influenza Suína tipo A e Circovírus Suíno tipo 2 em lesões pulmonares de suínos no Setor de Patologia Veterinária da UFRGS. (ufrgs.br)
  • Estão abertas, entre 02 e 20 de setembro, as inscrições para o V Curso de Atualização em Imuno-histoquímica, patologia molecular e histopatologia no diagnóstico de doenças infecciosas e neoplasias associadas . (vet.br)
  • Com a coordenação de Rodrigo Caldas Menezes, Leonardo Pereira Quintella e Luiz Claudio Ferreira, o curso tem como objetivo promover a atualização de profissionais da área de saúde com conteúdos sobre técnicas de histopatologia, imuno-histoquímica e de patologia molecular voltadas para o diagnóstico histopatológico com ênfase em doenças infecciosas e neoplásicas associadas a agentes infecciosos em seres humanos e animais. (vet.br)
  • Outros atuam preferencialmente na sala de necrópsia, no estudo da história natural das doenças, outros ainda atuam preferencialmente em patologia cirúrgica diagnóstica e citopatologia, além de serem responsáveis pela análise e elaboração de laudos (pareceres anatomopatológicos) em exames utilizando-se a técnica de imuno-histoquímica. (wikipedia.org)
  • outras
  • A coloração de azul de toluidina e a imuno-histoquímica (triptase e CD117) são úteis para diferenciar os mastócitos de outras células com grânulos citoplasmáticos. (wikipedia.org)
  • Aplicada particularmente ao estudo do sistema nervoso central, a citoarquitetura é uma das maneiras de analisar o cérebro (como a imuno-histoquímica, entre outras) ao obter seções e colori-las com agentes químicos que revelam como os neurônios são "empilhados" em camadas. (wikipedia.org)
  • estudo
  • Esse aspecto histopatológico configura proliferação linfocitária, porém sem atipias nucleares, requerendo estudo imuno-histoquímico para diferenciação com os linfomas. (scielo.br)
  • exames
  • Duas das lesões foram biopsiadas para exames histopatológico e imuno-histoquímico. (scielo.br)
  • Foi submetida a duas biópsias, sendo que os exames histopatológicos revelaram epiderme de aspecto normal, denso infiltrado linfocitário permeando estruturas do tecido conjuntivo da derme, mas sem comprometimento dos anexos cutâneos, configurando proliferação linfocitária nodular ( Figura 2 ) e sugerindo diferenciação com as doenças linfoproliferativas, por meio da imuno-histoquímica. (scielo.br)