Loading...
  • enzima
  • Nosso trabalho teve como objetivo principal verificar se a medida da atividade da enzima catepsina B no soro apresenta propriedades diagnósticas fidedignas para a distinção de doenças inflamatórias decorrentes de patógenos das doenças inflamatórias de origem não patogênica e de indivíduos saudáveis. (unifesp.br)
  • Supõe-se ser este passo catalisado pela enzima Catepsina B. Ocorrendo o estímulo para a liberação da renina, os grânulos de estocagem migram em direção a membrana plasmática, onde são liberados por processo de exocitose. (wikipedia.org)
  • Nesse caso, a enzima responsável é a catepsina. (resumoescolar.com.br)
  • outras
  • Estas são ativas no meio ácido e rico em cisteína da organela, mas outras (catepsinas S, K e B) são ativas em pH neutro. (wikipedia.org)
  • A expressao das catepsinas S e H durante o crescimento do rim embrionario varia de acordo com a idade gestacional do orgao, de tal forma que se observa expressao mais evidente destas enzimas em idades mais tardias para a catepsina S e mais precoce para a catepsina H, dando espaco para atuacao de outras mol[eculas estimuladoras de crescimento nas idades em que eslas estao ausentes. (epm.br)
  • Esta inibição parece ser independente da actividade proteolítica da catepsina D, ou outras proteases, visto a formação de osteoclastos não sofrer inibição aquando exposição a concentrações capazes de inibir a actividade da catepsina D. Análise de sinalização celular parece indicar que fosforilação da ERK é inibida em células tratadas com pepstatina A, enquanto que a fosforilação de IkB e Akt não mostram sinais de alteração. (wikipedia.org)
  • atividade
  • Já o pro-peptídeo permite um enovelamento (folding) apropriado da catepsina nascente que inibe sua atividade proteolítica, mas preserva sua estrutura terciária sob condições de pH neutro. (wikipedia.org)
  • processo
  • O processo de direcionamento de pro-catepsinas para os endossomos/lisossomos se dá através da ligação daquelas com resíduos de manose-6-fosfato (M6PR) na subunidade trans-Golgi, os quais serão translocados para os endossomos maduros (late endosomes), onde o pH - já então ácido (~6) - dissociará as pro-catepsinas dos M6PR. (wikipedia.org)
  • Esses resultados mostram que a quantidade catepsina B no soro de indivíduos portadores de HCV apresenta correlação com o processo inflamatório decorrente da infecção viral. (unifesp.br)
  • Esses resultados mostram que a quantidade catepsina B no soro de indivíduos portadores de sepse apresenta forte correlação com o processo inflamatório decorrente da sepse. (unifesp.br)
  • As propriedades diagnósticas da catepsina B para detectar processo inflamatório decorrente da degeneração do disco intervertebral, também foram avaliadas por meio da análise da curva ROC. (unifesp.br)
  • Não obstante, estas estruturas contêm marcadores endocíticos e mesmo pequenas proteínas lisossómicas como a catepsina D. O processo é similar em leveduras, embora o nome dos genes varie. (wikipedia.org)
  • normais
  • Os doadores de sangue infectados pelo vírus HCV apresentaram oito vezes mais catepsina B no soro do que os indivíduos normais. (unifesp.br)
  • Verificamos que os pacientes portadores de sepse bacteriana apresentaram 12 vezes mais catepsina B no soro do que os indivíduos normais. (unifesp.br)
  • marcadores
  • Os níveis de catepsina B no soro foram correlacionados com marcadores bioquímicos de inflamação e lesão celular em modelos de doenças inflamatórias produzida por vírus (HCV), bactéria (sepse humana) e doença degenerativa de disco intervertebral. (unifesp.br)